Você está na página 1de 7
ESTADO DE MATO GROSSO. ; SECRETARIA DE ESTADO DE CIENCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITARIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENEARIA CIVIL Teoricos Consistem naqueles métodos onde a capacidade de carga ¢ estimada através das teorias desenvolvidas na Mecdnica dos Solos. Semi-empiricos Neste tipo de método primeiro as propriedades dos solos sao estimadas a Partir de correlagdes dos resultados obtidos em ensaios in sifu de penetragao. Apos obtencao destes dados (propriedades resistivas do solo), eles sao aplicados a formulagées tedricas para estimativa da capacidade de carga 1.3.2.2 Dinamicos Provas de carga para fundagées superficiais * NBR 6489:1984 - Prova de carga direta sobre terreno de fundagaio Provas de carga para fundagées profundas . NBR 12131:2006 — Estacas - Prova de carga estatica - Método de ensaio . NBR 13208:2007 — Estacas - Ensaio de Carregamento Dinamico 2 FUNDAGOES SUPERFICIAIS 2.4 Definigao Elementos de fundagéo em que a carga é transmitida ao terreno, predominantemente pelas pressées distribuidas sob a base da fundacac, e em que a profundidade de assentamento em relacao ao terreno adjacente ¢ inferior a duas vezes a menor dimensao da fundagao. Incluem-se neste tipo de fundacdo as sapatas, os blocos, os radier, as sapatas associadas, as vigas de fundacdo e as. sapatas corridas. 2.2 Classificagao segundo a Hipstese de Calculo 22.1 Rigidas Sao aqueles tipos de fundagdes superficiais cujos elementos séo dimensionados sem considerar a deformacao da superficie de transmisséo de cargas ao solo, por este motivo o material empregado em sua confeccdo resiste apenzs ao esforgo de compressdo. Isso é possivel somente porque a altura do elemento € dimensionada de forma que evite 0 colapso do mesmo quando submetido aos esforgos internos de tracdo provocados pelo desempenho de suas fungdes. 2.2.2 Flexiveis S80 aqueles tipos de fundagdes superficiais cujos elementos sao dimensionados considerando a deformago da superficie de transmissdo de cargas do elemento de fundagao ao solo, por este motivo o material empregado em sua confeceo deve resistir tanto aos esforgos de compressdo quanto de tragao. Isso é possivel com o emprego do concreto armado, onde o aco posicionado proximo a base 6 responsavel por absorver os esforcos intemos de trago a0 qual o elemento encontra-se submetido quando desempenhando sua fungao. O emprego da ESTADO DE MATO GROSSO * gare SECRETARIA DE ESTADO DE CIENCIAE TECNOLOGIA & UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITARIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL armacura de ago em conjunto com 0 conereto permite que a altura do elemento de fundagao seja reduzida em aproximadamente 60% em relagdo a necessaria para elementos rigidos. 2.3 Capacidade de Carga e Tensao Admissivel Tensao aplicada por uma fundagéo superficial ao terreno, provocando apenas fecalques que a construcéo pode suportar sen inconvenientes e oferecendo, simultaneamente, seguranga satisfatoria contra a ruptura ou 0 escoamento do solo ou do elemento estrutural de fundagao. 2.4 Principais Tipos de Projetos de Fundagées Superficiais: Blocos Elemento de fundagao superficial de concreto, dimensionado de modo que as tenses de tragéo nele produzidas possam ser resistidas pelo corcreto, sem necessidade de armadura. Pode ter suas faces verticais, inclinadas ou escalonadas © apresentar normalmente em planta segao quadrada ou retangular. Sapatas Elemento de fundacao superficial de concreto armado, dimensionado de modo que as tensdes de tragao nele produzidas nao sejam resistidas pelo concreto, mas sim pelo emprego da armadura. Pode possuir espessura constante ou variavel sendo sua base em planta normalmente quadrada, retangular ou trapezoidal Radier Elemento de fundagao superficial que abrange todos os pilares da obra ou carregamentos distribuidos (por exemplo: tanques, depésitos, silos, etc.) 3 FUNDACOES PROFUNDAS 3.1 Definigao Elemento de fundagao que transmite a carga ao terreno pela base (resisténcia de ponta), por sua superficie lateral (resisténcia de fuste) ou por uma combinagao das duas, e que esté assente em profundidade superior ao dobro de sua menor dimens&o em planta, e no minimo 3m, salvo justificativa. Neste tipo de fundagao incluem-se as estacas, os tubulbes os caixdes 3.2 Principais Elementos: 3.24 Estacas Definic&o Elemento de fundagao profunda executado inteiramente por equipamentos ou ferramentas, sem que, em qualquer fase de sua execugdo, haja descida de operdrio, Os materiais empregados podem ser: madeira, aco, concreto pré-moldado, conoreto moldado in situ ou mistos. Transmissao dos esforgos para o solo ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIENCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITARIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL, Principais tipos: Estacas de madeira Troncos de arvores cravados no solo por meio de bate-estacas Estacas metélicas Perfis metdlicos alongados de diferentes formas de segées transversais cravacos no solo por meio de bate-estacas. Estacas pré-moldadas de concreto Perfis de concreto alongados, podendo ser simplesmente aimados ou protendidos, que s4o cravados no solo por meio de bate-estacas. Estacas mega Perfis que podem ser tanto metalicos quanto de concreto (simplesmente armados ou protendidos) que so cravados sucessivamente no solo por meio de macaco hidraulico Brocas Estacas moldadas in loco sem molde através de perfuragdo do terreno com um trado e posterior concretagem apiloada Strauss Estacas moldadas in loco com revestimento metalico recuperavel cuja ponta dentaca que serve como perfurador durante 0 estégio de escavagdo do terreno. Apés a escavagao, é inserido uma camada de concreto de 1 metro que é fortemente apiloado para que forme uma base alargada na ponta da estaca, sé entao Prossegue-se a colocagao das armaduras e entac concretagem apiloada enquanto retira-se as camisas metalices. Como as Strauss, sao estacas moldadas in loco com revestimento metélico recuperavel que serve como perfurador. A diferenca entre as duas é que no caso das estacas Franki este revestimento tem sua ponta selada por uma bucha de concreto seco, areia e brita, fazendo com que seu processo nao seja uma escavagao, j4 que nao ha retirada de material do solo durante, mas sim uma cravaco. Apés atingir a camada de solo desejada, a bucha é expulsa do evestimento metalico por golpes de pilao e fortemente socada contra o solo para formar uma base alargada. S6 entéo prossegue-se a colocagao das almaduras e entao concretagem apiloada enquanto retira-se as camisas metalicas.