Você está na página 1de 2

RESUMO – HELENA, MACHADO DE ASSIS

A morte de um ente querido em si mesmo, muitas vezes, causa uma desagradável


surpresa, no entanto ocasionalmente outras surpresas são reservadas aos
sobreviventes, e Machado de Assis descreve bem uma dessas surpresas no romance
Helena; Vale a pena lê-lo.

O romance começa com a súbita morte do conselheiro Vale, no bairro do Andaraí,


deixando seu filho Dr. Estácio e sua irmã Úrsula , uma viúva de cinqüenta e poucos
anos solteira que cuidava da casa desde a morte da cunhada. Um dia após o enterro
do conselheiro Vale, o Doutor Camargo, que alem de médico, era um velho amigo da
família, foi ter com Estácio e Úrsula no gabinete particular do finado, onde levantou a
questão do testamento que por ventura o finado teria deixado. Como Estácio disse
desconhecer essa informação, o médico propôs ajudar procurando os documentos na
secretária. O testamento foi enfim , encontrado, mas ao achá-lo recusou-se a dar
detalhes do conteúdo, o que faria no dia seguinte na presença dos testamenteiros
nomeados previamente pelo falecido.

A atitude do doutor Camargo deixou transparecer que algo surpreendente seria


revelado por ocasião da leitura do testamento; E assim se deu. Na hora marcada
estava lá o médico e o padre Melchior nomeados testamenteiros, a tia e o sobrinho.
De início, nenhuma novidade, até a hora em que se leu a respeito de uma filha que o
conselheiro tivera fora do casamento, chamada Helena, e que ele havia incluído no
testamento como sua herdeira legal, pedindo que fosse aceita como parte da família.
Tal revelação causou espanto à D. Úrsula que nunca soubera que seu irmão tivera
algum filho fora do casamento.

A reação de Úrsula foi de rejeição total à idéia, para ela essa filha era uma intrusa que
não mereceria tal carinho, muito menos partilhar da herança da família, questionara a
origem e o tipo de vida que Helena por ventura poderia estar levando.
Já Estácio aceitou bem a idéia, pois não se preocupava com o lado financeiro, quanto
à classe da moça sabia que poderia elevá-la ao seu nível; assim, em consideração ao
desejo do finado pai, foi solicito para com a idéia.

A moça foi trazida para a casa da família e ali se dividia entre o ocasional mau humor
de Úrsula e a afetuosidade de Estácio, que procurava lhe mostrar toda a casa,
demonstrando estar muito feliz com sua mais nova meia irmã. Helena tinha um bom
gênio e era bastante sociável, o que fazia com que outros familiares e amigos da
família gostassem dela. Helena arrumou um jeito de se aproximar do meio irmão,
solicitando que ele a ensinasse a montar cavalo, pedido que foi aceito pelo jovem.

Os escravos da chácara, cientes da opinião de D.Úrsula sobre a herdeira, tratavam-na


com certa frieza; exceto Vicente – fiel servidor do cons. Vale, acatou a decisão do
saudoso patrão e tornou-se servidor incansável de Helena, seguindo e protegendo-a
sempre.

Doutor Camargo, cujo maior objetivo era o casamento de Estácio e Eugênia, convida o
futuro genro a se engajar na política e, embora este não fosse muito a favor da idéia,
fica em dúvida, principalmente porque vê nisso uma forma de se aproximar mais da
filha de Camargo, Eugênia, com quem namora, mas não teve coragem formalizar
nenhum compromisso. Úrsula adoeceu gravemente e, por cerca de vinte dias, ficou
aos cuidados de Helena. Se há males que vêm para bem, esse contribuiu para fazer
com que Úrsula passasse a amar a jovem. Helena cuidou da enferma com desvelo e
carinho, sem deixar que a rotina da chácara fosse alterada. Tudo fez como se fosse a
própria D.Úrsula.

Helena já passava a liderar a família, enquanto isso Estácio se aproximava mais e


mais de Eugênia agora com uma ajuda de Helena, que o incentivava a fazer o pedido
de casamento. A chegada de um velho amigo do moço torna a casa ainda mais
alegre. Trata-se de Mendonça, melhor amigo de Estácio, que mais tarde se tornaria
pretendente de Helena, por articulação do Pe. Melchior. Estácio, depois de muito
incentivo por parte de Helena, consegue assumir compromisso com Eugênia, e viaja
na companhia da família da moça para uma cidade vizinha, onde uma parenta - e
madrinha da noiva - está prestes a morrer, Neste ínterim, Helena aceita namorar
Mendonça, amigo de Estácio. Ao saber do provável casamento entre Helena e
Mendonça, Estácio volta imediatamente para casa e procura meios de dissuadir
Helena do casamento com Mendonça, que acaba desistindo, par não ser tachado de
caça-dote. Mais tarde, Estácio concordaria a contra gosto com o casamento.

Quando o romance parece caminhar para seu fim, Estácio se depara com algo que
mudaria a história. Certo dia, ao sair de manhã para caçar, ele se depara com Helena
saindo de um velho casebre na companhia de seu pajem Vicente, numa situação
bastante comprometedora. No entanto, sem ser visto pelos dois, aproveita que
partiram, se aproxima da casa e procura conhecer o dono da casa. Isto resulta numa
crise na família, que culmina com Estácio chamando o padre Melchior para contar-lhe
a desonra que Helena está trazendo para a família. O padre acaba se convencendo de
que o ciúme do jovem se deve ao fato de ele está amando sua meia-irmã. Não
satisfeito com a explicação, Estácio parte a investigação e acaba descobrindo que o
homem com quem Helena se encontrava era seu pai verdadeiro, de quem a mãe dela
se separara quando ela era criança, para ficar com o conselheiro. Após a morte da
mãe de Helena e do conselheiro, o pai voltou a ver a filha, mas não quis tirá-la da casa
do conselheiro, pois ele não tinha na da para lhe oferecer. Após contar toda a verdade,
some da vida de Helena sem mesmo se despedir.

Helena ficou muito envergonhada ao ser descoberta, embora a família estivesse


disposta a acolhê-la e a preservar as coisas como estavam. O pe. Melchior, protetor
da moral e dos bons costumes, aconselha Estácio a não concretizar seu amor, pois
seria um escândalo. Helena, em profunda depressão, debilitada fisicamente, toma
forte chuva, adoecendo gravemente e vindo a falecer alguns dias depois, para
desespero de Estácio. O Romance acaba de forma trágica, narrando os últimos
minutos da moça e a solidão que se abateu sobre todos na casa em especial sobre o
doutor Estácio. Após o enterro, em sua casa, o Dr. Camargo, vendo que seus planos
se concretizariam, dá o terceiro beijo em sua filha Eugênia, futura esposa do Dr.
Estácio.