P. 1
Apresentação - Evolução da teoria da administração.02

Apresentação - Evolução da teoria da administração.02

|Views: 9.901|Likes:
Publicado porPaulo Batista

More info:

Published by: Paulo Batista on May 18, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/28/2013

pdf

text

original

Sections

  • 1. Apresentação
  • 4. Introdução
  • 5. A Administração Científica (Tayloismo)
  • 5.1. Frederick Winslow Taylor
  • 5.2. Os Princípios e Propostas de Taylor ao Modelo Científico
  • 5.3. Os Principais Seguidores do Movimento Científico
  • 5.4. Aplicação dos Princípios Científicos na Montagem FORD
  • 5.7. Críticas ao Tayloismo (pontos negativos)
  • 5.8. Características Favoráveis (pontos positivos)
  • 5.9. Principais Características e Resultados da Administração Científica
  • 6. A Administração Clássica (Fayolismo)
  • 6.2. Abordagem da Administração Clássica e suasfunções básicas
  • 6.3. Princípios Gerais da Administração Clássica
  • 6.5. Outros pontos importantes da Teoria Clássica
  • 7. Administração Humanística
  • 7.1. Abordagem e Funções Básicas
  • 7.2. Georges Elton Mayo
  • 7.3. Estudos de Hawthorne
  • 7.4. Decorrência da teoria Humanística
  • 7.7. Um pioneiro das relações humanas
  • 7.8. Síntese da administração humanística
  • 8. Administração Burocrática
  • 8.3. Pensamentos de Weber
  • 8.4. Críticas à burocracia
  • 8.5. Conceitos Chaves ± (Pontos positivos)
  • 9. Administração Sistemática
  • 10. Administração Contingencial
  • 10.2. Surgimento da Contingência
  • 11. Administração por Objetivos
  • 11.2. Planejamento Estratégico
  • 11.3. Modelos de Administração por Objetivas
  • 11.4. Apreciação crítica da APO
  • 12. Administração Estratégica
  • 12.2. Modelo de Tomada de decisões Estratégicas
  • 12.3. Componentes da estratégia
  • 12.4. Pontos críticos ± (negativos X positivos)
  • 13. Administração Participativa:
  • 13.1. Histórico da Administração Participativa
  • 13.2. Pontos críticos (positivos e negativos)
  • 14. Administração Japonesa
  • 14.2. Características básicas do Ohnoismo
  • 14.3. Vulnerabilidades e Pontos fortes
  • 15. Administração Empreendedora:
  • 16. Administração Holística
  • 17. Administração Virtual:
  • 17.2. A Gerência da Organização Virtual
  • 17.3. Considerações (pontos críticos)
  • 18. Administração Mercadológica:
  • 18.1. Conceitos iniciais
  • 18.2. Estágios da atividade de Marketing em uma empresa
  • 20. Referências Bibliográficas

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO - UNICAP CENTRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA - CCT ENGENHARIA CIVIL

PAULO ROBERTO BATISTA DA SILVA

EVOLUÇÃO DOS MODELOS DE ADMINISTRAÇÃO

Recife Abril/ 2011

PAULO ROBERTO BATISTA DA SILVA

EVOLUÇÃO DOS MODELOS DE ADMINISTRAÇÃO

Trabalho apresentado para a disciplina de Administração e Planejamento sob orientação do Professor Jorge Azevedo como nota parcial do 1º GQ.

Recife Abril/ 2011

1

Ficha de Cadastral

2

SUMÁRIO

1 ± Apresentação....................................................................................06 2 ± Resumo.............................................................................................07 3 ± Abstract.............................................................................................10 4 ± Introdução.........................................................................................13 5 ± A Administração Científica (Tayloismo)............................................14 5.1 ± Frederick Winslow Taylor...............................................................14 5.2 ± Os Princípios e Propostas de Taylor ao Modelo Científico............14 5.3 ± Os Principais Seguidores do Movimento Científico.......................15 5.4 ± Aplicação dos Princípios Científicos na Montagem FORD............15 5.5 ± Pensamentos de Taylor.................................................................15 5.6 ± Consequências Históricas.............................................................15 5.7 ± Críticas ao Tayloismo (pontos negativos)......................................16 5.8 ± Características Favoráveis (pontos positivos)...............................16 5.9 ± Principais Características da Administração Científica..................16 6 ± A Administração Clássica (Fayolismo).............................................18 6.1 ± Jules Henry Fayol..........................................................................18 6.2 ± Abordagem da Administração Clássica e suas funções básicas...18 6.3 ± Princípios Gerais da Administração Clássica................................19 6.4 ± Centralização e Descentralização (Vantagens e desvantagens)..19 6.5 ± Outros pontos importantes da Teoria Clássica..............................21 6.6 ± Resultados««..............................................................................21 7 ± Administração Humanística..............................................................23 7.1 ± Abordagem e Funções Básicas.....................................................23 7.2 ± Georges Elton Mayo......................................................................24 7.3 ± Estudos de Hawthorn.....................................................................24 7.4 ± Decorrência da Teoria Humanística..............................................25
3

7.5 ± Pontos Positivos............................................................................25 7.6 ± Pontos Negativos...........................................................................25 7.7 ± Um pioneiro das Relações Humanas............................................26 7.8 ± Síntese da Administração Humanística.........................................26 8 ± Administração Burocrática................................................................27 8.1 ± Definição........................................................................................27 8.2 ± Emil Maximillian Weber..................................................................27 8.3 ± Pensamentos de Weber................................................................27 8.4 ± Críticas à Burocracia......................................................................28 8.5 ± Conceitos Chaves (pontos positivos).............................................28 9 ± Administração Sistemática................................................................29 9.1 ± Abordagem Sistemática da Administração....................................29 9.2 ± Norbert Wiener...............................................................................29 9.3 ± Pontos Marcantes..........................................................................29 9.4 ± Tipos de Sistemas.........................................................................30 9.5 ± Pontos Críticos...............................................................................30 10 ± Administração Contingencial..........................................................32 10.1 ± Definição......................................................................................32 10.2 ± Surgimento da Contingência........................................................32 10.3 ± Pesquisadores da Teoria Contingencial......................................34 10.4 ± Ambiente......................................................................................35 10.5 ± Tecnologia...................................................................................35 10.6 ± Pontos positivos...........................................................................36 10.7 ± Pontos negativos.........................................................................37 11 ± Administração por Objetivas...........................................................38 11.1 ± Características da APO...............................................................38 11.2 ± Planejamento Estratégico............................................................39
4

.............................39 11.......................42 12.........................................................................47 14...........47 14...................................................1 ± Definição.....58 5 ......1 ± Histórico da Administração Participativa.49 16 ± Administração Holística.................................43 13 ± Administração Participativa.........................................................................................................43 12..........................................42 12........................................1 ± Definição..............45 14 ± Administração Japonesa......................................................................2 ± Características básicas do Ohnoismo.............................................................................................................................53 17......56 19 ± Conclusão..40 12 ± Administração Estratégica.........57 20 ± Referências Bibliográficas...............................3 ± Modelos de Administração por Objetivas....................3 ± Componentes da estratégia....................................................1 ± Introdução.....................................................................45 13...............................53 17.........................................................47 15 ± Administração Empreendedora............................................................................3 ± Considerações (pontos críticos).........2 ± Pontos críticos (positivos x negativos).51 17 ± Administração Virtual........................55 18 ± Administração Mercadológica..............53 17.1 ± Conceitos Iniciais.......3 ± Vulnerabilidades e pontos fortes.......47 14...............................................................4 ± Pontos críticos (negativos X positivos).........................2 ± A gerência da organização Virtual.........4 ± Apreciação crítica da APO......11................................................................................................................................56 18.......................................................................42 12.......................45 13....................2 ± Estágios da atividade de marketing em uma empresa.................2 ± Modelo de tomada de decisões estratégicas.......56 18.......................

Assim surge o pioneiro da administração.1. então chamado de Taylor. controlamos coordenamos. estamos fazendo da arte de administrar uma potencial ferramenta. Apresentação A Administração é a arte de controlar as mais diversas atividades profissionais e até mesmo pessoais. e logo em seguida as empresas. Apresenta-se a seguir um apurado consistente sobre os mais diversos tipos de administração com seus fundadores e pontos críticos. no sentido de organizar as etapas dos serviços e alcançar uma máxima produtividade e produção eficiente. executamos e comandamos. que fundou a administração científica com a qual implantou as funções básicas que fornece até hoje uma base sólida e rígida na arte de administrar. Ferramenta essa que foi desenvolvida para as organizações militares e religiosas. Salientando que em cada tópico há uma variedade de funções que foram sendo atualizadas e outras que foram incrementadas no sentido de avançarmos na arte de administrar com eficiência e eficácia nossas atividades profissionais e pessoais. 6 . Ele coexiste com todas as profissões e sem ela não seria possível administrar as etapas das atividades. pois à medida que planejamos.

Embora a administração sistemática não aborde todas as questões com que os administradores sedefrontavam. A tecnologia moderna aliada aos cientistas. contexto ou situação navida das pessoas. Abordagens Clássicas: 01.A abordagem da administração sistemática buscou construir procedimentos e processosespecíficos nas operações para assegurar a coordenação dos esforços. Ele concluiu que as decisões administrativas eram assistemáticase que não existia pesquisa para s e determinarem os melhores meios de 7 . das empresas e das entidades.gestão administrativa (clássica) e relações humanas (humanística). como Ciência e como Profissão. o centro do crescimento norte -americano. quehoje compõem o Sistema CFA/CRA's. com seus mecanismos. assim. A história da Administração iniciou -se em 1931. proveitoso e imprescindível em qualquer segmento. Entretanto. administração científica. suíço naturalizado. Resumo É importante conhecer a história da Administração no Brasil e os precursores da luta detorná-la reconhecida. Começaram a ser criados outros Conselhos Regionais nas diversas capitais do país. E a partir desse ano foram criados departamentos. um novo tempo de desenvolvimento e aperfeiçoamento daAdministração. estudos e trabalhos vêm provando queAdministrar é necessário. descobriuque a produção e o pagamento eram ruins. com abrangência e autonomia nas diversas regiões da Unidade Federativa. As principaisabordagens que surgiram foram: admi nistração sistemática. que a ineficiência e as perdas eram prevalentes eque a maioria das empresas possuía um grande potencial não utilizado. A maioria das tarefas organizacionais era subdivididae executada segundo o trabalho especializado. a coordenação ruim entre ossubordinados e entre os diferentes níveis administrativos causava problemas freqüentes eparadas no processo produtivo. na sua direção técnica.IDORT. uma falha daadministração sistemática. assessoria adequada. um jovem engenheiro. que acreditavaque a administ ração das fábricas.pesquisadores e professores. burocracia. A administraçãosistemática enfatizava operações econômicas. associações e leis com amissão de trabalhar pela afirmação da existência e fixação da profissão de Administrador. 02. Administração Sistemática : Surgiu a partir dos pensamentos de Adam Smith. com a finalidade de difundir e consolidar a missão do órgãomaior (CFTA) da categoria.2. que contava com o Professor Roberto Mange.era caótica esuas idéias ajudariam a sistematizá -las. manutenção deestoques para atender à demanda dos consumidores e ao controle organizacional. com a fundação do Instituto da Organização Racional do Trabalho . escolas. Administração Científica : Criada por Frederick Taylor.tentou -se elevar a consciência deles a respeito das preocupações mais urgentesde seu trabalho. Iniciase.O período clássico se estendeu desde meados do século XIX ate os anos 50.

Com isso.experiência eobjetivos.Fayol adicionou uma função básica as quatro já identificadas antes. subordinação dointeresse individual ao interesse geral. Relações Humanas(Humanística): Essa abordagem deve muito às escolas de pensamento. Na verdade. centralização. surgiu através de um livro publicado por ele com suas experiências administrativas. remuneração. unidade de direção.Essa abordagem defendia a aplicação de métodos científicos para analisar o trabalho edeterminar como completar as tarefa s de produção eficientemente. estabilidade e manutenção do pessoal.Com o 8 . hierarquia. Burocracia: Surge também através da publicação de um livro onde Max Weber. RelaçõesHumanas foi a primeira grande abordagem a enfatizar os relacionamentos de trabalhoinformal e a satisfação do trabalhador. As idéias de Gilbreths (administração cientifica).Weber acreditava que com a burocracia os resultados diferentes pudessem ser eliminados.organizar.numa organização onde os administradores possuíssem habilidades variadas .equidade.Weber recomendava que os cargos fossem padronizados de modo que a mudançade pessoal não desintegrassem a organizaç ão. Gestão Administrativa (Clássica): Defendida por Henry Fayol.A abordagem da gestão administrativa enfatizava a perspectiva do s altos administradoresdentro da organização e sustentava que a administração era uma profissão e poderia serensinada. a abordagem surgiude um projeto de pesquisa que começou com um estudo de administração cientifica. Taylor concluiu q ue tanto os trabalhadores quanto a administração poderiam sebeneficiar disso. unidade de comando. autoridade. ordem. e também definiu catorze princípios: Divisão dotrabalho. 04. Asregras e regulamentações padronizaram o comportamento e a autoridade agora era sobre asposições e não sobre os indivíduos. advogado e historiador alemão que mostra como a administração em si mesma poderia ser maiseficiente. sociólogo. comandar. Abordagens Contemporâneas 05. Barnard e Follet (gestão administrativa) influenciaram o desenvolvimento das relações humanas entre 1930 e 1955. A abordagem de relações humanas visava entender como os processos psicológicos esociais interagem com a situação de trabalho para influenciar o desempenho. Taylor introduziu uma segunda abordagem administrativa. que consistia no pagamento de quantiasadicionais aos trabalhadores quando eles excedessem níveis -padrão de resultado em cadatrabalho. coordenar e controlar.produção. engenheiro de minas e executivo francês.Ele enfatizava a existência de uma redeestrutural e formal de relacionamentos entre posições especializadas numa organização. disciplina. administração científica. Outro elemento dessaabordagem era o uso de gratificação diferenciada. 03. que são:Planejar. iniciativa e espírito de equipe.

Virtual e Mercadológica Estratégica. . . a estrutura or ganizacional ou o processo administrativoadequado às circunstâncias.resultado a organização não precisaria apoiar -seem apenas um individuo. 06. Outras abordagens que fazem parte a administração são: Japonesa. a teoria dos sistemas fornece um meio para interpretar as organizações. .Eficácia: é o grau em que os resultados de uma organização correspondem às necessidadese aos desejos do ambiente externo. Interligação dos objetivos departamentais. 07. mas obteria eficiência e sucesso seguindo as regras eregulamentações. Possuialguns conceitos importantes tais como: .Com um olho nessas contingências.Sistemas abertos: são organizações dependentes de insumosque provêm do mundo externo(matérias -primas). a saber. . Por objetiv o: Estabelecimento conjunto de objetivos entre o executivo e o seu supervisor : A maior parte dos sistemas de APO utiliza essa característica . Teoria da Contingência (Contingencial): Construída a partir das idéias dos sistemas. 08. Holística. a perspectivacontingencial refuta os princípios universais da administração pela afirmação de que umavariedade de fatores que podem afetar o desempenho da organização sejam eles internos ouexternos.Eficiência: é a razão dos resultados pelos insumos. -Sinergia: é quando o todo é maior que a somadas partes. quais os conjuntos decircunstâncias que ditam as ações administrativas. .Subsistemas: é um componente do todo einterdependente dos outros sistemas. um administrador pode caracterizar a situação e depoisescolher a estratégia competitiva. 9 . Entender as contingências auxilia o administrador . Participativa. Empreendedora.Sistemas fechados: são aqueles que nãointeragem com o meio ambiente externo.Equifinalidade: é o mesmo que existir diversoscaminhos que chegam ao mesmo resultado. Teoria dos Sistemas (Sistemática): Baseada numa abordagem cientifica e voltada para os detalhes da organização.

Scientific Management: Built by Frederick Taylor. tried to raise their consciousness about the most pressing concerns of hi s work. who believed that management of factories. context or situation in people's lives. Abstract It is important to know the history of administration in Brazil and the precursors of the struggle to make it recognized. Classical approaches: 01. Systematic Management: It came from the thoughts of Adam Smith. a young engineer. The story of the Administration began in 1931 with the founding of the Institute for Rational Organization of Work . poor coordination among subordinates and between different administrative levels and frequent stoppag es caused problems in the production process. a systematic failure of m anagement. schools. Most organizational tasks were subdivided and executed under the expert work. the center of U. appropriate advice . e conomic growth. Modern technology coupled with scientists. However. It begins thus a new era of development and improvement of management as Science and as a Profession. And from that year were created departments. with scope and autonomy in various region s of the Federal Unit . A systematic management approach aimed to create specific procedures and processes in operations to ensure coordination of efforts. The main approaches that emerged were: systemic administration.IDORT.S. discovered that the production and payment were bad. Taylor introduced a second administrative approach. Began to be created other regional councils in the various capitals of the country. He concluded that administrative decisions were unsystematic and that there was research to determine the best means of production. bureaucracy. researchers and professors. scientific management. in its technical direction. that inefficiency and losses were prevalent and that most companies had a large unused potential. Although systemic administration is not addressing all the issues with which managers are confronted. maintenance of inventories to meet consumer demand and organizational control. With that. in order to spread and consolidate the mission's largest organ (CFTA) category. This approach advocated the application of scientific methods to 10 . with its mechanisms. businesses and entities. associations and laws with the mission of working for the affirmation of the existence and establishment of the profession of the Adm inistrator. useful and indispensable in any segment. which featured Professor Robert Mange. The systemic administration emphasized economic operations. which today makes up the CFA / CRA 's. Swiss -born. studies and has proved that it is nece ssary to administer. scientific management. 02. The classical period lasted from the mid-nineteenth century until the '50s.3. was chaotic and his ideas help to systematize them. administration and management and human relations.

lead. unity of direction. which involved the payment of additional amounts to employees when they exceed standard levels of outcome in each study. 04. stability and maintenance staff. sociologist. It has some important concepts such as: . Fayol added a basic function of the four already identified earlier. unity of c ommand. which are: Plan. The human relations approach aimed at understandin g how social and psychological processes interact with the work situation to influence performance. systems theory provides a means for interpreting organizati ons. in an organization where managers possess varied skills.analyze the work and determine how to complete production tasks efficiently. and also identified fourteen principles: division of labor. Barnard and Follet (administration) influenced the development of human relations between 1930 and 1955. hierarchy. As a result the organization would not need to rely on just one person but would achieve efficiency and success following the rules and regulations. coordinate and control. 03. subordination of individual interest the general interest. initiative and team spirit. Taylor found that both workers and management could benefit from it.Open systems: organizations are dependent on inputs that come from the outside world (raw materials). Bureaucracy: It also appears in the publication of a book where Max Weber. authority. lawyer and historian who shows how the German government itself could be more efficient. Indeed. order. Systems Theory (Systematic): Based on a scientific approach and focused on the details of the organization. He emphasized the existence of a network of formal and structural relationships between specialist positions in an organization. organize. experience and goals. Contemporary Approaches : 05. Human Relations (Humanities): This approach owes much to the schools of thought. discipline. Administrative Management (Classic): Defended by Henry Fayol. 06. Weber believed that bureaucracy with the different results could be eliminated. remuneration. came across a book published by him with his administrative skills. The rules and regulations standardizing the behavior and the authority was now on the positions and not on individuals. The administration's approach emphasized the perspective of senior managers within the organization and maintained that the administration was a profession and could be taught. Weber recommended that the positions were standardized so that the change in personnel did not disintegrate the organization. 11 . Human Relations was the first major approach to emphasize the informal working relationships and employee satisfaction. fairness. Another element of this approach was the use of bonus differentiated. The ideas of Gilbreths (scientific managemen t). the approach came from a research project that began with a study of management science. a mining engineer and executive French. centralization.

Equifinality: there is the s ame as many paths that lead to the same result. . Holistic Marketing and Virtua 12 . Entrepreneurship. Other approaches that are part of the administration are: Strategic.Effectiveness: the degree to which the results of an organization meet the needs and desires of the external environment. what sets of circumstances that dictate administrative acti ons. With an eye on these contingencies. Contingency Theory (Contingency): Built from the ideas of systems.Subsystems: is a component of the whole and interdependence of other systems. organizational structure or administrative procedure appropriate to the circumstances. namely. Understanding the contingencies assists the administrator. The objective: establishing goals set between the executive and his supervisor: Most systems APO uses this feature. . an administrator can define the situation and then choose a competitive strategy.Synergy: is when the whole is greater than the sum of its parts. the contingency perspective rejects the universal principles of manage ment by the assertion that a variety of factors that can affect the performance of the organization whether internal or external. Japanese.Efficiency is the ratio of th e results for inputs. 07. Participatory. . Interconnection of departmental objectives. . 08.. .Closed systems: those that do not interact with the external environment.

13 . em 1776 e desenvolveu -se em duas fases distintas: a primeira fase de 1780 a 1860. para fazer face à intensa concorrência e competição no mercado. duas instituições se destacaram: a Igreja Católica Romana e as Organizações Militares. A revolução da eletricidade e derivados do petróleo. O fenômeno que provocou o aparecimento da empresa e da moderna administração ocorreu no final do século XVIII e se estendeu ao longo do século XIX. e do aço. como principal matéria-prima. b) necessidade de maior eficiência e produtividade das empresas. a saber: a) crescimento acelerado e desorganizado das empresas que passaram a exigir uma administração científica capaz de substituir o empirismo e a improvisação. Através dos séculos vem mostrando e provando a força de atração de seus objetivos. A revolução do carvão. chamou-se Revolução Industrial. inclusive sobre os comportamentos das pessoas. A Revolução Industrial teve início na Inglaterra. Ao final desse período. e gerar uma equipe de trabalho forte.4. Introdução Na evolução histórica da administração. como as novas fontes de energia. a eficácia de suas técnicas organizacionais e administrativas. com a invenção da máquina a vapor. chegando ao limiar do século XX. Daí a necessidade de se formar as teorias administrativas que pudessem por ordem nas organizações e se obter maior produtividade e eficiência nos processos administrativos. E a moderna administração surgiu em resposta a duas conseqüências provocadas pela Revolução Industrial.Asegunda fase de 1860 a 1914. sociais e políticas. que trouxe rápi das e profundas mudanças econômicas. eficiente e produtiva. como principal fonte de energia. como a nova maté ria-prima. Esse fenômeno. por James Watt. As Organizações Militares evoluíram das displicentes ordens dos cavaleiros medievais e dos exércitos mercenários dos séculos XVII e XVIII até os tempos modernos com uma hierarquia de poder rígida e adoção de princípios e práticas administrativ as comuns a todas as empresas da atualidade. o mundo já não era mais o mesmo. espalhando -se por todo mundo e exercendo influência. A Igreja Católica Romana pode ser considerada a organização formal mais eficiente da civilização ocidental. e do ferro.

enviando -o assim para Boston para estudar direito na Universidade de Harvard. General Electric. Objetivo de seus pais era que ele obtivesse uma formação educacional excelente.Pagamento diferenciado para os trabalhadores que produzia além do estabelecido . . a produção e produtividade eram baixas. Foi trabalhar em uma oficina ao lado de sua casa.2.Educado dentro de uma mentalidade de disciplina devotada ao trabalho e economia financeira. proporcionando ao Taylor uma educação excelente. Com sua formação acadêmica em Engenharia Mecânica. Ford e Bell Telephone surgiram nesse período e começaram a se expandir.1.Paradas para eliminar a fadiga. A proposta básica de Taylor ao gerenciamento administrativo -científico torneava em cincos funções essenciais tais como: Planejar. e sua situação financeira razoável. Quando trabalhando na então fábrica de máquinas.A. A administração científica criada por Taylor traz as seguintes propostas: . no início do século XX. Sua família era de classe média.Contratar e treinar o trabalhador apropriando para realizar trabalhos.U.5. e a fabricas modelos novos de máquinas. Controlar e Coordenar.Uso de procedimentos para instrução e auxiliar os trabalh adores. . promover decisões administrativas assistemáticas tornando -se um líder de grupo que promoveu o movimento chamado de administração científica. observou que o pagamento aos funcionários era ruim. Os Princípios e Propostas de Taylor ao Modelo Científico A Administração científica foi introduzida logo após a revolução indus trial pelo Engenheiro Taylor. exercendo a função de aprendiz. . . Frederick Winslow Taylor Momento histórico e cronológico da vida de Taylor: Nascido em 20/03/1856 na cidade de Germantow.Importância da padronização das ferramentas. Assim decidiu que poderia mudar o p otencial das empresas. Morre no ano de 1915.A aplicação de métodos científicos para analisar o trabalho e determinar como completar as tarefas de produção eficiente. . 14 . Organizar. futuramente assume o cargo de engenheiro -chefe. As empresas como General Motos. aprendeu a operar máquinas e ferramentas. A Administração Científica (Tayloismo) 5. Goodyear. Sua ambição era tanta que não conseguia continuar seus estudos. a eficiência no trabalho . Co mandar. Aos 28 anos ingressou na Oficina de construção de máquinas MidvaleSrulCompany. 5. . subúrbio da Filadélfia. estado da Pensilvânia ± E. estimulando o estudo da escola científica. onde começou a desenvolver sua teoria.Técnicas como os estudos de tempos e movimentos.

uniu as práticas com a produção em massa e linhas de montagem. livro publicado por Taylor. uniu aos princípios comunistas fazendo com que a Rússia chegasse a patamares de organização mais rígidos e eficientes.Hugo Munsterburg. Ford vendo a dificuldade utilizou os princípios da administração científica e aplicou nas máquinas e trabalhadores. ajudando assim a indústria americana. 15 .Henry Gantt. Assim surgiu o modelo-T. ao longo de uma linha de produção móvel. 5. . tais como: . 5. o carro mais acessível para a maioria dos americanos.5. Ford verificou que o tempo esperado de fabricação diminuiu consideravelmente. a produção aumentou e a qualidade do produto melhorou. Aplicação dos Princípios Científicos na Montagem FORD Na época os carros eram caros e somente a bancada rica poderia comprá -los. os trabalhadores não eram especializados e gastavam muito tempo para fabricar u m carro. criador da psicologia industrial ± teste de seleção de pessoal. seu seguidor Henry Ford. a quantidade de trabalhadores era grande e o tempo muito longo. Taylor Para Taylor a administração científica deve -se ao fato de aplicação de métodos de pesquisa para identificar a melhor maneira de trabalhar. expandido por todos estados unidos e mundo afora. Em virtude dessa organização e ordem na linha de fabricação dos automóveis. colocando em seqüência de montagem. A montagem era feita no chão da fábrica e a dificuldade era imensa. 5.6.O casal Frank e Lilian Gilberth. Pensamento de Taylor ³O principal objetivo da gerência deve ser assegurar a máxima prosperidade de cada empregado e do patrão´ ± Frederick W. criador do gráfico de Gantt e treinamento profissional.Conseqüências Históricas Com ³os princípios da administração científica´. selecionar e treinar cientificamente os trabalhadores. . Na fábrica de carro comandada por Henry Ford. Os Principais Seguidores do Movimento Científico O princípio da administração foi amplamente acolhido e assim houve vários participantes que fizeram parte do movimento.4.5. que racionalizaram as tarefas de produção. Na Rússia seu seguidor Levin.3.

quando sabemos que não há comprovação de satisfação qua ndo de trabalha para simplesmente receber ordenado. Críticas ao Tayloismo (pontos negativos) . no entanto preocupasse com o lado humano e psicológico e social do trabalhador.Prosperidade para o patrão e empregado.Aparecimento da linha de montagem. ele tenta colocar ordem na casa. . . . .Introduziu análise cient ífica no ambiente de trabalho. executar as tarefas rotineiramente. minim izando custo e aumentando lucro.2º Período ± Racionalização e estruturação geral .Taylor encontra um ambiente desorganizado e desestruturado.Conceito de eficiência ± fazer bem.Taylor se prendeu a formar uma estrutura organizacional voltada para linha de produção e racionalização de tempo.A busca pelo dinheiro. Fundador da Administração Científica no século XX . sem. Características Favoráveis (pontos positivos) . Resultados: . .Abordagem puramente tecnicista . .7. o que motiva o operário.Origem Norte Americana.8.Rotinização do trabalho.Taylor. Tenta buscar uma abordagem que vai de encontro ao trabalhador e administradores.Melhorou a produtividade e a eficiência. ou seja. É de se esperar que a administração científica tornou-se a base das teorias que aplicamos hoje. . No ponto de vista mais grosso.5. . Principais Características e Resultados da Administração Científica Características: .ORT ± Organização Racional do Trabalho. 16 .1º Período ± Estudo do tempo e movimento . .9.Visão mecanicista e determinística da organização do trabalho no dia -a-dia. 5.Garantia de gratificação salarial em recompensa aos esforços e desempenho. . 5.Cooperação entre as classes trabalhistas e administradores. É um passo pioneiro e irreversível. fazendo assim uma única maneira de trabalhar.Tempo padrão. reduz-se a conjuntos de movimentos repetitivos. .

Especialização..Supervisão. 17 .Conceito de padrão.Criação da riqueza.Fordismo. . . . .Conforto e produtividade.Divisão de trabalho. . .

no âmbito organizacional. com tamanhos diferentes. A Administração Clássica (Fayolismo) 6. desperdícios. ele passa a ensinar na escola superior de guerra de P aris. lecionando administração pública. Fayol intitula seu livro como: AdministrationIndustrielleet Générale. que expôs durante suas experiências na empresa que trabalhava. com ênfase nas tarefas e no operário. Viveu entre as constantes guerras (revolução industrial e a I guerra mundial). formando -se aos 19 anos. Durante sua aposentadoria obteve êxit o ao salvar sua empresa da falência. na França. em Constantinopla ± França. Diante da abordagem das duas teorias observasse que há um ponto em comum como a busca da eficiência das organizações.6. 6.1. problemas de baixos rendimentos dos recursos utilizados. A análise. JuleHenry Fayol Nascido em 1841. intensa concorrência. Publicou o livro intitulado AdministrationIndustrielleetGénérale em 1916. onde o panorama industrial tinha suas características e elementos que conspiravam uma imensa variedade de empresas.2. cede espaço a uma visão universal e global do Fayloismo. levando a uma divisão do trabalho entre os que pensam e executam. Fayol partia de toda organização e chegava finalmente ao indivíduo. Após sua aposentadoria. na visão Tayloismo dá lugar. Abordagem da Administração Clássica e s uasfunções básicas No século XX. técnicas e métodos quanto a criação de uma ciência administrativa. e para diretor geral em 1888. ou seja. insatisfação generalizada entre os operários. Esse panorama levou tanto Taylor quanto Fayol a desenvolverem princípios que fundamentasse uma profunda mudança na administração da produção. na II revolução industrial. Enquanto Taylor partia de cada indivíduo. precisamente no ano de 1916. fruto do tato e da experiência. Funções básicas: 01 ± Funções técnicas 18 . Foi promovido ao cargo de gerente aos 25 anos. das tarefas de cada indivíduo. Taylor havia desenvolvido a administraç ão científica. porém. alto volume de perdas por decisões mal formuladas. é uma das principais qualidades do administrador¶¶. Aposentou -se em 1918. e que foi bastante divulgado pelos seus seguidores Gulick e Urwick. quando tinha 47 anos. Durante os anos em que Fayol propunha suas doutrinas. Estudou engenharia de minas. Dizia Fayol µ¶ A exata avaliação das coisas. Trabalhou em uma metalúrgica e carbonífera.

citando assim alguns princípios (totalizando 14).Disciplina .Equidade .4. Princípios Gerais da Administração Clássica Quando Fayol se refere aos princípios da administração. Portanto busca o aumento da eficiência por meio da forma e disposição dos departamentos e de suas inter -relações estruturais.Unidade de direção .Ordem .Centralização e Descentralização Enquanto a Teoria Clássica de Fayol defendia a organização linear caracterizada pela ênfase dada à centralização da autoridade. queria fortalecer o instumento administrativo e facilitar o funci onamento do corpo social. e do todo (organização) para as suas partes componentes (departamentos). ou seja.Divisão do trabalho . 6.Unidade do comando .Iniciativa .Autoridade e responsabilidade .Centralização . coordenação e controle) 6.Estabilidade do pessoal .02 ± Funções Comerciais 03 ± Funções Financeiras 04 ± Funções de Segurança 05 ± Funções Contábeis 06 ± Funções Administrativas (previsão. O problema da centralização versus descentralização é um assunto amplamente discutido pela 19 . organi zação.Remuneração de pessoal .Espírito de equipe A teoria clássica (normativista ou Fayloismo) enfatiza a estrutura. a saber: . não limitou ao sentido restrito da palavra. comando. e sua abordagem é descendente. da direção para os executores.3.Subordinação dos interesses individuais gerais . a Administração Científica de Taylor defendia a organização funcional caracterizada pela descentralização da autoridade.Cadeia escalar .

A descentralização corta os atrasos nas decisões causadas pelas consultas à matriz ou a supervisores distantes. aliviando os chefes do trabalho decisório. 20 . Com a descentralização.Melhora a qualidade das decisões à medida que seu volume e sua complexidade se reduzem. Descentralização ± Vantagens: . economizando tempo e dinheiro .As decisões são mais consistentes com os objetivos empresariais globais. . Centralização ± Desvantagens: -As decisões tomadas na cúpula estão distanciadas dos fatos locais e das circunstâncias .Teoria. A centralização e a descentralização referem -se ao nível hierárquico no qual as decisões devem ser tomadas.Os gerentes ficam próximos do ponto no qual devem tomar as decisões.Os tomadores de deci são no topo têm pouco contato com as pessoas e situações envolvidas. Os altos funcionários concent ram-se nas decisões importantes.As decisões passam pela cadeia escalar através de pessoas intermediárias e possibilitam distorções no processo de comunicação das decisões.As decisões são tomadas por pessoas que têm visão global da empresa. Centralização ± Vantagens: .As linhas de comunicação ao longo da cadeia escalar provocam de moras e maior custo operacional. As pessoas que vivem os problemas são as indicadas para resolvê los no local. A centralização elimina esforços duplicados de vários tomadores de decisão e reduz custos operacionais. aproveita melhor o tempo e a aptidão dos funcionários. . Centralização significa que a autoridade para tomar deci sões está centrada no topo da organização. . . . a autoridade de tomar decisões é delegada aos níveis baixos da organização. evitando que fujam à responsabilidade .Aumenta a eficiência e a motivação. . .Funções ² como compras e tesouraria ² permitem maior especialização e vantagens com a centralização. Os tomadores de decisão no topo são mais bem treinados e preparados d o que os dos níveis mais baixos.

6. e a capacidade principal dos grandes chefes é a característica administrativa. onde enfatiza o e studo das capacidades em que toda classe de empresa. 6.Uma função que se reparte como as outras especiais.A importância da administração perante as demais funções das organizações. A estrutura descentralizada produz gerentes gerais em vez de simples especialistas. .Ênfase na estrutura que a organização deveria possuir para ser eficiente. a capacidade principal dos agentes inferiores é acaracterística profissional da empresa. Os especialistas de staff(suporte. As reuniões de coordenação entre o pessoal central e o regional podem reduzir e sse problema. fossem elas departamentos. com políticas que definam até onde as unidades podem tomar suas decisões . Outros pontos importantes da Teoria Clássica . Partia da organização e da estrutura como um todo. seções ou pessoas como executores de tarefas e ocupantes de cargas. .Os gastos de coordenação são reduzidos em face da autonomia para tomar decisões. . A descentralização provoca perda de uniformidade nas decisões. . Isso requer uma estrutura organizacional definida. assessoria) se concentram na matriz e são mais utilizados. Resultados: A Teoria clássica surgiu da necessidade de utilizar os conceitos válidos e relevantes da Teoria.Reduz a quantidade de papelório e os gastos respectivos.5.6. . Descentralização ±Desvantagens: .Permite a formação de executivos locais ou regionais motivados e mais conscientes dos seus resultados operacionais. expurgando -os dos exageros e distorções típicos do pioneirismo e condensando 21 .Insuficiente aproveitamento dos especialistas. .Valoriza a necessidade do ensino da administração desde as escolas primárias ao ensino superior. A padronização e a uniformidade reduzem custos operacionais. . A descentralização requer treinamento e designação paulatina de funções . desde que a direção defina as relações entre a matriz e o campo de atividades para assegurar o equi líbrio.Falta de equipe apropriada no campo de atividades. onde uma coexiste com as outras. Ganh a-se tempo toma-se na hora uma decisão que levaria vários dias para ser comunicada . para garantir eficiência de todas as partes envolvidas.Falta de uniformidade nas decisões..

sobretudo. ênfase nos resultados e objetivos e. organização. Considera a Administração uma técnica social básica.Enfatiza as funções do administrador: planejamento. Os neoclássicos focalizam controle. ênfase nos princípios clássicos de administração. o ecletismo aberto e receptivo.os com outros conceitos válidos e relevantes oferecidos por outras teorias administrativas mais recentes. os fatores de descentralização e as vantagens e desvantagens da centralização. reafirmação relativa (e não absoluta) dos postulados clássicos. aspectos relacionados à direção de pessoas dentro das organizações. Uma das questões foi o dilema sobre centralização versus descentralização. além dos aspectos técnicos e específicos de seu trabalho. direção e 22 .A Teoriaclássica é identificada por algumas características marcantes: ênfase na prática da Administração.Surgiu com o crescimento exagerado das organizações. Isso leva à necessidade de que o administrador conheça.

da escola clássica. Visa tratar a organização sob o ponto de vista das pessoa s. A primeira e grande abordagem analisad a pelo grupo foi a relações humanas que enfatizava os relacionamentos de trabalho informal e a satisfação do trabalhador.Hug Munsterberg (1911). Desenvolvida na década de 30 por um grupo de pesquisadores da universidade de Harvard.1. Elton Mayo (1933 ). Barnard e Follet. . . Mas vale salientar que mesmo nos estudos da administração científica já havia indício s das relações humanas.Kurt Lewin (1935). Administração Humanística 7. FunçõesBásicas: Teoria das Relações Hum anas Elton Mayo Ênfase nas Pessoas enquanto parte da organização Gráfico 01 Organização Industrial RELAÇÕES HUMANAS Função econômica: Produzir bens ou serviços Gráfico 02 Função social: Dar satisfações a Equilíbrio externo 23 . . Seguidores:.John Dewey (1930). Quando Gilbreths da escola científica incrementou seus pensamentos. Tannenbaum (1961).R. O grupo era conhecido como estudos de Hawthorne.7. influenciaram o desenvolvimento humanístico nos anos de 1930 a 1955 . Abordagem e Funções Básicas Essa abordagem visava entender como os processos psicológicos e sociais interagem com a situação de trabalho para influenciar o desenvolvimento.

entre eles. quando na observação dos operários.2. Formou-se em medicina na universidade de Adelaide. 4º estágio ± Cooperação do grupo e promover a satisfação do trabalho. Foi um dos fundadores e principais expoentes da sociologia industrial norte -americana. os estágios de projetos. em uma das unidades da empresa localizada fora da cidade de Chicago. surgindo assim um novo comportamento por parte dos operários. trabalha na análise psicológica de soldados em estado de choque. Estudos de Hawthorne Os estudos de Hawthorne foram uma série de estudos e experimentos desenvolvidos entre os anos de 1924 e 1932. 2º estágio ± Enfatizar primeiramente o bem -estar. comandado por Elton Mayo e Fritz Rolthlisberger. nascido na cidade de Adelaide. Os estudos Haw Os estudos Hawthorne forneceram alguns resultados interessantes na história da administração humanística. do dia 26 de dezembro de 1880 e falecido aos 07 de setembro de 1949. Georges Elton Mayo Georges Elton Mayo foi um sociólogo australiano. estuda as sociedades aborígenes. 3º estágio ± As necessidades sociais tinham precedentes sobre as necessidades econômicas. chamado de efeito Hawthorne. Durante a primeir a guerra mundial. Quando a empresa que fabricava equip amentos de comunicação chamada de Western Electric Company formou um grupo de pesquisadores formados pela universidade de Harvard. Reino Unido. que o tornam sensível às múltiplas dimensões da natureza humana. na cidade de Polesden. A companhia lançou o desafio de que o grupo deveria investigar a influência das condições de trabalho na produtividade e eficiência dos trabalhadores. Austrália.7.3. a saber: 1º estágio ± Experimentos com iluminação. Ainda na Austrália. 7. os pesquisadores chegaram a conclusão que não houve alteração sistemática na produção. 24 . No primeiro estágio. a motivação e a comunicação dos empregados. 5º estágio ± Normas grupais consistentes com os objetivos da organização. trabalhou na África e lecionou na universidade de Queensland.

Limitação no campo experimental e parcialidade nas conclusões . Pontos negativos (Críticas a teoria humanística ) .Níveis de moral e as atitudes resultantes . Dinâmica grupal e interpessoal 7.Lideranças autocrata.Pouca atenção foi dada a estrutura organizacional .Ênfase exagerada nos grupos informais 25 .5. liberal e democrata 7.6.4. Confiança e abertura 7.O homem social .Motivação humana . Delegação de autoridades 5. Tratam a organização como grupos de pessoas 2. Durante esses estágios a equipe entrevistou vários trabalhadores durante um longo período e realizaram várias dinâmicas de grupo. Inspiradas em sistemas de psicologias 4.Apresentou visão inadequada dos problemas de relações industriais . Autonomia do empregado 6. Pontos positivos da teoria human ística 1. psicológicas e auto -realização . Enfatizam as pessoas 3. 7.Oposição cerrada à teoria clássica . Decorrência d a teoria Humanística .A equipe concluiu que a produti vidade poderia ser mais afetada por fatores psicológicos e sociais do que por influência física e objetiva.Níveis de Necessidades fisiológicas.

deixa a universidade para trabalhar na empresa. um varejista inglês William Procter e James Gamble formaram uma sociedade para fazer sabão e velas. Assim com base em suas próprias experiências. então ele começou no chão da fábrica manipulando resina e outros serviços grosseiros. Ele quis conhecer o processo de fabricação e aforma de trabalho dos operários. pois os trabalhadores entendiam que o lucro era simplesmente uma forma compensatória dos esforços. almoçava com os operários. William viu que era preciso injetar uma dose mais forte a ponto de ente nderem que a forma compensatória era no sentido de melhorar na qualidade do serviço. Mas ainda o plano não estava completo. Em 1883.7. Então ele começou a dividir o lucro com os trabalhadores. 7. conhecendo assim seus sentimentos a respeito do trabalho. William Cooper Procter. Síntese da administração humanística Princípios A administração é formada por pessoas Delegação de autoridade s Confiança e abertura Dinâmica de grupo RELAÇÕES HUMANAS TABELA 01 Ênfases Humanizar a administração Democratiza a administração Sistema social Estudos Motivação Liderança Redes de comunicação 26 .7. com o crescimento substancial da sociedade.8. Um pioneiro das relações humanas Em 1837. o neto de William. ele acreditava que aumentando o comprometimento psicológico com a empresa. conduziria a uma maior produtividade.

trocando de funcionário. a autoridade das leis. todas as organizações têm o seu papel burocrático no sentido que se fundamentam em autoridade legal -racional. Os primeiros estudos sobre a burocracia foi desenvolvid a em língua alemã. é funcional perante regras racionais que depen dem simplesmente de lógicas e nunca de interesse pessoais. Emil Maximillian Weber Foi um sociólogo. o modelo ideal para a administração era a abordagem burocr ática. Ele recome ndava que os cargos em uma empresa fossem ocupados de maneira tal que não houvesse a descentralização na organização. A sociedade e as organizações formam sistemas de normas impessoais. O tipo ideal é um modelo abstrato e descritivo. ou seja.3.8.1. Autor do livro: The theoryof social andeconomicorganizations . Somente nos anos 40 que suas bases foramtraduzidas para o inglês. São as normas que regem o comportamento das pessoas. ou seja. 27 . criador da burocracia. 8.2. Administração Burocrática 8. 8. Pensamentos de Weber Acreditava que o tipo ideal da administração pudesse romper com os mais variados resultados numa organização onde os administradores possuíssem diferentes habilidades. disciplina. continuidade.Para Weber. é a forma m ais íntegra de exercer a administração no sentido de que o exercício da autoridade se obtém na obediência. Assim. Para Weber. Em suma. não havia mudança ou desintegração na organização. pesquisador das organizações formais e autor do conceito de tipo ideal de burocracia. experiências e objetivos. Definição A palavra burocracia em seu sentido original indica a forma de organização que se baseia na racionalização das leis. para o mesmo cargo. É um esquema que procura sintetizar os pontos comuns à maioria das organizações formais modernas. advogado e historiador social alemão. rigor e rapidez. também chamada do tipo ideal de burocracia. ao contrário dos tempos primitivos onde os governantes era que comandava o comportamento das pessoas. na década de20. As organizações burocráticas são descrita como máquinas totalmente impessoais.

Tendo uma estrutura onde a hierarquia possa ser bem vista nas mais diversas posições. 8. . .Regras e regulamentos padronizam o comportamento. deixando -os padronizados e uniformes quanto à obediência frente às tare fas e subordinação.Hierarquia define o relacionamento entre os cargos. em uma grande empresa as burocra cias são especialmente importantes. 28 . Conceitos Chaves ± (Pontos positivos) . As regras e regulamentos eram responsáveis pela obtenção do comportamento dos funcionários. o foco seria então transportado para a posição e não no indivíduo que se encontra naquele patamar. pois nem todas as pessoas se adéquam as normas.5. ou seja. . em uma tomada de decisão rápida e flexível.Uma vez estabelecido é muito difícil desmantê -la.Elimina o julgamento subjetivo dos empregados e administradores. . . ..Na burocracia.Acumulo de poder.Enfatiza a posição ou cargo dos administradores. regras e procedimentos aplicados em espaço de tempo curto.Nem todas as organizações podem adotar o tipo ideal. . .4. Críticas à burocracia . pois os procedimentos podem torna -se o fim em vez de meios. entende -se que não pode ser delegada autoridade excessiva a muitas pessoas. 8. . eliminando assim opiniões subjetivas por parte dos administradores. pode sofrer frente a abordagem burocrática. Ele acredita que.Cargos são assessorados por especialistas treinados que seguem as regras.Promove desempenho eficiente das atividades organizacional rotinei ras. levando a uma administração autoritária. .Ignora a importância das pessoas e dos relacionamentos interpessoais. pelo fato de promoverem habilidades especializadas. ou ainda ou administradores podem ignorar regras e regulamentos.Rede formal e estruturada de relacionamento entre posições especializadas numa organização.Ele enfatizava a existência de uma rede estruturada e formal de relacionamento entre posições especializadas numa organização. pois algumas nã o são apropriadas.

e teve um impacto importante sobre as suas ideias sobre a ciência que viria a ser chamada Cibernética.1. veio da Byelostok na Rússia czarista. ele trabalhou com Artur Rosenblueth na Cidade do México. foi agraciado com um doutoramento de Harvard com a idade de 18 anos. A fim de avaliar de que maneira os sistemas organizacionais e administrativos eram estruturados e quais mecanismos eram necessários para que funciona ssem como o previsto. Em seu livro ele define a cibernética como o estudo da regulação e controle em sistemas. Seu pai. com ênfase sobre a natureza do feedback. Uma criança muito precoce.A Teoria Geral dos Sistemas tem por finalidade identificar as propriedades. seguida pela de professor adjunto em 1929 e do professor em 1931. isto é. Abordagem Sistêmica da Administração A curiosidade e a necessidade de se verificar a maneira pela qual eram estruturadas as organizações trouxeram c ontribuições significativas à busca da eficiência. em 26 de novembro. matemáticos e sociólogos encontraram um ponto comum na investigação de como as organizações funcionavam como sistemas. da natureza de seus elementos componentes e das relações entre eles. Sua primeira mensagem de importância foi a de instrutor de matemática no MIT em 1919. Lógica e Matemática em Cambridge (Inglaterra) e Göttingen sob Bertrand Russell e Hilbert David. Administração Sistemática 9. Baseada nessa abordagem cientifica e voltada para os detalhes da organização. Em 1964. Norbert Wiener morreu em Estocolmo. Em 1945.3. uma vez um professor de línguas eslavas na Universidade de Harvard. ele estudou Filosofia. mas aplica-se a todo e qualquer sistema constituído por componentes em interação. princípios e leis característicos dos sistemas em geral.2. em 18 de março. 29 . 9. Pontos marcantes . 9. no Instituto Nacional de Cardiologia.A Teoria Geral dos Sistema s é interdisciplinar. Em seguida. com um pai que decidiu tornar seu filho um estudioso eminente. . a teoria dos sistemas fornece um mei o para interpretar as organizações. entre outros. de um ataque cardíaco. Norbert Wiener Norbert Wiener nasceu em 1894. Leo Wiener. independentemente do tipo de cada um. em Columbia (Missouri). Ela não se limita aos sistemas materiais. pode ser utilizada para fenômenos investigados nos diversos ramos tradicionais da pesquisa cientifica.9.

podemos dizer que um sistema consiste em quatro elementos básicos: a) Objetivos: são partes ou elementos do conjunto. Tipos de sistemas Uma distinção importante para a teoria da organização é a classificação das organizações em sistemas fechados ou abertos. . 30 . Essa é uma qualidade definidora crucial dos sistemas. sem intercâmbio de matéria com o meio. a o rganização era considerada suficientemente independente para que seus problemas fossem analisados em torno de estrutura. Uma relação entre objetos implica um efeito mútuo ou interdependência. A organização é um sistema aberto. desintegração e morte. enfoques racionalistas. adotando -se. .Tem uma particular importância para as ciências sociais. em contraste com os sistemas fechados de física convencional. uma alteração numa das partes do sistema causa necessariamente uma mudança em todas as demais. um sistema mantido em importação e exportação. tarefas e relações internas formais. para isso. pois as atenções estavam concentradas apenas nas operaç ões internas da organização.A Teoria Geral dos Sistemas pode ser desenvolvida em várias linguagens matemáticas. 9.4. . 9.A teoria de sistemas possibilitou a unificação de diversas áreas do conhecimento.Um sistema fechado é aquele que não realiza intercâmbio com o seu meio externo. c) Relações de interdependência: um sistem a deve possuir relações internas com seus objetos. d) Meio ambiente: os sistemas não existem no vácuo . são afetados pelo seu meio circundante. Assim.5. b) Atributos: são qualidades ou propriedades do sistema e de seus objetos.Um sistema aberto é aquele que troca matéria e energia com o seu meio externo. Isso significa que a otimização dos objetivos requer uma integração d o próprio sistema. sem referência alguma ao ambiente externo.. tendendo necessariamente para um progressivo caos interno. os objetivos podem ser físicos ou abstratos. em linguagem escrita ou ainda computadorizada. além de apresentar um estreito relacionamento entre a teoria e sua aplicação a diversas áreas do conhecimento humano. isto é. Dependendo da natureza do sistema. Pontos críticos 1. em construção e destruição de componentes materiais. Considerando a perspectiva de sistema aberto. pois ³sistema é um conjunto de elementos em interação e intercâmbio com o meio ambiente. Nas teorias anteriores da Administração. .Todas as partes de um sistema são relacionadas.

Em vista da grande complexidade que existe no relacionamento entre as variáveis do sistema e em razão dos muitos laços que interligam os subsistemas. menores serão as oscilações produzidas por uma perturbação.2.Quanto mais rápida a informação e quanto menor o número de estágios de um sistema. e mais rápidas será à volta ao equilíbrio. os efeitos das mudanças que incidem sobre o modelo são contra-intuitivos e devem ser analisados pela construção e validação de um modelo. 31 . 3.

Os estudos atuais sobre as organizações complexas levaram a uma novaperspectiva teórica: a estrutura de uma organização e seu funcionamento é dependente da interface com o ambiente externo.A mais notável contribuição dos autores da abordagem contingencial e stá na identificação das variáveis que produzem maior impacto sobre a organização. a amplitude de controle. Os resultados surpreendentemente conduziram a uma nova concepção de organização: a estrutura de uma organização e o seu funcionamento são dependentes da interface com o ambiente externo. a hierarquia de autoridade etc. A Teoria da Contingência é um passo além da Teoria de Sistemas em Administração.10. Definição A palavra Contingência significa algo incert o ou eventual. 32 . a Abordagem Contingencial salienta que não se atinge a eficácia organizacional seguindo um único e exclusivo modelo organizacional. A Abordagem Contigenc ial marca uma nova etapa no estudo da Teoria Geral da Administração. assumindo uma abordagem eclética.2. que pode suceder ou não. comparando as demais teorias administrativas existentes à luz dessas variáveis. não existe uma forma única que seja melhor para organizar no sentido de alcançar os objetivos altamente variados das organizações dentro de um ambiente também altamente variado . A visão contingencial da organização e de sua administração sugere que uma organização é um sistema composto de subsistemas e delineado por limites identificáveis em 10. para então predizer as diferenças na estrutura e no funcionamento das organizações devidas às diferenças nestas variáveis. relação ao seu supra -sistema ambiental. Surgimento da Contingência A Teoria da Contingência nasceu a partir de uma série de pesquisas feitas para verificar os modelos de estruturas organizacionais mais eficazes em determinados tipos de indústrias. Dentro de um aspecto mais amplo. ou seja. como a divisão do trabalho. aplicando seus diversos princípios em cada situação distinta de cada orga nização.1. como ambiente e tecnologia. Em outros termos. não há uma única e melhor forma de organizar (thebe stway). procuraram confirmar se as organizações eficazes de determinados tipos de indústrias seguiam os pressupostos da Teoria Clássica. Administração Contingencial 10. Os pesquisadores. cada qual isoladamente.

Alfred Chandler Jr. a General Motors.Racionalização do Uso de Recursos: As novas empresas integradas tornaram -se grande e passaram a Ter a necessidade de serem organizadas pois tinham muito re cursos desnecessários ( instalações e pessoal). A antiga estrutura funcional não estava preparada para essa diversificação.Acumulação de Recursos: A expansão da rede ferroviária iniciada após a Guerra da Secessão Americana ocasionou o fortalecimento do mercado de ferro e aço e o moderno mercado de capitais. diminuindo a oportunidade de se reduzir os custos. Pesquisadores da Teoria Contingencial PESQUISA DE CHANDLER Em 1962. . com isso houve um rápido crescimento urbano gerado pela facilidade da estrada. para isto se preocupavam com planeja mento. pois esta racionalização e a nova estrutura deveriam estar adequadas às oscilações de mercado.3. 10.Continuação do Crescimento: A reorganização geral ocasionou um aumento de eficiência nas vendas. a StandarOilCo. . Haveria então a criação de uma estrutura funcional para a redução de custos. duas variáveis principais que determinam toda a organização da empresa e os relacionamentos entre suas partes: O ambiente e a tecnologia. demonstrou que as estruturas destas empresas foram necessariamente adaptadas e ajustadas às suas estratégias durante todo um processo histórico envolvendo quatro fases distintas: .São apresentadas pelos autores da escola contingencial. A nova estratégia gerou o surgimento de departamentos de pe squisa e desenvolvimento. o mercado saturou-se. As empresas tiveram que ampliar suas instalações de produção e organizar uma rede de distribuição. 33 . levou à nova estrutura divisional departamentalizada. mas em contrapartida os lucros baixaram.Racionalização do uso de recursos em expansão: O suporte de autoridade e comunicação da estrutura funcional. compras. . passaram então a deter o mercado de matérias -primas através da compra de empresas fornecedor as. Estudou quatro grandes empresas americanas: a DuPont. produção e distribuição. como a migração rural e o início da imigração européia. sem terem como atender à cumplicidade crescente de produtos e operários. organização e coordenação. Daí o controle por Integração Vertical que possibilitou o apa recimento da economia em escala. As empresas partiram então para a diversificação ( próxima de novos mercados e novos produtos). Realizo uma das mais sérias investigações históricas abordando a estratégia de negócios.(New Jersey) e a Sears Roebuck &Co. engenharia do produto e desenho industrial.

os sistemas de trabalho são atribuídos a especialistas que executam suas tarefas com o conhecimento global da importância delas passa a empresa. pesquisou sobre os princípios de administração em 100 empresas de diferentes tipos com média de 100 a 8. Os i ndivíduos se interagem em suas funções.000 empregados. M Stalker. Entre três empresas diferentes concluíram que os problemas básicos de organização são a diferenciação e a integração.Comentam os autores que o sistema "mec anista" parecia ser apropriado a uma empresa que opera em condições ambientais relativamente estáveis. a chefia passa a ser parte do grupo. A situação efetua -se tanto lateral como verticalmente.De um lado a descentralização de operações e. 34 . PESQUISA DE LAWRENCE E LORSCH Pesquisaram sobre organização e ambiente marcando o aparecimento da Teoria da Contingência.Sistema mecanista: A administração é baseada na hierarquia como demos trado em organogramas. . de outro. Devendo o indivíduo executar esta tarefa para o retorno ao superior. É um sistema vertical onde as operações. Classificaram as indústrias em dois tipos: organizações mecanisticas e orgânicas. as informações seguem o padrão de comando do superior ao funcionário. Cem empresas foram classificadas em três grupos de tecnologia de produção cada qual desenvolvendo diferentes maneiras de produzir. ambientes industriais de diferentes graus. orgânico. Foram escolhidas as indústrias de plásticos. É um processo gerado po r pressões. dois sociólogos industriais. sem se preocupar com a cumplic idade de seu trabalho na totalidade da organização. a centralização de controles administrativos. PESQUISA DE BURNS E STALKER Tom Burns e G.Sistema orgânico: É adaptado a condições instáveis. pesquisaram em 1 961 vinte indústrias inglesas procurando analisar a correlação entre as práticas administrativas e o ambiente externo dessas indústrias. o outro. todos buscando um êxito comum. PESQUISA DE JOAN WOODWARD Socióloga industrial inglesa. parecia exigido pelas condições ambientais em transformação. desde a mbientes de rápida mudança tecnológica até ambientes estáveis que exigem pequena diferença deorganização. no sentido de obter unidade de esforços e coordenação entre vários departamentos. Há a comunicação entre indivíduos de categorias diferentes e hierarquias diferentes. alimentos empacotados e de recipientes de alto e baixo desempenho. . o sistema de trabalho.

. o ambiente genérico e comum a todas as organizações. ele pode ser analisado em dois segmentos: 1. clientes ou usuários . Os trabalhadores operam máquinas e linha de produção ou montagem padronizados. condições demográficas . condições legais . casa uma tem um processo de produção diferente. É o contexto dentro do qual uma organização está inserida. Os trabalhadores usam variadas ferramentas. complexo. Contudo. Ex: as refinarias de petróleo. concorrentes. Isto faz com que tudo o que ocorre externamente no ambiente passe a influenciar internamente o que ocorre na organização. Aliás. O processo de produção é menos padronizado. Ambiente de Tarefa: é o ambiente mais próximo e imediato de cada organização. Como as montadoras de veículos. Nessas três tecnologias. a incerteza é o grande desafio atual da Administração. Ambiente tarefa é constituído por: · fornecedores de entradas .. A incerteza está na percepção e na interpretação das organizações e não na realidade ambiental percebida. È o segmento do ambiente geral do qual uma determinada organização extrai as suas entradas e deposita suas saídas. Como o ambiente é vasto. condições políticas. O grande problema com que as organizações de hoje se defrontam é a incerteza. condições econômicas. A participação humana é pouco usada.Produção em Processo : um ou mais operários lidera um processo total ou parcial de produção. condições ecológicas e condições culturais . a incerteza não está no ambiente. envolvendo tudo o mais ao redor da organização. Tecnologia Sob um ponto de vista administrativo. Parece mais adequado falar -se em incerteza na organização. O ambiente geral é constituído de um conjunto de condições semelhantes para todas as organizações. As principais dessas condições são:condições tecnológicas . Ambiente Ambiente Ambiente é tudo aquilo que envolve externamente uma organização (ou um sistema).Produção Unitária : é feita por unidades ou pequenas quantidades. entidades reguladoras . 10. . A tecnologia extrapola a produção influenciando toda a organização empresarial. 10. ela mantém transações e intercâmbio com seu ambiente. pois o mesmo ambiente pode ser percebido de maneiras diferentes por duas organizações.Produção em massa : é feita em grande quantidade. ou seja. consideraremo s a tecnologia como algo que se 35 . 2. etc. Ambiente Geral: é o macroambiente. Como a organização é um sistema aberto.4.5. as siderúrgicas.

através de conhecimentos acumulados e desenvolvidos sobre o significado e execução de tarefas . natureza e funcionamento das organizações.6. A tecnologia incorporada está contida em bens de capital. em nome do progresso. algo difícil na Teoria de Sistemas.Esta supre a administração de conceitos.sob formas de conhecimentos intelectuais ou operacionais.A abordagem contingencial aceitou as premissas básicas da Teoria de Sistem as a respeito da interdependência e natureza orgânica da organização. tecnologia é o conhecimento que pode ser utilizado para transformar elem entos materiais em bens ou serviços. principalmente àquelas que envolvem componentes comportamentais .como técnicos.e pelas suas manifestações físicas decorrentes . 36 . pesquisadores . modificando sua natureza ou suas características. mas sempre dentro do critério normativo de produzir eficiência. e nas empresas. A abordagem ainda permite proporcionar meios para mesclar a teoria com a prática.desenvolve predominantemente nas organizações. especialistas. matérias -primas intermediárias e componentes etc. ou em documentos que a registram e visam assegurar sua conservação e transmissão .constituindo um enorme complexo de té cnicas usadas na transformação dos insumos recebidos pela empresa em resultados. 10. Nesta. Em suma. instrumentos. em produtos e serviços.A falta de consonância entre uma organização e seu ambiente conduz a ineficiência. A tecnologia. cria incentivos em todos os tipos de empresas. em geral. (hardware). bem como o caráter aberto e adaptativo das organizações e a necessidade de preservar -se a sua flexibilidade em face das mudanças ambientais.know-how . .como mapas. patentes. desenhos. . isto é. peritos. A tecnologia pode estar ou não incorporada a bens físicos. Pontos positivos . métodos e técnicas apropriadas para a análise e resolução de problemas situacionais . instalações .máquinas. facilidade mental ou manual para execut ar as operações. dentro de uma integração sistêmica. A tecnologia não incorporada encontra -se nas pessoas . para levar os administradores a melhorarem cada vez mais a eficácia. . projetos. diagnósticos. Existe um forte impacto da tecnologia sobre a vida. plantas.São unânimes na rejeição dos princípios universais da Administração: não existe uma melhor maneira de administrar ou organizar . engenheiros.Esta também é aplicável a um sem -número de habilidades administrativas. A tecnologia tem a propriedade de determinar a natureza da estrutura e do comportamento organizacional. . em particular. o comportamento de uma subunidade é dependente de suas relações ambientais com outras unidades ou subunidades que têm algum controle sobre as conseqüências. equipamentos. relatórios (software).

Mas. Uma organização comprometida com uma tecnologia específica pode perder a chance de produzir um outro produto para outras organizações de tecnologi as mais flexíveis pois a cada dia a tecnologia fica mais especializada e a flexibilidade da organização de rapidamente passar de um produto para outro pode decrescer. e assim ficando dependente de outras empresas do ambiente de tarefa. 37 .. ótimos ou ideais para todas as situações: o que existe é uma variedade de alternativas de métodos ou técnicas proporcionados pelas diversas teoria s administrativas. a medida em que a tecnologia se torna mais complexa. de treinamento prévio feito por outras organizações que exigem mais integração e coordenação. manifestando uma tendência a absorver os conceitos das outras teorias.7. Dependência crescente de especialistas. no sentido de alargar os horiz ontes e mostrar que nada é absoluto. a empresa passa a Ter menos controle sobre o processo tecnológico global. Se a empresa já for dotada de grandes recursos e aplicar -se em um novo campo de atividades ou produtos. A idéia central é de que não há um método ou técnica geralmente válidos.Ela é eminentemente eclética e interativa. Pontos negativos Todas as organizações apresentam problemas pois as contingências impostas por diferentes tecnologias são importantes para a organização e sua administração. um dos quais poderá ser o mais apropriado para uma determinada situação. 10. pode usufruir do surgimento de novas tecnologias e assim facilitar tal chance.

Estabelecimento conjunto de objetivos entre o executivo e o seu supervisor : A maior parte dos sistemas de APO utiliza essa característica. Na seqüência. metas. o gerente pode elaborar os Planos Táti cosadequados para alcançá -los da melhor maneira. Tanto o executivo quanto o seu superior participam do processo de estabelecimento e fixação de objetivos. Essa ligação é virtualmente automática.Os resultados da execução d os planos são continuamente avaliados e comparados com osobjetivos fixados. 3. Freqüentemente. ao reajuste dos planos oua alterações nos objetivos estabelecidos. É exatamente a mensuração e o controle que causam as maiores dificuldades deimplantação da APO. Administração por Objetivos 11. os sistemas de APO definem o bjetivos quantificados (numéricos) e com tempos predeterminados.11. a APO está fundamentada no estabelecimento de objetivos por posições de gerência. é melhor esquecer o assunto. 5. Essa participação. Assim. 2. a idéia básica é a mesma: determinar os resultados que um gerente em determinado cargo deverá alcançar.1. elabora osplanos táticos de seu departamento (médio prazo) e operacionais com seus subordinados (curtoprazo).Ênfase na mensuração e no controle:A partir dos objetivos departamentais traçados. A participação do executivo pode variar indo desde sua simples presença durante as reuniões. 38 .Torna -se necessário mensurar os resultados obtidos e compará-los com os resultadosplanejados. Em função dos resultados obtidos. podem ser denominados objetivos. no entanto.Interligação dos objetivos departamentais: Sempre existe alguma forma de correlacionar os objetivos dos vários órgãos ou gerentesenvolvidos. Os objetivos. Características da APO A APO apresentam as seguintes características : 1.Contínua avaliação. os planos táticos constituirão os meioscapazes de alcançar aqueles objetivos departamentais. alvos ou finalidades. varia muito conforme o sistema adotado.Estabelecimento de objetivos para cada departamento ou posição:Basicamente. procede -se à revisão. revisão e reciclagem dos planos:O executivo. porém. em alto nível. onde pode ser ouvido até a possibilidade de o execut ivo iniciar a proposta de reestruturação do trabalho com relativa autonomia no desenvolvimento do plano. mesmo que nem todos os objetivos estejam apoiad os nos mesmo princípios básicos. 4. envolvendo objetivos comerciais com objetivos de produção. de posse dos planos estratégicos da empresa (de longo prazo). pois. se o resultado não pode ser medido. os planos táticos serãodesdobrados e melhor detalhados em planos operacionais.

ou seja. Análise da estrutura organizacional.3. 3. Há casos em que o superior estabelece os objetivos. deve sedirigir. Formulação dos objetivos organizacionais ± Esse estágio serve para identificar as alternativasestratégicas relevantes. Modelos de Administração por Objetivas 1.A análise interna possui: Análise dos recursos. o planejamentoestratégico da organização refere -se ao produto (bens que a organização produz ou serviço quepresta) ou ao mercado (onde a organização coloca seus produtos ou bens onde presta serviços). b) Revisão da estrutura da organização em função dos objetivos pretendidos. Análise interna da empresa ± Analise interna dos pontos fortes e fr acos que a organização possui.6.Participação atuante da chefia:Há grande participação do superior.mensura-os e avalia o progresso. ³vende -os´. Concorrência ou competição e Fatores externos. dividindo-se em 4 fases: 1. 4. como um todo. Análise externa da empresa .No quarto estágio do planejamento estratégico formulam-seas alternativas que a organização pode adotar para alcançar os objetivos organizacionaispretendidos. Modelo de Humble : Define a APO como ³um sistema dinâmico que procura integrar as necessidades da companhia em definir seus alvos de lucro e crescimento com a necessidade de o gerente em contribuir e desenvolver -se. Essa análise externa envolve: Mercadosabrangidos pela empresa. A maior parte dos sistemas de APO envolve mais osuperior do que o subordinado.Mapear as condições externas da organização no sentido de fazerum conjunto de previsões sobre o futuro dessas condições. Avaliação dodesempenho da empresa. Modelo de Odiorne : Propõe um modelo de APO composto de um ciclo de sete etapas: a) Delineamento dos objetivos organizac ionais a serem alcançadas e estabelecimento de medidas de desempenho da organização. 39 . 2. Planejamento Estratégico É a maneira pela qual a empresa pretende aplicar determinada estratégia para alcançar osobjetivos propostos é global e em longo prazo. 11. 2. Esse progresso freqüentemente usado é muito mais controle porobjeti vos do que Administração por Objetivos. Estágio da formulação da estratégia . tendo em vista as condições internas e externas. em qual direção estratégica a organização.2. De um modo genérico. 11.

40 . g) Avaliação do desempenho da organização como um todo. Consideram se aqui novas entradas de dados e situações capazes de modificar os objetivos e abandonam-se os alvos inadequados. por sua vez. Desvantagem: O pensamento grupal surge apenas quando o esforço é excessivamente focalizado e pode não haver visão periférica para abrir outr as possibilidades. Desvantagem: A direção estratégica pode se transformar em um percurso perigoso.c) A partir das duas etapas. Vantagem: o papel primordial da estratégia é mapear o curso de uma organização para que ela possa navegar coesa através do seu ambiente de negócios. É comum que um ou mais desses três processos não funcionem bem. cada subordinado. Para cada vantagem associada à estratégia corresponde uma desvantagem associada. a APO tem seus pontos frágeis. A estratégia organizacional é uma faca de dois gumes : A estratégia tem suas enormes vantagens e suas enormes desvantagens. 2.Um processo de direção (envolvendo a supervisão e a execução) . Vantagem: A estratégia promove a coordenação das atividades para evitar que as pessoas puxem e direções diferentes. pois seguir um curso predeterminado em águas desconhecidas é a maneira mais fácil de chocar comum iceberg. propõe alvos e medidas de avaliação para seu próprio trabalho. e) Acompanhamento sobre resultados periódicos do trabalho do subordinado. d) O superior e seus subordinados chegam a um acordo comum. A estratégia fixa a direção e norteia as ati vidades da organização . Embora constituam excelentes ferramentas administrativas. A estratégia focaliza e integra o conjunto de esforços . f) Avaliação periódica e cumulativa dos resultados do trabalho do subordinado em relação aos alvos estabelecidos para ele. 11.Um processo político (definição política dos propósitos que animam a organização). como por exemplo: 1. . bem como as medidas de desempenho da organização. Apreciação crítica da APO A APO envolve: .4. . mas e melhor movimentar -se para frente olhando para cada lado. levando -se em consideração os objetivos da organização. A direção é importante.Um processo de planejamento (o planejamento estratégico e o planejamento tático) .

perdendo a visão da riqueza e complexidade dotodo.3. A estratégia define a organização Vantagem: A estratégia proporciona uma forma envolvente para que as pessoas possam entender a sua organização e distingui -la das demais. 41 . Desvantagem: definir a organização com excesso de exatidão pode simplificaras coisas e até certo ponto estereotipar seu comportamento.

Definição Administração estratégica é um conjunto de orientações. consolida um conjunto de princípios . Administração Estratégica 12. o que somente ocorrerá com a clara comunicação dos benefícios almejados. criando sincronia. de forma estruturada. O administrador estratégico é o responsável por criar um clima organizacional propício para a implementação do plano a partir do envolvimento da alta administração e lideranças intermediárias.2. uma vez que empreitadas de longo prazo tendem a perder foco e força com o passar do tempo. a saber: ‡ Análise profunda dos ambientes internos e externos ‡ Formulação da estratégia (planej amento estratégico em longo prazo) ‡ Implementação da estra tégia ‡ Avaliação e controle Também é uma administração que.12. decisões e ações estratégicas que determinam o desempenho superior de uma empresa em longo prazo. Modelo de Tomada de decisões Estratégicas 42 . Resumidamente poderíamos conceituá -la como sendo a administração voltada a fortalecer as competências da organização com vistas à obtenção da vantagem competitiva ante a concorrência. sintonia e sinergia em todos os envolvidos no processo. sistêmica ou intuitiva.1. normas e funções para alavancar harmonicamente o processo de planejamento da situação futura desejada da empresa como um todo e seu posterior controle dos fatores ambientais. 12. bem como a organização e direção dos recursos empresariais de forma otimizada com a realidade ambiental e com a maximização das relações pessoais.

4. Objetivos que minimizam os conflitos: Aqueles que forem bem especificados. Os objetivos são à base do comportamento cooperativo na gestão. Ao estabelecer con stantemente objetivos que exijam mais esforço. pois objetivos irrealistas podem causar danos graves na organização. sem ambigüidades e que não ponham os membros da organização em rivalidade. Objetivos que podem ser alcançados com um esforço extra: Os melhores objetivos parecem ser aqueles que requerem da organização um esforço suplementar. se é que são para ter alguma utilidade. para serem alcançados. Mas isto não quer dizer que se deva estabelecer sempre objetivos muito difíceis. A definição dos objetivos não terá sentido se não incluírem limitações de tempo. dos acionistas. é mais provável que a organização consiga atingir todo o seu potencial. É pois preciso ter em atenção a escolha de objetivos que não comprometam a possibilidade de encontrar um compromisso entre duas escolhas. Se concentrarmos os esforços no progresso global da empresa. Costumam-se chamar a estes objetivos manifestamente importantes e quase impossíveis.3. referidos na definição da missão. todos os objetivos requerem a concepção temporal. Objetivos que facilitam os compromissos: Dada a grande variedade de obje tivos que são definidos.12. não é surpresa nenhuma que a maioria das organizações tenha objetivos que sejam de natureza lucrativa a não lucrativa. Pontos críticos ± (negativos X positivos) Objetivos que abrangem questões lucrativas e não lucrativas: Dada a diversidade de interesses. Componentes da estratégia 12. Objetivos que incluem a variável "tempo" : Virtualmente. alguns podem acabar por se contradizer. minimizam a possibilidade do aparecimento de conflitos. em 43 .

provocados pela má medido do desempenho 44 . sem ter em conta as ramificações dos comportamentos que este pode motivar.vez de ser nos departamentos e secções. ao definir objetivos e maneiras de quantificá-los. Objetivos que evitam conseqüências indesejáveis: Muitos riscos se podem correr. podem -se criar relações intra-organizacionais benéficas. podem estar a causar comportamentos indesejáveis. tais como a partilha de informações e recursos. Se os gestores não forem suficientemente cuidadosos. Objetivos que possam ser quantifica dos.

portanto. Muito embora a natureza deste trabalho seja a de um Estudo de Caso. psicológicos. Associam-se a esse fato. as experiências participativa s ocorridas e consolidadas em outros centros irradiadores de padrões de eficiência e de tecnologia no mundo. sociais ou culturais. isto é. na localidade de Kalmar. observa que essas visões devem se basear na consciência do estado de inter relação e interdependência essencial que existe em todos os fenômenos quer sejam físicos. biológicos. Cingapura e Taiwan). mas sim como verdades que devem ser interpretadas como interdependentes entre si. Como exemplo dessas experiências podem ser citados a co -gestão nas empresas alemãs. com melhor qualidade e preços. 13. que é reconhecido como responsável pela recuperaçã o da sua economia no pós-guerra e pela indiscutível posição de importância e de eficiência que a economia japonesa ocupa no cenário mundial. caracterizad o pela queda da produtividade das suas empresas e conseqüente perda de competitividade dos seus produtos em quase todos os mercados do mundo. o modelo escandinavo de participação dos empregados cuja experi ência mais conhecida é da empresa sueca Volvo. como aspectos que podem influenciar e ser influenciados pelo contexto da empresa pesquisada. Nesse sentido é recomendável que as conclusões sobre a realidade aqui estudada não sejam vistas como verdades isoladas. Coréia.Verificou-se a existência de uma clara intenção dos Acionistas Majoritários de expressarem publicamente seus valores e liderarem pessoalmente o processo de mudança de uma empresa centralizadora e paternalista para uma empresa participativa. o interesse pelo tema da participação no trabalho ou pela administração participativa foi enfatizado no mundo ocidental.13. o inglês (Labor Management Joint Comittee) e. uma realidade específica sujeita a var iáveis e condicionantes próprios e que não necessariamente afetam na mesma proporção outras empresas. Administração Participativa: 13.2. o modelo participativo japonês. Pontos críticos (positivos e negativos) Ao apontar para a necessidade de novas visões para entender a nova realidade. Histórico da Administração Participativa No início da década de 1980. também como justificativa pela atenção que a participação vem recebendo nos países de economia emergente como o Brasil. verificado a partir do extraordinário avanço dos produtos produzidos em paí ses orientais (Japão. 45 . Poderiam ser mencionadas também as experiências das empresas auto -geridas na Iugoslávia e dos kibutzim em Israel. o modelo francês (Comité d¶Enterprise). principalmente a partir do declínio da hegemonia econômica dos Estados Unidos. destacam -se os seguintes: . Para a empresa pesquisada. principalmente. analisando. inclusive em suas próprias fronteiras.1.

sejam elas sociais. tanto na sociedade como nas organizações. .A administração participativa é um tema atua l. adquirindo novas formas de acordo com a situação. antes concentrado.Existe na empresa uma continuidade administrativa. . talvez decorrente do fato dos acionistas majoritários estiver à frente do negócio. que já provou ter êxito no mundo organizacional. 46 . . econômicas ou políticas.A empresa possui uma estrutura organizacional claramente definida.Em entrevista sobre o histórico do processo constatou -se que os principais níveis de liderança da empres a foram envolvidos na definição da Missão e Filosofia da Empresa e no processo de mudança como um todo. não só para as organizações como para toda sociedade mode rna.. . tornando o homem moderno mais informado e exigente.A mudança ocorrida na sociedade do início do século até o mome nto atual. e hoje instável e dinâmico. embora alguns autores o coloquem como uma idéia ultrapassada. A evolução nas formas de relação no trabalho aponta para o caminho da ampliação da autonomia do indivíduo em todas as camadas. movendo -se por todas as camadas. tecnológicas. O que vimos é que trata-se de um tema atual e que representa uma alternativa viável. graças principalmente aos avanços tecnológicos e científicos ampliaram as áreas do conhecimento. Este processo teve como principal conseqüência o deslocamento do poder. .A empresa possui uma área de recursos humanos . preparadas e sensíveis para aplicar políticas e programas consistentes com a Missão e Filosofia da Empr esa.

Ele depende basicamente das pessoas. então. desprendendo -o de sua origem na manufatura. na Toyota Motor Co. Com esta filosofia. Buscou -se. portanto se refletindo na produtividade e na qualidade. Definição A administração japonesa nasceu no chão de fabrica. muitas vezes sujo. treinamento e reciclagem constantes. exigindo. portanto qualificação. O sistema de produção japonês tal como é estruturado atualmente surgiu nos vinte e cinco anos seguintes à Segunda Guerra Mundial. 14. engenharia de produtos) e aliados ao favorecimento da política econômica governamental. 47 . nos setores operacionais da manufatura. que aciona e controla a produção MUDA ± busca da eliminação total de qualquer tipo de desperdício KAIZEN ± busca do melhoramento continuo em todos os aspectos. Vulnerabilidades e Pontos fortes . com a filosofia básica de evitar qualquer tipo de desperdício e de promover o melhoramento continuo. qualquer erro gera graves repercussões em todo o processo.14.O sistema de produção japonês não é um sistema perfeito.1. e é um sistema praticamente sem folgas. os produtos japoneses alcançaram um diferencial competitivo no mercado internacional. a gestão da produção passou a ser novamente incluída na discussão das estratégias do negócio. da sua competência. Características básicas do Ohnoismo JUST IN TIME ± sincronização do fluxo de produção. buscando implementá -lo amplamente em qua lquer tipo de indústria e em outros setores. Foi esta diferenciação qu e resgatou o foco da comunidade empresarial à área de produção. 14. que até então era vista pelos outros setores na organização como um mistério insondável e desinteressante.2. dos fornecedores aos clientes KANBAN ± sistema de informação visual. A partir disso . o sistema depende da cooperação irrestrita das pessoas. Seu maior idealizador foi o engenheiro Taiichi Ohno. Daí deco rre as duas outras denominações do método: Sistema Toyota de Produção ou Ohnoismo.3. Administração Japonesa 14. Sendo assim. agregada a permanente busca de conhecimentos e tecnologias avançadas de produção (cont role estatístico de processos. sendo os círculos de controle da qualidade apenas um dos seus aspectos. planejamento de produção. barulhento. onde trabalhavam pessoas inexpressivas. como alguns de seus defensores querem fazer crer. Dois pontos frágeis são bastante visíveis. adaptar o sistema de produção japonês a outros ambientes.

A estabilidade no emprego implica no rigoroso planejamento das necessidades de pessoal. seu plano de carreira e critérios de avaliação. a diminuição do seu ciclo de vida. por exemplo. podem favorecer a burocracia e a morosidade no processo decisório. outros é o crescimento excessivo do número de produtos.Outro aspecto vulnerável não tão explicita é a eficiência das atividades administrativas. mas depende p rincipalmente da relativa estabilidade do faturamento da empresa.. o desenvolvimento de um consumismo ambientalmente irresponsável e a concorrência predatória também podem ser ressaltados como pontos vulneráveis do modelo. 48 . A busca de conse nso e o emprego vitalício. que é cada vez mais influenciado pelas tendências e preferências de um mercado globalizado. .Outros pontos vulneráveis poderiam ser inferidos.

15. p. mas trouxe também lições. Por exemplo. 9). obrigou as empresas americanas (e mais tarde as européias) a uma atitude de reação. as empresas americanas não acreditavam que o sucesso das empresas japonesas se manteria por muito tempo: viam ainda as empresas japonesas apenas como copiadoras de idéias e de tecnologias. a despeito da sua vinculação empregatícia. f) Alternativas de carreira: estímulo à carreira empreendedora. é o funcionário que. a partir do início dos anos 80. O modelo empreendedor de gestão não é o único a desenvolver instrumentos e práticas que estimulam a criatividade e a inovação na empresa. no máximo. facilmente se acopla ou complementa a outras novas abordagens da administração (modelo participativo ou holístico. abertura de novos mercados e formação de redes empresaria is. ao mesmo tempo. d) Alianças e parcerias: para atingir o nível de com petitividade. buscando inovação e resultados (visão do cliente). por exemplo). Dada a sua flexibilidade. O esforço para mudar tal situação levou ao desenvolvimento do "modelo" de administração empreendedora. a experiênci a em 49 . pesquisa e desenvolvimento tecnológico. o modelo empreendedor exige alguns cuidados na sua implantação. liderado por um gerente de estilo empreendedor com o objetivo de buscar oportunidades e desenvolver novos negócios para a empresa. de fato. No entanto. e) Participação nos resultados ("gain sharing"): recompensa dos empregados ou das equipes em decorrência dos resultados globais (da empresa) ou da unidade de negócio. Esta miopia das empresas americanas custou -lhes caro. ele não exige exclusividade quanto à abordagem ou estilo de gestão. cujas origens e princ ipais características são: a) Unidades Independentes de Negócios: trata -se de transformar departamentos e divisões em "pequenas empresas" internas à organização. era uma "revolução gerencial". é o "sonhador que faz". através de carreira e m "Y" ou participação societária. se comporta como se fosse um "empresário". Assim. que seriam. b) Equipes Empreendedoras: grupo de pessoas. Administração Empreendedora: A competitividade crescente das empresas japonesas. aprimoradas. sobretudo a partir dos anos 70. as empresas americanas já haviam compreendido que o que as empresas japonesas tinham realizado. O livro de OUCHI (1985) ajudou a criar a nova visão de que as empresas americanas estavam fora da competitividade (e não sobreviveriam) devido ao seu modelo de administração tradicional. as empresas de estilo empreendedor de gestão passam a compartilhar com outras empresas investimentos em lançamento de novos produtos e serviços. c) "Intrapreneur": segundo PINC HOT III (1989. com autonomia operacional e mercadológica (a gestão financeira continua centralizada para otim izar os recursos das várias unidades autonômas). A princípio.

Assim. permitindo delegar para quem atende o cliente. a empresa que desenvolve esforços na direção deste modelo deve aprender a convi ver com pessoas empreendedoras. apenas duas de cada dez idéias inovadoras implantadas são bem sucedidas. atuando isoladamente. citada por DEGEN (1989). nos niveis operacionais. Outro aspecto é de que o modelo empreendedor. deve -se incentivar a inovação. a prática do "Empowerment" (energização de equipe) é fundamental para implementar este modelo. visando estimular a inovação e recompensá-la. as equipes e pessoas empreendedoras devem ser acomodadas em áreas ou unidades de negócio com um certo nível de autonomia funcional. Em outras palavras. Neste sentido. sendo pessoas que desenvolvem acentuadamente o espírito de independência e senso se propriedade (no sentido da responsabilidade individual pelos resultados). quebra a estrutura organizacional e "confunde" os conceitos de autoridade e de responsabilidade: é preciso desenvolver uma nova cultur a organizacional que absorva estas novas práticas de gestão. através de equipes empreendedoras. a empresa precisaria aprender a lição durante oito vezes (fracasso) para colher os resultados positivos que compensam todos os erros. sendo acompanhadas mais pelos resultados (eficácia) do que pelo controle dos recursos utilizados (eficiência). se a empresa não estiver devidamente preparada para implantar e conviver com est e modelo. estas procuram permanentemente sua auto -realização pessoal e profissional. não é a mais adequada. são condições fundamentais para o êxito do modelo. Para tanto. 1989).algumas grandes empresas americanas evidenciou que a abordagem do "intrapreneur" (PINCHOT III. De um outro lado. o que nem sempre está ligado à motivação financeira. 50 . segundo uma pesquisa desenvolvida nos Estados Unidos. assim. A independência das equipes ou a ênfase sobre os resultados individuais podem destruir os valores organizacionais. a autoridade da decisão em relação às demandas do cliente. Portanto. a empresa precisa aprender a conviver com o risco das inovações: a cultura empreendedora exige tolerância a eventuais fracassos de novas idéias. seja através de idéias pessoais ("intrapreneurs") ou de equipes empreendedoras. pois. desenvolver lideran ças e implantar políticas transparentes de Recursos Humanos.

a partir da visão da "administração científica" de Taylor e Fayol. suportados numa visão cartesiana -newtoniana do mundo: todos os fenômenos e ram possíveis de serem divididos em partes e cada uma destas seria estudada profundamente. Administração Holística. entre outros valores. entre outras questões. com a física e sua estrutura orientada para as partes do material. o mesmo processo ocorreu. na ecologia. o consenso de que a natureza existe para o homem. a flexibilidade. na medicina.na tecnologia. o esgotamento progressivo dos recursos naturais. A visão holística é uma das abordagens destes novos paradigmas das ci ências. inclusive da Administração. na administração. de forma geral. a divisão econômica norte -sul do mundo. 51 . entre outras grandes áreas . O autor procura explica r como o paradigma cartesiano -newtoniano afetou a prática econômica contemporânea: a fragmentação das especializações. A questão parece ser facilmente explicável. As principais práticas da Administração Holística são as seguintes: a) Quanto aos objetivos: integração dos objetivos organizacionais com os objetivos individuais de auto -realização pessoal e profissional. constituindo um ramo específico do saber humano. sendo baseada em diversas células autônomas de produção (ou de serviços). De origem grega. a informação. assim foi com a química e seus elementos individualizados. Nas últimas décadas.16. a confusão entre riqueza material e felicidade. ele mostra as grandes mutações pelas quais passa a sociedade . a abordagem competitiva na exploração da natureza. reduzindo o trab alho humano ao nível da visão da tarefa. com a medicina. foram construídas com base em paradigmas mecanicistas. a visão do homem como um ente consumidor. que "retalhou" o organismo humano. cuja mudança afeta tanto organizações como as pessoas. ressurgiu dentro das ciências o chamado "movimento holístico".e a mudança de valores que afetam aspectos como a individuação. as ciências. vem crescentemente penetrando nas abordagens cada vez mais complexas de todos os ramos do conhecimento humano. perdendo a visão do sistema biológico que comanda a vida humana. CAPRA (1989) tem sido um dos maiores influenciadores da visão holística . a autonomia. na educação. a desvinculação dos valores superiores da humanidade. na economia. a criatividade. a palavra hólos = todo. a tecnologia a serviço da destruição em massa e a venda de 70% de armamentos aos países do Terceiro Mundo. resultando numa estrutura policelular . Há um movimento emergente de pesquisadores e autores que têm desenvolvido uma "abordagem holística da administração" e já existem algumas experiências que procuram colocar em prática tal abordagem. na psicologia. b) Quanto à estrutura: a organização passa a não depender de uma estrut ura formal. o que levou a um consumo materialista desenfreado. e. a exploração indiscriminada das sociedades pela multinacionais.

obtém-se o comprometimento individual (com a equipe e/ou organização) e a satisfação no trabalho (realização profissional). Por se tratar de um modelo de vanguarda n a administração. sem dúvida a principal dificuldade é de natureza cultura. pois a mudança comportamental é radical em relação a outras formas organizacionais mais tradicionais. os cuidados na adoção de suas práticas e instrumentos gerenciais deverão ser muito mais rigorosos 52 . O alto comprom etimento individual com a equipe exige mudança de características pessoais. d) Rodízio de funções: ("job rotation"): não há especialistas e nem cargos formais. os funcionários passam a ser pol ivalentes ou multifuncionais.c) Quanto ao comportamento individual e grupal: a equipe procura desenvolver a "visão do todo" do seu conjunto de processos e tarefas. enquanto a multifuncionalidade exige o desenvolvimento de novas habilidades técnicas e humanas (relacionamento e integração com a equipe). assim. Quanto à aplicabilidade da Administração Holística.

Cada um dos itens acima mencionados utilizou -se da mesma técnica. Introdução Para DAVIDOW (1993). tais como microcomputadores avançados. estarem negociando algo que se sabe que existe. fazendo com que fornecedores e clientes que estão se utilizando de seus serviços se sintam satisfeitos. mediação de empregos. Existem quatro tipos de administradores virtuais. dinâmicas. tais como comércio eletrônico. softwares específicos. Lojas de CD´s. sendo: 1º: Os Pioneiros: desenvolvem novos produtos e criam mercados completamente novos. O conceito de gestão virtual é a abordagem de pessoas que evoluam para autogestão mediante estruturas simples. a Internet. Este mesmo conceito de virtualidade pode ser usado quando relacionado com outras atividades dentro de uma organização. 2º: Os Reformadores: desenvolvem Hardware e Software para dirigir de maneira inovadora mercados preexistentes. ou não se estaria usando dinheiro que existe apenas dentro do espaço virtual da conta bancária de cada um. Lojas de Vinhos. 3º: Os Multiplicadores: caracterizam-se por usar as novas técnicas em relação a novos serviços. O que interessa nestes casos. podendo trabalhar a qualquer distância e saber lidar com suas funções.2. tornando -as sensíveis ao mercado O fato mais importante da administração virtual é que ela envolve todas as inovações de modelos de administração que desenvolveu -se ao longo dos anos nos países onde a industrialização se 53 . 17. que controlam as entradas e saídas de informações da organização e gerencia suas respectivas funções.17. Exemplos: Casas de leilão. comércio de automóveis. o simples uso do cartão de crédito é virtual. Exemplificando-se: Livrarias. adaptáveis. A Gerência da Organização Virtual O espírito de equipe significa ter pessoas capazes. podendo usar diversas tecnologias de comunicação. é o fato de todos estarem utilizando formas de comércio vi rtual. ou seja. e o acesso de dados remoto 24 horas por dia é apenas mais uma das facilidades oferecidas pela virtualidade mundial. o controle da empresa é dado por redes internas denominadas intranets. tal controle é conhecido co mo controle online. no mesmo ramo de atividade destas. obtendo resultados positivos.1. como provedores de serviços de Internet. mas que no momento da transação comercial não pode ser sentido por qualquer dos sentidos. a execução de tarefas pré-programadas em um computador também é virtual. Administração Virtual: 17. As videoconferências nada mais são do que reuniões virtuais. 4º: Os Guerrilheiros do Mercado: através do uso da Internet fazem concorrência para outras empresas já estabelecidas no mercado.

sendo assim a empresa virtu al pode assumir alianças entre duas ou mais empresas. o controle centralizado. O fator principal para a corporação virtual é o controle dos resultados e não necessariamente a propriedade dos processos. conseqüentemente . Japão. o fertar produtos e serviços. inerentes aos sistemas acima citados. proporcionar um espírito de equipe. do lugar e de qualquer outros motivos. Um "laço on-line" se conecta com as organizações empresariais e os grupos interessados no negócio. pois aqui. na gerência virtual os métodos são diferentes. envolvidas no processamento de informações em tempo real. na gestão de produção do item a s er vendido. Portanto. galgando maior produtividade. No que aborda a corporação virtual. alguns negócios serão extintos. pelo contrário. sendo eles todos baseados na nova era tecnológica. os procedimentos presenciam todas as dificuldades inerentes a tal produção. Contudo. ao passo que possibilita. vez que os produtos e serviços continuam existindo de fato. Sendo tal controle o ponto chave da gestão pois está intimamente relacionado com os result ados. um por parte do cliente que vê a instituição virtual como uma entidade que está sempre pronta em atendê-lo. não se encontra muitas diferenças entre a gerência normal e a virtual. outros modificados e outros tantos ainda serão criados. e suas relações com o cliente no mercado. tradicionais e inovadores. um significativo diferenciador é a rapidez e a proximidade que a administração virtual proporciona . com tomadas de decisões descentralizadas. Alemanha. A gestão virtual se apresenta como uma mistura de tais inovações. entretanto. Porém. etc. Assim sendo. independente do momento. O setor primário. e um por parte da empresa que visualiza o negócio baseado nas informações em tempo real.acentuou com maior força tais como EUA. permeabilizando. assumindo assim um fluxo rápido de informações. como a agricultura. dois aspectos são dignos de serem destaque. continua e continuará fornecendo seus produtos. garantir o desencadeamento correto dos processos. Um grande fator interessante e caracterizante da gestão virtual é que o procedimento é executado com ambiente de imprevisibilidade e com transformações contínuas. No que tange à gerência. cabe à realidade virtual. modificando e. Neste caso o gerente incorpora um poderio maior de controle. reforçando a terceirização. vez que o primordial objetivo de ambas é obter resultados. movimentando fronteiras. assim como a indústria mantém e manterá sua fidelidade à transformação e. tendo como intenção fazer com que ela pareça menos um empreendimento distinto e mais um nó numa vasta rede de interações e atividades. modifica -o. 54 . O sistema virtual não extermina o modo econômi co antigo. Uma das características que também merece maior destaque na empresa virtual é que ela visa as necessidades do cliente. a função da gerência virtual é a de facilitar o trabalho e a de induzir uma maior autogestão e também. A qualific ação profissional e a tecnologia simplificam a estrutura organizacional. cabe à gerência.

justamente devido à dinamização e rapidez crescente do fluxo informativo. que se pode afirmar que o simples ato de viver já faz ficar ultrapassa do. por uma dinamização do fluxo de informações. indo portanto muito além da simples substituição da mão -de-obra em atividades que podem ser automatizadas. caso não se atualizem a uma freqüência periódica as organizações que não forem adotar esta política. por outro lado se investe no d esenvolvimento da inteligência artificial. fazendo assim nascer à organização virtual e a sua forma de gestão: a administração virtual.A diferença agora é. e sim. criam algo novo. a tendência de humanização generalizada do trabalho já é uma realidade. mudando junto com elas. ela deve possuir características especiais. Chegamos hoje a um estado tal. diferente e mudam ou transformam valores. . . surgiram novos empreendedores.Se por um lado. No campo individual. mas mudando todo o nosso método de trabalhar e a estrutura organizacional das mais diversas entidades. além de ser nova e pequena. tecnologia integrante do quarto ciclo econômico. . e instantaneamente você estará em contato com qualquer pessoa no planeta. . Se a pouco mais de cem anos uma pessoa poderia levar um mês se deslocando de Paris a Viena para assistir a um concerto. que não é o mais forte fisicamente que irá sobreviver .As necessidades organizacionais. hoje basta um teclado. virtual ou não.3. não apenas alterando os te mpos de resposta aos estímulos internos e externos.17.Para uma empresa ser empreendedora. aquele que puder melhor assimilar as mudanças do tempo. reage a ela e explora como sendo uma oportunidad e. Considerações (pontos críticos) .Talvez a grande mudança desta era e a que mais surpreende a percepção das pessoas seja o desafio que a tecnologia representa ao tempo e ao espaço. Dentro de poucos anos. adaptaram as suas estruturas a nova realidade organizacional. têm causado o desenvolvimento de tecnologias diversas. talvez ela possa substituir plenamente os gestores humanos. conciliando humanização do trabalho com o aumento da produtividade. O empreendedor sempre está buscando a mudança. As empresas já existentes nos mais diversos ramos e que estão sobrevivendo. 55 . que viram neste desenrolar da história novas oportunidades de negócio. colocando a disposição novos produtos para n ovos mercados.

2. planejamento. a promoção e a distribuição de produtos para criar negociações que satisfaçam metas individuais e organizacionais. 18. Marketing profissionalizado : quando as empresas crescem ou alcançam sucesso.1. passam a adotar procedimentos de Marketing mais profissionais. Administração de Marketing (AM) é o processo de planejar e executar a concepção. A AM é um processo que envolve análise. implementação e controle de ações. a determinação do preço. Estas empresas não possuem orçamentos de propaganda.18. Ele dirige e vende. Administração Mercadológica: 18. Conceitos iniciais Marketing é um PROCESSO SOCIAL pelo qual pessoas e grupos obtêm o que NECESSITAM e DESEJAM através da troca com outras pessoas. visando estabelecer ofertas de bens ou serviços para a satisfação das partes envolvidas ± a que oferece e a que necessita. onde os dirigentes perdem contato com os clientes e tomam decisões baseadas em números. Marketing burocrático: é quando o Marke ting profissionalizado chega a um extremo onde as empresas perdem criatividade e o Marketing passa ser de ³laboratório´. 56 . Estágios da atividade de Marketing em uma empresa As empresas passam por três estágios principais com respeito ao ní vel em que desenvolvem atividades de Marketing: Marketing empreendedor : é o executado por empresas pequenas ou recém -nascidas onde geralmente o dono faz tudo. o planejamento mercadoló gico é incipiente e não conta com profissionais especializados em Marketing .

19. mas que serviu de base para a inquietação e surgimento de novos estudos. funcionários. Esses modelos ajudaram mu ito na relação empregado -empregador o que a organização passou a ver o empregado não só como mão-de-obra e sim como ferramenta estratégica para um melhor posicionamento no mercado. o Pós -Fordismo inicia um novo momento de valorização da relação empresa-indivíduo. Nesse tipo de administração a informação recebida será chave de sucesso. O que levou a nova geração de trabalhadores a se negarem a reproduzir um trabalho de repetição e sem sentido. logo. de forma organizada e responsável. pois a troca de experiências se torna maiores pela quantidade de pessoas (clientes. polivalente e multifuncional tendo entendimento de toda linha produtiva com máxima qualidade possível. O modelo fordista prezava pelo aumento contínuo da produtividade. que passa a não ser mais considerada como máquina e sim como parte estratégica para o desenvolvimento organizacional. ainda que aplicado de forma escravagista daquela época. temos a administração participativa que at ravés da conquista desses modelos veio ampliando e inovando na forma de gerir as pessoas e a empresa. A partir da ruptura com o Fordismo. Conclusão A crise do modelo fordista deu início a alterações na forma de gerir e na relação entre empregador e empregado. concorrentes etc. Como o próprio nome indica a relação serão participativas. Hoje. O trabalhador ga nha espaço e torna-se multiqualificado. Fica a ressalva de que o método inicial Fordista foi de grande valia.) que são envolvidas no processo da tomada de decisão. ambas as partes ganham na troca desse know-how. O Toyotismo e o Volvismo buscaram a flexibilização da produção e parceria entre as partes envolvidas. Isso não significa que foram totalmente abolidas já que em algumas organizações o regime ainda é totalmente centralizado. 57 . a forma de gestão era caracterizada pela centralização do processo de tomada de decisão e o empregado era visto apenas como uma máquina.

Magali Silveira B.pdf 58 . Teoria Geral da Administração . . ± 1ª edição Editora Atlas ± 1998 ± SP * Site: www. Antônio Cesar Amaru ± 6ª edição revisada e ampliada ± Editora Atlas-2004 ± SP. Referências Bibliográficas 1.editora Interciência.CHIAVENATO. 2ª edição ± editora MC GrawHill. Administração: Construindo vantagem competitiva ± Bateman.cfa. Rui Rodrigues .org.br/download/rd1605. Thomas S.20. Introdução a Administração . 3.MARIANO.Maximiano. 4. 2. Idalberto . Teoria Geral da Administração .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->