P. 1
EDUCAÇÃO NA ERA VARGAS

EDUCAÇÃO NA ERA VARGAS

|Views: 4.180|Likes:
Publicado porannacoralina

More info:

Published by: annacoralina on May 20, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/16/2013

pdf

text

original

Educação na Era Vargas: rupturas e continuidades

Prof. Cláudio Amorim

Contexto brasileiro: conflitos de interesses
A década de 1920, marcada pelo confronto de idéias entre correntes divergentes, influenciadas pelos movimentos europeus, culminou com a crise econômica mundial de 1929. Disputa econômica e política Movimentos que buscam romper com a ordem social oligárquica Reajustamento dos setores emergentes na sociedade com os setores tradicionais 

 

Quebra da Bolsa de Nova York em 1929
Crise econômica agravada pela Quebra da Bolsa de Nova York em 1929, que repercutiu diretamente sobre as forças produtoras rurais que perderam do governo os subsídios que garantiam a produção.

Novo ciclo econômico O modelo agrárioexportadordependente cede lugar ao modelo de substituição das importações Ideologia Política: Nacional desenvolvimentismo .

Aliança Liberal: Marco referencial para a entrada do Brasil no mundo capitalista de produção. A nova realidade brasileira passou a exigir uma mão-de-obra especializada e para tal era preciso investir na educação. permitiu com que o Brasil pudesse investir no mercado interno e na produção industrial. A acumulação de capital.Revolução de 1930     Forças oposicionistas . Góis Monteiro e Getúlio Vargas na Revolução de 1930. do período anterior. Do Sul para o Rio: Miguel Costa. .

Governo Vargas: três fases    Governo Provisório ± após a Revolução de 1930 até 1934 Presidente eleito pelo Congresso Nacional ± de 1934 a 1937 Estado Novo ± de 1937 a 1945 Duas constituições bem diferentes: o Constituição de 1934 mais democrática o Constituição de 1937 de cunho autoritário .

devendo ser ministrada pela família e pelos Poderes Públicos.Governo Provisório: uma série de instabilidades  Em 1932 eclode a Revolução Constitucionalista de São Paulo. que a educação é direito de todos. pela primeira vez. . Em 1934 a nova Constituição (a segunda da República) dispõe.

por iniciativa do governador Armando Salles Oliveira.Governo Provisório: medidas educacionais em meio a uma série de instabilidades Em 1930. foi criado o Ministério da Educação e Saúde Pública Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova ± 1932 Ainda em 1934. foi criada a Universidade de São Paulo. A primeira a ser criada e organizada segundo as normas do Estatuto das Universidades Brasileiras de 1931. Conflitos entre liberais e católicos: os dois grupos tentam influenciar na elaboração da nova Carta Constitucional    .

de 11 de abril de 1931.Reforma Francisco Campos Em 1931. institui o Estatuto das Universidades Brasileiras que dispõe sobre a organização do ensino superior no Brasil e adota o regime universitário. O Decreto 19. de 11 de abril de 1931. O Decreto 19. .850. o governo provisório sanciona decretos organizando o ensino secundário e as universidades brasileiras ainda inexistentes. cria o Conselho Nacional de Educação e os Conselhos Estaduais de Educação (que só vão começar a funcionar em 1934).851.

241.890. O Decreto 19. O Decreto 20. dispõe sobre a organização do ensino secundário. de 11 de abril de 1931. de 30 de julho de 1931.Reforma Francisco Campos O Decreto 19. de 14 de abril de 1931. de 18 de abril de 1931. consolida as disposições sobre o ensino secundário. organiza o ensino comercial. O Decreto 21. regulamenta a profissão de contador e dá outras providências. . dispõe sobre a organização da Universidade do Rio de Janeiro.852.158.

Influencia na Constituição de 1934 . leiga Escola primária (sete a doze anos) gratuita e obrigatória Expandir a obrigatoriedade progressivamente até os dezoito anos e a gratuidade a todos os graus. redigido por Fernando de Azevedo e assinado por outros conceituados educadores da época. Princípios gerais: educação como serviço público.1932 Em 1932 um grupo de educadores lança à nação o documento.Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova . que o Estado é chamado a realizar Concebe uma escola comum para ambos os sexos. Financiamento:fundos próprios para a educação Ampliam o debate educacional no plano político e pedagógico.

com a chefia do Presidente da República Possibilita o voto feminino . da família. legislação trabalhista Segurança Nacional: a cargo do Conselho Superior de Segurança Nacional. educação e cultura e da segurança nacional Dispositivos econômicos: intenções nacionalistas Dispositivos de caráter social: pluralidade e autonomia dos sindicatos.Constituição de 1934 esperança de mudanças        Inspiração liberal Inovações importantes Acrescentou três novos títulos: da ordem econômica e social.

extensivo aos adultos e a tendência a gratuidade do ensino posterior ao primário Ensino religioso com freqüência facultativa Isenção tributária aos estabelecimentos de ensino particulares considerados idôneos. promovendo a articulação entre os diferentes sistemas Competência da União: fixar o Plano Nacional da Educação.A Constituição de 1934 e a Educação brasileira: rupturas e continuidades      Conserva a estrutura anterior do Sistema Educacional: União responsável pela manutenção do ensino secundário e superior no DF e ação ³supletiva´ na obra educativa em todo país Responsabilidade da União: estabelecer as diretrizes da educação nacional. que estabeleceu como meta o ensino primário integral e gratuito e de freqüência obrigatória. .

Anísio Teixeira. com uma Faculdade de Educação na qual se situava o Instituto de Educação. cria a Universidade do Distrito Federal. Em função da instabilidade política deste período. Getúlio Vargas.Governo constitucional ± 1934 a 1937 Em 1935 o Secretário de Educação do Distrito Federal. . também conhecida como "Polaca". instala o Estado Novo e proclama uma nova Constituição. num golpe de estado.

³no interesse do serviço público ou por conveniência do regime´ cassar os direitos civis garantidos pela Constituição. assembléias estaduais e Câmaras municipais. dissolver o Parlamento. aposentar ou demitir funcionários civis ou militares. nomear interventores. governar mediante decretos-lei .Constituição de 1937: a Carta do Estado Novo    o o o o o Fase da ditadura Inspirada nas constituições de regimes facistas europeus Disposições finais e transitórias .outorgava poderes irrestritos ao presidente da República: confirmar ou não os governadores eleitos.

A Constituição de 1937 e a centralização da educação Retrocessos na educação: reforçou a dualidade entre a escola de ricos e pobres Competência da União não apenas traçar diretrizes para a educação. mas ³fixar as bases e determinar os quadros da educação´ Mantém a liberdade de ensino Dever do Estado em segundo plano: para aqueles a quem ³faltarem recursos necessários´ Não se refere a gratuidade do ensino posterior ao primário Ensino religioso ganha maior espaço Primeiro dever do Estado: ensino pre-vocacional e profissional .

. de janeiro de 1942 Esta Reforma manter como característica da educação brasileira o dualismo.141 de dezembro de 1943 Criação do SENAI ± Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial por meio do Decreto-lei 4. 46. a organização de um sistema de ensino bifurcado. 4.048.244 de abril de 1942 Lei Orgânica do Ensino Comercial ± Decreto-Lei n. A própria Lei Orgánica do Ensino propiciava dois "caminhos" a serem percorridos do ensino primário ao ensino profissionalizante.073 de janeiro de 1942 Lei Orgânica do Ensino Secundário ± Decreto-Lei n.Reforma Gustavo Capanema Leis Orgânicas do Ensino     Lei Orgânica do Ensino Industrial ± Decreto-Lei n. com um ensino secundário público destinado às "elites condutoras" e um ensino profissionalizante para as classes populares. 4. O dualismo na educação era:nas letras da Reforma Capanema.

pelos Decretos-leis 8.623 de agosto de 1946 Instituído o SENAC ±Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial.621 e 8. 8.622 de janeiro de 1946 . 9.Após a Queda de Vargas     Lei Orgânica do Ensino Primário ± Decreto-Lei n. 8.529 de janeiro de 1946 Lei Orgânica do Ensino Agrícola ± Decreto-Lei n.529 de janeiro de 1946 Lei Orgânica do Ensino Normal ± Decreto-Lei n.

Técnico .Leis Orgânicas do Ensino Industrial Ensino técnico profissional ± dois ciclos (média entre sete a oito anos de duração): Ciclo 1 .de 3 a 4 anos Curso de formação de professores ± 1 ano Cursos de curta duração: treinamentos rápidos Curso de aprendizagem: no ambiente de trabalho .Industrial básico com 4 anos mais Mestria com 2 anos Ciclo 2.

Leis Orgânicas do Ensino Comercial Ensino técnico profissional ± dois ciclos (média entre sete a oito anos de duração): Ciclo 1 ± Comercial básico com 4 anos Ciclo 2. propaganda e secretariado) .de 3 anos (Contabilidade. estatística. comércio.Técnicos .

inviabilizando a mudança de curso por parte do aluno Dificultava o ingresso no ensino superior Naturalizava as diferenças sociais: ensino secundário para as elites e ensino profissional para as massas Acentua o dualismo na educação brasileira .Significado ideológico e social da Reforma Capanema Falta de articulação entre os níveis e ramos do ensino profissional.

o analfabetismo caiu para 56% Incapaz de eliminar a seletividade da educação brasileira e romper com a contradição entre trabalho manual e intelectual .238. as matrículas no ensino fundamental passam de 2.594 para 3. passam de 202.886 para 465.612 Em 1940. dos Estados Ampliação do número de escolas e de matrículas Aperfeiçoamento no âmbito administrativo No período de 1935-1946. 2/3 da população em idade escolar estava excluída da escola e o analfabetismo atingia 65% da população maior de 15 anos Educação passou a ocupar o sexto lugar das despesas no âmbito da União e o segundo.Saldos numéricos da Era Vargas         No início do Governo Vargas.940 No ensino médio.413.

pelo general Góes Monteiro. Esse processo se desenvolveu. por seu poder político e militar.O ESTADO NOVO  Em síntese: O período autoritário que ficou conhecido como Estado Novo teve início no dia 10 de novembro de 1937 com um golpe liderado pelo próprio presidente Getúlio Vargas e apoiado. entre outros. um obstáculo ao continuísmo de Vargas e à consolidação de um Exército forte. impulsionado pelo combate ao comunismo e por uma campanha para a neutralização do então governador gaúcho Flores da Cunha. foi preciso eliminar as resistências existentes nos meios civis e militares e formar um núcleo coeso em torno da idéia da continuidade de Vargas no poder. ao longo dos anos de 1936 e 1937. unificado e impermeável à política. considerado. . principalmente. Para que ele fosse possível.

que durou de 1937 a 1945. o governo realizou antecipadamente as cerimônias de rememoração das vítimas da revolta comunista de novembro de 1935. tendo a apoiá-lo importantes lideranças políticas e militares. Foi instaurado por um golpe de Estado que garantiu a continuidade de Getúlio Vargas à frente do governo central.   . Alguns dias depois. um documento forjado que relatava a preparação de uma nova ofensiva comunista. orientada por uma nova Constituição elaborada por Francisco Campos.O ESTADO NOVO  O Estado Novo foi um período autoritário da nossa história. Começava ali o Estado Novo. o Ministério da Guerra divulgou o que ficou conhecido como Plano Cohen. Em 10 de novembro de 1937 o Congresso Nacional foi cercado por tropas da Polícia Militar e fechado. No mês de setembro. No mesmo dia Vargas anunciou pelo rádio à nação o início de uma nova era. de modo significativo.

.O FIM DA ERA VARGAS    Em outubro de 1945 forçaram Getúlio a deixar a Presidência. Getúlio Vargas concorreu à Presidência pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e derrotou facilmente seus adversários. Getúlio assumira posições claramente nacionalistas. a favor das empresas brasileiras e contra as estrangeiras. José Linhares. Nas eleições de 1950. Quem assumiu o governo foi o presidente do Supremo Tribunal. que governou até a posse do presidente eleito em dezembro de 1945.

que achavam que Getúlio estava se aproximando dos comunistas. que se via ameaçada em seus privilégios pelos benefícios que Getúlio estava concedendo aos trabalhadores. que no dia 1º de maio de 1954 foi de 100%. o que poderia aumentar a agitação e as reivindicações por melhores salários. Um tiro no coração: o fim da Era Vargas (24 de agosto de 1954)  . alguns chefes militares. que achavam que seus lucros iam diminuir. começou a colocar em prática sua política popular e nacionalista. A principal dessas medidas foi o seguido aumento do salário mínimo.O FIM DA ERA VARGAS  A partir do momento em que assumiu novamente a Presidência. a classe média alta. 31 de janeiro de 1951. que consistia em medidas que beneficiavam os trabalhadores e favoreciam as empresas nacionais. Essa atitude de Getúlio deixou muita gente descontente: os grandes empresários.

ascendeu à política nacional pelas mãos de Vargas.presidente. João Goulart ou Jango. João Goulart. o presidente Jânio Quadros renunciava. mesmo porque. onde o presidente contava efetivamente com poder. de quem era considerado continuador. esse sistema mostrou-se ineficiente naquele momento. representando a política populista do PTB. Em agosto de 1961. Latifundiário do Rio Grande do Sul. em 1961. após sete meses de governo. os principais líderes políticos e sindicais haviam sido formados dentro da concepção de uma estrutura centralizada. De setembro de 61 a janeiro de 63 o Brasil viveu sob o sistema parlamentarista. Vice-presidente da República. . Vice-presidente de JK e era. no caso. foi o pivô da crise final do populismo.O PERÍODO MILITAR Populismo em crise A ascensão de Jango a presidência foi um dos momentos mais claros da crise do populismo. Segundo a Constituição o substituto imediato era o Vice. Foi ministro do trabalho de Vargas. Adotado como medida conciliatória frente a crise provocada pela renúncia de Jânio Quadros.

Pensava-se em erradicar definitivamente o analfabetismo através de um programa nacional. econômicas e culturais de cada região. entre outros. talvez tenha sido o mais fértil da história da educação brasileira. Lauro de Oliveira Lima. de 1946 ao princípio do ano de 1964. Carneiro Leão. Fernando de Azevedo. . Paulo Freire.O PERÍODO MILITAR    O período anterior. Durmeval Trigueiro. Neste período atuaram educadores do porte de Anísio Teixeira. levando-se em conta as diferenças sociais. Armando Hildebrand. Pachoal Leme. Lourenço Filho.

feridos. o Decreto-Lei 477 calou a boca de alunos e professores.  . estudantes foram presos. e alguns foram mortos. nos confronto com a polícia. Esta era a prática do Regime. os estudantes foram calados e a União Nacional dos Estudantes proibida de funcionar. universidades foram invadidas. Regime Militar espelhou na educação o caráter anti-democrático de sua proposta ideológica de governo: professores foram presos e demitidos.O PERÍODO MILITAR  Depois do golpe militar de 1964 muito educadores passaram a ser perseguidos em função de posicionamentos ideológicos. o Ministro da Justiça declarou que "estudantes tem que estudar" e "não podem fazer baderna".

para acabar com os "excedentes" (aqueles que tiravam notas suficientes para serem aprovados. E. mas não conseguiam vaga para estudar).O PERÍODO MILITAR  Neste período deu-se a grande expansão das universidades no Brasil. Para erradicar o analfabetismo foi criado o Movimento Brasileiro de Alfabetização MOBRAL.  . foi criado o vestibular classificatório.

a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional.O PERÍODO MILITAR   É no período mais cruel da ditadura militar. "milagre econômico". de forma decisiva. como "Brasil grande". que é instituída a Lei 5.692. etc. muitas vezes pela violência física. "ame-o ou deixe-o". . planejava-se fazer com que a educação contribuísse. em 1971.. onde qualquer expressão popular contrária aos interesses do governo era abafada. para o aumento da produção brasileira. Dentro do espírito dos "slogans" propostos pelo governo.

O PERÍODO MILITAR Após 21 anos de ditadura militar. dada a queda na qualidade de formação dos profissionais de educação. Persistem. A atual Lei de Diretrizes e Bases da Educação surgiu para substituir o modelo implementado pela ditadura. apesar de estendida. com a proliferação de ³empresas educacionais´ que permitiram o acesso de um pequeno contingente das camadas de menores níveis de renda ao ensino superior. além da depreciação das condições de trabalho desses profissionais. não foi suficiente para atender à demanda crescente. queda na qualidade dos níveis elementares de ensino. uma queda na qualidade do ensino superior. . contingente este que custeava seus próprios estudos. contudo. problemas que não foram solucionados ou que se aprofundaram no período. restou ao Brasil um sistema educacional com graves problemas: uma estrutura física que.

os meios de comunicação divulgam pronunciamentos governamentais acerca da melhoria da qualidade do ensino. . enquanto seus profissionais conseguem poucas conquistas após prolongados períodos de greve. com o surgimento de um número exorbitante de faculdades particulares. principalmente nos centros urbanos. vivenciamos um novo ³surto´ de privatização do ensino. não está universalizada no Brasil. Sem dúvida. a ênfase recai no aumento do número de vagas nos estabelecimentos de ensino e na qualificação da mão-de-obra através dos programas profissionalizantes pós-médio. Atualmente. Esses são alguns dos problemas que acometem a educação atual. muito do que se produziu durante a ditadura persiste na estrutura educacional brasileira. as universidades federais estão assistindo à degeneração de seus espaços físicos e equipamentos. Novamente. ainda hoje.O PERÍODO MILITAR A educação básica.

O PERÍODO MILITAR A educação ainda aparece. sem dúvida. O tipo de ensino que se desenvolveu no Brasil atende às demandas impostas pelo grande capital. O que mudou na sociedade brasileira. passados 38 anos da instalação da ditadura militar brasileira? Vivemos hoje muitos dos dilemas enfrentados durante os anos de chumbo. portanto. que exigem mão-de-obra barata e. os sistemas de ensino têm logrado bastante êxito. desqualificada. na fala governamental. como um mecanismo minimizador das desigualdades sociais. Nesse aspecto. . A análise das políticas educacionais brasileiras deixa claro que a má qualidade do ensino nos sistemas públicos não é fruto de algum equívoco ou distorção.

Seguindo esse compasso. assim como seu projeto global de desenvolvimento. com o desaparecimento de postos de trabalho. a educação apresenta as mesmas distorções verificadas na sociedade e contribui para sua manutenção. o empobrecimento da população e uma inserção subordinada ao sistema capitalista mundial. O projeto educacional implementado durante a ditadura. teve papel decisivo no processo de exclusão social. cujos resultados colhemos na atualidade. por PATRÍCIA SPOSITO MECHI .O PERÍODO MILITAR O Brasil de hoje enfrenta uma grave situação social.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->