SIMULADO LINGUA PORTUGUESA 5º ANO ____ / 2011

ALUNO(A) ______________________________________________ Nº ___
ESCOLA: ______________________________________________________
A casa do morro
Na infância, eu morei no interior – a casa do morro. Ela era muito arejada e tranquila. Lá eu descobri o que é
brincar de verdade. Nos finais de semana, meus primos iam nos visitar e meu pai nos contava histórias de assombração.
Recordo que um dia tivemos de dormir na varanda após uma dessas histórias (foi quando o irmão mais velho de papai
veio de Recife com toda a família) e quando a coruja piou alta noite meu primo Luam disse que era coisa de
Lobisomem comendo um cabrito. Foi menino chorando de medo por muitas horas!
Às vezes, entro em meu apartamento e me pego sorrindo dessas lembranças. Sempre digo a mim mesma que
aquela era a casa mais bonita do interior.
(Teresa Cristina Cerqueira de Sousa)
________________________________________________________________________________________________
01
O trecho “Ela era muito arejada e tranquila! (l. 01) expressa:
(A) uma opinião da narradora sobre a casa.
(B) o motivo de a narradora ter se mudado.
(C) um pedido de conservação da casa.
(D)um tipo de casa do interior.
________________________________________________________________________________________________
02
No trecho “Foi menino chorando de medo por muitas horas!” ((l. 05), a frase indica
(A) uma interrogação.
(B) uma exclamação.
(C) um pedido.
(D) uma ordem.
________________________________________________________________________________________________
AUTOMÓVEL ZERO KM
GARANTIA DE 6 ANOS
À VISTA R$ 24 000,00
TRAVA ELÉTRICA
TOTAL Imagem
A PRAZOdo
R$Clip-art
24 400,00
MOTOR 1.4
________________________________________________________________________________________________
AR CONDICIONADO
12 X DE R$ 2

03
000,00
O carro pode ser pago em
SEM JUROS
(A) tres vezes.
(B) quatro vezes.
(C) doze vezes.
(D) dez vezes.
________________________________________________________________________________________________
O avião
Leve, o avião ganha o azul
A Terra é tão grande!
E as figuras do lugar sorrindo
Abanando-se com as palmeiras
Saindo dos lugares
Ô... ô... ôps!
Levantando os cabelos do menino,
Uma folha, um graveto seco
Mas o vento para
Tudo fica sem movimento
E depois o pouso no chão
Ah, mas um pedaço de papel pode ganhar o céu!
(Teresa Cristina Cerqueira de Sousa)
________________________________________________________________________________________________
04
No trecho “Ô... ô... ôps!” (l. 06), as reticências têm efeito de
(A) avisar do perigo.
(B) transmitir uma ideia de fala prolongada.
(C) questionar o tamanho da Terra.

(D) construir um espaço maior para o avião.
________________________________________________________________________________________________
05
No trecho “... O avião ganha o azul”, a palavra destacada pode ser substituída por
(A) sol.
(B) mundo.
(C) solo.
(D)céu.
________________________________________________________________________________________________
Um lugar tranquilo
Quando a gente olha de longe, parece tudo lento, sem vida. Mas de perto é diferente. O lugar é apenas
tranquilo.
Os pássaros, como gente que caminha macio, voam silenciosos num céu de um cinza-chumbo. E cantam
melodiosos. E o vento nos galhos das árvores retorcidas sobre as águas do rio, e uma canoa longe, muito longe... E do
outro lado da margem, garotos pulam de uma ribanceira entre risos e conversas de futebol.
As águas ainda barrentas das chuvas deste ano tomam a cor do céu e dão a impressão de que vai chover. Porém
para o nascente, um arco-íris pincela com cores vivas e alegres a tarde. E é um deslumbramento para os olhos, que me
sinto muito distante das chaminés das fábricas.
Na areia úmida, uma minhoca resolve se aventurar, mas a luz ainda do sol a faz abrigar-se novamente. Vezes
são as ramas das árvores dançando nas águas, vezes é o vento correndo quase dentro do rio. Até os peixes parecem
saltar na superfície do rio. Tudo com graça e harmonia.
De repente, um peixe acanhado salta. Depois o nado para debaixo de umas pedras semiencobertas pelas águas
e o movimento destas. Uma a uma as ondas vão morrer na areia. Caem a meus pés numa queda morna! – Ping, ping,
ping... Que delicia!
Talvez o rio estivesse me convidando a um banho, talvez fossem as lembranças de minha infância...
Talvez eu morasse numa cidade barulhenta e sonhasse com um final de semana num sítio às margens do rio
Piracuruca...
O certo é que o lugar era muito tranquilo... Porque minha alma teve vontade de cantar.
(Teresa Cristina Cerqueira de Sousa)
________________________________________________________________________________________________
06
A ideia central do texto é
(A) a vida na cidade grande.
(B) a descrição de uma lugar tranquilo.
(C) a importãcia de um rio.
(D) os movimentos das águas de um rio.
________________________________________________________________________________________________
07
O texto também a passa a ideia de que
(A) viver em um lugar calmo é bom.
(B) um homem deve ser como as crianças.
(C) meninos podem banhar no rio.
(D)os peixes nadam e morrem na areia.
________________________________________________________________________________________________
08
No trecho “o nado para debaixo de umas pedras semiencobertas pelas águas e o movimento destas”, a palavra
sublinhada refere-se à
(A) águas.
(B) pedras.
(C) semiencobertas.
(D) umas.
________________________________________________________________________________________________
09
O texto é DESCRITIVO, porque
(A) mostra um narrador.
(B) fornece uma imagem.
(C) ensina que os lugares podem ser calmos.
(D) informa sobre um rio.
________________________________________________________________________________________________
Profa. Teresa Cristina Cerqueira de Sousa. Piracurca – PI.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful