Avaliação Antropométrica e Nutricional de Atletas

A avaliação da composição corporal pode ser feita pela avaliação da gordura corporal ou pela avaliação da estrutura corporal de acordo com o somatotipo. SOMATOTIPOS (Sheldon & Heath-Carter) O termo somatotipo refere-se ao tipo corporal ou à classificação física do corpo humano. Os termos endomorfo, mesomorfo e ectomorfo são usados para descrever uma pessoa em relação ao seu somatotipo. • Endomorfia (gordura): este componente corporal caracteriza-se por uma certa predominância do abdômen em relação ao tórax, ombros altos e quadrados e pescoço curto. A endomorfia é o componente "gorduroso" do corpo. Existe uma regularidade dos contornos em todas as áreas, sem relevo muscular. • Mesomorfia (músculo): este componente caracteriza-se por um corpo anguloso (quadrado) com musculatura dura, robusta e proeminente. Os ossos são grandes e as pernas, o tronco e os braços costumam ser maciçamente musculosos. Muitos atletas possuem um alto grau deste componente. • Ectomorfia (corpo magro): inclui características como linearidade, fragilidade e delicadeza do corpo. Esse é o componente de magreza, os ossos são pequenos e os músculos finos. Não existe proeminência dos músculos em nenhum ponto do físico. Cada um de nós possui um certo grau de todos os componentes corporais típicos. Atletas e pessoas ativas tendem a possuir componentes mesomórfico e ectomórfico mais altos que os não atletas ou os indivíduos sedentários. MÉTODOS PARA AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO CORPORAL Todos os métodos prontamente disponíveis para avaliar a composição corporal baseiam-se em certas suposições e, portanto representam estimativas do percentual real de gordura corporal. Dois métodos são utilizados comumente para fazer uma estimativa do conteúdo adiposo do corpo: (1) determinação da densidade e (2) mensuração das dobras cutâneas com a finalidade de determinar a densidade corporal • Pesagem Hidrostática (Estimativa da densidade corporal) É o método mais preciso e prontamente disponível de calcular a densidade corporal, é também o mais difícil tecnicamente. Resulta em uma medida da densidade corporal e baseia-se no princípio de Arquimedes. Este princípio estabelece que um objeto submerso em água é repelido (trazido de volta à superfície) por uma força que é igual ao volume de água deslocada. O volume de água deslocada é igual ao peso de água deslocado pelo objeto imerso em água. Realizando-se a pesagem de uma pessoa submersa, poderá ser determinada sua densidade. Devem ser estimadas e descontadas as quantidades de ar nos pulmões e intestino, e ainda a densidade da água que pode sofrer ligeira variação em função da sua temperatura.

Dc = PAR / K - (VR + 100) Dc = densidade corporal (g/cm3); PAR = Peso no ar em gramas (pesagem em condições habituais); K = [Peso no ar (PAR , g) - peso na água (Págua , g)] /densidade da água (em função da ToC) (Peso no ar - Peso na água representa o volume na água); VR = volume residual em cm3 100 = estimativa do gás gastrointestinal em cm3 As densidades derivadas da pesagem hidrostática são convertidas em percentual de gordura corporal freqüentemente pela equação de Brozec.

Estimativa da Gordura Corporal a partir de medidas de circunferências As regiões anatômicas utilizadas na tomada de medidas de circunferência para homens e mulheres.Coxa direita: parte superior da coxa . adiposidade e provavelmente raça.Constante C .A pesagem hidrostática é o padrão pelo qual todos os outros métodos de avaliação da composição corporal são validados. Panturrilha direita (C) Homens Jovens: Braço direito (A). Antebraço direito(C) Mulheres Idosas: Abdome (A). A. Existem basicamente duas maneiras de se utilizar as dobras cutâneas.Constante C .Panturrilha direita: maior circunferência na região entre o tornozelo e o joelho. . 5-2: mulheres idosas. Coxa direita (B). podem ser avaliadas de maneira absoluta ou percentual. (Estes valores podem ser encontrados nas tabelas em anexo) Os valores correspondentes para cada constante são substituídos em fórmulas específicas: Mulheres Jovens: Gordura% = Constante A + Constante B . A segunda maneira de utilizar as dobras cutâneas é a combinação com equações matemáticas destinadas a predizer a densidade corporal ou o percentual de gordura corporal. 5-4: homens idosos. antebraço direito (C) Homens Idosos: nádegas (A). assim como no escore total. àqueles nos quais foram obtidas estas equações.Suprailíaca: dobra ligeiramente oblíqua.Tríceps: dobra vertical medida na linha média da parte superior do braço. com base em mensurações da densidade corporal feitas por pesagem hidrostática ou deslocamento de água. Mudanças nos valores das dobras cutâneas individuais. são descritas abaixo: Mulheres Jovens: Abdome (A).4 Homens Jovens: Gordura% = Constante A + Constante B . . sexo. 5-3: homens jovens. A gordura percentual pode ser calculada diretamente através do uso de três constantes. antebraço direito (C) Estas medidas devem ser tomadas desta forma: . • • Mensuração de dobras cutâneas (Mensuração da densidade corporal) A espessura das dobras cutânea reflete a gordura subcutânea.Nádegas: protuberância máxima com os calcanhares unidos . Estas equações são específicas para determinada população e predizem a adiposidade com bastante exatidão para indivíduos semelhantes em termos de idade.2 Homens Idosos: Gordura% = Constante A + Constante B .18. abdome (B). As dobras cutâneas geralmente são: . . Estas mensurações proporcionam informação bastante constante e significativa acerca da gordura corporal e da sua distribuição.Constante C .Braço direito: braço estendido.10. jovens e idosos. elevado e disposto lateralmente ao corpo (medido no ponto médio entre o ombro e o cotovelo) Antebraço direito: circunferência máxima com o braço estendido e elevado lateralmente ao corpo. Coxa direita (B).15.0 Estas equações estimam a gordura percentual a partir de circunferências podem não ser válidas quando aplicadas a jovens atletas que se dedicam a treinamentos físicos rigorosos e indivíduos grandes ou pequenos que poderiam ser visualmente classificados como magros ou obesos. . A primeira consiste em somar os escores como uma indicação do grau relativo de adiposidade do indivíduo. B e C.Subescapular: dobra oblíqua medida imediatamente abaixo da extremidade inferior da escápula. medida diretamente acima do osso do quadril. a meio caminho entre a ponta do ombro e a ponta do cotovelo.Abdome: uma polegada acima do umbigo . Quando estes critérios são atendidos. o valor previsto da adiposidade para um indivíduo costuma ficar dentro de 3 a 5% da gordura corporal. apresentadas nos quadros: 5-1: mulheres jovens. estado de treinamento. as mensurações são feitas com um compasso para dobras cutâneas. Este valor pode ser usado para refletir mudanças na adiposidade antes e após um programa de condicionamento físico.19. abdome (B).Constante C .6 Mulheres Idosas: Gordura% = Constante A + Constante B .

099421 .2 Com exceção de valores adiposos "0% de gordura" e acima de 30%.59] x100 %Gord = [(5. 1.0.4.62] x100 %Gord = [(4.0. a dois terços da distância entre o joelho e o quadril..4.98/Dc).59] x100 . levando em conta idade.Coxa: dobra vertical medida na linha média da coxa.0001392 (X2) Dc = densidade corporal em g/cm3 X1 = soma das dobras cutâneas tricipital.64] x100 %Gord = [(4.Peitoral: dobra diagonal na metade da distância entre a linha axilar anterior e o mamilo para os homens e um terço da distância entre a linha axilar anterior e o mamilo para as mulheres. Equação generalizada de Jackson-Pollock-Ward (JPW) para mulheres Dc = 1. . que dão resultados semelhantes. a dois terços da distância entre a patela e o quadril.5%. Equações alternativas para estimar o % de gordura (Variação de Brozec e Siri) Idade 15-16 17-19 20-50 Sexo M F M F M F Equação %Gord = [(5. .Abdômen: dobra vertical medida na linha média da coxa. elas proporcionam resultados divergentes e deve-se ter cautela na interpretação dos resultados. supra-ilíaca e do terço médio da coxa (cm) X2 = idade projetada para o ano mais próximo 2.0002574 (X2) X1 = somas as dobras cutâneas peitoral.0009929 (X1) + 0.4. ambas as equações dão resultados semelhantes.03/Dc). Estas equações são baseadas em cadáveres masculinos e não contemplam variações de sexo.4. sexo e espessura das dobras cutâneas.0. abdominal e do terço médio da coxa (mm) X2 = idade projetada para o ano mais próximo Estas equações geralmente são convertidas em percentual de gordura corporal pela equação de Siri.0008267 (X1) + 0. Equação generalizada de Jackson-Pollock (JP) para homens Dc = 1.10938 .53] x100 %Gord = [(5. tendo como ponto de reparo a orientação dos espaços intercostais localizados na intersecção da linha axilar. Equação de Siri (1961) % de Gordura Corporal = 495 / Dc – 450 Equação de Brozec (1963) % Gordura = 457 / Dc . As equações 1 e 2 são generalizadas e comportam uma ampla aplicação na população.414. Foi relatado que as equações JPW e JP comportam um valor aproximado de +/3.0000016 (X1)2 . Nesses extremos.0. CÁLCULO DO PERCENTUAL DE GORDURA CORPORAL A densidade corporal será convertida em gordura corporal através de duas equações.05/Dc).50] x100 %Gord = [(5.03/Dc).4.07/Dc).0000023 (X1)2 . idade e raça.4. .Axilar Média: dobra oblíqua.95/Dc).

1125025 .50] x 100 Mulheres Anoréxicas (Jackson et al.21(S2) .0001392 (Idade) % Gord = [(4.0002574 (Idade) % Gord = [(4.00028826 (Idade) % Gord = [(4.95/Dc) .21(S2) . axilar média) Mulheres (Jackson et al.5. suprailíaca.4. subescapular. 1988) ( S2 = SOMATÓRIA DAS DOBRAS CUTÂNEAS TRICIPTAL E SUBESCAPULAR) Se S2 <= 35 mm Rapazes Brancos: Pré-pubere %Gord = 1.3.0.57] x 100 Homens (Jackson & Pollock.85/Dc) .7 Púbere %Gord = 1. coxa. abdômen e coxa) Dc (g/cm3) = 1.0000016 (S 3PC)2 .50] x 100 Mulheres 3 dobras (Jackson et al.008 (S2)2 .1120 .2 Pós púbere %Gord = 1.peitoral.008 (S2)2 .0994921 .0.Equação de Falkner %Gordura = (S4 PC x 0.6 Moças %Gord = 0.013 (S2)2 .0.7 Homens e Mulheres (S7 = Somatório de 7 dobras .1.95/Dc) . 1978) (18 a 61 anos) Dc (g/cm3) = 1.0.783 PC = Tríceps.peitoral.0.153) + 5.0.8 Moças Brancas e negras (qualquer nível de maturação) %Gord = 1. Suprailíaca e Abdominal OUTRAS EQUAÇÕES Crianças e Adolescentes de 7 a 18 anos (Slaughter et al.008 (S2)2 .0.0000023 (S 3PC)2 .008 (S2)2 .5 Rapazes Negros: Pré-pubere %Gord = 1. Subescapular.109380 .0.3. abdômen.3.21(S2) .5.00012828 (Idade) % Gord = [(5. suprailíaca e coxa) (18 a 55 anos) Dc (g/cm3) = 1. abdominal) Dc (g/cm3) = 1.5 Púbere %Gord = 1.0970 .0.0.008 (S2)2 .783(S2) + 1.0002440 (Idade) % Gord = [(4.4.0.0.37/Dc) . 1980) (S = tríceps. suprailíaca.5 Se S2 > 35 mm Rapazes %Gord = 0.00043499 (S7PC) + 0.33(S2) .tríceps.000826 (S 3PC) + 0.21(S2) .0.21(S2) .0.0.00000056 (S 7PC)2 .2.0000055 (S 3PC)2 .21(S2) .39] x 100 Homens 3 dobras (Jackson & Pollock.0.00000055 (S7PC)2 .4 Pós púbere %Gord = 1. suprailíaca e coxa) (18 a 55 anos) .6. 1980) (S = tríceps.4.0013125 (S 3PC) + 0. 1978) (S3 = somatório das 3 dobras .546(S2) + 9.93] x 100 (S3 = somatório das 3 dobras . tríceps. 1980) (18 a 55 anos) Dc (g/cm3) = 1.008 (S2)2 .4.01/Dc) .0009929 (S 3 PC) + 0.0.00046971 (S 7PC) + 0.

2000 PERCENTUAL DE GORDURA (G%) PARA HOMENS Nível /Idade 18 .Dc (g/cm3) = 1.55 56 .00133 x PC coxa) . Os Nomogramas de Sloan-Weir (anexo) é utilizado para predição da densidade corporal e da gordura corporal total com base nas mensurações da dobras cutâneas A QUALIDADE DE CADA UM DOS MÉTODOS DE AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO CORPORAL DEPENDE DA HABILIDADE DE QUEM REALIZA AS MENSURAÇÕES. Saúde e Aptidão Classificação Homens Mulheres Gordura essencial 01 a 05 % 03 a 08 % Maioria dos atletas 05 a 13 % 12 a 22 % Saúde ótima 12 a 18 % 16 a 25 % Obesidade limítrofe 22 a 27 % 30 a 34 % Fonte: Foss & Keteyian.0000023 (S 3PC)2 .0994921 .06706 x log10 (X1) Fórmula de Lohman (1992) Dc = 1.0.00081 x PC suprailíaca) .00088 x PC triciptal) %Gordura (Calculada por Brozec) Para atletas ou pessoas com um nível de aptidão superior ao da média ou de grupos etários diferentes.000815 (S PC = Tríceps.4. COMPOSIÇÃO CORPORAL DESEJÁVEL Diretrizes Sugeridas da Composição Corporal para Esporte.(0.0.35 36 .0982 0.00131 x PC subescapular) Mulheres (17 a 25 anos): Dc = 1.0764 .(0.45 46 Excelente 4 a 6 % 8 a 11% 10 a 14% 12 a Bom 8 a 10% 12 a 15% 16 a 18% 18 a Acima da Média 12 a 13% 16 a 18% 19 a 21% 21 a Média 14 a 16% 18 a 20% 21 a 23% 24 a Abaixo da Média 17 a 20% 22 a 24% 24 a 25% 26 a Ruim 20 a 24% 20 a 24% 27 a 29% 28 a Muito Ruim 26 a 36% 28 a 36% 30 a 39% 32 a 55 16% 20% 23% 25% 27% 30% 38% 56 13 a 20 a 22 a 24 a 26 a 28 a 32 a 65 18% 21% 23% 25% 27% 30% 38% PERCENTUAL DE GORDURA (G%) PARA MULHERES Nível /Idade 18 .17136 – 0.000000842(S 3PC)2 Fórmulas de Sloan-Weir (predição de densidade corporal e gordura corporal total) Homens (18 a 26 anos): Dc = 1.26/Dc) .(0.1043 .25 26 .0009929 (S 3PC) + 0. as equações não conseguirão uma predição exata da densidade corporal e portanto do percentual de gordura corporal.65 Excelente 13a 16 % 14 a 16% 16 a 19% 17 a 21% 18 a 22% Bom 17 a 19% 18 a 20% 20 a 23% 23 a 25% 24 a 26% Acima da Média 20 a 22% 21 a 23% 24 a 26% 26 a 28% 27 a 29% .0001392 (Idade) % Gord = [(5.(0.35 36 .25 26 . subescapular e abdômen 3PC) + 0.45 46 .83] x 100 Guedes (1985) DC = 1.

• Avaliação da Gordura por Tomografia Computadorizada (TC) A técnica de mapeamento por TC consegue fornecer imagens em corte transversal para qualquer parte do corpo. Saúde e Aptidão Classificação Homens Mulheres Gordura Essencial 1 a 5% 3 a 8% Maioria dos Atletas 5 a 13% 12 a 22% Saúde ótima 10 a 25% 18 a 30% Aptidão ótima 12 a 18% 16 a 25% Obesidade limítrofe 22 a 27% 30 a 34% fonte: RDA. A espessura da gordura fornecida pela radiografia substitui as dobras cutâneas. • Avaliação Radiográfica da Gordura do Braço Estimativa direta e inequívoca do conteúdo em gordura corporal.músculo e a camada de gordura-músculo e osso. tríceps. . A resistência é determinada pela colocação de eletrodos na mão e no tornozelo direitos. Buskirk sugeriu as seguintes mensurações das dobras cutâneas para classificar os atletas do sexo masculino em termos de gordura corporal: subescápula. A manutenção dos níveis normais de hidratação afetam a exatidão da técnica. A desidratação ou hiperhidratação afetam as concentrações normais de eletrólitos no corpo. O tempo de transmissão das ondas sonoras através dos tecidos e volta até o receptor é transformado em distância. 1968.Média Abaixo da Média Ruim Muito Ruim 23 26 29 33 a a a a 25% 28% 31% 43% 24 27 31 36 a a a a 25% 29% 33% 49% 27 30 33 38 a a a a 29% 32% 36% 48% 29 32 35 39 a a a a 31% 34% 38% 50% 30 33 36 39 a a a a 32% 35% 38% 49% Fonte: Pollock & Wilmore (1993) Diretrizes sugeridas da Composição Corporal para Esporte. • Avaliação Ultrassônica da Gordura Um medidor ultrassônico portátil mede a distância entre a pele e a camada de gordura . Classificação das mensurações das dobras cutâneas para atletas masculinos segundo Buskirk Classificação % de gordura Tríceps (mm) Subescapular (mm) Abdome (mm) Soma (mm) Magro Aceitável Gordo <7% 7 a 15% >15% <7 7-13 >13 <8 8-15 >15 <10 10-20 >20 <25 25-48 >48 Classificação das mensurações das dobras cutâneas para mulheres atletas segundo Hall Classificação % de gordura Tríceps (mm) Subescapular (mm) Abdome (mm) Soma (mm) Magro Aceitável Gordo <12% 12 a 25% >25% <9 9-17 >17 <7 7-14 >14 <7 7-15 >15 <23 23-46 >46 OUTRAS FORMAS DE AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO CORPORAL • BIA (Impedância bioelétrica) É um instrumento portátil que mede a resistência corporal total para uma corrente fraca passada através do corpo. abdome. É útil no mapeamento da espessura do músculo e gordura nas diferentes regiões corporais.

Nutrição.KATCH.O. ANEXOS . L. KETEYIAN.J. 2ed. 1996. F. R. E. BOWERS. . Fisiologia do Exercício: Energia. Bases Fisiológicas do Exercício e do Esporte. KATCH.. I.L.D. Missouri: Mesby.. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. Nutrição no Exercício e no Esporte. 6 ed. Controle de peso e Exercício. 2000.. F.FOSS. Nutrição e Desempenho Humano.I.A. S. São Paulo: Roca. ROBERTS. Rio de Janeiro: Medsi. 1992. M.FOX.REFERÊNCIAS . Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. KATCH.F. M.W. Performance and Clinical Applications.L. 3ed. Exercise Physiology: Exercise.I.L. R.. HICKSON JR. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. . .ROBERGS. Bases Fisiológicas da Educação Física e dos Desportos. W.McARDLE. .J. . 1996. 4 ed. S.WOLINSKY. 1984. 1991.... McARDLE.. V. 2 ed. FOSS.

. A R.Percentis da circunferência do braço (cm) Fonte: Frisancho. 1990. Anthropometric standards for the assessment of growth and nutritional status.189 p.University of Michigan.

Clin. A R.. Am. . 34:2540.1981. Nutr. J. New norms of upper limb fat and muscle areas for assessment of nutritional status.Percentis da circunferência muscular do braço (cm) Fonte:Frisancho.2545.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful