P. 1
lista_2_ano_

lista_2_ano_

|Views: 5.029|Likes:

More info:

Categories:Types, School Work
Published by: Flaviana Martins Conde on May 23, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/12/2014

pdf

text

original

Colegio Santa Monica -2010 Física -Frente 1 - 2 ano E.

m Professora Flaviana

Lista de Estudo para Prova Sub - 3 Bimestre

Física
Dinâmica
EXERCÍCIOS 01. (CESGRANRIO) Um corpo de massa 10 kg está em movimento retilíneo. Durante certo intervalo de tempo, a sua velocidade passa de 10 m/s para 40 m/s. Qual é o trabalho, em joules, realizado nesse tempo ?
⇒ τ = 7.500 J

02. (Itajubá) Um corpo de massa 2 kg, inicialmente em repouso, é puxado sobre uma superfície horizontal sem atrito por uma força constante de 4 N, também horizontal. Qual será a sua energia cinética após percorrer 5 m ? a) b) c) d) e) 0 joule 20 joules 10 joules 40 joules n.d.a.
Alternativa B

03. Ao serem bombeados pelo coração, num regime de baixa atividade, 200 g de sangue adquirem uma velocidade de 30 cm/s. Com uma atividade mais intensa do coração, essa mesma quantidade de sangue atinge uma velocidade de 60 cm/s. Calcule, em ambos os casos, a energia cinética que essa massa de sangue adquire e o trabalho realizado pelo coração.

Resolução

= 27 x 10–3 J

04. Um corpo abandonado no ponto A percorre a trajetória lisa situada em um plano vertical, como mostra a figura. Calcule a velocidade do corpo ao passar pelo ponto B.
A B

Resolução

g = 10m/s2


8 m 3 m

VB = 10m/s

FISCOL-MED3003-R

1

2
05. Um bloco de massa m = 0,80 kg desliza sobre um plano horizontal, sem atrito, e vai chocar-se contra uma mola de constante elástica k = 2 x 103 N/m, como mostra a figura abaixo.
Resolução

v

Sabendo que a velocidade do bloco, antes do choque é de 20 m/s, determine a máxima compressão sofrida pela mola.
logo, x = 0,40 m

é a compressão máxima sofrida pela mola.

06. Uma mola de constante elástica k = 1200 N/m está comprimida de x = 10 cm pela ação de um corpo de massa m = 1 kg. Abandonando o conjunto, o corpo é atirado verticalmente, atingindo a altura h. Determine h, sabendose que g = 10 m/s2 e não há forças dissipativas.

07. (FEI) Um carrinho de montanha-russa parte do repouso do topo desta (ponto A). Desprezando os atritos e adotando g = 10m/s2, determine a velocidade do carrinho no ponto C, admitindo-se que ele não abandone a pista.
A C hA = 20 m

hC = 15 m

x

h=? B

Resolução Resolução

= 0,6 m = 10 m/s

FISCOL-MED3003-R

08. (FEI) A figura representa um conjunto de planos perfeitamente lisos, onde deve mover-se uma bola de massa m = 2 kg. A bola é abandonada do repouso em A.
A

g = 10m/s2

C h1 = 15 m B h2 = 10 m

09. (FUVEST) Um foguete, destinado a colocar em órbita um satélite meteorológico, move-se verticalmente para cima. Seu motor funciona até que ele atinja uma velocidade de 1 600 m/s, a uma altura de 50 km. Depois disso, ele continua subindo e a ação da gravidade o freia até que ele pare. Suponha desprezível a resistência do ar. Utilize o conceito de conservação de energia mecânica para determinar a altura máxima (hmax) que o foguete vai alcançar.
gTerra ~ 10 m/s2
B

foguete pára motor é desligado

Analisando esse movimento, podemos afirmar que: a) b) c) d) e) a bola não consegue atingir o ponto C a energia cinética em C é 300 J a energia potencial da bola em C é 300 J a energia cinética da bola em B é 300 J n.d.a.

A

hmáx. 50 km

Resolução

Resolução

Alternativa D

hmáx = 178 000 m

10. (ENE-RJ) Estabeleça a relação entre a altura mínima h do ponto A e o raio R do percurso circular, de modo que o corpo, ao passar pelo ponto C, tenha a resultante centrípeta igual a seu próprio peso. Despreze o atrito e a resistência do ar.
A C h R

11. (UF-ES) Uma partícula, com velocidade inicial V0 no trecho A, sobe o trecho B, desce o trecho D e continua seu movimento no trecho E. Se ela perde, no trecho C, 3/4 de sua energia inicial, qual sua velocidade no trecho E ? Observação: nos trechos de C a E não existe dissipação.

V0

Resolução
A

B

C

D E

P = Fcp V2 mg = m ⇒ V= R Mas EM = EM A C = 2,5 R Resolução

1 VE = V0 2

FISCOL-MED3003-R

4
12. (FEI) Um corpo de massa m = 10 kg é arremessado horizontalmente sobre o tampo horizontal de uma mesa. Ele inicia seu movimento com velocidade V0 = 10 m/s e abandona a mesa com velocidade V = 5 m/s. O trabalho realizado pela força de atrito que age no corpo: a) b) c) d) e) é nulo. não pode ser calculado por falta de coeficiente de atrito. não pode ser calculado por não se conhecer a trajetória. vale – 375 J. vale – 50 J.
Resolução

Alternativa D Resolução

13. (Santa Casa) Um nadador despende 280 000 joules durante 60 segundos numa competição. Três quartos dessa energia são liberados, diretamente, sob forma de calor e o restante é dissipado por suas mãos e pernas em trabalho mecânico. Nos 60 segundos ele nada 100 metros. A força média que se opõe a seu movimento é, em newtons, igual a: a) 2800 b) 2100 c) 700 d) 210/6 e) 70/6

Alternativa C

14. (FAU-SP) Um esportista de massa 70 kg dá 30 saltos verticais de 0,5 m de altura. Com a energia dispendida para dar tais saltos o esportista poderia brecar um carro de massa 210 kg e velocidade de módulo v. Determine v, adotando g = 10 m/s2. Dê a resposta em m/s e em km/h.
Resolução

15. (UF-PA) Um corpo com massa 10 kg é lançado verticalmente para cima com uma velocidade de 40m/s. Considerando g = 10 m/s2, a altura alcançada pelo corpo quando sua energia cinética está reduzida a 80% de seu valor é de: a) 16 m b) 64 m c) 80 m d) 96 m e) 144 m

Resolução

⇒ V = 10 m/s = 36 km/h

Alternativa A Resolução

16. (FEI/MAUÁ) Um móvel de massa m = 2 kg desloca-se ao longo de um eixo 0x, situado num plano horizontal perfeitamente liso. Sabe-se que, quando o móvel passa pela origem, a sua velocidade é V0 = 10 m/s. O móvel está sujeito a uma força paralela ao eixo 0x, cuja intensidade varia conforme o gráfico. Determine o trabalho realizado pela força F quando o corpo se desloca de x = 0 até x = 3 m. Qual a velocidade do móvel no fim desse percurso ?
F (N) 10 5

⇒ V = 5 m/s

x (m) 0 1 2 3

FISCOL-MED3003-R

17. Uma partícula de massa m = 4 kg move-se sobre uma trajetória retilínea, sob a ação de uma única força que tem a mesma direção e sentido do movimento, cuja intensidade em função do espaço é dada pelo gráfico a seguir. Sabendo que, ao passar pelo ponto de espaço S0 = 5 m sua velocidade era V0 = 10 m/s, calcule:
F (N)

120 V0 = 10 m/s S (m) 80 40 S (m) 5 10 15

F

0

5

10

a) o trabalho realizado pela força quando a partícula vai de S0 = 5m a S1 = 15m. b) a velocidade da partícula ao passar pelo ponto S1 = 15m.
Resolução a) = 600 J b) = 600 ⇒ V = 20 m/s

18. (FUVEST) O gráfico abaixo representa a energia cinética de translação de um corpo em função do tempo. A partir da análise do gráfico é correto afirmar que:
Energia cinética (joules) 10 5 t (s) 50 100 150 200

20. (UF-PE) No arranjo experimental da figura, desprezou-se o atrito e a resistência do ar. O bloco de massa 4 kg inicialmente em repouso comprime a mola (supostamente ideal) de constante elástica k = 3,6 x 103 Nm–1 de 20 cm, estando apenas encostado na mesma. Largando-se a mola, esta distende-se impulsionando o bloco, que atinge uma altura H. Adotando g = 10 m/s2, determine:
k M H

a) o corpo encontra-se em repouso. b) a energia potencial do corpo vale 5 joules. c) o módulo da velocidade do corpo é constante e diferente de zero. d) a energia total do corpo diminui com o tempo. e) a energia total do corpo aumenta com o tempo.
Resolução:

a) o módulo da velocidade do bloco imediatamente após desligar-se da mola; b) o valor de H
Resolução:

a)

6 m/s

Alternativa C b) 1,8 m

19. (UF-PB) Um corpo de massa m = 0,5 kg se move com velocidade constante V0 = 2 m/s. Qual o trabalho, em joule, necessário para que esse corpo passe a ter a velocidade V = 10 m/s ?
Resolução: − = − = 24 J

FISCOL-MED3003-R

6
21. (FUVEST) Considere um bloco de massa M = 10 kg, que se move sobre uma superfície horizontal com uma velocidade inicial de 10 m/s . a) qual o trabalho realizado pela força de atrito para levar o corpo ao repouso ? b) supondo que o coeficiente de atrito seja µ= 0,10, qual o tempo necessário para que a velocidade do bloco seja reduzida à metade do seu valor inicial ?
Resolução: a) b) – S = 37, 5 m – 5 x 102 J

t2 = 5 s

22. (UNICAMP) Um bloco de massa m = 0,5 kg desloca-se sobre um plano horizontal com atrito e comprime uma mola de constante elástica k = 1,6 x 102 N/m. Sabendo que a máxima compressão da mola pela ação do bloco é x = 0,1 m, calcule:
coeficiente de atrito entre o bloco e o plano: µ = 0,4; g = 10 m/s2

Resolução: a) . N . x = 0,4 . 0,5 . 10 . 0,1 = 0,2 J

b)
= + ⇒ V = 2 m/s

K m

µ a) o trabalho da força de atrito durante a compressão da mola. b) a velocidade do bloco no instante em que tocou a mola. 23. Um bloco de madeira de massa 3,0 kg move-se num plano horizontal, sem atrito, com velocidade constante de 4 m/s. Num dado instante penetra numa região onde há grande atrito, parando 2,0 s após. Admitindo-se que toda energia foi transformada em calor, a quantidade de calor é aproximadamente igual a:
1 cal ~ 4,18 J

24. (ITA) Para motivar os alunos a acreditarem nas leis da Física, um professor fez a experiência seguinte: uma esfera de massa razoável (2 kg) era presa no teto da sala. Trazendo o pêndulo para junto de sua cabeça, ele o abandonava em seguida, permanecendo imóvel, sem medo de ser atingido violentamente na volta da massa. Ao fazer isso, ele demonstrava confiança na seguinte lei da física: a) segunda lei de Newton b) princípio da ação e reação c) conservação da energia d) todo professor tem cabeça “dura” e) a gravidade age em todos os corpos
Resolução Pela teoria, Alternativa C

a) b) c) d) e)

100 calorias 24 calorias 50 calorias 5,7 calorias n.d.a.

Resolução

25. (FUVEST) Um corpo de massa 20 kg é abandonado do topo de um edifício de 45 m de altura. Ao atingir o solo calcule sua velocidade e sua energia cinética.
Resolução

Alternativa D

= 30 m/s

FISCOL-MED3003-R

(FUVEST) Enunciado seguinte para as questões 26 e 27. O gráfico representa a força aplicada a um móvel de massa m = 3 kg, em função da posição ao longo do eixo dos x. A força age na direção do eixo dos x e é positiva quando seu sentido é o mesmo de x crescente.
F (N) 12

26. Determine o trabalho realizado pela força F quando o móvel se desloca do ponto x = 0 ao ponto x = 2 m, e de x = 0 a x = 6m.
Resolução
N

13,5 J

9 6 3 x (m) 1 2 3 4 5 6

27. Determine a velocidade do móvel quando passa pelo ponto x = 2 m e pelo ponto x = 6 m.
Resolução

0 –3

V2 = 4 m/s

Abandona-se o móvel em x = 0 com velocidade nula.

⇒ V6 = 3 m/s

28. (UnB) A dependência da energia potencial elástica Ep de uma mola, com sua compressão x, é melhor representada pelo gráfico. a)
EP

b)

EP

c)

EP

d)

EP

x

x

x

x

Resolução Alternativa C

29. (CESGRANRIO) Um corpo de massa 10 kg está em movimento retilíneo. durante certo intervalo de tempo a sua velocidade passa de 10 m/s para 40 m/s. O trabalho, em joules, realizado nesse tempo é igual a: a) b) c) d) e) 300 1000 7500 8500 15000

30. (Santa Casa) Um corpo de massa 1,0 kg e animado de velocidade 10 m/s, movendo-se numa superfície horizontal sem atrito, choca-se contra a extremidade livre de uma mola ideal de constante elástica k = 4,0 x 104 N/m. A compressão máxima sofrida pela mola é, em cm, igual a a) 2,5 d) 15
Resolução

b) 5,0 e) 20

c) 10

Resolução

Alternativa C

Alternativa C

FISCOL-MED3003-R

8
31. (Santa Casa) Considerando o enunciado da questão anterior, se, no momento em que a mola apresentar compressão máxima, o corpo de massa 1,0 kg for substituído por outro de massa 0,25 kg, após a interação com a mola este último terá uma velocidade (em m/s) de: a) b) c) d) e) 2,5 5,0 10 20 40
Resolução

Alternativa D

32. (Santa Casa) Um bloco é preso a uma mola de massa desprezível e executa MHS sem atrito com o solo horizontal. A energia potencial do sistema é zero na posição de elongação nula e pode assumir o valor máximo de 60 joules durante o movimento. Quando a elongação é metade do valor da amplitude, a energia cinética do bloco, em joules, vale: a) b) c) d) e) 15 20 30 40 45

Resolução

Alternativa E

33. Um corpo de massa 2 kg está em contato com uma mola de constante elástica k = 500 N/m, comprimida de 20 cm.Uma vez libertado o corpo, ele desliza pelo plano horizontal, sem atrito, atingindo o plano inclinado da figura.
C

Resolução

a) E A B 30º D E hC

= 10 m/s

b) E

Determine: a) a velocidade desse corpo quando se destaca da mola; b) o deslocamento do corpo sobre o plano inclinado, até parar. 34. Um bloco de massa m = 4 kg e velocidade horizontal V = 0,5 m/s choca-se com uma mola de constante k = 100 N/m. Não há atrito entre o bloco e a superfície de contato. Determine a máxima deformação que a mola recebe (em cm). a) 1 b) 5 c) 10 d) 20 e) 15
Alternativa C Resolução

=1m

x = 0,1 m

FISCOL-MED3003-R

35. Um bloco de 1 kg colide com uma mola horizontal, de massa desprezível, cuja constante elástica é k = 2 N/m. A compressão máxima da mola é 0,5 m a partir da posição de repouso. Qual era o valor da velocidade no momento da colisão? Considere desprezível a força de atrito.
m V0

Resolução

V = 0,7 m/s
k

36. (FEI) É dado um gráfico da força F que age sobre um corpo de massa 1 kg, em função do deslocamento a partir do repouso. A força F tem direção constante paralela à trajetória. A energia adquirida pelo corpo de 0 a 0,8 m é, em joules:
F (N)

Resolução

a) b) c) d) e)

20 2 6,3 8 15

15 10 3 d (m) 0 0,2 0,4 0,6 0,8

Alternativa C

37. (FEI) Com relação ao teste anterior, o trecho em que o móvel está animado de movimento uniformemente acelerado fica melhor representado por: a) b) c) d) e) 0 a 0,2 m 0,2 a 0,4 m 0,4 a 0,6 m 0,6 a 0,8 m 0 a 0,2 m e também 0,6 a 0,8 m

Resolução

Alternativa A

38. (FEI) Ainda com relação ao teste 36, o trecho em que o móvel está animado de movimento retilíneo e uniforme é: a) b) c) d) e) de 0 a 0,2 m de 0,2 a 0,4 m de 0,4 a 0,6 m de 0,6 a 0,8 m em nenhum trecho

Resolução

Alternativa D

39. (ITA) Um corpo cuja massa é de 5 kg está sujeito a uma força que varia com a posição do mesmo, segundo o gráfico. Supondo que o corpo estivesse inicialmente em repouso na posição x = 0, qual seria a sua velocidade na posição x = 25 m ? newtons a) 100 m/s 15 b) 250 m/s 10 c) 50 m/s d) 10 m/s 5 e) n.d.a. metros
25 50

Resolução

Alternativa D

FISCOL-MED3003-R

10
40. Um corpo de peso P acha-se a uma altura h. Abandonando-se o corpo, sua energia cinética ao atingir o solo é: (Obs.: Despreze atrito e resistência do ar). a) b) c) d) e) nula igual a P . h. não se pode determinar depende da massa do corpo maior que P . h.
Resolução

Alternativa B

41. (FUVEST) O gráfico representa a força F que age sobre um corpo de massa 2,0 kg em função do tempo t, na direção do eixo dos x. No instante t = 0 o corpo está em repouso num ponto P. A distância do corpo ao ponto P no instante t = 4s será: F (N) a) b) c) d) e) 0,0 m 6,0 m 12 m 18 m 24 m
10 8 6 4 2 t (s) 1 2 3 4 5 6

Resolução

total = 18 m Alternativa D

42. O gráfico representa a força que age sobre uma partícula na direção de seu deslocamento, em função da posição da partícula em relação à origem. Entre as posições S1 = 1 m e S2 = 3 m, a energia cinética da partícula:
F (N) 2 1 0 1 3 S (m)

Resolução

Alternativa C

a) b) c) d) e)

aumentou de 2 joules diminuiu de 3 joules aumentou de 3 joules aumentou de 1 joule variou de uma quantidade que somente pode ser determinada conhecendo-se a massa da partícula
Resolução

43. (Santa Casa) Numa ferrovia plana horizontal, uma composição, cuja massa é 1,0 x 103 toneladas, move-se com velocidade de 20 m/s. O valor absoluto da energia a ser dissipada para levar a composição ao repouso é, em joules, um valor mais próximo de: a) 2,0 x 109 d) 4,0 x 108 b) 1,0 x 109 e) 2,0 x 108 c) 5,0 x 108

alternativa E

FISCOL-MED3003-R

44. A energia potencial gravitacional depende de um referencial, em relação ao qual mede-se uma altura. A energia cinética também depende de um referencial? Justifique.

Resolução Sim, pois depende da velocidade e a velocidade depende do referencial.

45. Um corpo de massa 4 kg é abandonado de uma altura de 3 m. Desprezando-se a resistência do ar e considerando g = 10 m/s2, pede-se os gráficos: a) da energia potencial gravitacional e cinética em função do tempo. b) da energia potencial gravitacional e cinética em função da altura.

Resolução a) Ep decresce linearmente com a altura e esta decresce com o quadrado do tempo = m . g . h = 4 . 10 . 3 = 120 J Ep
máxima

tq =

2h = g
E (J)

2.3 = 0,8 s 10

120 Ep

Ec 0 E (J) 0,8

t (s)

b) 120
Ep

Ec h (m) 0 1,5 3

46. Um corpo é arrastado sobre uma superfície horizontal por uma força constante F, de módulo 10 N, que faz com a horizontal um ângulo de 60º. Durante a ação da força, o corpo se deslocou 4 m e sua energia cinética variou em 12 J. Qual é o módulo da força média de atrito que a superfície exerceu sobre o corpo ?

Resolução τF = ∆EC + τF
at at

τF =F . d. cos 60º – ∆EC =10 . 4 . 1/2 – 12 = 8 J Fat . d = 8 ⇒ Fat . 4 = 8 ⇒ Fat = 2 N

47. (UC-MG) O pêndulo de massa m = 0,50 kg e comprimento 5,0 m é abandonado no ponto A, sem velocidade inicial, e passa pelo ponto B, com velocidade igual a 8,0 m/s. Calcule o trabalho realizado pelos atritos entre os pontos A e B. OA = horizontal OB = vertical
O A m

Resolução E p = E c – τA τF = Ep – Ec = mgh –
at

mV 2 0,5 . 82 =9J = 0,5 . 10 . 5 – 2 2

∴ τF = – 9 J at

B

FISCOL-MED3003-R

12
48. (FAAP) O gráfico apresenta a variação das forças F1 e Fat (força de atrito) que agem num corpo que se desloca sobre o eixo Ox. Calcule:
F (N) 80 60 40 20 0 –10 –20 5 10 15 Fat F1

Resolução a) τF = área =
N

b20 + 60g . 10 = 400 J
2

b) τF = área = – at

N

LM 5 . 20 + b10 − 5g . 10 OP 2 N 2 Q = –75J

x (m)

c) τR = área =

N

b20 + 80g . 15 − LM 5 . 20 + b15 − 5g . 20 OP = 600 J 2 2 N 2 Q

a) o trabalho da força F1 para arrastar o corpo nos primeiros 10m. b) o trabalho da força de atrito enquanto o corpo é arrastado nos primeiros 10 m. c) o trabalho da força resultante para arrastar o corpo nos primeiros 15 m.

49. (UF-GO) Uma mola de constante elástica 1600 N/m acha-se comprimida em 0,2 m contra um anteparo fixo. Ela tem à sua frente um carrinho de 2 kg, de dimensões desprezíveis em repouso. Soltando-se a mola, esta empurra o carrinho sobre uma superfície lisa até o ponto A, onde ele escapa da mola por não estar ligado a ela. O carrinho prossegue deslizando, sem resistência, sobre o trilho ABCD, sendo que BCD é de forma circular, com raio r = 0,4 m. Considerando g = 10 m/s2, calcule a velocidade do carrinho ao passar pelo ponto C.
C

Resolução EM
antes

= EM

depois

kx 2 mV 2 = mg . 2r + 2 2

1600 . 0,22 – 4 . 2 . 10 . 0,4 = 2V2

V = 4 m/s

D 1600 N/m 2 Kg A B

r = 0,4 m

50. (UCS-RS) Uma massa m = 2 kg é impulsionada sobre um trilho horizontal que termina com uma curva vertical de raio r = 1,25 m. A massa atinge o ponto B e volta. Considerando g = 10 m/s2 e desprezando os atritos, pode-se dizer que a massa em A estava animada por uma velocidade igual a: a) b) c) d) e) 12,5 m/s 2,0 m/s 10 m/s 2,5 m/s 5,0 m/s

Resolução EM
antes

= EM

depois

mV 2 = mg . r 2

V=

2 gr = 2 . 10 . 1,25 = 25 = 5 m/s

r B r A

FISCOL-MED3003-R

51. (MED ABC) É dado o gráfico da força resultante F aplicada num corpo em função do deslocamento d. A massa do corpo é 2 kg e a sua velocidade é 5 m/s no instante t = 0. Quando d = 4 m, a energia cinética do corpo, em J, é:
F (N) 20

Resolução:

a) b) c) d) e)

95 70 75 55 85

10

Alternativa A
0 2 4 d (m)

52. (FUVEST) Um bloco de 1 kg de massa é posto a deslizar sobre uma mesa horizontal com uma energia cinética inicial de 2 J. Devido ao atrito entre o bloco e a mesa, ele pára após percorrer a distância de 1 m. Sabendo-se que no local g | → | = 10 m/s2 , pergunta-se: a) qual o coeficiente de atrito, suposto constante, entre a mesa e o bloco ? b) qual o trabalho efetuado pela força de atrito ? 53. (ITA) Uma partícula é deslocada de um ponto A até outro ponto B sob a ação de várias forças. O trabalho realizado → pela força resultante F , nesse deslocamento é igual à variação de energia cinética da partícula: a) somente se F for constante. b) somente se F for conservativa. c) seja F conservativa ou não. d) somente se a trajetória for retilínea. e) em nenhum caso. 54. (UEL) A velocidade escalar de um corpo de 4 kg de massa varia de acordo com o gráfico. Entre os instantes t1 = 2 s e t2 = 5 s, sua energia cinética sofre uma variação, em J, de:
V (m/s) 19,0

Resolução: a) – = 0,2 b) =–2J

Resolução: Pela teoria → Alternativa C

Resolução:
mV 2 mV0 2 4 . 192 4 . 102 − = − = 522 J 2 2 2 2

∆Ec =

a) b) c) d) e)

9 162 324 522 722

Alternativa D

10,0 4,0 2,0 5,0 t (s)

FISCOL-MED3003-R

14
55. (FCC) Um homem ergue um corpo do solo até uma altura de 2 m. O corpo chegou com velocidade nula. A força exercida sobre o corpo realiza um trabalho de 12 J. Qual é o peso do corpo, em N ? a) b) c) d) e) 0,6 2,0 6,0 12,0 24,0
Resolução:

Alternativa C

56. (FUVEST) Um homem executa exercícios com um aparelho constituído essencialmente por uma mola fixa, numa de suas extremidades, a um suporte rígido, como mostra a figura abaixo. O ponto O indica a posição da argola quan-do a mola está com distensão nula (x = 0). O homem exerce sobre a mola uma força F, variável com a distensão x, de acordo com a função representada no gráfico. Ele puxa a argola, cuja massa é de 0,5 kg, até o ponto B, distante 0,4 m de O, e larga-a em seguida. Para efeito de cálculos, despreze a massa da mola e a ação de outras forças.
F (N)

1 000 500 x (m) 0,4

O

B

0

0,2

a) determine a constante elástica da mola. b) calcule a velocidade da argola ao passar pelo ponto O, depois de largada em B.
Resolução:
N a) tg α = k

k=

1000 = 2500 N/m 0, 4

b)

mV 2 kx 2 = ⇒ 2 2

V = x k m = 0, 4

2500 = 28,2 m/s 0,5

FISCOL-MED3003-R

57. (FATEC) Sobre uma partícula atuam somente duas forças → → constantes, F1 e F2, fazendo com que ela se desloque em linha reta de A até B. É correto afirmar que: a) o trabalho da força F1 é igual à variação da energia cinética da partícula ao longo da distância AB. → → b) o trabalho de F1 mais F2 é igual à soma da energia cinética em A com a energia cinética em B. → c) o trabalho F2 é igual à variação da energia cinética ao longo de AB. → → d) o trabalho de F1 mais F2 é igual à variação da energia cinética ao longo de AB. e) o trabalho da força resultante é igual à energia cinética no ponto B.
Resolução: Pela teoria → Alternativa D

59. A figura abaixo mostra uma vista de lado de um trecho de uma montanha-russa. Um vagão é colocado em Q e solto para deslocar-se para a direita. Desprezam-se as forças de atrito. Podemos afirmar que sua:
Q S

R

a) b) c) d) e)

energia potencial em Q é maior que a cinética em R. energia cinética em R é menor do que em S. energia total ao longo da trajetória QRS é zero. energia total ao longo da trajetória QRS é constante. n.d.a.

Resolução: Pela teoria → Alternativa D

58. (Santa Casa) Três móveis, em movimento retilíneo e sob a ação de forças resultantes constantes, fazem um mesmo percurso. A tabela abaixo relaciona as forças resultantes e as energias cinéticas iniciais e finais no percurso. Os módulos das três forças satisfazem à relação:
Módulo das Forças (N) Energia Cinética inicial (J) 10 50 80 Energia Cinética final (J) 35 80 110

60. (UNISA) Um corpo de 2 kg é empurrado contra uma mola cuja constante de força é 500 N/m, comprimindo-a 20 cm. Ele é libertado e a mola o projeta ao longo de uma superfície lisa e horizontal, que termina numa rampa inclinada a 45°, conforme mostra a figura. (g = 10 m/s2)

F1 F2 F3 a) F1 > F2 = F3 b) F1 < F2 = F3 c) F1 > F2 > F3 d) F1 < F2 < F3 e) F1 = F2 = F3
Resolução:

45º

h=?

A altura atingida pelo corpo na rampa é de: a) b) c) d) e) 10 cm 20 cm 30 cm 40 cm 50 cm

Resolução:

Alternativa B

Alternativa E

FISCOL-MED3003-R

16
61. (FUVEST) Uma esfera de 1 kg é solta de uma altura de 0,5 m. Ao chocar-se com o solo, ela perde 60% da energia. Pedese: g = 10 m/s2 a) a energia cinética da esfera imediatamente após o 1o choque. b) a velocidade da esfera ao atingir o solo pela 2a vez.
Resolução: a) E = 0,4 . mgh = 0,4 . 1 . 10 . 0,5 = 2 J

63. (UNICAMP) Uma pequena esfera, partindo do repouso (V0 = 0) do ponto P, desliza sem atrito sobre uma canaleta semicircular, contida em um plano vertical.

•P

a) calcule a aceleração da esfera no ponto onde a energia cinética é máxima. b) determine a resultante das forças que agem sobre a esfera no ponto onde a energia potencial é máxima.
Resolução: a) mgR =
mV 2 ⇒ V = 2gR 2

b)

2 m/s

62. (FUVEST) Um projétil de massa m é lançado com velocidade V0 e descreve a trajetória indicada.

ac =

V 2 2gR = = 2g R R

V0

1 h 2 1 h 2

g

P

h

b) Só age o peso FR = m . g

A

Desprezando-se a resistência do ar, a energia cinética do projétil, no ponto P, será:
1 2 1 b) 2 1 c) 2 1 d) 2

64. (FUVEST) Numa montanha-russa, um carrinho com 300 kg de massa é abandonado do repouso de um ponto A, que está a 5 m de altura. Supondo que o atrito seja desprezível e que g = 10 m/s2, calcule:

a)

mgh
2 m V0

A C 5,0 m B 4,0 m

1 mgh 2 1 2 m V0 + m g h 2
2 m V0 –

a) o valor da velocidade do carrinho no ponto B. b) a energia cinética do carrinho no ponto C, que está a 4 m de altura.
Resolução:

Resolução:
mV0 2 2

Etotal =

= 10 m/s

EP =

mV0 2 mgh − 2 2

3000 J Alternativa C

FISCOL-MED3003-R

65. O Princípio de Conservação de Energia afirma que “A energia pode ser ......, mas não pode ser ...... nem ......” . Você preencheria os claros com: a) transformada − criada − armazenada b) transformada − criada − destruída c) criada − transformada − destruída d) destruída − criada − armazenada e) armazenada − criada − transformada
Resolução: Pela teoria → Alternativa B

68. (FGV) Uma pedra de 2 kg é lançada do solo, verticalmente para cima, com uma energia cinética de 500 J. Se num determinado instante a sua velocidade for de 10 m/s, ela estará a uma altura do solo, em metros, de: a) b) c) d) e) 50 40 30 20 10

66. (PUCC) Mediante um fio inextensível, suspende-se um peso de 5 kgf a um gancho no teto de uma sala. Em uma mesa, apóia-se de pé um lápis. O peso suspenso é mantido em repouso junto ao lápis; abandonado, ele oscila, e ao retornar não derruba o lápis, embora chegue junto a ele. Essa experiência revela diretamente:

Resolução:

⇒ h = 20 m

Alternativa D

a) b) c) d) e)

conservação da quantidade do movimento. conservação da energia. lei de isocronismo. conservação do movimento angular. n.d.a.

69. (FUVEST) Uma pedra de 0,20 kg é abandonada de uma altura de 3,2 m, em relação ao solo, num local em que g = 10 m/s2. a) qual é a velocidade da pedra ao atingir o solo ? b) qual a energia potencial quando a pedra está na altura em que foi abandonada ? c) qual a energia cinética da pedra ao atingir o solo ?
Resolução:

Resolução: Pela teoria → Alternativa B

67. (MACK) A energia cinética (Ec) de uma partícula, num campo de forças conservativo, varia em função da abscissa (x), num certo referencial, segundo o diagrama:
Ec

a) b) E 6,4 J

V = 8 m/s

c) E
x 0 3 7 11

6,4 J

Nessas condições, podemos afirmar que: a) para x = 0, a Ec do sistema “é máxima”. b) para x = 3, a energia potencial do sistema “é máxima”. c) para x = 7, a Ec do sistema é nula. d) para x = 11, a energia mecânica do sistema é nula. e) n.d.a.
Resolução: Se Ec = 0 ⇒ EP é máxima ∴ Alternativa B

FISCOL-MED3003-R

18
70. (FCC) No arranjo representado no esquema abaixo, o corpo X percorre a distância PQ em movimento uniforme, num intervalo de tempo ∆t. A massa do corpo Y é maior que a massa do corpo X. Considere as afirmações I, II e III referentes ao intervalo de tempo ∆t.
Q

72. (FUVEST) O gráfico representa a velocidade escalar, em função do tempo, de um carrinho de montanha russa de 200 kg. No instante t = 15 s, o carrinho chega ao nível do solo. Despreze o atrito. Calcule:
V (m/s) 15 10

P x

y

5 0 5 10 15 t (s)

I. A soma das energias potenciais gravitacionais dos corpos X e Y permanece constante. II. As energias cinéticas dos corpos X e Y permanecem constantes. III. O trabalho da resultante das forças que agem sobre o corpo X é nulo. Dentre as afirmações I, II e III:

a) o trabalho realizado pela força da gravidade entre os instantes t = 5 s e t = 15 s. b) a altura de que partiu o carrinho.
Resolução:

a)

a) b) c) d) e)

é correta I, somente. é correta II, somente. é correta III, somente. são corretas I e II. são corretas II e III.

= 1,25 x 104J h = 11,25 m

Resolução: Pela teoria → Alternativa E

73. (ITA) A figura ilustra um carrinho de massa m percorrendo um trecho de montanha russa. Desprezando-se todos os atritos que agem sobre ele e supondo que o carrinho seja abandonado em A, o menor valor de h para que o carrinho efetue a trajetória completa é: a) b) c) d) e) 3 R/2 5 R/2 2 R 3R 5 R/3
m h R

71. (UnB) Dadas as plataformas sem atrito, O, P e Q, se soltarmos um corpo no ponto (1), podemos dizer que sua velocidade, ao atingir o ponto (2), será:
1 1 1

O 2

P 2

Q 2

Resolução: No ponto mais alto:

a) b) c) d) e)

maior na plataforma O do que nas plataformas P e Q. maior na plataforma Q do que nas plataformas O e P. maior nas plataformas curvas do que na plataforma reta. igual, em módulo, em todas as plataformas. n.d.a.

P = Fc ⇒ mg =

mV 2 ⇒ V = gR R
m

Etotal = mg . 2R +

(

gR 2

)

2

= 2mgR +

mgR 5mgR = 2 2

Resolução: Pela teoria → Alternativa D mgh =

5mgR 5R ⇒h= 2 2

Alternativa B

FISCOL-MED3003-R

74. (PUC) Um corpo de massa m = 20 g está sobre uma mola comprimida de 40 cm. Solta-se a mola e deseja-se que o corpo atinja a altura h = 10 m. A constante elástica K da mola deve valer, em N/m: (g = 10 m/s2) a) b) c) d) e) 50 25 60 100 150

h = 10 m

76. (UnB) Com relação às forças conservativas, é certo que: a) quando atuam numa partícula, não há modificação da energia mecânica total da partícula. b) quando atuam sobre uma partícula, não há modificação da energia cinética da partícula. c) quando atuam sobre uma partícula, não há modificação da energia potencial interna da partícula. d) n.d.a
Resolução:

mola comprimida

Pela teoria → Alternativa A

Resolução:

77. Um móvel é abandonado de um local situado a 40 m do solo. Sabendo que seu peso vale 30 N, desprezando a resistência do ar, a sua energia cinética, quando ele chega ao solo, é de: a) 300 J d) 2 400 J b) 400 J e) 3 000 J c) 1 200 J

Alternativa B

Resolução: 1200 J Alternartiva C

75. (FUVEST) Uma bola de 0,05 kg é solta de uma altura de 2 m. A figura ilustra as alturas atingidas pela bola após sucessivas batidas no solo.
2,0 1,6 1,3 1,0 0,8 h (m)

78. (FCC) Partindo do repouso, uma pedra começa a cair, em queda livre, de uma altura h. Dentre os gráficos seguintes, o que melhor representa a energia cinética E da pedra, em função de sua altura em relação ao solo, é: a)
Ec

b)

Ec

0

h altura Ec

0

h altura Ec

c)
0 1a 2a 3a 4a batida

d)

a) com que energia cinética a bola atinge o solo pela quarta vez ? b) qual a perda total de energia mecânica após quatro choques ?
Resolução:

0

h Ec

altura

0

h

altura

e)

Resolução: Quando H = 0 ⇒ Ec é máxima Quando H = h ⇒ Ec é nula

0

h

altura

Alternativa A

FISCOL-MED3003-R

20
79. (UF-BA) A figura representa as variações das energias cinética (Ec) e potencial (EP) de um objeto de 1 kg, quando cai livremente de uma altura de 100 m.
g = 10 m/s2
E (J) 1 000 900 800 700 600 500 400 300 200 100 0 h (m) 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 EC V0 = 3,0 m/s h EP

80. (Santa Casa) Um corpo desloca-se sobre um plano horizontal sem atrito com velocidade de módulo 3 m/s e em seguida sobe uma rampa, também sem atrito, atingindo uma altura máxima h. Sabendo-se que a massa do corpo é de 1 kg, a energia potencial do corpo quando atinge o ponto A:
A

θ

a) b) c) d)

depende do ângulo θ. é igual a 4,5 J. somente pode ser determinada se forem dados h e θ. somente pode ser determinada se for dado o valor de h. e) dependerá do valor da aceleração da gravidade.

Resolução:

Determine as afirmações corretas. I. No ponto médio do percurso, o objeto tem 1 000 J de energia mecânica total. II. Na metade do percurso, a velocidade do objeto é de 10 20 m/s. III. Pela disposição dos gráficos, o zero da escala associada ao referencial usado na distribuição das variações da energia está afixado no solo. IV. Quando o objeto já realizou 1/5 do seu percurso, suas energias cinética e potencial valem 200 J e 800 J, respectivamente. V. Pela disposição dos gráficos, depreende-se que existem forças dissipativas na interação.
Resolução: I → correta
mV 2 1000 = 500 ⇒ V = = 10 10 m/s (errada) 2 1

Alternativa B

81. (MACK) Uma bola de 1 kg de massa é lançada horizontalmente do alto de uma colina de 120 m de altura com velocidade de 10 m/s. Podemos afirmar, a partir de considerações energéticas, que sua velocidade, ao atingir o solo é:
g = 10 m/s2

a) b) c) d) e)

50 m/s 200 m/s 250 m/s 80 m/s n.d.a.

Resolução:

II →

III → correta IV → h = 80 m → EP = mgh = 1 . 10 . 80 = 800 J Ec = 1000 – 800 = 200 J (correta) V → errada, há conservação de energia = 50 m/s Alternativa A

FISCOL-MED3003-R

82. (PUC) Partindo do repouso em a, uma bola desce o plano inclinado, sem atrito. Ao passar por b, sua velocidade é, em m/s, de: a a) b) c) d) e) 2 4 6 8 10
g = 10 m/s2 2 m 0,2 m

Resolução: ∆Ec = τP

b

Alternativa C

83. (PUC) Um pêndulo simples, cuja massa pendular é uma pequena esfera de 2 kg, é abandonado do repouso na posição indicada na figura. No local, a aceleração da gravidade é g = 10 m/s2 e a resistência do ar é nula. No instante em que a esfera intercepta a vertical do lugar, sua energia cinética é: a) b) c) d) e) zero 2J 4 J 6J 8 J
10 cm

Este enunciado refere-se aos testes 85 e 86. (PUC) A mola representada no esquema tem massa desprezível e constante elástica k = 400 N/m e está comprimida de 0,08 m. O corpo nela encostado tem massa 1,0 kg.

g

8 cm

Resolução:

Num dado instante, solta-se o sistema.
Alternativa B

84. (UNISA) Uma esfera de massa 0,2 kg, presa a um fio de comprimento 0,4 m, descreve uma circunferência vertical. No ponto mais baixo, a velocidade da esfera é 6 m/s. A tração no fio no ponto mais alto, em N, é: a) b) c) d) e) zero 8 10 16 2

85. Supondo que não haja atrito, podemos afirmar que há contato entre o corpo e a mola, enquanto o corpo percorre: a) b) c) d) e) zero 0,04 m 0,08 m 0,16 m 0,4 m
Resolução: Haverá contato até a mola atingir o ponto de equilíbrio. Alternativa C

86. A velocidade do corpo quando cessa o contato entre a mola e o corpo tem módulo igual a: a) b) c) d) e) zero 0,4 m/s 0,8 m/s 1,6 m/s 2,56 m/s
Resolução:

Resolução:
mV0 2 mV 2 62 V2 = mg2R + ⇒ = 10 . 2 . 0,4 + ⇒ V2 = 20 2 2 2 2

T+P=

mV 2 0, 2 . 20 ⇒T= – 0,2 . 10 = 8 N R 0, 4

Alternativa B

Alternativa D

FISCOL-MED3003-R

22
87. (MACK) Na figura, AB é um plano inclinado liso e BC é um plano rugoso de coeficiente de atrito cinético 0,4. Um corpo é abandonado do ponto A e pára no plano BC após percorrer, nesse plano:
A

Resolução: mghA = mVB2 ⇒ VB = 2gh A = 2 . 10 . 2 = 40 m/s 2

τFat = ∆Ec
– µ . mg . ∆S = 40 mV 2 mV0 2 − ⇒ 0,4 . 10 . ∆S = ⇒ ∆S = 5 m 2 2 2

a) b) c) d) e)

1m 2m 3m 4m 5m

2 m

Alternativa E
B C

88. (ITA) Um bloco de massa 5 kg é puxado para cima por uma força F = 50 N sobre o plano inclinado da figura, partindo do repouso. Use g = 10 m/s2. O coeficiente de atrito cinético plano-bloco é µ = 0,25. A energia cinética com que o bloco chega ao topo do plano, em J, vale:

Resolução: Ec = τF – τFat – τP = F . h 2 – µ . P . cos 45º . h 2 – P . h Ec = 50 . 3 2 – 0,25 . 50 . Alternativa D 2 . 3 2 – 50 . 3 = 24,63 J 2

F

a) b) c) d) e)

10 15 20 25 30

h=3m 45º

89. (MAUÁ) Um bloco de massa 4,5 kg é abandonado em repouso num plano inclinado. O coeficiente de atrito entre o bloco e o plano é 0,50. (g = 10 m/s2)
A

Resolução: a) F

AC = 3,0 m BC = 4,0 m
b)
C B

= 2 m/s2

a) calcule a aceleração com que o bloco desce o plano. b) calcule os trabalhos da força peso e da força de atrito no percurso do bloco, de A até B.

– 90 J

90. Em 1751, um meteorito de massa 40 kg caiu sobre a Terra, penetrando a uma profundidade de 1,8 m. Investigações sobre a força resistiva do solo nas vizinhanças da colisão mostraram que o valor desta foi 5,0 x 105 N. Calcule o módulo da velocidade aproximada com que o meteorito chegou à superfície da Terra.

Resolução

V = 212 m/s

FISCOL-MED3003-R

91. Um bloco de massa m = 2,0 kg desliza sobre uma superfície horizontal sem atrito, com velocidade V0 = 10 m/s, penetrando assim numa região onde existe atrito de coeficiente µ = 0,50. Pergunta-se: g = 10 m/s2 a) Qual é o trabalho realizado pela força de atrito após ter o bloco percorrido 5,0m com atrito ? b) Qual é a velocidade do bloco ao final desses 5,0 m ?

Resolução a) b) τF = ∆EC
at

. m . g . d = –0,5 . 2 . 10 . 5 = –50 J

⇒ V = 7,1 m/s

92. (PUC-RS) Um pequeno corpo de massa m, em repouso no ponto A, desliza sem atrito sobre um trilho com uma curvatura circular de raio r numa das extremidades. Ao atingir o ponto B, na extremidade do diâmetro vertical, a velocidade do corpo é igual a: a) b) c) d) e) 2r 2gr 2r2 (2gr)1/2 (gr)1/2
A B

Resolução EM
antes

= EM

depois

mg . 3r = mg . 2r +

mV2 2

V2 = gr 2

⇒V=

2gr

3r r

Alternativa D

93. (ITA) Uma haste rígida, de comprimento L e massa desprezível, é suspensa numa das extremidades de tal maneira que oscila sem atrito. Na outra extremidade da haste está fixado um bloco de massa m ≈ 4,0 kg. A haste é abandonada do repouso, fazendo um ângulo θ = 60º com a vertical. Nessas condições, e adotando g ≈ 10,0 m/s2, a tensão | T | sobre a haste, quando o bloco passa pela posição mais baixa, vale: a) b) c) d) e) 40 N 80 N 160 N 190 N 210 N
L

Resolução EM
antes

= EM

depois

mg . (L + L cos 60º) =

mV 2 2

V=

2 g L + L 2 = 30 L

e

i

Fcp = T – P =
θ = 60º L

mV 2 L

T=P+

m . 30 L = mg + m . 30 L

m = 4,0 kg

∴ T = 4 . 10 + 4 . 30 = 160 N

T

Alternativa C

FISCOL-MED3003-R

24
94. (UNICAMP) O Dr. Vest B. Lando dirige seu automóvel de massa m = 1.000 kg pela estrada cujo perfil está abaixo. Na posição x = 20 m, quando sua velocidade é V = 72 km/h (20 m/s), ele percebe uma pedra ocupando toda a estrada na posicão x = 120 m. Se Dr. Lando não acelerar ou acionar os freios, o automóvel (devido a atritos internos e externos) chega na posição da pedra com metade da energia cinética que teria caso não houvesse qualquer dissipação de energia. a) Com que velocidade o automóvel se chocará com a pedra se o Dr. Lando não acelerar ou acionar os freios? b) Que energia tem que ser dissipada com os freios acionados para que o automóvel pare rente à pedra?
40 35 30 Altura y (m) 25 20 15 10 5 0 0 20 40 60 80 100 120 140 160

95. (UnB) O gráfico abaixo representa a variação da velocidade escalar causada em um corpo de massa 2 kg, por uma força “F”, em função do tempo. O valor do trabalho realizado pela força F sobre o corpo entre os instantes 0 a 12 segundos foi de:
V (m/s) 40 30 20 10 t (s) 0 2 4 6 8 10 12

a) b) c) d) e)

1600 J − 3000 J − 1500 J 2000 J n.d.a.

Resolução:

Alternativa C

Posição x (m)

Resolução

a) E

∴ Vf = 20 m/s pois EC = EC f 0 b) ∆E = 200000 J (para que não haja EC )
f

FISCOL-MED3003-R

96. (UnB) Uma força atua sobre um corpo de massa M, conforme o gráfico abaixo. Qual a variação da energia cinética entre as posições d = 0 e d = 9 m ?
F (N) 8 6 4 2 0 –2 –4 –6 d (m) 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

98. (MACK) O bloco de peso 10 N parte do repouso e sobe a rampa indicada na figura 1 mediante a aplicação da força F de direção constante e cuja intensidade varia com a abscissa x, de acordo com o gráfico da figura 2. O trabalho de O até A, realizado pelo atrito existente entre o bloco e a rampa, é igual a 10 J, em valor absoluto. Nessas condições, a velocidade do bloco, ao atingir o ponto culminante A, é igual (g = 10 m . s−2) a:
A F (N)

25 4 m

x

F

O

3 m Figura 1

0

1

2

3

4

5

x (m)

Figura 2

Resolução:

30 J

a) b) c) d) e)

2 m . s−1 5 m . s−1 6 m . s−1 10 m . s−1 15 m . s−1

Resolução:

τF – τP – τFat =
2 ⇒ V = 10 m/s

mV 2 2 1 . V2 ⇒ 2

(5 + 3) . 25 – 10 . 4 – 10 =

97. (MAUÁ) Um bloco prismático de massa M = 7,5 kg é puxado ao longo de uma distância L = 3 m, sobre um plano horizontal rugoso, por uma força também horizontal F = 37,50 N. O coeficiente de atrito entre o plano e o bloco é µ = 0,35.
(g = 10 m/s2)

Alternativa D

Calcule: a) a aceleração do bloco. b) os trabalhos realizados pela força F, pela força peso, pela reação normal do plano e pela força de atrito.

99. (ITA) Uma partícula P move-se em linha reta em torno do ponto x0. A figura ilustra a energia potencial da partícula em função da coordenada x do ponto. Supondo que a energia total da partícula seja constante e igual a E, podemos afirmar que:
Energia E Ep

Resolução:

a) a =

F − Fat 37,5 − 0,35 . 75 = = 1,5 m/s2 m 7,5

0

x1

x0

x2

x

b)

τF = 37,5 . 3 = 112,5 J τP = τN = 0 τFat = – 0,35 . 75 . 3 = – 78,75 J

a) nos pontos x1 e x2, a energia cinética da partícula é máxima. b) a energia cinética da partícula entre x1 e x2 é constante. c) no ponto x0 a energia cinética da partícula é nula. d) nos pontos x1 e x2, a energia cinética da partícula é nula. e) n.d.a.
Resolução: Pela teoria → Alternativa D

FISCOL-MED3003-R

26
100. (ITA) O módulo V1 da velocidade de um projétil no seu ponto de altura máxima é

6 do valor da velocidade V2 7 no ponto onde a altura é metade da altura máxima. Obtenha o cosseno do ângulo de lançamento em relação à horizontal.
a) b) c) d) e) os dados são insuficientes

102. A propaganda de um automóvel apregoa que ele consegue atingir a velocidade de 108 km/h em um percurso de apenas 150 m, partindo do repouso. a) b) Supondo o movimento uniformemente acelerado, calcule a aceleração do carro. Sendo 1200 kg a massa do carro, determine a potência média que ele desenvolve.

3 /2 1/2 2 /2
3 /3

Resolução a) V2 = V02 + 2 . a . ∆S

Resolução:
mV12 mgH mV2 2 = + mgH + 2 2 2

b) Pot = F . Vm = m . a . gH = V22 – V12

bV + V g = 1200 . 3 . 30 = 54 000 J
0

2

2

V1 =
2

6/ 7 V2 ⇒ V12 . 7/6 – V12 = gH ⇒ V12 (7/6 – 1) = gH
6gH (eixo x)

V1 = 6gH ⇒ V1 = ∴ V2 =

7gH (a meia altura)

mV0 2 mV2 2 mgH = + ⇒ V0 = 7gH + gH = 8gH 2 2 2

103. Um pequeno veículo de massa 100 kg parte do repouso numa superfície horizontal e polida. Despreze qualquer resistência ao movimento e admita que o motor exerça uma força constante e paralela à direção da velocidade. Após 20 segundos, a velocidade atingida pelo veículo é de 72 km/h. Calcule: a) b) c) a aceleração escalar média do veículo. o deslocamento do veículo nos 20 segundos. a força motora média no referido deslocamento, em módulo. o trabalho realizado pela força motora nesse deslocamento. a potência média da força motora nesse deslocamento a potência instantânea quando se atinge a velocidade de 72 km/h.

Vy = cos θ =

V02 − V12 = 8gH − 6gH = 2gH 3 V1 6 = = 2 V0 8
Alternativa B

d) e) f)

101. Qual a potência desenvolvida pelo motor de um carro de peso P = 12 x 103 N, ao subir uma rampa inclinada de 30º em relação à horizontal, com velocidade constante de 72 km/h ?
Fm

Resolução Fm Força Motora Força Tangencial Força-Peso b) V2 = V02 + 2 . a . ∆S ⇒ 202 = 2 . 1 . ∆S ⇒ ∆S = 200 m c) F = m . a = 100 . 1 = 100 N a) a = ∆V 20 = = 1 m/s2 ∆t 20

Ft P 30º

Ft P

Resolução Como V = constante, Fm = Ft mas, d) τF = F . d = 100 . 200 = 20 000 J τF 20000 = e) Potm = = 1000 W ∆t 20 f) Pot = F . V = 100 . 20 = 2000 W

Ft = P . sen 30º → Ft = 12 x 103 . sen 30º = 6 x 103 N Assim, Fm = 6 x 103 N e Pot = Fm . V = 6 x 103 . 20 → Pot = 120 kW

FISCOL-MED3003-R

104. (FCC) Um motor de potência 50 kW aciona um veículo durante 2 horas. Determine o trabalho desenvolvido pelo motor em kWh.
Resolução:

108. A potência média mínima necessária para se bombear 1 000 litros de água a uma altura de 5,0 m em 1/2 hora é, em watts, igual a: a) b) c) d) e) 28 42 64 80 96

105. Uma pessoa de massa 80 kg sobe uma escada de 20 degraus, cada um com 20 cm de altura. a) b) calcule o trabalho que a pessoa realiza contra a gravidade. se a pessoa subir a escada em 20 segundos, ela se cansará mais do que se subir em 40 segundos. Como se explica isso, já que o trabalho realizado é o mesmo nos dois casos ?

Resolução:

Resolução: a) b) em 20 s ela desenvolve maior potência, cansando-se mais.

109. (FATEC) Uma máquina tem potência útil igual a 2,5 kW. Com esta máquina, pode-se erguer um corpo de massa m com velocidade 5 m/s. O valor de m, é, em kg:
g = 10 m/s2

106. (FUVEST) Um elevador de 1000 kg sobe uma altura de 60 m em meio minuto. a) b) qual a velocidade do elevador ? qual a potência média desenvolvida pelo elevador ?

a) b) c) d) e)

25 50 250 12 500 n.d.a.

Resolução:

Resolução: a) V = = 2 m/s

Alternativa B

b) Pot = F . V = 10000 . 2 = 20000 W = 2 x 104W

107. Uma força de 10 N age sobre um corpo, fazendo com que ele realize um deslocamento de 5 m em 20 s. A potência desenvolvida, supondo que a força seja paralela ao deslocamento, é, em W: a) b) c) d) e) 2,5 5 20 50 10

110. (ITA) Um automóvel de massa m = 500 kg é acelerado uniformemente a partir do repouso até uma velocidade V = 40 m/s em ∆t = 10 segundos. A potência desenvolvida por esse automóvel ao completar esses 10 primeiros segundos será, em kW: a) b) c) d) e) 160 80 40 20 3

Resolução:

Resolução:

2,5 W

Alternativa A

Alternativa B

FISCOL-MED3003-R

28
111. (MACK) Se watt e joule não tivessem sido adotados como nomes das unidades do SI de potência e de trabalho, a unidade de potência poderia ser escrita do seguinte modo: a) b) c) d) e) kg . m . s−2 N . m . s−2 N . m . s−1 kg . m−1 N . m−2 . s−2 114. Um corpo de massa 2 kg desloca-se ao longo de uma trajetória retilínea. A velocidade varia, no decorrer do tempo, de acordo com o gráfico. A potência média desenvolvida entre 0 e 10 s e a potência instantânea para t = 10 s valem, respectivamente, em valor absoluto:
V (m/s) 100

50

Resolução: N . m/s Alternativa C
0 10 t (s)

112. (UnB) Um automóvel de massa m é acelerado uniformemente pelo seu motor. Sabe-se que ele parte do repouso e atinge a velocidade V0 em t0 segundos. Então, a potência que o motor desenvolve após transcorridos t segundos da partida é:
2 mV0

a) b) c) d) e)

750 W 500 W 750 W 100 W 50 W

; 750 W ; 750 W ; 500 W ; 50 W ; 100 W

a)

2 t3 0
2 mV0

t2

Resolução: a= V0 F mV0 = ⇒F= t0 m t0 V0 .t t0

Resolução:  

b)

t2 0
2 mV0

t

V=a.t=

c) d)

t n.d.a.

2

t0

Pot = F . V =

mV02 mV0 V0 .t . .t= t0 t0 t 02

Alternativa C

Alternativa B

113. Uma locomotiva, deslocando-se com velocidade constante de 15,2 m/s, exerce uma tração de 91 000 N no engate. Dado 1 CV = 735 watts, qual a potência em CV que desenvolve? a) b) c) d) e) 2,00 x 103 1,73 x 103 1,88 x 103 1,90 x 104 n.d.a

115. (CESGRANRIO) Uma caixa se move ao longo de um plano inclinado de 30º com a horizontal. A caixa tem massa igual a 1 kg e desliza para baixo com uma velocidade constante de 0,1 m/s. Nessa situação, a força de atrito que atua na caixa dissipa energia numa taxa de, aproximadamente: a) b) c) d) e) 0,1 0,2 0,3 0,4 0,5 W W W W W

v= 0,1

m/

s

30º

Resolução:

Resolução:

Alternativa C

Alternativa E

FISCOL-MED3003-R

116. (FEI) Um motor de potência 125 Wdeve erguer um peso de 10 N a uma altura de 10 m. Nessas condições, podemos afirmar que: a) b) c) em 0,10 s a operação estará completada. o tempo de operação será superior a 20 s. o tempo depende do rendimento da máquina empregada; se o rendimento for de 100%, o tempo será de 0,8 s. em nenhum caso o tempo de operação ultrapassará 1,0 s.

119. (UNISA) Um corpo de 3 kg é lançado verticalmente para baixo com a velocidade de 2 m/s da altura de 50 m. A energia cinética no ponto médio de sua trajetória é de:
g = 10 m/s2

a) d)

1506 J 750 J

b) e)

1500 J 400 J

c)

756 J

Resolução:

d)

Resolução:

756 J Alternativa C

Alternativa C

117. (Santa Casa) Uma mola de constante elástica 10 N/m está com seu comprimento natural. Para comprimi-la em 10 cm, o trabalho a ser realizado, em J, é de: a) b) c) d) e) 0,01 0,02 0,05 0,10 0,50

120. (FUVEST) Uma bola move-se livremente, com velocidade de módulo V, sobre uma mesa de altura h, e cai no solo. O módulo da velocidade quando ela atinge o solo é: a) b) c) d) e) V
V+ 2gh V + 2gh
2

2gh

Resolução: VR = 2 V 2 +

(

2gh

)

2

= 2 V 2 + 2gh

V2 + (2 g h)2

Alternativa D

Resolução:

Alternativa C

121. (Cesgranrio) Uma pequena esfera de massa m = 0,10 kg oscila num plano vertical presa a um fio inextensível de comprimento l = 2,0 m. Ao passar pelo ponto mais baixo de sua trajetória, sua velocidade tem módulo v = 4,0 m/s. Desprezando-se os atritos e considerando-se a aceleração da gravidade local g = 10 m/s2, determine: a) b) a intensidade da força de tração no fio quando a massa passa pelo ponto mais baixo de sua trajetória a máxima altura alcançada pela esfera em seu movimento, considerando nula a altura do ponto mais baixo da trajetória
mv 2

118. (FATEC) Um homem ergue um corpo de massa m = 20 kg (peso p = 200 N) até uma altura de 1 m acima do solo e segura-o nesta posição durante 50 s. Pode-se dizer que o trabalho realizado pelo homem é, em J, igual a: a) b) c) d) e) 20 1000 200 0,40 n.d.a

Resolução: a) T – P =

l
0,1 . 42 = 1 + 0,8 = 1,8 N 2

Resolução:

T = 0,1 . 10 + mV 2 2

Alternativa C

b) mgh =

⇒ h=

42 16 = = 0,8 m 2 . 10 20

FISCOL-MED3003-R

30
122. (UFViçosa-MG) Para levantar-se de uma cadeira, sem o auxílio das mãos ou de outra forma de apoio, as pessoas devem curvar-se para a frente. Este movimento tem a função essencial de: a) b) c) d) e) deslocar o centro de massa do corpo para a frente aumentar a força de atrito ao nível dos pés até vencer a força peso dar início ao movimento, pois o atrito estático é muito elevado reduzir o peso do corpo, diminuindo o contato dos pés com o solo reduzir o peso do corpo, aproximando a cabeça do centro da Terra 123. (UFViçosa-MG) A figura abaixo ilustra a concepção de um antigo carro a vapor.

Resolução: Pela teoria → Alternativa A

124. (UFRural-RJ) Uma bola de massa “m” é arremessada verticalmente de cima para baixo, com velocidade de 10 m/s. Após tocar no solo, a bola volta verticalmente, transformando toda energia mecânica em energia potencial gravitacional. Sabendo que a bola, ao ser arremessada, estava a 5 metros do solo e que o sistema é conservativo, qual foi, na volta da bola, a máxima altura atingida ?
Resolução:

A melhor explicação para o movimento do veículo é fundamentada na(o): a) Conservação do Momento Linear. b) Conservação da Energia Mecânica. c) Primeira Lei da Termodinâmica. d) Segunda Lei da Termodinâmica. e) Princípio Fundamental da Hidrostática.
Resolução: O vapor ganha movimento para trás e o carro para a frente. Alternativa A

126. (UFJuiz de Fora-MG) O gráfico abaixo representa aproximadamente a posição de um carro em função do tempo em um movimento unidimensional.
S (m)

100

125. (UFJuiz de Fora-MG) No movimento de queda livre de uma partícula próximo à superfície da Terra, desprezando--se a resistência do ar, podemos afirmar que: a) b) c) d) a energia cinética da partícula se conserva a energia potencial gravitacional da partícula se conserva a energia mecânica da partícula se conserva as energias cinética e potencial gravitacional da partícula se conservam independentemente, fazendo com que a energia mecânica dela se conserve

0 1 –50 2 3

4

5 6

t(s)

Resolução: Se não há resistência do ar, a energia se conserva. Alternativa C

Sobre este movimento podemos afirmar que: a) a velocidade do carro é nula entre os instantes t=1s e t=2s b) a velocidade do carro é nula entre os instantes t=3s e t=6s c) a velocidade do carro é nula entre os instantes t=4s e t=5s d) o carro está parado entre os instantes t = 4 s e t=5s
Resolução: O móvel não se desloca entre t = 1 s e t = 2 s, logo sua velocidade é nula. Alternativa A

FISCOL-MED3003-R

127. (UFJuiz de Fora-MG) Considere as seguintes afirmações: I. O trabalho realizado por uma força não conservativa representa uma transferência irreversível de energia. II. A soma das energias cinética e potencial num sistema físico pode ser chamada de energia mecânica apenas quando não há forças dissipativas atuando sobre o sistema. Quanto a essa sentenças, pode-se afirmar que: a) as duas estão corretas b) a primeira está incorreta e a segunda está correta c) a primeira está correta e a segunda está incorreta d) ambas estão incorretas
Resolução:

130. Um tróleibus trafega com velocidade escalar constante de 72 km/h num trecho retilíneo e horizontal de uma avenida. Sabendo-se que a potência elétrica que ele recebe da rede é 4 000 kW e que seu rendimento é de 80%, pedem-se: a) b) a potência dissipada pelos mecanismos do tróleibus. a intensidade da força resistente ao movimento do tróleibus.

Resolução: a) Pot = 20% do total b) P 20/100 . 4000 = 800 kW 160 kN

A número II está errada. Mesmo quando há forças dissipativas E m = E c + E p. Alternativa C

128. (Cesgranrio) A intensidade da força resultante que atua sobre um corpo de massa m = 2,0 kg varia com o tempo de acordo com o gráfico abaixo.
F (N) 10

131. (FUVEST) A figura representa esquematicamente um elevador E com massa de 800 kg e um contrapeso B, também de 800 kg, acionados por um motor M. A carga (g = 10 m/s2) interna do elevador é de 500 kg.
M

B 0 5,0 10,0 t (s) E

Considerando-se o corpo inicialmente em repouso, determine a sua energia cinética, em joules, no instante t = 5,0 s.
Resolução: a) = 25 J

a) b)

b) 17,32 kg m/s

qual a potência fornecida pelo motor com o elevador subindo com uma velocidade constante de 1 m/s ? qual a força aplicada pelo motor através do cabo para acelerar o elevador em ascensão à razão de 0,5 m/s2 ?

Resolução:

129. (PUC) Uma queda d’água de 1 m de altura possui uma vazão de 2 litros por segundo. Supondo a massa de 1 litro de água igual a 1 kg e a aceleração da gravidade g = 10 m/s2, a potência máxima que se pode obter, aproveitando essa queda d’água é de: a) b) c) d) e) 2,0 x 103 kW 2,0 x 102 kW 2,0 x 10−1 kW 2,0 x 10−2 kW 2,0 x 10−3 kW
s Pot = 2 x 10–2 kW
Alternativa D Resolução: 2 L/s → 2 kg/s

a) Pot = F . V = 5000 . 1 = 5 kW b) F T T

PB P

 P – T = 800 . 0,5 +  B  F + T – 13000 = 1300 . 0,5 F + 800 . 10 – 13000 = 2100 . 0,5
F = 6050 N = 6,05 kN

FISCOL-MED3003-R

32
132. (FEI) Um corpo de peso P = 20 N sobe um plano inclinado sem atrito, puxado por uma força F paralela a esse plano. O corpo parte do repouso e após dois segundos atinge uma altura de dois metros acima do ponto de partida. A potência desenvolvida pela força F é dada pelo gráfico. Determine o trabalho realizado pela força F nos dois primeiros segundos do movimento e a velocidade do (g = 10 m/s2) corpo no fim desse tempo.
Pot (W) 50

135. Um rapaz de 60 kg desce uma escada de 20 degraus. Cada degrau possui 20 cm de altura. Determine o trabalho da (g = 10 m/s2) força peso do rapaz.
Resolução

0

1

2

t (s)

136. (MAPOFEI) Uma locomotiva de 100 toneladas desce uma ladeira a 72 km/h. A inclinação da ladeira é de um ângulo cujo seno vale 0,01. O gerador da locomotiva pode transformar toda energia potencial em energia elétrica. Quantas lâmpadas de 100 W poderiam ser acesas durante a descida da locomotiva ?
Resolução

Resolução:

⇒ V = 5,9 m/s

133. (MACK) Um paraquedista desce com velocidade constante de 5,0 m/s. O conjunto pará-quedas e paraquedista pesa 100 kgf. A potência dissipada pela resistência do ar é: a) b) c) d) e) 0,02 kW 0,5 kW 4,9 kW 500 kW impossível de dizer, pois faltam dados.

Px

x = 2000 lâmpadas

θ

Resolução:

4,9 kW Alternativa C

137. (Santa Casa) Qual das seguintes inovações agravaria uma crise de suprimento de alimentos no mundo ? a) b) c) d) e) Métodos mais eficientes de agricultura. Distribuição mais eqüitativa de alimentos. Desenvolvimento de fontes de alimentos nos oceanos. Estudo do metabolismo do corpo para se conseguir maior rendimento do processo. Abaixamento da temperatura solar.

134. (FUVEST) Quando uma pessoa de 70 kg sobe 2 m numa escada, ela realiza um trabalho cuja ordem de grandeza é: a) d) 10 J 104 J b) e) 102 J 105 J c) 103 J

Resolução

Resolução Alternativa E, pois haveria redução de energia.

Alternativa C

FISCOL-MED3003-R

138. Um homem de peso P dá uma volta completa ao redor da Terra, estando sempre ao nível do mar. O trabalho realizado pela força peso do homem vale: a) b) c) d) e) Zero; P “vezes” o raio da Terra; P “vezes” o diâmetro da Terra; P “vezes” o perímetro da Terra; P “vezes” o comprimento da circunferência de raio igual ao raio da Terra.

Resolução Alternativa A, pois não há variação de altura.

139. Um corpo de massa m = 100 kg move-se sobre uma superfície horizontal de coeficiente de atrito µ = 0,2 sob a → ação de uma força F de intensidade 800 N que forma um ângulo θ com a horizontal. Determine, para um deslocamento de 20 metros, os trabalhos da força peso, da força de atrito e da força F. θ
g = 10 m/s2 sen θ = 0,6 cos θ = 0,8

Resolução

140. Está sendo realizado algum trabalho sobre um carro que se move com velocidade constante ao longo de uma estrada horizontal ?

Resolução Sim, para compensar o trabalho realizado pelas forças dissipativas, como o atrito.

141. (Santa Casa) Uma partícula de massa 100 g é deslocada entre os pontos S (situado na superfície da Terra) e T (situado no ar), através da trajetória indicada na figura, num local onde a aceleração da gravidade é 10 m/s2. O trabalho realizado pela força peso nesse deslocamento, em valor absoluto, é de:
T Ar Terra S 5 m 5 m

142. (Santa Casa) A potência de uma máquina em função do tempo e em watts variou da maneira indicada pelo gráfico. O trabalho realizado pela máquina, de zero a 150 segundos foi, em kJ, igual a:
P (W) 3 x 103 2 x 103

a) b) c) d) e)

7854 J 5000 J 7,9 J 5,0 J 1,0 J

a) b) c) d) e)

300 325 350 400 450

t (s) 0 100 150

Resolução

Resolução

Alternativa D

Alternativa D

FISCOL-MED3003-R

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->