Você está na página 1de 3

Fonética histórica

Introdução

As chamadas leis fonéticas, proclamadas pelos linguistas da escola Neo-


mudanças regulares que se observam na evolução de todas as línguas
fonética das palavras. Não sendo, como se julgava inicialmente, maciças
poucos, por afectar a quase totalidade do léxico de cada língua em deter
eventos históricos, sujeitos às mesmas contingências regionais, políticas,
eventos que atingem a vida de uma comunidade, o que significa que têm
passo da história daquela mesma comunidade. Na evolução do latim fala
falado na România Ocidental (Norte de Itália, Gália, Récia e Hispânia) e
português, verificaram-se consideráveis mudanças regulares, determinada
são, resumidamente,

Símbolos

1. A mudança ocorrida entre duas formas separadas pelo tempo indica


parêntese angular

2. As formas latinas, para imediato reconhecimento, escrevem-se

3. Quando uma vogal acentuada latina é longa, a sua notação vem seguid
não é

4. Recorre-se aos parênteses rectos para incluir, no seu interior, uma


considerar pelo seu valor fonético. Se estiver em causa o seu valor fo
abstracta a que correspondem no sistema de uma língua, já se

5. O hífen no final de uma forma latina indica que naquela posição esteve u
mpara os substantivos e adjectivos, -t para as formas verbais) que caiu m
qual não guardam memória as

Exemplificação: AMA:RE>amar PIRA->pera

À esquerda dos parênteses angulares estão as formas latinas e à sua


resultantes. No primeiro caso, a palavra latina tem [a] longo na sílaba tónic
Estas vogais, na mente dos falantes são, respectivamente, /a:/ e /i/, ao pas
e

Assimilação

Por assimilação, entende-se a modificação de um som por influência do so


partilhar traços articulatórios (i.e. torna-o foneticamente parecido ou igua
sintagmática, assim chamada por ocorrer entre elementos de uma cadeia
sucessivamente na pronúncia das palavras). A assimilação de um som pod
som anterior (será uma assimilação progressiva), do som seguinte (um
influência simultânea dos sons anterior e seguinte (assimilação dupla) e
contíguo (assimilação à distância). Os contextos fonéticos (i.e. palavra
mudanças fonéticas) mais propícios à assimilação são os nasais, os a

Contextos nasais: - Uma vogal vizinha de [m] e [n], sons que são consoan
deixar de ser vogal oral e passar a ser vogal nasal. Isto ocorre universalmen
caso do português, verificou-se na passagem do latim hispânico para
(séculos VI-VII), talvez por influência das línguas celtas que na Península
que antecediam o [n] passaram a ser vogais nasais (ex: PONTE->p[õ]te, L
que se diz que foram nasalisadas por assimilação regressiva. Na época nos
se nasalizações, já de sentido progressivo, sempre que os falantes pron