Você está na página 1de 2

MUSEU IBERÊ CAMARGO

Endereço: Av. Padre Cacique 2.000 - Porto Alegre RS Brasil

O PROJETO

O Edifício está localizado ás margens do Rio Gaíba, em um terreno onde pequena parte é
plana entre um declive verde e uma avenida movimentada, e tem uma área 8.250m.

O projeto é de autoria do Arquiteto Portugues, Álvaro Siza, e foi condecorado com o Leão de
Ouro na 8ª Bienal de Arquitetura de Veneza em 2002, um dos mais importantes eventos do
ramo. Luz, textura, movimento e espaço são cuidadosamente explorados no projeto, que
favorece a relação direta entre o espectador e a obra de arte e torna o contato com o trabalho
de Iberê Camargo ainda mais rico.

O centro foi distribuído num conjunto de volumes, onde foram distribuídos três blocos na frente,
em escala menor, pra dar mais proximidade a escala humana, e pela falta de espaço o ultimo
bloco foi verticalizado, com as salas de exposição em forma de L, distribuídas entre o térreo e
mais três andares. No centro há um grande vazio.

A rampa em ziguezague do lado de fora criou uma fachada diferenciada. Ela trilha o percurso
pelo prédio, passando por todas as salas como se abraçando o edificio por fora e por dentro.
Ela também é usada como estrutura, pois não há vigas nem pilares, sua ossatura é monolítica.

O terreo foi elevado proporcionando um aspecto mais harmonioso do volume do Edificio com a
avenida movimentada.

O estacionamento foi resolvido sendo instalado no subsolo, sob a via pública.

O Edifício é impressionante,parece uma escultura, com suas rampas e jogos de luz. E é muito
interessante olhar os os volumes que se forma em cada fachada e perspectivas ao se deslocar
pelo entorno.

O projeto também é ambientalmente responsável: visando a recuperação da paisagem original


existente nas encostas do terreno (12.000m² de área verde, cedidos formalmente pela
Secretaria Municipal do Meio Ambiente à Fundação, que a adotou), o consumo de energia é
baixo, a água da chuva é reutilizada nos banheiros e uma pequena estação de tratamento de
efluentes faz o tratamento dos resíduos sólidos e líquidos no próprio local. A água resultante do
processo serve para regar a vegetação.

Foi o primeiro edifício a utilizar concreto branco aparente, no Brasil, armado em toda a sua
extensão, a construção não utiliza tijolos ou elementos de vedação. Além do impacto plástico, o
material oferece alta durabilidade e baixa manutenção. Desenvolvido pela construtora Camargo
Corrêa em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul, foi um dos vencedores
do 3º Prêmio de Tecnologia e Construtividade, criado pela UN Infra-estrutura.
O MUSEU

Dispondo de nove salas de exposições distribuídas ao longo de três pavimentos, além de um


grande espaço no primeiro andar, o prédio tem o total de cerca de 1.300m² disponíveis para a
mostra de pinturas, gravuras e desenhos. Além desses espaços, conta com o Centro de
Documentação e Pesquisa, a Reserva Técnica, um auditório com 100 lugares

A sede abriga mais de quatro mil obras de Iberê Camargo. O acervo é formado pela Coleção
Maria Coussirat Camargo, constituída por pinturas, gravuras, desenhos, guaches e diversos
estudos. Há, ainda, um acervo documental onde estão fotos, cartas, slides e cadernos de notas
de Iberê.

Com o objetivo de ser um centro difusor da arte moderna e contemporânea, a Fundação realiza
exposições das obras de Iberê Camargo e de artistas do País e do exterior, funcionando como
um centro cultural em que são realizados cursos, mostras temporárias, seminários e estudos
sobre a produção artística contemporânea.