P. 1
Ação de execução para entrega de coisa certa

Ação de execução para entrega de coisa certa

|Views: 6.367|Likes:
Publicado porMabbee

More info:

Published by: Mabbee on May 18, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/15/2015

pdf

text

original

1

Ação de execução para entrega de coisa certa.

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA ..... VARA CÍVEL DA COMARCA DE ....., ESTADO DO ..... ....., brasileiro (a), (estado civil), profissional da área de ....., portador (a) do CIRG n.º ..... e do CPF n.º ....., residente e domiciliado (a) na Rua ....., n.º ....., Bairro ....., Cidade ....., Estado ....., por intermédio de seu (sua) advogado(a) e bastante procurador(a) (procuração em anexo - doc. 01), com escritório profissional sito à Rua ....., nº ....., Bairro ....., Cidade ....., Estado ....., onde recebe notificações e intimações, vem mui respeitosamente à presença de Vossa Excelência propor AÇÃO DE EXECUÇÃO PARA ENTREGA DE COISA CERTA em face de ....., brasileiro (a), (estado civil), profissional da área de ....., portador (a) do CIRG n.º ..... e do CPF n.º ....., residente e domiciliado (a) na Rua ....., n.º ....., Bairro ....., Cidade ....., Estado ....., pelos motivos de fato e de direito a seguir aduzidos. DOS FATOS Na data de ...... de ................... de ........., o exequente realizou com o executado Contrato de Compra e Venda de Estabelecimento Comercial com instalações completas e estoque, por permuta de imóvel (doc. Anexo ........). Neste contrato, o exequente figura como vendedor do estabelecimento comercial. De acordo com as cláusulas do referido contrato, o executado se obrigou a pagar o exequente a quantia de R$ ...... pelo estabelecimento e o fundo do comércio. Este valor seria pago pelo executado através da transferên do lote de terreno constante cia em seu nome, avaliado em R$ ......., ficando o exequente obrigado a efetuar a devolução da quantia de R$ ....... Por conseguinte, o exequente cumpriu com todas as obrigações que lhe cabiam, ou seja, entregou o estabelecimento comercial ao executado e ainda fez o pagamento dos R$ ...... Tal transação originou a procuração (doc. .........) registrada no Cartório Registral do ........., livro ........., folha ......., na firmada pelo executado e sua esposa: "....... e sua esposa conferem amplos, gerais e irrevogáveis, e ilimitados poderes ao Sr. ............................ para vender, ceder, alugar, administrar, doar, permutar, transferir ou de qualquer outra forma alienar ou onerar a quem quiser, pelo preço, modo e condiçõ que es convencionar o imóvel acima qualificado, independente de prestação de contas." Todavia, o executado não cumpriu a cláusula que previa a entrega imediata do lote. Desta feita, após sucessivas tentativas infrutíferas de negociação, o exequente, atrav deste és escritório de assistência judiciária gratuita, efetuou Notificação Extrajudicial (doc. .........) na data de ...... de ............. de .........., a fim de que o executado procedesse a desocupação do LOTE nº ........., da quadra nº .........., localizado no lugar denominado ........, nesta Cidade, com área total de ........... metros quadrados. Ato contínuo, o exequente e os executados compareceram na data de ...... de ................. de .......... na Defensoria Pública do .................. para solucionarem a lide. Com efeito, foi acordado entre as partes, conforme Termo de Acordo (doc. .........), que seria realizada a avaliação do terreno e venda pelo prazo máximo e improrrogável de ....... (................) dias. Assim, seria restituído ao exequente o valor de R$ .............. (..........................................), ficando o executado comprometido a honrar as prestações remanescentes e vindouras do financiamento sobre o imóvel até a venda deste. Ocorre que o bem não foi vendido e o executado não pagou regularmente as prestações do

2
imóvel, motivo pelo qual, conforme parte final do Termo de Acordo deixa o mesmo de ter validade. "Se não houver venda do imóvel no prazo acima estipulado (90 dias), este TERMO DE ACORDO deixará de valer." Desta forma o exequente propõe, agora com base no art. 621 e seguintes do CPC, a presente Ação de Execução fundada no contrato de permuta do imóvel firmado em ...... de .................. de ........., que prevê, no item a da cláusula segunda, a entrega do lote de terreno com ........ m2, contendo uma casa residencial mista com ........ m2, sito à rua .............. nº ......., nesta Cidade, bem como a devida transferência do domínio do mesmo, conforme procuração por instrumento público ora juntada. DO DIREITO 1. ANTECIPAÇÃO DA TUTELA JURISDICIONAL - IMISSÃO DE POSSE Como já exposto na narração dos fatos, o executado não cumpriu com sua obrigação de adjudicar o imóvel em favor do exequente, bem como não está honrando com as prestações do financiamento sobre o imóvel. Diante desta situação, o exequente encontra -se desesperado, pois teme perder a única garantia da transação realizada. Desta feita, requer a antecipação dos efeitos da tutela jurisdicional a fim de que se conceda a ordem de imissão de posse em favor do Exequente, bem como seja determinada a transferência do imóvel junto a ............, permitindo-se ao exequente que efetue o pagamento das parcelas vencidas e das vincendas. O artigo 273 do Diploma Processual Civil estabelece os requisitos da concessão da antecipação da tutela pretendida: "Art. 273. ... § 7º Se o autor, a título de antecipação de tutela, requerer providência de natureza cautelar, poderá o juiz, quando presentes os respectivos pressupostos, deferir a medida cautelar em caráter incidental do processo ajuizado." Destaquei 2. DOS PRESSUPOSTOS DA MEDIDA LIMINAR DOS "FUMUS BONI IURIS" A "fumaça do bom direito" evidencia-se pela agressão clara aos princípios norteadores do Direito Civil, mormente o do "pacta sunt servanda". Com efeito, o princípio civilista seria respeitado se o executado tão somente tivesse cumprido sua obrigação de adjudicar o imóvel em favor do exequente. Frise-se que os documentos instrutórios fazem prova da transação realizada e das obrigações assumidas pelas partes. Deste modo, torna-se flagrante e patente a caracterização do pressuposto da "fumaça do bom direito". O Prof. SOUTO MAIOR cita o entendimento da doutrina especializada do ilustre Prof. MARINONI, corroborada pelo festejado mestre PONTES DE MIRANDA, que assevera a importância do deferimento da medida antecipatória nos casos em que a parte não cumpriu com a obrigação assumida: "Essa tutela cautelar satisfativa não se confundia com a antecipação da executividade da tutela. Conforme esclarece Luiz Guilherme Marinoni, "Quando a ação é executiva não existe condenação ou ordem, como disse Pontes de Miranda, na ação executiva quer se mais: quer-se o ato do juiz, fazendo não o que devia ser feito pelo juiz como juiz, mas sim o que a parte deveria ter feito". Destaquei (SOUTO MAIOR, Jorge Luiz. "Observações sobre a tutela antecipatória no direito processual civil", Revista Trabalho & Doutrina, nº 08, mar/96, p. 116). Desta feita, é imperioso o deferimento da antecipação da tutela no caso em tela, visto que o executado não cumpriu com sua obrigação de adjudicar o bem em favor do exequente,

)... 4.. na acepção jurídica do termo... A concessão da antecipação dos efeitos da tutela jurisdicional. . DA EXECUÇÃO O contrato de compra e venda de estabelecimento comercial por permuta de imóvel constitui título executivo extrajudicial.CÁLCULOS ARITMÉTICOS .. nos termos do art.. a fim de que se conceda a ordem de imissão de posse em favor do Exequente... Se o contrato juntado aos autos da ação executiva revela o valor e a forma de pagamento do serviço... com base no disposto nos art. do Código de Processo Civil.. pois não foi paga a obrigação ao exequente.3 mesmo possuindo diversas oportunidades para tanto. ou em sua presença.06...060/50. Recurso Especial provido.... relatada pelo Ministro José Delgado.DOCUMENTO PÚBLICO . 00188) JCPC 585 JCPC 585..não forem pagas.. é maestra em demonstrar a liquidez do título quando juntado aos documentos instrutórios o contrato que revela o valor e a forma de pagamento da transação: "116029306 . o exequente perderá o Único bem que garante o cumprimento da obrigação do executado.. DOS PEDIDOS Diante do exposto. II" destaquei.De acordo com o disposto no art. no total . com a respectiva chancela. Temse. pois o valor devido foi arbitrado em Contrato de Compra e Venda com anuência e declaração de vontade de ambas as partes. 585 e seguintes do Código de Processo Civil. pela Defensoria Pública ou pelos advogados dos transatores". certo e exigível"... o documento particular assinado pelo devedor e por duas testemunhas. corroborado por notas fiscais demonstrando sua realização.LIQUIDEZ DO TÍTULO .. o imóvel sofrerá constrição judicial por parte da Imobiliária Intermediária do financiamento realizado.MG 1ª T. O presente título apresenta todas as características exigidas: é liquido.. concretizando o direito devido ao exequente. Min... 3.PROCESSUAL CIVIL ... Consoante precedentes jurisprudênciais desta Corte.. satisfeitos os dois requisitos exigidos pelo Código para que se possa realizar a execução do devedor: o inadimplemento. A melhor interpretação para a expressão documento público é no sentido de que tal documento é aquele produzido por autoridade...DJU 09. DO "PERICULUM IN MORA" O "perigo na demora" materializa-se no fato de que. a simples necessidade de realização de cálculos matemáticos para se chegar ao montante real da dívida não possui o condão de retirar a liquidez do título... o instrumento de transação referendado pelo Ministério Público... se as parcelas vencidas . José Delgado .. o contrato de prestação de serviço firmado com a administração pública é documento público.Rel. Desta forma. requer: I. (. 585. Destarte. pelo fato do exequente ser pobre... 585. perfazendo o total de R$ . 586 do CPC consagra o seguinte princípio: "A execução para cobrança de crédito far-se-á sempre em título líquido. portanto.2003 . e a existência de título executivo.RESP 487913 .. A jurisprudência do Supremo Tribunal de Justiça. II. valor certo e exigível. Deste modo.. do CPC. perde subsistênci o argumento de incerteza e iliquidez do a título.PRECEDENTES DESTA CORTE . bem como seja determinada a .... desde que tenha competência para tanto... O deferimento do pedido liminar evitará sérios danos e prejuízos de difícil reparação. consideram-se títulos executivos extrajudiciais: "a escritura pública ou outro documento público assinado pelo devedor. II... requer seja realizada a Execução de Título Extrajudicial para entrega de coisa certa.TÍTULOS EXECUTIVOS EXTRAJUDICIAIS .. hábil a embasar a competente ação de execução.. O art... representado pelo instrumento de contrato anexo. (STJ . Os benefícios da Justiça Gratuita com fulcro na Lei 1.. II.p...

direitonet.Credor que tem o seu crédito garantido por hipoteca sobre os bens do devedor. vem propor contra ______ e sua mulher.É a pessoa a quem fica estabelecido o penhor de coisa móvel como garantia.º na OAB. residentes nesta cidade____________ (endereço). bem assim ao pagamento das custas processuais e honorári os de advogado arbitrados em ______Sem recurso. constante de título executivo. [Assinatura do Advogado] [Número de Inscrição na OAB] EXECUÇÃO PARA ENTREGA DE COISA CERTA EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DA COMARCA _______ (mínimo 12 espaços) (Nome e qualificação). adjudicando e entregando o imóvel em favor do exequente no prazo de 10 dias. Dá-se à causa o valor de R$ _________ (________________). entregarem o bem ou. Dá-se à causa o valor de R$ .br Credor pignoratício . apresentarem embargos. seguro o juízo (art. Assinatura com n.. requer a citação dos demandados. nos mesmos autos se processe a execução da quantia que se apurar em liquidação. Credor pignoratício . com expedição de mandado. na forma do art. II ). Pede Deferimento.. sendo portanto. ainda que. ação de execução para entrega de coisa certa e cobrança de quantia a ser liquid ada. Nesses Termos.com. ou... a saber (descrição do bem).. no decêndio legal. [dia] de [mês] de [ano]. intentada neste juízo (Cartório do Ofício). ____________ de ____________ de 20____. apresentar embargos (art..Pessoa que possui um título de penhor instituído em seu favor. dentro de 10 dias. 621). será citado para. 737. 2. 652 do Código de Processo Civil. Requer. satisfazer a obrigação. permitindo-se ao exequente que efetue o pagamento das parcelas vencidas e das vincendas.4 transferência do imóvel junto a .. A citação dos executados para que cumpram a obrigação constante no Contrato de Compra e Venda. III. fixando-se multa diária para o caso de descumprimento da obrigação. levantado o valor das custas e dos honorários.. para. Em ação de ______. por seu advogado abaixo assinado. quem conta com o benefício deste penhor. os demandados foram condenados a entregar o objeto da demanda. Para isto expõe e requer o seguinte: 1. Credor hipotecário . Assim exposto. O devedor de obrigação de entrega de coisa certa.. [Local]. . a sentença passou em julgado. mediante o respectivo depósito.

c) pelo implemento de condição resolutiva estabelecida pelo instituidor. d) pela cessação da causa de que se origina. por ato jurídico inter vivos ou causa mortis. juros e capital. É o direito real sobre imóvel alheio. inalienável e impenhorável. 3) quanto a sua extensão. subdivide-se em próprio (é o que tem por objeto coisas inconsumíveis e infungíveis. . na sua totalidade. e) pela destruição da coisa não sendo fungível. em virtude do qual o credor obtém a posse da coisa a fim de perceber-lhe os frutos e imputá-los no pagamento da dívida. ainda. intransmissivel. dos frutos e das utilidades de uma coisa alheia. sem exceção que a coisa produz) ou restrito (se se excluem do gozo do bem algumas de suas utilidades). porém. Usufruto é o direito real conferido a alguém de retirar. os imóveis. o credor anticrético só poderá aplicar as rendas que auferir com a retenção do bem de raiz. requer escritura pública e inscrição no Registro Imobiliário. O usufrudo extingue-se: a) pela morte do usufrutuário. 4) quanto a sua duração. é um direito real de garantia. quando o testador grava.Pessoa favorecida com usufruto. por sub-rogação real. ocorre na sucessão hereditária. pela renúncia do anticretista. b) pelo advento do termo de sua duração. pelo término do prazo legal. Usufrutuário . b) pleno (quando abranger todos os frutos e utilidades. não confere preferência ao anticresista. por usucapião ou por sentença. percebe os seus frutos para conseguir a soma em dinheiro emprestada. pode. sendo. quando o anticrético não opuser seu direito de retenção. imputando na dívida e até o seu resgate. Resolve-se a anticrese pelo pagamento da dívida. pode ser temporário (quando sua duração se submete a prazo preestabelecido. da coisa alheia os frutos e utilidades que ela produz. como o patrimônio) ou particular (quando tem por objeto uma ou várias coisas individualmente determinadas). retendo um imóvel do devedor. temporário.5 Anticrese é uma convenção mediante a qual o credor. permitido estipular que os frutos sejam. pela excussão de outros credores. sem alterar-lhe a substância. comumente. Quanto aos caracteres jurídicos. percebidos à conta de juros. apresenta-se como: a) universal (é o que recai sobre uma universalidade de bens. requer capacidade das partes. as importâncias que for recebendo. gravar direitos. pelo perecimento do bem anticrético. no pagamento da obrigação garantida. o seu objeto recai sobre coisa imóvel alienável. É um direito real sobre a coisa alheia. temporariamente. pela desapropriação. cujas substâncias podem ser conservadas e restituídas ao nu proprietário) ou impróprio ( é o que recai sobre bens consumíveis ou fungíveis. Seu objeto poder ser os bens móveis infungíveis e inconsumíveis. São espécies de usufruto: 1) quanto à origem pode ser legal (quando for instituído por lei em benefício de determinadas pessoas) ou convencional (ocorre quando um direito real de gozar e usar. requer a tradição real do imóvel. por exemplo. Constitui-se o usufruto por lei. advém de um ato jurídico inter vivos (um contrato) ou causa mortis (testamento)). extinguindo-se com sua verificação) ou vitalício (perdura até a morte do usufrutuário). parte de seu patrimônio com o ônus do usufruto. pode ter ainda como objeto um patrimônio. desde que sejam tranamissíveis. 2) quanto ao seu objeto. temporariamente. no todo ou em parte. o que.

382-2006) § 1º .Prestado o fato. i) pela renúncia. o concorrente. Parágrafo único . por exemplo.382-2006) § 5º . . o devedor não satisfizer a obrigação. (Alterado pela L 005. é lícito ao juiz.382-2006) (Alterado pela L-005. (Alterado pela L-005.grau.No dia. dentro de 5 (cinco) dias. (Alterado pel a L-005.Se o fato puder ser prestado por terceiro. onde não podia. abertas as propostas. g) pela prescrição.Se o credor não exercer a preferência a que se refere o Art. (Alterado pela L-005. Art. requerer que ela seja executada à custa do devedor.4: Execução de Obrigação de Fazer Art. obrigar se-á. 637.O credor adiantará ao contratante as quantias estabelecidas na proposta aceita. (Alterado pela L-005.382-2006) § 3º . (Alterado pela L -008.382-2006) obs. decidirá a impugnação. 635 . dará por cumprida a obrigação.925-1973) Parágrafo único. referida nos §§ 4º e 5º. se outro não estiver determinado no título executivo. o devedor será citado para satisfazê -la no prazo que o juiz lhe assinar. Construiu um muro.Se. no prazo fixado. em caso contrário. Art. cuja proposta foi aceita. 634 .dji. mandando em seguida expedir edital de concorrência pública. reverterá em benefíc io do credor. O que era não fazer e é descumprido.925-1973) (Revogado pela L-011. a prestar o fato sob pena de perder a quantia caucionada.382-2006) § 2º . 633 .O juiz nomeará um perito que avaliará o custo da prestação do fato. a requerimento do exeqüente. h) por culpa do usufrutuário. contrata -se outro. não havendo impugnação.925-1973)(Revogado pela L011. ( Alterado pela L-011. Não é usual à utilização destes tipos de obrigação.6 f) pela consolidação.925-1973) (Revogado pela L-011. (Alterado pela L-005. decidir que aquele o realize à custa do executado. j) pela resolução do domínio de quem os constituiu. com o prazo máximo de 30 (trinta) dias.925-1973) (Revogado pela L-011.382-2006) § 4º . escolherá o juiz a mais vantajosa.925-1973) (Revogado pela L-011. que o juiz estabelecerá a título de caução.925-1973) (Revogado pela L-011.As propostas serão acompanhadas de prova do depósito da importância. caso em que ela se converte em indenização.No caso de descumprimento da obrigação assumida pelo concorrente ou pelo contratante. seguindo-se a execução para cobrança de quantia certa. 632 . O exeqüente adiantará as quantias previstas na proposta que. se torna obrigação de fazer. Se o prestador não pintar o muro.382-2006) § 7º .953-1994) Art. o juiz ouvirá as partes no prazo de 10 (dez) dias. por termo nos autos. A obrigação de fazer é a instituída em contrato ou estabelecida pelo Juiz. (Alterado pela L-005. ouvidas as partes.9251973) (Revogado pela L-011. é lícito ao credor.382-2006) § 6º . o juiz houver aprovado. lugar e hora designados. (Acrescentado pela L-011.O valor das perdas e danos será apurado em liquidação. tem que derrubar o murro. a caução. DA EXECUÇÃO DAS OBRIGAÇÕES DE FAZER E NÃO FAZER ART.Quando o objeto da execução for obrigação de fazer. ou haver perdas e danos.Ao assinar o termo o contratante fará nova caução de 25% (vinte e cinco por cento) sobre o valor do contrato. nos próprios autos do processo. 632.

232-2005) DOS EMBARGOS DO DEVEDOR gênero "Denomina-se embargos de terceiro o remédio processual posto à disposição de quem.Tratando-se de contrato. em casos como o de penhora. tem natureza cognitiva. partilha (art.232-2005) Art. por não ser executivo o titulo apresentado. Parágrafo único . inventário. Parágrafo único . contados da apresentação da proposta pelo terceiro (art. ou de outro direito. uma vez transitada em julgado. em igualdade de condições de oferta.Condenado o devedor a emitir declaração de vontade. as obras e trabalhos necessários à prestação do fato. a obrigação pessoal do devedor converter -se-á em perdas e danos. aplicando-se outrossim o disposto no Art. nem a ofer ecer.Nas obrigações de fazer. Parágrafo único . 639 . (Revogado pela L-011. arrecadação. autônoma. depósito. que tenha por objeto a transferência da propriedade de coisa determinada. . a ação não será acolhida se a parte. No processo de execução não há discussão do mérito. nos casos e formas legais. alienação judicial.7 Art. ou a repará-lo. 745 CPC I Dos embargos à execução: nulidade da execução. ou se o praticar de modo incompleto ou defeituoso. quando for convencionado que o devedor a faça pessoalmente.O direito de preferência será exercido no prazo de 5 (cinco) dias.Se o contratante não prestar o fato no prazo. 641 . 636 .046). 637 . que o autorize a concluí-lo. O contraditório ocorre nos embargos. a outra parte. o juiz mandará avaliar o custo das despesas necessárias e condenará o contratante a pagá -lo. salvo se ainda não exigível . sofrer turbação ou esbulho na posse de seus bens por ato de apreensão judicial. o credor poderá requerer ao juiz que lhe assine prazo para cumpri-la. não cumprir a sua prestação. produzirá todos os efeitos da declaração não emitida. Ex: cheque prescrito II III penhora incorreta ou avaliação errônea. a sentença. ao terceiro." Espécies: y y y Dos embargos à execução contra a fazenda pública Embargos à execução Dos embargos na execução por carta Artigo 736 CPC embargos do devedor É uma Ação. não sendo parte no processo.Se aquele que se comprometeu a concluir um contrato não cumprir a obrigação. (Revogado pela L-011. poderá obter uma sentença que produza o mesmo efeito do contrato a ser firmado. no prazo de 10 (dez) dias. (Revogado pela L-011. poderá o credor requerer ao juiz. parágraf o único).232-2005) Art. terá preferência. ou mandar executar. arrolamento. sendo isso possível e não excluído pelo título. arresto.Havendo recusa ou mora do devedor.Se o credor quiser executar. seqüestro. por conta do contratante. incidental. sob sua direção e vigilância. Art.Ouvido o contratante no prazo de 5 (cinco) dias. que a intentou. 638 . Art. 633. 640 . 634. excesso de execução ou cumulação indevida de execuções. 1.382-2006) Art. É uma defesa do executado. (Alterado pela L-011.

é independente a contagem do prazo. uma vez opostos era recebido no efeito suspensivo. nos casos de titulo para entrega da coisa ce rta. ARTIGO 738 CPC Os Embargos serão oferecidos no prazo de 15 dias. 330) ou designará audiência de conciliação. PARAGRAFO ÚNICO: No caso de embargos manifestamente protelatórios. Deprecante Curitiba . avaliação ou alienação dos bens.processo Deprecado Florianópolis . ART. regra geral. IV V retenção por benfeitorias necessárias ou uteis. . não cessa a execução. para opor embargos deveria o executado garantir o juízo. O exeqüente é chamado de embargado. e os embargos não são recebidos no efeito suspensivo. 295) quando manifestamente protelatórios. ado é quem recebe. multa ao embargante em valor não superior a 20% do valor em execução. vai pedir efeito suspensivo e garantir juízo. ARTIGO 739 A os embargos do executado não terão efeito suspensivo. qualquer matéria que lhe seria licito deduzir como defesa em processo de conhecimento. ARTIGO 739 O JUIZ REJEITARÁ LIMINARMENTE OS EMBARGOS I II III quando intempestivos. PARAGRAFO SEGUNDO: ante pratica ação. Exceção:Mas. nos embargos ele é chamado de embargante. em favor do exeqüente. proferindo. juntado do mandado nos autos do deprecante (pode ser confirmação por fax simile). atualizado o valor em 800 mil. seguindo a execução pode haver danos irreparáveis ao execut ado. Insolvência o passivo é maior que o ativo. o juiz imporá. em seguida o ju iz julgará imediatamente o pedido (art. 740 Recebido os embargos. PARAGRAFO PRIMEIRO: Não existe ciclo citatório. ele vai demonstrar na petição de embargos.8 Um valor de 100 reais. sentença no prazo de 10 dias. será o exeqüente ouvido no prazo de 15 dias. instrução e julgamento. quando inepta a petição (art. LEI 11382/2006 Antes:antes da vigência desta lei. O executado é quem pode opor os embargos. Depois :o legislador retira a questão da garantia do juízo. 747 DOS EMBARGOS Á EXECUÇÃO POR CARTA A competência para julga-los é do juízo deprecante. contados da data de juntada aos Autos do mandado de citação. Ex: já paguei. suspendia a execução.domicilio Deprecado comunica o deprecante do cumprimento da diligência. salvo se versarem unicamente vícios ou defeitos da penhora.

000. somente nesta ficará sem efeito a execução.nos casos de execução provisória em que penda agravo perante o Supremo Tribunal Federal ou o Superior Tribunal de Justiça (art. § 2º A caução a que se refere o inciso III do caput deste artigo poderá ser dispensada: I ± quando. se necessário. (Alterado pela L-012. salvo quando da dispensa possa manifestamente resultar risco de grave dano.Aplicar-se-á à execução para entrega de coisa incerta o estatuído na seção anterior. que se obriga. Art. até o limite de sessenta vezes o valor do salário-mínimo.00 20. o juiz acreditando ser necessário nomeará Perito. Ex: Escolhe três cabeças de gado no prazo de 10 dias. de difícil ou incerta reparação. Depois da escolha não há mais coisa incerta. observadas as seguintes normas: (Acrescentado pela L-011. 629 . II ± fica sem efeito. Credor escolhe (inicial): 48 horas da citação para o devedor impugnar. conforme 629 EXECUÇÃO DEFINITIVA EXECUÇÃO PROVISÓRIA CUMPRIMENTO DE SENTENÇA Dano material 30. arbitrada de plano pelo juiz e prestada nos próprios autos. A execução provisória da sentença far-se-á. mas se essa couber ao credor. por arbitramento. o devedor será citado para entregá-las individualizadas. conta e responsabili dade do exeqüente. 475-O. ouvindo perito de sua nomeação.232-2005) I ± corre por iniciativa. 630 . e o juiz decidirá de plano. impugnar a escolha feita pela outra. ou. Devedor escolhe (após citação): 48 da entrega da coisa para o credor impugnar.Quando a execução recair sobre coisas determinadas pelo gênero e quantidade. Aplicar-se-á os princípios de entrega de coisa certa. A parte impugnando.escolha Art. § 1º No caso do inciso II do deste artigo.000. se lhe couber a escolha.Qualquer das partes poderá. 475 O CPC Art. nos casos de crédito de natureza alimentar ou decorrente de ato ilícito. se a sentença for reformada.322-2010) . se a sentença provisória for modificada ou anulada apenas em parte. III ± o levantamento de depósito em dinheiro e a prática de atos que importem alienação de propriedade ou dos quais possa resultar grave dano ao executado dependem de caução suficiente e idônea. no que couber. o exeqüente demonstrar situação de necessidade. 631 . do mesmo modo que a definitiva. em 48 (quarenta e oito) horas. sobrevindo acórdão que modifique ou anule a sentença objeto da execução.00 Lucros cessantes PROCESSO DE EXECUÇÃO Efeito Devolutivo e Suspensivo Ante a mínima chance de reforma de decisão. As custas serão pagas pelo executado. II . restituindo -se as partes ao estado anterior e liq uidados eventuais prejuízos nos mesmos autos. o legislador dispensa o calção. Pedido do credor petição inicial Citação do devedor para entregar a coisa escolhida p/ credor ou próprio obrigado.9 Execução Da entrega de coisa incerta . este a indicará na petição inicial. 544). O prazo começa a fluir a partir da citaç ão para tal impugnação. a reparar os danos que o executado haja sofrido. Art.

614 . Art.indicar a espécie de execução que prefere. ao requerer a execução. consubstanciada em título executivo. é p rovisória enquanto pendente apelação da sentença de improcedência dos embargos do executado. CPC Extrínsecos: y y Art. quando recebidos com efeito suspensivo (art. 615 .222 É citado para pagar. Art. hipotecário. ou anticrético. quando se tratar de execução por quantia certa. 739).Pendente Apelação Contra Sentença que Julgue Improcedente os Embargos É definitiva a execução de título extrajudicial.Cumpre ainda ao credor: I . II . se for o caso.com o título executivo extrajudicial. Art. IV ± decisão de habilitação.2005 Execução de Título Extrajudicial . ex: completar 18 anos. 282 CPC Art.10. (Alterado pela L-011. Termo: futuro certo. (Alterado pela L-011.382-2006) II . ainda que pendente apelação contra sentença que julgue improcedentes os embargos. 572). 36 e 37 do CPC Condição: futuro incerto. ou usufrutuário. III ± procurações outorgadas pelas partes.requerer a intimação do credor pignoratício.953-1994) III . quando a penhora recair sobre bens gravados por penhor. 39.382-2006) STJ Súmula nº 317 . ou ocorreu o termo (Art. sob sua responsabilidade pessoal: (Alterado pela L012. pedir a citação do devedor e instruir a petição inicial: I . I. o exequente instruirá a petição com cópias autenticadas das seguintes peças do processo. quando por mais de um modo pode ser efetuada.953-1994) Art. (Alterado pela L -008. ou que lh e assegura o cumprimento. CPC: termo inicial e termo final. V ± facultativamente.É definitiva a execução fundada em título extrajudicial.10 § 3º Ao requerer a execução provisória. 580 . podendo o advogado declarar a autenticidade. hipoteca anticrese ou usufruto. IV . EXECUÇÃO PARA A ENTREGA DE COISA CERTA FUNDADA EM TÍTULO EXECUTIVO EXTRAJUDICIAL ART.DJ 18.283 CPC Art.provar que adimpliu a contraprestação. 587 . CITAÇÃO PROCESSO DE EXECUÇÃO .com a prova de que se verificou a condição. ( Alterado pela L-011. se o executado não for obrigado a satisfazer a sua prestação senão mediante a contraprestação do credor.A execução pode ser instaurada caso o devedor não satisfaça a obrigação certa. líquida e exigível. 621 E SEGUINTES . Intrínsecos: y y Art.pleitear medidas acautelatórias urgentes.382-2006) Para execução: requisitos intrínsecos e extrínsecos.Cumpre ao credor.05/10/2005 .322-2010) I ± sentença ou acórdão exeqüendo. III .quando se formar.com o demonstrativo do débito atualizado até a data da propositura da ação. II ± certidão de interposição do recurso não dotado de efeito suspensivo. que lhe corresponde. outras peças processuais que o exeqüente considere necessárias. (Acrescentado pela L -008.

quando quiser opor embargos. ante a impossibilidade do cumprimento da obrigação (entrega da coisa). ou sendo impossível a sua avaliação. que somente será ouvido depois de depositá-la. O embargado só pode levantar a coisa se o juiz não conceder efeito suspensivo. Se não houver efeito suspensivo o credor pode levantar o objeto a qualquer momento. 622 . O Juiz irá avaliar o pedido. Art. constante de ti. o exeqüente não poderá levantá -la antes do julgamento dos embargos. se deteriorou. ( Alterado pela L-010. salvo se esta tiver de prosseguir para o pagamento de frutos ou ressarcimento de prejuízos. II). poderá fixar multa por dia de atraso no cumprimento da obrigação. Entregou a coisa dentro do prazo. Depositou a coisa em atraso.Não constando do título o valor da coisa. Tem conhecimento da citação e causa danos ao bem.d) nos processo de execução não poderá ser realizada citação pelos correios. dias.11 Art. Coisa pereceu. mandado de imissão na posse ou de busca e apreensão. e deve seguir o principal. satisfazer a obrigação ou. além de perdas e danos. não é necessário depositar para opor embargos. Pode ser por minuto. semana. São 10 dias para entrega da coisa da efetivação da citação. 621 . Ação incidental autônoma de natureza cognitiva ± embargos. E ainda opõe os embargos e pode pedir efeito suspensivo. caso se revele insuficiente ou excessivo. não for encontrada ou não for reclamada do poder de terc eiro adquirente. ficando o respectivo valor sujeito a alteração.O devedor de obrigação de entrega de coisa certa. O que era entrega de coisa se reverte em pagamento em dinheiro. conforme se tratar de imó vel ou de móvel.4442002) Multa chamada de astreintes. tulo executivo extrajudicial. será citado para. 627 . lavrar -se-á o respectivo termo e dar-se-á por finda a execução. sujeitando-se ao arbitramento judicial. Art.Coisa móvel Imissão de posse ± coisas imóveis. 624 . expedir -se-á mandado contra o terceiro adquirente. Mas. em vez de entregá -la. 222 . 739 A . ( Acrescentado pela L-010. 737. (Alterado pela L-010.444-2002) Para opor os embargos não precisa garantir o Juízo. § 1º . 219 CPC) Art. o valor da coisa. e nos mesmos autos terá que pagar a multa pelo atraso. segundo.Alienada a coisa quando já litigiosa. Entregar é para dar satisfação da obrigação Art. Art. Art. em favor do credor. O juiz.CPC . o exeqüente far-lhe-á a estimativa. e perde os embargos. dentro de 10 (dez) dias. 625 . seguro o juízo (art.953-1994) O credor só pode retirar a coisa após o julgamento dos embargos. ( Alterado pela L-010. A citação válida faz litigiosa a coisa (art. 623 . ao despachar a inicial. para apresentar os embargos o devedor tem 15 dias. (Alterado pela L-005. se reverte em perdas e danos. há satisfação da obrigação.Não sendo a coisa entregue ou depositada. apresentar embargos. ou após a sentença. deve entregar a coisa.925-1973) Depositar ± dar como caução/garantia. 626 .O devedor poderá depositar a coisa.444-2002) Essa coisa depositada rendeu frutos. quando esta não lhe for entregue. (Alterado pela L 005. 15 dias depois da juntada do mandado de citação nos Autos para opor embargos.444-2002) O exeqüente informa o valor que acha devido.Depositada a coisa.O credor tem direito a receber. lavrar-se termo e extingui-se a execução. mês. . caso vencedor/procedência. nem admitidos embargos suspensivos da execução.Dano irreparável ou de difícil reparação e garantia do juízo.Se o executado entregar a coisa. Art. (Alterado pela L-008.925-1973) Busca e apreensão . Parágrafo único. expedir -seá.

Se houver saldo em favor do devedor. mas o devedor não depositou a coisa no prazo. ( Acrescentado pela L-011. Acolhimento dos embargos ± devolução da coisa ao devedor. Art. 591). 624) ± sentença de extinção da execução (art. 685 -A desta Lei. o valor pode ser compensado.000. e atrasou três dias. ( Alterado pela L-010.na alienação por iniciativa particular.Serão apurados em liquidação o valor da coisa e os prejuízos. 647 .(652 cpc) 15 dias para opor embargos. Rejeita os embargos ± credor levanta a coisa. Rejeição liminar dos embargos ± entrega da coisa ao credor Recebimento dos embargos ± impugnação do credor (15 dias 740) Audiência de instrução e julgamento (art.A execução por quantia certa tem por objeto expropriar bens do devedor. 740.Havendo benfeitorias indenizáveis feitas na coisa pelo devedor ou por terceiros. ( Alterado pela L-011. lavra-se termo e extingue-se a execução.444-2002) Pericia. a fim de satisfazer o direito do credor (Art.12 § 2º . ( Alterado pela L011. caso havendo procedência do pedido do credor.na adjudicação em favor do exeqüente ou das pessoas indicadas no § 2º do art. depende do objeto. caput) Acolhimento dos embargos ± devolução da coisa ao devedor Rejeição dos embargos ± entrega da coisa ao credor EXECUÇAÕ POR QUANTIA CERTA CONTRA DEVEDOR SOLVENTE FUNDADO EM TITULO EXECUTIVO EXTRAJUDICIAL Art. Exemplo: multa de 5000 dias. Não pagou vai ser tirado o bem. de cujo poder ela houver sido tirada. é discutid o nos embargos. se houver saldo em favor do credor. o credor o depositará ao requerer a entrega da coisa. este poderá cobrá -lo nos autos do mesmo processo. 648 . voluptuárias não são indenizáveis. Benfeitoria do devedor de 5000 reais. Duas coisas ± se beneficia. Entrego a coisa. Solidária ± não se beneficia. Art. a liquidação prévia é obrigatória. 795). mas me indenize pelas benfeitorias. 646 . Indivisível ± se beneficia ± juntada de mandado de cada um. Se o devedor entrega a coisa .382-2006) Art.382-2006) III . ( Alterado pela L-011. 628 . Citado o executado tem prazos de 3 dias para pagar (dinheiro). Úteis e necessárias são benfeitorias indenizatórias.lavrar-se termo (art.Não estão sujeitos à execução os bens que a lei considera impenhoráveis ou inalienáveis.na alienação em hasta pública.382-2006) IV .no usufruto de bem móvel ou imóvel. Daí o devedor paga 10.A expropriação consiste: I . .382-2006) II .

rem unerações. salvo se destinados à satisfação de prestação alimentícia. salvo se essas forem penhoradas.382-2006) IX . 651 .382-2006) Art.2: Art. os frutos e rendimentos dos bens inalienáveis. sob cláusula de impenhorabilidade. desquitada. ( Alterado pela L011. pode o executado.382-2006) VI . (vetado) Art. (Acrescentado pela L-011.os frutos e os rendimentos dos bens inalienáveis. pertences e utilidades domésticas que guarnecem a residência do executado. à falta de outros bens. salvo se de elevado valor.3822006) III . assim definida em lei. 650 . as ferramentas. nos termos da lei. as máquinas. (vetado) (Acrescentado pela L-011.os vestuários. salários.os recursos públicos recebidos por instituições privadas para aplicação compulsória em educação. será considerado penhorável até 40% (quarenta por cento) do total recebido mensalmente acima de 20 (vinte) salários mínimos.13 Art. a todo tempo. II .o seguro de vida. ou de pessoas idosas. ( Alterado pela L-011. desde que trabalhada pela família. por ato voluntário.382-2006) § 2º O disposto no inciso IV do caput deste artigo não se aplica no caso de penhora para pagamento de prestação alimentícia. pecúlios e montepios. proventos de aposentadoria. 649 . ( Acrescentado pela L011.382-2006) (Acrescentado pela L-007. caso em que.grau. 652 .CPC V .382-2006) I . apurado o valor em dinheiro. solteira.382-2006) IV .Antes de adjudicados ou alienados os bens. ( Alterado pela L-011. ( Alterado pela L-011. não sujeitos à execução. ( Alterado pela L011. § 2º.a pequena propriedade rural. a quantia depositada em caderneta de poupança.os livros. bem como os pertences de uso pessoal do executado.382-2006) § 3º Na hipótese do inciso IV do caput deste artigo. os instrumentos ou outros bens móveis necessários ou úteis ao exercício de qualquer profissão. salvo os de elevado valor ou que ultrapassem as necessidades comuns correspondentes a um médio padrão de vida. subsídios. mais juros. calculados após efetuados os descontos de imposto de renda retido na fonte. saúde ou assistência social.os vencimentos. os ganhos de trabalhador autônomo e os honorários de profissional liberal. Citação do Devedor e Indicação de Bens . no prazo de 3 (três) dias.513-1986) XI . (Alterado pela L-011. os utensílios. (Alterado pela L-011. (Acrescentado pela L-011. ( Alterado pela L011. soldos.382-2006) . ( Alterado pela L-011. contribuição previdenciária oficial e outros descontos compulsórios .3822006) VIII . se de valor superior a 1000 (mil) salários mínimos.os móveis.dji.Também pode ser penhorado o imóvel considerado bem de família. as quantias recebidas por liberalidade de terceiro e destinadas ao sustento do devedor e sua família.Podem ser penhorados. efetuar o pagamento da dívida.382-2006) X . Parágrafo único. pensões.as imagens e os objetos do culto religioso. bem como de mulher viúva.São absolutamente impenhoráveis: I .até o limite de 40 (quarenta) salários mínimos. sendo de grande valor.os materiais necessários para obras em andamento. 655-A. salvo se destinados a alimentos de incapazes.os recursos públicos do fundo partidário recebidos.382-2006) VII .694-2008) § 1º A impenhorabilidade não é oponível à cobrança do crédito concedido para a aquisição do próprio bem.O executado será citado para.382-2006) obs. a quantia até aquele limite será entregue ao executado.382-2006) Art. custas e honorários advocatícios. pagando ou consignando a importância atualizada da dívida. por partido político. remir a execução. observado o disposto no § 3º deste artigo.os bens inalienáveis e os declarados. ( Alterado pela L-011. ( Alterado pela L011. II . ( Alterado pela L011.

738 . o juiz fixará. munido da segunda via do mandado.Considera-se atentatório à dignidade da justiça o ato do devedor que: (Alterado pela L -005.382-2006) PESQUISAR NO STJ O QUE DIZ: VALE DA JUNTADA DA CITAÇÃO OU DA CITAÇÃO.382-2006) Em regra quem faz a avaliação é o oficial de justiça.frauda a execução. empregando ardis e meios artificiosos. (Revogado pela L-011. Ao despachar a inicial. na mesma oportunidade.382-2006) § 4º A intimação do executado far-se-á na pessoa de seu advogado. a qualquer tempo. será intimado pessoalmente. ( Acrescentado pela L-011. 20.14 § 1º Não efetuado o pagamento. Citação na execução é para pagar.382-2006) § 1º Quando houver mais de um executado. O valor da execução é o valor do débito mais despesas processuais. No caso de integral pagamento no prazo de 3 (três) dias. ( Acrescentado pela L011. se não tem conhecimento e solicit a ao juiz que intime o executado a indicar bens livres no prazo de 5 dias. lavrando-se o respectivo auto e de tais atos intimando. ou de busca e apreensão. (Alterado pela L-011.da juntada aos autos do mandado de citação. contando -se o prazo para embargos a partir da juntada aos autos de tal comunicação. determinar. caso em que o juiz poderá dispensar a intimação ou determinará novas diligências. de plano.382-2006) § 2º Nas execuções por carta precatória.382-2006) Art. de ofício ou a requerimento do exeqüente. o executado.3822006) É um direito do credor indicar os bens a serem penhorados. os honorários de advogado a serem pagos pelo executado (art. o oficial certificará detalhadamente as diligências realizadas.382-2006) I . na execução para a entrega de coisa (Art. ( Alterado pela L-011. o oficial de justiça procederá de imediato à penhora de bens e a sua avaliação. 600 .da juntada aos autos do mandado de imissão na posse. salvo tratando -se de cônjuges. indicar bens a serem penhorados (art. não o tendo. (Acrescentado pela L-011. (Alterado pela L-011. na execução das obrigações de fazer ou de não fazer. Quando o juiz intima a executado para se manifestar ele já fixa os honorários advocatícios. 191 desta Lei. o prazo para cada um deles embargar conta-se a partir da juntada do respectivo mandado citatório. (Acrescentado pela L-011.382-2006) § 5º Se não localizar o executado para intimá-lo da penhora. ( Acrescentado pela L-011. Mas. a verba honorária será reduzida pela metade. Art. O valor da execução não coincide com o valor do débito.382-2006) Parágrafo único. ( Acrescentado pela L-011.382-2006) § 3º Aos embargos do executado não se aplica o disposto no art. contados da data da juntada aos autos d o mandado de citação. 652-A. II .925-1973) I .382-2006) IV .382-2006) II .Os embargos serão oferecidos no prazo de 15 (quinze) dias. 655). 625).382-2006) III .da juntada aos autos da prova da intimação da penhora . (Revogado pela L-011. (Revogado pela L-011. Art. . § 2º . (Acrescentado pela L-011. inclusive por meios eletrônicos. § 4º). (600 IV) § 3º O juiz poderá.se opõe maliciosamente à execução. na inicial da execução. a citação do executado será imediatamente comunicada pelo juiz deprecado ao juiz deprecante. (Revogado pela L-011.do termo de depósito. a intimação do executado para indicar bens passíveis de penhora.O credor poderá.

tem direito a exig ir que sejam primeiro excutidos os bens da sociedade. ainda quando o ignore. Art. 596 . que alegar o benefício deste artigo.anulada FRAUDE À EXECUÇÃO Artigo 593 do CPC ALIENAÇÃO DO BEM PENHORADO Artigo 593.intimado. porém. em 5 (cinco) dias.Registro da Penhora . FRAUDE CONTRA CREDORES Art. quando executado. poderá nomear à penhora bens livres e desembargados do devedor. (Alterado pela L-011.15 III .350 . poderá executar o afiançado nos autos do mesmo processo. quais são e onde se encontram os bens sujeitos à penhora e seus respectivos valores. que pagar a dívida. 158. § 2º . livres e desembargados. Parágrafo único .DJe 30/03/2009 Reconhecimento da Fraude à Execução .Os bens particulares dos sócios não respondem pelas dívidas da sociedade senão nos casos previstos em lei. § 2º Só os credores que já o eram ao tempo daqueles atos podem pleitear a an ulação deles.18/03/2009 .O fiador. poderão ser anulados pelos credores quirografários. 158 do CC Art. II.Prova de Má-Fé do Terceiro Adquirente O reconhecimento da fraude à execução depende do registro da penhora do bem alienado ou da prova de má -fé do terceiro adquirente.Cumpre ao sócio. demandado pelo pagamento da dívida. 595 . como lesivos dos seus direitos. nomear bens da sociedade. não indica ao juiz. o sócio. quantos bastem para pagar o débito.382-2006) Art. Lei 11382/2006 Consilium frauds e evento daminis Artigo 615 A fraude contra credores elementos objetivos e subjetivos registrar a própria execução. após a distribuição da petição inicial. ou por eles reduzido à insolvência. Crédito .Aplica-se aos casos deste artigo o disposto no parágrafo único do artigo anterior. sitos na mesma comarca. se os praticar o devedor já insolvente. § 1º Igual direito assiste aos credores cuja garantia se tornar insuficiente. trazer publicidade a terceiros. sujeitos à execução. CPC Sumula 375 STJ STJ Súmula nº 375 .resiste injustificadamente às ordens judiciais. Os bens do fiador ficarão. Os negócios de transmissão gratuita de bens ou remissão de dívida. Elementos: a) b) Consilium Fraudis subjetivo Eventus Damni Objetivo .Ação pauliana . IV . se os do devedor forem insuficientes à satisfação do direito do credor. Registro da execução e depois registro da penhora vale o registro da execução. § 1º .O fiador.

§ 2º Só os credores que já o eram ao tempo daqueles atos podem pleitear a anulação deles. se o devedor se comprometer a não mais praticar qualquer dos atos definidos no artigo antecedente e der fiador idôneo.quando sobre eles pender ação fundada em direito real. existe o bis is .382-2006) segue para o crédito do exeqüente Art. despesas e honorários advocatícios. Da Fraude Contra Credores ± Código Civil Art. Fraude da execução e fraude a bem penhorado Fraude da execução insolvência ou coisa litigiosa 593 I ou II Alienação do bem penhorado Ineficácia relativa regresso. em 5 (cinco) dias. não indica ao juiz. nos termos do § 2º do art. Deve ser desproporcional para gerar indenização.Considera-se atentatório à dignidade da justiça o ato do devedor que: (Alterado pela L -005. 600. 18 desta Lei. com identificação das partes e valor da causa. CPP independe.100 Moto . § 3º Presume-se em fraude à execução a alienação ou oneração de bens efetuada após a averbação (art. III . que responda ao credor pela dívida principal.50 Apartamento 300 10 dias para informar o juiz sobre a averbação do registro de execução. no ato da distribuição.resiste injustificadamente às ordens judiciais. Contemp of court idem? pode ser aplicar a multa 600 e 601 com a litigância de má fé art. § 1º Igual direito assiste aos credores cuja garantia se tornar insuficiente. § 1º O exeqüente deverá comunicar ao juízo as averbações efetivadas. § 4º O exeqüente que promover averbação manifestamente indevida indenizará a parte c ontrária. Art. Os negócios de transmissão gratuita de bens ou remissão de dívida. O exeqüente poderá.frauda a execução.O juiz relevará a pena. empregando ardis e meios artificiosos. 14. no prazo de 10 (dez) dias de sua concretização. com influência do inciso 4 do art.. processando-se o incidente em autos apartados.16 Carro . 17 e 18. poderão ser anulados pelos credores quirografários. 615-A. juros. (Alterado pela L -005.925-1973) preste caução a ponto de garantir o valor do execução. III . dever das partes IV . o devedor incidirá em multa fixada pelo juiz. ainda quando o ignore. § 2º Formalizada penhora sobre bens suficientes para cobrir o valor da dívida. 158. Após o registro da execução se caracteriza fraude a execução. registro de veículos ou registro de outros bens sujeitos à penhora ou arrest o. II . § 5º Os tribunais poderão expedir instruções sobre o cumprimento deste artigo. 593). 593 . sem prejuízo de outras sanções de natureza processual ou material. para fins de averbação no registro de imóveis.925-1973) I .nos demais casos expressos em lei. em montante não superior a 20% (vinte por cento) do valor atualizado do débito em execução.953-1994) revertido em favor do credor. exigível na própria execução.Nos casos previstos no artigo anterior. será determinado o cancelamento das averbações de que trata este artigo relativas àqueles que não tenham sido penhorados. obter certidão comprobatória do ajuizamento da execução. Parágrafo único . 601 . multa essa que reverterá em proveito do credor. pois depois irá gerar uma ação de Art. II . (Alterado pela L-011. (Alterado pela L-008.Considera-se em fraude de execução a alienação ou oneração de bens: I . Art.intimado. 600 CPC Ato atentatório à dignidade da justiça Contempt of court Art. ao tempo da alienação ou oneração. leilão ou praça pode executar um bem penhorado.quando. mas não se deve. corria contra o devedor demanda capaz de reduzi -lo à insolvência. quais são e onde se encontram os bens sujeitos à penhora e seus respectivos valores. 600 .se opõe maliciosamente à execução. como lesivos dos seus direitos. ou por eles reduzido à insolvência. se os praticar o devedor já ins olvente.

286 e 459. Em se tratando de direitos difusos e coletivos podemos identificar este tipo de liquidação nos casos onde é necessário o arbitramento do dano moral [2] . o liquidante trás as informações. Conforme assinala Vicente Grego Filho [1] "a sentença condenatória pode tornar certo apenas o débito (an debeatur). cabível para apuração doquantum debeatur. passando as contas do credor (que substituíram a do contador) a serem discutíveis somente através de embargos do devedor na execução. tendo como objetivo tornar liquida a condenação visando posterior execução. parágrafo único do Código de Processo Civil. etc . deve ser considerada um processo. Desta forma toda vez que a sentença não for líquida será cabível a proposição de a. atribuindo valor a uma coisa. [4] Ainda segunda a autora para Cândido Rangel Dinamarco a liquidação por arbitramento é feita por um perito (o arbitrado). Com esta alteração legislativa deixou de existir o processo de liquidação por cálculos do contador. por ser exaurida por via de sentença proferida por um magistrado [3]. A liquidação de sentença é uma modalidade de ação de conhecimento. as sentenças genérica formuladas através de pedidos genéricos serão sempre passiveis de liquidação. tendo em vista faltar-lhe um dos requisitos essenciais para a execução. 1. da obrigação. já o juiz não possui conhecimentos técnicos para promover esta valoração. isto é faltar ± lhe a liquidez. pois este fato traria como conseqüência uma economia processual e também uma maior celeridade e efetividade do órgão jurisdicional. Conceito De acordo com o artigo 586 do Código de Processo Civil. possui como qualidade essencial a liquidez e a certeza. A liquidação por arbitramento tem como finalidade a fixação de um valor por um perito. caso uma sentença contenha condenação genérica. Assim. Assim a liquidação de sentença é uma ação posterior a condenatória e anterior a execução. A segunda modalidade prevista é a da liquidação por arbitramento (artigo 606 do Código de Processo Civil). 1. valores. atualmente por força da Lei já mencionada os cálculos são apresentados pelo credor na execução por quantia certa (artigo 652 e seguintes do Código de Processo Civil). cabendo à liquidação a atribuição do quanto (quantum debeatur). fundada em uma sentença genérica. a finalidade da liquidação por arbitramento é a valoração do bem jurídico tutelado. prevista no artigo 604 deste diploma legal. será necessário a sua liquidação. ou ainda quando a natureza do objeto assim exigir. por meio de um expert. ou por que este depende de um ato a ser praticado pelo réu ou se não puder ser determinado definitivamente as conseqüências do ato ou fato ilícito. Assim. quanto de prejuízo. embora sejam restritos aos casos previstos no art.1. . Desta forma. Uma sentença será considerada líquida quando da conter o quantum debeatur da obrigação.898/94.cão de liquidação. conforme os tipos de providencias necessárias para apuração do dano. Esta modalidade de liquidação é utilizada quando a sentença determinar ou for convencionado pelas partes. Esta modalidade de liquidação atualmente encontra se revogada por força das modificações imposta pela Lei 8. LIQUIDAÇÃO DE SENTENÇA 1. 475 F 475 G 475 H. a um serviço ou a um prejuízo. a condenação será genérica se ao tempo da sentença não puder ser determinado o valor da condenação. entre ele a sentença. todo titulo executivo. Embora a liquidação por arbitramento possa ser assemelhar a uma perícia. sejam liquidas. permitindo desta forma sua imediata execução. Assim. A primeira modalidade prevista no Código é a liquidação por cálculos do contador.2. Modalidades de liquidação O Código de Processo Civil de 1973 previu três modalidades de liquidação de sentença. Esta modalidade de liquidação era utilizada quando o valor da condenação pudesse ser obtido por cálculos aritméticos. O ideal é que todas as sentenças sejam passiveis de execução imediata.17 LIQUIDAÇÃO DE SENTENÇA a) b) c) Cálculo 475 B mero calculo aritmético Arbitramento 475 C NECESSIDADE DE PERICIA 475 D Artigos 475 E FATO NOVO.

que será declarado na liquidação de sentença. Nesta modalidade de liquidação são permitidos todos os meios de prova. independente da modalidade. pois a sua finalidade é declarar ou fixar algo que já existe. Ocorre que esta controvérsia esta relacionada na pratica com os efeitos da sentença do processo de liquidação. ser a natureza jurídica da ação de liquidação declaratória. Pois. de maneira acertada ao nosso ver. a sentença de liquidação embora constitua o titulo executivo tem natureza declaratória. devera ser necessário para fixação do quantum debetur. pode-se dizer que o valor já está implícito na sentença. Conforme nos traz Patrícia Miranda Pizzol [8] a doutrina se divide nesta questão. sendo desta forma possível a ocorrência da revelia. 1. para estes autores a sentença de liquidação integra o titulo. podendo ser anterior a decisão de conhecimento. Este entendimento nos parece o mais acertado. a sentença de liquidação". Desta corrente participam ainda Humberto Theodoro Jr. que já existia na época da prolação da sentença embora não pudesse ser delimitado naquela ocasião. e Cândido Rangel Dinamarco [9] . Entendemos que a segunda corren doutrinaria é mais acertada. Na liquidação por artigos o valor é expressamente excluído da sentença. A terceira modalidade prevista no Código De Processo Civil é a liquidação por artigos (artigo 608). este titulo representa uma obrigação e na verdade seria esta obrigação que a liquidação pretende tornar liquida. Fato Novo é o fato que não serviu de fundamentação à sentença. Assim. de acordo com o artigo 607 do Código de processo Civil. A outra corrente a qual pertence a autora sustenta. em virtude de se submeter ao procedimento comum. Esta modalidade de liquidação será cabível quando for necessário alegar e provar fato novo. Desta forma a obrigação já existe (an debeatur) faltando-lhe apenas o valor. ao contrario torna liquido algo já existente. COMULAÇÃO DE EXECUÇÕES somente judicial Requisitos: a) b) c) Identidade do credor Identidade do devedor Mesma relação jurídica . ou claramente não incluído. mas deverá ser novo para o processo de liquidação. Este fato novo conforme ressalta Patrícia Miranda Pizzol [5]. de modo a constitui-lo. pois analisa as modalidades de liquidação como um todo com base na sua natureza. a liquidação será realizada por intermédio de um perito nomeado pelo juiz. a finalidade da liquidação será sempre declarar o valor devido. segundo as regras ordinárias de direito. bastando que seja declarado. [7] Discordando do entendimento acima apresentado Patrícia Miranda Pizzol afirma que devido à natureza declaratória da liquidação de sentença. declarando o quantum debeatur. Conforme a citada autora embora a liquidação de sentença vise constituir um titulo executivo. sendo. não constitui um quantum debeatur. Segundo Vicente Greco Filho [6] "no caso da liquidação por arbitramento. porque a lei que para a execução um titulo executivo precisa ser líquido. embora não expresso na sentença. o valor da obrigação existe desde o nascimento da obrigação. Dizendo o quantum debeatur. portanto o procedimento de liquidação mais abrangente.18 Desta Forma. e é acrescentado por nova sentença. não sendo necessariamente um fato superveniente. certo e exigível. alguns autores como Pontes de Miranda e Alcides de Mendonça Lima entendem tratarse de ação constitutiva. Sua finalidade e dar liquidez a obrigação constante da sentença condenatória para que juntas possam formar o titulo executivo.3. O fato novo de que trata o artigo 608 do Código de Processo Civil devera ser veiculado na petição inicial como causa de pedir da liquidação. Por tratar-se de processo autônomo será necessária a citação do réu. Natureza da liquidação Conforme pudemos observar no tópico anterior a questão da natureza jurídica da ação de liquidação é bastante controvertida. mas é pertinente ao valor que a sentença deveria fixar. pois a sentença de te liquidação não cria um direito.

573.232.Mais de Um Título . quando se tratar de sentença penal condenatória. mas tem as propriedades em Balneário comburiu.1991 Execução .95.100 Cumprimento de sentença duas regras e uma exceção. desde que para todas elas seja competente o juiz e idêntica a forma do processo. Objetiva o mesmo negócio e vários títulos. de 2005) ± competência relativa. (Incluído pela Lei nº 11. b. 573 CPC . 91. (Incluído pela Lei nº 11.94.232. o exeqüente poderá optar pelo juízo do local onde se encontram bens sujeitos à expropriação ou pelo do atual domicílio do executado.232.98. nas causas de sua competência originária.12/06/1991 .Art.99. (Incluído pela Lei nº 11. casos em que a remessa dos autos do processo será solicitada ao juízo de origem. no local mais fácil para executar o devedor.232. de 2005) ± TRF II ± o juízo que processou a causa no primeiro grau de jurisdição.06.19 d) Competência Subjetiva a. d -------. O cumprimento da sentença efetuar-se-á perante: (Incluído pela Lei nº 11.e coligação de credores é defesa.. mora em são Jose. de 2005) ± requer cumprimento de sentença na vara competente Parágrafo único.93.Mesmo Negócio Pode a execução fundar-se em mais de um título extrajudicial relativos ao mesmo negócio. 475-P. sendo o mesmo o devedor.01 vara cível são Jose ± competência funcional III ± o juízo cível competente. Somente é permitido se executar a mesma relação jurídica. de sentença arbitral ou de sentença estrangeira. executar os vários títulos executivos. de 2005) .97. o mesmo negócio. Art. ainda que fundadas em títulos diferentes.96.232. c . cumular várias execuções. No caso do inciso II do caput deste artigo.92. de 2005) I ± os tribunais. É lícito ao credor. RESPONSABILIDADE PATRIMONIAL PRINCIPIOS INFORMATIVOS NA EXECUÇAÕ CIVIL 1 2 3 4 5 6 7 8 9 . Sumula 27 STJ STJ Súmula nº 27 . COMPETENCIA a) b) 475 P Processo de execução em relação a natureza da ação cognitiva.DJ 20. (Incluído pela Lei nº 11.

20 ESPÉCIE y y y y Própria Imprópria Direta Indireta ELEMENTOS Objetivos Título executivo y Bens sem eles não existe execução. quantum debeatur Exigibilidade Titulo executivo é o passaporte para a execução. 475-N. inaugura a execução. São títulos executivos judiciais: I ± a sentença proferida no processo civil que reconheça a existência de obrigação de fazer. não fazer. entregar coisa ou pagar quantia. suceder a titularidade do patrimônio. LEGITIMIDADE PASSIVA 568 cpc REQUISITOS NECESSÁRIOS PARA QUALQUER EXECUÇÃO INADIMPLEMENTO DO DEVEDOR NÃO CUMPRIO A OBRIGAÇÃO TITULO EXECUTIVO Certo. II ± a sentença penal condenatória transitada em julgado. O mais próximo elimina o mais distante. liquido e exigível Certeza Liquidez é o que se deve é pagamento em dinheiro. Subjetivos Juiz Partes nos pólos ativo e passivo. Não existe ascendente de primeiro grau. Pai e mãe Pai e mãe Filho 1 filho 2 Neto1 neto 2 Os herdeiros são os sucessores aptos a receber o quinhão hereditário. entrega de coisa an debeatur o quanto se deve. LEGITIMIDADE ATIVA y y y y y y y y y y y Originária 566 cpc Derivada 567 cpc Sucessores. y Judicial ± Art. .

São títulos executivos extrajudiciais: (Alterado pela L -005. há de satisfazer aos requisitos de formação exigidos pela lei do lugar de sua celebração e indicar o Brasil como o lugar de cumprimento da obrigação.os contratos garantidos por hipoteca. documentalmente comprovado. exclusivamente em relação ao inventariante. de perito. líquida e exigível. § 2º . 4 75-J) incluirá a ordem de citação do devedor. o documento particular assinado pelo devedor e por duas testemunhas.000. . o mandado inicial (art. devido uma conciliação ou transação. do Distrito Federal. para liquidação ou execução. 739). tais como taxas e despesas de condomínio. a debênture e o cheque. anticrese e caução. VII ± o formal e a certidão de partilha. Procedimento comum sumário. V ± o acordo extrajudicial. homologado judicialmente. a nota promissória. quando as custas. correspondente aos créditos inscritos na forma da lei. O título.o crédito decorrente de foro e laudêmio. pode ser um complexo de bens passivos ou ativos ± localiza-se os herdeiros ou sucessores para promover a partilha dos bens. por disposição expressa.o crédito de serventuário de justiça. faz um acordo extrajudicial e pede a homologação judicial. dos Estados. IV ± a sentença arbitral. a lei atribuir força executiva. para execução é na vara federal. ainda que inclua matéria não posta em juízo. para ter eficácia executiva. é provisória enquanto pendente apelação da sentença de improcedência dos embargos do executado. (Alt erado pela L-008. EXERCÍCIO Valor de locação: 5. emolumentos ou honorários forem aprovados por decisão judicial. os títulos executivos extrajudiciais.o crédito. homologada pelo Superior Tribunal de Justiça. Autos de inventário ± quando alguém morre. A lei de arbitragem afirma o direito. oriundos de país estrangeiro. IV . pela Defensoria Pública ou pelos advogados dos transatores. VI .a certidão de dívida ativa da Fazenda Pública da União. Nos casos dos incisos II. HONORÁRIOS ADVOCATICIOS. de qualquer natureza. decorrente de aluguel de imóvel. bem como os de seguro de vida. acertando o direito. 587 .A propositura de qualquer ação relativa ao débito constante do título executivo não inibe o credor de promover-lhe a execução. no juízo cível. VII . CRÉDITO RURAL. VI ± a sentença estrangeira. Art. para serem executados.925-1973) I . Art.953-1994) III . mas se busca a execução no judiciário. 586 .00 Contrato: 30 meses Condomínio João Paulo Locador Paulo locatário 4 meses sem pagar aluguel e condomínios O condomínio irá cobrar do Paulo ± dono-.00 Condomínio (taxa): 500. dos Territórios e dos Municípios. tem lei própria.a escritura pública ou outro documento público assinado pelo devedor. (Alterado pela L -008.21 III ± a sentença homologatória de conciliação ou de transação. y y y y Extrajudicial 585 y y y y y y y y y y Art. IV e VI. 585 . Parágrafo único.É definitiva a execução fundada em título extrajudicial.9531994) II . conforme o caso.A execução para cobrança de crédito fundar-se-á sempre em título de obrigação certa. VIII . o instrumento de transação referendado pelo Ministério Público. a duplicata.todos os demais títulos a que. O arbitro somente pode proferir sentença.Não dependem de homologação pelo Supremo Tribunal Federal. Executa-se no poder judiciário. aos herdeiros e aos sucessores a título singular ou universal. § 1º . V . ou de tradutor. de intérprete. quando recebidos com efeito suspensivo (art. promover a demanda em face do proprietário ± propter ren.a letra de câmbio. penhor. bem como de encargos acessórios.

Além disso. tem sido crescentemente utilizada no mercado internacional como forma de aumentar a transparência dos negócios realizados com debêntures. prazo. forma de cálculo.DJ 05. Esses títulos dão aos seus detentores um direito de crédito sobre a companhia emissora e possuem características particulares de prazo e rentabilidade. quirografária ou subordinada. de capital aberto ou fechado. Nos casos em que há baixa liquidez do ativo. flutuante. Pesquisar Hipoteca penhor.13/12/1999 . estão descritas todas as características do papel: valor nominal. Nelas. o valor nominal das debêntures é atualizado ao longo da existência do título. dando origem aospreços de negociação. Há duas formas de debêntures: nominativas ou escriturais. ainda que acompanhado de extrato da conta -corrente. Súmulas do Superior Tribunal de Justiça STJ Súmula nº 247 .06. documentalmente comprovado. y 585 cpc .22 Posteriormente Paulo pode executar o contrato com Paulo. a ausência de preços de negociação é suprida pelos preços sintéticos de projetos deprecificação. os investidores institucionais são obrigados a marcar suas carteiras a mercado. com prévio registro na CVM ± Comissão de Valores Mobiliários. de acordo com as características previamente estabelecidas na es critura de emissão. podem ter as seguintes classificações: real.DJ 08. Definido na data de emissão. fluxo de pagamento. constitui documento hábil para o ajuizamento da ação monitória.Título Executivo O contrato de abertura de crédito. para que sejam distribuídas publicamente. após pagar ao condomínio. assim como de preços de referência.2000 Contrato de Abertura de Crédito . em função das condições de mercado e liquidez. Súmulas do Superior Tribunal de Justiça STJ Súmula nº 233 . usufruto e caução. resultando no chamado PU (Preço Unitário) da curva. ou PU Histórico. Quanto à classe.Ação Monitória O contrato de abertura de crédito em conta-corrente. bem como de encargos acessórios. incentivando a participação de um número maior de investidores. indexador pelo qual o valor é atualizado. e condições que devem ser obedecidas pela companhia emissora ao longo da vida útil do ativo. sempre definidas em sua escritura de emissão. tais como taxas e despesas de condomínio. a exemplo dos sintéticos. e ainda cobrar os 2000 reais que sub -rogou no direito. não é título executivo.23/05/2001 . As escrituras são os documentos mais importantes das emissões de debêntures.02. Os negócios realizados com debêntures no mercado secundário podem ser diferentes do seu preço na curva. rentabilidade proposta pelo emissor. anticrese. devem ser emitidas por companhias de capital aberto. como os desenvolvidos pela ANBIMA. como ocorre com as debêntures. por determinação do Banco Central.V . foro e laudêmio DEBENTURES As debêntures são valores mobiliários de renda fixa que podem ser emitidos por sociedades por ações. Boleto bancário é forma de pagamento.conversíveis ou permutáveis. . acompanhado do demonstrativo de débito.2001 Contrato de Abertura de Crédito . decorrente de aluguel de imóvel.o crédito. Entretanto. Já no que diz respeito à garantia. podem ser simples. A divulgação em tempo real dos preços praticados no mercado secundário.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->