Você está na página 1de 1

Falta justificada

Consideram-se justificadas, não influindo na contagem do número de dias de férias e do


13o salário do empregado, as seguintes faltas:
• Falecimento do cônjuge, ascendente, descendente, irmão ou pessoa que vivia sob
sua dependência econômica (até 2 dias consecutivos);
• Casamento (até 3 dias consecutivos);
• Nascimento de filho (para o pai, por até 5 dias, na primeira semana);
• Doação voluntária de sangue (1 dia a cada 12 meses de trabalho, desde que
devidamente comprovada);
• Alistamento militar (até 2 dias consecutivos ou não);
• No período de tempo em que tiver de cumprir as exigências do Serviço Militar;
• Nos dias em que estiver comprovadamente realizando provas de exame
vestibular para ingresso em estabelecimento de ensino superior;
• Quando tiver que comparecer a juízo (pelo tempo que se fizer necessário);
• durante a licença compulsória da empregada, por motivo de maternidade ou
aborto;
• Acidente de trabalho ou enfermidade (desde que atestada pelo INSS, salvo se for
superior a 6 meses);
• Justificada pela empresa, ou seja, quando não houver o respectivo desconto no
salário;
• Durante a suspensão preventiva para responder a inquérito administrativo ou de
prisão preventiva, quando for impronunciado ou absolvido;
• Comparecimento para depor como testemunha, quando devidamente arrolado ou
convocado;
• Comparecimento como parte à Justiça do Trabalho;
• Comparecimento como jurado no Tribunal do Júri;
• Convocação para serviço eleitoral;
• Greve, desde que tenha havido acordo, convenção, laudo arbitral ou decisão da
Justiça do Trabalho dispondo sobre a manutenção dos direitos trabalhistas aos
grevistas durante a paralisação das atividades;
• Período de freqüência em curso de aprendizagem;
• Afastamento por doença ou acidente do trabalho (nesse caso, os 15 primeiros
dias serão pagos pela empresa, mediante comprovação);
• Nos dias em que não tenha havido serviço, exceto se o empregado deixar de
trabalhar por mais de 30 dias, com percepção de salário no curso do período
aquisitivo, em virtude de paralisação parcial ou total dos serviços da empresa,
caso em que não faz jus a férias;
• As ausências ao trabalho dos representantes dos trabalhadores no Conselho
Curador do FGTS, decorrentes das atividades desse órgão;
• O período de afastamento do representante dos empregados, quando convocado
para atuar como conciliador nas Comissões de Conciliação Prévia.

Somente o empregado com atividade de professor terá direito a faltar por 9 dias, em
conseqüência de casamento ou falecimento de cônjuge, pai, mãe ou filho.