P. 1
FICHA DE AULA - PROGRESSÃO ARITMÉTICA (P.A.)

FICHA DE AULA - PROGRESSÃO ARITMÉTICA (P.A.)

|Views: 5.453|Likes:
Publicado pormatematiconotadez

More info:

Categories:Types, School Work
Published by: matematiconotadez on May 25, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/18/2013

pdf

text

original

MATEMÁTICA – ÁLGEBRA

(3os anos) ASSUNTO: PROGRESSÃO ARITMÉTICA (P.A.) Prof. Edvaldo Benjamim PROGRESSÃO ARITMÉTICA (P.A.)

1. DEFINIÇÃO
É toda sequência de números na qual cada termo, a partir do 2o, é a soma do anterior com uma CONSTANTE. Exemplos: a) (4, 8, 12, 16, 20) → cada termo a partir do 2º é igual ao anterior mais 4. (8 = 4 + 4, 12 = 8 + 4, 16 = 12 + 4, 20 = 16 + 4). b) (4, 0, -4, -8, -12) → cada termo a partir do 2º é igual ao anterior mais -4. (0 = 4 – 4, -4 = 0 – 4, -8 = -4 – 4, -12 = -8 – 4). Essa constante é denominada RAZÃO

(r)

da progressão aritmética.

(a1, a2, a3, ..., an – 1, an, ...) é P.A. ↔ an = an – 1 + r, n ≥ 2. Nos exemplos: a) r = 4 e b) r = - 4. Nota-se que:

r = a2 – a1, r = a3 – a2, ..., r = an – an–1 , n ≥ 2
SINTETIZANDO: Fórmula de recorrência:

a1 = a an = an – 1 + r, ∀ n ∈ N, n ≥ 2, onde a e r são números reais
dados.

2. CLASSIFICAÇÃO
As progressões aritméticas podem ser classificadas em três categorias: a) P.A. Crescente → Quando a razão é positiva (r > 0) b) P.A. Decrescente → Quando a razão é negativa (r < 0)

Matemática – Prof. Edvaldo Benjamim

Página 1

c) P.A. Constante ou Estacionária → Quando a razão é nula (r = 0) Exemplos: a) (0, 3, 6, 9, ...) é uma P.A. onde r = 3. Logo, a P.A. é crescente. b) (8, 5, 2, -1, -4, ...) é uma P.A. onde r = -3. Logo, a P.A. é decrescente. c) (5, 5, 5, 5, ...) é uma P.A. onde r = 0. Logo, a P.A. é constante ou estacionária.

3. PROPRIEDADES
As progressões aritméticas obedecem às seguintes propriedades: 1ª) Em uma P.A. o termo médio é a média aritmética dos extremos. Exemplo: Na P.A. (3, 9, 15, 21, 27, 33), temos: ⇒ . ⇒

De modo geral, se a, b e c são termos consecutivos de uma P.A., então:

2ª) A soma de dois termos equidistantes dos extremos (segundo e penúltimo, terceiro e antepenúltimo, etc.) é igual à soma dos extremos. Exemplo: Seja a P.A. (10, 20, 30, 40, 50, 60, 70). Os termos a3 e a5 estão igualmente distantes dos extremos a1 e a7, respectivamente. Observe que: a3 + a5 = a1 + a7 = 80 Esquema: Soma 80 Soma 80

10,

20,

30,

40,

50, 60, 70

Soma 80

SINTETIZANDO:

Observação: Dois termos equidistantes dos extremos têm, sempre, a soma de seus índices igual a n + 1. Exemplo: (a1, a2, a3, a4, a5, a6, a7) p+q= Matemática – Prof. Edvaldo Benjamim Página 2 n+1

3+5=7+1 REFORÇANDO... Nota: Em toda P.A., cada termo a partir do segundo, é a média aritmética do anterior e do posterior. Exemplo: Na P.A. (2, 4, 6, 8, 10, 12, ...) → . → →

4. NOTAÇÕES ESPECIAIS (N.E.)
Para se obter uma P.A. com 3, 4 ou 5 termos, fazemos uso das chamadas Notações Especiais (N.E.). São elas: 1. (x – r, x, x + r) ou (x, x + r, x + 2r) → Para uma P.A. de três termos; 2. (x, x + r, x + 2r, x + 3r) ou (x – 3y, x – y, x + y, x + 3y), onde (r é a razão da P.A.) → Para uma P.A. de quatro termos. 3. (x, x + r, x + 2r, x + 3r, x + 4r) ou (x – 2r, x – r, x, x + r, x + 2r) → Para uma P.A. de cinco termos.

P1. Verifique quais das seguintes sequências são progressões aritméticas:
a) (3x, x, -x, -3x, ...) b) c) e) f) (1, 3, 6, 10, 15, …) d) (11, 7, 4, 0, -4, ...)

P2. Calcule a razão de cada P.A.:
a) b) (-2, 0, 2, 4, ...) c) d) e) (13, 7, 1, -5, ...) f) (-7, - 10, -13, -16, ...)

P3. Sendo x + 3, x + 5 e 4x – 2 números consecutivos de uma P.A., determine o valor de x.

Matemática – Prof. Edvaldo Benjamim

Página 3

P4. As medidas dos lados de um triângulo estão em P.A.,
nesta ordem: x + 4, 2x + 4 e 5x – 2. Determine o perímetro (medida da soma dos lados) do triângulo.

P5. (Faap – SP) A sequência x2, (x + 1)2, (x + 3)2 é uma P.A.. Calcule o valor de x. P6. Seja a P.A. (a1, a2, a3, ...), com a1 = - 16 e a2 = - 13. Calcular a razão
de cada P.A.: a) (a1, a3, a5, ...) b) (a2, a4, a6, ...)

P7. Em cada P.A., calcular a razão e classificá-la:
a) O termo geral é an = 3 + 4n, n ∈ N *. b) A P.A. é dada por a1 = 6 e an = 2 ⋅ an – 1 – 6, com n ≥ 2. c) O termo geral é an = 13 – 3n, n ∈ N *.

P8. (2x, 3x, x2) é uma P.A.. Obter essa sequência. P9. (x + 3, x – 4, 1 – 2x) é P.A.. Calcular a razão. P10. Numa P.A. de três termos, a soma e o produto desses termos valem, respectivamente, 3 e -24. Escrever essa sequência. P11. Obter uma P.A. de três termos na qual a soma dos extremos e a soma dos quadrados dos termos são, respectivamente, -4 e 30. P12. Uma P.A. decrescente de cinco termos satisfaz as condições:
I) a soma dos termos é zero; II) o produto do 2º pelo 4º termos vale – 16. Obter essa sequência.

P13. Numa P.A. de quatro termos, a soma desses termos e a soma dos dois primeiros valem, respectivamente, 23 e 8,5. Obter essa sequência. P14. Provar que se
é P.A., então (bc, ac, ab) é P.A..

P15. Provar que se as medidas dos lados de um triângulo retângulo estão em P.A., então elas são proporcionais a 3, 4 e 5. P16. Determine x de modo que (x, 2x + 1, 5x + 7) seja uma P.A.. P17. Determine a de modo que (a2, (a + 1)2, (a + 5)2) seja uma P.A.. P18. Obtenha uma P.A. de três termos tais que sua soma seja 24 e seu produto seja 440.
Matemática – Prof. Edvaldo Benjamim Página 4

P19. Obtenha uma P.A. crescente formada por três números inteiros e
consecutivos de modo que a soma de seus cubos seja igual ao quadrado da sua soma.

P20. Obtenha 3 números em P.A., sabendo que sua soma é 18 e a soma
de seus inversos é .

P21. Uma P.A. é formada por 3 termos com as seguintes propriedades:
I) seu produto é igual ao quadrado de sua soma; II) a soma dos dois primeiros é igual ao terceiro. Obtenha a P.A..

P22. Obtenha 3 números em P.A. de modo que sua soma seja 3 e a soma
de seus quadrados seja 11.

P23. Obtenha uma P.A. de 4 termos inteiros em que a soma dos termos é
32 e o produto é 3465.

P24. A soma de quatro termos consecutivos de uma progressão
aritmética é – 6, o produto do primeiro deles pelo quarto é – 54. Determine esses termos.

P25. Obtenha uma P.A. crescente de 4 termos tais que o produto dos
extremos seja 45 e o dos meios seja 77.

P26. Obtenha 4 números reais em P.A., sabendo que sua soma é 22 e a
soma de seus quadrados é 166.

P27. Obtenha uma P.A. de 5 termos, sabendo que sua soma é 25 e a
soma de seus cubos é 3025.

P28. Obtenha uma P.A. decrescente com 5 termos cuja soma é –10 e a
soma dos quadrados é 60.

P29. Determine o 3º termo c da P.A. (a, b, c). P30. Os números que exprimem o lado, a diagonal e a área de um
quadrado estão em P.A., nessa ordem. Quanto mede o lado do quadrado ?

P31. No triângulo, as medidas dos ângulos internos estão em P.A..
y + 2° 5x + 10° A B C 11x - 2°

Matemática – Prof. Edvaldo Benjamim

Página 5

Sendo

o menor ângulo e

o maior, faça o que se pede:

a) Determine x e y. b) Qual a razão da P.A. ? c) Quanto mede cada ângulo.

5. FÓRMULA DO TERMO GERAL DE UMA P.A.
Seja a P.A. (a1, a2, a3, ..., an – 1, an). Podemos determinar um termo qualquer dessa P.A., bastando, para isso, conhecer o primeiro termo e a razão. Para tanto, fazemos uso da chamada FÓRMULA DO TERMO GERAL, que é a seguinte:

an = a1 + (n
Onde:

Conhecidos

a1 e r.

an → termo geral da P.A. (último termo considerado). a1 → primeiro termo da P.A.. n → número de termos da P.A.. r → razão da P.A..
Observação 1: Conhecidos dois termos quaisquer de uma P.A., vale a
expressão:

an = am + (n – e an e am são

Onde os índices

m e n são tais que: n > m

dois termos quaisquer da P.A..

P32. Determine o sexto termo da P.A. (4, 7, 10, ...). P33. Calcular o primeiro termo de uma P.A. cujo quinto termo é 17 e a razão é 3. P34. Calcular o número de termos de uma P.A. sabendo que o primeiro termo é 5, o último é 50 e a razão é 5. P35. Determinar quantos múltiplos de 6 existem entre 100 e 500. P36. Seja f(n), com n ∈ N, uma sequência definida por:
Determinar o valor de f(20). Matemática – Prof. Edvaldo Benjamim Página 6 .

Observação 2: Às vezes, em determinados problemas de P.A., é
conveniente colocar os termos da P.A. em função do primeiro termo e da razão r da P.A., lembrando que:

a1

a2 = a1 + r; a3 = a1 + 2r; a4 = a1 + 3r; ...; a10 = a1 + 9r; e assim por diante.
Observação 3: Dada a P.A. (a1, a2, a3, ..., ap, ..., aq, ..., an), se p + q =
n + 1, então:

a + a = an Exemplo: Seja a P.A. (4, 8, 12, 16, 20, 24, 28, 32, p 36).q Observe + a1 que:

a2 ap

a8 aq

p = 2 e q = 8. Logo, p + q = n + 1 → 2 + 8 = 9 + 1 e

ap + aq = an + a1 → a2 + a8 = a9 + a1 → 8 + 32 = 36 + 4. Não esqueça !!!

n → número de termos da P.A..

P37. Escrever a P.A. cujo terceiro termo é 7 e o décimo termo é 21. P38. Que relação deve existir entre os números a, b e c para que sejam,
respectivamente, o quarto, o sétimo e o décimo segundo termo de uma progressão aritmética ?

P39. Em uma P.A., o sétimo termo é o quádruplo do segundo termo.

Calcule o décimo segundo termo, sabendo que a soma do quinto com o nono termo é 40.

P40. O primeiro termo de uma P.A. é 3 e o último é 9. Escreva a P.A.,
sabendo que o número de termos é igual à razão. razão dessa P.A. ?

P41. Em uma P.A., o primeiro termo é 2 e o sexto termo é 17. Qual é a P42. Escreva a P.A. cujo segundo termo é 18 e o décimo termo é – 6. P43. A diferença entre o quinto e o segundo termo de uma P.A. é 1.
Calcule a razão.

Matemática – Prof. Edvaldo Benjamim

Página 7

P44. Em uma P.A., o sexto termo é o triplo do segundo
termo. Calcule o décimo termo, sabendo que a soma do terceiro termo com o quinto termo é 40.

P45. Determine o centésimo número natural ÍMPAR. P46. Determine quantos múltiplos de 7 existem entre 100 e 1000. P47. (FEI – SP) Ache o décimo termo da P.A. P48. Numa P.A., determinar:
a) o 10º termo, dados a1 = -6 e r = 7; b) a razão, dados a1 = 8 e a20 = 32; c) o 1º termo, dados a30 = e r= . e r= . .

d) a ordem (posição) do termo que vale – 8, dados a1 =

P49. Calcular o n-ésimo número par:
a) positivo; b) não-negativo.

P50. Calcular o n-ésimo número ímpar:
a) positivo; b) negativo.

P51. Obter a P.A. na qual o 4º e o 7º termos são, respectivamente, 11 e 26. P52. Numa P.A., a soma do 2º e do 5º termos vale 8 e a soma do 3º e do 7º termos é 20. Obter o 100º termo. P53. Numa P.A., a soma do 1º e do 6º termos vale 14 e o quociente entre
o 4º e o 3º termos é . Obter essa sequência.
– 2

P54. Na P.A. (a1, a2, a3, ...), a2 ⋅ a3 = 28 e an – an
Determinar essa sequência.

= -6, n ≥ 3.

P55. Quantos números inteiros positivos, com quatro algarismos, não são divisíveis por 6 ? P56. Calcule o 17º termo da P.A. cujo primeiro termo é 3 e cuja razão é 5. P57. Obtenha o 12º, o 27º e o 100º termos da P.A. (2, 5, 8, 11, ...). P58. Obtenha a razão da P.A. em que o primeiro termo é – 8 e o vigésimo é 30.
Matemática – Prof. Edvaldo Benjamim Página 8

P59. Obtenha a razão da P.A. em que a2 = 9 e a14 = 45. P60. Obtenha o primeiro termo da P.A. de razão 4 cujo 23º termo é 86. P61. Determine a P.A. em que se verificam as relações: a12 + a21 = 302
e a23 + a46 = 446.

P62. Quantos números ímpares há entre 14 e 192 ? P63. Qual é o primeiro termo NEGATIVO da P.A. (60, 53, 46, ... ). P64. As progressões aritméticas 5, 8, 11, ... e 3, 7, 11, ... têm 100
termos cada uma. Determine o número de termos iguais nas duas progressões.

P65. Numa P.A., temos a4 = 0,7 e a5 = 0,9. Calcule o 12º termo dessa
P.A..

P66. (UFPE) Num clube social em que os mandatos de todas as diretorias
tiveram a mesma duração, o nono diretor iniciou seu mandato em 1º de janeiro de 1934 e o vigésimo sétimo diretor iniciou o seu mandato em 1º de janeiro de 1988. Determine a data em que o primeiro diretor desse clube iniciou seu mandato.

6. INTERPOLAÇÃO ARITMÉTICA

Interpolar, inserir ou intercalar k MEIOS ARITMÉTICOS (são os termos da P.A.) entre os números a e b (a → extremo esquerdo da P.A. e b → extremo direito da P.A.) significa obter uma P.A. de extremos a1 = a e an = b, com n = k + 2 termos. Para determinar os meios dessa P.A. (termos que estão entre a e b) é necessário calcular a razão da P.A., dada por:

Depois de encontrada a razão da P.A., obtemos os demais termos da P.A. assim:

a2 = a1 + r, a3 = a2 + r, a4 = a3 + r, ..., an – 1 + r = b.

P67. Interpole quatro meios aritméticos entre 2 e 27. P68. Interpole oito meios aritméticos entre 5 e 50.
Matemática – Prof. Edvaldo Benjamim Página 9

P69. Insira seis meios aritméticos entre

e

.

P70. Inserindo nove meios aritméticos entre 15 e 45,
qual é o sexto termo da P.A. obtida ?

P71. Intercale 5 meios aritméticos entre – 2 e 40. P72. Quantos meios aritméticos devem ser interpolados entre 12 e 34 para que a razão da interpolação seja ½ ? P73. Intercale 12 meios aritméticos entre 100 e 200. P74. Quantos números inteiros e positivos, formados com 3 algarismos, são múltiplos de 13 ? P75. De 100 a 1000, quantos são os múltiplos de 2 ou 3 ? P76. Quantos números inteiros e positivos, formados de dois ou três algarismos, NÃO são divisíveis por 7 ? P77. Quantos números inteiros existem, de 1000 a 10000, NÃO divisíveis nem por 5 nem por 7 ? P78. Inscrevendo-se nove meios aritméticos entre 15 e 45, qual é o
sexto termo da P.A. ?

7. SOMA DOS TERMOS DE UMA PROGRESSÃO ARITMÉTICA FINITA Gauss, genialidade desde a infância
Carl Friedrich Gauss (1977 – 1855) foi um dos maiores matemáticos de sua época – talvez de todos os tempos. Sua aptidão para lidar com números veio à tona logo na infância. De suas muitas façanhas, a primeira ocorreu logo aos 10 anos, quando frequentava a escola. Conta-se que seu professor, tido como muito exigente, certo dia, para manter a classe ocupada, mandou que os alunos somassem todos os números de 1 a 100, isto é, que efetuassem a seguinte adição:

1 + 2 + 3 + ... + 98
O menino Gauss, quase que imediatamente, entregou o resultado. O professor, ao conferir as respostas dos alunos, notou que a única correta era a de Gauss (5050), apresentada sem cálculos. Qual teria sido o raciocínio utilizado pelo menino Gauss ? Talvez ele tenha percebido que era muito mais fácil efetuar a adição, não na ordem em que os números foram apresentados, e sim das extremidades para o meio. Somando aos pares, Gauss contou 50 somas, cada uma igual a 101, como mostra o esquema: Matemática – Prof. Edvaldo Benjamim Página 10

101

1 + 2 + 3 + ... + 98 + 99 + 100
101 101

Daí, o resultado: 50 ⋅ 101 = 5050. Uma outra façanha ocorreu quando Gauss, aos 19 anos, construiu, com base nas regras euclidianas, o polígono regular de dezessete lados. Gauss foi brilhante também como físico e astrônomo, tendo realizado importantes estudos na óptica geométrica. A soma Sn dos n primeiros termos da P.A. (a1, a2, a3, ..., an, ...) é dada por:

Onde: Sn → soma dos n primeiros termos da P.A.; termo da P.A.; a1 → primeiro termo da P.A.; termos da P.A.. ou seja,

an → n-ésimo n → número de

A soma dos termos de uma P.A. finita é igual ao produto da semi-soma dos termos extremos pelo número de termos.

P79. Calcular a soma dos quinze primeiros termos da P.A. (3, 5, 7, 9, ...). P80. A soma dos cinco primeiros termos de uma P.A. é 45. Sabendo que a1
= 1, calcular a razão.

P81. Determinar a soma dos n primeiros números pares positivos. P82. Determine a soma dos múltiplos de 9 compreendidos entre 65 e 249. P83. (F. M. Pouso alegre – MG) Um coronel dispõe seu regimento num
triângulo completo, colocando um homem na primeira linha, dois na Matemática – Prof. Edvaldo Benjamim Página 11

segunda, três na terceira, e assim por diante. Forma, assim, um triângulo com 171 homens. Qual é o número de linhas ?

P84. Calcule a soma dos trinta primeiros termos da P.A. (3, 8, 13,
18, ...).

P85

. Calcule a soma dos oito primeiros termos da P.A.
.

P86
que

. Quantos termos deve ter a P.A. (9, 6, 3, ...), para
a soma seja nula ?

P87

. (FGV – SP) Quantos termos devemos tomar na progressão aritmética (-7, -3, ...), a fim de que a soma valha 3150 ? P88. A soma dos sete primeiros termos de uma P.A. é 84. Sabendo que a1
= 3, calcule a razão.

P89. Determine a soma dos n primeiros números ímpares positivos. P90. Calcule x nas equações:
a) 1 + 4 + 7 + ... + x = 117 = 105 b) 5 + x + ... + 30

P91. (U. E. Ponta Grossa – PR) Em uma P.A. finita temos a1 = 8 e an =
38. Calcule a soma dos termos dessa P.A., sabendo que o número de termos é igual à razão.

P92. Ao comprar um terreno, uma pessoa paga R$ 1.750,00 de entrada e
o restante em prestações mensais consecutivas e de valores crescentes, durante três anos. Sendo a primeira prestação de R$ 650,00, a segunda de R$ 700,00, a terceira de R$ 750,00, e assim por diante, qual é o total pago pelo terreno ?

P93. Uma progressão aritmética de 9 termos tem razão 2 e soma de seus termos igual a 0. Determine o sexto termo da progressão. P94. A soma dos vinte primeiros termos de uma progressão aritmética é – 15. Calcule a soma do sexto termo dessa P.A. com o décimo quinto
termo.

P95. Um jardineiro tem que regar 60 roseiras plantadas ao longo de uma vereda retilínea e distando 1 m uma da outra. Ele enche seu regador numa fonte situada na mesma vereda, a 15 m da primeira roseira, e a cada viagem rega 3 roseiras. Começando e terminando na fonte, qual
é o percurso total que ele terá que caminhar até regar todas as roseiras ?

P96. Ao se efetuar a soma de 50 parcelas em P.A., 202, 206, 210, ..., por distração não foi somada a 35ª parcela. Qual a soma encontrada ?
Matemática – Prof. Edvaldo Benjamim Página 12

P97. Calcule o quociente entre a soma dos termos de índice ímpar e a
soma dos termos de índice par da P.A. finita (4, 7, 10, ..., 517).

P98. Qual é a soma dos múltiplos positivos de 5 formados por 3
algarismos ?

P99. Sendo f: R → R, definida por f(x) = 2x + 3, calcule o valor de f(1) +
f(2) + f(3) + ... + f(25).

P100. Se

Calcule o valor de A + B.

T1. O valor de a para que (a + 1, a + 5, 3a + 1) seja uma progressão aritmética é: a) 1 e) n.d.a. b) 0 c) – 2 d) 4

T2. Para que a progressão aritmética de razão r = 5 – 2x seja decrescente, x deve assumir valores no intervalo: a) e) b) c) d)

T3. (FGV – SP) A sequência (3m, m + 1, 5) é uma P.A.. Sua razão é: a) -3 b) 3 de se determinar c) 7 d) -7 e) impossível

T4. (U. Caxias do Sul – RS) O valor de x para que a sequência (2x, x + 1, 3x) seja uma progressão aritmética é: a) e) 2 b) c) 3 d) ½

T5. O segundo e o quarto termo de uma P.A. valem, respectivamente, x e y. O primeiro termo é: a) e) n.d.a. b) c) d) x – y

Matemática – Prof. Edvaldo Benjamim

Página 13

T6. Sendo o terceiro termo de uma P.A. igual a 21 e o oitavo termo igual a 6, o seu vigésimo termo será: a) 10 b) – 10 c) 30 d) – 30 – 15 T7. O 135º número natural ÍMPAR é igual a: a) 270 e) 273 b) 269 c) 135

e)

d) 271

T8. O primeiro termo de uma progressão aritmética, com a7 = 12 e razão igual a 5, é: a) – 18 e) 2 b) 18 c) 42 d) – 42

T9. Se a sequência (a, 2a – 1, ...) é uma P.A. e o quarto termo é igual a 21, calcule a razão. a) 6 e) 10 b) 5 c) 1 d) 8

T10. Em uma P.A., sabe-se que a10 = 10 e a12 = 22. O décimo terceiro termo é: a) 34 e) 44 b) 24 c) 28 d) 30

T11. (Unicap – PE) Sabe-se de uma P.A. que a soma do sexto termo com o décimo sexto é 58 e que o quarto termo é o quádruplo do segundo. Qual, entre os números abaixo, NÃO é termo dessa progressão ? a) 8 e) – 1 b) 11 c) 20 d) 25

T12. (UECE) Seja (a1, a2, a3, a4, a5) uma P.A. crescente. Se a1 e a5 são as raízes da equação x2 – 16x – 36 = 0, então a2 – a1 é igual a: a) 3 e) n.d.a. b) 4 c) 5 d) 6

T13. A soma dos termos extremos de uma progressão aritmética de 9 termos é igual a 26. Se o terceiro termo dessa progressão é 5, a razão é: a) 6 e) – 1 b) 4 c) 3 d) 2

T14. (FURG – RS) Que relação deve existir entre os números a, b e c para que sejam, respectivamente, o quinto, o oitavo e o décimo quarto termo de uma progressão aritmética ? a) 3a = b + 4c a = 4c – 3b Matemática – Prof. Edvaldo Benjamim Página 14 b) c) c = 4b – 3a d) e)

T15. (Mackenzie – SP) Se f(n), com n ∈ N, é uma sequência definida por a) 597 e) 607 b) 600 , então f(200) é: c) 601 d) 604

T16. (F. C. M. Santos – SP) Inserindo cinco meios aritméticos entre 18 e 138, obtemos a razão: a) 138 e) 20 b) 5 c) 30 d) 25

T17. Interpolando-se m termos, com m ∈ N e m > 1, entre 1 e m2, obtém-se uma P.A. de razão igual a: a) e) T18. (U. Taubaté – SP) O número mínimo de termos que se deve interpolar entre os números a = 10 e b = 100, para que a P.A. assim formada tenha razão menor que a) 134 e) 135 b) 133 , é: c) 100 d) 10 b) m + 2 c) m – 1 d)

T19. O valor de x para que a sequência (8, x + 3, 20) seja uma P.A. é: a) 7 e) 1 b) 16 c) 14 d) 11

T20. Em uma P.A. em que a7 = p e a11 = q, podemos concluir que: a) n.d.a. T21. Em uma P.A. de quatro termos, a soma deles é 42. Sabendo que o primeiro termo é 3, calcule a razão. a) 8 e) n.d.a. b) 3 c) 15 d) 5 b) c) a21 = 3p d) a8 = a7 + p e)

T22. A soma de três números inteiros positivos e consecutivos é 3a. O menor deles é: a) a – 1 b) 2a necessariamente 1 c) a d) a – 2 e e)

T23. (F. M. ABC – SP) Em uma P.A. em que S2 = 10 primeiro termo é x2 e a razão x. Ache o valor de x. Matemática – Prof. Edvaldo Benjamim Página 15

S4 = 28, o

a) e) 2

b)

c) 1

d) 3

T24. A soma dos múltiplos de 7 compreendidos entre 100 e 250 é igual a: a) 3325 e) 3675 b) 3850 c) 3500 d) 3825

T25. (Mackenzie – SP) Seja a função {0, 1, 2, 3, ..., 20}. função é: a) 210 e) n.d.a.

, cujo conjunto imagem é

A soma de todos os elementos do domínio da b) 231 c) 400 d) 441

T26. (Cesgranrio) Se X = (1 + 3 + ... + 49) é a soma dos números ímpares de 1 a 49, e Y = (2 + 4 + ... + 50) é a soma dos números pares de 2 a 50, então X – Y vale: a) – 50 e) 50 b) – 25 c) 0 d) 25

T27. (FEI – SP) Três números positivos formam uma progressão aritmética crescente. A sua soma é 15 e a soma de seus quadrados é 107. O primeiro desses números é: a) 4 e) 0,5 b) 3 c) 2 d) 1

T28. Três números positivos estão em P.A.. A soma deles é 12 e o produto, 28. O valor do termo do meio é: a) 2 e) 3 b) 6 c) 5 d) 4

T29. (F. Belas Artes – SP) As medidas dos ângulos internos de um triângulo estão em P.A. de razão 50°. O maior ângulo desse triângulo mede: a) 60° e) 150° b) 90° c) 110° d) 120°

T30. (Fesp – PE) Numa progressão aritmética finita, sabemos que a soma de seus termos é 5, que o último termo é do primeiro e que a razão é o inverso do número de termos. Podemos afirmar então que o número de termos da progressão é: a) 8 e) 3 b) 5 c) 4 d) 6

Matemática – Prof. Edvaldo Benjamim

Página 16

T31. (ALFENAS – MG) A progressão aritmética (20, x2 + x, ...) é decrescente se: a) – 5 < x < 4 e) x < 0 b) – 4 < x < 5 c) – 5 < x < - 4 d) 4 < x < 5

T32. (PUCC – SP) A média aritmética dos duzentos primeiros termos de uma progressão aritmética é 318. Se o 1º termo dessa progressão é – 80, a razão é igual a: a) 10 e) 2 b) 8 c) 6 d) 4

T33. (PUC – SP) Um escritor escreveu, em um certo dia, as vinte primeiras linhas de um livro. A partir desse dia, ele escreveu, em cada dia, tantas linhas quantas havia escrito no dia anterior, mais cinco linhas. O livro tem dezessete páginas, cada uma com exatamente 25 linhas. Em quantos dias o escritor terminou de escrever o livro ? a) 8 e) 17 b) 9 c) 10 d) 11

T34. (CESESP – PE) Dois andarilhos iniciam juntos uma caminhada. Um deles caminha uniformemente 10 km por dia e o outro caminha 8 km no 1º dia e acelera o passo de modo a caminhar mais ½ km a cada dia que se segue. Assinale a alternativa correspondente ao número de dias caminhados para que o 2º andarilho alcance o primeiro: a) 10 b) 9 c) 3 d) 5 e) 21 T35. (U. F. PA – 85) Sabendo que a sequência (1 – 3x, x – 2, 2x + 1) é uma P.A., determinar o valor de x. a) – 2 e) 6 b) 0 c) 2 d) 4

T36. (CESGRANRIO – 80) Em uma progressão aritmética de 41 termos e de razão 9, a soma do termo do meio com o seu antecedente é igual ao último termo. Então, o termo do meio é: a) 369 e) 180 b) 189 c) 201 d) 171

T37. (UNICAP – 87) Sabe-se, de uma progressão aritmética, que a soma do 6º termo com o 16º termo é 58 e que o 4º termo é o quádruplo do 2º termo. Qual entre os números abaixo NÃO é termo desta progressão ? a) 8 e) – 1 b) 11 c) 20 d) 25

Matemática – Prof. Edvaldo Benjamim

Página 17

T38. (U. E. CE – 92) Seja (a1, a2, a3, ..., ak, ..., a50) uma progressão aritmética. Se a2 = 14, a5 – a3 = 18 e ak = 239, então k é igual a: a) 26 e) 30 b) 27 c) 28 d) 29

T39. (CESGRANRIO – 89) Em uma progressão aritmética de nove termos, a soma a1 + a9 vale 20. Então, a soma dos nove termos da progressão vale: a) 75 e) 95 b) 80 c) 85 d) 90

T40. (CESGRANRIO – 87) A soma dos inteiros consecutivos 1, 2, 3, ..., 1985 e 1986 é: a) 1 873 791 b) 1 895 518 091 e) 1 983 518 c) 1 953 591 d) 1 973

T41. (U. C. SALVADOR – 91) No decorrer de uma viagem que teve a duração de 6 dias, um automóvel percorreu 60 km no 1º dia, 80 km no 2º dia, 100 km no 3º dia e assim, sucessivamente, até o 6º dia. O total de quilômetros percorridos por esse automóvel durante os 6 dias foi: a) 220 e) 660 b) 380 c) 460 d) 580

T42. (CESGRANRIO – 91) Se S3 = 0 e S4 = -6 são, respectivamente, as somas dos três e quatro primeiros termos de uma progressão aritmética, então a soma S5 dos cinco primeiros termos vale: a) – 6 e) – 18 b) – 9 c) – 12 d) – 15

T43. (FGV – 81) A soma dos números naturais NÃO superiores a 1000, NÃO divisíveis por 7, é: a) 429 429 999/7 b) 500 500 e) n.d.a. c) 500 500/7 d) 999

T44. (PUC – SP – 85) Na sequência (a0, a1, a2, ...) onde a0 = 1 e an + 1 = an + n, para n ∈ N, a soma dos 7 primeiros termos é: a) 41 e) 64 b) 42 c) 43 d) 63

T45. (EAESP – FGV – 80) A soma dos 50 primeiros termos de uma P.A. na qual a6 + a45 = 160 é: a) 3480 e) 4500 b) 4000 c) 4200 d) 4320

Matemática – Prof. Edvaldo Benjamim

Página 18

T46. (F. C. M. STA. CASA – 82) Para que a soma dos termos da sequência (-81, -77, -73, ...) seja um número positivo, devese considerar no MÍNIMO: a) 35 termos e) 43 termos b) 39 termos c) 41 termos d) 42 termos

T47. (Unopar – PR) O nonagésimo número natural ímpar é: a) 179 e) 139 b) 169 c) 159 d) 149

T48. (UPF – RS) Em relação à sequência an = 3n + 5, com n ∈ N*, a alternativa incorreta é: a) A razão da P.A. é um número par. b) A sequência é uma P.A. crescente. c) O quinto termo da P.A. é um múltiplo de 4. d) A soma dos seis primeiros termos é 93. e) an não admite termos negativos. T49. (ITA – SP) O valor de n que torna a sequência 2 + 3n, -5n, 1 – 4n uma progressão aritmética pertence ao intervalo: a) [-2, -1] e) [2, 3] b) [-1, 0] c) [0, 1] d) [1, 2]

T50. (Mackenzie – SP) A média aritmética de 20 números em progressão aritmética é 60. Retirados o primeiro e o último termos da progressão, a média aritmética dos termos restantes será: a) 18 e) 30 b) 60 c) 20 d) 50

P1. (a), (b), (c) e (e). P2. a) P3. x = 3. P4. 30. P5. . . b) 2. c) - ½ . d) 0. e) – 6. f) – 3.

Matemática – Prof. Edvaldo Benjamim

Página 19

P6. a) 6;

b) 6.

P7. a) r = 4; P.A. crescente. b) r = 0; P.A. constante. c) r = -3; P.A. decrescente. P8. (0, 0, 0) ou (8, 12, 16). P9. – 7. P10. (-4, 1, 6) ou (6, 1, -4). P11. (-5, -2, 1) ou (1, -2, -5). P12. (8, 4, 0, -4, -8). P13. P14. Demonstração. P15. Demonstração. P16. P17. . . .

P18. (5, 8, 11) para x = 8 e r = 3; (11, 8, 5) para x = 8 e r = - 3. P19. (-1, 0, 1), (0, 1, 2) ou (1, 2, 3). P20. (2, 6, 10) ou (10, 6, 2). P21. (0, 0, 0) ou (6, 12, 18). P22. (-1, 1, 3) ou (3, 1, -1). P23. x = 8 e y = 1 ⇒ (5, 7, 9, 11); x = 8 e y = -1 ⇒ (11, 9, 7, 5). P24. -9, -4, 1 e 6. P25. (3, 7, 11, 15) ou (-15, -11, -7, -3). P26. (1, 4, 7, 10) ou (10, 7, 4, 1). P27. (-3, 1, 5, 9, 13) ou (13, 9, 5, 1, -3). P28. (2, 0, -2, -4, -6). P29. c = 2b – a. P30.

. Página 20

Matemática – Prof. Edvaldo Benjamim

P31. a) 7° e y = 58°. b) 15°. c) 45°, 60° e 75°. P32. a6 = 19. P33. a1 = 5. P34. n = 10. P35. 67 múltiplos. P36. f(20) = 97. P37. (3, 5, 7, ...). P38. P39. a12 = 35. P40. (3, 6, 9). P41. r = 3. P42. (21, 18, 15, 12, 9, 6, 3, 0, -3, -6, ... ). P43. .

.

P44. a10 = 50. P45. a100 = 199. P46. 128 múltiplos. P47. P48. a) 57. P49. a) 2n. P50. a) 2n – 1. P51. (-4, 1, 6, ...). P52. 390. P53. (-8, -2, 4, ...). P54. (10, 7, 4, ...) ou (-1, -4, -7, ...). P55. 7500. Matemática – Prof. Edvaldo Benjamim Página 21 . b) . c) . d) 12.

b) 2n – 2. b) – 2n + 1.

P56. 83. P57. a12 = 35, a27 = 80 e a100 = 299. P58. r = 2. P59. r = 3. P60. a1 = -2. P61. (89, 93, 97, ...). P62. 89 números ímpares. P63. n ≅ 9,5. Concluímos que an < 0 para n = 10, 11, 12, ...; portanto o primeiro termo negativo da P.A. é a10. P64. 25. P65. a12 = 2,3. P66. No ano de 1910. P67. (2, 7, 12, 17, 22, 27). P68. (5, 10, 15, 20, 25, 30, 35, 40, 45, 50). P69. P70. a6 = 30. P71. (-2, 5, 12, 19, 26, 33, 40). P72. 43 meios aritméticos. P73. . .

P74. 69 números inteiros e positivos. P75. 601 múltiplos. P76. 849 números inteiros e positivos. P77. 6171 números inteiros. P78. a6 = 30. P79. S15 = 255. P80. r = 4. P81. Sn = n + n2. Matemática – Prof. Edvaldo Benjamim Página 22

P82. S = 3150. P83. 18 linhas. P84. S30 = 2265. P85. P86. 7 termos. P87. 42 termos. P88. r = 3. P89. Sn = n2. P90. a) x = 25. P91. S6 = 138. P92. R$ 56.650,00 P93. a6 = 2. P94. a6 + a15 = -1,5. P95. 1820 m. P96. 14662. P97. b) x = 10. .

.

P98. 98550. P99. f(1) + f(2) + ... + f(25) = 725. P100. A + B = 12.

T1. D T2. E T3. C T4. B T25. B

T5. B T6. D T7. B T8. A

T9. B T10. C T11. D T12. C

T13. B T14. B T15. C T16. E

T17. C T18. E T19. D T20. B Página 23

T21. D T22. A T23. E T24. E

Matemática – Prof. Edvaldo Benjamim

T26. B T27. D T28. D T29. C T30. B T31. A T32. D T33. C T34. B T35. C T36. B T37. D T38. B T39. D T40. D T41. E T42. D T43. A T44. B T45. B T46. D T47. A T48. A T49. B T50. B

Matemática – Prof. Edvaldo Benjamim

Página 24

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->