Você está na página 1de 1

A GLÓRIA NÃO LHE SUBIU À CABEÇA

“E pediu Daniel ao rei, e constituiu ele sobre os negócios da província de Babilônia a Sadraque,
Mesaque e Abede-Nego; mas Daniel estava às portas do rei” (Daniel 2.49).

Certa vez, o rei Nabucodonosor teve um sonho que o perturbou muito, porém, com o espírito
aflito, acabou esquecendo-se do que sonhara. Então, convocou os sábios da Babilônia, a fim de que
estes lhe revelassem tanto o sonho quanto a sua interpretação, o que, porém, não foram capazes
de fazer. Por essa razão, o rei mandou que todos eles fossem mortos.
Como o decreto real ordenava que nenhum sábio fosse poupado com vida, foram à casa de
Daniel para também o matarem. No entanto, com sabedoria, aquele jovem inquiriu o chefe da
guarda real para saber o motivo de tão severa ordem, apresentou o seu pleito e reuniu três amigos
seus, pedindo que se unissem a ele em oração, para que o Senhor lhe mostrasse o sonho do rei e
desse a sua interpretação. O Altíssimo os atendeu, e Daniel mudou a escrita real, pois, ao revelar e
interpretar o sonho, pediu por todos os que haviam sido condenados à morte. O melhor que ele fez,
contudo, foi exaltar o Senhor.
Uma das diferenças entre os que servem a Deus e os que tentam servir-se dEle é a fidelidade:
quem tiver compromisso com a Verdade sempre enaltecerá o Senhor! Daniel encarou aquele fato
como uma oportunidade de falar da sua fé e fazer com que o Todo-Poderoso fosse glorificado. Ele e
seus amigos haviam sido levados cativos para a Babilônia, mas o Altíssimo estava com eles.
Depois de interpretar o sonho, Daniel foi recompensado pelo rei, sendo nomeado governador de
toda a província babilônica. Além disso, foi engrandecido pelo rei e recebeu muitos presentes.
Porém o mais importante é que, nem mesmo em sua glória, Daniel se esqueceu dos seus amigos
que oraram com ele. Então, pediu, e o rei o atendeu, designando Sadraque, Mesaque e Abede-
Nego sobre os negócios da Babilônia. De fato, os servos de Deus nunca deixam a glória subir à
cabeça.
Nunca é bom ser egoísta. Aqueles que nos ajudaram em oração para a solução de algum
problema devem ser reconhecidos e recompensados. Ninguém deve crer que é um privilegiado e,
por isso, recebe tantas bênçãos. Conta muito reconhecer o valor de alguém que nos auxiliou orando
ou transmitindo a Palavra.
Os homens que, verdadeiramente, servem a Deus sempre são leais aos seus companheiros. Já
os que não têm o temor do Senhor habitando seu coração agem perversamente: enquanto
acreditam que alguém tem algo para lhes dar, bajulam essa pessoa, mas, tão logo sentem que ela
não tem mais nada a lhes oferecer, tratam-na como fazem os perdidos. Ora, Deus é glorificado na
vida daqueles que Lhe servem em espírito e em verdade!
Nunca devemos entrar em desespero e confessar que não há saída; afinal, quem servir ao
Senhor verá que há males que vêm para o bem. Daniel recebeu a revelação, contou o sonho e a
sua interpretação, e, como resultado, o Altíssimo foi glorificado.

Em Cristo, com amor,