Você está na página 1de 5

ELABORAÇÃO DE QUESTIONÁRIOS E FORMULÁRIOS

A elaboração de questionários ou de formulários constitui um passo importante


no planejamento da pesquisa. Uma vez especificada a natureza desse projeto
e determinados os processos de escalonamento o pesquisador esta apto a
elaborar um Questionário ou um formulário observacional.
Um bom questionário deve conquistar o entrevistado e estimular seu interesse
por dar respostas completas e precisas. E deve alcançar este objetivo ao
mesmo tempo em que estabelece uma compreensão simultânea por todos os
entrevistados, tanto das perguntas como das respostas.

QUESTIONÁRIOS E FORMULÁRIOS DE OBSERVAÇÃO

Pesquisa e observação são os dois métodos básicos da obtenção de dados


quantitativos primários em pesquisa descritiva. Ambos os métodos exigem
alguma forma de padronização do processo de coleta, para que os dados
obtidos sejam inteiramente consistentes e possam ser analisados de maneira
uniforme e coerente. A Definição de um Questionário Técnica estruturada para
coleta de dados, que consiste de uma série de perguntas – escritas ou verbais
– que um entrevistado deve responder.

Objetivos de um Questionário Qualquer questionário tem três objetivos


específicos.

Em primeiro lugar, deve traduzir a informação desejada em um conjunto de


questões especificas que os entrevistados tenham condições de responder. A
elaboração de questões que os entrevistados venham efetivamente a
responder, e que proporcionem a informação desejada, é uma tarefa difícil.

Em segundo lugar, um questionário precisa motivar e incentivar o entrevistado


a se deixar envolver pelo assunto, cooperando e completando a Entrevista.
Entrevistas que não conseguem se completar têm, na melhor das hipóteses,
uma utilidade precária. Ao planejar um questionário, o pesquisador precisa
sempre minimizar o cansaço e aborrecimento do entrevistado, e igualmente
esforçar-se para minimizar as respostas incompletas e a não-resposta.

Em terceiro lugar, um questionário deve sempre minimizar uma


resposta. Definimos o erro na resposta como aquele que surge quando os
entrevistados dão respostas imprecisas ou quando elas são registradas ou
analisadas incorretamente. Um questionário pode ser uma fonte importante de
erro de resposta. A minimização do erro é um importante objetivo do
planejamento de um questionário.
PROCESSO DE ELABORAÇÃO DE QUESTIONÁRIOS

O principal ponto fraco da elaboração de um questionário é a


ausência de teoria. Como não existem princípios científicos que garantam um
questionário ótimo ou ideal, sua concepção é uma habilidade que se adquire
com a experiência.

ESPECIFICAR A INFORMAÇÃO BUSCADA

O primeiro passo na elaboração de um questionário é


especificar a informação buscada – e este é igualmente o primeiro passo no
processo de planejamento de uma pesquisa. Note que, à medida que o
processo de pesquisa avança, a informação procurada se define cada vez mais
com maior clareza. É conveniente rever os componentes do problema e a
abordagem, especialmente as questões de pesquisa, as hipóteses, e as
características que influenciam o plano da pesquisa.

TIPO DE MÉTODO DE ENTREVISTA

Uma apreciação de como o tipo de método de entrevista influi


na elaboração de um questionário pode surgir pela analise de como este é
apresentado sob cada método. Em entrevistas pessoais, o entrevistado vê o
questionário e se posiciona face a face com o entrevistador. É possível então
fazer perguntas consistentes complexas e variadas.

CONTEÚDO DE UMA PERGUNTA INDIVIDUAL

Uma vez especificada a informação de que necessitamos, e


definido o tipo de método de entrevista, o próximo passo consiste em
determinar o conteúdo da pergunta individual, a saber, o que incluir nela.
Pergunta de duplo efeito – Pergunta única que procura abranger dois objetivos.
Tais ações podem ser confusas para o entrevistado, ocasionando respostas
ambíguas. Questões de filtro

– Questão inicial em um questionário que seleciona entrevistados potenciais,


para assegurar que eles satisfazem as exigências da amostra. Efeito telescópio

– Fenômeno psicológico que ocorre quando um individuo “telescopa” ou


comprime o tempo, recordando um evento como tendo ocorrido em tempo mais
recente do que o real.

ESCOLHENDO A ESTRUTURA DA Pergunta

Uma pergunta pode ser não-estruturada ou estruturada. As perguntas não-


estruturadas são perguntas, abertas que o entrevistado responde com suas
próprias palavras. São conhecidas também como perguntas de resposta livre.
As perguntas estruturadas especificam o conjunto de respostas alternativas e o
formato da resposta. Uma pergunta estruturada pode ser de múltipla escolha,
dicotômica ou escalonada.
Perguntas de múltipla escolha, o pesquisador oferece um elenco de respostas,
e o entrevistado deve escolher uma ou mais alternativas oferecidas.

Uma questão dicotômica tem apenas duas alternativas de resposta, como sim
ou não, concordo ou discordo, etc. Não raro, as duas alternativas de interesse
suplementadas por uma alternativa neutra, como “não tenho opinião”, ‘não sei”,
“ambos”, ou “nenhum”. A escalonada é dada por um nível de freqüência, ou
hierarquia, que são enumeradas conforme a pergunta o entrevistado responde
conforme a intensidade.

ESCOLHENDO O ENUNCIADO DA QUESTÃO

Escolhendo o enunciado de uma questão é a tradução, em


palavras, do conteúdo e da estrutura da questão, de tal forma que os
entrevistados possam compreendê-las clara e facilmente. A decisão quanto ao
enunciado de uma questão é talvez a tarefa mais crítica e mais difícil na
elaboração de um questionário. Se uma questão é formulada de maneira
deficiente, o entrevistado pode se recusar a respondê-la, ou a responde
incorretamente. A primeira condição, conhecida como não-resposta, pode
aumentar a complexidade da analise dos dados. A segunda condição conduz a
erro de resposta. A menos que os entrevistados e o pesquisador atribuam
exatamente o mesmo significado à questão, os resultados serão seriamente
tendenciosos.

DETERMINANDO A ORDEM DAS PERGUNTAS

Perguntas de abertura
As questões de abertura podem ser cruciais para ganhar a confiança e a
cooperação dos entrevistados. Essas perguntas devem ser simples,
interessantes e não ameaçadoras. As perguntas que pedem a opinião dos
entrevistados podem ser boas questões de abertura, porque a maioria das
pessoas gosta de expressar suas opiniões próprias.

Por vezes, tais perguntas são formuladas mesmo que estejam relacionadas
com o problema da pesquisa e suas respostas não sejam analisadas. Tipo de
informação: Informação Básica – Esta relacionada diretamente com o problema
da pesquisa. Informação de Classificação – Características socioeconômicas e
demográficas utilizadas para classificar os entrevistados. Informação de
Identificação – Tipo de informação obtida em um questionário, incluindo nome,
endereço, e numero do telefone.

Abordagem tipo Funil Estratégia para ordenar as perguntas de um questionário,


em que a seqüência começa com perguntas de caráter geral, seguidas por
perguntas progressivamente especificas, a fim de evitar que as perguntas
específicas introduzam tendenciosidade nas perguntas de caráter geral.
Questões de Ramificação – Perguntas usadas para orientar os entrevistados
em uma pesquisa, encaminhando-os a pontos diferentes do questionário,
dependendo das respostas dadas.
PRÉ-TESTE
O pré-teste refere-se ao teste do questionário em uma pequena amostra de
entrevistados, com o objetivo de identificar e eliminar problemas potenciais. A
melhor maneira de efetuar os pré-testes é com entrevistas
pessoais, mesmo que a pesquisa real venha a ser feita pelo correio, por
telefone ou por meios eletrônicos, porque os entrevistadores podem observar
as reações e as atitudes dos entrevistados.

Depois de efetuadas as necessárias modificações, será possível realizar outro


pré-teste. As respostas com o pré-teste devem ser codificadas e analisadas. A
analise dessas respostas pode servir para verificar a adequação do problema e
dos dados e analise necessários para obter as informações
pretendidas.

Para coletar dados primários quantitativos, um pesquisador


deve elaborar um questionário ou um formulário de observação. Um
questionário ou um formulário de observação. Um questionário tem três
objetivos: traduzir a informação necessária em um conjunto de questões
específicas que os entrevistados possam e queiram responder; motivas os
entrevistados a completarem a entrevista; e minimizar o erro de resposta.

O planejamento de um questionário é mais uma arte do que uma


ciência.

O processo começa especificando (1) a informação necessitada e (2) o


tipo do método de entrevista.

O próximo passo é (3) decidir quanto ao conteúdo das questões individuais.

A pergunta deve superar a incapacidade do entrevistado para responder (4). O


entrevistado pode ser incapaz de responder se não está informado, não pode
lembrar-se, ou não consegue articular a resposta.

A relutância do entrevistado em responder também deve ser superada (5). O


entrevistado pode relutar em responder se a questão exige esforço demasiado,
é formulada em uma situação ou contexto considerado inadequado, não atende
a um propósito legitimo, ou pede informações delicadas.

Vem então a decisão sobre a estrutura da questão (6). As perguntas podem ser
não-estruturadas (questões abertas) ou estruturadas em grau variável. As
estruturadas incluem questões de múltipla escolha, dicotômicas e escalas.

A determinação do enunciado de cada questão envolve a definição do


problema, a utilização de palavras comuns e não ambíguas, e o
emprego de afirmações duais. O pesquisador deve evitar questões de
liderança, alternativas e suposições implícitas e generalizações e estimativas.
Uma vez formulada as questões, é preciso decidir a ordem em que elas vão
aparecerno questionário (8). Deve-se dar consideração especial as questões
abertas, tipo de informação, questões difíceis e ao efeito sobre questões
subseqüentes. As perguntas devem ser dispostas em ordem lógica. Estamos
agora em condições de determinar a forma e o layout das questões (9).

Vários fatores são importantes na reprodução do questionário (10). Por


exemplo: aparência, utilização de folhetos, ajustamento de toda a questão em
uma pagina, formato da categoria da resposta, evitar superlotação, colocação
de endereços, codificação de cores, formato da categoria da resposta, evitar
superlotação, colocação de endereços, codificação de cores, formato de leitura
fácil e custo.

E, finalmente, o pré-teste (11). De grande importância são a extensão do pré


teste, a natureza dos entrevistados, o tamanho da amostra, a analise de
protocolo e o interrogatório, e a edição e a analise. O planejamento de
formulários observacionais exige decisões explicitas sobre o que deve ser
observado e como tal comportamento deve ser registrado, especificando-se
quem, o quê, quando, onde, por que, e como o comportamento é observado.

O questionário ou instrumento de pesquisa deve adaptar-se ao


ambiente cultural específico. O questionário deve também ser suscetível de ser

aplicado por mais de um método, pos é comum serem usados diferentes


métodos de entrevista em diferentes paises. Para facilidade de compreensão e
tradução, é conveniente formular questões simples, em vez de questões
complexas. A internet e os computadores podem prestar grande auxílio ao
pesquisador no planejamento seguro de questionários e formulários
observacionais.

Links importantes :
http://pt.shvoong.com/humanities/1703224-elabora%C3%A7%C3%A3o-que ...
http://pt.shvoong.com/humanities/1703226-elabora%C3%A7%C3%A3o-que ...
http://pt.shvoong.com/humanities/1703230-elabora%C3%A7%C3%A3o-que ...

Bibliografia
http://pt.shvoong.com/tags/elabora%C3%A7%C3%A3o-de-questionarios-e-
formularios.-parte1/