RESUMO 001 – DIREITO PÚBLICO E PRIVADO I – Noções sobre a ciência do direito: - O homem é um ser eminentemente social, não só pelo

instinto sociável, mas também por força de sua inteligência que lhe demonstra que é melhor viver em sociedade para atingir seus objetivos. II - Conceito de Direito: é um conjunto de normas, estabelecidas pelo poder político, que se impõem e regulam a vida social de um dado povo em determinada época. III – Finalidade do direito: Obter o equilíbrio social, impedindo a desordem e os delitos, procurando proteger a saúde e a moral pública, resguardando os direitos e a liberdade das pessoas. 1. Direito Objetivo: é o complexo de normas jurídicas que regem o comportamento humano, de modo obrigatório, prescrevendo uma sanção no caso de sua violação. 2. Direito Subjetivo: é a permissão dada pela norma jurídica para fazer ou não fazer algo. 1. IV – Direito Público: é aquele que regula as relações em que o Estado é parte, ou seja, rege a organização e a atividade do Estado considerado em si mesmo (Direito Constitucional). Em relação com outro Estado (Direito Internacional), e em suas relações com os particulares, quando procede em razão de seu poder soberano e atua na tutela do bem coletivo (Direito Administrativo e Tributário). 1. V – Direito Privado: é o que disciplina as relações entre particulares, nas quais predomina, de modo imediato, o interesse de ordem privada, como exemplo: Compra e venda, doação, casamento, testamento, etc. VI – Ramos do Direito Público Interno: 1. Direito Constitucional – Normas alusivas à organização b 2. Direito Administrativo – Regula atos administrativos e qualquer poder estatal. 3. Direito Tributário – Arrecadação e Fiscalização de tributos. 4. Direito Processual – tem por finalidade regular a organização judiciária – Lei de Execução Penal. Direito Penal – diz respeitos às normas atinentes aos crimes e às penas correspondentes. 1

.Convencionais – Tratados/Convenções Internacionais b. desde que habitual e dirigida à produção de resultados econômicos. . destinada a fins de natureza econômica. FAO). VIII – Ramos do Direito Privado: 1. É preciso esclarecer que o Direito Internacional Privado privado não disciplina as relações supranacionais.Direito do Trabalho – regulamenta as relações entre empregador e empregados. Regula relações de coordenação e não de subordinação porque os Estados são igualmente soberanos. Direito Comercial/Empresarial. Não Estatais – Direito Consuetudinário – Costumes/Tradição. OMS. Direito Civil. .Direito Civil – rege as relações familiares patrimoniais e obrigacionais que se formam entre indivíduos enquanto membros da sociedade. à organização do trabalho e da produção e à condição social do trabalhador assalariado. Direito Internacional Público: é o conjunto de normas e convenções que regulam relações diretas ou indiretas entre Estados e organismos internacionais (ONU. . Estatais – Legislativas – Leis/Decretos/Regulamentos. 2. OIT.Doutrina – Direito Científico. .Jurisprudenciais – Sentenças/Súmulas. somente determina quais normas deste ou daquele outro ordenamento jurídico são aplicáveis no caso de haver conflito de leis no espaço. . 3. Direito Internacional Privado: é o que regulamenta as relações do Estado com cidadãos pertencentes à outro Estado.VII – Ramos do Direito Público Externo: 1. física ou jurídica.Direito Comercial/Empresarial – disciplina a atividade negocial do comerciante e de qualquer pessoa. Matérias/Formais a. IX – Fontes Jurídicas: 1. . 2. UNESCO. Direito do Trabalho.Negócios Jurídicos 2 .

• 1.são relativas ao texto originalmente promulgado pela Assembléia Nacional Constituinte em 1988. c. Medidas Provisórias. Estadual. Normas Constitucionais: . 2. Resoluções Decretos Regulamentares Normas Internas Normas Individuais XII . 3 . 3.Normas Constitucionais: 1. Normas Constitucionais Leis complementares Leis Ordinárias Leis Delegadas. Não pode ser objeto de Emenda Constitucional: Cláusulas Pétreas A Forma Federativa do Estado. 4. O Presidente da República. Metade mais um das Assembléias Legislativas. * EMENDA CONSTITUCIONAL: passa a fazer parte da CF após o trâmite e os critérios de aprovação. universal e periódico. XI – Classificação da Norma Jurídica Quanto à Hierarquia: 1. X – Norma Jurídica: é um imperativo autorizante. De um ângulo é a própria Constituição. b. O voto direto. 2. secreto. 3. a. Quem pode propor: Um terço dos membros da Câmara dos Deputados e Senado Federal. 4. 5. • 1. 6. 2. 3. Decretos Legislativos. sendo que cada uma delas pela maioria dos membros • Para Votação: . d.Será discutida e votada em cada casa do Congresso Nacional ( CD + SF) em dois turnos e em ambos os turnos terá que ter no mínimo 3/5 dos votos (Quorum qualificado).1. A Separação dos Poderes Os Direitos e Garantias Individuais • A Emenda Constitucional apresenta 02 faces: 1. é a norma jurídica que atribui direitos e deveres a alguém e também impõe uma sanção.

Distribuído por pelo 05 Estados. Exemplo: . 3. que o exerce por meio de seus representantes eleitos ou diretamente.Surgiram em contraposição ao Regime Absolutista reinante. mas superiores às Leis Ordinárias.São leis intermediárias de poder inferior às Leis Constitucionais (Emendas).Constitucionalismo: .2. .Geral da República e aos cidadãos na forma e nos casos previstos em Lei (EC: nº 32/2001). o Supremo Tribunal Federal. Tribunal Superior do Trabalho. XIII .Como o povo exerce o Poder diretamente? 1. 4 . onde com movimentos populares apoiado pela burguesia. Plebiscito. Lei Complementar: . Superior Tribunal Militar.3% dos Eleitores de cada um deles.Além de exercer de maneira indireta através de seus representantes eleitos. . • Cidadãos: por iniciativa popular com apresentação de Projeto de Lei à Câmara dos Deputados subscrito por no mínimo: 1. . Referendo. Não menos de 0. o Constitucionalismo tem origem formal na Constituição Americana (1787) e a Constituição Francesa ( 1791) . Tribunal de Contas da União).Leis que fixem ou modifiquem os efetivos das forças armadas. Tribunal Superior Eleitoral. Por outro lado se subordina à CF podendo ser inválida se não estiver de acordo 3. Superior Tribunal de Justiça. 3. onde elegeu-se o POVO como legítimo titular do Poder. 1% do Eleitorado Nacional. nos termos desta Constituição”. ao Procurador. Iniciativa popular.Qualquer membro ou comissão da Câmara dos Deputados. do Senado Federal ou do Congresso Nacional. o Presidente da República. 2.Na CF/88. os Tribunais Superiores (STJ. 2. o parágrafo único do Art. concretizando assim a soberania popular. 1º estabelece que “todo poder emana do povo.Criação e extinção de Ministérios • Quem pode propor: .A grosso modo. . o povo também realiza diretamente.

XIV – Plebiscito: a. o governante toma a decisão política. estabelece os limites de atuação do Estado ao assegurar respeito aos direitos individuais. 35 da Lei 10. . Conceito Político – é a decisão política do titular do poder constituinte sobre a estrutura e órgãos do Estado. direitos individuais e a vida democrática. XVII – Classificação das Constituições: 1. Exemplo de Referendo: em 23/10/2005 o povo foi chamado às urnas para decidir sobre o Art. A pergunta era: “O comércio de armas de fogo e munição deve ser proibido no Brasil”? A resposta foi “Não”. Quanto à Origem: a. Exemplo de Plebiscito: em 21/04/1993 a EC 02/1992 consultava sobre a forma de Regime de Governo no Brasil.Consulta-se o povo para após a decisão popular. se Parlamentarista ou Presidencialista. que não recebeu do povo legitimidade para em nome dele atuar. XV – Referendo: . com um percentual de 63. o povo optou pela manutenção do PRESIDENCIALISMO. conhecida como Estatuto do Desarmamento.826/2003. 3. XVI – Constituição: 1.94% de Não e 36. Conceito Jurídico – é a lei fundamental de organização do Estado. Outorgadas – são as constituições impostas de maneira unilateral pelo agente revolucionário.Primeiro o governante executa o ato administrativo ou legislativo para depois o povo ratificar ou rejeitar. No Brasil as Constituições outorgadas foram: 1824 – Império 1937 – Inspirada em modelo fascista extremamente autoritária – Getúlio Vargas/Estado Novo 1967 – Ditadura Militar 5 . Conceito Sociológico – é a somatória dos fatores reais do poder dentro de uma sociedade somente se efetivando se representasse o efetivo poder social.06% de Sim. 2.

b. é formada por textos esparsos. eleita diretamente pelo povo. Analítica – são as Constituições que abordam todos as assuntos que os representantes do povo entenderem fundamentais. contém as normas fundamentais e estruturais do Estado. baseada nos usos e costumes.são as Constituições enxutas que veiculam ao texto constitucional apenas os princípios fundamentais e estruturais do Estado. Constituição do Império do Brasil de 1824. jurisprudências e convenções. nascendo da deliberação da legítima representação popular No Brasil as Constituições Promulgadas foram: 1891 – 1ª Constituição Republicana 1934 – Inseriu a democracia social. Quanto ao Conteúdo: a. São as mais duradouras. Formal – é a Constituição que tem como critério o seu processo de formação e não o conteúdo das normas. Ex. 242 § 2º) 4. Quanto ao modo de elaboração: 6 . Ex. Quanto à Extensão: a. Constituição Federal de 1988 (Assuntos Eleitorais/Trabalhistas/Tributários/etc) b. 5. Promulgadas – são aquelas constituições que são fruto do trabalho de uma Assembléia Nacional Constituinte. Ex. reconhecidos pela sociedade como fundamentais. Constituição Federal de 1988 ( Art. Escrita – formada por um conjunto de regras sistematizadas e organizadas em um único documento. inspirada na Constituição de Weimar/Alemanha 1946 – Após a 2ª Guerra Mundial 1988 – Atual 2. Costumeira/Consuetudinária – é aquela que não traz as regras em um mesmo/único texto solene e codificado. Ex. b. Quanto à forma: a. Constituição Americana. b. Constituição da Inglaterra 3. a organização de seus órgãos e os direitos e garantias individuais. Material – é o tipo de Constituição que está mais adstrita a determinados assuntos. Ex. Sintéticas . para em nome dele atuar. pois não descem às minúcias.

Ex. Pedro I queria ter poder sobre o legislativo através do veto imperial. 6. D. não existe hierarquia entre a Constituição e as Normas infraconstitucionais. sendo o Presidente do Conselho de Ministros o Chefe de Governo e o Imperador. Federal de 1988. são elaborados de um só jacto. Quanto à Alterabilidade: a. Históricas – constituem-se através de um lento e contínuo processo de formação.a. b. Legislativo e Judiciário.Rígida XIX – História das Constituições: 1.Formal . se assemelhava ao Parlamento Britânico. racionalmente por uma Assembléia Constituinte. baseadas nos dogmas estruturais e fundamentais do Estado. Constituição Inglesa. nesses casos. Dogmática – sempre escritas. Rígidas – são as constituições que exigem para sua alteração um processo legislativo mais solene. iniciando uma desavença na assembléia. partem de teorias preconcebidas. todas foram e são consideradas rígidas. com exceção da Constituição Imperial de 1824. Flexíveis – é o modelo de constituição que não requer um processo legislativo muito formal para suas alterações. No Brasil. XVIII – Características da CF/88: . com um parlamentarismo que à época. Propiciou a existência do Parlamentarismo.Promulgada . CF/88. de planos e sistemas prévios de ideologias.Analítica .Escrita . Ex. ao longo do tempo. Constituição Imperial de 1824. Ex. Const. reflexivamente. o Chefe de Estado. b. 7 .Dogmática . CF de 1824. Ex. Caracterizada pela existência do Poder Moderador que dá ao imperador a competência para equilibrar os Poderes Executivo. reunindo a história e as tradições de um povo.

Constituição Brasileira de 1934. Instituiu o voto secreto. Executivo e Judiciário. b. e. e. Fortemente inspirada na Constituição Americana. e. Propiciou o voto feminino. Existência de 03 Poderes: Legislativo. Voto censitário conforme a renda do eleitor. foi a que menos durou em toda história brasileira. d. Características: a. c. f. i. h. Voto obrigatório para maiores de 18 anos. 2. c. não respondia por seus atos judicialmente. Constituição de 1891. Os senadores deixaram de ser vitalícios. Regime de Governo era o Presidencialismo. inclusive o país adotou o nome de Estados Unidos do Brasil. c. g. 3. Cria a Justiça do Trabalho. d. f. O vice-presidente poderia ser reeleito por partido diferente do presidente. g. Os presidentes das províncias passaram a ser eleitos pelo voto direito. o Governo era uma monarquia unitária e hereditária. b. h. f. Um abraço 8 . Proibiu o trabalho infantil. A existência de 04 Poderes. Mandato do presidente de 04 anos sem reeleição imediata. Foi a única Constituição brasileira a não sofrer emendas. apenas 03 anos. g. Cria a jornada de trabalho de 08 horas. Abolição das instituições monárquicas. Foi a Constituição brasileira que teve uma vigência mais longa. Características: a. b.Características: a. Cria a Justiça Eleitoral. Bastante progressista em relação à legislação trabalhista. Uma Constituição bastante democrática. Nacionalizou as riquezas do sub-solo e quedas d’água no país. Definiu quem é cidadão brasileiro. d. O imperador era irresponsável . O Estado adotou o Catolicismo como religião oficial.

César 9 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful