P. 1
TFG - Centro Cultural e Assistencial Infantil - Claudia dos Anjos

TFG - Centro Cultural e Assistencial Infantil - Claudia dos Anjos

4.56

|Views: 21.746|Likes:
Publicado porclaudiadosanjos
Autora: Cláudia dos Anjos, Arquiteta Urbanista

Contato: claudiadosanjos@gmail.com
arquiteta_claudiadosanjos@hotmail.com

www.claudiadosanjos.arq.br

http://www.youtube.com/watch?v=xAe9Yu_eMEc

RESUMO
Este estudo tem como objetivo principal, aproximar a arquitetura da necessidade de transformar menores em risco social em cidadãos íntegros haja vista a importância que a cultura, o esporte e o lazer possuem em favor da inclusão social e consequentemente embasar/conceituar os termos relacionados ao projeto, verificando as relações existentes entre lazer, a escola e o processo educativo, e de que forma esses podem contribuir para uma alternativa pedagógica.
A arquitetura será utilizada com a intenção de ensinar a conviver, não sendo utilizada apenas para cumprir suas necessidades funcionais, pois, através da arquitetura, é possível socializar o jovem com a vida dos demais seres humanos e suas diversas manifestações.
A esta fundamentação teórica consiste em revisão bibliográfica pertinente à educação, à cultura e ao lazer direcionados para a socialização de menores em risco social, que incentive a produção de idéias, que seja estimulado pelo lúdico e democratize a cultura, tornando acessível a todos toda forma de arte.

Conclusão

O estudo esta baseado na consideração do lazer como cultura no tempo disponível, e não em contraposição, mas em estreita ligação com as obrigações da vida social. Como instrumento de mudança social.
Considerando o momento de violência em que vive o país, procura-se relevar todos os movimentos que levaram ao envolvimento infantil e a refletir o que a sociedade pode fazer para tentar mudar, mostra-se assim a importância do Centro Cultural e Assistencial infantil, não só para seus usuários, mas para a comunidade em geral, que poderá ser beneficiada direta ou indiretamente.


ABSTRACT
This study has as main subject, approach the architecture of need in transforming teenages on social risk in citizens has seen the importance that the culture, the sport and the leisure posses in favor to the digital inclusion and consequently establish the related terms to the project, verifing the existing relations between the leisure, school, and the educational process, and in which way they can contribute to one pedagogical alternative.
The architecture will be utilized with the intention in teaching to live in society, not only being utilized to perform its functional needs, because, through the architecture, It is possible to socialize the teenage with the other human being’s life and their several manifestations.
This theoretical grounding consists of pertinent bibliographical revision to the education, to the culture and the leisure directed to the socialization of the teenage in social risks, that motivates the production of ideas, that is stimulated by the playful and democratize the culture, turning accessible to all every art form.


Autora: Cláudia dos Anjos, Arquiteta Urbanista

Contato: claudiadosanjos@gmail.com
arquiteta_claudiadosanjos@hotmail.com

www.claudiadosanjos.arq.br

http://www.youtube.com/watch?v=xAe9Yu_eMEc

RESUMO
Este estudo tem como objetivo principal, aproximar a arquitetura da necessidade de transformar menores em risco social em cidadãos íntegros haja vista a importância que a cultura, o esporte e o lazer possuem em favor da inclusão social e consequentemente embasar/conceituar os termos relacionados ao projeto, verificando as relações existentes entre lazer, a escola e o processo educativo, e de que forma esses podem contribuir para uma alternativa pedagógica.
A arquitetura será utilizada com a intenção de ensinar a conviver, não sendo utilizada apenas para cumprir suas necessidades funcionais, pois, através da arquitetura, é possível socializar o jovem com a vida dos demais seres humanos e suas diversas manifestações.
A esta fundamentação teórica consiste em revisão bibliográfica pertinente à educação, à cultura e ao lazer direcionados para a socialização de menores em risco social, que incentive a produção de idéias, que seja estimulado pelo lúdico e democratize a cultura, tornando acessível a todos toda forma de arte.

Conclusão

O estudo esta baseado na consideração do lazer como cultura no tempo disponível, e não em contraposição, mas em estreita ligação com as obrigações da vida social. Como instrumento de mudança social.
Considerando o momento de violência em que vive o país, procura-se relevar todos os movimentos que levaram ao envolvimento infantil e a refletir o que a sociedade pode fazer para tentar mudar, mostra-se assim a importância do Centro Cultural e Assistencial infantil, não só para seus usuários, mas para a comunidade em geral, que poderá ser beneficiada direta ou indiretamente.


ABSTRACT
This study has as main subject, approach the architecture of need in transforming teenages on social risk in citizens has seen the importance that the culture, the sport and the leisure posses in favor to the digital inclusion and consequently establish the related terms to the project, verifing the existing relations between the leisure, school, and the educational process, and in which way they can contribute to one pedagogical alternative.
The architecture will be utilized with the intention in teaching to live in society, not only being utilized to perform its functional needs, because, through the architecture, It is possible to socialize the teenage with the other human being’s life and their several manifestations.
This theoretical grounding consists of pertinent bibliographical revision to the education, to the culture and the leisure directed to the socialization of the teenage in social risks, that motivates the production of ideas, that is stimulated by the playful and democratize the culture, turning accessible to all every art form.


More info:

Categories:Types, School Work
Published by: claudiadosanjos on Sep 08, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/13/2015

pdf

text

original

Sections

CLÁUDIA DOS ANJOS

CENTRO CULTURAL E ASSISTENCIAL INFANTIL : UMA

FÁBRICA DE CRIATIVIDADE

Campo Grande
2007

CENTRO CULTURAL E ASSISTENCIAL INFANTIL : UMA

FÁBRICA DE CRIATIVIDADE

CLÁUDIA DOS ANJOS

Esta monografia constitui-se no

Trabalho Final de Graduação do

Curso de Arquitetura e Urbanismo

e trata-se de uma das exigências

para a obtenção do Título de

Arquiteta e Urbanista

Orientador: Prof. Arquiteto João
Bosco Urt Delvizio

Campo Grande
2007

Ficha Catalográfica preparada pela Biblioteca Central
Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Anjos, Cláudia dos
Centro cultural e assistencial infantil: Uma fábrica de Criatividade/ Anjos, C.
– Campo Grande/MS: UFMS
2007

096 p.; 10 pranchas

Anexos: 01

Trabalho Final de Graduação apresentado ao curso de Arquitetura e

Urbanismo da
UFMS

Orientador: Prof.° Arquiteto João Bosco Urt Delvizio
Co-orientador: Prof° Arquiteto Caio Nogueira Hosannah Cordeiro
Colaboradores: Profª Arquiteta Juliana Couto Trujillo
Profª Arquiteta Andrea Naguissa Yuba
Profª Arquiteta Ana Cláudia Gimenez Mesquita
Prof° Engenheiro José Francisco de Lima

FOLHA DE APROVAÇÃO

Autor: Cláudia dos Anjos

Título: Centro Cultural e Assistencial Infantil

Monografia defendida e aprovada em 04/12/2007, pela comissão julgadora:

____________________________________________________________________

Prof. M. Sc. Arquiteto João Bosco Urt Delvizio (orientador)

Curso de Arquitetura e Urbanismo/Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

____________________________________________________________________

Prof. M. Sc. Arquiteto Caio Nogueira Hosannah Cordeiro (co-orientador)

Curso de Arquitetura e Urbanismo/Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

____________________________________________________________________

Prof. M. Sc. Arquiteto César Guilherme Jacobina Esteves

Curso de Arquitetura e Urbanismo/Universidade para o Desenvolvimento da Região do Pantanal -
UNIDERP

__________________________________

Prof. M. Sc. João Bosco Urt Delvizio

Coordenador do Curso de Arquitetura e Urbanismo

Dedico,

A todas as crianças

E pessoas que possam utilizar-se

E tirar proveito deste sistema.

Aos meus pais,

Pela forma como me educaram.

Ao arquiteto supremo: Deus,

Dedico toda a minha vida,

Assim como toda a sua produção,

Como forma de exprimir

O quanto é real o meu amor.

Sua filha para sempre

É bom poder dizer meu muito obrigada!

Ao concluir esse trabalho eu não podia deixar de agradecer algumas pessoas

especiais:

O primeiro deve ser dirigido ao meu orientador, prof. Bosco, que me
concedeu o tratamento mais gentil e solidário ao longo do período que realizei os
trabalhos.

Aos Professores, Arquitetos Caio, Juliana, Nagui, Ana Cláudia, e Prof°
Engenheiro José Francisco... Sem eles a elaboração deste trabalho estaria
comprometida.

Aos meus colegas de curso (Taty, Lílian, Reinaldo “Bóia”, Carol
“Denguinho”, Taiza, Adriana, Loyana, e Victoria), meus eternos companheiros, seja
nos momentos em que precisamos produzir, sejam nos momentos que adoramos nos
descontrair.

Aos colegas da turma de Arquiloucura e Torturismo de 2007.

Aos meus tios e tias (os mais lindos do mundo), e aos meus priminhos, que
me permitem momentos únicos de prazer.
Aos meus avós, com quem divido os melhores momentos de minha existência
e cujo amor ultrapassa os limites do racional.

Aos meus amigos e companheiros de tantos anos, com quem compartilho

mais essa vitória.

Às pessoas que sempre estão ao meu lado e me incentivam nos momentos em

que necessito.

A todos aqueles que, de uma forma ou de outra, apostam em mim.
Em especial aos meus queridos amigos, que mesmo longe estão sempre
presentes em meu coração: Aline, que sempre esteve ao meu lado quando quis
desistir... E ao Gleison, amigo sempre presente desde o primeiro ano de faculdade
até agora, me dando força nas inúmeras noites mal dormidas de projeto, me
apoiando nas dificuldades e vibrando com as conquistas adquiridas, com muito
entusiasmo e carinho... Eles são aqueles que me fizeram acreditar que seria
possível... Agradeço de coração a participação nesse trabalho e na minha vida, não
só pela força... Mas também porque a vida seria sem eles menos colorida...

Ao Túlio e Renan, meus queridos irmãos, meus pontinhos de luz.
Aos meus Pais, pela dedicação e amor incondicional...

E principalmente a Deus, O grande Arquiteto do Universo.

Mais uma vez, obrigada!

“Confia no Senhor de todo o teu coração”, assim

como uma criança confia no seu pai. “Não se

turbe o vosso coração”, disse Jesus, “credes em

Deus; crede também em mim” (João 14.1).

Descanse no Senhor, mesmo não compreendendo

a situação atual. Creia que “todas as coisas

cooperam para o bem daqueles que amam a

Deus” (Rm. 8).

“Oh! Maria, sem pecado concebida; rogai por

nós que recorremos a Vós.”

i

SUMÁRIO

LISTA DE FIGURAS

iii

LISTA DE TABELAS

iv

LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS

v

LISTA DE SÍMBOLOS

vi

RESUMO

vii

ABSTRACT

viii

1. INTRODUÇÃO

16

1.1 Justificativa

17

1.2 Objetivos

18

1.2.1 Geral

18

1.2.2. Específicos

18

1.3 Metodologia

19

1.4 Considerações parciais

19

2. O PROBLEMA DO MENOR

20

2.1 Em defesa da infância

20

2.2 Assistência ao menor no Brasil

22

2.3 Assistência ao menor em Campo Grande

25

3. EDUCAÇÃO

29

3.1 Apoio à educação integral na rede pública

29

3.2 A educação que temos e a educação que queremos

30

3.3 Centro de apoio a educação integral

34

4. LAZER

36

4.1 Breve histórico do surgimento da noção de lazer

36

4.2 O conceito do Lazer

37

4.3 A importância do Brincar

39

5. CULTURA

40

5.1 Conceito

40

5.2 Cultura Marginalizada

42

6. PRINCIPIOS ARQUITETÔNICOS

44

6.1 Definição da área de Implantação

44

6.2 Contexto histórico-cultural

47

6.3 Contexto jurídico-institucional

48

6.4 Contexto socioeconômico

49

6.5 Infra-estrutura

50

6.6 O terreno

51

7. PROPOSTA ARQUITETÔNICA

54

7.1 Centro Cultural e Assistencial Infantil

54

7.2 Quantidade de crianças que serão assistidas

56

7.3 Condicionantes

57

8. PRECEDENTES

59

8.1 Funcionais

59

Centro cultural e Assistencial – Ubatuba, SP

59

Centro Assistencial – São Paulo, SP

60

8.2 Tipológico

61

Centro de ensino experimental Cícero dias, Recife,

62

8.3 Plásticos / formais

63

ii

Escola de marketing industrial

63

Escola PHD Infantil

64

8.4 Tecnológico

65

Teatro Municipal de Natal

65

Universidade Cruzeira do Sul

65

9. MEMORIAL DESCRITIVO

67

9.1 Listagem das espécies utilizadas no paisagismo

67

9.2 - Programa de Necessidades

78

9.3 – Descrição do projeto

81

9.4 – Projeto Arquitetônico

83

6. CONSIDERAÇÕES FINAIS

84

ANEXOS

85

Anexo A – LEI N9.394, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1996

86

Anexo B – Projeto Arquitetônico

92

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

93

BIBLIOGRAFIA CONSULTADA

95

iii

LISTA DE FIGURAS

Capítulo 2 Figura 2.1 – criança com fome

20

Figura 2.2 – trabalho infantil

21

Figura 2.3 – Índice de famílias necessitadas em Campo
Grande, MS

26

Capítulo 3 Figura 3.1 – arranjo tradicional de sala de aula

31

Figura 3.2 – arranjo da sala de aula pelos critérios atuais

32

Capítulo 5 Figura 5.1 - Desenho feito por criança após ver tiroteio
entre policia e traficantes

42

Capítulo 6 Figura 6.1 – Inserção de Campo Grande-MS – no mapa
do Brasil

44

Figura 6.2 – Inserção de Campo Grande no mapa do
Mato Grasso do Sul

44

Figura 6.3 – Campo Grande vista do parque das nações
indígenas

45

Figura 6.4 - Campo Grande Vista de noite da Casa da
Indústria

45

Figura 6.5 - Inserção da região de implantação do
projeto no município

46

Figura 6.6 – Inserção do bairro na região

47

Figura 6.7 - Inserção do terreno no bairro e malha viária

49

Figura 6.8 – ruas do bairro Tiradentes

49

Figura 6.9 - ruas do bairro Tiradentes

49

Figura 6.10 – foto aérea do terreno, seu entorno e malha
viária

51

Figura 6.11 – Planialtimétrico

51

Figura 6.12 – Vista oeste do terreno

52

Figura 6.13 – Vista Norte do terreno

52

Figura 6.14 – Vista do entorno do terreno, lado Norte

53

Figura 6.15 – Vista do entorno do terreno, lado Sul

53

Capítulo 7 Figura 7.1 – crianças

31

Figura 3.2 – arranjo da sala de aula pelos critérios atuais

32

iv

Capítulo 8 Figura 8.1 – Centro cultural e assistencial, Ubatuba, SP

59

Figura 8.2 – implantação do centro cultural e
assistencial, Ubatuba, SP

60

Figura 8.3 – Centro assistencial, São Paulo, SP

60

Figura 8.4 – Centro de ensino experimental Cícero Dias

61

Figura 8.5 – Pátio do Centro de ensino experimental
Cícero Dias

62

Figura 8.6 – brises e maquete do Centro de ensino
experimental Cícero Dias

63

Figura 8.7 – Jardim interno da escola de Marketing
Industrial

63

Figura 8.8 – Muros e cobogó da escola PHD infantil

64

Figura 8.9 – Grelhas de Proteção solar, Teatro municipal
de Natal

65

Figura 8.10 – Brises da fachada da Unicsul

66

Figura 8.11 – Janelas da biblioteca voltada para o pátio
da Unicsul

66

Capítulo 9 Figura 9.1 – Grama São Carlos

68

Figura 9. 2 – Flamboyant

69

Figura 9.3 – Jacarandá

69

Figura 9.4 – Pata de Vaca

71

Figura 9.5 – Chuva de ouro

72

Figura 9.6 – Clorofito

73

Figura 9.7 – Trapoeraba Roxa

73

Figura 9.8 – Palmeira de Natal

74

Figura 9.9 – Sangue de adão

75

Figura 9.10 – Maria sem vergonha

76

Figura 9.11 – Ipê-Rosa

77

Figura 9.12 – Palmeira Imperial

78

Figura 9.13 - Molecule

83

v

LISTA DE TABELAS

Capítulo 6 Tabela 6.1 – dados gerais de Campo Grande- MS

45

Tabela 6.2 – freqüência média dos ventos na região

45

Capítulo 7 Tabela 7.1 – numero de participantes das escolas vivas,
em Campo Grande-MS

56

vi

LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS

ABNT

Associação Brasileira de Normas Técnicas

CCAI

Centro Cultural e Assistencial Infantil

CREA/MS

Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e
Agronomia do Estado de Mato Grosso do Sul

MS

Estado de Mato Grosso do Sul

UFMS

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

vii

RESUMO

Este estudo tem como objetivo principal, aproximar a arquitetura da

necessidade de transformar menores em risco social em cidadãos íntegros haja vista a

importância que a cultura, o esporte e o lazer possuem em favor da inclusão social e

consequentemente embasar/conceituar os termos relacionados ao projeto, verificando

as relações existentes entre lazer, a escola e o processo educativo, e de que forma

esses podem contribuir para uma alternativa pedagógica.

A arquitetura será utilizada com a intenção de ensinar a conviver, não sendo

utilizada apenas para cumprir suas necessidades funcionais, pois, através da

arquitetura, é possível socializar o jovem com a vida dos demais seres humanos e

suas diversas manifestações.

A esta fundamentação teórica consiste em revisão bibliográfica pertinente à

educação, à cultura e ao lazer direcionados para a socialização de menores em risco

social, que incentive a produção de idéias, que seja estimulado pelo lúdico e

democratize a cultura, tornando acessível a todos toda forma de arte.

PALAVRAS-CHAVE: Menores em risco social, lazer infantil, Inclusão Social,

centro cultural infantil, assistência infantil.

viii

ABSTRACT

This study has as main subject, approach the architecture of need in

transforming teenages on social risk in citizens has seen the importance that the

culture, the sport and the leisure posses in favor to the digital inclusion and

consequently establish the related terms to the project, verifing the existing relations

between the leisure, school, and the educational process, and in which way they can

contribute to one pedagogical alternative.

The architecture will be utilized with the intention in teaching to live in

society, not only being utilized to perform its functional needs, because, through the

architecture, It is possible to socialize the teenage with the other human being’s life

and their several manifestations.

This theoretical grounding consists of pertinent bibliographical revision to

the education, to the culture and the leisure directed to the socialization of the

teenage in social risks, that motivates the production of ideas, that is stimulated by

the playful and democratize the culture, turning accessible to all every art form.

KEYWORDS: Teenages in risk, infantile leisure, social inclusion, infantile
cultural center, infantile assistence.

vii

RESUMO

Este estudo tem como objetivo principal, aproximar a arquitetura da

necessidade de transformar menores em risco social em cidadãos íntegros haja vista a

importância que a cultura, o esporte e o lazer possuem em favor da inclusão social e

consequentemente embasar/conceituar os termos relacionados ao projeto, verificando

as relações existentes entre lazer, a escola e o processo educativo, e de que forma

esses podem contribuir para uma alternativa pedagógica.

A arquitetura será utilizada com a intenção de ensinar a conviver, não sendo

utilizada apenas para cumprir suas necessidades funcionais, pois, através da

arquitetura, é possível socializar o jovem com a vida dos demais seres humanos e

suas diversas manifestações.

A esta fundamentação teórica consiste em revisão bibliográfica pertinente à

educação, à cultura e ao lazer direcionados para a socialização de menores em risco

social, que incentive a produção de idéias, que seja estimulado pelo lúdico e

democratize a cultura, tornando acessível a todos toda forma de arte.

PALAVRAS-CHAVE: Menores em risco social, lazer infantil, Inclusão Social,

centro cultural infantil, assistência infantil.

viii

ABSTRACT

This study has as main subject, approach the architecture of need in

transforming teenages on social risk in citizens has seen the importance that the

culture, the sport and the leisure posses in favor to the digital inclusion and

consequently establish the related terms to the project, verifing the existing relations

between the leisure, school, and the educational process, and in which way they can

contribute to one pedagogical alternative.

The architecture will be utilized with the intention in teaching to live in

society, not only being utilized to perform its functional needs, because, through the

architecture, It is possible to socialize the teenage with the other human being’s life

and their several manifestations.

This theoretical grounding consists of pertinent bibliographical revision to

the education, to the culture and the leisure directed to the socialization of the

teenage in social risks, that motivates the production of ideas, that is stimulated by

the playful and democratize the culture, turning accessible to all every art form.

KEYWORDS: Teenages in risk, infantile leisure, social inclusion, infantile
cultural center, infantile assistence.

16

CAPÍTULO 1 – INTRODUÇÃO

Um bom arquiteto é um bom filósofo, sociólogo e um bom ser humano. (Alain
Botton1
)

A melhor forma de transformar a vida de crianças e adolescentes é transformar o

mundo onde elas vivem.

O brincar e o lúdico são as primeiras formas de nos expressarmos, e nos fazem

participar de idéias e de objetivos comuns. Esses símbolos, no cotidiano das crianças, são

elementos essenciais para o seu desenvolvimento, assim favorecendo a auto-estima e o

aprendizado de novas atividades.

A preocupação inicial é propiciar um espaço arquitetônico que possibilite afastar da

ociosidade crianças e adolescentes em risco social, para desta forma evitar o envolvimento

desses menores com drogas, marginalidade e prostituição. A intenção do trabalho visa

também aproveitar como instrumento de integração social e desenvolvimento físico e

psicológico os atrativos que o esporte, a cultura e o lazer exercem sobre os jovens,

oferecendo-lhes oportunidades de crescimento pessoal e profissional. O projeto pretende

ainda ajudá-los na conquista dos direitos da cidadania e de uma saúde melhor. Assim, o lúdico

se alia às técnicas pedagógicas para a construção de um local voltado para o aprender, e aos

poucos o simbólico vai dando lugar ao real.

Sendo assim, o presente estudo tem o propósito de criar uma estrutura arquitetônica

para auxílio cultural e assistencial infantil, voltada ao lazer de jovens ociosos e em risco

social, para que haja uma garantia aos mesmos do direito de um perfeito desenvolvimento

físico, psíquico, social e cultural.

Trata-se de um edifício dotado de equipamentos para a complementação do ensino

regular, a prática de esportes, cultura e lazer, além de cursos complementares de formação

profissional.

A exigência fundamental para que as crianças possam participar das atividades

desenvolvidas no espaço arquitetônico, é que freqüentem a escola pública em período que se

alterne ao da permanência no Centro Cultural e Assistencial Infantil, assim, estimulando as

1 Botton, Alain. Filósofo suíço, autor deThe architecture of Happiness– (Arquitetura da Felicidade).
2006. Em entrevista para o Jornal Fantástico dia 25 de março de 2007.

17

crianças e adolescentes a estudarem, e afastá-las da rua e do ócio, motivando-as e orientando-

as ao aprendizado.

1.1 – Justificativa

[...] os arquitetos têm que pensar em projetos que deixem nossas cidades menos
tristes e tragam o melhor do ser humano. (Alain Botton)

Na sociedade moderna, muitos pais não dispõem de tempo para brincar e passear

com seus filhos. Por outro lado, algumas crianças desde muito cedo começam a trabalhar. Por

isso, em suas horas vagas, as crianças de classe média, passam a ocupar seu tempo assistindo

programas de televisão, brincando com jogos e brinquedos eletrônicos, ou ociosas e em

alguns casos nas ruas (essa última opção é a mais comum às crianças de classes menos

favorecidas). Esses jovens são submetidos a toda imprevisibilidade da vida urbana

contemporânea, e muitas vezes acabam por desinteressar-se pelo modo de brincar criativo e

por atividades culturais infantis. O problema se agrava entre jovens e crianças da periferia,

onde a violência torna-se ainda mais cruel e os recursos disponíveis são escassos. Problema

esse manifestado na música “Ensino Errado”:

[...] A diversão é limitada e o meu pai não tem tempo pra nada
E a entrada no cinema é censurada (vai pra casa pirralhada!)
A rua é perigosa então eu vejo televisão
(Tá lá mais um corpo estendido no chão)[...] (Gabriel, O Pensador).

O tema justifica-se uma vez que a população de Campo Grande, na faixa etária que

esse estudo propõe atender é grande. Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de

Geografia e Estatística), atualmente existem nesta capital aproximadamente 129.422 jovens

na faixa etária de 05 a 14 anos, e na região do Bandeira nesta mesma faixa etária a população

é de aproximadamente 28.045, segundo o perfil sócio-econômico de Campo Grande.

Portanto este projeto tem o propósito de apresentar uma estrutura arquitetônica

voltada às crianças e adolescentes, por entender a necessidade de implantar, acompanhar e

desenvolver, em organizações socialmente responsáveis, oportunidades de qualificação

profissional, desenvolvimento pessoal e cidadania para jovens em situação de

vulnerabilidade social, e uma alternativa de lazer para jovens de classe média, atendendo parte

da região urbana do Bandeira, nas proximidades dos bairros Tiradentes, Maria Aparecida

Pedrossian, Jardim Noroeste, e Arnaldo Estevão de Figueiredo.

18

1.2 - Objetivos

Os objetivos deste trabalho dividem-se em objetivos geral e específico, a saber:

1.2.1 - Objetivo Geral

Projetar O Centro Cultural e Assistencial Infantil, dotado de equipamentos de

assistência à comunidade (segurança, saúde etc.), contribuindo para o bem-estar da

comunidade e constituir marco arquitetônico de referência na região do entorno.

Atender a carência de projetos sociais voltados às crianças e adolescentes ociosos de

05 a 14 anos de ambos os sexos, ameaçados ou privados da convivência comunitária e/ou em

situação de risco social e pessoal, a mercê da marginalidade em Campo Grande-MS,

assegurando, a esta parcela da população, o amparo da Lei 8.069, de 13 de julho de 1990 do

Estatuto da Criança e do Adolescente – ao declarar em seu artigo 3º que “crianças e

adolescentes gozam de todos os direitos inerentes à pessoa humana”.

Estabelecendo assim, um espaço arquitetônico para o auxílio e atendimento à

população infanto-juvenil, que complementará o centro educacional, resgatando a qualidade

de vida de crianças, adolescentes e jovens atendidos gratuitamente o que possibilitará que a

arte e a cultura sejam elementos capazes de transformar tais vidas.

1.2.2 - Objetivos específicos

...“pensar globalmente, agir localmente” (Richardson, 2007)2
.

• Projetar um espaço adequado para a prática de esportes.

• Projetar um espaço que propicie a retirada das crianças da rua no

período em que não estão na escola, motivando-as e orientando-as ao aprendizado.

• Ampliar através da edificação construída as oportunidades de

convivência social e comunitária dessas crianças e adolescentes.

• Atender a jovens ociosos através de projetos sociais e cursos.

2 Richardson, phyllis. “XS Green– (XS Ecológico). 2007. Pagina 10.

19

• Desenvolver espaços verdes adequados para as crianças entrarem em

contato com a vegetação.

• Propor espaços para recreação, lazer e cultura para crianças e jovens da

capital.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->