Você está na página 1de 28

Manual para Abertura da Farmácia | Rev.

04 | Página 1 de 28__________________

MANUAL PARA
ABERTURA DA FARMÁCIA
Manual para Abertura da Farmácia | Rev.05 | Página 2 de 28___________________

Código: MA-FF
Revisão: 05
Manual para Abertura da Farmácia Página: 1 de 24
Data: 01/08/2008

Origem: Homologado por: Rubrica:


Farma & Farma S.A. Equipe de Qualidade

1- INTRODUÇÃO

As aptidões dos acadêmicos de farmácia, geralmente, estão mais relacionadas com a área
técnica farmacêutica do que com a gestão de negócios. Para gerir uma farmácia, além do ideal
da assistência farmacêutica, é imprescindível o conhecimento administrativo.
A falta de visão empreendedora aliada ao desconhecimento comercial do negócio faz com que
muitos farmacêuticos tenham dúvidas e necessitem de informações seguras no processo de
abertura de uma farmácia.
Ao abrir uma farmácia, percebe-se que existe uma série de exigências legais e comerciais para
o pleno funcionamento da mesma, dúvidas com relação à gestão da farmácia e outros assuntos
pertinentes.

2- OBJETIVO

 Fornecer dados para o processo de abertura de uma farmácia franqueada Farma &
Farma, bem como, também fornecer subsídios para uma gestão eficaz.

3- SIGLAS
CPF – Cadastro de Pessoa Física
Manual para Abertura da Farmácia | Rev.05 | Página 3 de 28___________________

CNPJ – Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica


CRF – Conselho Regional de Farmácia
IE – Inscrição Estadual
FAC – Ficha de Atualização Cadastral
JUCESC – Junta Comercial do Estado de Santa Catarina
JUCEPAR – Junta Comercial do Estado do Paraná
JUCERGS - Junta Comercial do Estado do Rio Grande do Sul
DAR – Documento de Arrecadação
DARE – Documento de Arrecadação Estadual
DAS – Documento de Arrecadação do Simples
UFIR – Unidade Fiscal de Referência
PIS – Programa de Integração Social
PASEP – Programa do Servidor Público
COFINS – Contribuição Financeira de Seguridade Social
ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços
IRPJ – Imposto de Renda Pessoa Jurídica
INSS – Instituto Nacional da Seguridade Social
SAT – Seguro de Acidente de Trabalho
TR – Taxa de Referência
TARC – Taxa de Abertura e Renovação de Crédito
FAT – Fundo de Amparo ao Trabalhador
TJLP – Taxa de Juros de Longo Prazo
IOF – Imposto sobre Operações Financeiras
PIB – Produto Interno Bruto
DOU – Diário Oficial da União
FGTS – Fundo de Garantia por Tempo de Serviço
IRPJ – Imposto de Renda da Pessoa Jurídica
CSLL – Contribuição Social sobre o Lucro Líquido
ISS – Imposto sobre Serviços
FAT – Fundo de Amparo ao Trabalhador
IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados
ST – Substituição Tributária
ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária
Manual para Abertura da Farmácia | Rev.05 | Página 4 de 28___________________

4- LEGISLAÇÃO

Disponível nos sites:


www.cff.org.br
www.anvisa.gov.br

5 - DOCUMENTAÇÃO

5.1 Imóvel
Para a abertura da farmácia é preciso, em primeiro lugar, ter um local definido.
Verificar se o local escolhido está de acordo com os critérios de zoneamento Farma e Farma,
e também com a legislação vigente. A outra preocupação é relacionada ao imóvel, que precisa
estar em situação regular conforme a sua planta, e possuir o habite-se, pois caso contrário, não
será possível a obtenção do Alvará Sanitário. É importante frisar que isso é de
responsabilidade do proprietário do imóvel e não necessariamente do locatário. Na escolha do
local da farmácia é importante verificar a quantidade de pessoas que transitam e/ou moram
nas redondezas. Um estacionamento de fácil acesso nas proximidades da farmácia e a própria
visualização da farmácia são fundamentais para uma clientela maior. A regalia de ter lojas de
ramos diversos nas proximidades facilita as compras dos clientes, por isso, é interessante a
localização da farmácia próxima a outros estabelecimentos comerciais, como supermercados,
shoppings e em ruas principais. É necessário que a farmácia meça, no mínimo, 60m2, sendo
que destes, 50 m2 devem ser para a área da farmácia (dispensação, sala de aplicação, estoque),
conforme especificações da Vigilância Sanitária.

5.2 Documentações para a Contabilidade


Para o registro da firma no Escritório Contábil, são necessários os seguintes documentos:
 Cinco Fotocópias do CPF e Carteira de Identidade dos sócios, frente e versos,
autenticados;
 Comprovante de endereço(s) do(s) sócio(s);
Manual para Abertura da Farmácia | Rev.05 | Página 5 de 28___________________

 Endereço da empresa;
 Nome fantasia;
 Cópia do Contrato de Aluguel ou Escritura no caso de imóvel próprio e habite-se;
 Razão Social (não pode existir nenhuma outra empresa com a mesma razão
social);
 Cópia simples do RG e CPF dos cônjuges dos sócios;
 Cópia simples de certidão de nascimento ou casamento.

Obs. O contrato social é elaborado no escritório contábil.


Custo do Contador: Depende do escritório, variando de R$ 200,00 a R$ 900,00 (valor das
taxas já incluídas).
Tempo do processo: De 30 a 45 dias

5.3 Documentos exigidos pela prefeitura para o Alvará de Funcionamento

 Cópia do CNPJ;
 Cópia do Contrato social;
 Habite-se;
 Vistoria do bombeiro;
 Viabilidade preenchida;
 Endereço da contabilidade.
 Taxa do Alvará: Varia conforme a legislação vigente no município.
 Taxa de petição do Alvará (para posterior vistoria): Varia conforme legislação
municipal.

Tempo do processo: 7-10 dias


Após a entrega dos documentos, um fiscal irá visitar a farmácia para verificar as instalações e
emitir uma notificação que será entregue para a Prefeitura Municipal efetuar a liberação do
alvará, caso esteja tudo em conformidade.
Também é necessária a vistoria de um representante do corpo de bombeiros, para a inspeção
de segurança. A taxa da vistoria depende do tamanho do imóvel. Os bombeiros exigem
Manual para Abertura da Farmácia | Rev.05 | Página 6 de 28___________________

também a instalação de sistemas preventivos, que em locais com menos de 200 m2


corresponde à instalação do extintor de incêndio. O tamanho do imóvel é analisado de acordo
com a planta. Caso a sala da farmácia não tenha uma planta separada e esteja inserida na
planta do imóvel todo, como em casas e pequenos prédios, e a metragem em conjunto
ultrapassar os 200 m2, os bombeiros irão exigir a colocação de outros sistemas preventivos,
como luz de emergência, hidrante, alarme de incêndio.

5.4 Documentos exigidos pelo CRF (Conselho Regional de Farmácia)

 Cinco vias do Contrato Social da Empresa;


 Solicitação de responsabilidade técnica e requerimento preenchido pelo
Farmacêutico proprietário, ou Farmacêutico contratado devidamente inscrito no Conselho
Regional de Farmácia do seu estado (assinaturas com firma reconhecida em cartório);
 Declaração do horário de funcionamento da farmácia em papel timbrado ou com
carimbo do CNPJ da farmácia (assinaturas com firma reconhecida em cartório);
 Ter Farmacêutico(s) em número suficiente para cobrir o horário de funcionamento
da(s) farmácia(s);
 Cópia do CNPJ e Inscrição Estadual;
 Taxa referente à tramitação;
 Taxa referente à inscrição;
 Taxa referente à solicitação de responsabilidade técnica.

Tempo do processo: 15 dias a 2 meses.

5.5 Documentos exigidos pela Vigilância sanitária

Para a obtenção do Alvará Sanitário Inicial, o primeiro passo é buscar a homologação do


processo no CRF.
Na vigilância, é necessário um requerimento dirigido ao Diretor de Vigilância Sanitária,
solicitando o Alvará Sanitário para funcionamento, assinado pelo representante legal da
Manual para Abertura da Farmácia | Rev.05 | Página 7 de 28___________________

empresa (farmacêutico proprietário) ou pelo Farmacêutico Responsável, caso o mesmo não


seja o proprietário.
Obs. Deverá conter os seguintes dados:

 Nome completo do profissional;


 Nome fantasia do estabelecimento;
 Contrato social ou firma individual, com registro na JUCESC e homologada no
CRF;
 Endereço completo do estabelecimento, com ponto de referência e telefone;
 CNPJ e IE;
 Croqui de localização do endereço da Farmácia.

Os seguintes documentos também são exigidos:

 Prova de relação contratual entre a empresa e o Farmacêutico responsável


(apenas no caso deste não integrar a empresa, na qualidade de sócio ou proprietário).
 Contrato homologado pelos órgãos oficiais:
 Conselho Regional de Farmácia;
 Sindicato dos farmacêuticos.
 Fotocópia do diploma de farmacêutico, no caso de alvará inicial.
 Prova de constituição da empresa:
 Cópia do contrato social ou firma individual;
 Ficha de atualização cadastral – FAC registrados na JUCESC.

Comprovante de recolhimento das taxas – documento de arrecadação – DAR Municipal


quitado.
 Alvará de licença para funcionamento
 Livro de receituário geral – para farmácias de manipulação
 Livro de Registro de Injetáveis, padrão Farma & Farma: Para Farmácias que
administrem medicamentos injetáveis.
Observações:
Manual para Abertura da Farmácia | Rev.05 | Página 8 de 28___________________

O licenciamento e a revalidação do alvará só serão concedidos após a verificação do


cumprimento das condições sanitárias exigidas em lei.
Autorização prévia: entende-se por autorização prévia o fornecimento do protocolo após
entrega da documentação completa.

5.5.1. Autorização de Funcionamento da ANVISA:

A partir do dia 04 de março de 2002, todas as farmácias e drogarias do país somente têm
permissão para comercializar seus produtos depois de receber uma autorização de
funcionamento da Anvisa, conforme a RDC ANVISA n° 238, de 27 de dezembro de 2001,
publicada no Diário Oficial de 04 de março 2002.

As farmácias, inclusive as de manipulação, devem descrever todo o trabalho realizado no


estabelecimento. Em um formulário, é obrigatório informar, por exemplo, se há manipulação
e medicamentos, aplicação de medicamentos injetáveis e outros.

A Autorização de Funcionamento tem validade de um ano.

Com relação aos medicamentos controlados, as farmácias e drogarias devem declarar quais
medicamentos pretendem comercializar como, por exemplo, entorpecentes, psicotrópicos,
anorexígenos, entre outros.

As farmácias podem preencher o formulário de petição (em pdf * | em word) pela internet. Os
pedidos e os documentos devem ser encaminhados para a ANVISA, em Brasília, no endereço
SEPN 515 Bloco B Edifício Omega, térreo ou para a Caixa Postal 6184, CEP 70770-502.

Qualquer alteração no cadastro como, por exemplo, renovação, cancelamento e alteração da


autorização de funcionamento devem ser comunicados e aprovados pela ANVISA.

As farmácias e drogarias podem obter maiores informações sobre o pagamento das taxas para
realizar estas mudanças no site da ANVISA, na seção “Arrecadação e Finanças”.

Os estabelecimentos que não tiverem autorização não poderão comercializar seus produtos e
estará sujeitos às penalidades da Lei nº 6.437/77, que prevê desde notificação a multas que
variam entre R$ 2 mil e R$ 1,5 milhão.
Manual para Abertura da Farmácia | Rev.05 | Página 9 de 28___________________

Documentos necessários para solicitar autorização de funcionamento:

 Formulário de petição preenchido

 Cópia da Licença Sanitária, expedida pela vigilância sanitária do estado/município;

 Cópia do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ);

 Comprovante de pagamento da Taxa de Fiscalização Sanitária.

Observação: É importante a farmácia manter uma pasta com as cópias dos documentos
enviados a ANVISA, e cópia autenticada do comprovante de pagamento da taxa de
fiscalização, até que seja publicado no DOU o número da autorização de funcionamento da
farmácia.

5.6 Estacionamentos especiais

Para ter direito a um lugar reservado na rua, para os clientes poderem estacionar os seus
carros por 15 minutos sem serem autuados, deverá ser feita uma solicitação junto à Prefeitura
para que seja fornecida uma licença para a colocação de placa indicativa de Estacionamento
Privativo.

5.7 Documentos para os fornecedores

Para que sejam possíveis as relações comerciais entre a farmácia e os fornecedores, a


Franqueadora Farma & Farma enviarão aos fornecedores o cadastro da farmácia franqueada,
sendo que após as devidas providencias será encaminhada a mesma, o respectivo código de
acesso ao sistema de comercialização, desde que não exista nenhum fato impeditivo, legal,
financeiro e ou outros.

5.8 Exposições dos documentos

Alguns documentos devem ficar expostos em um quadro de avisos, dentro da sua farmácia.
Manual para Abertura da Farmácia | Rev.05 | Página 10 de 28___________________

Neste quadro devem estar afixados:


 Alvará de funcionamento da prefeitura;
 Certificado de regularidade (CRF);
 Alvará Sanitário da Secretaria da Saúde, estadual ou municipal;
 Autorização de funcionamento (ANVISA), autorização especial de funcionamento
(Controlados – Farmácias e Drogarias), e cadastramento para farmácias magistrais que
trabalhem com medicamentos sujeitos a controle da Portaria 344, de 12/5/1998
(ANVISA);
 Avisos do PROCON
 Placa informativa do farmacêutico responsável.
De acordo com o decreto 32.257, a placa deve medir 42x30cm e informar o nome do
estabelecimento, razão social, registro no CRF, nome do farmacêutico responsável e o número
do seu CRF.
São necessárias, também, outras três placas:
 Simples – ME
 Exigência de Nota fiscal;
 Quadro de Horário de Funcionamento da Farmácia, e dos horários em que o
Responsável Técnico presta assistência.

Neste quadro, a farmácia deve informar os telefones ou endereços do CRF da região, das
Vigilâncias Sanitárias estaduais e municipais mais próximas, da Secretaria de Saúde e do
PROCON.
As farmácias devem ter um Manual de Procedimentos Operacionais. Neste Manual devem
estar descritas as principais atividades da farmácia, como o procedimento no recebimento de
medicamentos e perfumarias, a rotina de limpeza, a maneira de como são aplicados os
medicamentos injetáveis, etc. A Franqueadora Farma & Farma possui Procedimentos
Operacionais Padrão (POP), que servem como modelo para as farmácias dos seus
franqueados.
Manual para Abertura da Farmácia | Rev.05 | Página 11 de 28___________________

Tabela 01 :
Estimativa de custo de taxas e licenças para abertura de farmácia
ENTIDADES CUSTO (R$) TEMPO (dias)
Contabilidade 200,00 a 900,00 30 a 45
Prefeitura 7 a 10
(Alvará de Funcionamento ou Localização) 50,00 a 200,00
Bombeiros 30,00 a 120,00 3
Conselho Regional de Farmácia 700,00 – Inscr. Fcia 15 a 60
Vigilância Sanitária Municipal/ Regional 200,00 a 400,00 Protocolo entregue na hora
(Alvará Sanitário) 30 a 60 dias

ANVISA (Autorização de Funcionamento) Até 90 dias


500,00 (RDC 236)
Extintor de Incêndio 50,00 a 70,00 2
Total 1730,00 a 2890,00 70 a 90

6- COMPOSIÇÕES DE CUSTO
Manual para Abertura da Farmácia | Rev.05 | Página 12 de 28___________________

A administração correta da parte financeira de um empreendimento é essencial para o sucesso


do mesmo. Quando os recursos financeiros estão limitados, deve-se aplicá-los onde apresentar
melhores lucros. Para saber onde aplicar melhor o dinheiro é necessário controle preciso.
Para isso, é preciso ter, inicialmente, um contador hábil, que seja de inteira confiança
(registrado no CRC). A empresa instalada e, em operação, precisa ter um direcionamento, um
acompanhamento sério. Isto só se consegue com alguns controles essenciais.
A seguir, alguns exemplos dos controles necessários para que a empresa tenha sucesso nos
dias de hoje:
 Monitoramento do Movimento Diário de Vendas;
 Controle de Despesas;
 Compra de mercadorias;
 Fluxo de caixa;
 Contas a pagar;
 Contas a receber;
 Conta corrente bancária;
 Impostos/Encargos.
 Controle de Estoque
Obs.: Todos estes controles são disponibilizados pelo software de gestão de farmácia.
É importante que o proprietário e gestor da farmácia peguem as guias para o pagamento dos
impostos preenchidas pelo contador, e efetue o pagamento, para que possa ter segurança no
controle de suas despesas.

6.1 Formas de Tributação

6.1.1 Simples
Manual para Abertura da Farmácia | Rev.05 | Página 13 de 28___________________

Para facilitar os cálculos e o controle dos impostos, foram criados os impostos únicos, o
SIMPLES NACIONAL (impostos: IRPJ, PIS/Pasep, CSLL, COFINS, ICMS, ISS e INSS
PATRONAL). A grande maioria das farmácias e estabelecimentos com faturamento anual até
R$ 1.000.000,00, média mensal de R$ 83.333,00, utilizam o sistema de imposto único. O
imposto único é calculado sobre a soma do faturamento mensal do estabelecimento,
obedecendo a uma tabela fornecida pelo governo conforme Lei Complementar 123/2006.

A atividade de comercio de medicamentos poderá ser tributada pelas seguintes tabelas do


Anexo I da Lei Complementar 123/2006, que instituiu o Simples Nacional:

Receitas decorrentes da revenda de mercadorias sujeitas à substituição tributária, exceto as


receitas decorrentes da revenda de mercadorias para exportação.

Tabela 4 – Substituição tributária da COFINS, do Pis/Pasep e do ICMS


Receita Bruta Total em 12 meses (em R$) Alíquota IRPJ CSLL COFINS Pis/Pasep INSS ICMS
Até 120.000,00 2,01% 0,00% 0,21% 0% 0% 1,80% 0%
De 120.000,01 a 240.000,00 2,53% 0,00% 0,36% 0% 0% 2,17% 0%
De 240.000,01 a 360.000,00 3,33% 0,31% 0,31% 0% 0% 2,71% 0%
De 360.000,01 a 480.000,00 3,69% 0,35% 0,35% 0% 0% 2,99% 0%
De 480.000,01 a 600.000,00 3,72% 0,35% 0,35% 0% 0% 3,02% 0%
De 600.000,01 a 720.000,00 4,04% 0,38% 0,38% 0% 0% 3,28% 0%
De 720.000,01 a 840.000,00 4,08% 0,39% 0,39% 0% 0% 3,30% 0%
De 840.000,01 a 960.000,00 4,13% 0,39% 0,39% 0% 0% 3,35% 0%
De 960.000,01 a 1.080.000,00 4,41% 0,42% 0,42% 0% 0% 3,57% 0%
De 1.080.000,01 a 1.200.000,00 4,46% 0,43% 0,43% 0% 0% 3,60% 0%
De 1.200.000,01 a 1.320.000,00 4,86% 0,46% 0,46% 0% 0% 3,94% 0%
De 1.320.000,01 a 1.440.000,00 4,91% 0,46% 0,46% 0% 0% 3,99% 0%
De 1.440.000,01 a 1.560.000,00 4,95% 0,47% 0,47% 0% 0% 4,01% 0%
De 1.560.000,01 a 1.680.000,00 4,99% 0,47% 0,47% 0% 0% 4,05% 0%
De 1.680.000,01 a 1.800.000,00 5,04% 0,48% 0,48% 0% 0% 4,08% 0%
De 1.800.000,01 a 1.920.000,00 5,48% 0,52% 0,52% 0% 0% 4,44% 0%
De 1.920.000,01 a 2.040.000,00 5,53% 0,52% 0,52% 0% 0% 4,49% 0%
De 2.040.000,01 a 2.160.000,00 5,58% 0,53% 0,53% 0% 0% 4,52% 0%
De 2.160.000,01 a 2.280.000,00 5,62% 0,53% 0,53% 0% 0% 4,56% 0%
De 2.280.000,01 a 2.400.000,00 5,68% 0,54% 0,54% 0% 0% 4,60% 0%
Manual para Abertura da Farmácia | Rev.05 | Página 14 de 28___________________

Receitas decorrentes da revenda de mercadorias sujeitas à substituição tributária, exceto as


receitas decorrentes da revenda de mercadorias para exportação.

Tabela 7 – Substituição tributária do Pis/Pasep e da COFINS


Receita Bruta Total em 12 meses (em R$) Alíquota IRPJ CSLL COFINS Pis/Pasep INSS ICMS
Até 120.000,00 3,26% 0,00% 0,21% 0% 0% 1,80% 1,25%
De 120.000,01 a 240.000,00 4,39% 0,00% 0,36% 0% 0% 2,17% 1,86%
De 240.000,01 a 360.000,00 5,66% 0,31% 0,31% 0% 0% 2,71% 2,33%
De 360.000,01 a 480.000,00 6,25% 0,35% 0,35% 0% 0% 2,99% 2,56%
De 480.000,01 a 600.000,00 6,30% 0,35% 0,35% 0% 0% 3,02% 2,58%
De 600.000,01 a 720.000,00 6,86% 0,38% 0,38% 0% 0% 3,28% 2,82%
De 720.000,01 a 840.000,00 6,92% 0,39% 0,39% 0% 0% 3,30% 2,84%
De 840.000,01 a 960.000,00 7,00% 0,39% 0,39% 0% 0% 3,35% 2,87%
De 960.000,01 a 1.080.000,00 7,48% 0,42% 0,42% 0% 0% 3,57% 3,07%
De 1.080.000,01 a 1.200.000,00 7,56% 0,43% 0,43% 0% 0% 3,60% 3,10%
De 1.200.000,01 a 1.320.000,00 8,24% 0,46% 0,46% 0% 0% 3,94% 3,38%
De 1.320.000,01 a 1.440.000,00 8,32% 0,46% 0,46% 0% 0% 3,99% 3,41%
De 1.440.000,01 a 1.560.000,00 8,40% 0,47% 0,47% 0% 0% 4,01% 3,45%
De 1.560.000,01 a 1.680.000,00 8,47% 0,47% 0,47% 0% 0% 4,05% 3,48%
De 1.680.000,01 a 1.800.000,00 8,55% 0,48% 0,48% 0% 0% 4,08% 3,51%
De 1.800.000,01 a 1.920.000,00 9,30% 0,52% 0,52% 0% 0% 4,44% 3,82%
De 1.920.000,01 a 2.040.000,00 9,38% 0,52% 0,52% 0% 0% 4,49% 3,85%
De 2.040.000,01 a 2.160.000,00 9,46% 0,53% 0,53% 0% 0% 4,52% 3,88%
De 2.160.000,01 a 2.280.000,00 9,53% 0,53% 0,53% 0% 0% 4,56% 3,91%
De 2.280.000,01 a 2.400.000,00 9,63% 0,54% 0,54% 0% 0% 4,60% 3,95%

Uma Farmácia com faturamento acumulado nos últimos 12 meses de R$ 1.000.000,00 e que
faturou em janeiro R$ 100.000,00 sendo que 60% produtos com ICMS ST e 40% produtos
sem ICMS ST.
Faturamento total R$ 100.000,00
Produto C/ST R$ 60.000,00
Produto S/ST R$ 40.000,00
Custo da Mercadoria R$ 70.000,00
Produto C/ST R$ 42.000,00
Produto S/ST R$ 28.000,00
Manual para Abertura da Farmácia | Rev.05 | Página 15 de 28___________________

Simples R$ 5.638,00
Produto C/ST (R$ 60.000,00 x 4,41%) R$ 2.646,00
Produto S/ST (R$ 40.000,00x 7,48%) R$ 2.992,00
Despesas Operacionais R$ 14.010,00
Margem Efetiva 10.352

O faturamento bruto é o total que a farmácia vendeu no mês.


O custo da mercadoria é quanto à farmácia terá de pagar para os seus fornecedores de
mercadorias (distribuidoras) mais o ICMS retido na fonte em Regime de Substituição
Tributaria.

Entenda Melhor
Considerando faturamento de acumulado nos últimos 12 meses de R$ 1.000.000,00, localizar
as alíquotas do Simples Nacional nas tabelas 4 e 7, ou seja, 4,41% para receita dos produtos
com ICMS ST e 7,48% para produtos sem ICMS ST.
Portanto
Receita produto com ICMS ST R$ 60.000,00 x 4,41% = R$ 2.646,00
Receita produto sem ICMS ST R$ 40.000,00 x 7,48% = R$ 2.992,00
Total R$ 1000.000,00 R$ 5.638,00 total do Simples Nacional

O pagamento do SIMPLES é através da Guia DAS (Documento de Arrecadação do Simples),


com vencimento no dia 15 de cada mês.
Além do imposto único, a empresa terá que descontar do salário de seu funcionário,
mensalmente, o INSS e repassá-lo à Previdência Social, através da Guia GPS (Guia da
Previdência Social), com vencimento dia 10 de cada mês, caso este dia for feriado ou final de
semana, deve-se antecipar o pagamento.
Abaixo, tabela INSS parte do empregado e Sócio.

Parte Empregado:

INSS - Trabalhadores e Empregados Domésticos


Início Vigência Final Vigência Salário de Contribuição Alíquota
03/2008 até R$ 911,70 8,00%
03/2008 de R$ 911,71 a R$ 1.519,50 9,00%
03/2008 de R$ 1.519,51 até R$ 3.038,99 11,00%
03/2008 empregador de domésticos 12%
Manual para Abertura da Farmácia | Rev.05 | Página 16 de 28___________________

Parte Sócio:

INSS - Empresários, Autônomos e Facultativos


Início Vigência Final Vigência Salário de Contribuição Alíquota
03/2008 -o- 415,00 a 3.038,99 (valor máximo) 11%

A empresa terá que pagar também 8,5% a título de FGTS (Fundo de Garantia por tempo de
serviço) sobre o salário do empregado, com vencimento em 07 de cada mês, através da
Guia GFIP.

6.1.2 Lucro Presumido

6.1.2.1 Tributo Estadual

Como regra geral as Farmácias que optarem por este tipo de Tributação deve obedecer às
regras do ICMS.
Tratando-se de um ramo de atividade com regras muito especificas, o empresário desse ramo
deve ter uma boa assessoria na hora de calcular seus impostos.
Pois a Legislação dispõe para se calcular os impostos a seguintes variáveis abaixo.
Variáveis para calculo dos impostos:
Tributação normal uso Alíquota interna ou Alíquota Externa,
Produtos com Alíquotas reduzidas,
Produtos Tabelados,
Produtos relacionados nas tabelas Negativas ou Positivas,
Produto com Substituição Tributaria,
Produtos com diferimento de Alíquota.

O ICMS é recolhido através da Guia DARE (Documento de Arrecadação Estadual), com


vencimento dia 10 do mês subseqüente.

6.1.2.2 Tributo Federal (Regra Geral)

Sobre o faturamento total é pago:

PIS/ PASEP (Programa de Integração Social) – 0,65%

COFINS (Contribuição para Financiamento da Seguridade Social) – 3%

IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica) – 15%


Manual para Abertura da Farmácia | Rev.05 | Página 17 de 28___________________

CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido) – 9%

As farmácias que possuem venda e prestação de serviços, os impostos são os seguintes:

PIS/ PASEP (Programa de Integração Social) – 0,65%

COFINS (Contribuição para Financiamento da Seguridade Social) – 3%

IRPJ sobre as vendas – 8%

IRPJ sobre serviço – 32%

CSLL sobre as vendas – 12%

CSLL sobre serviço – 32%

O vencimento do PIS e COFINS é no dia 20 do mês subseqüente, através da Guia DARF


(Documento de Arrecadação Federal).
Já o IRPJ e CSLL são trimestralmente no dia 30.
OBS: Observar produtos com legislação específica: lista positiva e negativa.

INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social)

Parte Empregado:

INSS - Trabalhadores e Empregados Domésticos


Início Vigência Final Vigência Salário de Contribuição Alíquota
03/2008 até R$ 911,70 8,00%
03/2008 de R$ 911,71 a R$ 1.519,50 9,00%
03/2008 de R$ 1.519,51 até R$ 3.038,99 11,00%
03/2008 empregador de domésticos 12%

Parte Sócio:
Manual para Abertura da Farmácia | Rev.05 | Página 18 de 28___________________

INSS - Empresários, Autônomos e Facultativos


Início Vigência Final Vigência Salário de Contribuição Alíquota
03/2008 -o- 415,00 a 3.038,99 (valor máximo) 11%

Parte Empresa:

INSS - Empressa
Alíquota
Empresa 20,00%
4771-7/02 Comércio varejista de produtos farmacêuticos, com manipulação de
1,00%
fórmulas
515 Código do FPAS 5,8%

A empresa terá que pagar também 8,5% a título de FGTS (Fundo de Garantia por tempo de
serviço) sobre o salário do empregado, com vencimento em 07 de cada mês, através da
Guia GFIP.

6.1.2.3 Tributos Municipais

São pagos ao Município imposto sobre serviços farmacêuticos, como por exemplo:
monitoramento da glicemia capilar, aplicação de injetáveis, entre outros e também
manipulação.
O imposto é pago mensalmente. As alíquotas do imposto e data de vencimento variam de
acordo com cada município.

6.1.3 Lucro Real


6.1.3.1 Tributo Estadual

Como regra geral as Farmácias que optarem por este tipo de Tributação deve obedecer às
regras do ICMS.
Tratando-se de um ramo de atividade com regras muito especificas, o empresário desse ramo
deve ter uma boa assessoria na hora de calcular seus impostos.
Pois a Legislação dispõe para se calcular os impostos a seguintes variáveis abaixo.
Variáveis para calculo dos impostos:
Tributação normal uso Alíquota interna ou Alíquota Externa,
Produtos com Alíquota reduzida,
Produtos Tabelados,
Produtos relacionados nas tabelas Negativas ou Positivas,
Produto com Substituição Tributaria,
Produtos com diferimento de Alíquota.
Manual para Abertura da Farmácia | Rev.05 | Página 19 de 28___________________

O ICMS é recolhido através da Guia DARE (Documento de Arrecadação Estadual), com


vencimento dia 10 do mês subseqüente.

6.1.3.2 Tributo Federal (Regra Geral)

Sobre o faturamento bruto total é pago:

PIS/ PASEP (Programa de Integração Social) – 1,65%

COFINS (Contribuição para Financiamento da Seguridade Social) – 7,66%

São compensados os créditos das entradas.


O vencimento do PIS e COFINS é no dia 20 do mês subseqüente, através da Guia DARF
(Documento de Arrecadação Federal).

Sobre o lucro líquido (diferença entre receitas e despesas) é pago:

IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica) – 15%

CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido) – 9%


Já o IRPJ e CSLL são trimestralmente no dia 30.

INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social)

Parte Empregado:

INSS - Trabalhadores e Empregados Domésticos


Início Vigência Final Vigência Salário de Contribuição Alíquota
03/2008 até R$ 911,70 8,00%
03/2008 de R$ 911,71 a R$ 1.519,50 9,00%
03/2008 de R$ 1.519,51 até R$ 3.038,99 11,00%
03/2008 empregador de domésticos 12%

Parte Sócio:

INSS - Empresários, Autônomos e Facultativos


Início Vigência Final Vigência Salário de Contribuição Alíquota
Manual para Abertura da Farmácia | Rev.05 | Página 20 de 28___________________

03/2008 -o- 415,00 a 3.038,99 (valor máximo) 11%

Parte Empresa:

INSS - Empresa
Alíquota
Empresa 20,00%
4771-7/02 Comércio varejista de produtos farmacêuticos, com manipulação de
1,00%
fórmulas
515 Código do FPAS 5,8%

A empresa terá que pagar também 8,5% a título de FGTS (Fundo de Garantia por tempo de
serviço) sobre o salário do empregado, com vencimento em 07 de cada mês, através da
Guia GFIP.

6.2 Ponto de equilíbrio

Ponto de equilíbrio, também chamado de “faturamento mínimo” ou “lucro zero”, representa o


valor total de vendas da farmácia suficiente para cobrir seus custos. Dessa forma, qualquer
número abaixo do ponto de equilíbrio representará prejuízo.
Antes de iniciarmos a demonstração do ponto de equilíbrio, é necessário compreendermos que
a farmácia possui dois tipos de despesas: fixas e variáveis.
Despesas fixas são aquelas que ocorrem independentemente da quantidade de vendas da
farmácia (aluguel, folha de pagamento, etc.); já as despesas variáveis flutuarão de acordo com
as vendas (impostos sobre as vendas, custo da mercadoria vendida, etc.).
Para maior clareza, vamos verificar no demonstrativo financeiro abaixo quais são as
despesas fixas e as variáveis:

Tabela 10:
Manual para Abertura da Farmácia | Rev.05 | Página 21 de 28___________________

Despesas fixas R$
Despesas administrativas 500
Salários + encargos 7.700
Materiais diversos 300
Conservação e reparo 150
Propaganda 500
Luz 80
Telefone 50
Água 30
IPTU 200
Aluguel 800
Total de despesas fixas 10.310

Despesas variáveis para um faturamento de R$ 100.000,00. Para efeito de exemplo,


consideremos somente a venda de medicamentos.

Tabela 11:
Despesas variáveis % sobre as vendas R$
CMV 70,00 70.000
Simples Federal 5,00 5.000
Comissões 2,20 2.200
Total de despesas variáveis 81,595 81.595

As despesas variáveis representam, em média, 80, 595% das vendas. Este índice pode ser
usado mensalmente para projetar suas vendas. Lembre-se de que este é um exemplo
hipotético e, muito provavelmente, em sua farmácia, os percentuais serão diferentes.
O ponto de equilíbrio resulta das despesas fixas, divididas por 1 menos a porcentagem que as
despesas variáveis representam sobre as vendas.

Ponto de equilíbrio = Despesas fixas ÷ (1 - % das despesas variáveis sobre vendas)

Portanto,
Ponto de equilíbrio = R$ 10.130 ÷ (1-81,595%) → R$ 10.130 ÷ 1-0,81595 → R$ 10.130 ÷
0,184 → Ponto de equilíbrio = R$ 55.054,35.
Manual para Abertura da Farmácia | Rev.05 | Página 22 de 28___________________

Dessa forma, podemos afirmar que a farmácia alcançaria seu ponto de equilíbrio a partir de
uma venda de R$ 55.054,35.
Por meio desse cálculo é possível estabelecer sua meta de vendas, de forma que o ponto de
equilíbrio seja alcançado.
Mas, naturalmente, você não deseja simplesmente empatar seus custos e sim ter lucro. Dessa
forma, as vendas deverão ser maiores do que o valor que representa o ponto de equilíbrio.
Se, por exemplo, você desejar um lucro de 3% sobre as vendas, este percentual deverá ser
acrescido às despesas variáveis.
Dessa forma,

Tabela 12:
Despesas variáveis % sobre as vendas R$
Outras despesas variáveis 81,595 81.595
Lucro desejado 3,00 3.000
Total de despesas variáveis 84,595 84.595

Ponto de equilíbrio = (R$ 10.310 ÷ 1-84, 595%) → (R$ 10.130 ÷ 1-0, 84595) → (R$ 10.130 ÷
0,15405) → Ponto de equilíbrio = R$ 65.758.
Assim, para obter um lucro de 3%, as vendas totais deverão ser de R$ 65.758, ou seja, para
incrementar 3% no lucro, necessitamos incrementar as vendas em 19,5%.
7- ESTOQUE INICIAL

A Farma & Farma auxilia na compra inicial de medicamentos e perfumaria. Porém, é


importante com o tempo se adequar às necessidades de sua região, cabendo sempre ter em
maior quantidade no estoque aqueles produtos que mais vendem (possuem um giro melhor).
A perfumaria deve corresponder a uma proporção razoável no faturamento da farmácia,
trabalhe com marcas que estão na mídia.
Manual para Abertura da Farmácia | Rev.05 | Página 23 de 28___________________

8- INFORMÁTICA:

A informatização de uma farmácia é vital para o desenvolvimento do negócio. Ela tem um


custo razoável, porém, além de ser essencial pela exigência da impressora fiscal nas
farmácias, a informatização facilita o controle financeiro e do estoque. Ela é composta
basicamente pelos seguintes itens:

8.1 Software
A Farma & Farma deixa a livre escolha da empresa de software para as farmácias, mas sugere
que a farmácia trabalhe com uma empresa homologada pela ANVISA, principalmente para as
exigências da portaria 344 e SNGPC e que tenha suporte técnico 24 horas disponível.

8.2 Impressoras fiscais


A impressora fiscal passou a ser obrigatória no estabelecimento farmacêutico. O preço de uma
impressora fiscal é cerca de R$ 1.500,00.

8.3 Fornecedores de hardware (computadores e acessórios)

Antes de comprar o computador, é importante entrar em contato com o fornecedor de


software, para este estabelecer quais configurações do computador são mais adequadas para o
programa. Evitando, assim, que o programa se torne lento ou trave freqüentemente. Sugere-se
comprar equipamentos de empresas idôneas, que prestem assistência de qualidade e
preferencialmente próximas às farmácias, para facilitar a assistência técnica.
Manual para Abertura da Farmácia | Rev.05 | Página 24 de 28___________________
Manual para Abertura da Farmácia | Rev.04 | Página 25 de 28__________________

10- ORGANIZAÇÕES DOS LIVROS E DOCUMENTOS

10.1 Organizações dos livros

Na área fiscal, a farmácia deve ter dois livros para entrada e saída de mercadorias. O livro de
entrada deve ser modelo 1 A e o de saída, modelo 2 A.
É preciso manter um livro para apuração do ICMS (modelo 9), um para utilização de
documentos fiscais e termos de ocorrência (modelo 6) e outro para registro de inventário
(modelo 7).
Quanto aos livros contábeis, a farmácia deve ter um diário copiador, um livro para razão de
débito e crédito e um livro caixa. Na área trabalhista, os livros exigidos são dois: um para
Registro de Empregados e outro para Inspeção do Trabalho. Estas são tarefas executadas pelo
contador da empresa.

10.2. O que fazer com os documentos?

Todos os livros de registro devem ser guardados por dois anos, assim como receitas, notas
fiscais e balanços. Por precaução, guarde receitas e notificações por três anos.
Se a nota fiscal for original, arquive-a por cinco anos. A farmácia também tem que arquivar as
folhas de pagamentos de salários e as guias de recolhimento de INSS, FGTS, ICMS (quando a
ela obrigada), imposto de renda, contribuição social, PIS, e COFINS (ou guardar os
comprovantes dos pagamentos dos impostos únicos). Na parte dos documentos fiscais, a
farmácia deve armazenar as notas fiscais das séries B1, C1, D1. Quanto aos documentos de
caráter trabalhista, é obrigatório que sejam mantidos indefinidamente.

10.3. Organização dos documentos

Arquivar documentos é sempre uma parte complicada. O primeiro passo é verificar o que tem
valor e o que é lixo. Feito isso, arrume um lugar para guardar os documentos úteis. Este
espaço pode ser tanto um conjunto de pastas, quanto um arquivo ou um armário, que a
farmácia gera. Ou seja, abra um espaço exclusivo para cada órgão. Para facilitar a consulta,
Manual para Abertura da Farmácia | Rev.05 | Página 26 de 28___________________

um bom recurso é estabelecer uma cor para cada um dos itens a serem arquivados. Por
exemplo: tudo o que for do Ministério da Saúde é marcado com um símbolo vermelho, o que
é do CRF é simbolizado pela cor azul e assim por diante.
Por fim, cada uma dessas divisões deve ser subdividida em:
 Ativo: uso freqüente
 Intermediário: uso ocasional
 Inativo: raramente movimentado
 Histórico: documentos de valor histórico que não podem ser destruídos.
Os documentos classificados como Inativos ou Históricos, por serem pouco movimentados,
podem ficar em caixas vedadas e separadas do Ativo e do Intermediário, para não se criar um
volume muito grande de arquivo. Procure guardar os documentos por ordem alfabética, para
facilitar a localização.
Como seu lote de documentos vai ter informações vitais da sua empresa, a segurança dele é
tão essencial quanto a da própria farmácia. Evite riscos de incêndios, de umidade excessiva e
de qualquer outro tipo de acidente que possa comprometer a validade dos documentos.

10.4 Vantagens

Organizar os arquivos e documentos de uma empresa é, basicamente, fazer com que ela
mereça ser chamada de empresa. Especialmente porque esta é uma das principais exigências
na busca pelo certificado ISO 9000.

11- MÓVEIS PARA A FARMÁCIA

A Farma & Farma poderá auxiliar no projeto padrão do layout interno, ficando sob
responsabilidade da farmácia a contratação da empresa responsável pelo projeto. O projeto
final deverá ser aprovado pela sede.
Os demais equipamentos para a farmácia, como balança, fax e estetoscópio, dependem da
peculiaridade do estabelecimento. É importante conhecer os concorrentes potenciais e saber
quais comodidades estes oferecem aos seus clientes, para, no mínimo, poder oferecer o
mesmo atendimento.
Manual para Abertura da Farmácia | Rev.05 | Página 27 de 28___________________

A geladeira para a farmácia deve atender as exigências da legislação, que especifica que para
o armazenamento de vacinas. Sendo proibido o armazenamento de alimentos e/ou água. Ela
pode ser encontrada em lojas de eletrodomésticos, e a escolha da mesma é feita a critério do
proprietário da farmácia, de acordo com as suas possibilidades.

12- LAYOUT

A FARMA & FARMA possui um layout padronizado para as farmácias franqueadas.


Passando uma imagem de rede de farmácias com a presença de farmacêuticos, que prestam
serviços farmacêuticos de qualidade. O layout compreende:
 A fachada externa, na cor verde, com cerâmica e mosaico na parede e adesivos nos
vidros;
 Um luminoso, onde consta a marca FARMA & FARMA, o nome de sua farmácia e o
nome do farmacêutico responsável;
 A parte interna, onde foram padronizados os móveis e equipamentos, a iluminação, as
salas de atendimento e o estoque. Desta forma, o padrão de qualidade, do atendimento,
dos medicamentos e perfumarias vendidas, é mantido em todas as farmácias,
proporcionando segurança e satisfação ao cliente.

13- VESTUÁRIO

Visando padronização da imagem das franquias Farma & Farma, os farmacêuticos e


colaboradores, deverão utilizar uniformes. Os pedidos poderão ser feitos através da LOJA DO
GUARDAPÓ, pelo site: www.farmaefarma.com.br. Através da sede, poderão ser feitas as
solicitações dos crachás para o farmacêutico e colaboradores.
Manual para Abertura da Farmácia | Rev.05 | Página 28 de 28___________________