Você está na página 1de 21

MESTRADO EM REDES

E SERVIÇOS DE COMUNICAÇÃO

PLANEAMENTO E
GESTÃO DE REDES

TRABALHO 02

MRTG E NTOP

Fernando Nunes

Ruben Alves

terça-feira, 4 de Abril de 2006


MRSC - PLANEAMENTO E GESTÃO DE REDES
TRABALHO 02 - MRTG E NTOP
” ÍNDICE ”

1. ÍNDICE

1. ÍNDICE ....................................................................................................... 2
2. SUMÁRIO .................................................................................................... 3
3. INTRODUÇÃO.............................................................................................. 3
4. MRTG .......................................................................................................... 4
4.1. PREPARAÇÃO..............................................................................4
4.2. CONFIGURAÇÃO..........................................................................4
4.3. EXECUÇÃO E CALENDARIZAÇÃO....................................................5
4.4. MONITORIZAÇÃO ........................................................................6
5. NTOP ........................................................................................................ 10
5.1. PREPARAÇÃO............................................................................ 10
5.2. MÁQUINAS PRESENTES NA REDE ................................................ 11
5.3. PROTOCOLOS E DISTRIBUIÇÃO DE DADOS ................................... 11
5.4. SESSÕES ESTABELECIDAS ......................................................... 12
6. OUTRAS FERRAMENTAS ............................................................................ 13
6.1. MRTG – ALTERNATIVAS ............................................................. 13
6.2. NTOP – MÁQUINAS PRESENTES NA REDE ..................................... 14
6.3. NTOP – PROTOCOLOS E DISTRIBUIÇÃO DE DADOS........................ 16
6.4. NTOP – LISTAGEM DE PORTAS E HOSTS....................................... 17
6.4.1. NETFLOW .......................................................................... 18
7. REFERÊNCIAS ........................................................................................... 19
ANEXO 1: FICHEIRO DE CONFIGURAÇÕES MRTG.CFG ....................................... 20

PÁGINA 2 DE 21
MRSC - PLANEAMENTO E GESTÃO DE REDES
TRABALHO 02 - MRTG E NTOP
” SUMÁRIO ”

2. SUMÁRIO

A partilha dos recursos informáticos, nomeadamente recursos de rede


pressupõem uma analise das necessidades e do meio antes da sua
instalação e parametrização. De forma em optimizar a rede e os seus
recursos evitando tempos de indisponibilidade, é necessário mesmo após
a instalação da rede a sua medição e monitorização. Este documento, irá
abordar às diferentes formas de medição dos recursos de rede através de
várias ferramentas. O objectivo deste trabalho é apresentar os vários
métodos de monitorização de uma rede simulando tráfego de forma a
apresentar dados pseudo-realísticos.

3. INTRODUÇÃO

Este segundo trabalho de PGR propõe um estudo às ferramentas de


monitorização baseadas em aplicações web. Estas aplicações sugerem
uma análise aos recursos do equipamento através do protocolo SMNP.
Como forma de visualizar os resultados obtidos pelas ferramentas de
análise, foi instalado um servidor Apache.

A aplicação de análise dos recursos que foi indicada é o MRTG (Multi


Router Traffic Grapher). Este programa foi proposto pelo enunciado.
Iremos abordar posteriormente neste relatório outras ferramentas de
análise de recursos.

Sendo programas de analise de tráfego, foi necessário gera-lo de


forma voluntária para facilitar as medições realizadas. Optámos por
instalar uma ferramenta que faz exactamente isso: IPERF.

De forma a instalar as ferramentas que possibilitam realizar este


trabalho, podemos utilizar a aplicação “apt-get” do Debian, ou então
descarregar o código fonte e compilá-los localmente. Pela sua
simplicidade, este foi o método preferencial durante o processo de
preparação do trabalho.

Por alteração dos requisitos do enunciado indicados na aula prática


proposto pedida pelo docente, não foram feitas quaisquer alterações às
definições de rede das partes intervenientes (TUXs, switches ou routers),
conforme referidas nos pontos 2.4 e 2.5 do documento
aulaPratica2-mrtg.pdf.

PÁGINA 3 DE 21
MRSC - PLANEAMENTO E GESTÃO DE REDES
TRABALHO 02 - MRTG E NTOP
” MRTG ”

4. MRTG

O MRTG é um software GPL escrito em PERL que permite criar gráficos sobre o
tráfego de rede e outros parâmetros que podem ser obtidos por consulta SNMP a
equipamentos na rede IP (switches, routers, servidores, etc). Funciona em UNIX e
em Windows e o resultado típico é um conjunto de páginas HTML fornecidas por um
servidor WEB com gráficos com o que se apresenta:

4.1. Preparação

Foi instalado nos TUX21 e TUX22 o programa IPERF para gerar


tráfego entre os sistemas:

tux21:~# apt-get install iperf

Foram instalados no TUX23, o software APACHE (servidor WEB) e o


MRTG (cliente SNMP) para medir no switch (172.16.1.20) o tráfego que foi
gerado:

tux23:~# apt-get install mrtg apache

4.2. Configuração

Criámos o ficheiro de configurações do MRTG que deveria ser


guardado no sistema. Definimos opções globais (global Options[_]), onde
indicámos que as páginas com os gráficos fossem desenhadas da direita
para a esquerda (growright), que os dados fossem representados em bits
(bits), e que incluíssem informação sobre o equipamento (printrouter),
mas que as páginas não fizessem “publicidade” ao programa (nobanner):

tux23:~# cfgmaker \
--global "Options[_]: bits,growright,nobanner,printrouter" \
public@172.16.1.20 > mrtg.cfg

PÁGINA 4 DE 21
MRSC - PLANEAMENTO E GESTÃO DE REDES
TRABALHO 02 - MRTG E NTOP
” MRTG ”

Gerou-se um índice com base nas interfaces requisitadas, para


possibilitar um melhor acesso às diversas interfaces a serem “recolhidas”
a partir do servidor apache:

tux23:~# indexmaker mrtg.cfg > /var/www/mrtg/index.html

4.3. Execução e Calendarização

No nosso caso, optámos por obter estatística sobre o tráfego entre o


TUX21 e o TUX22, que estavam localizados nas portas 13 e 14 do switch.

Por forma a capturar tráfego digno de registo, usámos a aplicação


IPERF, despoletando o comando no TUX21 e no TUX22:

tux21:~# iperf -c tux22 -u -b 1G -t 3600


------------------------------------------------------------
Client connecting to tux22, UDP port 5001
Sending 1470 byte datagrams
UDP buffer size: 108 KByte (default)
------------------------------------------------------------
[ 3] local 172.16.1.21 port 1026 connected with 172.16.1.22 port 5001
[ 3] 0.0-406.4 sec 443 MBytes 9.15 Mbits/sec
[ 3] Sent 3237912 datagrams
[ 3] Server Report:
[ 3] 0.0-406.4 sec 881 MBytes 18.2 Mbits/sec 0.339 ms 1809/3237911 (0.056%)
[ 3] 0.0-406.4 sec 1 datagrams received out-of-order

tux22:~# iperf -s -u
------------------------------------------------------------
Server listening on UDP port 5001
Receiving 1470 byte datagrams
UDP buffer size: 108 KByte (default)
------------------------------------------------------------
[ 3] local 172.16.1.22 port 5001 connected with 172.16.1.21 port 1025
[ 3] 0.0-10.0 sec 11.9 MBytes 9.95 Mbits/sec 0.005 ms 3/ 8469 (0.035%)
[ 4] local 172.16.1.22 port 5001 connected with 172.16.1.21 port 1025
[ 4] 0.0-10.0 sec 11.9 MBytes 9.94 Mbits/sec 0.003 ms 7/ 8466 (0.083%)
[ 3] local 172.16.1.22 port 5001 connected with 172.16.1.21 port 1025
[ 3] 0.0-10.0 sec 104 MBytes 86.9 Mbits/sec 0.014 ms 341/74382 (0.46%)
[ 3] 0.0-10.0 sec 1 datagrams received out-of-order
[ 4] local 172.16.1.22 port 5001 connected with 172.16.1.21 port 1025
[ 4] 0.0-405.2 sec 508 MBytes 10.5 Mbits/sec 0.072 ms 3553/3287736 (0.11%)
[ 3] local 172.16.1.22 port 5001 connected with 172.16.1.21 port 1026
[ 3] 0.0-10.9 sec 114 MBytes 87.9 Mbits/sec 0.337 ms 85/81391 (0.1%)
[ 3] 0.0-10.9 sec 1 datagrams received out-of-order
[ 4] local 172.16.1.22 port 5001 connected with 172.16.1.21 port 1026
[ 4] 0.0-406.4 sec 441 MBytes 9.10 Mbits/sec 0.340 ms 1809/3237911 (0.056%)
[ 4] 0.0-406.4 sec 1 datagrams received out-of-order

Procurámos executar o MRTG algumas vezes inicialmente para


perceber os resultados obtidos. Para ser executado das primeiras vezes
enquanto se configurava o MRTG foi invocado da seguinte forma:

PÁGINA 5 DE 21
MRSC - PLANEAMENTO E GESTÃO DE REDES
TRABALHO 02 - MRTG E NTOP
” MRTG ”

tux23:~# mrtg -debug=snpo mrtg.cfg


(…)
--snpo: run snmpget from ifInOctets&ifOutOctets:public@172.16.1.20
--snpo: simple If: .13
--snpo: simple If: .13
--snpo: SNMPGet from public@172.16.1.20: --
ifInOctets.13,ifOutOctets.13,sysUptime,sysName
--snpo: SNMPfound -- '950130562', '51719900', '4 days, 23:33:28', 'undef'
--snpo: run snmpget from ifInOctets&ifOutOctets:public@172.16.1.20
--snpo: simple If: .14
--snpo: simple If: .14
--snpo: SNMPGet from public@172.16.1.20: --
ifInOctets.14,ifOutOctets.14,sysUptime,sysName
--snpo: SNMPfound -- '20978607', '979252787', '4 days, 23:33:28', 'undef'
(…)

O pacote MRTG incluiu também o ficheiro /etc/cron.d/mrtg, com o


seguinte conteúdo:

0-55/5 * * * * root \
if [ -x /usr/bin/mrtg ] && [ -r /etc/mrtg.cfg ]; then \
env LANG=C \
/usr/bin/mrtg /etc/mrtg.cfg >> /var/log/mrtg/mrtg.log 2>&1; \
fi

Desta forma, as páginas criadas pelo MRTG serão actualizadas com


informação de 5 em 5 minutos.

O nosso ficheiro mrtg.cfg foi então copiado para o directório /etc


(localização predefinida configurada no ficheiro do cron), activando dessa
forma a execução calendarizada do comando, execução essa que deixaria
um registo no sistema a cada invocação (mrtg.log).

4.4. Monitorização

O resultado obtido foi a criação duma estrututura de ficheiros em


/var/www/mrtg/ (parâmetro WorkDir do mrtg.cfg por omissão para o
Debian), que continha uma página HTML por cada interface observada do
switch.

PÁGINA 6 DE 21
MRSC - PLANEAMENTO E GESTÃO DE REDES
TRABALHO 02 - MRTG E NTOP
” MRTG ”

Os resultados obtidos podem ser consultado através de qualquer


navegador HTTP, por acesso directo ao sistema de ficheiros ou através do
servidor WEB (apache) que tenha um mapeamento para a directoria
/var/www/mrtg. O index.html do referido directório (ver ponto 4.2)
tem este aspecto:

Se acedermos a uma interface específica, por exemplo a do TUX21


(porta 13), podemos ver o detalhe dessa porta. São visíveis quatro
gráficos (como se pode ver nas páginas seguintes): Daily, Weekly,
Monthly e Yearly.

PÁGINA 7 DE 21
MRSC - PLANEAMENTO E GESTÃO DE REDES
TRABALHO 02 - MRTG E NTOP
” MRTG ”

Os gráficos são gerados através de médias de utilização da porta. A


área coberta a verde representa o tráfego que chega à porta em médias
observadas no período que se encontra em parêntesis no título do gráfico
e a linha azul corresponde ao tráfego que sai da porta na mesma altura.

PÁGINA 8 DE 21
MRSC - PLANEAMENTO E GESTÃO DE REDES
TRABALHO 02 - MRTG E NTOP
” MRTG ”

Porá baixo dos quatro gráficos existe uma legenda contextualizada


com os valores actuais, máximos e médios de todo o gráfico observado.

Como se pode constatar o tráfego gerado pelos equipamentos esteve


bem perto do limite dos 100Mb/s (no IPERF pedimos para ele gerar 1Gb/s
em UDP, exactamente para os TUXs usarem toda a largura de banda que
conseguissem).

PÁGINA 9 DE 21
MRSC - PLANEAMENTO E GESTÃO DE REDES
TRABALHO 02 - MRTG E NTOP
” NTOP ”

5. NTOP

5.1. Preparação

Para responder ao ponto 3 do trabalho, foi instalado o software NTOP


no TUX21:

apt-get install ntop

De forma a correr o ntop, não foi preciso qualquer tipo de


configuração extra. Apenas foi necessário a inserção da palavra-chave do
administrador e iniciar o servidor.
O ntop ao contrário do mrtg, possibilita a visualização dos
acontecimentos na rede em tempo real. Logo, não é preciso a execução
de comandos extras de forma a gerar códigos HTML (tal como acontecia
no MRTG).

tux21:~# ntop -A
Sun Apr 2 16:41:25 2006 NOTE: Interface merge enabled by default
Sun Apr 2 16:41:25 2006 Initializing gdbm databases

ntop startup - waiting for user response!

Please enter the password for the admin user:


Please enter the password again:
Sun Apr 2 16:41:39 2006 Admin user password has been set

tux21:~# /etc/init.d/ntop start


Starting ntop: [ OK ]
tux21:~#

Como já foi dito o ntop não precisa de ser comandos para ser
executado, apenas um ser acedido por um navegador (neste caso:
http://tux21:3000/). O ntop disponibiliza uma série de informações
relativas a rede tais como: apresentar tráfego da rede ordenado pelo
protocolo escolhido, estatísticas sobre o tráfego, informações sobre a
partilha dos recursos consoante o protocolo entre outros.

Nos próximos sub-capítulos, iremos ver quais em detalhes 3 tipos de


relatórios produzidos pelo ntop.

PÁGINA 10 DE 21
MRSC - PLANEAMENTO E GESTÃO DE REDES
TRABALHO 02 - MRTG E NTOP
” NTOP ”

5.2. Máquinas presentes na rede

5.3. Protocolos e distribuição de dados

Devido ao pouco tempo disponível, não foi possivel “capturar” vários


tipos de protocolos de rede. O tráfego UDP correspondente aos 261Mb é
relativo aos testes de rede realizados com o IPERF.

PÁGINA 11 DE 21
MRSC - PLANEAMENTO E GESTÃO DE REDES
TRABALHO 02 - MRTG E NTOP
” NTOP ”

O tráfego foi incorrectamente identificado como “Messenger”, pois a


porta 5001 usada pelo IPERF na verdade também usada por este
protocolo. Naturalmente, não existindo qualquer “Messenger” nos TUXs, o
tráfego deve-se todo à exploração desta ferramenta…

5.4. Sessões estabelecidas

PÁGINA 12 DE 21
MRSC - PLANEAMENTO E GESTÃO DE REDES
TRABALHO 02 - MRTG E NTOP
” OUTRAS FERRAMENTAS ”

6. OUTRAS FERRAMENTAS

Para além do MRTG e do NTOP, muitas outras ferramentas podem ser


encontradas para conseguir obter dados estatísticos sobre a utilização dos
recursos em equipamentos de rede.
Incluímos algumas neste capítulo, das quais obtemos imagens, que
considerámos dignas de serem referidas.

6.1. MRTG – Alternativas

O RRDTool (http://people.ee.ethz.ch/~oetiker/webtools/rrdtool/), do
mesmo autor do MRTG, é uma biblioteca que permite recolher e guardar
informações em bases de dados rotativas (RRD). Serviu de base a muitos
produtos de software que recolhem estatísticas.

O CACTI (http://www.cacti.net/), baseado no RRDtool, é uma


ferramenta baseada em templates e em XML, criando um modelo de 3
camadas para facilitar a sua utilização (base dados, backend para recolha
de dados e frontend PHP):

PÁGINA 13 DE 21
MRSC - PLANEAMENTO E GESTÃO DE REDES
TRABALHO 02 - MRTG E NTOP
” OUTRAS FERRAMENTAS ”

O PRTG (http://www.paessler.com/download/prtg), é um “clone” do


MRTG para o sistema operativo Microsoft Windows.

6.2. NTOP – Máquinas presentes na rede

- IPTRAF (http://iptraf.seul.org/)

- NMAP (http://www.insecure.org/nmap/)

PÁGINA 14 DE 21
MRSC - PLANEAMENTO E GESTÃO DE REDES
TRABALHO 02 - MRTG E NTOP
” OUTRAS FERRAMENTAS ”

[root@server ~]# nmap -O -sT 192.168.1.0/24

Starting nmap 3.81 ( http://www.insecure.org/nmap/ ) at 2006-04-02 18:28


WEST
Warning: OS detection will be MUCH less reliable because we did not find
at least 1 open and 1 closed TCP port
All 1663 scanned ports on portatil.ld (192.168.1.12) are: filtered
MAC Address: 00:0E:35:26:08:CF (Intel)
Too many fingerprints match this host to give specific OS details

Interesting ports on vm.ld (192.168.1.29):


(The 1660 ports scanned but not shown below are in state: filtered)
PORT STATE SERVICE
21/tcp closed ftp
139/tcp open netbios-ssn
445/tcp closed microsoft-ds
MAC Address: 00:0C:F1:00:4D:C5 (Intel)
Device type: general purpose
Running: Microsoft Windows 2003/.NET|NT/2K/XP
OS details: Microsoft Windows 2003 Server or XP SP2

Interesting ports on router.ld (192.168.1.253):


(The 1659 ports scanned but not shown below are in state: closed)
PORT STATE SERVICE
22/tcp open ssh
23/tcp open telnet
53/tcp open domain
80/tcp open http
MAC Address: 00:11:D8:43:82:A9 (Asustek Computer)
Device type: general purpose
Running: Linux 2.4.X|2.5.X
OS details: Linux 2.4.0 - 2.5.20
Uptime 0.108 days (since Sun Apr 2 15:53:32 2006)

Interesting ports on server.ld (192.168.1.254):


(The 1637 ports scanned but not shown below are in state: closed)
PORT STATE SERVICE
22/tcp open ssh
23/tcp open telnet
25/tcp open smtp
53/tcp open domain
80/tcp open http
110/tcp open pop3
111/tcp open rpcbind
139/tcp open netbios-ssn
143/tcp open imap
199/tcp open smux
443/tcp open https
445/tcp open microsoft-ds
Device type: general purpose
Running: Linux 2.4.X|2.5.X|2.6.X
OS details: Linux 2.5.25 - 2.6.3 or Gentoo 1.2 Linux 2.4.19 rc1-rc7),
Linux 2.6.3 - 2.6.8
Uptime 13.921 days (since Sun Mar 19 19:23:25 2006)

Nmap finished: 256 IP addresses (4 hosts up) scanned in 70.554 seconds


[root@server ~]#

PÁGINA 15 DE 21
MRSC - PLANEAMENTO E GESTÃO DE REDES
TRABALHO 02 - MRTG E NTOP
” OUTRAS FERRAMENTAS ”

6.3. NTOP – Protocolos e Distribuição de Dados

- IPTRAF (http://iptraf.seul.org/)

PÁGINA 16 DE 21
MRSC - PLANEAMENTO E GESTÃO DE REDES
TRABALHO 02 - MRTG E NTOP
” OUTRAS FERRAMENTAS ”

6.4. NTOP – Listagem de Portas e Hosts

- DARKSTAT (http://dmr.ath.cx/net/darkstat/)

PÁGINA 17 DE 21
MRSC - PLANEAMENTO E GESTÃO DE REDES
TRABALHO 02 - MRTG E NTOP
” OUTRAS FERRAMENTAS ”

- IPTRAF

6.4.1. NETFLOW

De forma a listar os fluxos de dados da rede, o protocolo NETFLOW


permite fazer uma analise exaustiva aos protocolos usados dentro da
rede. Como vimos, o ntop está preparado para apresentar fluxos da rede,
tal como estes seguintes programas:

Para analisar pacotes NetFlow existem também várias alternativas:


- NTOP (http://www.ntop.org/);
- flow-tools (http://www.splintered.net/sw/flow-tools/);
- cflowd (http://www.caida.org/tools/measurement/cflowd/);

Pode-se gerar pacotes NetFlow com os seguintes quipamentos/aplicações:


- Os próprios Routers Cisco que analisam o tráfego que atravessa as
interfaces;
- nProbe (http://freshmeat.net/projects/nprobe/);
- Flowprobe (http://fprobe.sourceforge.net/);
- fprobe (http://psi.home.ro/flow/ ou apt-get install fprobe);

O NTOP também permite analizar tráfego de NetFlow (desenvolvido pela


Cisco) que permite a medição de um conjunto de aplicações:

• Contabilização de tráfego de redes;


• Taxação baseada em utilização de rede;
• Planeamento de redes;
• Detecção de ataques DoS e DDoS;
• Outros;

PÁGINA 18 DE 21
MRSC - PLANEAMENTO E GESTÃO DE REDES
TRABALHO 02 - MRTG E NTOP
” REFERÊNCIAS ”

7. REFERÊNCIAS

• Página do Trabalho:

o http://www.inescporto.pt/~jneves/feup/2005-2006/mrsc/pgr/aulaPratica2-
mrtg.pdf

• Internet:

o APACHE: http://httpd.apache.org/

o MRTG: http://people.ee.ethz.ch/~oetiker/webtools/mrtg/

o IPERF: http://dast.nlanr.net/Projects/Iperf/

o OSSIM: http://www.ossim.net/download.php

o Cacti: http://www.cacti.net/

o Darkstat: http://dmr.ath.cx/net/darkstat/

PÁGINA 19 DE 21
MRSC - PLANEAMENTO E GESTÃO DE REDES
TRABALHO 02 - MRTG E NTOP
” ANEXO 1: FICHEIRO DE CONFIGURAÇÕES MRTG.CFG ”

ANEXO 1: Ficheiro de Configurações MRTG.CFG

As “interfaces” cuja as estatísticas não foram recolhidas (por não terem


cabos ligados fisicamente) foram removidas do ficheiro de confiração.

# Created by
# /usr/bin/cfgmaker --global 'Options[_]: bits,growright,nobanner,printrouter' 172.16.1.20

### Global Config Options


# for Debian
WorkDir: /var/www/mrtg

### Global Defaults

# to get bits instead of bytes and graphs growing to the right


# Options[_]: growright, bits

EnableIPv6: no
Options[_]: bits,growright,nobanner,printrouter

######################################################################
# System:
# Description: BayStack 420 HW:#21 FW:1.1.2.1 SW:v1.1.2.27
# Contact:
# Location:
######################################################################

### Interface 8 >> Descr: 'Nortel-Networks-BayStack-420-Ethernet-Switch-Module---Port-8' |


Name: 'ifc8 (Slot: 1 Port: 8)' | Ip: '' | Eth: '' ###

Target[172.16.1.20_8]: 8:public@172.16.1.20:
SetEnv[172.16.1.20_8]: MRTG_INT_IP="" MRTG_INT_DESCR="Nortel-Networks-BayStack-420-Ethernet-
Switch-Module---Port-8"
MaxBytes[172.16.1.20_8]: 12500000
Title[172.16.1.20_8]: Traffic Analysis for 8 --
PageTop[172.16.1.20_8]: <H1>Traffic Analysis for 8 -- </H1>
<TABLE>
<TR><TD>System:</TD> <TD> in </TD></TR>
<TR><TD>Maintainer:</TD> <TD></TD></TR>
<TR><TD>Description:</TD><TD>Nortel-Networks-BayStack-420-Ethernet-Switch-Module---Port-8
</TD></TR>
<TR><TD>ifType:</TD> <TD>ethernetCsmacd (6)</TD></TR>
<TR><TD>ifName:</TD> <TD>ifc8 (Slot: 1 Port: 8)</TD></TR>
<TR><TD>Max Speed:</TD> <TD>100.0 Mbits/s</TD></TR>
</TABLE>

### Interface 13 >> Descr: 'Nortel-Networks-BayStack-420-Ethernet-Switch-Module---Port-13' |


Name: 'ifc13 (Slot: 1 Port: 13)' | Ip: '' | Eth: '' ###

Target[172.16.1.20_13]: 13:public@172.16.1.20:
SetEnv[172.16.1.20_13]: MRTG_INT_IP="" MRTG_INT_DESCR="Nortel-Networks-BayStack-420-Ethernet-
Switch-Module---Port-13"
MaxBytes[172.16.1.20_13]: 12500000
Title[172.16.1.20_13]: Traffic Analysis for 13 --
PageTop[172.16.1.20_13]: <H1>Traffic Analysis for 13 -- </H1>
<TABLE>
<TR><TD>System:</TD> <TD> in </TD></TR>
<TR><TD>Maintainer:</TD> <TD></TD></TR>
<TR><TD>Description:</TD><TD>Nortel-Networks-BayStack-420-Ethernet-Switch-Module---Port-13
</TD></TR>
<TR><TD>ifType:</TD> <TD>ethernetCsmacd (6)</TD></TR>
<TR><TD>ifName:</TD> <TD>ifc13 (Slot: 1 Port: 13)</TD></TR>
<TR><TD>Max Speed:</TD> <TD>100.0 Mbits/s</TD></TR>
</TABLE>

### Interface 14 >> Descr: 'Nortel-Networks-BayStack-420-Ethernet-Switch-Module---Port-14' |


Name: 'ifc14 (Slot: 1 Port: 14)' | Ip: '' | Eth: '' ###

PÁGINA 20 DE 21
MRSC - PLANEAMENTO E GESTÃO DE REDES
TRABALHO 02 - MRTG E NTOP
” ANEXO 1: FICHEIRO DE CONFIGURAÇÕES MRTG.CFG ”

Target[172.16.1.20_14]: 14:public@172.16.1.20:
SetEnv[172.16.1.20_14]: MRTG_INT_IP="" MRTG_INT_DESCR="Nortel-Networks-BayStack-420-Ethernet-
Switch-Module---Port-14"
MaxBytes[172.16.1.20_14]: 12500000
Title[172.16.1.20_14]: Traffic Analysis for 14 --
PageTop[172.16.1.20_14]: <H1>Traffic Analysis for 14 -- </H1>
<TABLE>
<TR><TD>System:</TD> <TD> in </TD></TR>
<TR><TD>Maintainer:</TD> <TD></TD></TR>
<TR><TD>Description:</TD><TD>Nortel-Networks-BayStack-420-Ethernet-Switch-Module---Port-14
</TD></TR>
<TR><TD>ifType:</TD> <TD>ethernetCsmacd (6)</TD></TR>
<TR><TD>ifName:</TD> <TD>ifc14 (Slot: 1 Port: 14)</TD></TR>
<TR><TD>Max Speed:</TD> <TD>100.0 Mbits/s</TD></TR>
</TABLE>

### Interface 15 >> Descr: 'Nortel-Networks-BayStack-420-Ethernet-Switch-Module---Port-15' |


Name: 'ifc15 (Slot: 1 Port: 15)' | Ip: '' | Eth: '' ###

Target[172.16.1.20_15]: 15:public@172.16.1.20:
SetEnv[172.16.1.20_15]: MRTG_INT_IP="" MRTG_INT_DESCR="Nortel-Networks-BayStack-420-Ethernet-
Switch-Module---Port-15"
MaxBytes[172.16.1.20_15]: 12500000
Title[172.16.1.20_15]: Traffic Analysis for 15 --
PageTop[172.16.1.20_15]: <H1>Traffic Analysis for 15 -- </H1>
<TABLE>
<TR><TD>System:</TD> <TD> in </TD></TR>
<TR><TD>Maintainer:</TD> <TD></TD></TR>
<TR><TD>Description:</TD><TD>Nortel-Networks-BayStack-420-Ethernet-Switch-Module---Port-15
</TD></TR>
<TR><TD>ifType:</TD> <TD>ethernetCsmacd (6)</TD></TR>
<TR><TD>ifName:</TD> <TD>ifc15 (Slot: 1 Port: 15)</TD></TR>
<TR><TD>Max Speed:</TD> <TD>100.0 Mbits/s</TD></TR>
</TABLE>

### Interface 16 >> Descr: 'Nortel-Networks-BayStack-420-Ethernet-Switch-Module---Port-16' |


Name: 'ifc16 (Slot: 1 Port: 16)' | Ip: '' | Eth: '' ###

Target[172.16.1.20_16]: 16:public@172.16.1.20:
SetEnv[172.16.1.20_16]: MRTG_INT_IP="" MRTG_INT_DESCR="Nortel-Networks-BayStack-420-Ethernet-
Switch-Module---Port-16"
MaxBytes[172.16.1.20_16]: 12500000
Title[172.16.1.20_16]: Traffic Analysis for 16 --
PageTop[172.16.1.20_16]: <H1>Traffic Analysis for 16 -- </H1>
<TABLE>
<TR><TD>System:</TD> <TD> in </TD></TR>
<TR><TD>Maintainer:</TD> <TD></TD></TR>
<TR><TD>Description:</TD><TD>Nortel-Networks-BayStack-420-Ethernet-Switch-Module---Port-16
</TD></TR>
<TR><TD>ifType:</TD> <TD>ethernetCsmacd (6)</TD></TR>
<TR><TD>ifName:</TD> <TD>ifc16 (Slot: 1 Port: 16)</TD></TR>
<TR><TD>Max Speed:</TD> <TD>100.0 Mbits/s</TD></TR>
</TABLE>

### Interface 18 >> Descr: 'Nortel-Networks-BayStack-420-Ethernet-Switch-Module---Port-18' |


Name: 'ifc18 (Slot: 1 Port: 18)' | Ip: '' | Eth: '' ###

Target[172.16.1.20_18]: 18:public@172.16.1.20:
SetEnv[172.16.1.20_18]: MRTG_INT_IP="" MRTG_INT_DESCR="Nortel-Networks-BayStack-420-Ethernet-
Switch-Module---Port-18"
MaxBytes[172.16.1.20_18]: 12500000
Title[172.16.1.20_18]: Traffic Analysis for 18 --
PageTop[172.16.1.20_18]: <H1>Traffic Analysis for 18 -- </H1>
<TABLE>
<TR><TD>System:</TD> <TD> in </TD></TR>
<TR><TD>Maintainer:</TD> <TD></TD></TR>
<TR><TD>Description:</TD><TD>Nortel-Networks-BayStack-420-Ethernet-Switch-Module---Port-18
</TD></TR>
<TR><TD>ifType:</TD> <TD>ethernetCsmacd (6)</TD></TR>
<TR><TD>ifName:</TD> <TD>ifc18 (Slot: 1 Port: 18)</TD></TR>
<TR><TD>Max Speed:</TD> <TD>100.0 Mbits/s</TD></TR>
</TABLE>

PÁGINA 21 DE 21