Você está na página 1de 4

O relevo e a diversidade do clima são fatores que determinam a sua

cobertura vegetal. No norte da Ásia onde o clima é frio, co


temperaturas que tem em determinado locais chegam a 70°C.
Encontramos dois tipos de vegetação: a tundra, nas regiões onde
predomina o frio polar, e a floresta de taiga, onde existe a ocorrência
do frio continental.
A Tundra é formada por liquens e musgos; é bastante pobre e passa
a maior parte do tempo congelada. No alto verão, quando ocorre o
degelo, a Tundra ressurge com flores.
A Taiga tem, como espécies predominantes, formações florestais que
possuem folhas pontiagudas, em forma de agulha para diminuir a
perda da água, como o pinheiro.
A Taiga siberiana é bastante explorada e dela se retira
principalmente a madeira para a fabricação de papel.
As estepes e pradarias aparecem nas áreas próximas aos desertos.
São espécies rasteiras de gramíneas, com poucos arbustos.
As gramíneas servem de alimento para os rebanhos de ovinos e
caprinos. A vegetação de deserto aparece onde as condições de
aridez são muito acentuadas; constitui-se de plantas rasteiras e
arbustos isolados. Esta vegetação é chamada de xerófila. Nas ilhas de
maior umidade, aparece os oásis, com tamareiras e outras espécies
típicas.
As florestas tropicais e equatoriais aparecem nas regiões próximas ao
Equador que apresentam elevadas temperaturas e altos índices
pluviométricos, como: Península Malaia, Península da Indochina, uma
parte da índia e nas ilhas Sumatra, Bornéo, Nova Guiné e Filipinas.
Devido às altas temperaturas e a umidade, a Ásia Equatorial e Ásia
das Monções apresentavam uma vegetação original densa e com
árvores de grande altura. Estas florestas foram tão exploradas pelo
homem que modificaram o ecossistema. A Savana aparece nas áreas
vizinhas as florestas tropicais e equatoriais.
A Floresta subtropical e temperada ocorre em áreas do território
chinês, Coréia do Norte e Coréia do Sul e no Japão. Estas florestas
também sofreram intensa exploração e ocupação humana.
Vegetação

A flora da Oceania também é muito variada.


Devido a grande extensão e aos diferentes
climas, a maior diversidade é registrada na
Austrália, que possui desde plantas xerófitas
até selva tropical, passando por especies
mediterrânneas e de altitude e por sua
árvore nacional, o eucalípito.
Na Austrália o quadro vegetal reflete as
condições climáticas, observando-se a
ocorrência de florestas tropicais, no domínio
tropical úmido; savanas, no domínio
tropical; floretas subtropicais ou florestas de
eucalípito, no domínio subtropical e
temperado e estepes, nos domínios árido e
semi-árido.
As árvores predominantes são o eucalípito e
a acácia, que cresce no sudeste e na
Tasmânia, no norte encontra-se palmeiras e
pteridófitas. Também há presença de
florestas de carvalhos freixos, sedros e
pinheiros introduzidos artificialmente. Já no
interior a vegetação é semelhente a de
estepe, com ervas e plantas espinhosas.
Já a Nona Zelândia teve sua rica flora
devastada pelos colonizadores que
buscavam abrir espaços para a agricultura e
para a pecuária. No oeste da ilha do sul
restam florestas de espécies valiosas como:
kauri,rimu, totaro e kaikatera. Nas encostas
foram introduzidas coníferas, faias e
louleiros. As planícies são cobertas por
pastos naturais e artificias.
A Papua Nova Guiné corresponde a quase
70% do território e é formado por florestas
tropicais. Nas encostas há coníferas e
espécies caducifólicas.

Vegetação
A maior parte da cobertura vegetal que revestia a América Latina até o século XVI já
não existe mais. A vegetação somente foi preservada nos locais de pequeno interesse
econômico ou em áreas de relevo abrupto. Mas, mesmo assim, é muito fácil reconstituir
a formação vegetal primitiva, uma vez que ela era resultado do clima e do tipo de solo
em que se desenvolveu. Assim, é possível identificar na região:[12]

A Floresta Amazônica, a mais rica e biodiversa floresta tropical do mundo.


• Vegetação de clima equatorial: florestas da Amazônia e de parte da América
Central. São florestas emaranhadas, formadas por árvores de diversas alturas, de
folhas largas, recobertas e circundadas por uma infinidade de trepadeiras e
formações vegetais variadas, de tal maneira densas que até mesmo a luz do Sol
tem dificuldade em atravessá-las.[14]
• Vegetação de clima tropical: florestas ou savanas, na maior parte da América
Central e nas partes norte e central da América do Sul. As áreas mais úmidas são
recobertas por densas e emaranhadas florestas nas regiões menos úmidas, ganha
destaque a savana, constituída por árvores baixas e arbustos associados a uma
vegetação rasteira, como o cerrado no Brasil, os Llanos na Venezuela e o Chaco
na Argentina e no Paraguai. Nas áreas de clima tropical semiárido aparece uma
vegetação ainda mais rarefeita, como é o caso da caatinga brasileira.[15]

O pinheiro-do-paraná só é encontrado na América Latina.


• Vegetação de clima temperado: florestas temperadas ou subtropicais e pampas
na Argentina, no Uruguai, Chile e sul do Brasil. As primeiras são matas de
pinheiros, geralmente associados a outras espécies; os pampas constituem uma
área de vegetação rasteira, excelente pastagem natural.[16]
• Vegetação de clima frio: coníferas no sul da Argentina e do Chile. Trata-se de
uma formação florestal arbórea, com plantas que apresentam folhas muito duras
e pontiagudas (aciculifoliadas).[16]
• Vegetação de altas montanhas: Nos Andes, a vegetação apresenta variações
devido às elevadas altitudes, que ocasionam temperaturas mais baixas e
pluviosidade reduzida.[16]
• Vegetação de clima desértico: Constituída principalmente por espécies
arbustivas e xerófilas, caracteriza-se por ser uma formação vegetal muito
esparsa. As punas do deserto de Atacama, no Chile e no Peru, sobressaem dentre
as demais formações desérticas da América Latina, pois a altitude do relevo faz
de sua área de ocorrência um deserto frio.[16]

[editar] Regiões