Você está na página 1de 2

EXº. SRº.

DRº JUIZ DE DIREITO DO JUIZADO ESPECIAL CIVEL DA COMARCA


DE JOÃO PESSOA – PB

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX, já
devidamente qualificada nos autos da AÇÃO DECLARATÓRIA DE INEXISTÊNCIA
DE DÉBITO C/C INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS, que move contra a XXXX
CELULAR S.A., igualmente qualificada, em cumprimento a intimação que determinou
requerer o que de direito sob pena de arquivamento dos autos, requerer a
EXECUÇÃO DA SENTENÇA contra a promovida pelo que passa a expor para ao final
requerer o que se segue:
No dia 17 de março de 2009, foi lavrada
sentença julgando o feito procedente para condenar a promovida ao pagamento da
quantia de R$3.000,00 (três mil reais), com correção monetária e juros a correr da
data da publicação da sentença, mais a obrigação de fazer da promovida para que
retirasse no prazo máximo de 05 (cinco) dias após a publicação da sentença o nome
da promovente do SPC e/ou SERASA, sob pena multa diária de R$20,00 (vinte reais).
Constando ainda na R. Sentença que caso a promovida não cumprisse
espontaneamente a obrigação de pagar caberia ainda a multa estabelecida no art.
475, J, do CPC.
Homologada a decisão foi a executada
dela intimada no dia 05 de maio de 2009, havendo o trânsito em julgado da decisão,
sendo certo que no dia 19 de maio de 2009, encerrou-se o prazo de 15 (quinze) dias
para que a promovida cumprisse a obrigação de pagar, e encerrou-se no dia 11 de
maio o prazo para que retirasse o nome da exeqüente dos órgãos de restrição ao
crédito.
Conforme consta nos autos até a presente
data não foi feito o pagamento da obrigação de pagar e, conforme certidão anexa de
igual modo ainda não foi retirado o nome da autora dos órgãos de restrição ao crédito.
Assim, não resta outra opção para a
autora a não ser requerer a execução do julgado para que a executada seja compelida
a cumprir com as obrigações a que foi condenada, por tal motivo passa a apresentar
sua memória discriminada do débito:

Valor do principal ........................................................................................ R$3.000,00


Multa art. 475, J, do CPC............................................................................ R$ 300,00
Multa pelo descuprimento da obrigação de fazer (valor provisório, pois
continua crescendo em razão do nome da autora ainda não ter sido retira
do dos órgãos de restrição ao crédito) = 24 (DIAS) X R$20,00 (vinte reais)R$ 480,00
Não foi feita correção monetária dos valores nem inclusão de juros tendo
em vista que não completou ainda um mês da publicação da sentença
não havendo como efetuar esta neste momento.
VALOR PROVISÓRIO DO DÉBITO (ATÉ 29/05/2009).............................. R$3.780,00

Assim, ante ao exposto.


Requer.
a) a execução da sentença para que seja
determinado o imediato bloqueio “ON LINE” via sistema BACEN/JUD, da quantia de
R$3.780,00 (três mil, setecentos e oitenta reais) e, após a constituição do bloqueio em
penhora, a intimação do executado, para querendo impugnar esta execução, não o
fazendo, de logo, requer a expedição do competente alvará para liberação da quantia
em favor da autora.
N. termos,
P. deferimento.
João Pessoa, 29 de maio de 2009.

ADVOGADO
ADV. OAB N.°