P. 1
programa cpa medio

programa cpa medio

4.91

|Views: 63.896|Likes:
Publicado poranon-980609

More info:

Published by: anon-980609 on Sep 05, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/30/2015

pdf

text

original

Educação de Jovens e Adultos Comissão Permanente de Avaliação – CPA EXAMES SUPLETIVOS DE ENSINO MÉDIO Caro(a) Candidato(a

),

LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA BRASILEIRA

Vivemos num mundo em que o nível de escolaridade conta muito para o sucesso na vida porque os estudos abrem horizontes e perspectivas de crescimento pessoal e profissional. O estudo da Língua Portuguesa possibilita o acesso ao mundo da leitura e da escrita e atuação nas diversas situações comunicativas, ampliando a participação social no exercício da cidadania de forma mais crítica, criativa e atuante. Sendo assim, nos seus estudos leia e tente compreender vários tipos de textos, interpretando, realizando inferências e observando aspectos gramaticais, ortográficos e literários. Este Programa o(a) ajudará nos estudos preparatórios aos seus Exames. Os exemplos são algumas pistas para orientá-lo(a) nos seus estudos. A bibliografia é referência mínima que deve ser ampliada com outros portadores de texto, a exemplo de jornal, revistas... Com dedicação e esforço você conseguirá, com certeza, o melhor resultado nos Exames. Boa Sorte! OBJETIVOS 1. TEXTOS 1.1. Textos diversos - literários - não literários CONTEÚDOS

1.1. Ler, compreender e interpretar de forma crítica textos literários e não literários encontrados em livros, jornais e revistas, dando sua opinião a respeito.

2.1. Empregar adequadamente os sinais de pontuação ao redigir um texto.

2. PONTUAÇÃO 2.1. Sinais de pontuação.

3. ACENTUAÇÃO 3.1. Acentuar corretamente as palavras, facilitando 3.1. Acentuação gráfica (sílaba tônica); a compreensão do que se lê. Exemplos: O aluno estudará para o exame. (futuro) O aluno estudara para o exame. (pretérito-passado)

4.1. Reconhecer os elementos que formam a oração, relacionando o nome e o verbo aos seus complementos.

4. ELEMENTOS DA ORAÇÃO 4.1. Sintaxe- termos da oração (sujeito e predicado, classificação dos verbos: transitivo e intransitivo, termos relacionados a nome e a verbo); Exemplos: O candidato chegou cedo. (A oração possui: sujeito simples, verbo intransitivo - sem complemento ou objeto). Recebi o resultado. (A oração possui: sujeito oculto, verbo transitivo direto - com complemento). O candidato preparado realiza bom exame. (As palavras sublinhadas se relacionam ao substantivo – nome - candidato).

OBJETIVOS

CONTEÚDOS

5.1. Construir frases, períodos ou textos 5. COORDÂNCIA DO NOME E DO VERBO estabelecendo uma relação de concordância 5.1. Concordância nominal (concordância do nome com o artigo, do nome e do verbo com os termos que a pronome, adjetivo ou numeral em gênero e número) eles se referem. Exemplo: O pêssego e a maçã estão maduros. - Concordância verbal (verbo se modifica para se adequar ao seu sujeito) Exemplo: Os Estados Unidos prometeram investir no social. 6. NOMES, VERBOS E EMPREGO DAS PREPOSIÇÕES 6.1. Regência nominal e verbal (palavras que necessitam ou não de preposição) Exemplos: Ele estava totalmente alheio ao assunto. (a palavra alheio rege as preposições a ou de). Os filhos obedecem aos pais. (quem obedece, obedece a alguém ou a alguma coisa), neste caso o verbo sublinhado rege preposição. 7. ORTOGRAFIA 7.1. Ortografia: emprego dos porquês; mal/mau; mas/mais; emprego de letras maiúsculas; emprego das letras S, Z, Ç, etc. Exemplo: cumprimento/comprimento, tráfego/tráfico.

6.1. Conhecer os nomes e os verbos que regem preposição para empregá-los adequadamente ao produzir um texto;

7.1. Utilizar corretamente no texto palavras que apresentam dificuldades ortográficas (parecidas ou iguais na escrita e/ou na pronúncia);

8.1. Relacionar o texto à escola literária, de acordo com os traços que caracterizam cada escola;

8. TEXTOS E ESCOLAS LITERÁRIAS 8.1. Escolas literárias (barroco, arcadismo, romantismo, realismo/naturalismo/parnasianismo, simbolismo, prémodernismo, modernismo;

9.1. Redigir texto dissertativo, expressando liberdade de opinião e defendendo sua posição.

9. TEXTOS DISSERTATIVOS 9.1. Redação - Dissertação – texto que apresenta: * ponto de vista – introdução * argumentação para fundamentar o ponto de vista – desenvolvimento * reafirmação do ponto de vista, sugestão ou solução de problema – conclusão.

INDICAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS: FARACO & MOURA. Gramática Nova. 3ª ed. São Paulo: Ática, 1998 _______________ .Língua Portuguesa e Literatura. Vol. Único, 3ª ed. São Paulo: Ática, 1999. FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Dicionário da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 3ª ed. 1999. FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO. TELECURSO 2000. Língua Portuguesa. Volumes 1, 2 e 3. 2º Grau. FIESP – CIESP – SESI – SENAI – IRS. São Paulo: Globo Editora, 1995. SARGENTIM, Hermínio. Redação para o Ensino Médio. São Paulo: IBEP,1995. Sistema de Ensino – IBEP. Apostila – Língua Portuguesa. Antônio de Siqueira e Silva e Rafael Bertolin. – Novo Ensino Médio – Volume Único. São Paulo: IBEP. Curso Completo.

Educação de Jovens e Adultos Comissão Permanente de Avaliação – CPA EXAMES SUPLETIVOS DE ENSINO MÉDIO Caro(a) candidato(a)

MATEMÁTICA

A Matemática está presente em nossas vidas, desde uma simples contagem até o uso em complexos computadores. Pode parecer, a princípio, que alguns temas da Matemática não têm aplicação imediata no mundo em que vivemos; isso pode gerar em você um certo desapontamento. Na verdade, a aplicação da Matemática no cotidiano ocorre como resultado do desenvolvimento e do aprofundamento de certos conceitos nela presentes. Veja no comércio (compras e vendas), por exemplo, o cálculo de juros e porcentagem. Para entender a Matemática e suas aplicações são necessários: dedicação, estudo, compreensão dos conceitos matemáticos e a cada conteúdo estudado, você se apropriara de "ferramentas" que lhe permitirão resolver problemas de sua vida diária e de sua profissão. A linguagem algébrica, o uso de equações para resolver situações-problema, o emprego e análise de gráficos e noções de matemática financeira se constituem, dentre outros, conhecimentos da matemática. Este Programa o(a) ajudará nos estudos preparatórios aos seus Exames. Os exemplos são algumas pistas para orientá-lo(a) nos seus estudos. A bibliografia é referência mínima que deve ser ampliada com outros portadores de texto, a exemplo de revistas, jornais... Com dedicação e esforço você conseguirá, com certeza, o resultado nos Exames. Boa Sorte!

OBJETIVOS

CONTEÚDOS

1.1. Reconhecer e representar subconjuntos de IR (conjunto dos números reais) utilizando a linguagem de conjuntos. - Reconhecer que entre dois números reais distintos quaisquer existem infinitos números reais. - Aplicar os conceitos dos conjuntos numéricos na solução de situações-problema.

1. CONJUNTOS NUMÉRICOS 1.1 Representação dos conjuntos - Conjunto dos números naturais (N ) N = {0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, ...} - Conjunto dos números inteiros ( Z ) Z = {..., -4, -3, -2, -1, 0, 1, 2, 3, 4, ...} - Conjunto dos números racionais ( Q ) Q = { x/x = p , p ∈ Z e q ∈ z*} q - Conjunto dos números irracionais ( I )
Exemplos:

2 , π ,

3

9

1.2. Representar geometricamente os números reais.

I = IR - Q - Conjunto dos números reais ( IR ) IR = {x/x ∈ Q ou x é irracional} IR = Q ∪ I Exemplo: Numa certa república, o presidente deve permanecer 4 anos em seu cargo; os senadores, 6 anos e os deputados, 3 anos. Nessa república, houve eleição para os três cargos em 1998. A próxima eleição simultânea para esses cargos ocorrerá, novamente, em: 1.2. Representação geométrica de IR. Exemplo:

OBJETIVOS

CONTEÚDOS

2. RELAÇÃO E FUNÇÃO
2.1. Identificar os pares ordenados de números reais como as coordenadas cartesianas de pontos. 2.2. Aplicar o produto cartesiano entre dois conjuntos. 2.1 Par ordenado (x, y) no plano cartesiano 2.2 Produto cartesiano AXB = {(x, y) / x ∈ A e y ∈ B}

2.3. Aplicar a noção de relação no par ordenado na 2.3 Noção de relação ( R ) solução de situações-problema. 2.4. Representar uma relação no diagrama de setas ou no 2.4. Representação gráfica de uma relação plano cartesiano. 2.5. Utilizar a noção de função práticos. por meio de exemplos 2.5. Noção matemática de função Exemplo: Um automóvel apresenta a seguinte taxa de consumo de gasolina: 10 km/l (cada litro de gasolina consumida pelo motor permite um deslocamento de 1km). Sabendo-se que o litro de gasolina custa em torno de R$ 2,10, qual o custo, em reais, de uma viagem de ida e volta de São Paulo ao Rio de Janeiro, distantes 360 Km?

2.6. Construir tabela de valores com os pares ordenados 2.6 Gráfico de uma função (x, y) e posteriormente, esboçar o gráfico da função.

2.7. Reconhecer através da análise de um diagrama ou de 2.7 Análise de gráficos um gráfico se uma relação é uma função. Exemplo: Identifique a seguir os gráficos que representam função:

2.8. Calcular o valor numérico de uma função.

2.8. Valor numérico de uma função Exemplo: Sendo f(x) = 2x2 + x - 1, definida de IR em IR, calcule: a) f(-3) b) f(0,5)

2.9. Domínio e imagem de uma função 2.9. Determinar o domínio e a imagem de uma função. 2.10. Determinar os zeros (raízes) de uma função diferenciando os tipos de gráficos encontrados (reta – 2.10. Zeros ou raízes de uma função Exemplo: Determine os zeros das funções 1o grau; parábola – 2o grau). representados graficamente.

OBJETIVOS

CONTEÚDOS

3. FUNÇÃO POLINOMIAL DO 1º E 2º GRAUS 3.1. Aplicar o conceito de função de 1º e 2º graus na 3.1. Definição de função de 1º e 2º graus solução de situações-problema. f(x) = ax + b → 1º grau Exemplo: O preço médio do quilowatt-hora (kWh) é de R$ 0,25. Um chuveiro elétrico funcionando com uma potência de 4 400 W (watt) ou seja, 4,4 kW (quilowatt) apresenta, a cada hora de funcionamento, um consumo de energia igual a 4,4 kWh. Evidentemente, o preço pago por esse tempo (1 hora) será de 4,4 X R$ 0,25 = R$ 1,1. Então, o preço pago por uma banho de x horas é: f(x) = ax2 + bx + c → 2º grau
Exemplo: A receita y de uma empresa que produz certo bem de consumo é dada pelo produto do preço de venda P pela quantidade vendida x daquele bem. Suponha que o preço P varie de acordo com x, segundo a equação P = 100 - 2x. calcule a quantidade x a ser vendida para que a receita seja máxima. 3.2. Associar o gráfico de uma função de 1º grau de 3.2. Gráfico da função (1º e 2º graus) domínio IR a uma reta não-vertical. - Associar à função do 2º grau o gráfico de uma parábola cujo eixo é paralelo ao eixo das ordenadas (eixo y). 3.3. Identificar na função do 1º grau y = ax + b, o número 3.3 Coeficientes de uma função polinomial de 1º e 2º graus real “a” chamado coeficiente angular e o número real “b” é chamado de coeficiente linear. Exemplo: Para que valores de k a função do 1º grau - Associar o coeficiente angular da reta à inclinação dela f(x) = (2k - 1) x + 2 é: no gráfico (coeficiente positivo → inclinação para a a) crescente direita – função crescente; coeficiente negativo → b) decrescente inclinação para a esquerda – função decrescente ; c) constante coeficiente nulo → reta paralela ao eixo horizontal – função constante). o - Associar nas funções do 2 grau, o coeficiente à concavidade da parábola: se positivo → concavidade voltada para cima (a >0) ; se negativo → concavidade voltada para baixo (a < 0). 3.4. Determinar as raízes (zeros) das funções do 1o e do 2o 3.4. Raízes ou zeros de função de 1º e 2º graus. graus, reconhecendo a importância das mesmas para a construção de gráficos. 3.5. Determinar os valores de x para os quais a função do 1o e do 2o graus é positiva, negativa ou nula aplicados em situações-problema. - Resolver, usando o estudo do sinal, uma inequação de 1º e 2º graus na variável x. 3.5. Estudo do sinal da função do 1º e 2º graus Exemplo: Um comerciante gastou R$ 300,00 na compra de um lote de maçãs. Como cada maçã será vendida a R$ 2,00, ele deseja saber quantas maçãs devem ser vendidas para que haja lucro no final da venda. Observe que o resultado final (receita – despesa) é dado em função do número (x) de maçãs vendidas e a lei da função é : f(x) = 2x – 300. Vendendo 150 maçãs, não haverá lucro nem prejuízo se x = 150 → f(x) = 0. Se x > 150 → f(x) > 0, haverá lucro; Se x < 150 → f(x) < 0, haverá prejuízo.

OBJETIVOS

CONTEÚDOS

4. GEOMETRIA PLANA 4.1. Reconhecer e aplicar o teorema de Pitágoras 4.1. Teorema de Pitágoras - Relações métricas no (a2 = b2 + c2), sendo a = hipotenusa, b e c os catetos triângulo retângulo no cálculo de medidas desconhecidas dos lados de Exemplo1: Calcule quantos metros de fio são um triângulo retângulo na solução de situaçõesnecessários para "puxar luz" de um poste de 6 m de problema. altura até a caixa de luz que está ao lado da casa e a 8 - Identificar os elementos de um triângulo retângulo e m da base do poste. associar a cada um a sua medida Exemplo2: O perímetro de um triângulo retângulo é 24 cm e as medidas de seus lados estão expressos por x - 2, x e x + 2. Determine as medidas dos segmentos que a altura determina sobre a hipotenusa.
4.2. Compreender o que é seno, cosseno e tangente de 4.2. Razões trigonométricas no triângulo retângulo: um ângulo agudo. - seno de um ângulo agudo - cosseno de um ângulo agudo - Aplicar as definições de seno, cosseno e tangente de - tangente de um ângulo agudo um ângulo agudo no triângulo retângulo na resolução Exemplo: Uma rampa lisa com 10 m de comprimento de situações-problema. faz ângulo de 300 com o plano horizontal. Uma pessoa que sobe a rampa inteira eleva-se verticalmente a quantos metros? 4.3. Determinar, por meio de fórmulas próprias o perímetro 4.3. Área e perímetro de uma região determinada por: e a área de uma região poligonal, usando retângulo, quadrado, paralelogramo, triângulo, corretamente as unidades de medida, na solução de losango, trapézio, polígono regular, círculo, setor situações-problema. circular, figuras compostas. Exemplo1: Cálculo das áreas e perímetros dos cômodos de uma casa (paredes, pisos e tetos). Exemplo2: Cálculo do perímetro e área de uma praça circular. - Unidades padronizadas e oficiais de medidas de superfícies: km2 (quilômetro quadrado) hm2 (hectômetro quadrado dam2 (decâmetro quadrado) m2 (metro quadrado)→ unidade fundamental dm2 (decímetro quadrado) cm2 (centímetro quadrado) mm2 (milímetro quadrado)

5. GEOMETRIA MÉTRICA ESPACIAL 5.1. Identificar, diferenciar e descrever as características 5.1 Poliedros : (número de faces, vértices, arestas e ângulos) e - elementos (faces, arestas, vértices e diagonais) propriedades (relações entre faces, vértices, arestas - poliedros regulares (tetraedro, octaedro, icosaedro, e ângulos) dos poliedros regulares). hexaedro, dodecaedro). 5.2. Utilizar a planificação para calcular a área da superfície total dos principais sólidos geométricos (pirâmides, prismas, cones e cilindros) na solução de situações-problema. - Aplicar o cálculo do volume da pirâmide, prisma, cilindro, cone e esfera na solução de situaçõesproblema. 5.2. Área lateral, área total e volume dos principais sólidos geométricos (prisma, pirâmide, cilindro, cone e esfera). Exemplo1: Uma piscina retangular de 10 m X 15 m e fundo horizontal está com água até a altura de 1,5 m. Um produto químico em pó deve ser misturado à água à razão de um pacote para cada 4 500 litros. Calcule o número de pacotes a serem usados.

OBJETIVOS

CONTEÚDOS Exemplo2: Determine a quantidade de chocolate necessária para a fabricação de 1 000 pirulitos em forma de guarda-chuva, de 5 cm de altura e 20 mm de diâmetro. Exemplo3: Uma fábrica de suco de laranja confeccionou suas embalagens em dois formatos: uma esférica de 8 cm de diâmetro e outra cilíndrica. Sabendo que as duas embalagens têm a mesma altura e a mesma largura, calcule seus volumes.

6. NOÇÕES DE MATEMÁTICA FINANCEIRA 6.1. Calcular porcentagem em situações-problema. 6.1 Porcentagem - Calcular aumentos de salários, preços, dentre outros, Exemplo1: Um artigo é vendido, em uma promoção, com um desconto de 30%. Encerrada a promoção, o aplicando as noções de porcentagem na solução de artigo retorna ao preço normal. Em quantos por cento situações-problema. aumenta o preço do artigo? Exemplo2: O valor do salário mínimo foi majorado de R$ 200,00 para R$ 240,00. Qual foi a taxa percentual do aumento? Exemplo3: Calcule o preço de uma mercadoria vendida por R$ 325,00 com lucro de 5% sobre o preço de venda. 6.2 Analisar o aumento ou desconto que um produto sofra 6.2. Juros simples dentro de um determinado período. Exemplo1: Uma pessoa aplicou R$ 300,00 a juros simples, tendo recebido um montante de R$ 372,00, à - Aplicar juros simples a um capital ao término de taxa de 3% ao mês. Calcule o tempo de aplicação. determinado período.. Exemplo2: Certa mercadoria, que custava R$ 12,50, teve um aumento, passando a custar R$ 13,50. Determine a majoração sobre o preço antigo.

7. NOÇÕES DE ESTATÍSTICA 7.1. Analisar dados organizados em tabelas, identificando 7.1 Representação e distribuição gráficas de freqüência padrões estatísticos. - Identificar, dentre diversas representações gráficas, - Comportamento de dados a partir de uma representação uma determinada distribuição de freqüências. gráfica - Identificar e interpretar o comportamento de dados a Ex: histograma, gráfico de setor, de barras, etc. partir de uma representação gráfica (histograma, gráfico de setores, de barras, etc.) - Comparar dados em diferentes representações gráficas. 7.2. Determinar os valores de medidas de tendência 7.2. Medidas de tendência central (mediana, moda e central (mediana, moda e média aritmética) na média aritmética) solução de situações- problema. Exemplo: Os dados abaixo extraídos da Folha de São Paulo de 21/01/1999 apresentam quanto os bancos das montadoras têm a receber de cerca de 57 mil clientes que financiaram carros com correção pelo dólar e ainda não quitaram a dívida.

OBJETIVOS

CONTEÚDOS AS DÍVIDAS EM DÓLAR NOS BANCOS DAS MONTADORAS Bancos Volkswagen Fiat GM Ford Saldo Devedor(em U$$ 100 milhões 100 milhões 150 milhões 200 milhões

Com base nestes dados: a) construa o gráfico em colunas; b) faça o gráfico de setores; c) determine a mediana; d) determine a moda e) calcule a média aritmética

INDICAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS

FILHO, Benigno Barreto, SILVA, Cláudio Xavier da. Matemática aula por aula: vol. único: Ensino Médio. São Paulo: FTD, 2000. SANTOS, Carlos Alberto Marcondes dos, GENTIL, Nelson, GRECO, Sérgio Emílio. Matemática: volume único. Ensino Médio. 6ª ed. São Paulo: Ática, 2001. SILVA, Jorge Daniel, FERNANDES, Valter dos Santos, MABELINI, Orlando Donisete. Apostila de Matemática. Volume único. Novo Ensino Médio. São Paulo: IBEP, 2001. FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO. TELECURSO 2000. Matemática. Volumes 1, 2 e 3. 2º Grau. FIESP – CIESP – SESI – SENAI – IRS. São Paulo: Globo Editora, 1995. Nota: Complemente seus estudos através de jornais, revistas, fitas de vídeo, programa de rádio e televisão. Enfim, aproveite todas as oportunidades em sua volta, que lhe possibilite estar informado e formar sua própria opinião.

Educação de Jovens e Adultos Comissão Permanente de Avaliação – CPA EXAMES SUPLETIVOS DE ENSINO MÉDIO Caro(a) candidato(a)

QUÍMICA

A sociedade atual exige uma posição cada vez mais crítica quanto à utilização dos conhecimentos científicos, tecnológicos e de seus efeitos tanto no ser humano como no meio ambiente. Para que serve a Química? Às vezes você não percebe, mas ela está presente na nossa vida e é parte importante dela. Quando escolhemos os produtos mais apropriados para a nossa alimentação, quando os cozinhamos e lavamos os utensílios ou quando ingerimos um medicamento, estamos lançando mão dos princípios, conceitos e reações da Química. Portanto compreender e utilizar esses conceitos, princípios e leis da Química se torna importante para interpretar os fenômenos e resolver novos problemas no dia a dia. Este Programa o(a) ajudará nos estudos preparatórios aos seus Exames. Os exemplos são algumas pistas para orientá-lo(a) nos seus estudos. A bibliografia é referência mínima que deve ser ampliada com outros portadores de texto, a exemplo de revistas, jornais... Com dedicação e esforço você conseguirá, com certeza, o melhor resultado nos Exames. Boa Sorte!

OBJETIVOS

CONTEÚDOS 1. MATÉRIA E ENERGIA 1.1 – Mudanças de estados físicos. Ex. Fusão: “derretimento” do gelo

1.1. Entender que as mudanças de estado físico da matéria podem ocorrer com variação de temperatura e que representam fenômenos físicos. 1.2. Reconhecer a diferença entre um fenômeno físico (o que não altera a estrutura da matéria) de um fenômeno químico ou reação química (aquele que transforma a matéria.) 1.3. Diferenciar as substâncias simples (formadas por átomos de um só elemento químico) das substâncias compostas (apresentam dois ou mais elementos químicos). 1.4. Distinguir as misturas homogêneas – um só aspecto visível (fase) – das misturas heterogêneas – apresentam duas ou mais fases. 1.5. Identificar os processos de separação dos componentes de uma mistura.

1.2 –Fenômenos: - físicos. Ex. rasgar um papel químicos. Ex. queimar um papel

1.3 Substâncias: - simples. Ex. O2 - compostas. Ex. H2O 1.4 – Misturas: - homogêneas. Ex. água + álcool - heterogêneas. Ex. água +areia 1.5 – Processos de separação dos componentes de uma mistura. – Misturas homogêneas: destilação Ex.. separar o sal da água do mar – Misturas heterogêneas - filtração. Ex. coar café - decantação. Ex. água + óleo - ventilação. Ex. casca do amendoim torrado - separação magnética. Ex. limalha de ferro + enxofre - sublimação. Ex. naftalina que “desaparece”

OBJETIVOS

CONTEÚDOS 2. ESTUDO DO ÁTOMO 2.1 Partículas atômicas: prótons, elétrons e nêutrons Ex. o próton tem carga elétrica positiva e está localizado no núcleo do átomo

2.1. Identificar as principais partículas do átomo.

2.2. Reconhecer que o número atômico (Z) é o número de 2.2 Número atômico, número de massa e elemento prótons de um átomo e que o número de massa (A) é a químico soma das partículas que têm massa (prótons e Ex: um átomo que tem Z = 17 e 18 nêutrons possui nêutrons) A= p+N 17 prótons e número de massa 35
19 Calcular o número de prótons, elétrons e de nêutrons Ex: F: 9 prótons, N=10 nêutrons (19 – 9) 9 para um determinado elemento químico ou de um íon a partir de seus números atômico e de massa e/ou carga e 9 elétrons (quando um átomo está em seu estado fundamental, átomo neutro, o número de prótons é elétrica. igual ao número de elétrons)

2.3. Identificar os isótopos como sendo átomos que apresentam o mesmo número atômico e que eles são importantes para o bem-estar do povo.

2.3 – Isótopos 127 I e Ex.
53

131 53

I O iodo radioativo

é usado para localizar tumores na tireóide.

3. TABELA PERIÓDICA 3.1. Reconhecer que os elementos químicos estão 3.1. Classificação dos elementos na tabela arrumados na tabela periódica em ordem crescente de - Metais, não-metais e gases nobres seus números atômicos. - Classificar os elementos químicos em metais, nãometais e gases nobres, além do hidrogênio, de acordo com as suas propriedades físicas. 3.2. Compreender que os elementos representativos pertencem aos grupos “A” enquanto que os elementos de transição localizam-se nos grupos “B” da tabela periódica 3.2. Elementos representativos e de transição

3.3. Distribuir os elétrons nos níveis de energia do átomo 3.3. Distribuição eletrônica em níveis de energia (ou de um elemento representativo, destacando os elétrons camadas) da última camada 3.4. Relacionar os elementos químicos das famílias “A” com o número de elétrons da última camada (camada de valência). - Reconhecer que os elementos químicos de uma mesma família possuem propriedades semelhantes - Reconhecer que cada período da tabela periódica corresponde ao número de camadas eletrônicas de um elemento químico. - Utilizar a tabela periódica para obter informações a respeito dos elementos químicos como: nome, símbolo e família. 3.5. Relacionar as propriedades periódicas dos elementos químicos com suas posições na tabela periódica. 3.4. Famílias ou grupos e períodos Ex. Nome: Sódio, Símbolo Na, Z = 11, A = 23, Família: l A porque tem 1 elétron na camada de valência (K=2 L=8 M=1). O sódio localiza-se no 3º período (3 camadas) e tem propriedades físicas e químicas semelhantes às do potássio (K) pois eles pertencem à mesma família. É um metal e por isto tendência a perder um elétron quando estabelece uma ligação iônica.

3.5. Propriedades periódicas: raio atômico, energia de ionização, eletronegatividade

4.1. Reconhecer que todo tipo de material é formado por átomos que se ligam em busca de estabilidade.

4. LIGAÇÃO QUÍMICA E METÁLICA 4.1 – Ligações Químicas/Formação de Compostos

OBJETIVOS

CONTEÚDOS

- Reconhecer que uma ligação iônica ocorre pela atração - Ligação iônica elétrica de íons positivos (cátions) e íons negativos 2(ânions). – Fórmula mínima. Ex. Na+ + S - Representar a fórmula mínima dos compostos iônicos. 4. 2 – Ligação Covalente 4.2. Compreender que uma ligação covalente ocorre – Fórmulas geralmente entre metais e que estes compartilham par(es) de elétrons. • Molecular: Ex. H 2 O • Estrutural: Ex. H – O – H - Representar as fórmulas molecular e estrutural dos compostos covalentes. - Prever o tipo de ligação e representar a fórmula de um composto iônico ou covalente a partir da posição dos elementos químicos na tabela periódica. 4.3. Compreender que a ligação metálica ocorre entre metais - Identificar os compostos iônicos, metálicos e covalentes em função das suas propriedades físicas.

Na 2 S

4.3. Ligação Metálica Ex. Os compostos iônicos são sólidos e conduzem a corrente elétrica quando em solução aquosa.

5.1. Identificar as diferentes substâncias inorgânicas através de suas fórmulas e nomes.

5. FUNÇÕES INORGÂNICAS: ÓXIDOS, ÁCIDOS, BASES E SAIS 5.1. Substâncias inorgânicas, fórmulas e nomenclatura Ex. Fórmula: NaOH Função: base Nome: hidróxido de sódio 5.2. Substâncias Inorgânicas: usos e aplicações Ex. Ácido clorídrico – HCl encontrado no estômago Hidróxido de magnésio – Mg (OH)2 :antiácido Cloreto de sódio – usado na alimentação Gás carbônico : CO2 extintor de incêndio 5.3. Problemas Ambientais - Efeito Estufa - Chuva Ácida - Buraco na camada de Ozônio - Poluição da água e do ar

5.2. Reconhecer no dia a dia a existência e as aplicações das substâncias ácidas e básicas além de sais e óxidos.

5.3. Analisar através de textos, gráficos, tabelas e charges as causas e as conseqüências dos problemas ambientais.

6.1. Classificar o tipo de reação sendo dada uma equação química. - Calcular os coeficientes de uma equação química pelo método das tentativas. 6.2. Aplicar a Lei da Conservação da Massa na previsão das quantidades de reagentes e produtos envolvidos em uma reação química.

6. REAÇÕES QUÍMICAS 6.1. Classificação: Síntese; análise, simples troca e dupla troca – Balanceamento de equações químicas

6.2. Lei da Conservação da Massa (Lei de Lavoisier) Ex. Qual é a massa de oxigênio necessária para queimar 2g de hidrogênio para que se obtenha 18g de água? Hidrogênio + oxigênio água 2g x 18g x = 18 – 2 x = 16g de oxigênio

OBJETIVOS

CONTEÚDOS 7. SOLUÇÕES 7.1 – Solução e Classificação - Quanto ao estado físico - Quanto à quantidade de soluto

7.1. Reconhecer que uma solução é uma mistura homogênea e que é formada de soluto e de solvente. - Distinguir uma solução diluída de uma concentrada através da quantidade de soluto em relação à de solvente. 7.2. Determinar a concentração de uma solução expressa em g / L.

7.2 – Concentração comum: C = massa do soluto Volume da solução

8. MEDIDAS EM QUÍMICA 8.1. Calcular a massa molecular “MM” e a massa molar “M” 8.1 – Massa Molecular – unidade: u das substâncias Ex. H2O MM = 2x1 + 1x16 MM=18 u – Massa Molar – unidade: g / mol Ex. H2O M = 18 g / mol 8.2. Efetuar cálculos envolvendo a quantidade de matéria. 8.2. Quantidade de matéria: mol Ex. Determinar o número de mol que existe n= 36 n= 2 mol em 36g de água. n= m MM 18

9.1. Identificar os tipos de ligação do átomo de carbono (simples, dupla e tripla) - Reconhecer quando um átomo de carbono é primário, secundário, terciário ou quaternário - Classificar uma cadeia carbônica quanto ao tipo (aberta, fechada e aromática), à saturação (saturada ou insaturada), à disposição dos átomos de carbono (normal ou ramificada) e quanto à presença ou não de heteroátomo (homogênea ou heterogênea). 9.2 Identificar um hidrocarboneto através do seu nome e da sua fórmula estrutural. 9.3. Reconhecer que, além das substâncias inorgânicas, existem as substâncias orgânicas que são muito importantes para a vida moderna 9.4. Reconhecer que a mistura de substâncias que forma o petróleo pode ser separada por destilação fracionada - Identificar produtos derivados do petróleo. - Interpretar textos jornalísticos, publicitários, charges ou cartoons que abordem a importância do petróleo. - Reconhecer, através da interpretação de textos, que os danos ambientais provocados pelo petróleo afetam todo o planeta

9. FUNÇÕES ORGÂNICAS 9.1 – O átomo de carbono e as cadeias carbônicas. Ex. CH2 = CH – O – CH3 é uma cadeia aberta, normal, insaturada e heterogênea

9.2. Hidrocarbonetos

9.3. Compostos orgânicos Ex. Solventes (acetona) e combustível (álcool)

9.4. Constituição, destilação e derivados do petróleo. Ex. o querosene, o óleo díesel, o gás de cozinha, o plástico e outros – O Petróleo e danos ambientais

OBJETIVOS

CONTEÚDOS 10. METAIS E SUAS LIGAS 10.1. Propriedades dos matais e ligas. Ex: Brilho

10.1. Reconhecer as propriedades dos metais e das ligas.

10.2. Conhecer a composição química das seguintes ligas: 10.2. Tipos de ligas. Ex. latão: liga de Cu e Zn aço, latão e bronze. 10.3. Identificar métodos de proteção do aço para evitar a formação da ferrugem. 10.3. Métodos de proteção do aço Ex. Pintar um portão de ferro ou a cromação de uma chave de fenda

10.4. Destacar a importância econômica da reciclagem 10.4. Reciclagem como fator de desenvolvimento social e preservação ambiental

INDICAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS

CARVALHO, Antônio: Apostila .Química Vol. Único .Curso Completo. Sistema IBEP de Ensino. Ed. Afiliada. São Paulo, 2000. FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO. TELECURSSO 2000, Química. Volume 1 e 2. FIESP – CIESP – SESI – SENAI – IRS. São Paulo: Globo Editora, 1995. PERUZZO, Tito Miragaia , CANTO , Eduardo Leite do. Química Vol. Único . Ed. Moderna. São Paulo, 2000.

Educação de Jovens e Adultos Comissão Permanente de Avaliação – CPA EXAMES SUPLETIVOS DE ENSINO MÉDIO Caro(a) Candidato(a),

FÍSICA

A modernidade nos impõe uma atitude frente ao estudo da Física, que não é mais realizado mediante apresentação desarticulada de conceitos, leis e fórmulas distanciadas da realidade vivida. O novo significado desse estudo é integrado à vida cotidiana entendendo-se e explicando-se a queda de um corpo, o movimento de um pêndulo, a velocidade de um carro, o raio, as imagens produzidas pela televisão, os procedimentos de funcionamento de equipamentos residenciais, industriais, dentre outros. Este Programa o(a) ajudará nos estudos preparatórios aos seus Exames. Os exemplos são algumas pistas para orientá-lo(a) nos seus estudos. A bibliografia é referência mínima que deve ser ampliada com outros portadores de texto a exemplo de jornal, revistas... Com dedicação e esforço você conseguirá, com certeza, o melhor resultado nos Exames. Boa Sorte! OBJETIVOS CONTEÚDO

1. INTRODUÇÃO: 1.1. Relacionar os fatos, os fenômenos e os processos 1.1 Ramos da Física naturais aos ramos da Física. 1.2. Expressar as unidades das grandezas físicas em 1.2 Grandezas físicas e unidades do SI (Sistema algarismos significativos ou notação científica, e Internacional de Unidades): fazer mudança de unidades. Exemplo: 2 horas = 120 minutos 72 km/h = 20 m/s - Algarismos significativos Exemplo: 7,359 = 7,36 - Notação científica 2 Exemplo: 100 = 1,00.10 0,047 = 4,7.10-2 2. CINEMÁTICA 2.1. Identificar o referencial, o espaço percorrido, o 2.1 Conceitos Básicos: ponto material, referencial, deslocamento, o tipo de movimento nas situações movimento e repouso, espaço e variação, trajetória. problemas. 2.2 Velocidade Média. 2.2. Determinar a velocidade média e aceleração média Vm = Δs (m/s ou km/h) nos movimentos dos corpos. Δt - Aceleração Média e da Gravidade - Aceleração: a = Δv (m/s2) Δt - Aceleração da gravidade: g = 9,8 m/s2 ou g = 10 m/s2 - Calcular o espaço percorrido, espaço inicial, o tempo a - Movimento Uniforme(M.U) partir de uma situação problema. A função horária: S = So + vt Gráficos: - posição em função do tempo - velocidade em função do tempo 2.3. Determinar a velocidade, o espaço percorrido, o 2.3. Movimento Uniformemente Variado (MUV) tempo e a aceleração de um móvel no movimento - Função horária: uniformemente variado. . de posição: S = So + Vo t + ½ a t2 . de velocidade: V = Vo+ a t . na queda livre: V = Vo + g t - Gráficos: . velocidade em função do tempo . aceleração em função do tempo . espaço em função do tempo

OBJETIVOS

CONTEÚDO 3. VETORES 3.1 Definição/elementos: módulo, direção e sentido. Exemplo: Para definir um vetor devem ser conhecidos: a) Direção e valor numérico. b) Direção valor numérico e unidade. c) Sentido, valor numérico e unidade. d) Direção e sentido. e) Direção, sentido, valor numérico.

3.1. Caracterizar os elementos dos vetores.

3.2. Efetuar operações de soma, subtração e multiplicação 3.2 Operações: de um vetor por um número real. . soma . subtração . multiplicação de um vetor por um número real. Exemplo: Um automóvel se desloca 3 km para o norte, e em seguida 4 km para o leste. O vetor deslocamento resultante tem módulo igual a: 2 2 2 a) 1 d =3 + 4 2 b) 7 d = 9 + 16 c) 2,5 d2 = 25 d) 5 d = √25 e) 12 d=5 3.3. Caracterizar o vetor deslocamento, velocidade e 3.3 Grandezas vetoriais: aceleração. - vetor deslocamento - vetor velocidade média - vetor aceleração

4. DINÂMICA 4.1. Identificar as diferentes forças aplicadas a um corpo, 4.1. Forças: Força peso: P = m . g (N) relacionando com a massa e aceleração da gravidade. Força normal Força de atrito e Tração Força resultante: Fresultante = Ftração – Fatrito Ex.: A massa de uma pessoa é 60 kg. Sabendo que a aceleração da gravidade na lua é 1,6 m/s2. Então seu peso na lua é: 86 N P = m.g 66 N P = 60 x 1,6 P = 96 N 96 N 90 N 60 N 4.2. Relacionar as Leis de Newton as suas aplicações 4.2. Leis de Newton práticas. 1ª Lei de Newton → → 2ª Lei de Newton F = m . a (N) 3ª Lei de Newton F = Fatrito = μ . N N(força normal) = P = m . g μ - coeficiente de atrito - Aplicações das Leis de Newton Ex.: Deslizamento de um ou mais blocos, blocos sendo puxados por fios, sistemas de roldanas, corpos no elevador e outros.

OBJETIVOS

CONTEÚDO 5. TRABALHO, ENERGIA E POTÊNCIA suas 5.1. Formas de energia: mecânica(cinética, potencial), elétrica, química, nuclear, eólica, térmica e outras. Ex.: Em uma usina hidrelétrica a energia mecânica da queda d`água é transformada em energia elétrica. 5.2 Relação entre trabalho e energia mecânica T = F . d (J) Em = Ec + Ep 2 T = F . d. cos α Ecinética = ½ m. V (J) Epotencial = m.g.h (J)

5.1. Conhecer as transformações.

formas

de

energia

e

5.2. Analisar situações envolvendo trabalho e energia.

5.3. Relacionar trabalho, potência e rendimento na 5.3 Relação entre trabalho, potência e rendimento realização de tarefas que necessitam de energia P = T = F . d = F . V (W) durante um certo tempo. Δt Δt mgh η - rendimento η = P útil = Δt Pt P total 6. TERMOLOGIA 6.1 Definição de temperatura e calor Exemplo: Assinale V para as alternativas verdadeiras e F para as falsas: ( ) Quando um sólido é aquecido há um aumento na dilatação do corpo, há um aumento de calor. ( ) Uma pessoa com febre tem a temperatura do corpo aumentada. ( ) A principal quantidade de calor que chega até a Terra é proveniente do Sol. A) V – F – F B) F – V – V C) V – F – V D) F – V - F E) V – V – F

6.1. Distinguir temperatura e calor em situações práticas.

6.2. Relacionar as escalas termométricas de Celsius, 6.2 Escalas Termométricas: Celsius, Fahrenheit e Kelvin. Fahrenheit e Kelvin. Tc = Tf – 32 = Tk – 273 5 9 5 Ex.: A temperatura normal de uma pessoa é 36,5 oC. Na escala Kelvin o valor será de: A) 236,5 Tc = Tk – 273 B) 350 Tk = Tc + 273 C) 319,5 Tk = 36,5 + 273 D) 330 Tk = 319,5 E) 230 - Capacidade Térmica C = ΔQ (cal/ oC) e ΔQ = m . c . Δt (cal) Δt Ex.: Uma porção de substância recebe 50 cal e sua temperatura varia de 5oC, sua capacidade térmica vale: A) 250 cal/goC B) 100 cal/g oC C = ΔQ = 50 = 10 C) 10 cal/g oC Δt 5 D) 0,5 cal/g oC E) 0,1 cal/g oC

OBJETIVOS

CONTEÚDO

6.3. Analisar as quantidades de calor que os corpos 6.3 Calor Específico e Calor latente o necessitam para elevar a temperatura. L = ΔQ (cal/g) c = C (cal/g C) Δt m - Utilizar fórmulas que determinam o calor específico e o Ex.: Se a mesma substância do exemplo 7.3 tiver calor latente das substâncias. massa igual a 50g, logo seu calor específico terá o valor de: A) 0,3 cal/g oC c = C = 10 = 0,2 m 50 B) 0,4 cal/g oC C) 0,5 cal/g oC D) 0,2 cal/g oC E) 0,6 cal/g oC 6.4. Identificar as formas de transmissão de calor. 6.4 Transmissão de calor: condução, convecção e radiação ou irradiação. Ex.: A energia solar chega até nós por: A) radiação B) convecção C) condução D) compressão E) reflexão

7. ÓPTICA 7.1. Relacionar a luz nos meios que se propagam, com 7.1 Conceitos básicos: fonte de luz, cores, meios de as cores e os fenômenos: reflexão, absorção, difusão propagação, fenômenos ópticos, refração (ângulo de e refração. incidência e de refração). 7.2. Reconhecer os espelhos planos e esféricos para 7.2 Espelhos: obter imagens. - Planos - Esféricos: côncavo convexo 7.3. Associar as lentes aos instrumentos ópticos para 7.3 Lentes e instrumentos ópticos produção de imagens. Tipos de lentes: - convergentes - divergentes Ex.: A lente da lupa é: A) côncavo-convexa B) biconvexa C) bicôncava D) plano-côncava E) plano-convexa 7.4. Conhecer o funcionamento do olho e os defeitos da 7.4 Óptica da visão e os defeitos: hipermetropia, miopia, astigmatismo, presbiopia, daltonismo, e visão. outros. Ex.: O defeito da visão humana que é corrigido usando lente esférica divergente é: A) astigmatismo B) daltonismo C) hipermetropia D) presbiopia E) miopia

8 ELETRICIDADE 8.1. Analisar as cargas elétricas e as formas que elas 8.1 Cargas, correntes e campos elétricos. interagem (trocam forças: atração ou repulsão). Ex.: Indique V para as afirmativas verdadeiras e F para as falsas:

OBJETIVOS

CONTEÚDO ( ) Dois corpos eletrizados com cargas de mesmo módulo e sinal se atraem. ( ) Um corpo está eletrizado positivamente quando tem falta de elétrons. ( ) Nenhum corpo eletrizado cria campo elétrico no espaço. A) F – V – F B) F – F – V C) V – V – V D) V – V – F E) F – F - F

8.2. Relacionar corrente elétrica, diferença de potencial, 8.2. Circuitos e dispositivos resistivos U = R . i (V) ou i = U (A) resistência e potência elétrica nos circuitos e R P = R . i 2 (W) associação de resistores em série e paralelo. Conhecer as especificações de potência dos aparelhos elétricos e eletrônicos, relacionando com o tempo de uso e estimar o consumo de energia Ex.: A ddp (diferença de potencial) entre os terminais de um condutor ôhmico de resistência elétrica R= 10 Ω quando uma corrente de 5 A o atravessa: A) 2 V U = R . i = 10 . 5 = 50 B) 50 V C) 0,5 V D) 15 V E) 20 V Ex.: Um chuveiro consome diariamente 3 Kw de energia elétrica. Sendo R$ 0,20 o custo Kwh. Em um mês (30 dias) o consumo de energia terá um custo de: A) R$ 0,60 B) R$ 60,00 x = 3 x 0,20 = R$ 0,60 C) R$ 6,00 x = 0,60 x 30 = R$ 18,00 D) R$ 1,80 E) R$ 18,00 8.3. Reconhecer a presença de ímãs, eletroimãs em transformadores, em equipamentos ou redes de distribuição em relação ao seu funcionamento. 8.3. Magnetismo: ímãs, bússolas e outros equipamentos.

INDICAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS

BONJORNO, José Roberto e Regina Azenha Valter – Física (Volume Único). 7ª ed. São Paulo: FTD, 2000. CALÇADA, Caio Sérgio – Sampaio, José Luís- Física Clássica (Volume 1, 2 e 3). 3ª ed. São Paulo: Atual, 1996. FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO. TELECURSO 2000. Física. Volumes 1 e 2. 2º Grau. FIESP – CIESP – SESI – SENAI – IRS. São Paulo: Globo Editora, 1995. Ivan Ângelo – Sistema de Ensino IBEP – Apostila de Física (Volume Único). 1ª ed. São Paulo: IBEP, 2002. RAMALHO, Nicolau e Toledo - Os Fundamentos da Física (Volume 1, 2 e 3). 7ª ed. São Paulo: Moderna, 1993.

Educação de Jovens e Adultos Comissão Permanente de Avaliação – CPA EXAMES SUPLETIVOS DE ENSINO MÉDIO Caro(a) Candidato(a),

BIOLOGIA

O estudo da Biologia, levará você a descobrir que a vida se organizou através dos tempos, sob a ação de processos evolutivos contínuos que resultaram na diversidade de formas que hoje existem, incluindo a espécie humana. Esses organismos não estão isolados, ao contrário, entre eles existem relações de interdependência. Ao penetrar no mundo biológico, você terá condições de desenvolver o respeito: aos seus semelhantes, a todas as formas de vida e a melhoria das condições de vida dos seres humanos e do planeta. Este Programa o(a) ajudará nos estudos preparatórios aos seus Exames. Os exemplos são algumas pistas para orientá-lo(a) nos seus estudos. A bibliografia é referência mínima que deve ser ampliada com outros portadores de texto, a exemplo de revistas, jornais... Com dedicação e esforço você conseguirá, com certeza, o melhor resultado nos Exames. Boa Sorte! OBJETIVOS CONTEÚDOS

1. ORIGEM DA VIDA 1.1. Identificar, analisar e estabelecer diferenças entre as 1.1. De onde vem a vida diferentes idéias relativas à origem da vida. Teorias : Abiogênese Biogenese, Pasteur, Redi Spallanzani Oparin Haldane Miller, Hipótese heterotrófica. 1.2. Analisar textos históricos e situações do cotidiano 1.2. Fundamentos da Evolução Biológica. para identificar e caracterizar as idéias evolutivas, (Lamarck e Darwin) em particular as de Lamarck e de Darwin.

2. ORGANIZAÇÃO DA VIDA(CITOLOGIA) 2.1. Reconhecer que a célula é a unidade da vida e que 1.1. Célula: unidade dos seres vivos. não existe vida fora da célula 2.2. Localizar na célula a membrana, o citoplasma e o 1.2. Organização celular. núcleo, bem como suas respectivas constituições e Ex.: Localizar os elementos da célula. funções. 2.3. Caracterizar as organelas citoplasmáticas e suas 1.3. Organelas citoplasmáticas respectivas funções. (mitocôndria, cloroplasto, etc.) 2.4. Compreender o processo da mitose, constatando que 1.4. Mitose ele possibilita a mesma composição genética da célula original. 2.5. Compreender a meiose como um processo que 1.5. Meiose garante a manutenção do número de cromossomos da espécie. 2.6. Caracterizar célula procarionte e célula eucarionte. 1.6. Células eucariontes e procariontes 2.7. Reconhecer as diferenças entre a célula animal e 1.7. Célula animal e vegetal vegetal. (membranas, cloroplastos, ...)

3.1. Situar através da observação e análise das suas características gerais, vírus, bactérias protozoários e

3. DIVERSIDADE DA VIDA (seres vivos e vírus) 3.1. Biologia dos vírus, algas, bactérias, protozoários e fungos

OBJETIVOS fungos nos seus grupos específicos de acordo com a classificação atual (monera, protozoa, sem reino definido) 3.2. Comprovar a importância econômica e/ou ecológica dos seres acima citados na produção de medicamentos, cosméticos, indústria alimentícia, decomposição da matéria orgânica, ciclo do nitrogênio e produção de oxigênio. 3.3. Identificar benefícios ou malefícios na relação dos vírus, bactérias, protozoários e fungos com outros seres vivos.

CONTEÚDOS

3.2. Importância econômica e ecológica dos seres vivos e dos vírus. Ex. Decomposição da matéria orgânica, exportação de cogumelos comestíveis...

3.3. Relação com outros seres vivos. Benéficas: fermentação de massas, leite, etc., constituição da fauna e flora intestinais, xampus, cremes etc. Maléficas: diversas doenças (Pneumonia, tuberculose, dengue, gripe, meningite, hepatites, DSTs / AIDS). 3.4. Animais invertebrados e suas relações com outros animais. Ex.: Doenças (verminoses), alimentação (crustáceos e moluscos), cosmética (creme capilar à base de ostras).

3.4 Comprovar a interferência dos vermes, moluscos, artrópodes, poríferos, cnidários e equinodermos no contexto global da vida dos seres humanos e de outros animais.

4.1. Identificar nos vegetais suas estruturas fundamentais e respectivas funções. - Reconhecer a importância do estudo e preservação das plantas e sua diversidade como um fator de equilíbrio ecológico. 4.2. Identificar a forte relação das plantas com seres humanos e animais. 4.3. Constatar o papel das plantas no equilíbrio ecológico.

4. ESTRUTURAS E FUNÇÕES DOS VEGETAIS 4.1. Biologia das plantas (raiz, caule, folhas, flores e frutos) - Fotossíntese. Ex: Escrever a equação da fotossíntese, citar os produtos da fotossíntese... 4.2. Alimentação vegetariana; fitoterapia (medicamentos); indústrias de móveis etc. 4.3. Plantas e equilíbrio ecológico Ex. reflorestamento, jardinagem

5. BIOLOGIA HUMANA 5.1. Identificar o ser humano como organismo complexo 5.1. O Homem que está em constante interação com o meio ambiente e outros seres da natureza. 5.2. Reconhecer que os processos de digestão, 5.2. Funções de nutrição. respiração, circulação e excreção são imprescindíveis (digestão, respiração, circulação e excreção) para a sobrevivência dos seres humanos porque exercem função de nutrição. 5.3. Relacionar revestimento corporal, locomoção, 5.3. Funções de relação. sustentação com as funções de interação do (locomoção, tato, visão, olfato, audição) organismo com o meio ambiente. 5.4. Compreender, em situações do cotidiano que o 5.4. Sistema imunológico. organismo possui diferentes mecanismos de defesa. (leucócitos, linfa) 5.5. Definir a reprodução humana como mecanismo fundamental de perpetuação da espécie (reprodução humana) - Identificar e diferenciar os órgãos do aparelho reprodutor masculino e feminino. - Avaliar a eficiência, adequação e necessidade dos métodos contraceptivos. 5.5. Reprodução humana. Ex.: citar etapas da fecundação, ciclo menstrual - Aparelho Reprodutor. - Métodos contraceptivos. Ex.: Camisinhas, DIU, laqueaduras etc.

OBJETIVOS

CONTEÚDOS

5.6. Identificar e caracterizar o sistema nervoso e sua 5.6. Sistema nervoso unidade morfofisiológica, o neurônio. (estrutura do neurônio) 5.7. Identificar, localizar e diferenciar os diversos tipos de 5.7. Sistema hormonal glândulas e suas respectivas funções no organismo. (glândulas exócrinas e endócrinas) 5.8. Compreender que a saúde está intimamente ligada a 5.8. Vida e saúde bons hábitos e condições saudáveis. Ex. atividade física, alimentação saudável, cuidados com a pele, lazer, descanso, etc. 5.9. Identificar doenças que afetam o organismo humano, 5.9. Doenças que afetam o organismo humano e suas causas e ações preventivas. hábitos prejudiciais. Ex. Diabetes, bócio, estresse, alergias, câncer, DSTs, AIDS, alcoolismo, tabagismo.

6. CONTINUIDADE DA VIDA (GENÉTICA) 6.1. Situar historicamente a genética e caracterizá-la como 6.1. Fundamentos da hereditariedade. Mendel: o pai ciência da hereditariedade. da genética - Explicar a hereditariedade e seus mecanismos de - Primeira e segunda leis de Mendel (Monoibridismo e transmissão, baseando-se nos trabalhos de diibridismo) Mendel. 6.2. Conhecer os conceitos básicos da genética e aplicá- 6.2. Conceitos básicos (Caráter, genótipo, fenótipo, los, quando for necessário. homozigoto, heterozigoto, recessivo, dominante, autossomo e alossomo) 6.3. Caracterizar e explicar os mecanismos que causam o 6.3. Daltonismo e Hemofilia daltonismo e a hemofilia na espécie humana. 6.4. Caracterizar e explicar as síndromes que resultam de 6.4. Síndrome de Down. Ex.: Por que a síndrome de anomalias cromossômicas. Down é denominada uma trissomia ? 6.5. Interpretar, através de cruzamentos, as possíveis 6.1. Sistema ABO e fator Rh. Ex.: Eritroblastose fetal descendências relacionadas ao sistema ABO e ao Ex: fator Rh

6.6. Compreender a importância da engenharia genética 6.2. Engenharia genética. Alimentos trangênicos, na melhoria da qualidade de vida do planeta e clonagem, vacinas gênicas, terapias gênicas, conseqüentemente da espécie humana e de outros teste de DNA, projeto genoma, cura de doenças, seres vivos recuperação de espécies em extinção etc.

7. INTERAÇÃO DOS SERES VIVOS (ECOLOGIA) 7.1. Compreender o ecossistema como um conjunto vivo 7.1. Ecossistemas (conceito) com relativa auto-suficiência, onde se estabelece uma forte interdependência entre os seres vivos, e os elementos físicos e químicos da natureza. 7.2. Identificar e caracterizar diferentes ecossistemas. 7.2. Tipos de ecossistemas (marinho, terrestre, etc.) 7.3. Relacionar as atividades dos seres vivos com a 7.3. Os seres vivos e a biosfera (todo o fazer do ser estrutura e composição da biosfera. humano e sua relação com o clima, espaço geográfico, trabalho, relações sociais) 7.4. Conceituar e identificar habitat, nicho ecológico, 7.4. Conceitos básicos de habitat, nicho ecológico, população, comunidade, etc. população, comunidade.

OBJETIVOS 7.5. Identificar, conceituar e analisar relações de 7.5. Relações interdependência entre os componentes de um desarmônicas) ecossistema. 7.6. Distinguir os seres produtores dos consumidores

CONTEÚDOS ecológicas (harmônicas e

7.6. Cadeias e teias alimentares

7.7. Compreender que o fluxo de energia é indispensável 7.7. Fluxo de energia (pirâmides de energia e de para a manutenção da biosfera massa) 7.8. Identificar fenômenos desequilíbrio ambiental. e práticas que causam 7.8. Efeito estufa, chuva ácida, etc.

7.9. Caracterizar os diversos tipos de poluição 7.10. Compreender os males causados pela poluição ao planeta e a todos os seus componentes.

7.9. Poluição aérea, do solo, da água, etc. 7.10. Prejuízos causados pela poluição

INDICAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS

AMABIS, José e MARTO, Gilberto. Fundamentos da Biologia Moderna. Vol. Único. São Paulo: Moderna, 1999. LOPES, Sônia. Biologia, Volume único. 1ª edição. São Paulo: Saraiva, 1999. PAULINO, Wilson. Biologia, Volume único. 7ª edição. São Paulo: Ática, 2002. PAULINO, Wilson. Ecologia atual. 5ª edição. São Paulo: Ática, 2000. FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO. TELECURSSO 2000, Biologia. Volume 1 e 2. FIESP – CIESP – SESI – SENAI – IRS. São Paulo: Globo Editora, 1995. Nota: Complemente seus estudos através de jornais, revistas, folhetos informativos variados, filmes, fitas de vídeo, programas de rádio e televisão, congressos em geral, participação em atividades comunitárias etc. Enfim, aproveite todas as oportunidades em sua volta, que lhe possibilite estar informado e formar sua opinião própria.

Educação de Jovens e Adultos Comissão Permanente de Avaliação – CPA EXAMES SUPLETIVOS DE ENSINO MÉDIO Caro(a) candidato(a),

GEOGRAFIA

As transformações ocorridas no espaço geográfico nas últimas décadas, a velocidade com que se processa o conhecimento técnico-científico e as informações vinculadas pela imprensa imprimiram ao ensino da Geografia um novo olhar para as questões relacionadas à sociedade em que vivemos. Para que possamos entender melhor esse mundo de informações, a Geografia nos oportuniza, uma leitura crítica da sociedade, possibilitando assim, o exercício da cidadania, a compreensão da relação do espaço natural com o espaço geográfico e a atuação do homem nesses espaços. Este Programa o(a) ajudará nos estudos preparatórios aos seus Exames. Os exemplos são algumas pistas para orientá-lo(a) nos seus estudos. A bibliografia é referência mínima que deve ser ampliada com outros portadores de texto, a exemplo de revistas, jornais... Com dedicação e esforço você conseguirá, com certeza, o melhor resultado nos Exames. Boa Sorte! OBJETIVOS CONTEÚDOS

1. ESPAÇO GEOGRÁFICO 1.1. Organização do espaço geográfico - Paisagens - Lugares 1.2. Identificar os movimentos efetuados pela Terra e 1.2. Planeta Terra e seus movimentos suas conseqüências: dia, noite e estações do ano. - Rotação - Translação 1.3. Destacar a importância do uso das coordenadas 1.3. Coordenadas geográficas, sua utilização no sistema geográficas no sistema de orientação e de fusos de orientação e fusos horários horários. - Latitude - Longitude - Fusos horários do Brasil e as variações 1.1. Analisar a organização do espaço geográfico onde as relações sociais são construídas. 2. REPRESENTAÇÃO DA TERRA 2.1. Ler e identificar símbolos, legendas e escalas nos 2.1. Representação da Terra através dos mapas escalas mapas. gráfica e numérica e cálculos de distâncias, através do uso das escalas 2.2. Analisar a interdependência dos subsistemas, 2.2. A Terra e os subsistemas enfatizando a importância de manter o equilíbrio - Litosfera entre eles. - Atmosfera - Hidrosfera - Biosfera. 2.3. Estabelecer as diferenças entre os agentes 2.3. Os agentes formadores do relevo internos e externos que influenciam na formação - Internos do relevo, destacando os principais tipos de - Externos relevo. 2.4. Destacar os principais tipos do relevo brasileiro, 2.4. Tipos de relevo associando-as aos recursos minerais e a - Planaltos formação das rochas. - Planícies - Depressões - Dobramentos modernos (montanhas de formação recente - O relevo brasileiro, os recursos minerais disponíveis e sua exploração. Exemplos: petróleo, urânio, ferro, manganês e minerais nobres.

OBJETIVOS

CONTEÚDOS 3. CAMADAS DA TERRA 3.1. Atmosfera - dinâmica e camadas - Exosfera - Ionosfera - Estratosfera - Troposfera 3.2. Fatores e elementos do clima - Massas de ar - Temperatura - Pressão atmosférica - Chuvas - Altitudes - Ventos - Continentalidade/maritimidade - Tipos de clima do Brasil 3.3. Hidrosfera – subsistema predominante na Terra - Rios - Lagos 3.4. Oceanos e mares - Movimento das água oceânicas (marés, ondas ou vagas e correntes marítimas) - Aproveitamento econômico - Pesca - Exploração do petróleo - Exploração do sal marinho - Uso do oceano como meio de transporte 3.5. As bacias hidrográficas brasileiras - São Francisco - Amazônica - Norte – Nordeste - Leste - Sudeste - Platina - Tocantins – Araguaia. Aproveitamento econômico das bacias hidrográficas brasileiras - Fonte de energia - Irrigação - Abastecimento de água - Meios de transporte Fonte de alimentação 4. POPULAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO 4.1. Aumento da expectativa de vida, declínio da mortalidade e da natalidade

3.1. Analisar a dinâmica da atmosfera, destacando sua composição e camadas.

3.2. Estabelecer a diferença entre clima e tempo salientando sua influência na ocupação do espaço.

3.3. Analisar a importância da água para a vida na Terra enfatizando sua distribuição desigual. - Reconhecer a importância dos oceanos e seu aproveitamento econômico. 3.4. Identificar as bacias hidrográficas brasileiras, destacando seu aproveitamento econômico.

4.1. Destacar a distribuição da população mundial e brasileira em espaço geográfico e suas implicações econômicas e sociais. - Compreender a importância da Revolução Médico-sanitária como um fator que possibilitou o declínio da mortalidade e o aumento da expectativa de vida, tanto nos países desenvolvidos quanto nos países em desenvolvimento. 4.2. Diferenciar os movimentos da população no espaço geográfico destacando suas causas e conseqüências.

4.2. Movimentos da população - Êxodo rural - Migração pendular - Emigração - Imigração - Transumância

OBJETIVOS 4.3. Analisar a composição da população por idade como elemento fornecedor de informações para o planejamento e organização da sociedade.

CONTEÚDOS 4.3. Composição da população por idade e sua implicação na economia e na sociedade

4.4. Identificar os setores da economia e a 4.4. Setores da economia capacidade de absorção da mão-de-obra em cada - primário setor. - secundário - terciário 5. URBANIZAÇÃO - Países desenvolvidos - lenta - Países em desenvolvimento - rápida - Formação de metrópoles, megalópoles e megacidades

5. Estabelecer a diferença no processo de urbanização tanto no mundo desenvolvido quanto no mundo em desenvolvimento.

6. Reconhecer a ONU como uma instituição criada para mediar conflitos entre países e para assegurar a paz mundial. - Destacar a importância e a atuação da OMC como mediadora nas relações do comércio internacional.

6. IMPORTÂNCIA DA ONU NA MANUTENÇÃO DA PAZ MUNDIAL E NO EQUILÍBRIO DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS. Exemplo: conflitos no Oriente Médio. - Comércio internacional - Atuação da OMC (Organização Mundial do Comércio)

7. Analisar a importância das atividades agrárias no Brasil e no Mundo e sua influência nas relações campo x cidade.

7. ESTRUTURA FUNDIÁRIA BRASILEIRA - Geografia dos assentamentos rurais - Conflitos entre grileiros x posseiros - Atuação do MST (Movimento dos Sem Terra) - Agricultura - Pecuária

8. Reconhecer a importância do setor industrial na organização do espaço, identificando os tipos de indústrias exigidas pelo mercado.

8. INDUSTRIALIZAÇÃO - Localização e fatores da localização - Tipos de indústrias. Exemplo: bases e bem de consumo. 9. QUESTÕES AMBIENTAIS - Poluição atmosférica - Inversão térmica - Ilhas de calor - Efeito estufa - Chuvas ácidas - Poluição dos solos - Poluição das águas - Desmatamento. 9.1. Meio ambiente e desenvolvimento auto-sustentável. Exemplo: criação de reservas florestais; reciclagem do lixo; utilização de fontes de energias limpas e renováveis, como a eólica e solar; diminuição do uso de agrotóxicos.

9. Analisar as causas dos problemas ambientais tanto nos países desenvolvidos quanto nos países em desenvolvimento e suas conseqüências no ecossistema global.

9.1. Compreender a importância do desenvolvimento auto-sustentável como solução para os problemas ambientais.

ENSINO MÉDIO – GEOGRAFIA INDICAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS

LUCCI, Elian Alabi. Geografia - O Homem no Espaço, 2º grau. São Paulo: Saraiva, 2000. PIFFER, Osvaldo. Geografia Geral, vol. Único. São Paulo: IBEP, 2001. PIFFER, Osvaldo. Geografia do Brasil, vol. Único. São Paulo: IBEP, 2001 VESENTINI, J. William. Sociedade e Espaço, Geografia Geral e do Brasil, 2º grau. São Paulo: Ática, 2002 (edição reformulada e atualizada). FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO. TELECURSO 2000. Geografia. Volumes 1 e 2. 2º Grau. FIESP – CIESP – SESI – SENAI – IRS. São Paulo: Globo Editora, 1995. Jornais e revistas de circulação nacional.

Educação de Jovens e Adultos Comissão Permanente de Avaliação – CPA EXAMES SUPLETIVOS DE ENSINO MÉDIO Caro(a) Candidato(a),

HISTÓRIA

Estudar História é perceber que o processo histórico é resultado da ação coletiva de homens e mulheres que viveram em determinado tempo e espaço e dos fatores sociais, políticos, econômicos e culturais, lançando um olhar atento sobre o presente. É também procurar entender a riqueza de poucos, as dificuldades de muitos e o esforço para eleger valores e princípios a serem preservados (a democracia, por exemplo) e modificar o que deve ser transformado (a gritante desigualdade social existente). Desse modo, não podemos nos colocar apenas como espectadores da História, mas co-participantes no exercício efetivo da cidadania, já que somos seres históricos. Enfim, interpretar e criticar os fatos e situações reais da nossa região, do país e do mundo, compreendendo a si mesmo como ser histórico integrado à sociedade global. Este Programa o(a) ajudará nos estudos preparatórios aos seus Exames. Os exemplos são algumas pistas para orientá-lo(a) nos seus estudos. A bibliografia é referência mínima que deve ser ampliada com outros portadores de texto a exemplo de jornal, revistas... Com dedicação e esforço você conseguirá, com certeza, o melhor nos Exames. Boa Sorte!

OBJETIVOS

CONTEÚDOS 2. A TRANSIÇÃO DA IDADE MÉDIA PARA A IDADE MODERNA. 1.1. A Europa e as Cruzadas - Renascimento comercial e urbano - Surgimento da burguesia - Humanismo-Renascimento-Reforma

1.8. Identificar e interpretar os aspectos sócioeconômico-político-culturais ocorridos no processo de desagregação do sistema feudal e o progressivo desenvolvimento do sistema capitalista.

2. A EXPANSÃO MARÍTIMO-COMERCIAL EUROPÉIA 2.1. Conhecer os principais fatores que motivaram a 2.1. Mercantilismo expansão marítimo-comercial da Europa. - A conquista das terras americanas - Caracterizar a Revolução Comercial. 2.2. Relacionar as navegações inglesas, francesas e 2.1. Colonização ibérica, inglesa, francesa e holandesa. holandesas com a dos países ibéricos. - A colonização portuguesa no Brasil: latifúndio, - Identificar as características e comparar as monocultura e escravismo. diferentes formas de colonização na América e em particular no Brasil, relacionando-as com a estrutura fundiária atual.

3. Compreender os processos porque passaram as atividades de produção, da forma artesanal até a industrialização moderna, analisando as implicações sociais de cada período. - Caracterizar a Revolução Industrial na Inglaterra.

3. REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NA INGLATERRA - Inovações técnico-científicas - Divisão social do trabalho - Relação Capital x Trabalho - Conflitos Burguesia x Operariado - Urbanização desordenada - Desemprego

OBJETIVOS

CONTEÚDOS 4. A CRISE DO SISTEMA COLONIAL 4.1. Iluminismo – Liberalismo Econômico

4.1. Analisar os fatores de ordem sócio-econômico e política que desencadearam a crise do sistema colonial. - Caracterizar o Iluminismo como movimento ideológico associando-o às contestações ao Estado Absolutista. 4.2. Compreender as transformações sócioeconômicas e políticas que desencadearam o processo da independência das colônias inglesas na América do Norte e da revolução conduzida pela burguesia na França do século XVIII. 4.3. Avaliar o legado cultural da Revolução Francesa para o mundo atual. - Identificar os principais expoentes do pensamento econômico liberal, relacionando-os com as características do neo-liberalismo atual. 4.4. Identificar as idéias que influenciaram os movimentos anti-colonialistas, suas propostas e conseqüências sobre a vida sócio-política brasileira.

4.2. Independência dos Estados Unidos da América

4.3. A Revolução Francesa - A França pré-revolucionária - Igualidade, Liberdade, Fraternidade. - A Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. 4.4. Movimentos anti-coloniais no Brasil: - Inconfidência Mineira - Conjuração Baiana (dos Alfaiates)

5. A EXPANSÃO NAPOLEÔNICA NA EUROPA E SEUS REFLEXOS NO BRASIL. 5.1 Analisar a situação da Europa no início do século 5.1. A família real portuguesa no Brasil e o fim do pacto XIX, relacionando os efeitos da expansão colonial. napoleônica com o processo de separação política do Brasil de Portugal. 5.2. Reconhecer a importância da abertura dos portos 5.2. A dependência econômica do Brasil em relação à brasileiros e o significado da elevação do Brasil a Inglaterra. Reino Unido. 5.3. Identificar os motivos que levaram D. João VI a 5.3. A Revolução do Porto e a tentativa de recolonização retornar para Portugal. - “Independência” – um acordo entre as elites brasileiras e a corte portuguesa. 5.4. Conhecer as lutas populares pela consolidação 5.4 A Independência na Bahia: 2 de julho de 1823. da Independência do Brasil na Bahia.

6. A FORMAÇÃO DO ESTADO MONÁRQUICO 6.1. Identificar a importância da Assembléia 6.3. A Constituição de 1824 e a Confederação do Equador Constituinte e as principais características da Constituição outorgada em 1824. 6.2. Conhecer os fatores que conduziram aos 6.4. As revoltas sociais do século XIX movimentos político-sociais durante o I e II Reinado; analisando os seus significados e suas influências no processo de participação política. 6.3. Reconhecer a importância do negro na formação 6.5. Fim do tráfico negreiro econômica e os processos de discriminação e exclusão em que viveram/vivem, da colonização até os dias atuais. 6.4. Identificar as formas de organização e de 6.6. A campanha abolicionista resistência do negro no Brasil. - A lavoura cafeeira, a imigração estrangeira e a situação dos negros no pós-abolição.

OBJETIVOS

CONTEÚDOS

7. O IMPERIALISMO E O NEO-COLONIALISMO 7.1. Relacionar a necessidade de conquista de novas 7.1. As razões e necessidades da expansão: Inglaterra, fontes de matérias-primas e de novos mercados França, Estados Unidos, Japão. consumidores com a expansão imperialista dos - A partilha da África e da Ásia países industrializados (Europa, EUA e Japão) no - Os efeitos do Imperialismo século XIX.

8.1 Caracterizar a Primeira Constituição Republicana 8.2. Compreender a estrutura oligárquica de poder e o coronelismo como elementos fundamentais na política e nas características econômicas da República Velha. 8.3. Caracterizar os movimentos operários no Brasil dessa época, distinguindo os movimentos anarquistas dos comunistas, identificando suas propostas e reivindicações. 8.4. Associar os movimentos sociais e de caráter messiânico a contestação da ordem sóciopolítico-econômica vigente.

8. REPÚBLICA VELHA (1889-1930) 8.1. Primeira Constituição Republicana 8.2. Coronelismo; política dos governadores; política do café-com-leite - Economia e sociedade na República Velha 8.3. Os movimentos sociais urbanos e rurais - Canudos e Contestado; Jagunços e cangaçeiros - A Revolta da Chibata e a Revolta da Vacina Ex. Oswaldo Cruz 8.4. Tenentismo/Coluna Prestes - A Revolução de 1930

A PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL (1914-1918) 9.1. Compreender a Primeira Guerra Mundial como 9.1 A política das alianças resultado de um conjunto de fatores tais como: rivalidades econômicas, política armamentista e expansão territorial. 9.2. Identificar as principais fases e consequências da 9.2. As principais fases e seus efeitos Primeira Guerra Mundial.

10. A REVOLUÇÃO SOCIALISTA DE 1917 10.1. Analisar os fatores que contribuíram para a 10.1. Fases da implantação do socialismo e sua desagregação do regime czarista na Rússia e propagação em outras áreas. conseqüente implantação do sistema socialista. - Reconhecer as doutrinas sócio-econômicas socialistas e seus representantes.

11. O PERÍODO ENTRE GUERRAS 11.1. Identificar os motivos geradores da crise do 11.1. A crise do Capitalismo capitalismo internacional na primeira metade do - A queda da bolsa de Nova York em 1929 século XX e suas conseqüências para o mundo. 11.2. Relacionar o panorama sócio-econômico 11.2. Ascensão dos regimes totalitários e queda das europeu com a queda das democracias democracias parlamentares: Nazismo/Fascismo parlamentares e a ascensão do fascismo e - Brasil: Integralismo (AIB) x Comunismo (ANL) nazismo.

12. A ERA VARGAS (1930-1945) 12.1. Conhecer e analisar as realizações do período 12.1. O Governo Provisório: (1930-1934) getulista e suas contradições nos campos sócio- O Governo Constitucional (1934-1937) político-econômico da época. - O Estado Novo (1937-1945) - Compreender a ditadura do Estado Novo como - Política Nacionalista e Intervencionista um regime de inspiração fascista e corporativista. - Populismo e Trabalhismo: CLT, Salário Mínimo, Voto feminino

OBJETIVOS

CONTEÚDOS

12.2. Analisar a postura adotada pelo governo 12.2. A participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial brasileiro com relação a sua participação na Segunda Guerra Mundial.

13.1. Compreender os motivos que levaram Segunda Guerra Mundial, identificando blocos formados pelos países participantes e fatores de ordem político-econômico que transformaram em mundial.

13. A SEGUNDA GUERRA MUNDIAL (1939-1945) à 13.1. Imperialismo e a indústria bélica os - A ideologia nazi-fascista os - As diversas frentes: Eixo x Aliados a

13.2. Analisar a participação dos Estados Unidos e o 13.2. A participação dos EUA na Guerra antagonismo com o avanço japonês. - Fim da Alemanha: a derrota nazista 13.3. Caracterizar os acordos de paz, identificando os 13.3. Acordos de Paz: O mundo pós-guerra efeitos e percebendo as consequências para o mundo pós-guerra.

14.1. Identificar as principais características da Guerra Fria que dividiram o mundo em dois blocos antagônicos após a Segunda Guerra Mundial. - Analisar os principais acontecimentos ocorridos durante a segunda metade do século XX que alteraram o panorama políticoeconômico e ideológico mundial. 14.2. Explicar os principais fatos e situações vivenciados pela sociedade brasileira no período de 1945 a 1964.

14. A GUERRA FRIA 14.1. EUA (Capitalismo) X URSS (Socialismo) - A nova Ordem Mundial: o colapso do socialismo; a queda do muro de Berlim; redemocratização na América Latina; Neo-liberalismo; globalização da economia; blocos regionais e internacionais.

14.2. A volta de Getúlio Vargas - A “americanização do Brasil” - Os governos de Juscelino Kubitschek, Jânio Quadros e João Goulart.

15. OS GOVERNOS MILITARES NO BRASIL(1964-1985) 15.1. Caracterizar o Estado Autoritário brasileiro de 15.1. Autoritarismo e Repressão: Atos Institucionais 1964 a 1985. - “ O Milagre Brasileiro” - Analisar as políticas econômicas adotadas pelos governos militares. 15.2. Mostrar a importância da resistência da 15.2. Movimentos da sociedade civil sociedade civil, reconhecendo a organização dos - A abertura política/redemocratização: de Geisel a movimentos populares nos mais diversos Figueiredo aspectos sócio-culturais. - Diretas Já

16.1. Analisar os governos brasileiros a partir de 1985 até os dias atuais, identificando suas políticas nos campos social e econômico. 16.2. Caracterizar a atual Constituição Brasileira. 16.3. Relacionar os problemas vivenciados pela sociedade brasileira atual, percebendo as suas raízes históricas e a exclusão social

16. A NOVA REPÚBLICA (de 1985 até os Dias Atuais) 16.1. De Sarney a FHC

16.2. A Constituição de 1988 16.3. A política neo-liberal brasileira - Problemas enfrentados pela sociedade brasileira: concentração da terra e da riqueza: a questão agrária; movimentos sociais urbanos e rurais; desemprego; violência; narcotráfico/drogas; habitação; saúde; educação, entre outros

ENSINO MÉDIO - HISTÓRIA INDICAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS

ARAÚJO, José Góes de. Velha Cidade da Bahia historia & estórias (2 volumes). Fundação Cultura, 2001. COTRIM, Gilberto. História e Consciência do Brasil. 2º. Grau, 3ª ed. São Paulo: Saraiva, 1996 _____. História Geral e História do Brasil para um geração consciente. 7ª ed. São Paulo: Saraiva, 1981. NADAI, Elza e NEVES, Joana. História do Brasil. 18ª ed. São Paulo : Saraiva, 1996 ORDONEZ, Marlene e QUEVEDO, Júlio. História. São Paulo : IBEP, 1999. PEDRO, Antonio. História Geral: compacto, 2º. Grau, Ed. Atual, São Paulo: FTD, 1995. SCHMITD, Mario Furley. Nova história crítica do Brasil: 500 anos de história mal contada. São Paulo: Nova Geração, 1997. TAVARES, Luiz Henrique Dias. História da Bahia, UNESP/UFBA, 2001 REVISTAS: ISTO É, VEJA, ÉPOCA, CAROS AMIGOS, entre outras. JORNAIS DE CIRCULAÇÃO LOCAL E NACIONAL

Educação de Jovens e Adultos Comissão Permanente de Avaliação – CPA EXAMES SUPLETIVOS DE ENSINO MÉDIO Caro (a) Candidato (a)

PROGRAMA DE SOCIOLOGIA

Estudar Sociologia é a oportunidade que o candidato tem em desenvolver a capacidade de conhecer e de estabelecer diferenças contrastivas entre ciência e senso comum (conhecimentos prévios). Faz-se necessário, pois, que o candidato aproprie-se dos conhecimentos e procedimentos científicos, ensejada no estudo de Sociologia, para que seja capaz de desenvolver visão crítica e questionadora, baseada na compreensão da historicidade e dinamicidade dos processos e fatos sociais, portanto passíveis de ser modificados pelas ações dos sujeitos. O estudo da Sociologia visa contribuir, de forma significativa, para o desenvolvimento do senso crítico, a partir de reflexões sobre a complexa realidade social brasileira e mundial, marcada por desigualdades sociais e relações de exploração e opressão. Enfim, problematizar conceitos, tais como relações sociais, trabalho, cultura, identidade, ética, cidadania, ideologia, poder, política, dominação, classes sociais, Estado, família, Escola, dentre outros, serão referenciais na abordagem curricular desta disciplina.

Conteúdos

1. Introdução à Sociologia  1.1. O que é Sociologia  1.2. Objeto e objetivo da Sociologia  1.3.  Idéias que contribuíram para o nascimento da Sociologia       1.3.1. A revolução científica de Isaac Newton       1.3.2. O iluminismo       1.3.3. O capitalismo e o nascimento da Sociologia  1.4  A utilidade da Sociologia nos diversos campos da atividade humana    2. A construção do pensamento sociológico no Brasil  3. Política e Sociedade  3.1. O estado moderno, absolutista e liberal  3.2. Degradação social, globalização e neoliberalismo  3.3. Mudança social reforma e revolução  3.4. As instituições políticas no Brasil    4. Movimentos Sociais   4.1. O que é movimento social  4.2. O conflito e ação coletiva   4.3. O movimento social no Brasil    5. Cultura  5.1. Cultura e ideologia  5.2. Cultura e alienação  5.3. Cultura popular e erudita  5.4. Cultura popular ou folclore?  5.5.Tradição ou transformação?          5.6.  Indústria cultural          5.7. Contracultura          5.8. Criatividade cultural          5.9. A Cultura de massa          5.10. A violência como fator cultural 

  6. Raça e povo        6.1. As raças        6.2. Negros e brancos        6.3. Racismo    7. A soberania nacional      7.1. As privatizações      7.2. A questão da Amazônia      7.3. A nossa água      7.4. A biodiversidade      7.5. A inserção do Brasil no contexto da globalização neoliberal    8. As instituições Sociais    8.1. A família         8.1.1. A emancipação da mulher    8.2. A escola    8.3. A igreja    8.4. O Estado    8.5. O papel das instituições na construção de valores éticos, morais, espirituais, etc.   
9. O trabalho 9.1. O Trabalho nas diferentes sociedades 9.2. Trabalho e realização versus trabalho e alienação 9.3. A ética capitalista do trabalho 9.4. Consumismo 10. Cidadania e política 10.1. O que é política? 10.2. O poder 10.3. Ética na política – corrupção 10.4. A participação política 10.5. A votação 11. A Tecnologia 11.1. A Tecnologia 11.2. Tecnologia e as desigualdades entre as nações 11.3. Os problemas da civilização tecnológica 11.4. Os mitos da tecnologia e do progresso 11.5. Tecnologia e o futuro da humanidade 12. Sincretismo religioso 12.1. Na Bahia 12.2. No Brasil 13. O Papel das ONGs 14. Estatuto da Criança e do adolescente.

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA
BETTO, Frei. OSPB, São Paulo VITA. Álvaro. Sociologia da Sociedade Brasileira. Ática. São Paulo TOMAZI, Nelson Dacio. Iniciação à Sociologia. ATUAL. São Paulo FERREIRA, Delson. Manual de Sociologia. Atlas. São Paulo

Educação de Jovens e Adultos Comissão Permanente de Avaliação – CPA EXAMES SUPLETIVOS DE ENSINO MÉDIO Caro (a) Candidato (a)

PROGRAMA DE FILOSOFIA

A inserção de Filosofia, nos Exames Supletivos, através das Comissões Permanentes de Avaliação atenderá as determinações da LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação), além de abrir um espaço para o desenvolvimento intelectual dos candidatos. A Filosofia estimula a discussão de conceitos, dando oportunidades de descobrir os ideais que nortearão a sua vida e o seu fazer educacional, onde deixa de ser o de memorizar “o conteúdo” das disciplinas e passa a ser de orientá-los na busca de suas necessidades intelectuais, através do desenvolvimento do raciocínio, do questionamento e da investigação. O estudo da Filosofia é uma busca de formar uma geração mais atenta, crítica e apta a discutir, escolher e decidir por si mesma.

Objetivos

a) Contribuir para a construção e exercício desde problematizar através de leituras significativas de  textos filosóficos reflexivos ao conteúdo;  b) Desenvolver a capacidade de produção argumentativa escrita e falada;  c) Investigar temas contemporâneos;  d) Possibilitar o desenvolvimento de habilidades que permitem a aquisição de competências que  ajudem na apropriação reflexivamente do conteúdo. 
Conteúdos 1.0 – A origem da filosofia: definição e características. 2.0 – Mito e Mitologia 3.0 - Conhecimento, cultura e natureza 3.1. O Conhecimento como problema 3.1.1. Fontes do conhecimento 3.1.2. O conhecimento científico e o problema da justificação 4.0 – Ciência e racionalidade 4.1. Ciência e sociedade 4.2. Arte e sociedade 5.0 – Lógica 5.1. Lógica e linguagem 5.2. Linguagem e argumentação 5.3. Lógica e pensamento 6.0 – O problema do valor e agir moral 7.0 – O bem, a verdade e a felicidade 8.0 – Ética 8.1. Ética e racionalidade 8.2. Ética e moralidade 8.3. Problemas éticos da atualidade, ioética, ecologia, política, meios de comunicação, etc) 9.0 – O problema do multiculturismo 10.0 – Política e natureza humana 11.0 – Justiça e liberdade 12.0 – Poder, Estado e Democracia 13.0 – Os desafios filosóficos da atualidade REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA  CAREL & GANEZ ‐ O que a Filosofia é. Porto Alegre; Art  Med.  FERRY, Luc – Aprender a Viver. Filosofia para Novos Tempos. Ed. Objetiva; Rio de Janeiro, 2006.  CHAUÍ, M – Convite à Filosofia. 13ª Ed. São Paulo: Ática, 2003   LIPMAN, Mathew – A Filosofia vai à Escola. São Paulo: Summus, 1990  Artigos e Revistas Especializadas. 

Educação de Jovens e Adultos Comissão Permanente de Avaliação – CPA EXAMES SUPLETIVOS DE ENSINO MÉDIO Caro(a) Candidato(a),

LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA - INGLÊS

O domínio da Língua Inglesa, considerada como um instrumento de comunicação universal, é algo muito importante para que você não se sinta isolado neste mundo globalizado. Estudando Inglês, você poderá : comunicar-se com pessoas falantes da Língua Inglesa; conhecer culturas diferentes; compreender as letras das músicas de que gosta; entender melhor os vídeo-games; ler instruções de manuais e programas de computador. Sabemos que a aprendizagem se constrói no dia-a-dia e nem todas as pessoas aprendem no mesmo ritmo. Sugerimos que você leia o máximo de textos em Língua Inglesa, estudando as estruturas básicas (gramaticais), fazendo anotações para fixar o vocabulário, buscando sempre a compreensão do conteúdo do texto. Este Programa o(a) ajudará nos estudos preparatórios aos seus Exames. Os exemplos são algumas pistas para orientá-lo(a) nos seus estudos. A bibliografia é referência mínima que deve ser ampliada com outros portadores de texto a exemplo de jornal, revistas... Com dedicação e esforço você conseguirá, com certeza, o melhor resultado nos Exames. Boa Sorte! OBJETIVOS CONTEÚDOS

3. TEXTOS 1.1. Compreender textos de diferentes modalidades que 1.1. Textos literários, jornalísticos, informativos, tratem de temas atuais. científicos, publicitários, humorísticos, epistolares , instrucionais. Ex.: charges, cartoons, notícias, poema, bilhete, piada, cartas, etc.

2.1.

2 PRONOMES = pronouns Relacionar os pronomes pessoais com os 2.1. Pronomes pessoais (personal pronouns) usados substantivos correspondentes, tanto na função de na função de sujeito (I, you, he, she, it, we, you, sujeito como na de objeto. they) e pronomes pessoais (personal pronouns) usados na função de objeto (me, you, him, her, it, us, you, them) Exemplo: Peter loves Mary. He loves her.

2.2. Relacionar os adjetivos possessivos com os sujeitos 2.2. Possessive adjectives (possessivos seguidos de substantivo) – my, your, his, her, its, our, your, their das frases. Exemplo: That’s our classmate.

3. VERBS TENSES (TEMPOS VERBAIS) 3.1. Empregar o verbo To Be no presente simples nas 3.1. Presente simple do verbo To Be = present simple formas afirmativa, interrogativa e negativa. tense: To Be - Forma afirmativa = affirmative forms Ex.: I am, you are... - Forma interrogativa = interrogative forms Ex.: Am I?, Are You?... - Forma negativa = negative forms Ex.: I am not, You are not...

OBJETIVOS - Utilizar as formas abreviadas em frases afirmativas ou negativas para respostas curtas e completas.

CONTEÚDOS Formas abreviadas = contracted forms - Forma afirmativa = affirmative form Ex.: Yes, I’m a students Yes, He’s a brilliant pupil - Forma negativa = negative form Ex.: No, I’m not a students No, He isn’t

3.2. Identificar e utilizar o presente simples dos verbos 3.2. Presente simples dos verbos regulares e regulares e irregulares nas formas afirmativa, irregulares nas formas afirmativa, interrogativa e interrogativa e negativa. negativa = Simple present tense – regular and irregular verbs (affirmative, interrogative and negative forms) Exemplos: Afirmativa: They always go to the school by bus. Interrogativa: Do they always go to the school by bus? Negativa: They dont’t always go to the school by bus. 3.3. Transformar frases afirmativas em negativas e 3.3. Verbos auxiliares: do, does, don’t, doesn’t na interrogativas usando o verbo auxiliar. transformação de frases afirmativas em negativas e interrogativas. - Utilizar os verbos auxiliares nas formas Exemplo: afirmativas ou negativas para respostas curtas ou Afirmativa: They always go to the school by bus. completas. Interrogativa: Do they always go to the school by bus? Negativa: They don’t always go to the school by bus. Respostas completas e curtas na afirmativa e na negativa = Long and short affirmative and negative answers. Exemplo: Does she study everyday? Afirmativa curta: Yes, she does. Negativa curta: No, she doesn’t. Negativa completa: No, she doesn’t study everyday 3.4. Relacionar os advérbios e expressões adverbiais 3.4. Advérbios e expressões adverbiais mais comuns: com o tempo presente dos verbos. always, often, usually, sometimes, everyday, everyweek, everynight, ...

4.1. Empregar os verbos regulares e irregulares no “Present continuous tense” e transformar frases afirmativa em interrogativa ou negativas nas respostas curtas e completas.

4. VERBOS REGULARES E IRREGULARES NO PRESENT CONTINOUS TENSE 4.1. Present continuous tense Formação: Verb To Be + verbo principal + ING ). Formas afirmativa, interrogativa e negativa. Exemplo: Afirmativa: He is reading a magazine now. Interrogativa: Is he reading a magazine now? Negativa: He isn’t reading a magazine now Respostas completas e curtas Exemplos: Afirmativa completa: Yes, he is reading a magazine now. Afirmativa curta: Yes, he is. Negativa completa: No, he isn’t reading a magazine now Negativa curta: No, he isn’t

OBJETIVOS

CONTEÚDOS

4.2. Relacionar os advérbios com o present continuous 4.2. Avérbios = adverbs tense. Exemplo: Now, today, at this moment

5. VERBOS – TEMPO PASSADO = VERBS – PAST TENSE 5.1. Empregar o verbo To Be no passado simples nas 5.1. Passado simples do verbo To Be = simple past formas afirmativa, interrogativa e negativa. tense verb To Be Afirmativa: I was, you were Interrogativa: Was I? , Were you? Negativa: I wasn’t, you weren’t. 5.2. Utilizar o passado simples dos verbos regulares e 5.2. Verbos regulares e irregulares = regular and irregulares nas formas afirmativa, interrogativa e irregular vebs. negativa, empregando-os em respostas curtas e Afirmativa: I looked for a new job yesterday. completas. Interrogativa: Did you look for a new job yesterday? Negativa: I didn’t look for a new job yesterday. - Respostas curtas e completas = Long and short affirmative and negative answers.. Exemplo: Afirmativa curta: Yes, I did Negativa longa: No, I didn’t look for a new job yesterday. Negativa curta: No, I didn’t 5.3. Relacionar os advérbios com o tempo passado dos 5.3. Advérbios = Adverbs: verbos. Exemplo: Last, ago, yesterday.

6. FUTURE TENSE (tempo futuro) 6.1. Utilizar o futuro com WILL dos verbos regulares e 6.1 - Future with WILL = futuro com WILL irregulares nas formas afirmativa, interrogativa e Exemplo: negativa Afirmativa: I will study tomorrow. Interrogativa: Will you study tomorrow? Negativa: I will not study tomorrow./ I won´t study tomorrow. 6.2. Futuro imediato = Immediate future Formação: verb To Be + going to + verbo principal Exemplo: We’re going to visit our friends next Sunday. - Advérbios = Adverbs Ex.: Tomorrow, next

6.1. Empregar o futuro imediato dos verbos regulares e irregulares, relacionando-os com as expressões de tempo adequadas.

7. PLURAL OF THE NOUNS (plural dos substantivos, nomes) 7.1. Transformar frases do singular para o plural e vice- 7.1. Plurais de nomes com terminações em: S, SS, X, versa. CH, SH, Y Exemplos: bus – buses; kiss – kisses; box – boxes; church – churches; dish – dishes; boy – boys; lady – ladies. - Formas irregulares dos substantivos Exemplos: man – men; woman – women; child – children; mouse – mice.

OBJETIVOS

CONTEÚDOS

8. ADJECTIVES(adjetivos) 8.1. Estruturar frases, posicionando de forma correta os 8.1. Position of adjectives (posição dos adjetivos) adjetivos. Exemplo: He is a dilligent pupil. 8.2. Identificar os adjetivos e seus antônimos e 8.2. Opposites (opostos) Exemplo: intelligent X stupid; dilligent X lazy sinônimos correspondentes.

9.1. Utilizar os artigos definido e indefinido nas frases.

9. ARTIGOS(articles) 9.1. Definido = definite (the) e indefinido = indefinite (a, an) Exemplo: The boy is intelligent I am a teacher and his is an engineer.

10.1. Empregar as palavras interrogativas nas frases.

10. PALAVRAS INTERROGATIVAS NAS FRASES INTERROGATIVE WORDS 10.1. Palavras interrogativas = interrogative words what, how, where, when, who, why. Exemplo: How are you? What day is today?

11.1. Empregar as preposições nas frases.

11. PREPOSIÇÕES (prepositions) 11.1. Preposições = prepositions - in, on, of, from, to, with, about, at, etc. Exemplo: Who is at the door?

INDICAÇÕES BIBIOGRÁFICAS BERTOLIN, Rafael . Essential English. São Paulo: IBEP, 1998. BERTOLIN, Rafael . Língua Inglesa: Curso completo . São Paulo: IBEP, Vol. Único (Apostila). 2002. LIBERATO, Wilson . Compact English Book. São Paulo : FTD, v. único, 1998. MICHAELIS . Pequeno Dicionário : Inglês – Português / Português-Inglês. São Paulo: Melhoramentos, 1980. FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO. TELECURSO 2000. Inglês. Volumes 1 e 2. 2º Grau. FIESP – CIESP – SESI – SENAI – IRS. São Paulo: Globo Editora, 1995.

Educação de Jovens e Adultos Comissão Permanente de Avaliação – CPA EXAMES SUPLETIVOS DE ENSINO MÉDIO Caro(a) candidato(a)

LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA - FRANCÊS

Num mundo cada vez mais globalizado, onde as distâncias se encurtam a cada dia, o aprendizado de um ou mais idiomas se torna imprescindível. A língua francesa é falada em praticamente todos os continentes por milhões de pessoas. Aprendê-la é entrar em contato não somente com uma língua de belíssima sonoridade, mas também com um riquíssimo acervo histórico, literário, musical e cinematográfico. Enfim, é conhecer o patrimônio intelectual e cultural dos mais diferentes povos do planeta. Por ter sua origem no latim, o francês possui algumas semelhanças com o português, o que o torna mais fácil para nós. Você terá oportunidade de estudar em livros didáticos ou consultando o site www.parlo.com. e realizar com sucesso seus exames. Este Programa o(a) ajudará nos estudos preparatórios aos seus Exames. Os exemplos são algumas pistas para orientá-lo(a) nos seus estudos. A bibliografia é referência mínima que deve ser ampliada com outros portadores de texto, a exemplo de revistas, jornais... Com dedicação e esforço você conseguirá, com certeza, o melhor resultado nos Exames. Boa Sorte !

OBJETIVOS

CONTEÚDOS

1.1.

1. TEXTOS Compreender textos da língua francesa de 1.1. Textos jornalísticos, científicos, publicitários, diferentes modalidades, bem como demonstrar charges, cartoons conhecimento do vocabulário.

2.

2. ARTIGOS Identificar e utilizar os artigos definidos, - Definidos (le, la, les, l’ ) contrações, indefinidos e partitivos nos textos. EX.: J´ai vu les avions. - Contrações EX.: Le livre du (de+le) professeur. - Indefinidos (um, une, des) Ex.: Marie regarde des avions dans le ciel. - Partitivos (du) EX.: Je veux boire du vin.

3. ADJETIVOS 3. Identificar e utilizar os adjetivos possessivos, - Possessivos (mon, ma, mes etc): demonstrativos, interrogativos, numerais cardinais e Ex.: Le monsieur est mon voisin. ordinais e indefinidos nos textos. - Demonstrativos (ce, ces, cet, cette, cettes): Ex.: Cette jeune fille aime son mari. - Interrogativos (qui, que, quel etc): Ex.: Quel heure est-il? - Numerais cardinais e ordinais (um, deux, trois etc e premier(ère), deuxième etc): Ex.: Ils ont deux enfants. - Indefinidos (tout, tous etc): Ex.: Rien ne me dérange.

OBJETIVOS

CONTEÚDOS

4. PRONOMES 4.1. Identificar e utilizar os pronomes pessoais (nas 4.1. Pessoais (sujeito e complemento) funções de sujeito e objeto), EX.: Je vois Marie. Je la vois. 4.2. Identificar e utilizar os pronomes possessivos, 4.2. Pronomes possessivos, demonstrativos, demonstrativos, relativos, interrogativos, indefinidos relativos, interrogativos, indefinidos: nas frases. - Possesivos Ex.: J´ai déjà fait mes exercices, mais tu n´as pas fait les tiens. - Demonstrativos Ex.: Le train de dix heures est déjà passé. Prenez celui de midi! - Relativos EX.:Le jeune homme qui arrive est l´ami de Julie. - Interrogativos EX.: Qui est-ce? - Indefinidos EX.: Nous sommes plusieurs à dinner. 4.3. Identificar e utilizar os pronomes pessoais (nas 4.3. Emprego do “en”, “Y” funções de sujeito e objeto), EX.: Est-ce que tu as une voiture. J´en ai une 4.4. Identificar e utilizar os pronomes possessivos, 4.4. Emprego do “on”, demonstrativos, relativos, interrogativos, indefinidos Ex.: Nous allons voir. > On va voir. nas frases.

5. Identificar e transformar os substantivos do singular 5. SUBSTANTIVOS para o plural, do masculino para o feminino e vice EX. Un garçon français > Des garçons français. versa nos textos

6. Identificar e transformar os adjetivos do singular para o 6. ADJETIVOS QUALIFICATIVOS plural, do masculino para o feminino e vice versa nos EX.: Un garçon français > Une fille française textos e identificar seus antônimos correspondentes EX.: Grand > Petit

7. Identificar e empregar corretamente as preposições 7. nos textos.

PREPOSIÇÃO (à, en, par, pour, de, depuis, chez etc) EX.: Marie habite à Paris.

8. Identificar e utilizar os advérbios nos textos .

8.

ADVÉRBIOS (souvent, jamais, soudain etc) Ex.: Marie va souvent au cinéma

9. VERBOS 9.1. Identificar e empregar nos textos os modos e tempos 9.1. Modos e Tempos verbais - Verbos regulares (habiter, arriver etc) , auxiliares (avoir, être)e irregulares mais comuns (aller, partir, mourir, prendre etc ) - Presente do indicativo EX: J´habite à Salvador. - “Passé composé” EX.: J´ai habité à Salvador. - Imperfeito - Futuro simples - Futuro próximo - Imperativo - “Passé récent” - Presente do subjuntivo

OBJETIVOS - “Conditionnel” - “Participe présent” - Gerúndio

CONTEÚDOS

10. 10. Elaborar e transformar frases afirmativas em negativas ou em interrogativas e vice-versa.

FRASES AFIRMATIVAS, NEGATIVAS E INTERROGATIVAS Ex.: Nous sommes parisiens (afirmativa) Nous ne sommes pas parisiens (negat.) Sommes-nous parisiens? (interrogativa)

INDICAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS

Dicionário Ediouro Francês-Português. São Paulo: Ediouro, 1998 ERSILIO, Cardoso. Dicionário de Bolso – Português / Francês. São Paulo: Bertrand, 1987 TORRES, Jandyra Moniz, Notions de Français. Vol 1 e 2. São Paulo: Ática,1991 VEIGA, Cláudio. Gramática Nova de Francês. São Paulo: FTD, 1974.

Educação de Jovens e Adultos Comissão Permanente de Avaliação – CPA EXAMES SUPLETIVOS DE ENSINO MÉDIO Caro(a) candidato(a)

LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA - ESPANHOL

É importante o domínio mínimo da língua espanhola para que você conheça outras culturas e se relacione melhor com pessoas falantes da língua espanhola, etc. A importância de estudar a língua e a cultura espanhola se intensificou com o Mercosul (Mercado Comum do Sul) que visa maior integração comercial e cultural entre o Brasil e os países hispano-americanos, aumentando, assim, o convívio com culturas diversas e a necessidade do domínio básico da língua espanhola para o desenvolvimento das diversas relações profissionais e pessoais. Este Programa o(a) ajudará nos estudos preparatórios aos seus Exames. Os exemplos são algumas pistas para orientá-lo(a) nos seus estudos. A bibliografia é referência mínima que deve ser ampliada com outros portadores de texto, a exemplo de revistas, jornais... Com dedicação e esforço você conseguirá, com certeza, o melhor resultado nos Exames. Boa Sorte ! OBJETIVOS CONTEÚDOS 1. TEXTOS 1.1. Tipos de Textos: - Jornalísticos; - Humorísticos, - Informações científicas. Ex.: Notícias, piadas, quadrinhos, etc.

1.1 Compreender diferentes tipos de textos, abordando temas variados do cotidiano. - Reconhecer os códigos da linguagem visual das figuras e relacionar com o texto escrito. - Traduzir pequenos textos em espanhol para a língua portuguesa.

2.1. Identificar e empregar as palavras heterossemânticas no texto.

2. DIVERGÊNCIA LÉXICA 2.1. Heterossemânticas (palavras iguais ou semelhantes na grafia espanhola e portuguesa, mas diferentes no significado). Ex.:Ese hombre es muy flaco (magro), pero es fuerte. He tomado un café exquisito (gostoso) en casa. Quiero un vaso (copo) de agua.

3.1. Empregar palavras do vocabulário básico existente nos textos e do vocabulário específico da língua espanhola, completando frases.

3. VOCABULÁRIO 3.1. Vocabulário especifíco - dados pessoais (nombre, apellidos, edad, etc.); - família, parentesco mais próximo (padre, madre, hijo/a, hermano/a) - partes físicas do corpo humano (cabeza, cuello, brazos, manos, espaldas, piernas, pies, etc) - vestuário mais utilizado (pantalones, falda, etc) - profissões mais conhecidas (abogado, profesor, albañil, panadero, carnicero, etc) - dias da semana (lunes, martes, etc) - meses do ano (enero, febrero, etc) - partes de uma casa (salón, habitación, etc) - países onde a língua espanhola é oficial (Argentina, México, Honduras, Cuba, etc) - principais meios de transporte (metro, coche, autobús, avión, caballo, etc) serviços públicos e de comércio (quiosco, panadería, tienda, cine, banco, teatro, etc)

OBJETIVOS

CONTEÚDOS 4. EXPRESSÕES E SAUDAÇÕES 4.1. Fórmulas para conversação. - Apresentação: ¿Cómo te llamas?, etc. - Cumprimentos: ¡Hola!, ¿Qué tal?, ¡Buenos días!, ¡Buenas noches!, Mucho gusto, etc. - Agradecimento: Muchas gracias. - Negação: No, gracias, Lo siento… - Solicitação de algo em um bar, loja, etc: ¿Qué hay?, Una cerveza, por favor…, etc.

4.1. Completar no texto as saudações e expressões usadas na linguagem cotidiana. da língua espanhola.

5.1. Identificar e utilizar os artigos definidos e indefinidos nos textos.

5. ARTIGO 5.1. Artigos (artículos) - Definidos: el, los, la, las. - Indefinidos: uno, una, unos, unas. Ex.: El niño es pequeño. La chica es guapa. 5.2. Contrações de preposição de / a + artigo el: Contracciones: del, al. Ex.: Venimos del cine. Vamos al cine.

5.2. Empregar as contrações de preposição mais artigo nos textos.

6.1. Identificar e empregar os pronomes pessoais, demonstrativos, possessivos, interrogativos e indefinidos nos textos.

6. PRONOMES (PRONOMBRES). 6.1. Pronomes pessoais (personales) - Usados na função de sujeito: yo, tú, el/ella, usted, nosotros/as, vosotros/as, ellos/ellas, ustedes. Ex.: Nosotros jugamos. Yo hablaré mañana. 6.2. Demonstrativos - Masculinos: éste, ése, aquél, éstos, ésos, aquéllos; - Femininos: ésta, ésa, aquélla, éstas, ésas, aquéllas; e neutro: esto, eso, aquello. Ex.: Aquellas chicas son guapas. ¿Qué es eso? 6.3. Possessivos (posesivos): - mío/a, tuyo/a/os/as, suyo/a/os/as, nuestro/a/os/as, vuestro/a/os/as. Ex.: Aquél coche es tuyo. El bolígrafo es nuestro. 6.4. Interrogativos - Variáveis: cuál/es, quién/es, cuánto/a/os/as. - Invariáveis: qué, cuándo, cómo, dónde. Ex.: ¿Quién lo há dicho? ¿Desde cuándo estás aquí? ¿Dónde estuviste ayer? 6.5. Indefinidos: - Uno, outro, pocos, muchos, todos, nadie, alguien, varios, nada, algo, bastante, etc. Ex.: Muchos participaron en la carrera, pero pocos llegaron a la meta. Comió demasiado.

6.2. a 6.5. Identificar os pronomes pessoais usados na função de sujeito, relacionando-os com as conjugações verbais.

OBJETIVOS

CONTEÚDOS 7. ADJETIVOS 7.1. Adjetivo qualificativo (calificativo): cores, características, etc. Ex.: Aquella casa blanca es alta, antigua y noble. 7.2. Adjetivo numeral Numerais cardinais: 1 uno… 8 ocho… 10 diez... 20 veinte 23 veintitrés, etc. Ex.: Una mujer de diecisiete años es joven. Dos más dieciséis es dieciocho.

7.1. Reconhecer e utilizar os adjetivos qualificativos nos textos.

7.2. Empregar a escrita dos numerais cardinais da língua espanhola e realizar operações matemáticas simples (somar e subtrair).

8.1. Utilizar os verbos auxiliares nos tempos simples do modo indicativo.

8. VERBOS 8.1. Verbos auxiliares: ser, estar, haver. Tempos simples do modo indicativo. Ex.: Juan y Anita estaban trabajando. (pretérito imperfecto) Tú fuiste bien ayer. (pretérito indefinido) Yo y mi madre seríamos delgadas si no comésemos tanto. (condicional) 8.2. Verbos regulares ª Tempos simples do modo indicativo e subjuntivo. Em 1 ª ª conjugação (–ar), 2 conjugação (-er) e em 3 conjugação (-ir). Ex.: Él vivía lejos de allí. (pretérito imperfecto, 3ª conjugación - verbo vivir) Qué yo hable mucho hoy. (presente de subjuntivo, 2ª conjugación - verbo haber 8.3. Verbos irregulares: dar, hacer, poner, tener, querer, poder, saber, ir, venir, salir, morir. Ex.: Para ir a casa de Pedro, coges primero la calle Mayor y sigues hasta una plaza. Ya mayor vino a España y murió aquí. Mañana salgo antes. 8.4. Modo Imperativo Afirmativo: Viaje con nosotros, visite España. Negativo: ¡No conduzcas tan deprisa, que está lloviendo a mares, hombre!

8.2. Empregar os verbos regulares nos tempos simples do modo indicativo e subjuntivo, utilizando verbos das três conjugações verbais.

8.3. Aplicar os verbos irregulares mais comuns nos tempos simples do modo indicativo .

8.4. Utilizar os verbos no modo imperativo afirmativo e no modo negativo.

9.1. Identificar e empregar os advérbios mais comuns da linguagem cotidiana, especialmente, os advérbios muy/mucho.

9. ADVÉRBIOS 9.1. Advérbios: luego, hoy, aquí, allí, cerca, lejos, arriba, delante, mal, deprisa, poco, sólo, demasiado, sí, no, jamás, etc. Ex.: María no cantó bien y Carlos tampoco. El piso es ahí. Llueve mucho esta tarde. Usted está muy agotado.

10.1. Reconhecer e empregar as conjunções mais usadas na linguagem cotidiana, em especial y ou e, o ou u.

10. CONJUNÇÕES 10.1. Conjunções (conjunciones): mas, pero, sin embargo, luego, así que, etc. Ex.: Hay dos juegos: entre Brasil y Portugal, Francia e Italia. Quiero los números: cinco o nueve, siete u ocho.

OBJETIVOS

CONTEÚDOS Ya que insistes… Es caro, pero bueno.

11.1. Identificar e utilizar as preposições mais comuns nos textos.

11. PREPOSIÇÕES (PREPOSICIONES) 11.1. Preposições: de, a, para, por, en, ante, todavía, hasta, hacia, desde, etc. Ex.: No dijo nada ante el juez. Bajo intervención. Durmió hasta tarde. Dijo adiós desde la ventana.

INDICAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS

BALLESTERO, Maria Esmeralda; BALBÁS, Alvarez Marcial Soto. Dicionário Espanhol-Português. Português- Espanhol. São Paulo: FTD, 2000. ROMANOS, Henrique; CARVALHO, Jacira Paes de. Expansión: Español en Brasil. São Paulo: FTD, 2002. (Volume único) SOUZA, Jair de Oliveira. Español para brasileños. São Paulo: FTD, 1997. (Volume único)

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->