Você está na página 1de 12

Matemática 8.

º ano - Testes e Exercícios

Decomposição de figuras, teorema de Pitágoras e semelhança de triângulos

Decomposição de polígonos em triângulos e quadriláteros

Conta a lenda que o famoso puzzle tangram nasceu quando um antigo imperador chinês, num dia de azar,
partiu um espelho em sete partes.

Com as sete partes de um tangram construir uma figura cuja silhueta é dada pode ser um verdadeiro
desafio. A seguir estão algumas das muitas figuras que é possível obter com as sete peças deste puzzle.

Na construção de figuras com o tangram devem ser respeitadas as seguintes regras:

 usar sempre as sete peças;

 nunca sobrepor peças.

Sobre uma cartolina ou um bocado de cartão pode construir-se muito facilmente um tangram.

A tabela seguinte apresenta detalhadamente as etapas a seguir na construção de um tangram.

Construção de um tangram

Começa por construir um quadrado [ABCD], traçando em seguida a diagonal [AC].

Marca os pontos médios E e F dos lados [AB] e [BC], respectivamente. Traça o segmento de
recta que une E a F.

© Porto Editora
Matemática 8.º ano - Testes e Exercícios

Sobre a diagonal [BD] marca o segmento [DG], sendo G o ponto médio do segmento [EF].

Sendo O o centro do quadrado, traça o segmento [FH] paralelamente a [OG], obtendo assim o
quadrado [OGFH].

Traça o segmento [GI] paralelamente ao lado [AB].

Por fim, pinta e recorta as diferentes partes do tangram.

Desafio:

Com as peças de um tangram constrói as seguintes figuras.

As três figuras geométricas seguintes foram obtidas com o mesmo tangram.

Estas figuras têm todas a mesma área que é igual à área do quadrado cuja decomposição deu origem às
peças do tangram. Figuras com a mesma área dizem-se equivalentes.

© Porto Editora
Matemática 8.º ano - Testes e Exercícios

Duas figuras geométricas planas dizem-se equivalentes quando têm a mesma área.

Na figura seguinte está representado um paralelogramo.

A altura traçada do vértice do ângulo obtuso superior para a base inferior decompõe o paralelogramo em
duas partes, um triângulo e um trapézio. Na figura seguinte assinalou-se pela letra b o comprimento do
lado do paralelogramo que escolhemos para base e pela letra h a sua altura.

Sem sobrepor o triângulo e o trapézio obtidos, podemos construir um rectângulo com base e altura
geometricamente iguais às do paralelogramo.

O paralelogramo e o rectângulo são equivalentes, logo:

A  A

como A  bh, substituindo A por bh na equação inicial, obtemos:

A  bh

Para calcular a área de um paralelogramo ( A) multiplica-se o comprimento da base (b) pela altura
correspondente (h).

A  bh

Exemplo

Calcular a área do paralelogramo a seguir representado.

© Porto Editora
Matemática 8.º ano - Testes e Exercícios

Começa-se por escrever a fórmula que permite calcular a área de um paralelogramo:

A  bh

Seguidamente, procuram-se as dimensões necessárias e reduzem-se todas à mesma unidade:

b  102 mm
h  5 cm  50 mm

Substituem-se as letras da fórmula pelos respectivos valores numéricos e efectuam-se os cálculos:

A  102  50
A  5100

No fim escreve-se a conclusão.

 A área do paralelogramo é de 5100 mm2.

Exemplo

Qual é a altura de um paralelogramo com 45,15 m2 de área e cuja base mede 4,3 m?

Resolução:

A  45, 15 m2
b  4, 3 m
h?

A  bh
45, 15  4, 3h
45, 15
h
4, 3
10, 5  h

 A altura do paralelogramo é de 10,5 m.

Num trapézio, ao maior dos dois lados paralelos chama-se base maior e ao menor base menor. A
altura é um segmento que une as duas bases e lhes é perpendicular. Ao comprimento de uma altura
também é usual chamar-se altura.

© Porto Editora
Matemática 8.º ano - Testes e Exercícios

B – comprimento da base maior

b – comprimento da base menor

h – altura

A figura seguinte mostra o trapézio representado anteriormente decomposto em dois trapézios com
metade da sua altura.

Sem sobrepor os trapézios obtidos pode construir-se um paralelogramo cuja base é igual à soma das
bases e cuja altura é igual a metade da altura do trapézio inicial.

O trapézio dado inicialmente e o paralelogramo obtido a partir da sua decomposição em dois trapézios são
equivalentes. Logo:

Atrapézio  A

Como sabemos, a área do paralelogramo obtém-se multiplicando a base pela altura correspondente, logo,
temos:

h
A  (B  b) 
2
(B  b)  h
Atrapézio 
2
Bb
Atrapézio  h
2

B  b
Para calcular a área de um trapézio (Atrapézio) multiplica-se a semi-soma das bases   pela altura
 2 
(h).

Bb
Atrapézio  h
2

Exemplo

Calcular a área do trapézio representado.

© Porto Editora
Matemática 8.º ano - Testes e Exercícios

Começa-se por escrever a fórmula da área do trapézio:

Bb
Atrapézio  h
2

Substitui-se as letras da fórmula pelos respectivos valores numéricos:

16  11
Atrapézio  5
2
Atrapézio  67, 5

Conclui-se:

A área do trapézio é de 67,5 cm2.

Exemplo

Uma parcela de terreno tem a forma de um trapézio cujas dimensões estão indicadas na figura
seguinte.

Calcula a respectiva área em m2.

Resolução:

Atrapézio = ?

B = 125 cm
b = 50 cm

© Porto Editora
Matemática 8.º ano - Testes e Exercícios

h = 48 cm

Bb
Atrapézio  h
2
125  50
Atrapézio   48
2
Atrapézio  4200

 A área da parcela de terreno é de 4200 cm2 = 0,42 m2.

Exemplo

Qual é a altura de um trapézio com 48,75 m2 de área e cuja semi-soma das bases é igual a 15 m?

Atrapézio = 48,75 m2

Bb
 15 m
2
h?

Bb
Atrapézio  h
2
48, 75  15  h
48, 75
h
15
h  3, 25

 A altura do trapézio é de 3,25 m.

Área de figuras planas

Figura Área Exemplo

Quadrado

A  2
  5m
A  2
A  52
 A  25 m2

Rectângulo

A  ab
a  6 cm
A  ab b  4 cm
A  64
 A  24 cm2

Paralelogramo

© Porto Editora
Matemática 8.º ano - Testes e Exercícios

A  bh
b  10 mm
A  bh h  5 mm
A  10  5
 A  50 mm2

Triângulo
bh
A
2
h  3 km
bh
A b  8 km
2
83
A
2
 A  12 km2

Trapézio

(B  b)2
A h
B  10 hm
Bb b  5 hm
A h
2 h  4 hm
10  5
A 4
2
2
 A  30 hm

Círculo

A   r2
  3, 14
A   r2 r  2 dam
A  3, 14  22
 A  12, 56 dam2

Muitas vezes quando não conhecemos uma fórmula para o cálculo da área de uma determinada figura
geométrica pode ser conveniente decompô-la em figuras cujas áreas sejam facilmente calculadas.

Exemplo

Calcular a área do polígono a seguir representado tomando por unidade de medida a distância entre
dois pontos consecutivos.

© Porto Editora
Matemática 8.º ano - Testes e Exercícios

Decompõe-se o polígono em figuras cujas áreas são fáceis de calcular.

Calculam-se as áreas das figuras em que o polígono ficou decomposto.

Bb bh
A1 =  2 A2  h A3 
2 2
86 33
A1 = 2 2 A2  3 A3 
2 2
A1 = 4 u.a. A2  21 u.a. A3  4, 5 u.a.

Finalmente, calcula-se a área do polígono dado adicionando as áreas obtidas:

A = A1 + A2 + A3

A = 4 + 21 + 4,5

A = 29,5 u.a.

Exemplo

Calcula a área da parte azul da figura, considerando como unidade de medida o cm.

© Porto Editora
Matemática 8.º ano - Testes e Exercícios

Resolução:

A área da parte azul da figura é a diferença entre a área A1 do trapézio [ABCD] e a área A2 do
quadrado [EFGH].

Bb 14  6
A1   h  A1  8
2 2
 A1  80

A2  2  A2  32
 A2  9

Representando a área da parte azul da figura pela letra A, temos:

A  A1  A2  A  80  9
 A  71

A parte azul da figura tem 71 cm2 de área.

Num triângulo, chama-se mediana a um segmento que une um vértice ao ponto médio do lado
oposto.

Como podemos constatar na figura seguinte, a mediana relativa ao lado [BC] do triângulo [ABC] divide-o
em dois triângulos, [ABM] e [ACM], sendo M o ponto médio do lado [BC].

© Porto Editora
Matemática 8.º ano - Testes e Exercícios

A altura h dos triângulos [ABM] e [AMC] é a mesma e as respectivas áreas são dadas pelas expressões:

BM  h
A[ABM] 
2
MC  h
A[ABM] 
2

Como M é o ponto médio do segmento [BC], as bases dos dois triângulos são iguais, BM  MC . Logo:

A[ABM] = A[AMC]

Portanto, a mediana do triângulo [ABC] decompõe-no em dois triângulos equivalentes.

Uma mediana de um triângulo decompõe-no em dois triângulos equivalentes.

As três medianas de um triângulo são concorrentes. O ponto de intersecção das medianas chama-se
baricentro ou centro de gravidade.

[AM] – mediana relativa ao lado [BC]

[BN] – mediana relativa ao lado [AC]

[CL] – mediana relativa ao lado [AB]

G – baricentro

Num triângulo rectângulo, os lados que formam o ângulo recto chamam-se catetos e o lado oposto ao
ângulo recto chama-se hipotenusa.

Num triângulo rectângulo, duas das alturas identificam-se com os dois catetos.

[AB] – altura relativa ao cateto [AC]


[AC] – altura relativa ao cateto [AB]
[AH] – altura relativa à hipotenusa [BC]

© Porto Editora
Matemática 8.º ano - Testes e Exercícios

A altura relativa à hipotenusa de um triângulo rectângulo decompõe-no em dois triângulos rectângulos


semelhantes entre si, que, por sua vez, são semelhantes ao triângulo dado inicialmente.

Δ[ABC]  Δ[HAC]  Δ[HBA]

Exemplo

Calcula a altura relativa à hipotenusa do triângulo [ABC] rectângulo em A, sabendo que:

BH  2 cm e HC  8 cm

Resolução:

Sabemos que Δ[ABH]  Δ[CAH], pois dois ângulos do triângulo Δ[ABH] são geometricamente iguais
a dois ângulos do triângulo Δ[CAH].

Logo:

AB BH HA
 
CA AH HC
2 AH

AH 8
2
AH  2  8
AH  16
AH  4

A altura relativa à hipotenusa do triângulo [ABC] mede 4 cm.

© Porto Editora