Você está na página 1de 3

1

Papel da ética na sociedade


Para falarmos de ética é importante, primeiramente, conceituá-la.
De acordo com o que foi visto em sala de aula, ética é a ciência do comportamento
moral dos homens em sociedade. É uma ciência, pois tem objeto próprio, leis próprias
e método próprio. O objeto da ética é a moral. A moral é um dos aspectos do
comportamento humano. A expressão deriva da palavra romana mores, com o sentido
de costumes, conjunto de normas adquiridas pelo hábito reiterado de sua prática.

A ética, analisando a fundo, vem desde o inicio dos tempos, ainda com Adão e
Eva, pois a “regra”, “a lei” foi dada, que era de não comer o fruto proibido, ao
comerem a maçã (o fruto proibido) a lei foi quebrada, ou seja, ocorreu ai, o primeiro
ato antiético da humanidade.

Portanto a ética, (visto por um ângulo jurídico) nada mais é que um controle do
que é certo e errado, e para que uma sociedade viva em paz e em ordem é necessário
que tais regras sejam cumpridas.

As leis não foram criadas por acaso, houve-se tal necessidade, justamente
porque alguns integrantes da sociedade se recusavam a cumprir, com isso, houve-se
também a necessidade de criar “normas” que serviriam também de exemplo para os
outros membros da sociedade para que os erros cometidos por alguém, não se
repetissem com outra pessoa, portanto, infringindo uma norma, tal membro era
“castigado”, ou seja, cada ato errado, uma punição.

A ética também não é vista apenas no ângulo jurídico, também, e


principalmente pelo bom senso de cada cidadão, pois não é possível “fiscalizar”
alguém o tempo todo, portanto o bom senso nesse caso é fundamental.

Cada qual sabe o que é certo ou errado, por isso cabe a cada um fazer a sua
parte, somente assim, a sociedade viverá com um pouco mais de paz e justiça.
Podemos, no entanto contribuir com isso, educando nossos filhos da melhor maneira
possível, começando, nós mesmos, a obedecer e lutar pelo justo, e pelo que é justo.

Logo, vem a pergunta: O que é certo? O que é errado? O que é justo? E, logo, o
que é injusto? São questões que merecem uma reflexão profunda e sem ética não é
possível achar uma resposta que nos satisfaça.

Lucas Ferreira da Silva - Filosofia


2

Ética Científica e as normas técnicas

Os avanços na biologia de células-tronco nos pedem para considerar as


implicações de tal trabalho e as políticas adequadas aplicada pelo governo neste
campo crescente da pesquisa.

Está nas mãos dos eleitores, pressionarem os políticos em todos os níveis do


governo na aplicação da ética e os debates no plenário a respeito deste científico tem
chamado a atenção da comunidade científica internacional e do povo em si. Deve
haver pesquisa com ética e não de uma forma desrespeitosa aos seres humanos.

O Lobby é forte pela indústria farmacêutica no Senado e na Câmara dos


Deputados. Nós, eleitores, devemos acompanhar de perto cada representante por nós
escolhidos.

Biotecnologia é a tecnologia baseada na biologia, especialmente quando usada


na agricultura dos alimentos e na medicina.

A Convenção sobre Diversidade Biológica da ONU possui uma das muitas


definições de biotecnologia.

"Biotecnologia define-se pelo uso de conhecimentos sobre os processos


biológicos e sobre as propriedades dos seres vivos, com a finalidade de resolver
problemas e criar produtos de utilidade."

A definição ampla de biotecnologia é o uso de organismos vivos ou parte deles,


para a produção de bens e serviços. Nesta definição se enquadram um conjunto de
atividades que o homem vem desenvolvendo há milhares de anos, como a produção
de alimentos fermentados (pão, vinho, iogurte, cerveja, frutas e outros alimentos).

Por outro lado a biotecnologia moderna se considera aquela que faz uso da
informação genética, incorporando técnicas de DNA recombinante.

A biotecnologia combina disciplinas tais como genética, biologia molecular,


bioquímica, embriologia e biologia celular, com engenharia química, tecnologia da
informação, robótica, bioética e o biodireito, entre outros ramos.

Nanotecnologia

A nanotecnologia está associada a diversas áreas (como a medicina, eletrônica,


ciência da computação, física, química, biologia e engenharia dos materiais) de

Lucas Ferreira da Silva - Filosofia


3

pesquisa e produção na escala nano (escala atômica). O princípio básico da


nanotecnologia é a construção de estruturas e novos materiais a partir dos átomos (os
tijolos básicos da natureza).

É uma área promissora, mas que dá apenas seus primeiros passos, mostrando,
contudo, resultados surpreendentes (na produção de semicondutores, Nano
compósitos, Biomateriais, Chips, entre outros). Criada no Japão, a nanotecnologia
busca inovar invenções, aprimorando-as e proporcionando uma melhor vida ao
homem. Um dos instrumentos utilizados para exploração de materiais nessa escala é o
Microscópio Eletrônico de Varredura, o MEV.

O objetivo principal não é chegar a um controle preciso e individual dos


átomos, mas elaborar estruturas estáveis com eles.

Bioinformática

Bioinformática corresponde à aplicação das técnicas da Informática, no sentido


de análise da informação, na área de estudo da Biologia.

Uma definição ampla e tentativa é então: (Bio)informática é o estudo da


aplicação de técnicas computacionais e matemáticas à geração e gerenciamento de
(bio)informação.

Alguns experts brasileiros da área acreditam que a bioinformática, como se


entende tradicionalmente no meio acadêmico e não pela análise da palavra, é
circunscrita à Biologia Molecular, às vezes, ainda mais especificamente restrita à
Genômica. Outros acadêmicos, por outro lado, advogam a noção mais abrangente do
termo para algo na direção da definição envolvendo informação biológica de modo
geral.

A Bioinformática combina conhecimentos de química, física, biologia, ciência da


computação, informática e matemática/estatística para processar dados biológicos ou
biomédicos.

Buscando tratar os dados, é necessário desenvolver softwares para, por


exemplo: identificar genes, prever a configuração tridimensional de proteínas,
identificar inibidores de enzimas, organizar e relacionar informação biológica, simular
células, agrupar proteínas homólogas, montar árvores filogenéticas, comparar
múltiplas comunidades microbianas por construção de bibliotecas genômicas, analisar
experimentos de expressão gênica entre outras inúmeras aplicações.

Lucas Ferreira da Silva - Filosofia