Você está na página 1de 2

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL

FACULDADE DE MATEMÁTICA - DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA

4113E-04 Equações Diferenciais


4113U-04 Equações Diferenciais para Engenharia Química
Equações Diferenciais Lineares de primeira ordem

dy
Definição: Uma equação diferencial da forma a1 ( x) + a 0 ( x) y = g ( x) é chamada
dx
linear. Note que essa equação pode ser escrita numa forma mais útil, dividindo pelo
dy
coeficiente a1 ( x ) , isto é : + P( x) y = Q( x) .
dx

Exercício 1: Usando o processo proposto no material anterior, mostre que existe um fator
integrante µ( x ) para essa equação, e use este fator para obter a solução geral da equação
linear.

Observação: Você deve observar que o fator integrante terá a forma µ( x ) = e ∫P ( x )dx e
que multiplicando-o na EDO linear obtemos uma equação da forma
d
[µ( x ) y( x )] = µ( x )Q( x ) , a qual é de fácil resolução para y(x).
dx

Exercício 2: Resolva as equações diferenciais abaixo:


dy 4
1. x − y = x 6e x Re sp. : y( x ) = x 5 e x − x 4 (e x + C).
dx x
dy
2. − 3y = 0 Re sp. : y( x ) = Ce 3x .
dx
3. ( x 2 + 9)
dy
dx
+ xy = 0 (
Re sp. : y( x ) = C x 2 + 9 ) −1/ 2 .
Exercício 3: Resolva os seguintes problemas de valor inicial:
2
dy 1 − 7e − x
1. + 2 xy = x, y ( 0 ) = − 3. Re sp. : y( x ) = .
dx 2
dy
2. x + y = 2x, y(1) = 0. Re sp. : y( x ) = x − x −1 , se x > 0.
dx
dy 1
3. = , y ( − 2) = 0. Re sp. : x ( y) = − y 2 − 2 y − 2.
dx x + y 2

Exercício 4: Circuitos em série.


Em um circuito em série contendo somente um resistor e um indutor, a Segunda lei de
Kirchhoff diz que a soma da queda de tensão no indutor ( L(di / dt )) e da queda de tensão
no resistor (iR ) é igual à voltagem ( E (t )) no circuito (circuito em Série L-R). Portanto,
obtemos a equação diferencial linear para a corrente i(t),
di
L + R i = E (t ) ,
dt
onde L e R são constantes conhecidas como a indutância e a resistência, respectivamente. A
corrente é algumas vezes chamada de resposta do sistema.
A queda de potencial em um capacitor com capacitância C é dada por q (t ) / C , em que q é
a carga no capacitor. Então, para o circuito em série R-C, a Segunda lei de Kirchhoff nos dá
1 dq
a equação R i + q = E (t ) . Mas a corrente i e a carga q estão relacionadas por i = ,
C dt
dq 1
logo temos a equação diferencial linear R + q = E (t ) .
dt C
Usando essas informações resolva os seguintes problemas:
1. Uma bateria de 12 volts é conectada a um circuito em série no qual a indutância é de
1/2 henry e a resistência, 10 ohms. Determine a corrente i, se a corrente inicial é zero.
O que acontece quando t → ∞ .
6(1 − e −20 t ) 6
Resp.: i( t ) = → , quando t → ∞ .
5 5

2. Uma força eletromotriz (fem) de 30 volts é aplicada a um circuito em série L-R no qual
a indutância é de 0,5 henry e a resistência, 50 ohms. Encontre a corrente i(t) se
i (0) = 0 . Determine a corrente quando t → ∞ .
3(1 − e −500 t ) 3
Resp.: i( t ) = → , quando t → ∞ .
5 5

3. Uma força eletromotiva de 100 volts é aplicada a um circuito R-C em série no qual a
resistência é de 200 ohms e a capacitância, 10-4 farad. Encontre a carga q(t) no
capacitor se q(0) = 0. Encontre a corrente i(t).
1 − e −50 t e −50 t
Resp.: q( t ) = , i( t ) = .
100 2

4. Uma força eletromotriz (fem) de 200 volts é aplicada a um circuito R-C em série no
qual a resistência é de 1000 ohms e a capacitância, 5 x 10-6 farad. Encontre a carga q(t)
no capacitor se i(0) = 0,4. Encontre a carga quando t → ∞ .
1 e −200 t 1
Resp.: q ( t ) = − → , quando t → ∞ .
5 500 5

Exercícios
Do livro Equações Diferenciais ,Zill e Cullen volume 1 Cap. 2
Página 67, exercícios 1 – 33.

Do livro Equações Diferenciais ,Zill e Cullen volume 1 Cap. 2


Página 77, exercícios 1 – 32.

Do livro Equações Diferenciais ,Zill e Cullen volume 1 Cap. 3,


Página 101, exercícios 1 – 28.