Estatística - UVB

Aula 07 Amostragem
Objetivos da aula:
• • Apresentar exemplos para fixação de conceitos de amostragem; Praticar os conceitos em exercícios.

Introdução
. Em nosso encontro da aula 6 conhecemos os números índice, uma técnica muito importante para acompanharmos a evolução ou involução do valor de uma variável ao longo do tempo. Mas, se necessitarmos levantar informações de uma população muito grande, como trataremos essa massa de dados? A resposta é: com a amostragem, que é o alvo de nossa aula de hoje.

Amostragem
A utilização de técnicas de amostragem se faz necessária quando, por questões práticas ou econômicas, é impossível (ou quase) estudar toda a população. Como exemplo, temos o caso de uma fábrica de automóveis que, pelas questões apontadas acima, não efetua inspeção e ensaios em 100% dos itens que serão agregados ao automóvel, faz as verificações
Faculdade On-line UVB

67

ou cada seleção é pré-determinada e não depende de chance. A amostra é tão pequena que pode ser um problema acerca da credibilidade dos resultados. meio ou fim. seja no início.UVB de qualidade e conformidade em momentos específicos durante a produção. caracteriza este método é que cada caso selecionado. O que. dentre outros aspectos. e não podem prover estimativas Faculdade On-line UVB 68 .Estatística . que são: • • • É propensa a parcialidades. é efetuada a inspeção (usando técnicas de amostragem) dos lotes de produtos recebidos. Outro exemplo interessante do uso de técnicas de amostragem é o manejo sustentável de áreas florestais com fins extrativistas. Neste caso. numa floresta definem-se áreas de controle. Amostragem por Julgamento É baseada na escolha deliberada e exclui qualquer processo aleatório. O uso deste método requer uma boa compreensão da população. A amostragem pode ser obtida por dois métodos. mede-se a densidade florestal destas áreas e extrapola-se o resultado para toda a mata. Os resultados amostrados não podem ser usados para extrapolações a partir dos casos selecionados para o levantamento da população. A amostragem por julgamento apresenta algumas desvantagens. no entanto. Logo no início do processo produtivo. a amostragem não probabilística e a amostragem probabilística. pode-se assim conhecer com boa precisão o número de espécies vegetais encontradas e sua idade média.

por exemplo. Amostragem por Quotas Aqui a população deve ser conhecida. A grande diferença entre a amostragem por quotas e estratificada é que na primeira não há a seleção por qualquer base aleatória.Estatística . A amostragem por quotas é freqüentemente usada em pesquisas de opinião e pesquisa de mercado. sexo. devem ser representadas na amostra conforme estão na população.UVB da população. na eventualidade de que o resultado venha a ser projetado para formar um juízo global. Amostragem Aleatória Simples É o método básico de amostragem aleatória. Faculdade On-line UVB 69 . pela sua facilidade de selecionar amostras. O método se fundamenta no princípio de que todos os membros de uma população têm a mesma probabilidade de serem incluídos na amostra. pelo menos aproximadamente. o que não é aceitável. etc. mas ele não pode ser aplicado sempre. grupos étnicos. Neste caso vemos que o risco desse tipo de testes situa-se. em virtude da amostra poder não ser representativa. de forma que a representatividade de cada grupo de dentro da população seja percebida na amostra. enquanto que na estratificada a seleção é aleatória como veremos. principalmente. as proporções de pessoas de diferentes idades. analisar dados e reduzir erros de amostragem. e não é sempre o mais apropriado. ou seja. O que queremos dizer é que as quotas (amostras) buscam repetir as mesmas características da população.

de acordo com: • • • • • tamanho da população. b) determinação do tamanho da amostra. 20. numa população de 100 peças. até completarmos 10 amostras sistematicamente colhidas. a taxa de ocorrência. o índice de precisão escolhido. Amostragem Sistemática Aqui os membros da população que participam da amostra são determinados a partir de intervalos fixos.UVB Fases do método: a) listagem da população. o nível de confiabilidade desejável. 30. o grau de dispersão. e não há a utilização de tabelas de números aleatórios. e assim por diante. Por exemplo.Estatística . podemos seguir os seguintes passos (conforme exemplo): Define-se o tamanho da população: N= 1600 Define-se o tamanho da amostragem total: n= 100 N 1600 = = 16 n 100 Faculdade On-line UVB 70 . c) uso de números aleatórios (tabela ou algoritmos computacionais). para obtermos 10 amostras sistemáticas podemos retirar as peças de número 10. Existem fórmulas e tabelas para estabelecer o tamanho das amostras e as estimativas. Para encontrarmos os pontos onde faremos as coletas sistemáticas das amostras.

Por exemplo: Deseja-se estudar a aceitação de determinados métodos de controle de natalidade em uma determinada cidade. 2. Uma identificação sugerida - religião: católicos. 3.Estatística . Cuidado com fenômenos sazonais. Desvantagens: 1. Vantagens: 1.UVB Faz-se então: . que será o primeiro número da amostra. Facilidade de determinação dos elementos da amostra. protestantes e Faculdade On-line UVB 71 . Não precisa usar números aleatórios. 2. Sorteia-se um número de 1 a 16. Amostragem Estratificada Consiste em dividir a população em subgrupos mais homogêneos (estratos) e retirar amostras aleatórias simples dos subgrupos. logo as próximas amostras serão retiradas de 16 em 16. Solução: Aspectos relevantes nesta aceitação: religião e situação socioeconômica. Mais rapidez para grandes populações. Cuidados com o fator “posição” na lista dos componentes da população.

Uniforme Na amostragem estratificada uniforme sorteia-se igual número de elementos de cada estrato. números aleatórios). A idéia básica é que: “um grupo homogêneo requer amostra menor que um grupo heterogêneo”. Judeus de classe alta. média e baixa. o número de elementos em cada estrato é proporcional ao número de elementos existentes no estrato. Estratos que poderiam ser formados: • • • • • • • • • Protestantes de classe alta. Faculdade On-line UVB 72 . 2. Católicos de classe alta. Católicos de classe média. Protestantes de classe baixa.Estatística .UVB judeus. As amostras estratificadas são divididas em três tipos: 1. Outra identificação sugerida – classe social: alta. Proporcional Na amostra estratificada proporcional. Católicos de classe baixa. Juntar numa só amostra a fim termos uma amostra de toda a população. usando o processo já sugerido (listagem. Protestantes de classe média. Judeus de classe baixa. Retiramos amostras aleatórias simples de cada estrato. Judeus de classe média.

por exemplo. quando se toma em cada estrato um número de elementos proporcional ao número de elementos do estrato e também à variação da variável de interesse no estrato. quarteirões da cidade como unidade primária de amostragem ou conglomerado. Solução: Tomar. etc. medida pelo seu desvio padrão. cujos elementos constituirão a amostra. existem pelo menos dois níveis de amostragem que são empregados: Nível 1 – Unidade de Amostragem. datas. A técnica de estratificar é bastante útil. Ótima Na amostra estratificada ótima. onde divide-se uma população em pequenos grupos e sorteia-se um número suficiente desses pequenos grupos (conglomerados). Amostragem por Conglomerados É um método muito utilizado por motivos de ordem prática e econômica. Neste método. Extrair uma amostra aleatória simples. assim estabelecem-se estratos de modo que a variância do valor do item seja o menor possível dentro de cada estrato. a) Listar os quarteirões. quando a população apresenta muita diversidade nos seus valores individuais. Exemplo: Deseja-se entrevistar uma amostra representativa de pessoas que vivem numa grande área da cidade. alto custo e muito tempo. Faculdade On-line UVB 73 .UVB 3. ou sistemática ou estratificada de pessoas espalhadas numa grande área implicaria em muitas viagens.Estatística . Nível 2 – Elementos Amostrados (dentro de cada conglomerado).

Antonio Arnot. Brasília: Vestcon Editora Ltda. 1998. 2002. Willian J. VIEIRA. 2003.. c) Entrevista-se as residências dos quarteirões selecionados. São Paulo: Editora Pioneira Thomson Learning. São Paulo: Ed. Estatística. 1992.Estatística . MANDIM. Faculdade On-line UVB 74 . ed. Pedro Luiz de Oliveira. São Paulo: 5a. Marcos Nascimento e LIMA. Princípios de Estatística. Editora da Universidade de São Paulo. Alguns aspectos da representatividade de uma amostra probabilística: 1. 2003. 1ª reimpr.. 1981. 10. Noções de Probabilidade e Estatística. 12. Referência Bibliográfica: COSTA NETO. Sonia. São Paulo: Editora Saraiva. ed. Harbra. Daniel. Antonio Carlos Pedroso de. Estatística Aplicada à Administração. Estatística Descomplicada. SETEVENSON. da 1ª ed.UVB b) Sortear uma amostra aleatória simples de quarteirões (números aleatórios). CRESPO. MAGALHÃES. São Paulo: Editora Edgard Blücher Ltda. A amostra não deve ter preconceito ou tendência. Seu tamanho deve ser grande o bastante de modo a minimizar o risco da amostra atípica. 3. Cada item da população deve ter uma chance conhecida de ser selecionado. Estatística Fácil. ed. 2.