Você está na página 1de 26

Módulo: Animação de Grupos Especiais

“Animação de Grupos de Formação”


Grupo de Formação

• A vida em grupo assume extrema importância no


contexto da vida social, pois o Homem só pensa em
realizar alguns do seus objectivos existenciais quando
integrado em diversos grupos.
• O grupo de formação é o exemplo disso. Considerado
como um grupo primário ou grupo restrito, pode
classificar-se quanto à sua natureza como Artificial –
os formandos são colocados numa situação em que
“têm” de interagir com outros que lhe são estranhos.
Grupo é:

“Conjunto de pessoas que são


interdependentes na tentativa de realização de
objectivos comuns e que visam um
relacionamento interpessoal satisfatório.”

Definição de grupo segundo Minicucci (1987)


Importância do grupo na formação

• Dispõe de uma maior quantidade e variedade


de informações e ideias;
• Os indivíduos, em grupo, aprendem mais do
que isoladamente;
• As decisões tomadas em grupo tendem a
tornar-se comportamentos estáveis.
FUNÇÕES DO GRUPO:

Função de produção – prossecução dos objectivos delineados


para concretização das actividades;

Função de facilitação – estabelecer normas de


funcionamento e regras, por forma a reger os
desempenhos e assim facilitar a realização dos objectivos
do grupo;
FUNÇÕES DO GRUPO:

Função de regulação – regular as trocas interpessoais e dos


conflitos.

Cabe ao formador gerir a vida interna do grupo, a


comunicação no grupo e salvaguardar a união e a
cooperação no seio do grupo.
O formador deverá ser sempre o gestor da comunicação
no grupo de formação.

O formador deve orientar as mensagens e estimular


a discussão;
Fomentar o intercâmbio;
Suscitar a escuta activa;
Regular as intervenções.
O FORMADOR ENQUANTO ANIMADOR E FACILITADOR DA
APRENDIZAGEM

Assumir a tarefa de ser formador consiste em adoptar


todo um conjunto de atitudes adequadas ao conteúdo da
formação e relacionadas com as funções do formador.

Como elemento facilitador da aprendizagem, o formador


possui o papel de Animador da Formação.
O FORMADOR ENQUANTO ANIMADOR E FACILITADOR
DA APRENDIZAGEM

Nesta perspectiva deve o formador:

1. Suscitar nos formandos comportamentos adequados ao desenvolvimento dos


objectivos;

2. Estabelecer relações de cooperação e apoio com os membros do grupo, sendo


um comunicador;

3. Incentivar a procura autónoma (ensinar, mas também orientar);


O FORMADOR ENQUANTO ANIMADOR E FACILITADOR
DA APRENDIZAGEM

Nesta perspectiva deve o formador:

4. Realçar a importância do papel dos formandos;

2. Colaborar com os formandos na pesquisa de novos conhecimentos;

3. Ser um moderador de conflitos, usando a “energia” interpessoal a


favor da formação.
O FORMADOR ENQUANTO ANIMADOR E FACILITADOR
DA APRENDIZAGEM

O papel do formador é essencialmente o de MOTIVAR


o grupo para a aprendizagem.

O formador deve “ensinar a aprender”, isto é, facilitar


a cada formando a aquisição de conhecimentos.
O FORMADOR ENQUANTO ANIMADOR E FACILITADOR
DA APRENDIZAGEM

TÉCNICAS DE GRUPO

Pré-requisitos:

• Conhecer previamente as suas vantagens e riscos;


• Preparar a sessão de grupo (não improvisar);
• Assegurar a participação de todos.
O FORMADOR ENQUANTO ANIMADOR E FACILITADOR
DA APRENDIZAGEM

TÉCNICAS DE GRUPO

Modalidades técnicas:

• Apresentação/Quebra-Gelo – facilitam a interacção nos diferentes


elementos do grupo;

• Comunicação e participação – activadoras do grupo e indutoras da


emissão de opiniões e do debate, associados aos objectivos da
formação;
O FORMADOR ENQUANTO ANIMADOR E FACILITADOR
DA APRENDIZAGEM

TÉCNICAS DE GRUPO

Modalidades técnicas:

• Assertividade – técnicas destinadas a manter a comunicação


num nível positivo, evitando o despertar de conflitos;

• Movimento – técnicas de intervenção no grupo quando este


começa a dar sinais de cansaço ou desatenção.
ESTILOS DE LIDERANÇA:

1. Estilo democrático

O poder de decisão está distribuído e o grupo possui alguma


autonomia para tomada de decisões;

Objectivos e métodos trabalho estabelecidos em conjunto com


o grupo;
ESTILOS DE LIDERANÇA:

1. Estilo democrático

o formador intervém nas crises mais relevantes;

os resultados são controlados pelo grupo ( a forma como o conhecimento


é adquirido pelo grupo);

a comunicação é abundante e positiva (comunicação activa dentro do


grupo).
Efeitos no grupo do estilo democrático:

elevado nível de produtividade;

estimulação da criatividade dentro do grupo;

Aumento da coesão e da identidade grupal.


ESTILOS DE LIDERANÇA:

2. Estilo liberal

o formador apresenta tarefas mas delega no grupo todo o


poder de decisão quanto aos métodos de trabalho;

situa-se fora do grupo (este é quase considerado uma


ameaça);
ESTILOS DE LIDERANÇA:

2. Estilo liberal

não intervém nas crises ou afirma-se de forma


incoerente;

não controla os resultados, adoptando sempre uma


postura não directiva;
ESTILOS DE LIDERANÇA:

2. Estilo liberal

demite-se do seu papel de gestor e facilitador da


aprendizagem;

é por conseguinte um falso líder.


Efeitos no grupo do estilo liberal:

baixo nível de produtividade;

comunicação elevada com tendência para a anarquia;

afastamento das actividades e objectivos estipulados;


Efeitos no grupo do estilo liberal:

descontentamento e desmotivação em grau elevado;

risco de desmembramento do grupo.


ESTILOS DE LIDERANÇA:

3. Estilo autoritário ou autocrático:

poder de decisão centrado em exclusivo no formador;

não fornece uma visão global das tarefas a realizar;

mantém-se à margem do grupo, não se envolvendo nas


tarefas;
Efeitos no grupo do estilo autoritário:

clima negativo do grupo;

clima motivacional muito baixo;

maior produção devido à centralização exclusiva na tarefa


( tarefas simples sob ordens directas, há maior produtividade);
Efeitos no grupo do estilo autoritário:

ausência de expressão de conflitos por parte do grupo;

ausência de espaço para a criatividade.


Efeitos no grupo do estilo autoritário:

ausência de expressão de conflitos por parte do grupo;

ausência de espaço para a criatividade.

FIM

Você também pode gostar