Você está na página 1de 1

Maria, exemplo de obediência

Grande mãe no Novo testamento: Maria é a mãe que sintetiza muito bem um novo tipo de
maternidade. Ela é uma jovem mulher que concebe uma criança em condições misteriosas, que
não tem reconhecimento da sociedade. Fica sozinha. Prestes a perder seu noivo. Depois, dá à luz
em condições precárias. Revela-se profetiza e corajosa. É uma mulher inteligente e presente na
vida de Jesus e educa seu filho com desapego, preocupação e liberdade.

A coragem de Maria é um exemplo. Imagine o fato. Virgem naquela época, em que para a
mulher não havia liberdade de expressão e de pensamento, noiva, e aparece grávida. De quem?
Um tal Espírito Santo que ninguém conhecia, nem ouvira falar direito (pense bem nesse fato: se
isso acontecesse nos dias de hoje vc acreditaria). Como dizer ao noivo, que ela havia sido
visitada por este Espírito que diz a ela como seria sua gravidez, e nome do bebê. Precisava
muita coragem para dizer SIM ao Espírito Santo. Pois Ele jamais a forçaria a tal situação se em
seu coração ela não estivesse disponível ao preço que seria pago diante daquela sociedade.

Ela enfrentou tudo, José por sua vez também visitado pelo mesmo Espírito assumiu seu papel de
pai. E Maria teve o Salvador. Sua caminhada de mãe e mulher não foi diferente da de muitas
mães por aí em relação a família e filhos, cumpriu seu papel de esposa, ensinou seu filho a dar
os primeiros passos, falar, ser obediente. Mesmo sabendo de sua missão e como esta terminaria.

Na morte de Cristo na Cruz do Calvário Maria volta a mostrar sua força materna. Vê um filho
morrendo sem culpa, sem pecados, humilhado e ultrajado. Morrendo pelos pecadores de sua
época e de épocas vindouras que ela nem sabia quem seria. Não desanimou, seguiu seu filho
firme e forte, chorando muito é claro, pois a mãe não aprendeu a perder seu filho, mesmo sendo
Ele o Salvador. Mas ela continuou sua caminhada até deixá-lo no sepulcro, sozinho
(aparentemente). Mas na sua ressurreição ela confirma. Sua FÉ não foi um sonho nem ilusão, e
que todo seu trabalho como mãe e serva de Deus não foi em vão. Ali estava o SALVADOR do
mundo. Seu Filho. Filho de Deus.

LIÇÃO sobre a sua História DE VIDA - Maria é um dos maiores exemplos de obediência à
Palavra de Deus. Ela era ainda uma adolescente, quando recebeu a notícia do anjo Gabriel, que
seria a mãe do Salvador da humanidade. O Filho prometido na visão angelical era o
“descendente da mulher” (Gn 3.15), que haveria de esmagar a cabeça da serpente, destruindo o
poder do pecado e o jugo de satanás na vida dos homens. Era grande demais o privilégio que
estava diante de Maria. E ela creu imediatamente. Ela se dispôs a cumprir imediatamente a
vontade de Deus.

Maria não pensou em si, apenas em obedecer e olhar para a grandeza do presente que o Senhor
lhe concedia: entregar-se para ser a mãe daquele ente celestial que se tornaria homem. Como
homem, Jesus precisaria de uma mãe. Como homem, o Filho de Deus precisaria ser cuidado e
preservado em sua infância. Alguns dizem que Maria é mãe de Deus – é claro que isso é tolice e
totalmente contra a Palavra de Deus. Maria é criatura como todos nós. Ela cantou a glória do
Senhor, declarando-se também pecadora e necessitada de salvação (Lc 1.46-47): [...] “A minha
alma engrandece ao Senhor, e o meu espírito se alegrou em Deus, meu Salvador...”.

À semelhança de Maria, nós também carregamos em nosso interior a divina semente. O Filho de
Deus habita em nós por meio de seu Espírito Santo. Mas também estamos sujeitas às
incompreensões, perseguições, calúnias e zombarias por causa de nossa fé. No entanto, vale
muito mais pena se oferecermos ao Senhor nosso coração, a nossa honra, pois Ele nos honrará
naquele dia glorioso!