P. 1
PLANTAS ORNAMENTAIS - PALMEIRAS

PLANTAS ORNAMENTAIS - PALMEIRAS

1.0

|Views: 1.586|Likes:
Publicado porEdno Negrini Jr

More info:

Categories:Types, Research
Published by: Edno Negrini Jr on May 29, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/02/2013

pdf

text

original

Aula 8PALMEIRAS

1- Características: 
Família

das palmáceas;  típicas das regiões tropicais e subtropicais;  caule do tipo estipe, não ramifica;  folhas flabeladas ou pinadas;  palmito: base das folhas novas;  bainhas deixam marcas no tronco;

2- Ciclo vital das palmeiras: 
ciclo

ilimitado: crescem, florescem, frutificam durante toda a existência;  ciclo limitado: crescem sem florescer, param de crescer, florescem, frutificam e morrem. Ex. Caryota urens ± RABO DE PEIXE (15 a 17 anos) e Raphia taedigera (7 anos);

Rabo-de-peixe

Caryota urens 

Caryota mitis

Índia ou Malásia, C. urens isolada, C. mitis em touceira, folíolos assemelham-se a rabo de peixe, rápido crescimento, ciclo limitado a 17 anos, 10 - 15 m, A C. mitis, de menor porte, pode ser plantada em vasos.

3- Transplante 
crescimento

demorado;  transplante de plantas desenvolvidas é muito utilizado;  maioria suporta transplante, exceto palmito;  pode as folhas, deixando 2 ou 3;  cuidado com o palmito;

4- Palmeira Real ou Imperial? 

Roystonea oleracea:

caule grosso, liso e reto, muito alta, 40 metros, folhas pinadas, não gosta de geadas, folhas eretas. 

Roystonea regia:

caule irregular, inchado à meia altura, mais baixa (20m), folhas mais caídas, tampando o palmito.

5- As tamareiras:
As tamareiras são palmeiras do gênero Phoenix, existindo 3 espécies mais utilizadas e com diferenças bem marcantes em relação ao tamanho: - Phoenix roebelinii- pequena, muito utilizada em vasos e jardins; - Phoenix dactilifera- média, não é tão conhecida, mas é utilizada em jardins; - Phoenix canariensis- grande, muito utilizada em grandes jardins e praças. 

Phoenix roebelinii: pequeno

porte, 1,5 - 2,5 m, porte elegante, estipe áspero e marcado pelas bainhas, folhas pinadas, prefere locais um pouco mais sombreados, crescimento lento, espinhos; 

Phoenix canariensis:

estipe grosso, armado de bainhas foliares, reto e grosso (até 1m de diâmetro), folhas pinadas, com folíolos finos e firmes e espinhos, até 15 metros, pleno sol.

6- Palmeiras leques: 
Existem

várias palmeiras que são chamadas de palmeira-leque. As principais são:
± Latânia ± Livistônia ± Washintonia ± Licuala ± Trachicarpus

Latânia (Latania loddigesii) 

comum no norte, caule baixo, folhas grandes e flabeladas em forma de leque, pecíolo e nervuras vermelhas, 3 metros, quando jovem pode ser cultivada em vasos.

Livistônia (Livistonia chinensis) 

parecida com Latânia, mas suas folhas são verdes, espinhos no pecíolo, não gosta de geadas, altura 5 metros, pode ser cultivada em vasos.

Washingtonia (Washingtonia filifera) 

californiana, tronco grosso, folhas flabeladas e persistentes, permanecem atadas depois de secas, formando saia de palha, 15 metros de altura.

Licuala (Licuala grandis) 

ótima para vasos, altura 3m, folhas em leque, muito decorativas, prefere ambientes mais sombreados, principalmente em locais mais quentes.

7- Palmeiras de porte médio /grande para jardins:
As palmeiras de porte médio/grande (8-10 m) mais utilizadas nos jardins são: ± Jerivá ± Seafórtia ± Rabo de peixe ± Coqueiro da bahia O preço de uma boa muda no Ceasa SP com 2 m de caule sai por volta de R$ 35- 40

Jerivá (Syagrus romanzoffiana) 

nativa BR, muito utilizada, pinadas, parecem crespas, por sair vários folíolos de um mesmo ponto, fácil transplante, resiste temperaturas baixas, frutos amarelos comestíveis, até 15 metros;

Seafórtia (Archontophoenix cunnighamiana) 

porte elegante, estipe reto e liso, folhas pinadas, suporta geadas leves, 10- 15 m, frutos arredondados vermelhos.

Rabo-de-peixe

Caryota urens 

Caryota mitis

Índia ou Malásia, C. urens isolada, C. mitis em touceira, folíolos assemelham-se a rabo de peixe, rápido crescimento, ciclo limitado a 17 anos, 10 - 15 m, A C. mitis, de menor porte, pode ser plantada em vasos.

Coqueiro-da-Bahia (Cocus nucifera) 

não tem

origem definida, produz côco, gosta de clima quente, 10- 15 m, possui variedade anã.

8- Palmeiras de porte médio para jardins:
As palmeiras de porte médio mais utilizadas nos jardins são: ± Areca bambu ± Rafis A areca bambu é uma das mais baratas, uma muda com 2 metros de altura pode sair por R$ 15,00. A rafis é vendida por haste, saindo por R$ 5 a 7 por haste, sendo que uma boa muda tem por volta de 5 a 7 hastes.

Areca-bambu (Chrysalidocarpus lutescens) 

da Ilha de Bourbon, pequena, folhas pinadas, touceiras, nervura principal amarela, pode ser plantada em vasos, não suporta geadas, folhas ficam num tom dourado quando em sol pleno, 5 a 9 metros;

Raphis (Raphis excelsa) 

Chinesa, folhas flabeladas com 5-7 folíolos, delicada e esguia, caules finos, prefere meia sombra, altura 2-3 m, suporta leves geadas, ótima para vasos,

9- As chamaedoras:
São plantadas em locais mais sombreados e em vasos para interior. Possui uma grande variedade de espécies e seu preço varia bastante.

Chamaedora (Chamaedora oblongata) 

caule longo e delgado, folhas pinadas, cultivo na sombra, não suporta sol pleno, boa para plantio em vasos, 1,5 a 2 m.

10- Cycas ±parecem palmeiras, mas não são: 
O

porte das cycas lembram palmeiras, porém elas são gimnospermas (gimno= nua, esperma=semente), não possuem frutos;  São plantas de crescimento lento e suas folhas se desenrolam como as folhas das samambaias;  possuem duas espécies principais:  Cyca revoluta  Cyca circinalis

Cycas (Cyca revoluta) 

não

é uma palmeira, mas seu porte lembra uma, as folhas brotam como samambaias, crescimento lento, altura até 3 metros.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->