Você está na página 1de 310

1. (ITA-1968) Num relógio, o ponteiro dos minutos se superpõe

ao ponteiro das horas exatamente às:

a) 6 horas e 355/11 minutos.

b) 6 horas e 358/11 minutos.

c) 6 horas e 360/11 minutos.

d) 6 horas e 365/11 minutos.

e) Nada disso.

Resposta: C

2. (ITA-1968) Três carros percorrem uma estrada plana e reta com velocidades em função do tempo

representadas pelo gráfico. No instante t = 0 os três carros passam por um farol. A 140 m desse farol há outro sinal luminoso permanentemente vermelho. Quais dos carros ultrapassarão o segundo farol?

a) Nenhum dos três.

carros ultrapassarão o segundo farol? a) Nenhum dos três. b) 2 e 3. c) 1 e

b) 2 e 3.

c) 1 e 2.

d) 1 e 3.

e) 1, 2 e 3.

Resposta: B

3. (ITA-1969) O movimento de uma partícula é descrito pelas equações:

x = b sen wt

y = b cos wt

z = ut, onde b, w e u são constantes.

Qual das afirmações abaixo é a correta?

a) A equação da trajetória é:

b) A equação da trajetória é:

. .
.
.

c) A equação da trajetória é:

.da trajetória é: . . c) A equação da trajetória é: d) A velocidade é: e)

d) A velocidade é:

e) A aceleração é:

. .
.
.

Resposta: D

4. (ITA-1969) Um indivíduo quer calcular a que distância se encontra de uma parede. Na posição em

que ele está é audível o eco de suas palmas. Ajustando o ritmo de suas palmas ele deixa de ouvir o eco, pois este chega ao mesmo tempo em que ele bate as mãos. Se o ritmo das palmas é de 100 por minuto e a velocidade do som é aproximadamente 300 m/s, a distância entre ele e a parede é de

aproximadamente:

a) 180 m.

b) 90 m.

c) 500 m.

d) 250 m.

e) Nenhuma das respostas acima.

Resposta: B

5. (ITA-1970) Uma partícula move-se num plano (x,y), de modo que suas coordenadas cartesianas

são dadas por:

x = v 0 t

y = y 0 sen wt

onde t é o tempo e v 0 , y 0 e w são constantes não-nulas. Pode-se afirmar que:

a) A trajetória da partícula é necessariamente retilínea.

b) A partícula descreve um movimento harmônico simples.

c) A partícula descreve uma trajetória senoidal com velocidade cujo módulo é constante.

d) A partícula descreve uma trajetória senoidal com velocidade cujo módulo cresce com o tempo.

e) Nenhuma das afirmações é verdadeira.

Resposta: E

6. (ITA-1971) No estudo do movimento de um móvel, em trajetória retilínea, medindo-se a

velocidade em cada segundo a partir de t = 0 e de um ponto x 0 , obteve-se a seguinte tabela:

v(m/s)

1,0

2,0

6,0

8,0

9,0

10

12

13

14

15

15

15

14

10

6,0

2,0

t(s)

0,0

1,0

2,0

3,0

4,0

5,0

6,0

7,0

8,0

9,0

10

11

12

13

14

15

Após representar v em função de t no diagrama, responda às questões 6, 7 e 8 a partir do gráfico obtido.

A aceleração escalar do móvel nos instantes 4,0 s, 10 s e 13 s foi respectivamente, em m/s 2 :

a) +1,0; 0; +4,0.

b) +4,0; +0,5; -4,0.

c) +2,0; +2,0; -2,0.

d) +2,0; 0; -4,0.

e) +1,0; 0; -4,0.

Resposta: E

-2,0. d) +2,0; 0; -4,0. e) +1,0; 0; -4,0. Resposta : E 7. O espaço percorrido

7. O espaço percorrido pelo móvel entre os instantes 6,0 s e 9,0 s foi, em metros:

a) 4,5.

b) 40,5.

c) 36.

d) 45.

e) 31,5.

Resposta: B

8. Se no instante t = 0, do mesmo ponto x 0 parte do repouso outro móvel, no mesmo sentido e com

aceleração escalar 1,5 m/s 2 , podemos afirmar que:

a) O segundo móvel nunca alcança o primeiro.

b) O segundo móvel alcança o primeiro no instante t = 5 s.

c) O segundo móvel alcança o primeiro no instante t = 10 s.

d) O segundo móvel não alcança o primeiro no instante t = 10 s.

e) Nenhuma das opções acima é correta.

Resposta: D

9. (ITA-1972) Um móvel descreve uma trajetória retilínea tendo seu espaço x em função do tempo t

descrito pelo gráfico. Sendo k e b constantes, o espaço x poderá ser expresso analiticamente por:

a) x = k(t - t 0 ).

b) x = kt 2 .

c) x = k(t + t 0 ) 2 .

d) x = k(t - t 0 ) 2 .

por: a) x = k(t - t 0 ). b) x = kt 2 . c)

e) x = k cos bt.

0

e) x = k cos bt.

Resposta: D

0 e) x = k cos bt. Resposta : D 10. (ITA-1972) No movimento circular e

10. (ITA-1972) No movimento circular e uniforme de uma partícula, considerando-se como vetores as

grandezas físicas envolvidas, podemos afirmar que:

a) Força, aceleração, velocidade tangencial e velocidade angular são constantes.

b) Aceleração, velocidade tangencial e velocidade angular são constantes.

c) Velocidade tangencial e velocidade angular são constantes.

d) Velocidade angular é constante.

e) Nenhuma das grandezas é constante.

Resposta: D

11. (ITA-1973) Um flutuador em colchão de ar, desloca-se num círculo horizontal, sobre uma mesa e

preso à extremidade de um fio inextensível, de comprimento 0,8 m, com velocidade angular

mostrada no gráfico (a propulsão é dada pelos gases expelidos pelo aparelho). Suponha a massa do

aparelho constante. Calcule as acelerações angular

do aparelho constante. Calcule as acelerações angular , tangencial (a t )e centrípeta (a c )e

, tangencial (a t )e centrípeta (a c )e assinale a

resposta correta abaixo.

centrípeta (a c )e assinale a resposta correta abaixo. (rad / s 2 ) a) 0,25
centrípeta (a c )e assinale a resposta correta abaixo. (rad / s 2 ) a) 0,25

(rad / s 2 )

a) 0,25

b) 0,20

c) 0,25

d) 0,20

e) 0,25

Resposta: D

a t (m/s 2 )

0,20

0,16

0,20

0,16

0,16

a c (m/s 2 )

0,8 + 0,32 t + 0,032 t 2 .

0,8 + 0,4 t + 0,05 t 2 .

0,8 + 0,4 t + 0,05 t 2 .

0,8 + 0,32 t + 0,032 t 2 .

0,8 + 0,32 t + 0,032 t 2 .

12. (ITA-1974) Duas partículas (P e Q) deslocam-se sobre o eixo x com as respectivas posições

dadas por:

P) x = 16 + 4bt 2 e

Q) x = bct 3 , para x em metros, t em segundos e c = 1 s -1 .

Qual deve ser o valor de b para que uma partícula alcance a outra em 2 s?

a) 4 m/s 2 .

b) -0,2 m/s 2 .

c) 2 m/s 2 .

d) -2 m/s 2 .

e) -1 m/s 2 .

Resposta: D

13. (ITA-1974) Na questão anterior qual a velocidade da partícula P no ponto de encontro?

a) -8 m/s.

b) -16 m/s.

c) 32 m/s.

d) 16 m/s.

e) -32 m/s.

Resposta: E

14. (ITA-1974) Cinco bolinhas de aço estão presas por eletroímãs ao longo de uma reta r, de

equação y = kx. As bolas estão em posições eqüidistantes tais que d = 0,5 m. Uma bolinha O parte da origem ao longo de x (mesa horizontal sem atrito) com velocidade v = 2 m/s, constante, no mesmo instante em que todas as outras são desligadas dos eletroímãs.

Assinale o valor de k tal que O se choque com a bola número 4. Adote g = 10 m/s 2 .

a) 0,62.

b) 1,25.

c) 1,87.

d) 2,50.

e) 3,12.

Resposta: D

0,62. b) 1,25. c) 1,87. d) 2,50. e) 3,12. Resposta : D 15. (ITA-1974) Uma partícula

15. (ITA-1974) Uma partícula descreve um movimento circular de raio R., partindo do repouso e com

uma aceleração tangencial de módulo e o módulo da aceleração tangencial

constante. A relação entre o módulo da aceleração centrípeta

(
(

) é:

a) . b) . c) . d) . e) .
a) .
b) .
c)
.
d) .
e) .

Resposta: E

16. (ITA-1975) Uma partícula move-se ao longo do eixo x de tal modo que sua posição é dada por: x

= 5 t 3 + 1 (SI). Assinale a resposta correta:

a) A velocidade no instante t = 3,0 s é 135 m/s.

b) A velocidade no instante t = 3,0 s é 136 m/s.

c) A velocidade média entre os instantes t = 2,0 s e t = 4,0 s é igual à velocidade instantânea no

instante t = 3,0 s.

d) A velocidade média e a velocidade instantânea são iguais ao longo de qualquer intervalo de

tempo.

e) A aceleração da partícula é nula.

Resposta: A

17. (ITA-1975) O gráfico a seguir refere-se ao movimento de dois móveis (a) e (b) numa estrada.

é nula. Resposta : A 17. (ITA-1975) O gráfico a seguir refere-se ao movimento de dois
Com respeito às distâncias percorridas pelos dois carros podemos afirmar: a) O carro (a) dois

Com respeito às distâncias percorridas pelos dois carros podemos afirmar:

a) O carro (a) dois minutos após o início da contagem dos tempos estará na frente do carro (b) pois

sua velocidade naquele instante é o dobro da velocidade de (b).

b) No instante t = 0 temos o carro (a) atrás de (b) e no instante t = 2 min o carro (a) está na frente

de (b).

c) Nada se pode afirmar quanto à posição relativa dos carros na estrada.

d) Depois de 2 min o carro (b) percorreu 120 km.

e) Nenhuma das anteriores.

Resposta: C

18. (ITA-1976) Duas partículas, A e B, deslocam-se ao longo do eixo Ox com velocidades dadas pelo

gráfico, sendo que no instante t = 0 ambas estão na origem do sistema de coordenadas. No instante t = 2 s, A e B estão, respectivamente nos pontos de abscissas x 1 e x 2 , com acelerações a 1 e a 2 .

a) a 1 = a 2 .

b) a 1 > a 2 .

c) x 1 = x 2 .

d) x 1 < x 2 .

e) Nenhuma das anteriores.

Resposta: E

< x 2 . e) Nenhuma das anteriores. Resposta : E 19. (ITA-1976) Uma partícula é

19. (ITA-1976) Uma partícula é lançada no vácuo, verticalmente para cima, com uma velocidade

inicial de 10 m/s. Dois décimos de segundo depois lança-se, do mesmo ponto, uma segunda partícula

com a mesma velocidade inicial. A aceleração da gravidade é igual a 10 m/s 2 . A colisão entre as duas partículas ocorrerá:

a) 0,1 s após o lançamento da segunda partícula.

b) 1,1 s após o lançamento da segunda partícula.

c) A uma altura de 4,95 m acima do ponto de lançamento.

d) A uma altura de 4,85 m acima do ponto de lançamento.

e) A uma altura de 4,70 m acima do ponto de lançamento.

Resposta: C

20. (ITA-1977) A curva a seguir é a representação gráfica da equação horária de um movimento

retilíneo. Ela é constituída por um trecho de um ramo de parábola cujo vértice está localizado no eixo s. Neste movimento:

Ela é constituída por um trecho de um ramo de parábola cujo vértice está localizado no
a) A velocidade inicial é nula e a aceleração é de -6 m/s 2 .

a) A velocidade inicial é nula e a aceleração é de -6 m/s 2 .

b) A velocidade inicial é 48 m/s e a aceleração é de 6 m/s 2 .

c) A aceleração é de -39 m/s 2 .

d) A velocidade média no intervalo de 0 a 2 s é de 9 m/s

e) Nenhuma destas afirmações é correta.

Resposta: E

21. (ITA-1978) Duas partículas, A e B, partem do repouso, em movimento retilíneo, segundo o

gráfico:

Pode-se afirmar que as distâncias, em metros, entre as partículas A e B, nos instantes 2s, 3s, 4s, 5s e 7s, têm, respectivamente, os valores indicados na alternativa:

a) 3, 11, 13, 20, 30.

b) 4, 7, 9, 20, 13.

c) 4, 9, 15, 20, 24.

d) 4, 6, 9, 10, 13.

e) 3, 7, 9, 10, 13.

Resposta: C

24. d) 4, 6, 9, 10, 13. e) 3, 7, 9, 10, 13. Resposta : C

22. (ITA-1979) Um ponto P de uma roda é obrigado a descrever uma trajetória circular de raio R,

com aceleração

aceleração e velocidade são indicados na Fig. 1.

de módulo constante. Num dado instante, a direção e o sentido dos vetoresaceleração e velocidade são indicados na Fig. 1. Pode-se, então, afirmar que: a) As componentes tangencial

Num dado instante, a direção e o sentido dos vetores Pode-se, então, afirmar que: a) As

Pode-se, então, afirmar que:

a) As componentes tangencial e centrípeta de

b) Sendo periódico o movimento, decorrido um período após o instante correspondente à situação da

Fig. 1, a nova configuração dos vetores velocidade acima.

é ilustrada na Fig. 2

dos vetores velocidade acima. é ilustrada na Fig. 2 , respectivamente e aceleração e são constantes.

, respectivamente

velocidade acima. é ilustrada na Fig. 2 , respectivamente e aceleração e são constantes. , com

e aceleração

eé ilustrada na Fig. 2 , respectivamente e aceleração são constantes. , com . c) O

são constantes.é ilustrada na Fig. 2 , respectivamente e aceleração e , com . c) O módulo

Fig. 2 , respectivamente e aceleração e são constantes. , com . c) O módulo da

, comFig. 2 , respectivamente e aceleração e são constantes. . c) O módulo da aceleração tangencial

.
.

c) O módulo da aceleração tangencial

d) A aceleração

e) Na primeira vez que a partícula torna a passar pela posição inicial, a configuração dos vetores

velocidade

posição inicial, a configuração dos vetores velocidade , em cada instante, é dado por , é
posição inicial, a configuração dos vetores velocidade , em cada instante, é dado por , é

, em cada instante, é dado por

, é ilustrada na Fig. 3.

é constante., em cada instante, é dado por , é ilustrada na Fig. 3. e aceleração ,

e aceleração

por , é ilustrada na Fig. 3. é constante. e aceleração , com Resposta : E
por , é ilustrada na Fig. 3. é constante. e aceleração , com Resposta : E

, com

Resposta: E

23. (ITA-1979) Um estudante observou o movimento de um móvel durante certo tempo. Verificou

que o móvel descrevia um movimento retilíneo e anotou os valores de espaço (e) e de tempo (t) correspondentes, construindo o gráfico a seguir.

movimento retilíneo e anotou os valores de espaço (e) e de tempo (t) correspondentes, construindo o
Pode-se afirmar que: a) A velocidade do móvel é constante e vale 1,0 m/s, tendo

Pode-se afirmar que:

a) A velocidade do móvel é constante e vale 1,0 m/s, tendo em vista que faz com o eixo dos tempos

é 45°.

b) A velocidade do móvel é constante e vale

m/s.é 45°. b) A velocidade do móvel é constante e vale c) A velocidade do móvel

c) A velocidade do móvel é constante e vale 1,4 m/s, aproximadamente.

d) Faltam dados para calcular a velocidade do móvel.

e) A aceleração e a velocidade do móvel estão indeterminadas.

Resposta: D

24. (ITA-1980) Um móvel A parte da origem O com velocidade inicial nula, no instante t 0 = 0 e

percorre o eixo Ox com aceleração constante

saída de A, um segundo móvel, B, parte do repouso de O com aceleração constante

alcançará A no instante:

. Após um intervalo de tempode O com aceleração constante alcançará A no instante: contado a partir da , sendo .

contado a partir da

instante: . Após um intervalo de tempo contado a partir da , sendo . B a)

, sendo

. Após um intervalo de tempo contado a partir da , sendo . B a) .

. B

a)

a) .

.

b)

.
.

c)

.
.

d)

.
.

e)

.
.

Resposta: E

25. (ITA-1980) Um corpo cai em queda livre, de uma altura tal que durante o último segundo de

queda ele percorre corpo.

que durante o último segundo de queda ele percorre corpo. da altura total. Calcular o tempo

da altura total. Calcular o tempo de queda, supondo nula a velocidade inicial do

a)

.
.

b)

.
.

c)

.
.

d)

.
.

e)

.
.

Resposta: C

26. (ITA-1981) Dois móveis, A e B, percorrem a mesma reta, no mesmo sentido, de tal maneira que,

no instante t = 0,00 s a distância entre eles é de 10,0 m. Os gráficos de suas velocidades são

mostrados na figura. Sabe-se que os móveis passam um pelo outro num certo instante

t E > 0, no qual a velocidade de B em relação à de A tem um certo valor v BA .

7 of 310

Podemos concluir que:

a) t E = 8,00 s e v B A = 4,00 m.s - 1

a) t E = 8,00 s e v BA = 4,00 m.s -1 .

b) t E = 4,00 s e v BA = 0,00 m.s -1 .

c) t E = 10,00 s e v BA = 6,00 m.s -1 .

d) O problema como foi proposto não tem solução.

e) t E = 8,00 s e v BA = 4,00 m.s -1 .

Resposta: D

27. (ITA-1982) Um nadador, que pode desenvolver uma velocidade de 0,900 m/s na água parada,

atravessa um rio de largura D metros, cuja correnteza tem velocidade de 1,08 km/h. Nadando em

linha reta ele quer alcançar um ponto da outra margem situado

reta ele quer alcançar um ponto da outra margem situado metros abaixo do ponto de partida.

metros abaixo do ponto de

partida. Para que isso ocorra, sua velocidade em relação ao rio deve formar com a correnteza o ângulo:

a) arc sen

b) arc sen

. .
.
.

c) Zero grau.

d) arc sen

.
.

e) O problema não tem solução.

Resposta: A

28. (ITA-1982) Acima de um disco horizontal de centro O que gira em torno de seu eixo, no vácuo,

dando 50,0 voltas por minuto, estão duas pequenas esferas M e N. A primeira está 2,00 m acima do disco e a segunda a 4,50 m acima do disco, ambas na mesma vertical. Elas são abandonadas

simultaneamente e, ao chocar-se com o disco, deixam marcas N' e M' tais que o ângulo M'ON' é igual

a 95,5°. Podemos concluir que a aceleração de gravidade local vale:

a) 10,1 ms -2 .

b) 49,3 ms -2 .

c) 9,86 ms -2 .

d) 11,1 ms -2 .

e) 3,14 ms -2 .

Resposta: C

29. (ITA-1983) Um móvel parte da origem do eixo x com velocidade constante igual a 3 m/s. No

instante t = 6s o móvel sofre uma aceleração

= 6 s será:

= - 4 m/s 2 . A equação horária a partir do instante t

a)

x = 3 t - 2 t 2 .

b)

x = 18 + 3 t - 2 t 2 .

c)

x = 18 - 2 t 2 .

d)

x = -72 + 27 t - 2 t 2 .

e)

x = 27 t - 2 t 2 .

Resposta: D

30. (ITA-1985) Um ônibus parte do Rio de Janeiro para Curitiba às 7 horas da manhã; às 12 horas

parte outro ônibus de Curitiba para o Rio. Percorrem os 720 km entre as duas cidades em 12 horas. A hora e a distância do Rio de Janeiro que os ônibus se encontram, são, respectivamente:

a) 08h30 min e 220 km.

b) 15h30 min e 220 km.

c) 08h30 min e 510 km.

d) 15h30 min e 510 km.

e) 15h30 min e 498 km.

Resposta: D

31. (ITA-1985) Dois corpos estão sobre a mesma vertical, a 40 m um do outro. Simultaneamente

deixa-se cair o mais alto e lança-se o outro para cima com velocidade inicial v 0 . A velocidade v 0 para

que ambos se encontrem quando o segundo alcança sua altura máxima, é: (g = 10 m/s 2 )

a) 20 m/s.

b) 15 m/s.

c) 25 m/s.

d) 30 m/s.

e) 22 m/s.

Resposta: A

32. (ITA-1985) Uma roda de bicicleta tem raio de 25 cm. Em 5 s o ciclista alcança a velocidade de 10

m/s. A aceleração angular da roda, suposta constante, é:

a) 20 rad/s 2 .

b) 0,08 rad/s 2 .

c) 2 rad/s 2 .

d) 8 rad/s 2 .

e) 0,5 rad/s 2 .

Resposta: D

33. (ITA-1986) O gráfico a seguir representa as posições das partículas (1), (2) e (3), em função do

tempo. Calcule a velocidade de cada partícula no instante t = 4 s.

das partículas (1), (2) e (3), em função do tempo. Calcule a velocidade de cada partícula
  v 1 (m/s) v 2 (m/s) v 3 (m/s) a) 50 25 100 b)
 

v 1 (m/s)

v 2 (m/s)

v 3 (m/s)

a)

50

25

100

b)

-75

zero

35

c)

-75

25

-20

d)

-50

zero

20

e)

+75

25

35

Resposta: D

34. (ITA-1987) Uma gota d'água cai verticalmente através do ar, de tal forma que sua altura h,

medida em metros a partir do solo, varia com o tempo (em segundos) de acordo com a equação:

h = 0,90 - 0,30 t - 9,3.·10 -2 e -3,2 t

Podemos afirmar que sua velocidade em cm/s obedece à lei:

a) v = 9,8·10 2 t.

b) v = -30 + 28,83 e -3,2 t .

c)

v = -30 + 30 e -3,2 t .

d)

v = 30 e -3,2 t .

e)

v = 30 - 9,3 e -3,2 t .

Resposta: C

35. (ITA-1987) Um avião Xavantes está a 8 km de altura e voa horizontalmente a 700 km/h,

patrulhando as costas brasileiras. Em dado instante, ele observa um submarino inimigo parado na

superfície. Desprezando as forças de resistência do ar e adotando g = 10 m/s 2 , pode-se afirmar que o tempo que dispõe o submarino para deslocar-se após o avião ter solto uma bomba é de:

a) 108 s.

b) 20 s.

c) 30 s.

d) 40 s.

e) Não é possível determinar se não for conhecida a distância inicial entre o avião e o submarino.

Resposta: D

36. (ITA-1988) Um disco gira, em torno de seu eixo, sujeito a um torque constante. Determinando-se

a velocidade angular média entre os instantes t = 2,0 s e t = 6,0 s, obteve-se 10 rad/s, e, entre os

instantes t = 10 s e t = 18 s, obteve-se 5,0 rad/s. A velocidade angular inicial

aceleração angular

5,0 rad/s. A velocidade angular inicial aceleração angular (em rad/s), e a (em rad/s 2 )

(em rad/s), e a

angular inicial aceleração angular (em rad/s), e a (em rad/s 2 ) valem, respectivamente: a) 12

(em rad/s 2 ) valem, respectivamente:

a) 12 e -0,5.

b) 15 e -0,5.

c) 20 e 0,5.

d) 20 e -2,5.

e) 35 e 2,5.

Resposta: A

37. (ITA-1988) Três turistas, reunidos num mesmo local e dispondo de uma bicicleta que pode levar

somente duas pessoas de cada vez, precisam chegar ao centro turístico o mais rápido possível. O turista A leva o turista B, de bicicleta até um ponto X do percurso e retorna para apanhar o turista C que vinha caminhando ao seu encontro. O turista B, a partir do ponto X, continua a pé a sua viagem rumo ao centro turístico. Os três chegam simultaneamente ao centro turístico. A velocidade média como pedestre é v 1 , enquanto que como ciclista é v 2 . Com que velocidade média os turistas farão o

percurso total?

10 of 310

Resposta

38. (ITA-1989) Os gráficos representam possíveis movimentos retilíneos de um corpo, com e =

espaço percorrido e t = tempo de percurso. Em qual deles é maior a velocidade média entre os

Resposta: vm = (3v1 + v2)v2 / v1 + 3v2

38. (ITA-1989) Os gráficos representam possíveis movimentos retilíneos de um corpo, com e =

espaço percorrido e t = tempo de percurso. Em qual deles é maior a velocidade média entre os instantes t 1 = 5 s e t 2 = 7 s?

média entre os instantes t 1 = 5 s e t 2 = 7 s? Resposta

Resposta: B

39. (ITA-1989) Num plano horizontal, sem atrito, uma partícula m 1 move-se com movimento circular

uniforme de velocidade angular

com movimento circular uniforme de velocidade angular . Ao passar pelo ponto P, outra partícula, m

. Ao passar pelo ponto P, outra partícula, m 2 , é lançada do ponto

O com velocidade

partícula, m 2 , é lançada do ponto O com velocidade . Qual é o módulo

. Qual é o módulo de

é lançada do ponto O com velocidade . Qual é o módulo de para que m

para que m 1 e m 2 colidam em Q?

a)

b)

c)

d)

e)

. . . . .
.
.
.
.
.

Resposta: C

41. (ITA-1990) Um corpo em movimento retilíneo e uniforme tem sua velocidade em função do

tempo dada pelo gráfico:

tem sua velocidade em função do tempo dada pelo gráfico: Neste caso pode-se afirmar que: a)

Neste caso pode-se afirmar que:

a) A velocidade média entre t = 4 s e t = 8 s é de 2,0 m/s.

b) A distância percorrida entre t = 0 e t = 4 s é de 10 m.

c) Se a massa do corpo é de 2,0 kg, a resultante das forças que atuam sobre ele entre t = 0 e t = 2 s

é de 0,5 N.

d) A aceleração média entre t = 0 e t = 8 s é de 2,0 m/s 2 .

e) Todas as afirmativas acima estão erradas.

Resposta: E

42. (ITA-1991) A figura representa uma vista aérea de um trecho retilíneo de ferrovia. Duas

locomotivas a vapor, A e B, deslocam-se em sentidos contrários com velocidades constantes de 50,4 km/h e 72,0 km/h, respectivamente. Uma vez que AC corresponde ao rastro da fumaça do trem A, BC ao rastro da fumaça do trem B e que AC = BC, determine a velocidade do vento. Despreze a distância entre os trilhos de A e B.

a) 5,00 m/s.

b) 4,00 m/s.

c) 17,5 m/s.

d) 18,0 m/s.

e) 14,4 m/s.

Resposta: A

m/s. c) 17,5 m/s. d) 18,0 m/s. e) 14,4 m/s. Resposta : A 43. (ITA-1991) Considere

43. (ITA-1991) Considere dois carros que estejam participando de uma corrida. O carro A consegue

realizar cada volta em 80 s enquanto o carro B é 5,0% mais lento. O carro A é forçado a uma parada

nos boxes ao completar a volta de número 6. Incluindo aceleração, desaceleração e reparos, o carro

A perde 135 s. Qual deve ser o número mínimo de voltas completas da corrida para que o carro A

possa vencer?

a) 28.

b) 27.

c) 33.

d) 34.

e) Nenhuma das alternativas anteriores.

Resposta: D

44. (ITA-1991) Uma partícula move-se em órbita circular com aceleração tangencial de módulo

constante. Considere que a velocidade angular era nula no instante t = 0. Em dado instante t', o

ângulo entre o vetor aceleração

exibe um valor de aceleração angular ( ) adequado à partícula no instante t'.

angular ( ) adequado à partícula no instante t'. e a direção ao longo do raio

e a direção ao longo do raio é

no instante t'. e a direção ao longo do raio é Indique qual das alternativas a)

Indique qual das alternativas

a)

b)

c)

d)

e)

. . . . .
.
.
.
.
.

Resposta: C

45. (ITA-1991) A equação x = 1,0·sen (2,0 t) expressa a posição de uma partícula em unidades do

Sistema Internacional. Qual seria a forma do gráfico velocidade (v)X posição (x) desta partícula?

a) Uma reta paralela ao eixo de posição.

b) Uma reta inclinada passando pela origem.

c) Uma parábola.

d) Uma circunferência.

e) Uma elipse.

Resposta: E

46. (ITA-1992) Dois automóveis que correm em estradas retas e paralelas, têm posições a partir de

uma origem comum, dadas por:

x

1 = (30 t) m

x

2 = (1,0·10 3 + 0,2 t 2 ) m

Calcule o(s) instante(s) t (t') em que os dois automóveis devem estar lado a lado. Na resposta você deverá fazer um esboço dos gráficos x 1 (t) e x 2 (t).

a) t = 100 s e t' = 100 s.

b) t = 2,5 s e t' = 7,5 s.

c) t = 50 s e t' = 100 s.

d) t = 25 s e t' = 75 s.

e) Nunca ficarão lado a lado.

Resposta: C

47. (ITA-1993) Uma ventania extremamente forte está soprando com velocidade v na direção da seta

mostrada na figura. Dois aviões saem simultaneamente do ponto A e ambos voarão com velocidade c em relação ao ar. O primeiro avião voa contra o vento até o ponto B e retorna logo em seguida ao ponto A, demorando para efetuar o percurso total um tempo t 1 . O outro voa perpendicularmente ao

vento até o ponto D e retorna ao ponto A, num tempo total t 2 . As distâncias AB e AD são iguais a L.

Qual é a razão entre os tempos de vôo dos dois aviões?

a)

.
.

b)

.
.

c)

.
.

d)

.
.

e)

.
.

Resposta: A

. c) . d) . e) . Resposta : A 48. (ITA-1993) Sobre um sistema de

48. (ITA-1993) Sobre um sistema de coordenadas xOy efetuam-se dois movimentos harmônicos

simples representados por: x = a·cos wt e y = a·

Obtenha a equação da trajetória que é o lugar geométrico dos pontos (x,y) do plano.

que é o lugar geométrico dos pontos (x,y) do plano. sen wt, onde a e w

sen wt, onde a e w são constantes positivas.

a) Círculo.

b) Elipse com centro na origem.

c) Reta inclinada de 60° com o eixo x.

d) Elipse com um foco na origem.

e) Reta inclinada de 120° com o eixo x .

13 of 310

Resposta

49. (ITA-1994) Um barco, com motor em regime constante, desce um trecho de um rio em 2,0 horas

e sobe o mesmo em 4,0 horas. Quanto tempo levará o barco para percorrer o mesmo trecho, rio

Resposta: B

49. (ITA-1994) Um barco, com motor em regime constante, desce um trecho de um rio em 2,0 horas

e sobe o mesmo em 4,0 horas. Quanto tempo levará o barco para percorrer o mesmo trecho, rio abaixo, com o motor desligado?

a) 3,5 horas.

b) 6,0 horas.

c) 8,0 horas.

d) 4,0 horas.

e) 4,5 horas.

Resposta: C

50. (ITA-1994) Um avião voando horizontalmente a 4000 m de altura numa trajetória retilínea com

velocidade constante passou por um ponto A e depois por um ponto B situado a 3000 m do primeiro. Um observador no solo, parado no ponto verticalmente abaixo de B, começou a ouvir o som do avião, emitido de A, 4,00 s antes de ouvir o som proveniente de B. Se a velocidade do som no ar era de 320 m/s, a velocidade do avião era de:

a) 960 m/s.

b) 750 m/s.

c) 390 m/s.

d) 421 m/s.

e) 292 m/s.

Resposta: D

51. (ITA-1995) Um avião voa numa altitude e velocidade de módulo constante, numa trajetória

circular de raio R, cujo centro coincide com o pico de uma montanha onde está instalado um canhão.

A velocidade tangencial do avião é de 200 m/s e a componente horizontal da velocidade da bala do

canhão é de 800 m/s. Desprezando-se os efeitos de atrito e o movimento da Terra e admitindo que o

canhão está direcionado de forma a compensar o efeito de atração gravitacional, para atingir o avião, no instante do disparo, o canhão deverá estar apontando para um ponto à frente do mesmo situado

a:

a)

b) 4,0

c) 0,25R rad.

d) 0,25

e) 0,25 rad.

4,0 rad.

a: a) b) 4,0 c) 0,25R rad. d) 0,25 e) 0,25 rad. 4,0 rad. rad. rad.

rad.

b) 4,0 c) 0,25R rad. d) 0,25 e) 0,25 rad. 4,0 rad. rad. rad. Resposta :

rad.

Resposta: E

52. (ITA-1996) Um automóvel a 90 km/h passa por um guarda num local em que a velocidade

máxima permitida é de 60 km/h. O guarda começa a perseguir o infrator com a sua motocicleta, mantendo aceleração constante até que atinge 108 km/h em 10s e continua com essa velocidade até alcançá-lo, quando lhe faz sinal para parar. Pode-se afirmar que:

a) O guarda levou 15s para alcançar o carro.

b) O guarda levou 60s para alcançar o carro.

c) A velocidade do guarda ao alcançar o carro era de 25 m/s.

d) O guarda percorreu 750 m desde que saiu em perseguição até alcançar o motorista infrator.

e) Nenhuma das respostas acima é correta.

Resposta: D

53. (ITA-1997) Uma partícula em movimento harmônico simples oscila com freqüência de 10 Hz

entre os pontos L e -L de uma reta. No instante t 1 a partícula está no ponto

de 10 Hz entre os pontos L e -L de uma reta. No instante t 1

L/2 caminhando em

direção a valores inferiores, e atinge o ponto -

deslocamento é:

a) 0,021 s.

b) 0,029 s.

c) 0,15 s.

d) 0,21 s.

e) 0,29 s.

Resposta: B

0,029 s. c) 0,15 s. d) 0,21 s. e) 0,29 s. Resposta : B L/2 no

L/2 no instante t 2 . O tempo gasto nesse

54. (ITA-2001) Uma partícula move-se ao longo de uma circunferência circunscrita em um quadrado

de lado L, com velocidade angular constante. Na circunferência inscrita nesse quadrado, outra partícula move-se com a mesma velocidade angular. A razão entre os módulos das respectivas velocidades tangenciais dessas partículas é:

a)

b)

c) .

d) .

e) .

Resposta: A

55. (ITA-2001) Uma partícula, partindo do repouso, percorre no intervalo de tempo t, uma distância

D. Nos intervalos de tempo seguintes, todos iguais a t, as respectivas distâncias percorridas são iguais a 3D, 5D, 7D etc. A respeito desse movimento pode-se afirmar que:

a) A distância percorrida pela partícula, desde o ponto em que se inicia seu movimento, cresce

exponencialmente com o tempo.

b) A velocidade da partícula cresce exponencialmente com o tempo.

c) A distância percorrida pela partícula, desde o ponto em que se inicia seu movimento, é

diretamente proporcional ao tempo elevado ao quadrado.

d) A velocidade da partícula é diretamente proporcional ao tempo elevado ao quadrado.

e) Nenhuma das opções acima está correta.

Resposta: C

56. (ITA-2001) No sistema convencional de tração de bicicletas, o ciclista impele os pedais, cujo eixo

movimenta a roda dentada (coroa) a ele solidária. Esta, por sua vez, aciona a corrente responsável pela transmissão do movimento à outra roda dentada (catraca), acoplada ao eixo traseiro da bicicleta. Considere agora um sistema duplo de tração, com 2 coroas, de raios R1 e R2 (R1< R2) e duas catracas de raios R3 e R4 (R3 < R4), respectivamente. Obviamente, a corrente só toca uma coroa e uma catraca de cada vez, conforme o comando da alavanca de câmbio. A combinação que permite a máxima velocidade da bicicleta, para uma velocidade angular dos pedais fixa, é:

a) Coroa R1 e catraca R3.

b) Coroa R1 e catraca R4.

c) Coroa R2 e catraca R3.

d) Coroa R2 e catraca R4.

e) Indeterminada já que não se conhece o diâmetro da roda traseira da bicicleta.

Resposta: C

57. (ITA-2001) Em um farol de sinalização, o feixe de luz acoplado a um mecanismo rotativo realiza

uma volta completa a cada T segundos. O farol se encontra a uma distância R do centro de uma praia de comprimento 2L, conforme a figura. O tempo necessário para o feixe de luz "varrer" a praia, em cada volta, é:

a)

.
.

b)

c)

d)

e)

. .
.
.

.b) c) d) e) . . . Resposta : C 58. (ITA-2001) Uma bola é lançada

.
.

Resposta: C

b) c) d) e) . . . . Resposta : C 58. (ITA-2001) Uma bola é

58. (ITA-2001) Uma bola é lançada horizontalmente do alto de um edifício, tocando o solo decorridos

aproximadamente 2 s. Sendo 2,5 m a altura de cada andar, o número de andares do edifício é: (g =

10 m/s 2 )

a) 5.

b) 6.

c) 8 .

d) 9.

e) Indeterminado pois a velocidade horizontal de arremesso da bola não foi fornecida.

Resposta: C

59. (ITA-2001) Uma partícula descreve um movimento cujas coordenadas são dadas pelas seguintes

equações: X(t) = X 0 cos (wt) e Y = Y 0 sen (wt +

equações: X(t) = X 0 cos (wt) e Y = Y 0 sen (wt + ),

), em que w, X 0 e Y 0 são constantes positivas. A

trajetória da partícula é:

a) Uma circunferência percorrida no sentido anti-horário.

b) Uma circunferência percorrida no sentido horário.

c) Uma elipse percorrida no sentido anti-horário.

d) Uma elipse percorrida no sentido horário.

e) Um segmento de reta.

Resposta: C

60. (ITA-2002) Billy sonha que embarcou em uma nave espacial para viajar até o distante planeta

Gama, situado a 10,0 anos-luz da Terra. Metade do percurso é percorrida com aceleração de 15 m/s 2

e o restante com desaceleração de mesma magnitude. Desprezando a atração gravitacional e efeitos

relativistas, estime o tempo total em meses de ida e volta da viagem do sonho de Billy. Justifique detalhadamente.

É dada a velocidade de propagação da luz no vácuo: c = 3,0.10 8 m/s.

Considere 1ano

da luz no vácuo: c = 3,0.10 8 m/s. Considere 1ano 3,2.10 7 s. Resposta :

3,2.10 7 s.

Resposta: 120 meses

61. (ITA-2003) A partir do repouso, uma pedra é deixada cair da borda no alto de um edifício. A

figura mostra a disposição das janelas, com as pertinentes alturas h e distâncias L que se repetem

igualmente para as demais janelas, até o térreo. Se a pedra percorre a altura h da primeira janela em

t segundos, quanto tempo levará para percorrer, em segundos, a mesma altura h da quarta janela?. Despreze a resistência do ar.

a)

b)

c)

.levará para percorrer, em segundos, a mesma altura h da quarta janela?. Despreze a resistência do

.levará para percorrer, em segundos, a mesma altura h da quarta janela?. Despreze a resistência do

.
.
levará para percorrer, em segundos, a mesma altura h da quarta janela?. Despreze a resistência do
d) e) . . Resposta : C 62. (ITA-2004) Durante as Olimpíadas de 1968, na

d)

e)

.
.
.
.

Resposta: C

d) e) . . Resposta : C 62. (ITA-2004) Durante as Olimpíadas de 1968, na cidade

62. (ITA-2004) Durante as Olimpíadas de 1968, na cidade do México, Bob Beamow bateu o recorde

de salto em distância, cobrindo 8,9 m de extensão. Suponha que, durante o salto, o centro da gravidade do atleta teve sua altura variando de 1,0 m no início, chegando ao máximo de 2,0 m e terminando a 0,20 m no fim do salto. Desprezando o atrito com o ar, pode-se afirmar que a

componente horizontal da velocidade inicial do salto foi de: (g = 10 m/s 2 )

a) 8,5 m/s.

b) 7,5 m/s.

c) 6,5 m/s.

d) 5,2 m/s.

e) 4,5 m/s.

Resposta: A

63. (ITA-2005) Um avião de vigilância aérea está voando a uma altura de 5,0 km, com velocidade de

50

de um ponto fixo no solo. O piloto então liga o sistema de pós-combustão da turbina, imprimindo

uma aceleração constante de 6,0 m/s 2 . Após

m/s no rumo norte e capta no radiogoniômetro um sinal de socorro vindo da direção noroeste,uma aceleração constante de 6,0 m/s 2 . Após s mantendo a mesma direção, ele agora

um sinal de socorro vindo da direção noroeste, s mantendo a mesma direção, ele agora constata

s mantendo a mesma direção, ele agora constata

que o sinal está chegando da direção oeste. Neste instante, em relação ao avião, o transmissor do sinal se encontra a uma distância de:

a) 5,2 km.

b) 6,7 km.

c) 12 km.

d) 13 km.

e) 28 km.

Resposta: D

64. (ITA-2006) À borda de um precipício de certo planeta, no qual se pode desprezar a resistência do

ar, um astronauta mede o tempo t 1 que uma pedra leva para atingir o solo, após deixada cair de uma

altura H. A seguir, ele mede o tempo t 2 que uma pedra leva para atingir o solo, após ser lançada para

cima até uma altura h, como mostra a figura. Assinale a expressão que dá a altura H.

a)

.
.

b)

.
.

c)

c) .

.

d)

d) .

.

e)

.
.
mostra a figura. Assinale a expressão que dá a altura H. a) . b) . c)

Resposta: E

1. (ITA-1969) Três superfícies planas circulares isoladas possuem cargas distribuídas conforme indica

a figura:

possuem cargas distribuídas conforme indica a figura: Pode-se afirmar que: a) O campo elétrico na região

Pode-se afirmar que:

a)

O campo elétrico na região compreendida entre a e b é nulo.

b)

O campo elétrico apresenta valores mínimos na região entre b e c.

c)

No centro geométrico de b, o campo elétrico é equivalente àquele determinado pelas cargas de a e

c.

d)

Entre c e b o sentido do campo elétrico é de c para b.

e)

Nenhuma das afirmações anteriores é correta.

Resposta: C

2. (ITA-1971) Um corpo condutor (I) carregado é aproximado de um corpo metálico (M)

descarregado. Qual das figuras abaixo dá uma distribuição de cargas induzidas no metal que é consistente com a posição relativa dos corpos (I) e (M)?

consistente com a posição relativa dos corpos (I) e (M)? Resposta : C 3. (ITA-1971) Um

Resposta: C

3. (ITA-1971) Um elétron de massa m e carga -q penetra com velocidade v x = constante entre as

placas de um capacitor plano. Neste há uma diferença de potencial V orientada de modo a fazer o elétron subir.

de potencial V orientada de modo a fazer o elétron subir. Deduza a expressão da componente

Deduza a expressão da componente v da velocidade que o elétron possui ao deixar o capacitor e

y

assinale-a entre as opções abaixo. Despreze a atração gravitacional sobre o elétron.

a)

b)

c)

d)

e)

. .
.
.

Nenhuma das opções é correta.

Resposta: A

4. (ITA-1972) Qual dos pares de circuitos abaixo tem a mesma capacitância entre os pontos

extremos?

abaixo tem a mesma capacitância entre os pontos extremos? Resposta : C 5. (ITA-1973) Uma esfera

Resposta: C

5. (ITA-1973) Uma esfera metálica (M) é aproximada de um eletroscópio de folhas de alumínio,

conforme o esquema abaixo. A carcaça metálica (R) do eletroscópio está em contato elétrico permanente com o solo.

está em contato elétrico permanente com o solo. Enquanto a esfera (M) está muito afastada do

Enquanto a esfera (M) está muito afastada do eletroscópio estabeleceu-se um contato elétrico transitório entre (T) e (R). Qual é a única afirmação correta em relação à experiência em apreço?

a) As folhas só abrirão quando a esfera (M) tocar o terminal (T).

b) As folhas só abrirão quando a esfera (M) tocar a carcaça (R).

c) As folhas só abrirão se o contato elétrico entre (T) e (R) for mantido permanentemente.

d) As folhas só abrirão se a carcaça (R) receber uma carga de mesmo valor, mas de sinal oposto ao

da esfera (M).

e) As folhas se abrirão à medida que (M) se aproxima de (T).

Resposta: E

6. (ITA-1974) Um elétron (massa de repouso = 9,11 . 10 -31 kg e carga -1,60 . 10 -19 C) é abandonado

num ponto situado a uma distância de 5,0 . 10 -10 m de um próton considerado fixo. Qual é a

velocidade do elétron quando ele estiver a 2,0 . 10 -10 m do próton? (

a velocidade do elétron quando ele estiver a 2,0 . 10 - 1 0 m do

= 8,85 . 10 -12 F/m).

a) 0,37 m/s.

 

b) 3,65 m/s.

c) 13,3 m/s.

d) 1,33 m/s.

e) Nenhuma das respostas anteriores.

 

Resposta: E

 

7. (ITA-1975) Três cargas q 1 e q 2 (iguais e positivas) e q3, estão dispostas conforme a figura. Calcule

a relação entre q 3 e q 1 para que o campo elétrico na origem do sistema seja paralelo

a

y.

a y.

a)

-5/4.

b)

.
.

c)

-3/4.

d)

4/3.

e)

Nenhuma das

anteriores.

Resposta: C

8. (ITA-1975) Seja o dispositivo esquematizado na figura a seguir:

 
 

Carga do elétron: -1,6 . 10 -19 C

A e B são placas condutoras muito grandes e C é uma grade. Na placa A existe um pequeno orifício

por onde é introduzido um feixe de elétrons com velocidade desprezível. Se os potenciais nas placas são respectivamente V A = 0, V C = 100V e V B = 5000V, e sabendo-se que a grade C se encontra no

meio caminho entre A e B, pode-se afirmar que:

 

a) Os elétrons chegam a B com uma energia cinética de 1,6 . 10 15 J.

b) Os elétrons chegam a B com uma energia cinética de 5,0 . 10 3 J.

c) Os elétrons chegam a B com uma energia cinética de 8,0 . 10 -16 J.

d) Os elétrons não chegam a B.

 

e) Nenhuma das anteriores.

Resposta: C

 

9.

(ITA-1976) Considere a função U =

(ITA-1976) Considere a função U =

- A· v, onde

9. (ITA-1976) Considere a função U = - A · v, onde representa um potencial elétrico

representa um potencial elétrico e v

representa uma velocidade. A deve ter dimensão de:

 

a)

.
.

b)

b)  
 

c)

d)

e )

.

Resposta: D

10. (ITA-1977) Três cargas elétricas puntiformes estão nos vértices A e B de um triângulo retângulo

isósceles. Sabe-se que a força elétrica resultante que atua sobre a carga localizada no vértice C do ângulo reto tem a mesma direção da reta AB. Aplicando-se a Lei de Coulomb a esta situação, conclui-se que:

a) As cargas localizadas em A e B são de sinais contrários e de valores absolutos iguais.

b) As cargas localizadas nos pontos A e B têm valores absolutos diferentes e sinais contrários.

c) As três cargas são de valores absolutos iguais.

d) As cargas localizadas nos pontos A e B têm o mesmo valor absoluto e o mesmo sinal.

e) Nenhuma das afirmações acima é verdadeira.

Resposta: A

11. (ITA-1978) Desloca-se, com velocidade constante, uma partícula com carga elétrica Q, do ponto

A ao ponto B de uma região em que existe um campo elétrico uniforme

(constante), sob ação de

uma força . Se a partícula ganhar energia potencial elétrica nesse deslocamento, uma possibilidade é

que:

a) Q é positiva e

b) Q é negativa e

c) Q é positiva e

d) Q é negativa e

partícula de carga (-Q).

e) Nenhuma das afirmações acima é correta.

tem o mesmo sentido do campo elétrico .

acima é correta. tem o mesmo sentido do campo elétrico . tem o sentido oposto ao

tem o sentido oposto ao do campo elétrico .

tem o sentido oposto ao do campo elétrico .

tem o sentido oposto ao da força de natureza elétrica que atua sobre outra

Resposta: C

12. (ITA-1978) Aplica-se, com a chave S aberta, uma tensão V 0 às armaduras do capacitor de

capacitância C 0 , armazenando no mesmo uma quantidade de energia U i .

, armazenando no mesmo uma quantidade de energia U i . Fechada a chave S, pode-se

Fechada a chave S, pode-se afirmar que a tensão V no capacitor de capacitância C, e a variação na energia de natureza elétrica, armazenada nos capacitores, serão dadas por:

a) V = V 0 . C 0 /C 0 + C

e

U = - C . U i /C 0 + C. . U i /C 0 + C.

b) V = V 0 . C 0 /C 0 + C

e

U = + U i /C 0 + C. i /C 0 + C.

C 0 /C 0 + C e U = + U i /C 0 + C.

c) U = 0.

V = V 0

e

d) V = V 0 /C

e

/C 0 + C. c) U = 0. V = V 0 e d) V =

e) V = V 0 /C 0 + C

U = - C . U i /C 0 + C.

e

= V 0 /C 0 + C U = - C . U i /C 0

U = - C 0 . U i /2(C 0 + C).

Resposta: A

e U = - C 0 . U i /2(C 0 + C). Resposta : A

U

13. (ITA-1981) Duas partículas de massas m e 2 m, respectivamente, têm cargas de mesmo módulo

q, mas de sinais opostos. Estando inicialmente separadas de uma distância R, são soltas a partir do repouso. Nestas condições, quando a distância entre as partículas for R/2, desprezando a ação

gravitacional terrestre, se k =

R/2, desprezando a ação gravitacional terrestre, se k = unidades SI, pode-se afirmar que: a) Ambas

unidades SI, pode-se afirmar que:

a) Ambas terão a mesma velocidade igual a

.
.

b) Ambas terão a mesma velocidade igual a

.
.

.

c) Ambas terão a mesma velocidade igual a

.
.

d) Uma terá velocidade

d) Uma terá velocidade e a outra .

e a outra

.
.

e) Uma terá velocidade

e) Uma terá velocidade e a outra .

e a outra

.
.

Resposta: E

14. (ITA-1982) Duas cargas elétricas puntiformes, de mesmo valor absoluto

estão em repouso em dois pontos A e B. Traz-se de muito longe uma terceira carga positiva, ao longo de uma trajetória que passa mais perto de B do que de A. Coloca-se esta carga num ponto C tal que ABC é um triângulo eqüilátero. Podemos afirmar que o trabalho necessário para trazer a terceira carga:

que o trabalho necessário para trazer a terceira carga: e de sinais contrários a) É menor

e de sinais contrários

a) É menor se em B estiver a carga

b) É maior se em B estiver a carga

c) Será independente do caminho escolhido para trazer a terceira carga e será nulo.

d) Será independente do caminho escolhido para trazer a terceira carga e será positivo.

e) Será independente do caminho escolhido para trazer a terceira carga e será negativo.

escolhido para trazer a terceira carga e será negativo. do que se em B estiver -

do que se em B estiver -

do que se em B estiver -

. .
.
.

Resposta: C

15. (ITA-1983) O eletroscópio da figura foi carregado positivamente. Aproxima-se então um corpo C

carregado negativamente e liga-se o eletroscópio à Terra, por alguns instantes, mantendo-se o corpo C nas proximidades. Desfaz-se a ligação à Terra e a seguir afasta-se C.

Desfaz-se a ligação à Terra e a seguir afasta-se C. No final, a carga do eletroscópio:

No final, a carga do eletroscópio:

a) Permanece positiva.

b) Fica nula devido à ligação com a Terra.

c) Torna-se negativa.

d) Terá sinal que vai depender da maior ou menor aproximação de C.

e) Terá sinal que vai depender do valor da carga em C.

Resposta: A

16. (ITA 1983) Entre duas placas planas e paralelas, existe um campo elétrico uniforme. Devido a

uma diferença de potencial V aplicada entre elas. Um feixe de elétrons é lançado entre as placas com velocidade inicial v 0 . A massa do elétron é m e q é o módulo de sua carga elétrica. L é a distância

horizontal que o elétron percorre para atingir uma das placas e d é a distância entre as placas.

Dados: v 0 , L, d e V, a razão entre o módulo da carga e a massa do elétron (

V, a razão entre o módulo da carga e a massa do elétron ( ) é

) é dada por:

a) . b) . c) . d) . e) .
a)
.
b)
.
c)
.
d)
.
e)
.

Resposta: D

17. (ITA-1983) Na questão anterior, a energia cinética do elétron ao atingir a placa deve ser igual a:

a)

.
.

b)

.
.

c)

. .
.
.

d)

e)

q V .

Resposta: B

18. (ITA-1984) Uma partícula de massa m = 10,0 g e carga q = -2,0 . 10 -6 C é acoplada a uma mola

de massa desprezível. Este conjunto é posto em oscilação e seu período medido é T = 0,40

fixada, a seguir, outra partícula de carga q' = 0,20 . 10 -6 C a uma distância d da posição de equilíbrio

10 - 6 C a uma distância d da posição de equilíbrio s. É O do

s. É

O do sistema massa-mola, conforme indica a figura. O conjunto é levado lentamente até a
O
do sistema massa-mola, conforme indica a figura.
O
conjunto é levado lentamente até a nova posição de equilíbrio distante x = 4,0 cm da posição de

equilíbrio inicial O.

O valor de d é:

a) 56 cm.

b) 64 cm.

c) 60 cm.

d) 36 cm.

e) Nenhuma das alternativas.

Resposta: B

19. (ITA-1985) Considere um campo eletrostático cujas linhas de força são curvilíneas. Uma pequena

carga de prova, cujo efeito sobre o campo é desprezível, é abandonada num ponto do mesmo, no qual a intensidade do vetor campo elétrico é diferente de zero. Sobre o movimento ulterior dessa partícula podemos afirmar que:

a) Não se moverá porque o campo é eletrostático.

b) Percorrerá necessariamente uma linha de força.

c) Não percorrerá uma linha de força.

d) Percorrerá necessariamente uma linha reta.

e) Terá necessariamente um movimento oscilatório.

Resposta: C

20. (ITA-1985) Uma esfera condutora de raio 0,50 cm é elevada a um potencial de 10,0V. Uma

segunda esfera, bem afastada da primeira, tem raio 1,00 cm e está ao potencial 15,0V. Elas são ligadas por um fio de capacitância desprezível. Sabendo-se que o meio no qual a experiência é realizada é homogêneo e isotrópico, podemos afirmar que os potenciais finais das esferas serão:

a) 12,5V e 12,5V.

b) 8,33V para a primeira e 16,7V para a segunda.

c) 16,7V para a primeira e 8,33V para a segunda.

d) 13,3V e 13,3V.

e) Zero para a primeira e 25,0V para a segunda.

Resposta: D

21. (ITA-1985) Dispõem-se de capacitores de capacitância 2 F cada um e capazes de suportar
21.
(ITA-1985) Dispõem-se de capacitores de capacitância 2 F cada um e capazes de suportar até
10 3 V de tensão. Deseja-se associá-los em série e em paralelo de forma a ter uma capacitância
equivalente a 10 F, capaz de suportar 4 . 10 3 V. Isso pode ser realizado utilizando-se:
a) Cinco capacitores.
b) Quatro capacitores.
c) Oitenta capacitores.
d) Cento e vinte capacitores.
e) Vinte capacitores.
Resposta: D
22. (ITA-1986) Duas esferas metálicas, A e B, de raios R e 3R, respectivamente, são postas em
contato. Inicialmente A possui carga elétrica positiva +2Q e B, carga -Q. Após atingir o equilíbrio
eletrostático, as novas cargas de A e B passam a ser, respectivamente:
a) Q/2, Q/2.
b) 3Q/4, Q/4.
c) 3Q/2, Q/2.
d) Q/4, 3Q/4.
e) 4Q/3 e -Q/3.
Resposta: C
23.
(ITA-1986) Quantas vezes podemos carregar um capacitor de 10 F, com auxílio de uma bateria
de 6,0V, extraindo dela a energia total de 1,8 . 10 4 J?
a) 1,8 . 10 4 vezes.
b) 1,0 . 10 6 vezes.
c) 1,0 . 10 8 vezes.
d) 1,0 . 10 10 vezes.
e) 9,0 . 10 12 vezes.
Resposta: C
24. (ITA-1986) Dois capacitores, um C 1
1,0
F e outro C 2
2,0 F, foram carregados a uma
tensão de 50V. Logo em seguida estes capacitores assim carregados foram ligados conforme mostra
a
figura.
O
sistema atingirá o equilíbrio a uma nova diferença de potencial
entre as armaduras dos
capacitores, com carga Q 1 no capacitor C 1 e com carga Q 2 no capacitor C 2 , dados respectivamente
por:
(V)
Q 1 ( C)
Q 2 ( C)
a) Zero
50/3
100/3.
b) Zero
50
100.
c) 50
50
100.
d) 50
50/3
100/3.
e) 50/3
50/3
100/3.
Resposta: E

25. (ITA-1987) A figura representa um condutor oco e um condutor de forma esférica dentro da

cavidade do primeiro, ambos em equilíbrio eletrostático. Sabe-se que o condutor interno tem carga +Q.

Sabe-se que o condutor interno tem carga +Q. Pode-se afirmar que: a) Não há campo elétrico

Pode-se afirmar que:

a) Não há campo elétrico dentro da cavidade.

b) As linhas de força dentro da cavidade são retas radiais em relação à esfera, como na figura.

c) A carga da superfície interna do condutor oco é -Q e as linhas de força são perpendiculares a essa

superfície.

d) A carga da superfície interna do condutor oco é -Q e as linhas de força são tangenciais a essa

superfície.

e) Não haverá diferença de potencial entre os dois condutores se a carga do condutor oco também

for igual a Q.

Resposta: C

26. (ITA-1987) Numa experiência de laboratório, elétrons são emitidos por um filamento metálico F,

com velocidade inicial praticamente nula. Eles são acelerados através da região I por uma diferença

de potencial de 25 . 10 3 V, aplicada entre F e a placa perfurada P. Eles emergem do furo da placa com velocidade horizontal e penetram na região II, onde são obrigados a atravessar o campo elétrico

uniforme de um capacitor cujas placas têm comprimento

distância d = 0,50 cm, conforme a figura. Qual é o máximo valor da tensão V 2 entre as placas do

= 5,0 cm e estão separadas por uma

capacitor que ainda permite que algum elétron atinja a região III onde não há campo elétrico?

elétron atinja a região III onde não há campo elétrico? Resposta : V2 = 1000 V

Resposta: V2 = 1000 V

27. (ITA-1988) Deseja-se carregar negativamente um condutor metálico pelo processo de indução

eletrostática. Nos esquemas I e II, o condutor foi fixado na haste isolante. F é um fio condutor que nos permite fazer o contato com a Terra nos pontos A, B e C do condutor.

na haste isolante. F é um fio condutor que nos permite fazer o contato com a

Devemos utilizar:

a) O esquema I e ligar necessariamente F em C, pois as cargas positivas aí induzidas atrairão

elétrons da Terra, enquanto que se ligarmos em A os elétrons aí induzidos, pela repulsão eletrostática, irão impedir a passagem de elétrons para a região C.

b) O esquema II e ligar necessariamente F em A, pois as cargas positivas aí induzidas atrairão

elétrons da Terra, enquanto que se ligarmos em C os elétrons aí induzidos, pela repulsão eletrostática, irão impedir a passagem de elétrons para a região A.

c) Qualquer dos esquemas I ou II, desde que liguemos respectivamente em C e em A.

d) O esquema I, onde a ligação de F com o condutor poderá ser efetuada em qualquer ponto do

condutor, pois os elétrons fluirão da Terra ao condutor até que o mesmo atinja o potencial da Terra.

e) O esquema II, onde a ligação de F com o condutor poderá ser efetuada em qualquer ponto do

condutor, pois os elétrons fluirão da Terra ao condutor até que o mesmo atinja o potencial da Terra.

Resposta: D

28. (ITA-1988) Na figura, C é um condutor em equilíbrio eletrostático, que se encontra próximo de

outros objetos eletricamente carregados. Considere a curva tracejada L que une os pontos A e B da superfície do condutor.

L que une os pontos A e B da superfície do condutor. Podemos afirmar que: a)

Podemos afirmar que:

a) A curva L não pode representar uma linha de força do campo elétrico.

b) A curva L pode representar uma linha de força, sendo que o ponto B está a um potencial mais

baixo que o ponto A

c) A curva L pode representar uma linha de força, sendo que o ponto B está a um potencial mais alto

que o ponto A

d) A curva L pode representar uma linha de força, desde que L seja ortogonal à superfície do

condutor nos pontos A e B.

e) A curva L pode representar uma linha de força, desde que a carga total do condutor seja nula.

Resposta: A

29. (ITA-1988) A, B e C são superfícies que se acham, respectivamente, a potenciais +20V, 0V e +

4,0V. Um elétron é projetado a partir da superfície C no sentido ascendente com uma energia cinética inicial de 9,0 eV. (Um elétron-volt é a energia adquirida por um elétron quando submetido a uma diferença de potencial de um volt). A superfície B é porosa e permite a passagem de elétrons.

A superfície B é porosa e permite a passagem de elétrons. Podemos afirmar que: a) Na

Podemos afirmar que:

a) Na região entre C e B o elétron será acelerado pelo campo elétrico até atingir a superfície B com

energia cinética de 33,0 eV. Uma vez na região entre B e A, será desacelerado, atingindo a superfície A com energia cinética de 13,0 eV.

b) Entre as placas C e B o elétron será acelerado atingindo a placa B com energia cinética igual a

13,0 eV, mas não atinge a placa A.

c)

Entre C e B o elétron será desacelerado pelo campo elétrico aí existente e não atingirá a superfície

B.

d)

Na região entre C e B o elétron será desacelerado, mas atingirá a superfície B com energia cinética

de 5,0 eV. Ao atravessar B, uma vez na região entre B e A será acelerado, até atingir a superfície A com uma energia cinética de 25,0 eV.

e) Entre as placas C e B o elétron será desacelerado, atingindo a superfície B com energia cinética de

5,0 eV. Uma vez na região entre B e A, será desacelerado, até atingir a superfície A com energia cinética de 15,0 eV.

Resposta: D

30. (ITA-1988) Um fio condutor homogêneo de 25 cm de comprimento foi conectado entre os

terminais de uma bateria de 6V. A 5 cm do pólo positivo, faz-se uma marca P sobre este fio e a 15 cm, outra marca Q.

faz-se uma marca P sobre este fio e a 15 cm, outra marca Q. Então, a

Então, a intensidade E do campo elétrico dentro deste fio (em volt/metro) e a diferença de potencial = V P - V Q (em volts) existente entre os pontos P e Q dentro do fio serão dados, respectivamente,

os pontos P e Q dentro do fio serão dados, respectivamente, por: a) 6,0 e 0,6.

por:

a) 6,0 e 0,6.

b) 24 e 2,4.

c) 24 e 2,4.

d) 6,0 e 6,0.

e) 24 e 6,0.

Resposta: C

31. (ITA-1990) Um condutor esférico oco, isolado, de raio R, tem no seu interior uma pequena esfera

de raio r < R. O sistema está inicialmente neutro. Eletriza-se a pequena esfera com carga positiva. Uma vez atingido o equilíbrio eletrostático, pode-se afirmar que:

a) A carga elétrica na superfície externa do condutor é nula.

b) A carga elétrica na superfície interna do condutor é nula.

c) O campo elétrico no interior do condutor é nulo.

d) O campo elétrico no exterior do condutor é nulo.

e) Todas as afirmativas acima estão erradas.

Resposta: E

32.

A e D estão ligados a um gerador de 10,0V, pergunta-se: qual é a diferença de potencial entre os

pontos B e C?

qual é a diferença de potencial entre os pontos B e C? (ITA-1990) No arranjo de

(ITA-1990) No arranjo de capacitores abaixo, onde todos têm 1,0 F de capacitância e os pontos

a) 0,1V.

b) 10,0V.

c) 1,8V.

d) 5,4V.

e) Outro valor.

abaixo, onde todos têm 1,0 F de capacitância e os pontos a) 0,1V. b) 10,0V. c)
Resposta : D 33. (ITA-1990) Num tubo de raios catódicos tem-se um filamento F que

Resposta: D

33. (ITA-1990) Num tubo de raios catódicos tem-se um filamento F que libera elétrons quando

aquecido, e uma placa aceleradora P que é mantida a um potencial mais alto que o filamento. O filamento fica a uma distância d da placa. A placa tem, ainda, um orifício que permite a passagem dos elétrons que vão se chocar com uma tela que fica fluorescente quando os mesmos a atingem.

uma tela que fica fluorescente quando os mesmos a atingem. Nestas condições: a) Se aumentarmos a

Nestas condições:

a) Se aumentarmos a distância d entre o filamento e a placa, a energia cinética com que os elétrons

chegam à placa aumenta.

b) O aumento da distância d faz com que a energia cinética dos elétrons diminua.

c) A energia cinética dos elétrons não depende da distância entre o filamento e a placa, mas só da

diferença de potencial U entre o filamento e a placa aceleradora.

d) A energia cinética dos elétrons só depende da temperatura do filamento.

e) Nenhuma das alternativas anteriores é verdadeira.

Resposta: C

34. (ITA-1991) Em uma região do espaço onde existe um campo elétrico uniforme

simples de massas m = 0,20 kg e comprimento L são postos a oscilar. A massa do primeiro pêndulo

está carregada com q 1 = 0,20 C e a massa do segundo pêndulo com

, dois pêndulos

q 2 = -0,20 C. São dados que a aceleração da gravidade local é g = 10,0 m/s 2 , que o campo elétrico

tem mesma direção e mesmo sentido que

o campo elétrico tem mesma direção e mesmo sentido que os períodos p 1 e p

os períodos p 1 e p 2 dos pêndulos 1 e 2, é:

a)

b)

c)

d)

e)

. .
.
.

1.

2.

4.

Resposta: B

e sua intensidade é E = 6,0 V/m. A razão (p 1 /p 2 ), entre

35. (ITA-1992) Uma carga puntiforme -Q 1 de massa m percorre uma órbita circular de raio R em

torno de outra carga puntiforme Q 2 , fixa no centro do círculo. A velocidade angular

a)

b)

c)

d)

e)

.puntiforme Q 2 , fixa no centro do círculo. A velocidade angular a) b) c) d)

.puntiforme Q 2 , fixa no centro do círculo. A velocidade angular a) b) c) d)

.puntiforme Q 2 , fixa no centro do círculo. A velocidade angular a) b) c) d)

.puntiforme Q 2 , fixa no centro do círculo. A velocidade angular a) b) c) d)

.puntiforme Q 2 , fixa no centro do círculo. A velocidade angular a) b) c) d)

Resposta: B

Q 2 , fixa no centro do círculo. A velocidade angular a) b) c) d) e)

de -Q 1 é:

36. (ITA-1993) Entre as armaduras de um capacitor plano com placas horizontais, existe uma

diferença de potencial V. A separação entre as armaduras é d. Coloca-se uma pequena carga Q > 0, de massa m entre as armaduras e esta fica em equilíbrio. A aceleração da gravidade é g. Qual é o valor da carga Q?

a) Q = m 2 gd -1 /V.

b) Q = Vd/m.

c) Q = mgd/V.

d) Q = Vgd/m.

e) Q = gd/Vm.

Resposta: C

37. (ITA-1993) Uma pequena esfera metálica de massa m, está suspensa por um fio de massa

desprezível, entre as placas de um grande capacitor plano, como mostra a figura. Na ausência de qualquer carga, tanto no capacitor quanto na esfera, o período de oscilação da esfera é T = 0,628 s. Logo em seguida, eletriza-se a esfera com uma carga +e e a placa superior do capacitor é carregada positivamente. Nessas novas condições o período de oscilação da esfera torna-se T = 0,314 s. Qual é a intensidade da força que o campo elétrico do capacitor exerce sobre a esfera?

a) F = 3 mg.

b) F = 2 mg.

c) F = mg.

d) F = 6 mg.

e) F = 3 mg/2.

Resposta: A

2 mg. c) F = mg. d) F = 6 mg. e) F = 3 mg/2.

38. (ITA-1993) Duas esferas condutoras, de massa m, bem pequenas, estão igualmente carregadas.

Elas estão suspensas num mesmo ponto por dois fios de seda, de massas desprezíveis e de comprimentos iguais a L. As cargas das esferas são tais que elas estarão em equilíbrio quando a distância entre elas é igual a a (a < < L). Num instante posterior, uma das esferas é descarregada. Qual será a nova distância b (b < < L) entre as esferas, quando após se tocarem o equilíbrio entre elas for novamente restabelecido?

a) b = a/2.

b) b = a

c) b = a

d) b = a/

. . . .
.
.
.
.

e) b = a/

Resposta: E

39. (ITA-1993) Duas placas planas e paralelas, de comprimento

controladoras de elétrons em um tubo de raios catódicos. A distância das placas até a tela do tubo é L. Um feixe de elétrons (cada um de massa m e carga elétrica de módulo e) penetra entre as placas com uma velocidade v 0 , como mostra a figura. Qual é a intensidade do campo elétrico entre as placas

Qual é a intensidade do campo elétrico entre as placas , estão carregadas e servem como

, estão carregadas e servem como

se o deslocamento do feixe na tela do tubo é igual a d?

a)

b)

c)

.
.
.
.

.) )

as placas , estão carregadas e servem como se o deslocamento do feixe na tela do

d)

e)

.d) e) . Resposta : C 40. (ITA-1994) Numa região onde existe um campo elétrico uniforme

.d) e) . Resposta : C 40. (ITA-1994) Numa região onde existe um campo elétrico uniforme

Resposta: C

40. (ITA-1994) Numa região onde existe um campo elétrico uniforme E = 1,0 . 10 2 N/C dirigido

verticalmente para cima, penetra um elétron com velocidade inicial v 0 = 4,0 . 10 5 m/s, seguindo uma

direção que faz um ângulo de 30º com a horizontal, como mostra a figura.

um ângulo de 30º com a horizontal, como mostra a figura. Sendo a massa do elétron

Sendo a massa do elétron 9,1 . 10 -31 kg e a carga do elétron -1,6 . 10 -19 C, podemos afirmar que:

a) O tempo de subida do elétron será 1,14 . 10 -8 s.

b) O alcance horizontal do elétron será 5,0 . 10 -1 m.

c) A aceleração do elétron será 2,0 m/s 2 .

d) O elétron será acelerado continuamente para cima até escapar do campo elétrico.

e) O ponto mais elevado alcançado pelo elétron será 5,0 . 10 -1 m.

Resposta: A

41.

400V são conectados após terem sido desligados das baterias de carga, com a placa positiva de um

ligada à placa negativa do outro. A diferença de potencial e a perda de energia armazenada nos capacitores serão dadas por:

de energia armazenada nos capacitores serão dadas por: (ITA-1994) Um capacitor de 1,0 F carregado com
de energia armazenada nos capacitores serão dadas por: (ITA-1994) Um capacitor de 1,0 F carregado com

(ITA-1994) Um capacitor de 1,0 F carregado com 200V e um capacitor de 2,0 F carregado com

a) 20V; 1,0 J.

b) 200V; 1,2 J.

c) 200V; 0,12 J.

d) 600V; 0,10 J.

e) 100V; 1,2 J.

Resposta: C

42. (ITA-1994) Um capacitor é formado por duas placas metálicas retangulares e paralelas, cada uma

de área S e comprimento L, separadas por uma distância d. Uma parte de comprimento X é

preenchida com um dielétrico de constante dielétrica k. A capacitância desse capacitor é:

a)

b)

c)

d)

e)

k. A capacitância desse capacitor é: a) b) c) d) e) . . Resposta : A
k. A capacitância desse capacitor é: a) b) c) d) e) . . Resposta : A

.k. A capacitância desse capacitor é: a) b) c) d) e) . Resposta : A 43.

.k. A capacitância desse capacitor é: a) b) c) d) e) . Resposta : A 43.

k. A capacitância desse capacitor é: a) b) c) d) e) . . Resposta : A

Resposta: A

43. (ITA-1995) Um pêndulo simples é construído com uma esfera metálica de massa

m

= 1,0 . 10 -4 kg, carregada com uma carga elétrica q = 3,0 . 10 -5 C e um fio isolante de comprimento

L = 1,0 m, de massa desprezível. Este pêndulo oscila com período P num local onde g = 10,0 m/s 2 .

Quando um campo elétrico uniforme e constante

pêndulo o seu período dobra de valor. A intensidade E do campo elétrico é de:

é aplicado verticalmente em toda a região do

a) 6,7 . 10 3 N/C.

b) 42 N/C.

c) 6,0 . 10 -6 N/C.

d) 33 N/C.

e) 25 N/C.

Resposta: E

44. (ITA-1996) Um objeto metálico carregado positivamente, com carga +Q, é aproximado de um

eletroscópio de folhas, que foi previamente carregado negativamente com carga igual a -Q.

previamente carregado negativamente com carga igual a -Q. I) À medida que o objeto for se

I) À medida que o objeto for se aproximando do eletroscópio, as folhas vão se abrindo além do que

já estavam. II) À medida que o objeto for se aproximando, as folhas permanecem como estavam. III) Se o objeto tocar no terminal externo do eletroscópio, as folhas devem necessariamente fechar-se.

a) Somente a afirmativa I é correta.

b) As afirmativas II e III são corretas.

c) As afirmativas I e III são corretas.

d) Somente a afirmativa III é correta.

e) Nenhuma das afirmativas é correta.

Resposta: D

45. (ITA-1997) Uma pequena esfera de massa m e carga q, sob influência da gravidade e da

interação eletrostática, encontra-se suspensa por duas cargas Q fixas, colocadas a uma distância d no plano horizontal, como mostrado na figura. Considere que a esfera e as cargas fixas estejam no

mesmo plano vertical e que sejam iguais a

passando pelos centros das cargas fixas e da esfera.

A massa da esfera é então:

das cargas fixas e da esfera. A massa da esfera é então: os respectivos ângulos entre

os respectivos ângulos entre a horizontal e cada reta

a)

b)

c)

d)

da esfera. A massa da esfera é então: os respectivos ângulos entre a horizontal e cada
da esfera. A massa da esfera é então: os respectivos ângulos entre a horizontal e cada
da esfera. A massa da esfera é então: os respectivos ângulos entre a horizontal e cada
da esfera. A massa da esfera é então: os respectivos ângulos entre a horizontal e cada
da esfera. A massa da esfera é então: os respectivos ângulos entre a horizontal e cada

e)

da esfera. A massa da esfera é então: os respectivos ângulos entre a horizontal e cada

Resposta: D

46. (ITA-1998) Três cargas elétricas puntiformes estão nos vértices U, V e W de um triângulo

eqüilátero. Suponha-se que a soma das cargas é nula e que a força sobre a carga localizada no vértice W é perpendicular à reta UV e aponta para fora do triângulo, como mostra a figura.

UV e aponta para fora do triângulo, como mostra a figura. Conclui-se que: a) As cargas

Conclui-se que:

a) As cargas localizadas em U e V são de sinais contrários e de valores absolutos iguais.

b) As cargas localizadas nos pontos U e V têm valores absolutos diferentes e sinais contrários.

c) As cargas localizadas nos pontos U, V e W têm o mesmo valor absoluto, com uma delas de sinal

diferente das demais.

d) As cargas localizadas nos pontos U, V e W têm o mesmo valor absoluto e o mesmo sinal.

e) A configuração descrita é fisicamente impossível.

Resposta: E

47. (ITA-1998) Suponha que o elétron em um átomo de hidrogênio se movimente em torno de um

próton em uma órbita circular de raio R. Sendo m a massa do elétron e q o módulo da carga de ambos, elétron e próton, conclui-se que o módulo da velocidade do elétron é proporcional a:

a)

b)

c)

d)

e)

. . . . .
.
.
.
.
.

Resposta: B

48. (ITA-1999) Dois conjuntos de capacitores de placas planas e paralelas são construídos como

mostram as montagens 1 e 2 abaixo. Considere que a área de cada placa seja igual a A e que as

mesmas estejam igualmente espaçadas de uma distância d. Sendo

vácuo, as capacitâncias equivalentes c 1 e c 2 para as montagens 1 e 2, respectivamente, são:

1 e c 2 para as montagens 1 e 2, respectivamente, são: a permissividade elétrica do

a permissividade elétrica do

a)

b)

c)

d)

e)

1 e c 2 para as montagens 1 e 2, respectivamente, são: a permissividade elétrica do
1 e c 2 para as montagens 1 e 2, respectivamente, são: a permissividade elétrica do
1 e c 2 para as montagens 1 e 2, respectivamente, são: a permissividade elétrica do
1 e c 2 para as montagens 1 e 2, respectivamente, são: a permissividade elétrica do
1 e c 2 para as montagens 1 e 2, respectivamente, são: a permissividade elétrica do
1 e c 2 para as montagens 1 e 2, respectivamente, são: a permissividade elétrica do

Resposta: C

49. (ITA-1999) Uma esfera homogênea de carga q e massa m de 2 g está suspensa por um fio de

massa desprezível em um campo elétrico uniforme cujas componentes em x e y têm intensidades E x

=

uniforme cujas componentes em x e y têm intensidades E x = 10 5 N/C e

10 5 N/C e E y = 1 . 10 5 N/C, respectivamente, como mostra a figura.

1 . 10 5 N/C, respectivamente, como mostra a figura. Considerando que a esfera está em

Considerando que a esfera está em equilíbrio para no fio?

Considere g = 9,8 m/s 2 .

a) 9,80 . 10 -3 N.

b) 1,96 . 10 -2 N.

c) Nula.

d) 1,70 . 10 -3 N.

e) 7,17 . 10 -3 N.

Resposta: B

10 - 3 N. e) 7,17 . 10 - 3 N. Resposta : B = 60º,

= 60º, qual é a intensidade da força de tração

50. (ITA-1999) No instante t = 0 s, um elétron é projetado em um ângulo de 30º em relação ao eixo

x, com velocidade v 0 de 4 . 10 5 m/s, conforme o esquema abaixo.

A massa do elétron é 9,11 . 10 -31 kg e a sua carga elétrica é igual a -1,6 . 10 -19 C. Considerando que o

elétron se move num campo elétrico constante E = 100 N/C, o tempo que o elétron levará para cruzar novamente o eixo x é de:

a) 10 ns.

b) 15 ns.

c) 23 ns.

d) 12 ns.

e) 18 ns.

Resposta: C

ns. b) 15 ns. c) 23 ns. d) 12 ns. e) 18 ns. Resposta : C

51. (ITA-1999) Uma carga puntual P é mostrada na figura com duas superfícies gaussianas de raios a

e b = 2a, respectivamente.

gaussianas de raios a e b = 2a, respectivamente. Sobre o fluxo elétrico que passa pelas

Sobre o fluxo elétrico que passa pelas superfícies de áreas A e B, pode-se concluir que:

a) O fluxo elétrico que atravessa a área B é duas vezes maior que o fluxo elétrico que passa pela

área A.

b) O fluxo elétrico que atravessa a área B é a metade do fluxo elétrico que passa pela área A.

c) O fluxo elétrico que atravessa a área B é 1/4 do fluxo elétrico que passa pela área A.

d) O fluxo elétrico que atravessa a área B é quatro vezes maior que o fluxo elétrico que passa pela

área A.

e) O fluxo elétrico que atravessa a área B é igual ao fluxo elétrico que atravessa a área A.

A respeito da definição de fluxo elétrico e do Teorema de Gauss, consulte neste site o item Temas

Especiais.

Resposta: E

52. (ITA-2000) A figura mostra uma carga elétrica puntiforme positiva q, próxima de uma barra de

metal. O campo elétrico nas vizinhanças da carga puntiforme e da barra está representado pelas

linhas de campo mostradas na figura.

representado pelas linhas de campo mostradas na figura. Sobre o módulo da carga da barra sobre

Sobre o módulo da carga da barra

sobre a carga líquida da barra

o módulo da carga da barra sobre a carga líquida da barra , comparativamente ao módulo

, comparativamente ao módulo da carga puntiforme

, respectivamente, pode-se concluir que:

e e e e e
e
e
e
e
e

a) >

b) <

c) =

d) >

e) <

> 0.

< 0.

= 0.

< 0.

> 0.

Resposta: B

< > 0. < 0. = 0. < 0. > 0. Resposta : B , e

, e

53. (ITA-2000) Um fio de densidade linear de carga positiva

B e C, de formas respectivamente cilíndrica, esférica e cúbica, como mostra a figura. Sabe-se que A

tem comprimento L = diâmetro de B = comprimento de um lado de C, e que o raio da base de A é a

metade do raio da esfera B.

e que o raio da base de A é a metade do raio da esfera B.

atravessa três superfícies fechadas A,

raio da esfera B. atravessa três superfícies fechadas A, Sobre o fluxo do campo elétrico, a

Sobre o fluxo do campo elétrico,

a)

b)

c)

d)

e)

. A = B = C . A > B > C . A <
.
A =
B =
C
.
A >
B >
C
.
A <
B <
C
A /2 =
B =
C .
A = 2
B =
C .

Resposta: A

B < C A /2 = B = C . A = 2 B = C

, através de cada superfície fechada, pode-se concluir que:

54. (ITA-2001) Uma esfera de massa m e carga q está suspensa por um fio frágil e inextensível, feito

<