P. 1
Gênero textual sentença judicial - tipologia e tessitura textuais

Gênero textual sentença judicial - tipologia e tessitura textuais

|Views: 1.202|Likes:
Publicado porboyswimmer

More info:

Published by: boyswimmer on Jun 02, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/04/2012

pdf

text

original

GÊNERO TEXTUAL SENTENÇA JUDICIAL: JUDICIAL: TIPOLOGIA E TESSITURA TEXTUAIS.

Renato Antonio de Souza Mestrando em LAEL ± PUC/SP renatoas@hotmail.com

1

INTRODUÇÃO 

OBJETIVOS:
1- Demonstrar
quais são as tipologias textuais que predominam no gênero textual da esfera jurídica µsentença judicial¶, proferida em ação cível;

2- Demonstrar de que forma elas constroem a tessitura desse gênero.

2

INTRODUÇÃO 

JUSTIFICATIVAS: 

De cunho social:
(1) Volume de processos judiciais cada vez maior no Brasil e por isso (2) litigantes, e não somente advogados, estão cada vez mais em contato com esse gênero; (3) circulação na mídia sobre o despreparo de advogados em litígios judiciais. 

De cunho teórico:
Relevância da teoria de gêneros para a compreensão da multiplicidade de gêneros da esfera jurídica que circulam socialmente.
3

INTRODUÇÃO 

PROBLEMA DE PESQUISA:
Parece haver poucos estudos a respeito de gênero da esfera jurídica. Entre eles, Pimenta (2007) objetivou enumerar os

gêneros da esfera jurídica criminal e traçar uma breve caracterização do gênero sentença judicial proferida em processos criminais e Barcelos (2004), por sua vez, tratou de aspectos estritamente legais desse gênero.

4

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA 


Gênero Textual Tipologia Textual Bronckart, 1999; Marcuschi, 2005 

Análise de Gênero Marcuschi, 2005 ; Motta-Roth, 2006, entre outros.

5 

Corpus:

METODOLOGIA

Oito sentenças judiciais da área cível, prolatadas por juízes de direito de primeira instância, da justiça brasileira, sendo duas sentenças de cada região (norte, sul, leste e oeste). 

Procedimento de coleta
Pesquisa eletrônica no site do Tribunal de Justiça dos estados do Maranhão, Rio Grande do Sul, Mato Grosso e São Paulo. 

Procedimento de análise
Análise de gênero
6

APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS 

Breve caracterização do gênero:
Elementos contextuais (Bronckart, 1999)   



Gênero da esfera jurídica produzido especificamente por juízes para advogados e partes litigantes Circulação em meios eletrônico (sites de tribunais) e impresso (diário oficial) Altamente ritualizado (estrutura padronizada, formal) Função de convencimento das partes litigantes de uma decisão judicial

7

APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS 

Breve caracterização do gênero:
Elementos cotextuais (Bronckart, 1999) 

Infraestrutura geral do gênero
Identificação do processo (vara, foro, partes litigantes e n° de processo) Relatório (síntese da demanda com os principais elementos discutidos na ação) Fundamentação (aspectos legais que motivaram a decisão) Julgamento (procedência total/parcial ou improcedência)

8

APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS 

Breve caracterização do gênero:
Elementos cotextuais (Bronckart, 1999):  



Tipos discursivos (narrativo, descritivo, expositivo, argumentativo) (Marcuschi, 2005) Mecanismos de textualização (tessitura textual) Mecanismos enunciativos (posicionamento enunciativo e vozes trazidas para o gênero)

9

APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS 

Tipos discursivos predominantes:
Identificação do processo: Descritivo
7ª Vara Civil do Fórum Regional de Santo Amaro. Embargante: Marcos Joelsons e sua esposa. Embargado Banco Bradesco S/A. Autos Registrados sob n. 336/06 Ação de Execução Hipotecária

10

APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS
Relatório: Narrativo/Descritivo:
Marcos Joelsons e sua esposa, qualificados nos autos, interpuseram Embargos à Execução contra o Banco Bradesco S/A alegando que deve haver suspensão do feito por não ser a dívida líquida e certa (...) A parte contrária impugna os embargos alegando da legalidade da cobrança e da execução (fls.105/119). Foram juntados documentos (fls.125/182). Designada audiência de tentativa conciliatória esta restou infrutífera (fls.176).

11

APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS 

Fundamentação:
Expositivo (...) Aqui trata-se de execução, título líquido, certo e exigível e lá de apreciação de cláusulas contratuais. Quanto ao mérito não se fazem necessárias grandes digressões para concluir-se que os contratos bancários são de adesão (...) Narrativo com argumento (...) O mútuo, pois, obtido pela autora fora financiado com recursos do próprio Banco-réu, e não do Sistema Financeiro de Habitação, motivo pelo qual são inaplicáveis as regras que regem o Plano de equivalência Salarial. (...)
12

APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS 

Fundamentação:
Argumentativo (...) Todavia, não menos verdadeiro, o fato de que são inúmeras as instituições financeiras que atuam em nosso país, de modo que a Autora tinha plena condição de contratar empréstimo ou financiamento com qualquer outra instituição. (...) (...) E quanto a forma de amortização não se pode dizer que seja abusiva, pois se o saldo devedor não for atualizado antes de se proceder à amortização das parcelas mensais, isso significa que somente ocorrerá a amortização do valor nominal e não efeito do financiamento. (...)

13

APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS 

Mecanismos de textualização
A articulação entre os planos locais do texto (identificação do processo, relatório, fundamentação e decisão) é sinalizada por meio de escolhas lexicais próprias da esfera jurídica. Na sentença analisada, é feita por léxico como embargante, embargado, dando início ao plano local relatório.

14

APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS 

Mecanismos de textualização
A articulação do plano local relatório para o plano local fundamentação é sinalizada pela frase É o relatório. Já a articulação do plano local fundamentação para o plano local decisão é representada por uma fraseologia característica: Ante o exposto, julgo procedente /parcialmente procedente/improcedente ...

15

APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS 

Mecanismos de textualização
Além de fraseologia e léxico próprio da esfera jurídica, pode-se encontrar também organizadores textuais encontrados em gêneros de outras esferas, que contribuem para a marcação de articulações entre frases como, por exemplo, aqui, lá, todavia, nessa linha, na mesma linha, assim, pois, enfim, na verdade, entre tantos outros.

16

CONSIDERAÇÕES FINAIS
Este trabalho teve por objetivos demonstrar qual a tipologia textual predominante no gênero sentença judicial e de que forma se constrói a tessitura textual desse gênero. Pela análise demonstrada, pode-se dizer que há predominância das tipologias: descritiva/narrativa, narrativa com argumento, expositiva e argumentativa. A tessitura do gênero é construída por fraseologia própria, marcando conexão entre os planos locais do texto, e por organizadores textuais comuns, encontrados em gêneros de outras esferas.
17

CONSIDERAÇÕES FINAIS
Sentença judicial é um dos gêneros mais importantes da esfera jurídica, pois põe fim ao processo em primeira instância e abre espaço para o advogado da parte perdedora interpor recurso à instância imediatamente superior. O conhecimento sobre as tipologias que constroem esse gênero e de suas funções pode propiciar às partes envolvidas em um processo judicial um entendimento mais profundo acerca do trâmite do processo em primeira instância, de sua decisão e, assim, fornecer subsídios para o exercício da advocacia.
18

CONSIDERAÇÕES FINAIS 

Contribuições:
estudos sobre análise de gênero 

Gênero da esfera jurídica

Subsídios para um curso de português instrumental para a área jurídica Desenvolvimento de pesquisas que estudem aspectos não abordados por este trabalho 

Mecanismos enunciativos

19

REFERÊNCIAS 


BARCELLOS, A.L.B. Sentença Judicial. Rev. Esc. Direito, Pelotas, 5(1): 389-406, Jan.-Dez.,2004. BRONCKART, J.P. Atividade de linguagem, textos e discursos. Por um interacionismo sóciodiscursivo. Tradução de Anna Rachel Machado. São Paulo: Educ, 1999. BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988. ______.Código de Processo Civil. Brasília, DF: Senado Federal, 1999. MARCUSCHI, L.A. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In BEZERRA, M.A., DIONÍSIO, A.P, MACHADO, A.R. Gêneros textuais & ensino. 4ª ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005. MOTTA-ROTH, D. Questões de metodologia em análise de gêneros. In KARWOSKI, A.M.; GAYDECKA, B.; BRITO, K.S. (Orgs.). Gêneros textuais: Reflexões e ensino. 2a. Rio de Janeiro: Lucerna, v. 1, p. 145-163, 2006. OLIVEIRA, J. (Org.) Código de Processo Penal. Legislação brasileira. São Paulo: Saraiva, 1992. PIMENTA, V.R. Gêneros textuais próprios da comunidade discursiva forense. 4ºSimpósio Internacional de estudos de gêneros textuais, v. v.1, p. 2028-2040, 2007. 

   



20

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->