P. 1
programa UFPA 2010

programa UFPA 2010

|Views: 266|Likes:
Publicado porFrancy Araújo

More info:

Published by: Francy Araújo on May 20, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/23/2014

pdf

text

original

Universidade Federal do Pará Processo Seletivo Seriado Conteúdo de Geografia (1ª série) EIXO TEMÁTICO I – MUNDO 1.

ESPAÇO MUNDIAL COMPETÊNCIAS HABILIDADES Entender a reestruturação do espaço 1. Utilizar os conceitos de paisagem, espaço geográfico, território, região, lugar, 1. mundial a partir da lógica de fronteira, organização espacial e DIT para entender a reordenação do espaço funcionamento dos modos de produção mundial. suas especificidades em realidades 2. Explicar o espaço geográfico como resultado das relações históricas entre sociedade e geográficas diferenciadas. natureza. 3. Compreender o papel dos modos de produção no atual período técnico-científico informacional e caracterizar as atuais estratégias de desenvolvimento. 4. Explicar as especificidades das experiências socialistas em curso e sua contextualização face à reordenação do mundo contemporâneo. 5. Utilizar linguagem cartográfica para obter informações e representar a reordenação do espaço mundial no período contemporâneo. 6. Interpretar, analisar e relacionar informações sobre a reordenação do espaço mundial no período contemporâneo a partir de recursos como imagens, músicas, textos e documentos, dentre outros. Entender que o processo de globalização 7. em curso vem gerando implicações de ordem econômica, política, social e 8. cultural. 9. 10. Aplicar a noção de globalização no entendimento do atual espaço geográfico 2. mundial. Identificar o papel das organizações internacionais no atual processo de globalização: (ONU,OMC,FMI). Utilizar linguagem cartográfica para obter informações e representar espacialidades no mundo globalizado. Interpretar, analisar e relacionar informações sobre a atual dinâmica do espaço geográfico mundial a partir de recursos como imagens, músicas, textos e documentos, dentre outros. Entender e aplicar a noção de espaço agrário. 3. Caracterizar a dinâmica de produção e as formas de apropriação do espaço agrário sob o modo de produção capitalista e a sua relação com outras formas de produção agrícola. Estabelecer diferenças entre o espaço agrário dos países economicamente desenvolvidos e subdesenvolvidos. Identificar e explicar os principais problemas fundiários e ambientais verificados em realidades geográficas com diferentes níveis de desenvolvimento e modernização técnico-científica. Explicar as implicações do processo de modernização técnico-científica sobre a dinâmica produtiva do campo e suas repercussões sócio-espaciais. Utilizar linguagem cartográfica para representar e obter informações sobre o espaço agrário no atual período técnico-científico informacional. Interpretar, analisar e relacionar informações sobre o espaço agrário mundial a partir de recursos como imagens, músicas, textos e documentos, dentre outros. CONTEÚDOS A reestruturação do espaço mundial:modos de produção, suas especificidades e repercussões na organização espacial.

1.

2.

Espaço geográfico no Mundo globalizado: implicações sócioespaciais do processo de globalização.

3.

Entender como o espaço agrário vem 11. sendo produzido e organizado em 12. realidades geográficas distintas. 13. 14.

O espaço agrário: dinâmica da produção, formas de propriação e suas repercussões sócio-espaciais.

15. 16. 17.

músicas. analisar e relacionar informações sobre o espaço urbano mundial a partir de recursos como imagens. mobilidade e desigualdades sociais). analisar e relacionar informações sobre a natureza e a apropriação da mesma. Explicar e exemplificar a relação de interdependência que existe entre campo e 4. dentre outros. 5. rural e influências sobre a dinâmica 19. analisando as conseqüências econômicas. Caracterizar o espaço urbano-industrial e sua dinâmica produtiva no atual período técnico-científico informacional. industrial. Entender que a apropriação da Natureza 25. 23. mundialização da economia. . geopolíticas ocasionadas pela mesma. a partir de recursos como imagens. Analisar as implicações do desenvolvimento urbano-industrial sobre a dinâmica populacional (crescimento. da ecorregiões. 20. 24. Explicar porque a interferência humana realizada de forma descontrolada e ambientais decorrentes do modelo de predatória tem gerado fortes impactos ambientais nos principais biomas e desenvolvimento e de consumo.18. O espaço urbano-industrial e a cidade analisando-a sob a ótica da Divisão Territorial do Trabalho. Analisar a geopolítica dos recursos naturais renováveis e não renováveis. sua interrelação com o espaço relação campo-cidade.4. textos e documentos. a dinâmica e a apropriação da natureza. Analisar a distribuição da população pelo espaço urbano a partir da posição que cada grupo ou classe social ocupa no processo produtivo e de consumo. populacional. ambientais e tecnológico existente no mundo atual. Interpretar. entendimento do processo de produção do espaço geográfico das sociedades pelas sociedades contemporâneas tem contemporâneas. A apropriação da natureza pelas sociedades contemporâneas e as implicações na produção do espaço geográfico. 29. da forma de distribuição de riquezas e do padrão 27. Utilizar linguagem cartográfica para representar e obter informações sobre o espaço urbano mundial. Entender a estruturação do espaço urbano. Utilizar e interpretar a linguagem cartográfica para obter informações e representar a caracterização. ecorregiões e recursos naturais no 5. Aplicar e identificar a noção de biomas. sido marcada pela geração de impactos 26. Identificar e analisar os principais impactos e problemas ambientais que vêm sendo verificados nos espaços urbano-industriais. Interpretar. textos e documentos. 21. Identificar e analisar a importância dos movimentos e das conferências mundiais sobre o meio ambiente. dentre outros. 28. músicas. 22. 30.

Bacia Pacífico e suas repercussões na perspectivas dos blocos regionais: organização do espaço geográfico regional e mundial. ALCA. . 1. latinoamericano e mundial. Formação e Contextualizar o processo de formação dos blocos regionais.Universidade Federal do Pará Processo Seletivo Seriado Conteúdo de Geografia (2ª série) EIXO TEMÁTICO: II – REGIÃO COMPETÊNCIAS Entender as relações existentes entre a nova regionalização em curso do espaço geográfico mundial e a reordenação ocorrida na economia-mundo. Utilizar linguagem cartográfica para obter informações e representar a regionalização atual do espaço mundial. Compreender a geografia dos megablocos 6. NAFTA. textos e documentos. identificando a importância do mesmo na organização do espaço brasileiro. HABILIDADES Aplicar as noções de divisão territorial do trabalho. Interpretar. caracterizando-as e identificando suas possíveis repercussões na regionalização do espaço geográfico mundial. 11. do Pacífico. APEC. 2. O ESPAÇO REGIONAL 1. 2. analisar e relacionar informações sobre a geografia dos mega-blocos regionais a partir de recursos como imagens. 1. 7. 5. dentre outros. regionais. região e fronteira no 2. CONTEÚDOS A regionalização do espaço mundial: da bipolarização a multipolarização. União Européia. MERCOSUL. analisar e relacionar informações sobre regionalização do espaço mundial a partir de recursos como imagens. músicas. músicas. União Européia. 10. 12. Relacionar o processo de regionalização em curso do espaço geográfico mundial à consolidação da ordem mundial. dentre outros. Analisar o papel do NAFTA. Bacia 8. 4. Explicar como se deu a mudança da ordenação bipolar do espaço mundial para a atual ordenação multipolar. Explicar a importância MERCOSUL c o m o v e t o r d e i n t e g r a ç ã o r e g i o n a l . 9. entendimento do processo de diferenciação do espaço geográfico. textos e documentos. Identificar as diferenças sócio-econômicas existentes no interior dos blocos regionais e entre eles. Interpretar. Utilizar a linguagem cartográfica para obter informações e representar a geografia dos blocos regionais. 3. Explicar as perspectivas de implantação da ALCA e da APEC. 2.

músicas. textos e documentos. Exemplificar mudanças espaços-territoriais mundiais resultantes de conflitos geopolíticos étnico-culturais recentes. 4. geopolíticos e étnico-culturais nos processos de configuração do espaço21. Aplicar a noção de fragmentação de espaço. músicas. analisar e relacionar informações sobre o processo de fragmentação atual do espaço geográfico mundial a partir de recursos como imagens. dentre outros. políticas. Analisar o papel desempenhado pelo narcotráfico no contexto sócio. globalização contraditoriamente gera fragmentações e tem contribuído para fazer surgir e manter regiões 14. textos e documentos. dentre outros. Compreender que o processo de 13. 18. Compreender o processo de globalização e suas especificidades no atual período técnico-científico-informacional. Interpretar. analisar e relacionar informações sobre os conflitos geopolíticos atual do espaço geográfico mundial a partir de recursos como imagens. Exemplificar e caracterizar regiões periféricas “excluídas” das principais vantagens decorrentes dos acordos relacionados aos blocos regionais. bem como os movimentos de resistência ao mesmo. Utilizar a linguagem cartográfica para obter informações e representar a fragmentação “desintegradora” do espaço geográfico mundial. . Os conflitos geopolíticos e étnicoculturais e as econfigurações territoriais o mundo contemporâneo. 19. 17. cultura e etnia na interpretação dos 4. 23. Interpretar. vantagens decorrentes da nova organização econômica e política mundial. 16. conflitos geopolíticos e étnicos mundiais.3. fronteira.: África subsaariana. globalização e de regionalização. Explicar e exemplificar como a globalização tem gerado transformações 3. mundial Relacionar as noções de território. Compreender o papel dos conflitos20. político e econômico no espaço americano e mundial. consideradas periféricas e por isto mesmo “excluídas” dos principais acordos e 15. sociais e culturais que alteram a dinâmica espacial das fragmentação espaço: as regiões “excluída” ou diferentes regiões do mundo contemporâneo. 22. Analisar e exemplificar o papel dos principais conflitos geopolíticos e étnico-culturais nos processos de reconfiguração espaços-territoriais verificados no mundo contemporâneo. Globalização e “desintegradora” do econômicas. relacionando-o ao processo de precariamente inseridas à nova ordem mundial. América central e Ásia central.

Utilizar linguagem cartográfica para obter informações e representar a organização espacial brasileira face à sua inserção regional latino-americana e mundial. Compreender a diversidade socioeconômica brasileira como resultado do processo diferenciado de apropriação do território. Analisar as reorganizações efetivadas no espaço geográfico brasileiro decorrentes do processo de industrialização. textos e documentos. 8. a partir de recursos como imagens. . Compreender a diferenciação espacial 1. Explicar a organização espacial brasileira a partir do processo de desenvolvimento desigual e combinado. Compreender a formação do espaço indígena antes da apropriação capitalista brasileira a partir da formação histórica do como uma expressão de seu universo cultural e de seu processo de seu território. 3. músicas. Explicar o processo de (re) organização do espaço da circulação como resultado das transformações do espaço da produção. relacionando-as à reorganização dos espaços regionais e locais. 9. produzem as transformações técnicoprodutivas do espaço brasileiro. analisar e relacionar informações sobre a organização do território brasileiro. dentre outros. O papel da industrialização na (re)estruturação do espaço brasileiro. O ESPAÇO REGIONAL E O ESPAÇO LOCAL COMPETÊNCIAS HABILIDAD ES 1. mobilidade e desigualdade sociais) e seu papel no contexto de urbanização-industrialização do espaço brasileiro e na abertura de novas frentes capitalistas de ocupação do território. relacionando-o a reconfiguração dos espaços regionais e locais. 6. 1. 7. Compreender os fatores que produziram e 5. 2. 11. CONTEÚDOS A formação histórica do território brasileiro: o processo diferenciado de organização espacial. Explicar o papel do Estado no processo de reestruturação do espaço brasileiro a partir das políticas de integração do território nacional pós – 1950. Analisar a dinâmica interna da população (crescimento. 4. Explicar as implicações do avanço técnico-científico informacional na atual organização espacial brasileira e suas repercussões sócio-econômicas. 10. 2. Interpretar.Universidade Federal do Pará Processo Seletivo Seriado Conteúdo de Geografia (3ª série) EIXO TEMÁTICO III: A REGIÃO E O LUGAR 1. 2. Analisar as políticas energéticas implantadas no Brasil e suas repercussões sócioespaciais. territorialização. analisando-o sob a ótica da DIT no período colonial.

Identificar e explicar os diversos critérios utilizados nas regionalizações do espaço. contribuindo para a reorganização 24. Utilizar linguagem cartográfica para obter informações e representar a organização das regiões geoeconômicas brasileiras. os projetos econômicos e de infraestrutura geram novas formas de 23. Compreender o papel desempenhado pelas 12. organização e/ou controle espacial 13. A (re)configuração do espaço paraense face à reestruturação recente da Amazônia a partir da sua integração à escala nacional e global pós-1960. diversas divisões regionais no processo de brasileiro: políticos. Explicar as transformações ocorridas nas regiões geoeconômicas analisando-as sob a ótica da Divisão Territorial do Trabalho. espaciais internas. analisar e relacionar informações sobre e o processo recente de ocupação do espaço paraense as repercussões locais das políticas territoriais no Pará. Nordeste. Explicar a organização do espaço rural e urbano bem como o papel dos diversos atores sociais envolvidos nos problemas agrários e urbanos dessas regiões. 26.3. músicas. Analisar a utilização da regionalização como forma de organização e/ou controle territorial implementado sobre o espaço nacional. . Analisar o processo de apropriação da natureza decorrente da produção econômica de cada região e as repercussões sócio-espaciais causadas pelo Trabalho e as respectivas organizações modelo de desenvolvimento imposto. produção e de circulação no Estado do Pará. dos espaços locais. dentre outros. configuração do espaço brasileiro. Utilizar linguagem cartográfica para obter informações e representar a organização das regiões brasileiras. dentre outros 5. a parti de recursos como imagens. de planejamento e geoeconômicos. 27. músicas. Explicar a inserção dos espaços locais do Pará face ao processo de ocupação recente pós 1960. a partir de recursos como imagens. 4. morfoclimáticos. 25. Relacionar as diversas formas de regionalização com as alterações efetuadas na 3. Geoeconômica (Amazônia. 19. Utilizar linguagem cartográfica para obter informações e representar as implicações locais do processo de ocupação recente do espaço paraense e as repercussões locais decorrentes da implementação de políticas territoriais no Estado do Pará. 15. Os diferentes modelos de regionalização do espaço brasileiro. 4. analisar e relacionar informações sobre a organização espacial das regiões geoeconômicas brasileiras. Compreender como as políticas públicas e 22. A configuração das regiões geoeconômicas: integração e (re)organização dos espaços regionais. Explicar o processo de reordenamento territorial responsável pela criação de novas unidades político-administrativas no espaço paraense. Identificar e analisar as principais conseqüências espaciais do processo de inserção do espaço paraense face à reestruturação recente da Amazônia. Interpretar. Explicar e exemplificar estratégias estatais e políticas territoriais voltadas para a reordenação de espaços locais no Pará. Interpretar. Centro-Sul) na Divisão Territorial do 17. 5. Entender o papel de cada região 16. 18. Analisar a dinâmica populacional de cada uma das regiões geoeconômicas e suas implicações na organização do espaço rural e urbano. decorrentes do desenvolvimento histórico do país. 21. do IBGE. 20. 14. textos e documentos. Analisar o processo de (re) direcionamento do modelo econômico capitalista pós – 1990 e suas repercussões nas configurações espaciais intra e interregionais. textos e documentos.

7. Compreender como diferentes atores 28. Interpretar. Analisar a dinâmica interna. Utilizar linguagem cartográfica para obter informações e representar as espacialidades e as territorialidadess dos atores sociais em diferentes realidades locais do espaço paraense. entre outros. textos e documentos. 31. . textos e documentos. Caracterizar e analisar o papel dos novos atores sociais e as suas respectivas territorialidades face ao processo recente de produção do espaço geográfico sociais contribuem para a produção de paraense. 35. 33. Identificar e explicar os conflitos de territorialidades verificados em diferentes realidades locais do espaço agrário paraense. músicas. analisar e relacionar informações sobre as espacialidades e as territorialidades dos atores sociais em diferentes realidades locais do espaço paraense a partir de recursos como imagens. Entender a reorganização do espaço agrário e urbano do Estado do Pará face ao processo de ocupação recente da região amazônica. músicas. os problemas sócio-ambientais e a importância das cidades para a dinâmica das realidades locais do espaço paraense. 34.6. 32. 30. Populações tradicionais. 37. A organização do espaço rural e urbano no Estado do Pará. diferentes espaços geográficos locais no Estado do Pará. Caracterizar as especificidades locais dos espaços rural e urbano no Estado do Pará. dentre outros. 36. Caracterizar e analisar o papel das populações tradicionais no processo de produção do espaço geográfico paraense e a dinâmica de desterritorialização e diversificadas reterritorialização dessas populações. 6. Explicar e exemplificar conflitos de territorialidades verificados em diferentes realidades locais do espaço paraense. Utilizar linguagem cartográfica para obter informações e representar a organização e a dinâmica do espaço rural e urbano no Pará. a partir de recursos como imagens. novos atores sociais e diferentes territorialidades na reordenação dos espaços locais paraenses. analisar e relacionar informações sobre a organização e a dinâmica do espaço rural e urbano no Pará. 7. Interpretar. gerando territorialidades 29.

ACEVEDO. Brasil: questões atuais da reorganização do território. jul. A periodização da rede urbana da Amazônia. O Pará dividido.NIAIA. 1996. Belém: UFPA/NAEA. R. M. Carajás: A invasão desarmada. (Col.). Belém. G.. B. CHOSSUDOVSKY. 1995. . R. (Orgs. Amazônia. COELHO. Belém: UFPA/NAEA. R. SIILVEHTK L.) Desmatamento e modos de vida na Amazônia. L. N. São Paulo: Hucitec.SUGESTÕES BIBLIOGRÁFICAS PARA O PROFESSOR AB'SABER. CASTRO. ANDRADE.) Geografia: conceitos e temas. 1990. M. J. Discurso e conflito: dez anos de disputa pela terra em Eldorado dos Carajás. S.conceitos e questões sobre desenvolvimento e meio ambiente. 1988. M. E. M. BECKER. H. M. Trajetórias geográficas. Redefinindo a Amazônia: o vetor tecno-ecológico. 1996. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. Belém: NAEA/UFPA. Belém: UFPA. 1997. BENKO. 3. 1987 FIGUEIREDO. E. M. São Paulo: NUPAUB/USP. CARLOS. (Coord. Revista Brasileira de Geografia. O ecoturismo e a questão ambiental na Amazônia. 1990. 1998. CASTRO. A. COSTA. BECKER. C. (Orgs). G. E. Amazônia . 1996. S. A Amazônia e a crise da modernização. Belém: UFPA/NAEA. Petrópolis: Vozes. Exportação da Amazônia brasileira . CASTRO. et alii. G. 4. L. 1999 COSTA. MOURA. Belém: NAEA/UFPA. R. Belém: Falângola. Recife: UFPE. A invenção do nordeste e outras artes. G. Região e organização espacial.MARIM. 1999. D. Brasil: questões atuais da reorganização do território. de et alii (Orgs). 1997. 1999. Amazônia: desenvolvimento ou retrocesso. 421-44. R . Manaus: Editora Valer. . EMMI. 1999. M. CALLAI. 1989. n. Belém: Cejup. 223-44. B. F. C. 1996. A ilusão do desenvolvimento. Rio de Janeiro: Editora UFRJ. E. Petrópolis: Vozes. 1998. 1989 (Série Cooperação Amazônica). São Paulo: Edusp. 1996. F. Brasília: UnB. F. 1996. p. Ecologismo e a questão agrária na Amazônia. . I. A. Belém: UFPA/NAEA. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. (Coleção Amazoniana). F.). Negros do trombetas: guardiães de matas e rios.CELA. 1989. 1994. B. E. São Paulo: Ática. PINTON. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.. 1995. 1997. 1998. NFIRANDA. CASTRO. As raízes do separatismo no Brasil. CASTRO. P. M.do discurso à praxis. S. CASTRO. São Paulo: Modema. 1992. DIEGUES. A Oligarquia do Tocantins e o domínio dos castanhais. K. N. Carajás: a guerra dos mapas. 1993. Fronteira amazônica: questões sobre a gestão do território. A globalização da pobreza.) Industrialização e grandes projetos. ARNI. BECKER. de. M. M. M. p. 1999. 1999. 1997. ALMEIDA. Belém: Cejup. I.). São Paulo: Hucitec. 10 Anos da Estrada de Ferro Carajás. Na trilha dos grandes projetos – modernização e conflito na Amazônia. (Org. São Paulo: Contexto. v. de et alii (Orgs. 1987. espaço e globalização na aurora do século XXI. EGLER. São Paulo: Ática. R. M. W. G. 39-68.. . K. (Série Princípios). C. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. L. A. Globalização e geografia. 1987 COSTA. ZARTH. São Paulo: EDUNESP.(Orgs.1997. Iná Elias de et alii (Orgs). 1994. ALTVAER. Novos rumos da política regional: por um desenvolvimento sustentável da fronteira amazônica. Rio de Janeiro. _. 1993. M. R. ARRIGHI. A. L. In: CASTRO. (Coleção Repensando a geografia) _. 1999. B. Belém: NAEA/UFPA. R. 2ª ed. 1988. Faces do trópico úmido . E. São Paulo: EDUNESP. M. de. IHÉBETTE. DUTRA. Brasil: uma potência regional na economia-mundo. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. O estudo do município e o ensino de história e geografia. K. COTA. Ijuí: Editora Unijuí. R. Economia. Belém: Cejup/UFPA/NAEA. 1995.EDUSC. A. ln: BECKER. A geografia política do desenvolvimento sustentável.. CORREA. Amazônias em tempo de transição. Geografia) BENCHIMOL. E. J. A. ALBUQUERQUE JR. São Paulo: Cortez. M. O lugar no/do mundo.M. M. F. A. COTA. C. B. p. . A. D'INCAO. Espaço e indústria.R. K. . A. UFPA/NAEA. CASTRO. O preço da riqueza. E. (Org. E. Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi./set.

Espaços) . Energia na Amazônia. MORAES. p. 1997. 1990. PINTO. HAESBAERT. J. 1993 . A condição pós-moderna. E. 1997. F. São Paulo. 1996. tempo: globalização e meio técnico-científico informacional. O.GOLDSTEIN. ROSS. Niterói: EDUFF. 1. São Paulo: Edusp. . ª. n. (Col. Didática. Divisão territorial do trabalho e nova regionalização. Belém: MPEG/UFPA/UNAMAZ. 1996. 1984. Belém: UFPA/NAEA. SEABRA. 1989. 1995. Belém: NAEA. São Paulo: Record. Amazônia: monopólio. I. CUNHA.(Orgs). C. Fragmentação política e território em Carajás. PARAENSE. J. M. 3) SANTOS. São Paulo: Contexto. I. Riqueza Volátil . 1989. Petrópolis: Vozes. (Org. A Construção da Usina Hidrelétrica e a Redivisâo Político-territorial na área de Tucuruí(Pa). São Luiz: Editora Anita. LIPIETZ. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. (Col. J. B. L. BRÜSEKE. São Paulo: Hucitec. María Laura.) Geomorfologia e meio ambiente. MAGALHÃES. MITSCHEIN. . A. v. Rio de Janeiro: Marco Zero. Dissertação (Mestrado) . São Paulo: Hucitec. A natureza do espaço: técnica e tempo. espaço. ROCHA. 1998. L.R.. Miragens e milagres.. espelho da segregação social em Belém. S. . 1997. IBGE. 91. (Org). C.(Orgs). Território. Geografia: Teoria e Realidade. Universidade de São Paulo.. 1995 (Col. 1982. 5. O círculo e a espiral: a crise paradigmática do mundo moderno. São Paulo: Record. OLIVEIRA. 1993. 1998. (Org. 1988. Gilberto de Miranda.a mineração de ouro na Amazônia.. C. MATHIS. desenvolvimento e perspectivas atuais e futuras. Tese de Doutorado. de. Belém: Cejup. CASTRO. 1996. T. São Paulo: Hucitec. A. C. M. MIRANDA. Amazônia: o século perdido. 1991. Repensando a Geografia).) O Cerco está se fechando.). GUERRA. São Paulo. São Paulo: Loyola. 2 e 3. E. RAMONET. 16) . Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. C. Belém: UNAMAZ/UFPA. Carajás: o ataque ao coração da Amazônia. razão e emoção. KURZ. Amazônia. 1998. HÉBETTE. Geopolítica do caos. 2001. FFLCH. Geografia do Brasil. Belém: Falângola. 25) . Brasil: território e sociedade no início do século XXI. A. D. T. L. Belém: Jornal Pessoal.). J. LIMA. KOWARICK. PANDOLFO.B. Didática. 1995. 1993. Petrópolis: Vozes. S. (Col. Migrantes. Realidades amazônicas no fim do Século XX. (Orgs. . (Org. U. R. 1996. L. Niterói: EDUFF. 1995 (Col. Amazônia brasileira: ocupação. A urbanização brasileira. Belém: Cejup/NAEA. 1993. 1982. J. Belém: Cejup.M. FLORES. LÔBO. 1994. 1994 (Coleção Amazoniana). A. ROSS. Rio de Janeiro. H. Metamorfoses do espaço habitado: fundamentos teóricos e metodológicos da geografia. MOREIRA. A. SILVEIRA. VANALLI. Rio de Janeiro. 1993 (Col.. . Amazônia desenvolvimento para quem? Rio de Janeiro: Zahar. São Paulo: Hucitec. A. Belém: NAEA/UFPA. F. S. HARVEY. BRITO. Geografia do Brasil. 1994. Geografia: Teoria e Realidade. L. 1999. expropriação e conflitos. S. 2000. R. MARTINS. S.o caso de Belém. Revista do Departamento de Geografia da USP. São Paulo: Contexto. Banidos da cidade e unidos na condição: cidade nova. 1992. Repensando a Geografia). A. G. L. Os últimos combates. 1991. R. 1988. Rio de Janeiro: Bertran Brasil. Teorias da globalização. LENCIONI. 1997. PINTO. 1(1): 21-47. Instituto de Geografia da Universidade de São Paulo. Geomorfologia: uma atualização de bases e conceitos. a fronteira do Caos. D. F. D. São Paulo. BRITTO. Milton. 1985 (Col. R. M. M. R. 2v. Des-territorialização e identidade: a rede "gaúcha" no nordeste. São Paulo: Edusp. T. MITSCHEIN. Estado e capital transnacional na Amazônia: o caso da Albrás/Alunorte. A. Revista Orientação. M. 1998. Blocos internacionais de poder. S. Geografia do Brasil. Técnica. C. Urbanização selvagem e proletarização passiva na Amazônia . Rio de Janeiro: Bertran Brasil. 3) RODRIGUES. J. São Paulo: EDUSP. São Paulo: Nobel. 1994. IANNI. Região e geografia.Universidade Federal do Rio de Janeiro. São Paulo: Papirus. R. 1992. Globalização e fragmentação no mundo contemporâneo. Amazônia/Carajás: na trilha do saque. São Paulo: Nobel. PINTO. Espaço e método. Lúcio Flávio. HALL. Rio de Janeiro: Obra Aberta. out. SANTOS. M.

D. Universidade Federal do Pará.). D. D. Criatividade e novas metodologias. Núcleo de Altos Estudos Amazônicos. Espaço e modernidade: temas da Geografia do Brasil. M. Geografia: espaço geográfico e globalização. F. S. (Col. 1994. Globalização e espaço latino-americano. MARINHO. São Paulo: Hucitec. Natureza e sociedade de hoje: uma leitura geográfica. Brasília: Forense Universitária. 1994 ROSS. D.ARAUJO. G. ROSA. Estudos e problemas amazônicos – história social e econômica e temas especiais. 31ª ed. L. A vida nas cidades. Brasil. São Paulo: Moderna. 1998.Centro de Filosofia e Ciência Humanas. São Paulo: Ática. GIANSANTI. Fim de século e globalização. Belém: Paka-Tatu. 1998 . São Paulo: Moderna. São Paulo: Moderna. A. S.Cejup. São Paulo: Hucitec. (Org. 1995 . 2. . 1995 (Série Cooperação Amazônica) VALVERDE. São Paulo: Moderna. R. C. M. Belém.. B. 1994 SOUZA. 1995 .. ciência do espaço . L. 1997 OLIVA. A.. R. São Paulo: Atual.. Panorama geográfico do Brasil. W. O mundo contemporâneo: relações internacionais (1945-2000). R. J. ROCHA. R. Brasília: EDUNB. Grande Carajás: planejamento da destruição. 1992. E. São Paulo: Contexto. Geografia. Os assentamentos de reforma agrária no Brasil. C. C. XIMENES.. F.SANTOS. D. Espaço e modernidade: temas da geografia mundial. 2000. Atlas geopolítico.o espaço brasileiro. et alii. Elementos para a compreensão da territorialidade camponesa na Amazônia: a experiência dos trabalhadores rurais em Araras e Ubá (Pará). et alii (Orgs). MOREIRA. ciência do espaço . L. Geografia. S. Projeto de ensino de geografia: natureza. O espaço amazônico: sociedade e meio ambiente. 1999 PEREIRA. V. São Paulo: Atual. São Paulo: Ática. et alii (Orgs). MONTEIRO.Sociedade e Espaço . São Paulo: Hucitec. M. 2002. B.) Cenários da industrialização na Amazônia. São Paulo: Hucitec.o espaço mundial.. R. P. 3 e 4 MAGNOLI. São Paulo: Atual. v. C. C. ALLESSANDRINI. 0. (Orgs. .). V. 1996 SENE. 1. A nova geografia: estudos de geografia do Brasil. 1998. p. GOMES. 3ª ed. 1995 (Col. 1997 MAGNOLI. São Paulo: Scipione. Universidade Federal de Pernambuco SPOSITO. 1989 SUGESTÕES BIBLIOGRÁFICAS PARA O CANDIDATO ADAS. Sociedade e espaço: Geografia Geral e do Brasil.. Repensando a Geografia) TRINDADE JR. M. Secretaria de Estado de Educação. UEL. 3) SCALZARETO. MAGNOLI. . Belém: Editora da UFPA. J. 1995 SCARLATO. (Série Temas Transversais) . 1993 SCHMIDT.. 1998 SOUZA. 1999 BRANDÃO. Londrina: Ed. Geografia do Brasil. São Paulo: Moderna. Recife. 2ª ed. M. Problemas geográficos de um mundo novo. São Paulo: Petrópolis. São Paulo: Moderna. 1994. Geografia para o ensino médio: manual de aulas práticas. J. 1994 . C.14-29 VESENTINI. LIMA. et alii. de. São Paulo: Edusp. tecnologias e sociedades. São Paulo: Scipione. J. (Org. A nova geografia: estudos de geografia geral.. 1993 . 1995 PARÁ. Didática. ADAS. Geografia. H. 2ª ed. Dissertação (Mestrado em Geografia) . T. Belém: Associação de Universidade Amazônicas. S. 2000 BIBLIOGRAFIA DIDÁTICO-PEDAGÓGICA PARA PROFESSORES ARCHELA. C. São Paulo: Atual. E. E. 1998 . 1992 . . 6ª ed. et alii (Orgs).Geografia do Brasil. Cidade e empresa na Amazônia: gestão do território e desenvolvimento local. S.. D.

P. 1998 DEMO. Y. Porto Alegre: AGB.a crise paradigmátíca do mundo moderno. Rio de Janeiro: Co-autor. Campinas: Papirus.BROOKS. M. Conhecimento moderno . Alfabetização cartográfica. Campinas: Papirus. para fazer a guerra. Técnicas pedagógicas: domesticação ou desafio à participação. São Paulo: Loyola. F. V. Petrópolis: Vozes. escola e construção de conhecimento. 1994 PERRENOUD. 1993..BROOKS. 1988 MIRANDA. São Paulo: Global. C. 1993 PONTUSCHKA.princípio científico e educativo. O círculo e a espiral . R. I. Educação ambiental: princípios e práticas. BIANCHETTI. Petrópolis: Vozes. TANGUY.o uso de tais noções na escola e na empresa. A. Avaliação: mito e desafio . M. Rio de Janeiro: Dois Pontos. N. J.). J.) Técnicas de ensino: por que não? 2ª ed. A. A. 5ª ed. GALLEGO-BADILLO. ESCOBAR. 1980 ROPÉ.EDUFF. L (Orgs. Campinas: Papirus.isto serve. 1989 RONCA. 1997 RUA. I. Campinas: Papirus.práticas e reflexões. 1997 CASTROGIOVANNI. 1995 HOFFMANN. 22ª ed. P. 1987 . Corrientes constructivistas.uma perspectiva construtivista. 1998 GUIMARAES. Práticas pedagógicas. O discurso do avesso. Porto Alegre: Mediação. Porto Alegre: Artes Médica. A geografia do aluno trabalhador . A geografia . L. SÁ. 1997 MOREIRA. 1993 MOYSÉS. (Org. em primeiro lugar. G. Porto: Porto Editora. P. Campinas: Papirus. L. Lisboa: Publicações Dom Quixote. Geografia. R. 1993 RESENDE. 2ª ed. São Paulo: Global. C. R. Petrópolis: Vozes. L. 1994 PASSINI. L.. S. São Paulo: Cortez. E.. N. (Org. M. 1993. 1990 . F. 1998 CAVALCANTI. et alii Geografia em sala de aula . F. J. Interdisciplinaridade: para além da filosofia do sujeito. 1993 . S. Atividades interdisciplinares de educação ambiental. Rio de Janeiro: Acess. 1997 JANTSCH. A. P. Niterói. I. Petrópolis: Vozes. G. 1993 SILVA. O desafio de saber ensinar. Saberes e competências . (Coleção Ciências da Educação) VEIGA. Para ensinar geografia. Belo Horizonte: Lê. A.sobre a ética e intervenção do conhecimento.caminhos para uma prática de ensino. Santafé de Bogotá: Cooperativa Editorial Magistério. Construtivismo em sala de aula. 1996 . Pesquisa . .) Ousadia no diálogo. 1995 LACOSTE. et alii.. Desafios modernos da educação. 1997 DIAS. profissão docente e formação. Campinas: Papirus. P. São Paulo: Loyola. Saber estudar e estudar para saber. A dimensão ambiental na educação.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->