Você está na página 1de 3

Poema de origem japonesa - haiku

Segundo Harold G. Henderson, em Haiku in English, o haicai clássico japonês


obedece a quatro regras:
Consiste em 17 sílabas japonesas, divididas em três versos de 5, 7 e 5 sílabas
Contém alguma referência à natureza (diferente da natureza humana)
Refere-se a um evento particular (ou seja, não é uma generalização)
Apresenta tal evento como "acontecendo agora", e não no passado.

Primavera: alegria, renovação, amor, flores, juventude;


Verão: vivacidade, liberdade, calor, maturidade;
Outono: melancolia, decadência, nostalgia, colheita, senectude;
Inverno: tranqüilidade, reclusão, morte, repouso, frio.

Pequena borboleta O chofer de táxi


Enfeitando meus cabelos Meu pai, também, nos dias quentes,
Por um momento. Assobiava assim.
Clície Pontes Paulo Franchetti
Das noites juninas A pedra atirada ...
de outrora, anciãs agora, Fundo lago de outono
estão as meninas. desmorona o céu.
Cyro Armando Catta Preta Francisco Handa
borboleta dia quente
kigo de primavera kigo de verão
noite junina, festa junina lago de outono
kigo de inverno kigo de outono

"Haikai não é síntese, no sentido de dizer o máximo com o mínimo de palavras. É


antes a arte de, com o mínimo, obter o suficiente". - Paulo Franchetti

POESIA DO PRESENTE
Certo Errado
Relâmpago azul: Relâmpago. Chuva.
Crescem os olhos da criança De repente, o rio transborda.
No colo da mãe. Choro. Desespero.
Zuleika dos Reis
Clara luz da lua Ainda me lembro:
dança nas poças d'água A lua cheia brilhava
com o vento suave. sobre o nosso amor.
José Neres Reis
Vento de verão. Nuvens de gafanhotos
Do capinzal crestado Semeiam a destruição
pula o gafanhoto. Por onde passam.
Luiz Bacellar

NÃO AO EGO – sem expressar sentimentos do autor


Certo Errado
Nariz na vidraça. Que mundo injusto!
Guri de rua acompanha a No natal, meninos de rua,
Ceia de natal. Olhando vitrines.
Hazel de S. Francisco
Depois da geada, A geada, ao cair
nas faces do espantalho, nos olhos do espantalho
lágrimas geladas. formou lágrimas geladas.
Roberto Saito
A flor do ipê-roxo A bela da tarde
cai deixando saudades: por mim passou. Feito flor,
Ah, a moça da tarde. deixou seu perfume.
Anibal Beça

Após o casório,
padre foge com a noiva
da festa junina.
Alberto Murata

Em vôo, atraída
pelo bolo de fubá,
a mosca de inverno.
Débora Novaes de Castro

No templo budista
culto aos antepassados.
Flores de crisântemo.
Alberto Murata

Maritacas voam
em onda verde-amarela.
Barulho infernal.
Benedita Azevedo

Ao longo do riacho,
Voa uma branca figura.
Solitária garça.
Alberto Murata

Ao final do dia
Garças de volta ao ninhal,
Uma atrás da outra.
Benedita Azevedo

Dia de eleição.
Na mesma fila de espera,
patroa e empregada.
Alberto Murata

Ipê amarelo —
Na copa, contra o infinito
retalhos de azul.
Benedita Azevedo

Haicais de Carlos Seabra, publicados no livro "Haicais e que tais"


(Massao Ohno 2005)

GOTAS
pequenos dedos
das gotas de chuva
massageiam a terra

FAROL
os raios de sol
iluminam de manhã
o velho farol

SAUDADE
travesso gato
com saudade do dono
mija no sapato

mais: http://www.kakinet.com/