Você está na página 1de 5

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA 4ª VARA CÍVEL

DO FORO ..............

João Maria da Silva, brasileiro, casado, desempregado, portador da cédula


de identidade RG nº ................... e inscrito no CPF/MF sob nº ............., residente e
domiciliado na ................ , por seu Advogado e bastante procurador ao final
assinado, conforme instrumento de mandato anexo, com escritório profissional na
cidade de ......., na ...................., onde recebe correspondências e intimações para
os atos processuais, vem, respeitosamente, à presença de Vossa Excelência, com
fulcro no art. 1.699 do Código Civil c/c com art. 471, I , do Código de Processo
Civil , propor a presente

AÇÃO DE EXONERAÇÃO DE PRESTAÇÃO DE ALIMENTOS CUMULADA COM


AÇÃO REVISIONAL DE ALIMENTOS

observando o procedimento especial previsto na Lei 5.478/68 em face de


Daniella Dayanne da Silva, brasileira, solteira,........, portadora da cédula de
identidade RG nº ................... e inscrito no CPF/MF sob nº ............., residente e
domiciliada na cidade de ............, na ............; de Gabriellah Kelly da Silva, de
Patrícia Caroline da Silva, e de Larissa Reginnah da Silva, brasileiras, menores
representadas por sua genitora.... , brasileira , ...., ...., portadora da Carteira de
Identidade nº ......, inscrito no CPF sob o nº ....., residentes e domiciliadas na
Rua ....., nº (xxx), Bairro ......, Cidade ......, Cep. ......., no Estado de ..... pelas
razões de fato e de direito que passa a expor.

I – DOS FATOS

O requerente, há 6 anos, firmou acordo nos autos do processo


n°200556321659849-9, no qual concordou em pagar pensão alimentícia no valor
de meio salário mínimo por mês para cada uma de suas quatro filhas, acreditando
sinceramente ser capaz de cumpri- lo. Porém, no decorrer desses anos, houve
uma alteração substancial na situação do alimentante e também de uma das
alimentadas.

Primeiramente, destaca-se que Daniella Dayanne já completou a


maioridade civil, extinguindo-se, assim, o poder familiar, e logicamente, a
obrigação do pai de lhe pagar a pensão alimentícia.

Com relação às outras filhas, há que se observar que a situação financeira


do autor piorou muito com a idade, estando há muito tempo desempregado e com
grandes dificuldades para conseguir um novo emprego, em função não só dos
problemas que vive a economia nacional, mas também por causa de seus
problemas constantes de saúde, visto que é portador de doença renal crônica, o
que resulta em gastos extraordinários, como se comprova com os anexos.

Tal situação colocou o requerente em sérias dificuldades para custear sua


própria subsitência, estando hoje sendo sustentado por sua nova companheira
com quem teve duas filhas gêmeas: Vitória Emanuelle Pereira da Silva e Glória
Maria Pereira da Silva.
Não tendo condições de cuidar da própria sobrevivência, o autor acabou
por inadimplente com a obrigação que possui, correndo o sério risco de ser preso
em decorrência de tal dívida.

Diante desse fatos, percebe-se a absoluta impossibilidade do autor em


arcar com pensão alimentícia no valor de meio salário-mínimo, para cada uma das
filhas de seu primeiro casamento.

II – DO DIREITO

Na Constituição Federal de 1988, art. 226, § 5º, há previsão da igualdade


na prestação do amparo moral e material entre ambos os cônjuges para a
educação dos filhos. De modo que, não deverá haver em hipótese alguma
benefício de um em detrimento do outro.

Preceitua o artigo 15 da Lei de Alimentos que:

“A decisão judicial sobre alimentos não transita em julgado e pode a


qualquer tempo ser revista em face da modificação da situação financeira dos
interessados.”

No mesmo sentido, o artigo 1699 do Código Civil prescreve:

“Se, fixados os alimentos, sobrevier mudança na situação financeira de


quem os supre, ou de quem os recebe, poderá o interessado reclamar ao juiz,
conforme as circunstâncias, exoneração, redução ou majoração do encargo."

Por meio dos citados dispositivos, resta claro que a sentença que fixa
alimentos pode ser revista a qualquer tempo diante da ocorrência de
circunstâncias supervenientes, que acarretam mudança nas necessidades do
alimentário e nas possibilidades do alimentante.

No caso do requerente, sua situação financeira sofreu mudanças, não mais


podendo o mesmo suportar o adimplemento da pensão alimentícia. Nesse sentido:
“APELAÇÃO CIVIL. AÇÃO REVISIONAL DE ALIMENTOS.
PROPORCIONALIDADE E BINÔMIO NECESSIDADE/POSSIBILIDADE.
REDUÇÃO DOS ALIMENTOS. CABIMENTO NO CASO CONCRETO. A
POSSIBILIDADE DE REDUÇÃO E/OU EXONERAÇÃO DOS ALIMENTOS EXIGE
A DEMONSTRAÇÃO DA ALTERAÇÃO DAS CONDIÇÕES FINANCEIRAS DO
QUE PRESTA OS ALIMENTOS OU DA ALTERAÇÃO DAS NECESSIDADES DO
ALIMENTADO, CONFORME PRECONIZA O ARTIGO 1.699 DO CCB. NO CASO,
POSSÍVEL A REDUÇÃO DA VERBA ALIMENTAR A FIM DE PRESERVAR O
EQUILÍBRIO DO BINÔMIO NECESSIDADE/POSSIBILIDADE. Decisão
Monocrática Nº 70025232687 de Tribunal de Justiça do RS - Sétima Câmara
Cível, de 08 Setembro 2008. Magistrado Responsável: Ricardo Raupp Ruschel.”

III – DO PEDIDO

Diante do acima exposto, requer:

a) A intimação do Ilustre Representante do Ministério Público para intervir em


todos os atos do processo, ex vi art. 82, II do Código de Processo Civil.

b) A citação dos requeridos no endereço declinado no preâmbulo desta


Exordial, para que conteste a ação no prazo legal, com a advertência de
que não o fazendo ser-lhe-ão aplicados os efeitos da confissão e revelia
quanto à matéria de fato, julgando-se PROCEDENTE a presente demanda.

c) A fixação de alimentos provisórios devidos unicamentes às rés Gabriellah


Kelly da Silva, Patrícia Caroline da Silva, e Larissa Reginnah da Silva, no
valor de

d) A exoneração da obrigação alimentar em relação à Daniella Dayanne da


Silva

e) A revisão do valor da pensão alimentícia das rés Gabriellah Kelly da Silva,


Patrícia Caroline da Silva, e Larissa Reginnah da Silva.
Requer provar o alegado por todos os meios de provas em direito admitidos,
especialmente pelo depoimento pessoal do requerido, oitiva de testemunhas,
juntada de documentos, expedição de ofícios e precatórias, perícias e demais
provas pertinentes.

À presente atribui-se o valor de R$ ..... (valor por extenso) para os efeitos


legais.

Nestes termos,

Pede deferimento

.........., .... de ............. de ..........

........................

Advogado

OAB/...... nº ........