Você está na página 1de 3

» Carta aberta à todo

Existem momentos que temos muitas dúvidas quanto ao rumo que


nossas vidas vem tomando, e o nosso coração se angustia e se
oprime.

É nessa hora, em que choramos, condoidos pela dor, que pensamos


que só a nós mesmos, possa interessar...

A dor não é uma coisa que só quem sente, pode definir?

E tem vezes, que nem quem sente uma profunda dor, aguda dor,
tem condições de defini-la!

É num momento desse que podemos cair no erro de menosprezar


as forças envolvidas no viver.

Mas existem momentos de uma alegria imensa, intensa, da qual


suspeitamos não sermos merecedores.

Mas tanto em um caso quanto no outro, o que nos dá mais alento é


a troca que possamos fazer com os amigos, que são os irmãos que
nossas almas escolheram nesta existência, presente, na vida
terrestre.

E quando escrevemos, não estamos nos desnudando, nos expondo


ao olhar de nossos leitores, que colhem um pouco de nós em sua
leitura atenta?

Assim, penso comigo, quanto alento não tenho recebido, tanto em


meus piores quanto nos meus melhores momentos, vindos dos
amigos internet.
Pessoas fisicamente desconhecidas, mas que tem em meu coração
e alma, plenamente estabelecida a sua presença, amável, amiga.

E nestes anos todos, participando da internet, quantas não foram as


palavras incentivadoras, quantas não me alertaram quanto a erros
cometidos, quantas não me redirecionam o meu pensamento e
sentimento criativo, com a sua sensibilidade e carinho?

Refuto portanto, a quem quer que chegue a mim, com palavras


desprestigiosas ás pessoas envolvidas nesta esfera de
conhecimento e troca de sentimentos, pensamentos, vivências em
que se transformou a internet.

Casos particulares, de mal uso deste instrumento de comunicação,


por serem poucos, mas infelizmente não escassos, devem ser
tratados em particular, embora não devam deixar de serem postos á
mostra, para que todos saibam quem é a fruta pobre em nosso
cesto.

Eu mesmo assim não digo podre, pois não cabe a mim um juízo
dessa monta, dada a minha própria humanidade, e mesmo o errado
pode ainda encontrar os caminhos certos na vida.

E agora, em meu presente momento de vida, venho tecer estes


comentários, devido a alegria que sinto e que é multiplicada pelos
amigos da net, que lendo meus textos sentiram em seu intimo a
vontade de comentá-los.

Não pensem os meus leitores mais antigos que esta carta vem em
um momento tardio, pois penso que o melhor momento para
agradecer é aquele em que ele se manifesta.

E agora, com mais maturidade e vivência dentro deste universo tão


cheio de virtualismos, consigo vivenciar os benefícios que esta
comunhão oferece e favorece.

Interesses relacionados