Você está na página 1de 40

Fiação

• A fiação é o setor da industria têxtil


responsável pela transformação da fibra
em fio. O processamento do fio se constitui
de diversas etapas mecânicas, tendo como
principais operações a torção e estiragem,
que ocorrem após as estapas de abertura e
limpeza. Para o caso do sistema convencional
de fiação.
• Os fio tem características como a sua
regularidade, ao longo do
comprimento, seu diâmetro e peso,
sendo que estas duas últimas definem
o seu Título, ou seja, o número que
expressa a relação entre um
determinado comprimento e o peso
correspondente (RIBEIRO, 1984).
Classificação de Fios
Fios

Fibras Fibras contínuas


descontínuas (filamentos)

Fio Fio Fio Fio


cardado penteado Multi- Mono-
filamento flilamento

Fio Fio
singelo retorcido

Fio regular Fio Fio Fio Fio Fio


fantasia especial retorcido fantasia texturizado
(High bulk)
Fios Regulares
• São fios têxteis que não apresentam irregularidades
propositadas ao longo de seu comprimento, como
variação da espessura, torção, cor, entre outros.
Podem ser singelos ou retorcidos (2 ou mais cabos).
• Fio escócia: fio de algodão puro, de fibras longas (egípcio ou
equivalente) de dois cabos, chamuscados (gasados) e
mercerizados;

• Fio crepe: pode ser constituído de algodão, viscose ou seda, de


dois ou três cabos retorcidos, com 2.000 a 3.000 torções por
metro. Caracteriza-se pela sua quantidade de torção por metro;
Fios Irregulares ou Fantasias
• São aqueles aos quais são adicionadas
irregularidades intermitentes em torção,
espessura, cor ou outras, com a finalidade de
acrescentar um aspecto diferenciado.
• Fio bouclé: fio com pequenos anéis ou alças com intervalos
irregulares, mais ou menos próximos;
• Fio botoné: caracterizado por irregularidades em forma de
pequanas alças, dilatações de intervalos mais ou menos regulares.
Obtem-se por um fio envolvendo irrregularmente outro ou por
adição intermitente de pequenas porções adicionais de fibras
durante a fiação;
Fio Texturizado

• Fios consituídos de filamentos aos quais se dá


efeito e aparência de mais volume, falsa
elasticidade e maior extensibilidade, aumentando
seu poder de cobertura do tecido.
Fios Elásticos
• São constituídos de um núcleo de fibra de
elastômero recoberto com algodão ou com
filamento de nylon, podendo também ser usados
sem serem recobertos. O fio Core-spun, por
exemplo, é constituído de Lycra recoberta com
fibra cortada.
Sistema para Fibras Descontínuas

• Utilizado para fibras vegetais, animais, minerais


e químicas cortadas.
Sistemas para Fibras Contínuas
• Utilizado para fibras químicas (sintéticas e
artificiais), em que o fio é obtido através de
fieiras no momento da produção da fibra.
Fiação de Anéis ou Convencional

Abertura Carda Passador

Maçaroquei
Filatório ra

Fio singelo
Conicaleira

Opcional

Retorcedei- Fio retorcido


ra

Fluxo Fio Cardado


Abertura
Carda

Reunideira
Passador

Lamina-
deira

Maçaro-
Pentea- queira
deira

Filatório

Conicalei-
ra

Opcional
Fio singelo

Fio retorcido
Retorce-
deira
Fluxo Fio Penteado
Abertura
Carda

Passador

Fio singelo Filatório


Fio retorcido open-end

Fluxo Fio Open end


Título de Fios
• O título de um fio define sua espessura e refere-se a
um número que expressa a relação entre um
determinado comprimento e uma
determinada massa, que, para efeitos de
simplificação e guardar relação com a definição de
diferentes autores, será denominada peso.
Grupos e Sistemas de Titulação
Grupos Critério Sistemas
Denier

Direto Comprimento constante Tex

Escocês

Ingles

Métrico

Indireto Peso constante Francês

Espanhol

Ingles- Americano
Unidades de Medida
• Na titulação são utilizadas algumas
unidades de medida como descrito a seguir:

• Jarda (jd) = 0,914 m


• Hank = 840 jardas = 768 m
• Pé = 30,5 cm
• Libra (lb) = 7.000 grains (gr) = 453,6 g
• Onça = 28,7 g
• Libra = 16 onças
• Grama = 15,4 gr (grains)
Representação do Título
• Singelos: 16’s ou 16/1

• Retorcidos:
• Quando formado por cabos de igual título: 20/2 (2
cabos de fio de título 20 cada um);

• Formado por cabos de títulos diferentes: 30+20+25;

• Quando formado por filamentos contínuos: 2/150/32


(nº de cabos/título de cada cabo/nº filamentos).
Titulação Direta
• Aquela em que o critério utilizado para seu cálculo é
o do comprimento constante, isto é, o título do
material será o resultado da relação entre o peso
(massa) e um comprimento pré-definido desse
material.

• Neste grupo, o título será diretamente proporcional


a espessura do fio, isto é, quanto maior o título
mais grosso o fio/produto.
Sistema Denier (Td)
• É utilizado para fibras de seda e químicas e
corresponde ao peso de 9000 m de fio. Então, se
9.000 metros de um determinado fio pesarem 30
gramas, o título Denier deste fio será igual a 30.

• Para determinar o título, utiliza-se a fórmula


den=Td=(K x P)/C

• K = 9.000 m/g
• P = peso (g)
• C = comprimento (m)
Exercício
• Qual o título Denier (Td) de 600m de fio que
pesaram 1g?

• den=Td=(K x P)/C

• Então, Td = (9.000 (m/g) x 1 (g))/600 m

• Td= 15
Sistema Tex (ISO 1144)

• É utilizado para todos os tipos de fios e representa


o peso em gramas de 1000 m de fio.
• Para determinar o título Tex, utiliza-se a fórmula:

Tex=(K x P)/C

• K = 1.000 m/g
• P = peso (g)
• C = comprimento (m)
Exercício
• Qual o título Tex para um fio de 150 m que pesa 7,5
g?

• Tex=(K x P)/C

• Então, Tex= (1.000 (m/g) x 7,5 (g))/150 m

• Tex= 50
Titulação Indireta

• A Titulação indireta é aquela em que o critério


utilizado para seu cálculo é o do peso constante,
isto é, o título do material será o resultado da
relação entre o comprimento necessário para
atingir um peso (massa) pré-definido desse
material. Na titulação indireta os valores obtidos
para o título do material são inversamente
proporcionais ao seu diâmetro, isto é, quanto
maior o título mais fino o fio/produto.
Sistema inglês (Ne)

• Este sistema é utilizado para fibras de algodão e


corresponde ao número de meadas de 840 jardas
(768 m) necessários para obter 1 libra (454 g) de
peso.

• De acordo com esta definição, um fio de título Ne 16


é aquele que 16 meadas de 768 m pesam 1 libra.
Sistema inglês (Ne)

• Para determinar o título Ne, utiliza-se a fórmula:

Ne = (K x C)/P

• Onde:

• K = 0,59 g/m
• P = peso (g)
• C = comprimento (m)
Exercício
• Qual o título Ne para um fio com 200jd pesando
8g?

• Ne=(K x C)/P

• Então, Ne= (0,59 (m/g) x (200 jd x 0,914 m/jd)/8 g

• Ne= 13,48 Ne
Titulação de fios/produtos singelos
Grupo Direto Grupo Indireto
Sistema Fórmula Constante Sistema Fórmula Constante
Ne =(K x C)/P
Denier (Td) Td =(K x P)/C K = 9.000 m/g Inglês (Ne) K = 0,59 g/m

Nm =(K x C)/P
Tex K = 1.000 m/g Métrico (Nm) K = 1 g/m
Tex =(K x P)/C
(K x C)/P
Francês K= 0.5g/m
(K x C)/P
Espanhol K= 0.57g/m
Titulação de fios/produtos retorcidos
Grupo Direto Grupo Indireto

TR  T1  T2  T3  ... Tn
1
Cabos com títulos diferentes TR 
1

1

1

1
T1 T2 T3 Tn

Cabos com títulos iguais TR = T/n


Dois cabos de títulos diferentes TR = (T1xT2)/T1+T2
Equivalência entre sistemas do mesmo grupo de titulação
Grupo Direto Grupo Indireto
K 'T K 'T
Entre sistemas do grupo direto T ' Entre sistemas do grupo indireto T '
K K
Equivalência entre sistemas de grupos diferentes de titulação
FATORES QUE OCASIONAM PROBLEMAS NA FIAÇÃO

• Comprimento da fibra
• Resistência da fibra
• Maturidade da fibra
• Caramelização – quantidade de açúcar (teores em
torno de 25%)
• Neps
• Mistura inadequadas das fibras
• Impurezas
FATORES QUE OCASIONAM PROBLEMAS NA FIAÇÃO

• Excessiva variação de título


• Engrenagens gastas, sujas e quebradas
• Distância entre cilindros inadequada
• Diferença de torção
• Guarnições gastas ou danificadas
• Outros.
FATORES QUE INFLUENCIAM NOS PROCESSOS
SUBSEQUENTES
• Barramento: excessiva variação do título, engrenagens
gastas, sujas, quebradas, etc.;
• Má qualidade do tecido: irregularidade do fio, finos finos
e grossos, impurezas, caramelizaçãp excessiva, diferença de
torção, emenda mal feita dos fios;
• Pilling: pontas de fibras caudo por mistura de fibras de
comprimento diferente, falta de torção no fio;
• Pó: RPM não condizentes, fibras curtas, baixa torção,
climatização inadequada;
• Ruptura excessiva: neps, caramelização; comprimento de
fibra, torção baixa ou irregular, etc.
CONTROLE DE QUALIDADE DE FIOS
• Regain

• Consiste no percentual de água que o material


possui em relação ao seu peso seco (sem se
caracterizar como molhado). O regain da fibra de
algodão pode alterar as propriedades físicas e
interferir na capacidade de fiar da fibra.

• Fibras muito secas perdem flexibilidade e muito


úmidas tem seu diâmetro aumentado (incham).
MATERIAL APRESENTAÇÃO % U. R.
Algodão Cru em rama ou fio tinto 8,50
Fio mercerizado 10,50
Seda 13,00
Linho 12,00
Juta 17,00
Lã Lavada a fundo ou fio cardado 17,00
Não lavada a fundo 18,00
Penteada com óleo 19,00
Acetato Fibra contínua e descontínua 9,00
Triacetato Fibra contínua e descontínua 7,00
Viscose Fibra contínua e descontínua 13,0
Poliamida 6 e 6.6 contínua 5,75
6 e 6.6 descontínua 6,25
Poliéster Contínua 3,00
Descontínua 1,50
Acrílica 2,50
Modacrílica 1,50
Poliuretano 2,00
Vinal 6,00
Cloreto de polivinilo, fibra de flúor, fibra de vidro, fibra de metal, fibra de borracha. 0
CONTROLE DE QUALIDADE DE FIOS
• Variação do título do fio (Count)

• A variação do título do fio ocorre com maior


frequencia em fibras naturais do que em artificiais
ou sintéticas (EMBRAPA, 2003). Essa variação
provoca alterações na aparência (especialmente em
malhas) e em outros dados como gramatura.

• Uma variação de título entre amostras (CVb) maior


do que 3,0% não é desejável.
CONTROLE DE QUALIDADE DE FIOS
• Variação de massa do fio (Evenness)

• A variação de massa (fios mais finos, para um


mesmo coeficiente de torção) acarreta em:
• perda de resistência  rupturas no tear, reduzindo
a produtividade e aumentando o número de
emendas ou nós. Isto pode, muitas vezes, acarretar
a desclassificação do tecido;
• variação na substantividade do fio  variações na
absorção de corantes.
CONTROLE DE QUALIDADE DE FIOS
• Pilosidade (Hairiness)

• É determinada pela quantidade de fibras/fibrilas que


se projetam da superfície do fio, expressa em valores de
pilosidade H. A pilosidade não é, necessariamente, um
defeito. As pilosidades são um aspecto característico
dos fios e são em diversos casos desejáveis para se
conseguir um determinado tipo de efeito. Contudo, em
certos casos, um número elevado pode causar defeitos
no produto final.
CONTROLE DE QUALIDADE DE FIOS
• Resistência à tração (Tensile properties)

• É a tensão pela qual um fio rompe, expressa em


gramas ou kilogramas (força) ou centinewtons
(1gmf = 0.98cN). Esta varia ligeiramente segundo
as condições específicas em que o fio rompeu, por
exemplo, umidade, temperatura, regime de carga e
comprimento do fio submetido a esforço.
CONTROLE DE QUALIDADE DE FIOS
• Torção de fios
• A torção corresponde ao número de voltas do fio em
torno de seu eixo por unidade de comprimento. Esta
operação ocorre no processo de fiação e tem por
objetivo evitar que as fibras se soltem. . A torção pode
ser expressa em voltas por metro, (v/m), voltas por
centímetro (v/cm) ou voltas por polegada (v/")
• A torção da fibras na formação dos fios pode acontecer
no sentido horário, que forma uma torção Z ou direita,
ou anti-horário, que forma uma torção S ou esquerda.
CONTROLE DE QUALIDADE DE FIOS
• Irregularidades
• A regularidade do fio leva em conta o coeficiente de variação
da massa, os pontos finos, pontos grossos, neps e a
pilosidade do fio (FBET, 2007). Estas são importantes para
determinar a qualidade do tecido final no que diz respeito a
sua apresentação.
• Pontos grossos: Pontos com 30 mm de comprimento e massa
50% acima da média;
• Pontos finos: Pontos com 30 mm de comprimento e massa
50% abaixo da média;
• Neps: Pontos com diâmetro 200% (fiação anel) e 280%
(fiação open end) acima da média, comprimento médio de 3
mm.
CLIMATIZAÇÃO

Interesses relacionados