Você está na página 1de 85

SPA

1|Página
PATRICÍA WALDOW

PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DE UM SPA MÉDICO


EM TANGARÁ DA SERRA - MT

BARRA DO BUGRES-MT
2010

2|Página
ESTADO DE MATO GROSSO
SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA,
TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR
UNEMAT - UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO
CAMPUS UNIVERSITÁRIO DEP. EST. RENE BARBOUR
DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO

PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DE UM SPA MÉDICO


EM TANGARÁ DA SERRA - MT

Trabalho de Conclusão de Curso,


apresentado à Universidade do Estado de
Mato Grosso, para obtenção do título de
Bacharel em Arquitetura e Urbanismo.
Orientadora M. Sc. Josiani Galvão

PATRÍCIA WALDOW
BARRA DO BUGRES –MT
2010

3|Página
ESTADO DE MATO GROSSO
SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA,
TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR
UNEMAT - UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO
CAMPUS UNIVERSITÁRIO DEP. EST. RENE BARBOUR
DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO

FOLHA DE APROVAÇÃO

Título: PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DE UM SPA MÉDICO


EM TANGARÁ DA SERRA - MT

Autora: PATRÍCIA WALDOW

Qualificação de Monografia defendida e aprovada em __/__/__, pela banca


examinadora:

_____________________________________

Profª. Ms. Josiani Galvão


Orientadora

_____________________________________

Prof. __________________________
Banca Interna

_____________________________________

Prof. __________________________
Banca Interna

BARRA DO BUGRES - MT
2010

4|Página
LISTA DE FIGURAS

Figura 1: Família Imperial 1868........................................................................21

Figura 2: Foto Aérea do Município de Tangará da Serra.................................31

Figura 3: Localização do Município no Estado de Mato Grosso.......................31

Figura 4: Mapa de acesso ao Spa Med Sorocaba Campus.............................37

Figura 5: Setorização Spa Med Sorocaba Campus..........................................37

Figura 6: Recepção e Quiosque.......................................................................38

Figura 7: Fachada Centro Médico....................................................................39

Figura 8: Sala de Espera - Centro de Estética.................................................39

Figura 9:Setor Esportivo...................................................................................40

Figura 10: Caminhos das Águas.......................................................................41

Figura 11: Hidromassagem...............................................................................41

Figura 12: Suíte Máster....................................................................................42

Figura 13: Apartamento Superior......................................................................42

Figura 14: Apartamento luxo.............................................................................43

Figura15: Suíte Máster.....................................................................................43

Figura 16: Chalé de luxo...................................................................................44

Figura 17: Coloniais..........................................................................................45

Figura 18: Loja de Artesanato...........................................................................45

5|Página
Figura 19: Mini-Shooping..................................................................................45

Figura 20: Restaurante ....................................................................................46

Figura 21: Centro Cultural.................................................................................46

Figura 22: Campus UNIC..................................................................................73

Figura 23: Entorno e Vias de Acesso...............................................................73

Figura 24: Av.Vergílio Favetti- Pessoas Caminhando......................................74

Figura 25: Residências, Vila Alta IV..................................................................75

Figura 26: Geometria e Dimensões do Terreno...............................................76

Figura 27: Direção Predominante dos ventos (N-NO)......................................77

Figura 28: Vegetação rasteira característica de pastagens..............................78

Figura 29: Plano de Massa...............................................................................82

6|Página
LISTA DE QUADROS

Quadro 1: Pré dimensionamento Portaria........................................................51

Quadro 2: Pré dimensionamento do setor administrativo.................................52

Quadro 3: Pré dimensionamento do setor funcional.........................................53

Quadro 4: Pré dimensionamento do Setor Médico...........................................54

Quadro 5: Pré dimensionamento do Setor de Hospedagem............................56

Quadro 6: Pré dimensionamento do Setor de Hidroterapias............................57

Quadro 7: Pré dimensionamento do Setor de Hidroterapias............................59

Quadro 8 : Pré dimensionamento do Setor Esportivo.......................................60

Quadro 9: Pré dimensionamento da Academia................................................61

Quadro 10. Coeficiente para cálculo de dimensionamento da área conforme o


número de refeições..........................................................................................67

Quadro 11: Distribuição das áreas...................................................................68

Quadro 12: Pré dimensionamento da Lanchonete...........................................69

Quadro 13: Estimativa do número de Vagas....................................................70

Quadro 14: Pré dimensionamento da estrutura física geral.............................71

7|Página
SUMÀRIO

INTRODUÇÃO _____________________________________________ 12
1. SPA: ORIGEM E DESNVOLVIMENTO ____________________ 15
1.1. Os Males da Modernidade ___________________________ 16
1.2. Spa: Um Estilo de Vida ______________________________ 17
1.3. Spa: Origem e Evolução _____________________________ 18
1.4. Turismo de Saúde __________________________________ 19
1.5. O Spa no Brasil.____________________________________ 21
1.6. Spa: Classificações_________________________________ 23
1.6.1. Classificação Quanto a Destinação__________________ 23
1.6.1.1. Spa de Destino _________________________________ 23
1.6.1.2. Spa Resort/Hotel _______________________________ 24
1.6.1.3. Day Spa ______________________________________ 24
1.6.1.4. Spa Passeio ___________________________________ 24
1.6.2. Classificação Quanto a Especialidade _________________ 25
1.6.2.1. Spa Naturista __________________________________ 25
1.6.2.2. Spa Médico ____________________________________ 25
1.6.2.3. Spa Holístico___________________________________ 25
1.6.2.4. Spa Esporte e Aventura __________________________ 26
1.6.2.5. Spa Nutricional _________________________________ 26
1.6.2.6. Spa Estético ___________________________________ 26
1.6.2.7. Spa Termal ____________________________________ 26
1.6.2.8. Spa Wellness/Bem Estar _________________________ 27
2. TANGARÁ DA SERRA _________________________________ 29
2.1. História ___________________________________________ 29
2.2. Dados Gerais ______________________________________ 29
2.3. Análise Socio-Econômica ___________________________ 31
2.4. Saúde _____________________________________________________ 31
2.5. Turismo __________________________________________ 32
3. ANÁLISE CORRELATA ________________________________ 35
3.1. Spa Med Sorocaba Campus __________________________ 35
3.1.1. Setor de Recepção _________________________________ 37

8|Página
3.1.2. Setor Médico ______________________________________ 37
3.1.3. Setor de Estética ___________________________________ 38
3.1.4. Setor Esportivo ____________________________________ 38
3.1.5. Setor de Hidroterapia _______________________________ 40
3.1.6. Setor de Hospedagem ______________________________ 41
3.1.6.1. Apartamento Máster _____________________________ 41
3.1.6.2. Apartamento Superior ____________________________ 41
3.1.6.3. Apartamento Luxo ______________________________ 42
3.1.6.4. Suíte Master ___________________________________ 42
3.1.6.5. Chalé Luxo ____________________________________ 43
3.1.6.5. Setor de Hospedagem ___________________________ 43
3.1.6.6 Coloniais ______________________________________ 43
3.1.7. Setor de Lojas _____________________________________ 45
3.1.8. Setor de Alimentação e Entretenimento ________________ 45
4. PROPOSTA _________________________________________ 48
4.1. Programa de Necessidade e Pré Dimensionamento ______ 49
4.1.1 Programa de Necessidades __________________________ 49
4.1.2. Portaria___________________________________________ 50
4.1.2.1. Caracterização das atividades _____________________ 50
4.1.2.2. Programa de necessidades _______________________ 50
4.1.2.3. Pré- Dimensionamento ___________________________ 50
4.1.3. Setor Administrativo ________________________________ 50
4.1.3.1. Caracterização das atividades _____________________ 50
4.1.3.2. Programa de necessidades _______________________ 51
4.1.3.3. Pré- Dimensionamento ___________________________ 51
4.1.4. Setor Funcional ______________ Erro! Indicador não definido.
4.1.4.1. Caracterização das atividades _____________________ 52
4.1.4.2. Programa de necessidades _______________________ 52
4.1.4.3. Pré- Dimensionamento ___________________________ 53
4.1.5. Setor Médico ______________________________________ 53
4.1.5.1. Caracterização das atividades _____________________ 54
4.1.5.2. Programa de necessidades _______________________ 54
4.1.5.3. Pré- Dimensionamento ___________________________ 54

9|Página
4.1.6. Setor de Hospedagem ______________________________ 54
4.1.6.1. Caracterização das atividades _____________________ 55
4.1.6.2. Programa de necessidades _______________________ 55
4.1.6.3. Pré- Dimensionamento ___________________________ 56
4.1.6. Setor de Estética ___________________________________ 56
4.1.6.1. Caracterização das atividades _____________________ 57
4.1.6.2. Programa de necessidades _______________________ 57
4.1.6.3. Pré- Dimensionamento ___________________________ 57
4.1.8. Setor Hidroterapias _________________________________ 58
4.1.8.1. Caracterização das atividades _____________________ 58
4.1.8.2. Programa de necessidades _______________________ 58
4.1.8.3. Pré- Dimensionamento ___________________________ 59
4.1.9. Academia _________________________________________ 60
4.1.9.1. Caracterização das atividades _____________________ 60
4.1.9.2. Programa de necessidades _______________________ 60
4.1.9.3. Pré- Dimensionamento ___________________________ 61
4.1.10. Restaurante _______________________________________ 61
4.1.9.1. Caracterização das atividades _____________________ 62
4.1.9.2. Programa de necessidades _______________________ 62
4.1.9.2. Recomendações de Projeto _______________________ 64
4.1.9.3. Pré- Dimensionamento ___________________________ 67
4.1.11. Lanchonete _______________________________________ 68
4.1.11.1. Caracterização das atividades _____________________ 68
4.1.11.2. Programa de Necessidades _______________________ 69
4.1.11.3. Pré - dimensionamento ___________________________ 69
4.1.12. Estacionamento____________________________________ 70
4.1.12.1. Calculo de Vagas _______________________________ 70
4.1.12.2. Pré dimensionamento ____________________________ 70
4.1.13. Estrutura Física ____________________________________ 71
4.1.13.1. Pré dimensionamento ____________________________ 71
4.2. Caracterização do Terreno ____________________________ 72
4.2.2. Acessos e Relação com o Entorno _____________________ 72
4.2.3. Geometria, Orientação Solar e Direção dos Ventos ________ 75
4.2.4. Topografia e Vegetação ______________________________ 77

10 | P á g i n a
4.3. Perfil do Usuário ____________________________________ 78
4.3.2. Usuários em Regime de Internamento. __________________ 78
4.3.3. Usuários dos Pacotes Mensais ________________________ 78
4.3.4. Usuários Esporádicos _______________________________ 79
4.4. Plano de Massa _____________________________________ 80

CONSIDERAÇÕES PARCIAIS ________________________________ 82


REFERÊNCIAS ________________________ Erro! Indicador não definido.

11 | P á g i n a
INTRODUÇÃO

O conceito de Spa surgiu inicialmente para designar locais onde as


propriedades curativas da água eram exploradas afim de trazer benefícios ao
corpo e a mente. Com o passar dos anos, as novas descobertas no campo da
medicina natural não evasiva e as novas doenças, conhecidas como doenças
do século foram delineando o conceito de Spa.

A urbanização acelerada transformou a paisagem, e sem perceber o


homem foi sacrificando o equilíbrio com o meio ambiente, fechando-se em
espaços artificiais que determinaram alterações de contexto natural. A proposta
do Spa é que se retome esse equilíbrio, colocando o indivíduo novamente em
contanto com seus sentidos, separando-o do mal-estar que caracteriza e
controla muitos momentos de sua vida (Micheli, 2005).

Além de atrair pela beleza de seus espaços, a oferta da almejada vida


saudável chama a atenção de uma população que sofre com as conseqüências
de seus maus hábitos alimentares e de sua inatividade. Nesse contexto o Spa
transforma-se em um local onde exercícios físicos e dietas alimentares são
visto não como sacrifício, mas como algo prazeroso , fato que no dia-a-dia nem
sempre acontece.

A procura por tratamentos de Spa combinada a atividades de lazer, tem


movimentado o setor de turismo no país, dando origem a uma nova
modalidade turística, conhecida como Turismo de Saúde.

O Município de Tangará da Serra, situado a sudoeste do estado de Mato


Grosso, será escolhido como universo desta proposta, por se tratar de um Pólo
Regional de Saúde e contar com vários atrativos turísticos naturais, onde estes
são requisitos importantíssimos para a implantação de um Spa, como novo
conceito de empreendimento turístico.

A incorporação de novos tratamentos e serviços ao Spa, e a tendência


atual de segmentação dos serviços para melhorar o atendimento ao público,

12 | P á g i n a
fez com que surgisse atualmente vários tipos de Spas. A modalidade
selecionada para a presente proposta baseia-se nas características do
Município a sediar o Spa, que por ser referência em serviços de saúde na
região direcionou á escolha para um Spa de cunho médico.

O presente trabalho de conclusão de curso irá apresentar a proposta de


implantação de um Spa Médico no Município de Tangará da Serra, que tem por
objetivo atender a demanda por esses tipos de serviços não só da região, mas
das demais localidades do estado e do país, servindo como atrativo turístico
para o município.

Para que a proposta resulte em um projeto coerente, foram realizadas


pesquisas bibliográficas (livros, artigos, monografias, teses e materiais
pesquisados na internet), e pesquisas documentais (normas, leis e documentos
da Administração Municipal) e os levantamentos in loco (fotografias,
levantamentos topográficos e análises locais).

A partir disso, esse estudo terá no seu Primeiro Capítulo o Referencial


Teórico, o qual será fonte de todo o conhecimento prévio do tema. Já no
Segundo será destinado a caracterização de Tangará da Serra-MT, relatando o
histórico da cidade e informações necessárias ao projeto, no Terceiro Capítulo
será abordada a de uma obra correlata, que servirá de base para a composição
do programa arquitetônico.
Por fim, o Quarto Capítulo que corresponde ao Programa Arquitetônico
da proposta, onde será apresentado as informações pertinentes ao projeto
arquitetônico em si; condições ambientais, caracterização do terreno e entorno,
programa de necessidades e pré dimensionamento, assim como o perfil do
usuário, serão explanados nesse capitulo.

13 | P á g i n a
Capítulo 1
Spa: Origem e
Desenvolvimento

14 | P á g i n a
1. SPA: ORIGEM E DESNVOLVIMENTO

1.1. Os Males da Modernidade

Vivemos em um mundo que nos condiciona a práticas nocivas à saúde.


O capitalismo tem orientado as pessoas a uma busca compulsiva pelo lucro
individual, fazendo com que sacrifiquem a saúde em prol de alcançar bens
materiais e reconhecimento. O estresse, a má alimentação, a obesidade e o
sedentarismo são temas corriqueiros nos dias atuais, e vem despertando a
atenção não só dos profissionais da saúde, mas também das pessoas que já
começam a sentir os efeitos desse alienado estilo de vida.

O número de mortes em consequência de doenças infecciosas, ligadas


à pobreza, é bem menor comparado as doenças relacionadas aos maus
hábitos modernos. Esse fato foi observado através da análise dos dados de
1950 onde elas correspondiam a 36% do total de óbitos no Brasil; no ano de
2000 esse valor girava em torno de apenas 6%. Buchalla e Pastore (2000)
afirmam ainda que:

Nas grandes cidades, principalmente, a maioria das pessoas


morre de complicações cardíacas, de câncer (pulmão, mama,
próstata e estômago são os mais comuns) e de diabetes tipo 2. Essas
enfermidades são a pior tradução do estilo de vida atual. Não é
conversa fiada, não. Segundo pesquisadores da Universidade
Stanford, na Califórnia, uma das mais respeitadas dos Estados
Unidos, o estilo de vida é o fator que mais pesa para que uma pessoa
consiga ultrapassar os 65 anos.

No ano de 1992 a Organização das Nações Unidas (ONU) apresentou o


estresse como “o mal desse século”. Além de, por si só ser considerado uma
doença, segundo Lessa [s.d.], o estresse é fator desencadeador de várias
outras doenças como: envelhecimento precoce, obesidade, anemia e baixa
imunidade.

De acordo com a matéria publicada pela revista Veja em novembro de


2000, o número de obesos no país alcançava a marca dos trinta milhões, e nos

15 | P á g i n a
últimos vinte anos o número de mulheres obesas cresceu 40%, o de homens
20% e o de crianças obesas está 500% maior.

De acordo com Giugliano et al (2002), um a cada sete indivíduos no


mundo, apresentam desnutrição, esse quadro diferente do que acreditam
muitos, não se relaciona apenas à precariedade econômica que impede as
pessoas de se alimentarem de forma adequada, mas também à falta de tempo
que devido a correria do dia-a-dia e pela atitude imediatista que condiciona as
pessoas à péssimas práticas alimentares.

Quando falamos em avanços tecnológicos, logo pensamos em um


facilitador de nossas vidas, seja para aumentar nosso conforto, diminuir os
esforços no desempenho de atividades ou oferecer momentos de lazer e
diversão. Realmente grande parte dos avanços vem ao encontro desses
anseios. O fato é que esse “não fazer nada”, ou “fazer o menos possível”, deu
origem a outro termo muito familiar na vida moderna, o “sedentarismo”, o qual
vem atraindo cada vez mais adeptos, que muitas vezes não conhecem ou
desconsideram os prejuízos da inatividade.

Segundo Buchalla e Pastore (2000):

A inatividade física reduz em até três anos a expectativa de


vida. Está relacionada a 35% das mortes por diabetes e a 35% dos
óbitos por distúrbios cardiovasculares. Engana-se quem imagina que
são necessárias horas de suadouro em uma academia para deixar o
clube dos lerdos. Com a queima diária de 150 calorias, deixa-se de
pertencer à categoria dos sedentários. A prática regular de exercícios
físicos (sessões de meia hora, quatro vezes por semana, no mínimo)
estimula a irrigação sanguínea e, conseqüentemente, a oxigenação
de todos os órgãos – e oxigênio é vida. A ginástica também reduz os
níveis de gorduras perniciosas no sangue e aumenta em até 30% o
índice de HDL, o colesterol bom, que limpa as artérias.

O fato é que não há como regredir no processo da modernidade, mas é


possível transformar nossos hábitos alimentares e cotidianos, para possibilitar
uma vida mais saudável e prevenir as doenças decorrentes desse alucinado
estilo de viver. Segundo Giugliano et al (2002), alimentação balanceada,
condicionamento físico e saúde psíquica formam a base para uma vida
saudável.

16 | P á g i n a
1.2. Spa: Um Estilo de Vida

Mesmo antes da Revolução Industrial (século XVIII), a qual são


atribuídas mudanças de profundo impacto no processo produtivo não só a
nível econômico como também social, em meio à uma rotina bem menos
exaustiva já havia recomendações quanto a um estilo de vida saudável:

“Vida honesta e regrada. Tomar poucos remédios. E tentar,


por todos os meios, não se alterar por nada. A comida, moderada,
exercícios e distração. Não ter nunca apreensão. Sair ao campo um
bom período, pouco barulho, muito convívio, e contínua ocupação”.
(segundo Dr. José Pedro Jorge Filho, recomendações da Escola de
Salerno Itália, século XI D.C.).

As nossas cidades tem se transformado em lugares onde dificilmente


conseguimos encontrar espaços e momentos para cuidar de nosso corpo e
mente. Sem perceber o homem foi sacrificando o equilíbrio natural com o meio
ambiente, fechando-se em espaços artificiais que determinaram alterações de
contexto (MICHELI, 2005).

Mediante os sinais de prejuízo que os maus hábitos da vida moderna


acarretam, a atenção da sociedade começa a se voltar para a recuperação de
um estilo de vida saudável, e a busca por SPA e centros de bem-estar tem
crescido consideravelmente, conforme pode-se observar na afirmação abaixo :

A palavra 'bem-estar' está a transformar-se numa verdadeira


obsessão citadina: centros termais e estéticos, 'beautyfarm' e ginásios
estão a multiplicar-se e a modificar as suas estruturas para oferecer
ao utilizador uma experiência de completo bem-estar. A moda é de
oferecer uma sensação, mais ou menos real, de 'outros mundos',
oásis de paz e de beleza, graças aos quais podem descobrir-se
sensações e emoções, que se associam novamente às dimensões de
uma profunda interiorização. (MICHELI,2005)

De acordo com Rodrigues (2009), no ano de 2008 mais de 200 mil


pessoas visitaram esses tipos de estabelecimentos, que vem conquistando
cada vez mais adeptos, de idades e classes diversificadas:

Hoje, a procura do bem-estar surge de uma variada tipologia


de pessoas que compreende, não somente jovens ou profissionais
com rendimentos elevados, mas também indivíduos de todas as
idades e famílias com rendimentos médios que procuram fazer do
Spa uma filosofia de vida. (MICHELI,2005 grifo da autora).

17 | P á g i n a
1.3. Spa: Origem e Evolução

Várias são as hipóteses quanto à origem do termo SPA, mas todas


remetem a utilização da água como fonte de cura e bem estar. Segundo
Minguet (2005) alguns estudiosos acreditam que o termo venha a ser uma sigla
com origem na expressão latina "Salut Per Aque" que significa "saúde através
da água". Outras fontes como Piacentini (2009) apresenta essa designação
associada à cidade de SpaFrancorchamps, antiga estância hidromineral
localizada no leste da Bélgica, famosa por seu clima agradável e belíssimas
fontes termais, onde através dela outras cidades européias com características
semelhança idealizaram seus SPA’s.

O homem há séculos vem associando os benefícios da água ao seu


bem estar físico, mental e espiritual. Para as primeiras civilizações a água era
um elemento sagrado e também curativo muito utilizado em cerimônias de
purificação.

Ainda segundo Minguet (2005), os gregos foram os maiores


contribuintes para a disseminação do aspecto curativo da água. Através dos
trabalhos de grandes filósofos como Platão, Homero, e Hipocrates as
atividades nas termas foram registradas para a posteridade; alguns
tratamentos são conhecidos e aplicados até os dias atuais, como: jatos, banhos
a vapor, barros entre outros.

Na Grécia os banhos públicos eram constantemente palco da vida social


e como resultado do processo histórico que fez com que muito da arte e da
cultura grega fosse assimilada pelos Romanos, esse componente social
passou a fazer parte das termas públicas em Roma transformando-as em
centro de reunião. (MINGUET, 2005).

O modelo Grego-Romano de termas se espalhou, atingindo todo o


império Romano com exemplares da África a Inglaterra. Em um espaço curto
de tempo os simples banhos públicos adquiriram caráter de grandes complexos
recreativos e sociais, agregando espaços esportivos, locais de massagem, sala
de convívio e de reuniões.
18 | P á g i n a
De acordo com Minguet (2005), em virtude da queda do Império
Romano, durante grande parte da idade média, a higiene e o cuidado com o
corpo deixaram de ser um hábito, mesmo em meio às classes de prestígio.
Com exceção do sul da Europa, que em virtude da ocupação do território pelos
árabes por oito séculos, a cultura dos banhos foi mantida, pois a hidroterapia
na visão do islã é algo de prestígio e ligada à purificação do corpo, sendo a
higiene indispensável antes de certas práticas religiosas.

Em meados do século XV com o movimento Renascentista,


caracterizado pela retomada dos valores clássicos, é que a hidroterapia
ressurgiu na sociedade, implementada por novas técnicas, resultado das
publicações de diversos tratados por médicos e estudiosos das características
e efeitos das águas medicinais. (Glancey, 2000)

Atualmente o termo Spa não se restringe a denominação dos espaços


nos quais é possível desfrutar de tratamentos milenares baseado nas
propriedades medicinais da água, sem desconsiderá-los o crescente
desenvolvimento da medicina alternativa tem agregado novos tratamentos que
mesmo sem ter como base o potencial medicinal da água também tem como
objetivo contribuir com nosso bem estar e a um estilo de vida saudável.

Segundo Minguet (2005), Spa pode ser definido como um lugar onde é
possível fazer-se um “parênteses” em nossa rotina diária e desfrutar de um
tempo de relaxamento submerso em um mundo de terapias e tratamentos
desenvolvidos para purificar não só o corpo mas também a mente.

1.4. Turismo de Saúde

Em resposta ao anseio de fuga das alucinações condicionadas ao estilo


de vida moderno, um novo cenário tem surgido no mercado turístico nacional e
internacional.

Segundo Zonta e Novaes (2008), caracterizado com um dos maiores


movimentos migratórios da história, o turismo possui destaque na economia
nacional e internacional por sua taxa de crescimento constante. Fenômeno

19 | P á g i n a
consequente dos desejos e necessidades dos seres humanos, que
atuamente concentram-se na tentativa de escapar da rotina, conhecer novos
prazeres, descobrir novos horizontes, estar em contato com novas
culturas, religiões e interesses de povos diversificados.

Em busca de embasamento para a relação entre os desejos e


necessidades humanas e a crescente expansão dessa nova forma de turismo
que tem levado um grande número de pessoas a desfrutarem dos serviços de
Spas em suas férias e momentos de lazer, Mill (2003 apud Zonta e Novaes,
2008) compara os serviços e produto oferecidos pelos Spas com modelo da
hierarquia de Maslow, que separa as necessidades do ser humano em
necessidades fisiológicas (físicas), necessidades de segurança, necessidades
sociais (doação e amor), necessidade de status e estima e necessidades de
auto realização, ou seja:

Física: representada pelo descanso, atividades, fome e sede;


ou seja, um Spa é um local ideal para o encontro estes itens;

De segurança: ou seja, estar em um local que ofereça


liberdade longe das sensações de ou ansiedade ou medo, e
sim que proporcione bem estar mesmo que por algumas horas
do dia.

De doação e amor: onde se possa dar e receber afeto, nada


melhor que um local onde o bem-estar do corpo e da alma
está acima de tudo;

Auto-estima: Spas voltados à vitalidade e a beleza do corpo e


da mente representam a satisfação desta necessidade da
melhor maneira, pois os resultados são bem significativos em
todos os casos;

Auto-realização: que se obtém através do bem-estar


momentos derelaxamento com lazer e luxo.

Mediante esse quadro, Cunha (2008) demonstra que o alargamento da


base motivacional das viagens tem culminado no aparecimento de novas
formas de turismo, que, muitas vezes, vão de encontro a outras já existentes,
dando origem a situações de conflito. Está neste caso a recente acensão dos
chamados “Spas” que, aparentemente invadem o campo das actividades
seculares, mediante a utilização de recursos naturais, respondem a
necessidades de saúde .

20 | P á g i n a
Sem partir de uma regra, em muitos casos, o turismo de saúde ocorre a
partir do potencial de regiões que ofertam recursos naturais, belas paisagens
e clima favorável. Porém, segundo Zonta e Novaes (2008) localidades que
não ofertam recursos naturais destacam-se através da inovação e criatividade
de outros tratamentos de saúde e beleza.

1.5. O Spa no Brasil.

No Brasil assim como ocorreu nos demais cantos do mundo, os


primeiros Spas surgiram com a exploração das propriedades medicinais da
água. Segundo Silva e Barreira (1994 apud MARTINS E ALCÂNTARA, 2008),
a prática dos banhos medicinas foram iniciados pelos bandeirantes na
ocupação do interior do Brasil, acredita-se que antes disso os índios já
usufruíam dos benefícios das águas termais.

Em 1674 data-se a descoberta das fontes que deram origem a cidade


mineira de Caxambu. Atribuída à missão bandeirante do Comandante
Lourenço Castanho Tazques, as fontes são de grande importância para o
estudo do termalismo no Brasil. Registros históricos remontam a visita da
família Imperial (Figura 1) às fontes de Caxambu no ano de 1868, que
chegaram a cidade atraídos pelo fama curativa das fontes, acreditando ser a
cura para a anemia da princesa Isabel que à impedia de engravidar. Curada e
convencida dos poderes medicinais das águas, a princesa Isabel e seu
marido conde D'Eu batizaram algumas fontes do Parque das águas
(ESCRITA, s/d).

21 | P á g i n a
Figura 2: Família Imperial 1868.
Fonte: Idas Brasil,[s/d]

Segundo Pires (2006 apud MARTINS E ALCÂNTARA, 2008) em


meados do século XIX, em razão do desenvolvimento da química e da
medicina, foram iniciadas as pesquisas terapêuticas referentes às
propriedades das águas, dando respaldo científico para a propagação das
atividades hidroterápicas no Brasil.

O conceito de Spa que temos atualmente que não se limita apenas aos
tratamentos hidroterápicos é consideravelmente recente no país. Segundo o
atual presidente da Associação Brasileira de Clínicas e Spas, Gustavo
Albanesi (2010), foi nos últimos 10 anos que o setor apresentou um
desenvolvimneto acentuado. Esse fato é atribuido principalmente às
modificações culturais trazidas pelo avanço da medicina preventiva e
necessidades geradas pelo acelerado ritmo da vida moderna.

Segundo Albanesi (2010), os primeiros modelos de spas que surgiram


no mercado brasileiro, foram os denominados Spas Destino, estabelecimentos
que dispõem de estrutura de hospedagem e alimentação, visando à promoção
de bem-estar e qualidade de vida. Em razão da dimensão de sua infraestrutura
física e de sua propostra conceitual, estes, normalmente não se localizam
dentro de grandes cidades e sim em regiões próximas, o que demanda
deslocamentos.
22 | P á g i n a
O mercado de Spas no Brasil tem passado por diversas transformações
nos últimos anos, uma delas é a segmentação do ramo, que aumenta a
possibilidade de negócio para os empresários e funcionários do setor, e cabe
ao empreendedor estudar qual melhor se adapta ao mercado local.

Por ser visto também como uma forma de turismo e lazer, as


oportunidades para as empresas operadoras de Spa em tempo de Copa do
Mundo e Olimpíadas, tende a crescer consideravelmente.

1.6. Spa: Classificações

Com a consideravel mudança pela qual o conceito de Spa passou nos


ultimos anos, e com as novas tecnologia e estudos que vem implementando e
agregando valor ao seguimento, muitas são as possibilidades de atuação no
setor. Afim orientar o público e o mercado de spas quanto aos tipos de
estabelecimentos existentes, serviços oferecidos e localização, a Associação
Brasileira de Clínicas e Spas elaborou critérios de classificação dos Spas, tanto
em relação a sua destinação quanto a sua especialidade.

1.6.1. Classificação Quanto a Destinação

1.6.1.1. Spa de Destino

Conta com estrutura de hospedagem, espaços destinados a prática de


exercícios físicos e estrutura de alimentação com dietas próprias dos SPAs,
tendo como foco principal a promoção aos hospedes de um estilo de vida mais
saudável.

Esse tipo de Spa dificilmente encontramos em meios urbanos de


grandes cidades, o mais comum é a implantação em áreas afastadas ou em
cidades próxima as metrópoles. Isso se dá devido ao porte desse tipo de
estabelecimento, que se adéquam melhor a grandes áreas, inexistentes nos
centros saturados das grandes cidades

23 | P á g i n a
1.6.1.2. Spa Resort/Hotel

Localizado dentro de estrutura fixa de Resorts ou Hotéis, pode ser um


estabelecimento independente que atenda aos hospedes e ao público externo,
ou de uso exclusivo dos comensais.
Os serviços oferecidos pelo Spa Resort variam de acordo com o porte
do Hotel, e em relação a complexidade do tratamento. Por tratar-se de um
público que muitas vezes utiliza dos serviços como um complemento a sua
estadia no hotel, tratamentos que exijam periodicidade ou que necessitam de
vários procedimentos não são oferecidos nessa modalidade. Em geral os
tratamentos oferecidos são: banhos terapêuticos, massagens, tratamentos
corporais e faciais de menor complexidade.

1.6.1.3. Day Spa

Diferente dos Spa de destino, o Day Spa pode facilmente ser instalado
nos centros das grandes cidades, por demandar menor estrutura devido a
inexistência de hospedagem. Podem ser encontrados tanto em estrutura
própria, como também dentro Shopping Centers, centros comerciais ou
residenciais
Já é possível observar o uso do Day Spa não só como um conceito de
estabelecimento, mas também como um serviço quem tem atraído aos demais
Spas, visando atingir ao público que busca por tratamentos mais flexíveis, ou
que apenas não dispõe de tempo para passar uma ou mais semanas dentro
dos Spas de Destino

1.6.1.4. Spa Passeio

Visto como um atrativo ou diferencial, serviços de Spa já podem ser


encontrados dentro de estruturas voltadas para entretenimento ou transporte.
Segundo Gustavo Albanesi (2010), as atividades vêm se desenvolvendo em
localizações não imaginadas anteriormente: clubes, aeroportos, aviões, navios,
trens, etc.

Essa mudança é reflexo direto do desenvolvimento da cultura da


população neste sentido, que já vê os spas como seu centro de bem-estar

24 | P á g i n a
completo, onde existe a possibilidade de combinar o tratamento de sua saúde
com a realização de atividades turísticas e de entreterimento.

1.6.2. Classificação Quanto a Especialidade

1.6.2.1. Spa Naturista

Estabelecimento voltado para as práticas baseadas na Naturopatia


onde os recursos da natureza, ecologia, as terapias orientais e ocidentais são
explorados ao máximo, visando prevenir, manter, promover e recuperar a
saúde, o bem estar e a qualidade de vida.

Os principais tratamentos oferecidos por essa modalidade de Spa são os


tratamentos de Homeopatia, Fitoterâpia, Acupuntura entre outros, promovendo
a saúde por processos naturais de tratamento e alimentação.

1.6.2.2. Spa Médico

Estabelecimento que possua objetivos primários médicos ou clínicos


visando a promoção da saúde humana e qualidade de vida, apresentando
serviços completos na área da estética médica, terapias e tratamentos
complementares com atividade física monitorada.

Alguns tratamentos só são permitidos nessa modalidade de Spa, pois


exigem supervisão médica, como aplicações baseadas em raio laser e injeções
de Botox.

1.6.2.3. Spa Holístico

Estabelecimento com foco na promoção da saúde humana através de


tratamentos que visam o equilíbrio entre corpo, mente e espírito. A tradição dos
tratamentos milenares são geralmente os atrativos dessa modalidade.
Segundo Liguori (2005), o Spa Holístico é o lugar onde o indivíduo
sente-se motivado a restaurar sua energia perdida pelo estresse do trabalho e
da rotina, buscando o auto-conhecimento e o auto-desenvolvimento através
das atividades de relaxamento, uso da medicina integral e da meditação.

25 | P á g i n a
1.6.2.4. Spa Esporte e Aventura

Estabelecimento com serviços voltados para o lazer e entretenimento,


com programas de qualidade de vida realizados através de atividades físicas e
de exercícios direcionados.
Geralmente localizado em áreas camping, onde o bem estar é
promovido pelo contato direto com a natureza na realização de atividades
esportivas como: caminhada, arborismo, canoagem, mountain bike, natação,
tirolesa, rapel entre outros.

1.6.2.5. Spa Nutricional

Estabelecimento com o objetivo de orientação nutricional,


desintoxicação e reeducação alimentar, com infra estrutura necessária à
produção de alimentação dietética e balanceada.
Combinado os serviços nutricionais, os Spas geralmente oferecem a
seus clientes a atividades físicas orientadas e serviços terapêuticos visando a
promoção da saúde humana.

1.6.2.6. Spa Estético

Estabelecimento geralmente de estrutura física mais compacta, que


limita seus serviços á tratamentos estéticos faciais e corporais, o que não
demanda áreas extensas como ocorre nas modalidades que aliam esses
tratamentos a prática de exercícios físicos.
Com filosofia de beleza aliado à saúde e bem-estar, apresentam
variedade de equipamentos e mão-de-obra especializada, alguns
estabelecimentos oferecem também salão de beleza e serviços de podologia,
visando um tratamento completo aos seus clientes.

1.6.2.7. Spa Termal

Perpetuador dos tratamentos que deram origem ao Spa, esses


estabelecimento proporcionam saúde e bem-estar através da hidroterapia e
banhos termais, apresentando infra-estrutua adequada para tal.

26 | P á g i n a
1.6.2.8. Spa Wellness/Bem Estar

Estabelecimento que proporciona o bem-estar físico, mental e espiritual


através de variados programas e serviços especializados, seja através de
terapias corporais, banhos ou atividades físicas específicas.

27 | P á g i n a
Capítulo 2
Tangará da Serra

28 | P á g i n a
2. TANGARÁ DA SERRA

2.1. História

No ano de 1959 inicio-se o processo de colonização do município de


Tangará da Serra, tendo como foco de expansão o antigo povoado resultante
do loteamento das glebas Santa Fé, Esmeralda e Juntinho, localizados no
Município de Barra do Bugres (PEREIRA, 2000).

Segundo dados do IBGE, em 1908 já havia moradores na localidade que


nessa época, com muita dificuldade e devido ao isolamento geográfico,
iniciavam as atividades econômicas no município. Com a chegada da comitiva
do Marechal Cândido Rondon no ano de 1913, as dificuldades inerentes ao
isolamento geográfico foram amenizadas devido à instalação de uma linha de
telégrafo que permitiu a comunicação com o resto do país.

Tangará da Serra, sem diferir dos demais municípios da região,


participou de fases importantes da economia nacional, tendo seu
desenvolvimento impulsionado pelo plantio de café, milho, arroz e depois da
soja, à qual se difundiu pela região.

O processo de desenvolvimento agrícola compreendido entre as


décadas de 70 e 80, culminou na criação de grande parte dos municípios mato-
grossenses, e a abertura de vastas fazendas impulsionou o progresso e a
ocupação definitiva das terras dos Parecis. No dia 13 de maio de 1976 Tangará
da Serra elevou-se da condição de distrito à condição de município.

2.2. Dados Gerais

O município de Tangará da Serra (figura 2), selecionado como local para


a implantação do Spa Médico, localiza-se a Sudoeste do Estado de Mato
Grosso (Figura 3), entre os paralelos 14 e 15 e entre os meridianos 57 15’ 00” e
59 10’00”, com altitude média de 452 metros (Pereira, 2000). Possui uma

29 | P á g i n a
extensão territorial de 11770,3 Km² que é delimitada a Norte com os municípios
de Sapezal e Campo Novo dos Parecis, a Leste com Santo Afonso, Nova
Marilândia, Denise e Diamantino, Oeste com Campos de Júlio e Conquista do
Oeste e a Sul com Barra do Bugres, Vale do São Domingos, Pontes e Lacerda
e Nova Olímpia.

Figura 2: Foto Aérea do Município de Tangará da Serra


Fonte: http://i942.photobucket.com/albums/ad264/MarcelogLima/DSC07431.jpg

Figura 3: Localização do Município no Estado de Mato Grosso


Fonte: Patrícia Waldow, 2010

O clima no município é tropical úmido, e o relevo é caracterizado pela


topografia plana (95%), sendo que topografias suavemente onduladas e
montanhosas formam apenas 5% do seu relevo (IBGE,2007).

30 | P á g i n a
2.3. Análise Socio-Econômica

O município de Tangará da Serra possui uma economia diversificada,


com base na prestação de serviços, comércio, indústria e agronegócio.
Segundo dados do IBGE (2007), o município tem como principal atividade
econômica a prestação de serviços e o comércio que corresponde a 61,28% do
seu PIB o que equivale a 3.48% do valor arrecadado por todo o estado no
mesmo setor. Os outros 38.72% restantes estão divididos praticamente em
parcelas iguais entre os setores industriais e de agronegócios.

Ao analisar os dados estatísticos, observa-se o grande potencial do


município no setor de serviços, o que reflete em um quadro oportuno para a
implantação de um empreendimento no setor de saúde – um SPA Médico,
atividade em ascensão no mercado nacional, mas sem exemplares no
município e região.

2.4. Saúde

Tratando-se de um empreendimento no setor de serviços-saúde,


Tangará da Serra pode ser considerada a melhor indicação da Região para
recebê-lo. O Município é um Pólo Regional de saúde e atende, segundo dados
do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região do Médio Norte, além da
própria demanda, outros 10 municípios circunvizinhos, sendo eles: Sapezal,
Barra do Bugres, Campo Novo do Parecis, Nova Olímpia, Santo Afonso, Nova
Marilandia, Denise, Brasnorte, Arenápolis e Porto Estrela, sem contar os que
não fazem parte do Pólo (Secretaria de Saúde, s/d).

Em função disso, muitas pessoas vão a Tangará da Serra em busca de


assistência médica, seja para consultas, realização de exames ou tratamentos
dos mais diversos. O município conta com profissionais especializados nas
mais diversas áreas da saúde; essa variedade permite que as pessoas
aproveitem o deslocamento para fazer consultas e exames complementares.

31 | P á g i n a
De acordo com dados da Secretária de Saúde [s/d], o município atende
atualmente cerca de 18.500 pacientes mensalmente, sem contar aqueles que
utilizam das Clínicas e Hospitais particulares, sendo que desse número 17%
são de outros municípios. Ainda na mesma fonte, encontra-se a informação
que o município, no Sistema Privado de Saúde, conta com 04 Hospitais e 10
Clínicas, o que faz de Tangará da Serra um centro de referência em Saúde no
Médio Norte de Mato Grosso.

Tangará da Serra conta ainda com Instituições de Ensino Superior que


oferecem cursos na área da saúde, o que estimula a pesquisa e o
desenvolvimento do setor

2.5. Turismo

Com a nova vertente do turismo chamada Turismo de Saúde (explanado


em 1.4), conhecer o potencial turístico de Tangará da Serra é de fundamental
importância, tendo em vista que segundo Zonta e Novaes (2008) o turismo de
saúde ocorre a partir do potencial de regiões que ofertam recursos naturais,
belas paisagens e clima favorável.

Várias são as opções de Turismo em Tangará da Serra, fazendo-a


conhecida por suas maravilhas naturais, como podemos citar:

Salto Maciel: Cachoeira formada pelo Rio Sepotuba com


seqüência de corredeiras entre rochas. Está localizado na
Fazenda Tapirapuã. Fica a 40 minutos da cidade.

Cachoeira Salto das Nuvens: formada pelo Rio Sepotuba,


com praia logo após a queda localizada na Fazenda
Cachoeira. Está localizada em uma área rural de 160 alqueires
e estrutura de 1.200 m² que abriga estacionamento, telefone
público, lanchonete, loja, banheiros, churrasqueira,
estacionamento para ônibus, restaurante, atendimento a
grupos, chalé.

Cachoeira e Mirante Mina Azul: formada pelo rio que nasce 2


km antes de cair na serra. Mirante na Serra Tapirapuã, com
vista de todo vale, podendo avistar a Usina Itamarati e a
cidade de Nova Olímpia. Estão localizados no Sítio Mina Azul
de propriedade do Sr. Ivo Rocha. Fica a 20 minutos do centro
da cidade.

32 | P á g i n a
Cachoeira da Biquinha: formada pelo córrego Estaca e
piscina de água corrente, alimentada pôr uma mina de água
potável. O local conta com infraestrutura de estacionamento,
play ground, lanchonete, banheiros, churrasqueira, piscina
com água corrente natural. (Sedtur/MT, 2010.)

Segundo a Assessora de Comunicação da Sedtur/MT, Raquel Teixeira


(2010), Tangará da Serra está se firmando como um dos pólos de turismo de
negócios e de aventura em Mato Grosso com muitos atrativos para atender de
forma satisfatória quem deseja conhecer suas belezas naturais. Com
perspectiva de crescimento, o município tem atraído investidores, ampliando o
setor de Hotelaria com novos empreendimentos; como afirma Teixeira (2010):

Com mais de 82% de ocupação dos leitos disponíveis


em 26 empreendimentos hoteleiros, a cidade está se
organizando e estruturando segmentos do turismo com foco na
atração de mais turistas. A capacidade hoteleira está em
ampliação para mais 400 leitos distribuídos em 2 hotéis que
estão em construção e ampliação de mais um que já opera na
cidade. Atualmente, Tangará da Serra conta com 980 leitos em
26 hotéis. (Sedtur/MT, 23 de Junho de 2010.)

Cursos profissionalizantes têm colocado no mercado de Turismo em


Tangará da Serra profissionais preparados para atender a demanda turística de
forma satisfatória, como o oferecimento de curso para Guias de Turismo pela
Unidade de Educação Profissional e Tecnológica (Ceprotec).

Tangará da Serra de acordo com os dados acima referenciados,


encontra-se em desenvolvimento tanto na área de saúde como na de turismo o
que configura um cenário promissor para a implantação de um Spa Médico no
Município.

33 | P á g i n a
Capítulo 3
Análise Correlata

34 | P á g i n a
3. ANÁLISE CORRELATA

As análises de obras correlatas são de fundamental importância para a


assimilação do tema tanto para o pesquisador como para aqueles que
participam desta leitura. Contribuindo para a percepção do espaço construído,
viabilizando a análise critica das soluções adotadas.

Este estudo subsidiará a concepção do programa de necessidades que


será apresentado no capitulo 4. Para isso optou-se pela análise de um dos
mais bem conceituados Spas Médico do país, que é o Spa Med Sorocaba
Campus, pela abrangência de seu programa, atendendo aos mais variados
perfis de usuários.

Esse capítulo será complementado em uma próxima fase onde serão


feitas analises que servirão como base para a adoção do partido arquitetônico.

3.1. Spa Med Sorocaba Campus

Considerado o primeiro Spa Médico do Mundo, o Spa Med Sorocaba foi


fundado no ano de 1982 pelo endocrinologista Dr. Mauro Tadeu Moura e pelo
pneumologista Dr. Sérgio dos Santos, que agregaram valor ao conceito de Spa
convencional, ampliando-o para um verdadeiro Centro de Saúde Física e
Mental.

Esse conceito de Spa associa emagrecimento a bem-estar e saúde,


promovido através de atividades físicas, tratamentos estéticos, relaxamento e
atendimento médico multidisciplinar, com foco principal na reeducação
alimentar e perda de peso (MOURA, s/d).

O SpaMed Sorocaba Campus localiza-se no interior do Estado de São


Paulo, na cidade de Sorocaba, no Bairro dos Morros. O acesso para aqueles
que vêm da grande São Paulo pode ser feito por duas rotas: uma pela Rodovia
Dr. Celso Charuri e a outra pela Rodovia Sen. José Ermírio de Moraes,
conforme pode-se observar através do mapa que se segue:

35 | P á g i n a
Figura 4: Mapa de acesso ao Spa Med Sorocaba Campus.
Fonte: http://info.spamed.com.br/localizacao.html

O SpaMed Sorocaba é composto por um conjunto de edifícios setorizados


conforme suas especialidades. Para melhor compreensão o complexo está
dividido nos seguintes setores: setor de hospedagem, esportivo, médico,
estético, setor de hidroterapias, setor de lojas, setor de recepção, setor de
alimentação e entretenimento (Figura 5).

Figura 5: Setorização Spa Med Sorocaba Campus.


Fonte: http://info.spamed.com.br/localizacao.html. Modificado pela autora.

36 | P á g i n a
3.1.1. Setor de Recepção

A recepção é um dos primeiros edifícios do Spa (ver figura 6-A), onde os


hospedes são orientados quanto sua estadia. Após esse primeiro contato
seguem para o setor médico onde são realizados os exames e a avaliação
médica.

Uma área com quiosques, permite que os hospedes desfrutem do contato


com a natureza, desvinculando-os da paisagem urbana e artificial das grandes
cidades (Figura 6-A).

A B
Figura 6: Recepção e Quiosque.
Fonte: http://info.spamed.com.br/estrutura.html.

3.1.2. Setor Médico

Este setor abrange salas de consultórios onde há o atendimento médico


com profissionais de várias especialidades que realizam uma avaliação
completa do estado de saúde do paciente, através de consultas e exames,
procedimento obrigatório para iniciar os tratamentos (figura 7).

Uma equipe de enfermeiras monitora periodicamente o peso, a pressão


arterial e a freqüência cardíaca dos internos, avaliando o desempenho físico de
cada paciente. Ao final da estada, o usuário recebe os resultados alcançados
com o tratamento bem como recomendações para dar prosseguimento ao
estilo de vida saudável em sua vida cotidiana.

37 | P á g i n a
Figura 7: Fachada Centro Médico
Fonte: http://info.spamed.com.br/estrutura.html.

3.1.3. Setor de Estética

Localizado no primeiro andar do edifício, onde também são realizados


atividades de academia e ginástica, e um equipado centro de medicina estética
está à disposição dos clientes.

O objetivo dos tratamentos oferecidos não se restringe só a tratar o


corpo e a pele, mas também a passar conforto psicológico ao paciente através
não somente da iluminação intensa e constante no ambiente, como também
pela combinação de cores claras no mobiliário e nos demais revestimentos de
piso e parede que traspassam leveza e tranqüilidade. (Figura 8)

Figura 8: Sala de Espera - Centro de Estética


Fonte: http://info.spamed.com.br/estrutura.html.

38 | P á g i n a
3.1.4. Setor Esportivo

O setor esportivo, possui atividades descentralizadas distribuídos em


vários pontos de suas dependências. O SpaMed Sorocaba conta com
equipamentos e espaços destinados a atividades físicas, a fim de motivar os
hóspedes a mudarem hábitos sedentários, inserindo a prática de esporte
orientada por profissional especializado que acompanha as atividades
desenvolvidas, com recomendações quanto aos seus limites físicos.

Os espaços compreendidos nesse setor são: quadra poliesportiva,


quadra de tênis(figura 9-A), futebol society, pistas de caminhada(figura 9-B),
academia(figura 9-C), quadra poliesportiva (figura 9-D, mini-golfe(figura 9-E),
dentre outros.

A B C

D E F
Figura 9:Setor Esportivo.
Fonte: http://info.spamed.com.br/estrutura.html.
O Setor Esportivo além de possuir uma variedade de opções para o
desempenho de atividades físicas, a fim de atender a diversidade de seus
hóspedes, aproveitou os aspectos naturais relacionados á paisagem, com vista
a integração dos espaços e conseqüentemente das atividades ali
desenvolvidas com a natureza, afirmando e instigando um estilo de vida
saudável.
39 | P á g i n a
3.1.5. Setor de Hidroterapia

Destinado a propiciar saúde e bem estar, fazendo uso das propriedades


medicinais da água, o centro de hidroterapia dispõem de uma estrutura
completa de piscinas térmicas, sendo uma delas coberta, para viabilizar os
tratamentos no período de inverno, e a outra externa.

Anexada a piscina externa, está o “Caminho das Águas”(figura 10). Um


percurso para caminhadas submerso a 50 cm de água, eficiente para o
fortalecimento muscular através do esforço exercido durante o momento de
deslocamento. Ao encerrar o exercício o paciente pode desfrutar de uma
relaxante hidromassagem (figura 11).

Figura 10: Caminhos das Águas.


Fonte: http://info.spamed.com.br/estrutura.html.

Figura 11: Hidromassagem.


Fonte: http://info.spamed.com.br/estrutura.html.

O setor conta ainda com hidromassagens, para os mais variados


tratamentos, ofurô, ducha escocesa, sauna, além de salas destinadas à
terapias com argila e gesso com efeito terápico e estético.

40 | P á g i n a
3.1.6. Setor de Hospedagem

O SpaMed possui estrutura hoteleira, para atender a seu regime de


internamento, com 150 leitos, divididos entre 91 apartamentos, nas seguintes
categorias:

3.1.6.1. Apartamento Máster


São 12 apartamentos na categoria Máster, com cama de casal ou duas
camas de solteiro, possui banheiro privativo e um Closet, e é equipado com
Frigobar, Telefone, TV a cabo e Internet.

Figura 12: Suíte Master


Fonte: http://info.spamed.com.br/estrutura.html.

3.1.6.2. Apartamento Superior

São 13 apartamentos, cada um com duas camas de solteiro, e


equipados com Frigobar, Telefone, TV a cabo e Internet, possuindo cada
unidade seu banheiro privativo (figura 13).

Figura 13: Apartamento Superior.


Fonte: http://info.spamed.com.br/estrutura.html.

41 | P á g i n a
3.1.6.3. Apartamento Luxo

Na categoria Luxo são 8 apartamentos, com duas camas de solteiro.


Cada unidade possui seu banheiro privativo. Equipado com Frigobar, Telefone,
TV a cabo e Internet (figura 14).

Figura 14: Apartamento luxo


Fonte: http://info.spamed.com.br/estrutura.html.

3.1.6.4. Suíte Máster

O SpaMed Sorocaba possui 4 Suítes Master, com opções de cama de


casal ou 2 camas de solteiro. Nos quartos com cama de casal o banheiro é
equipado com hidromassagem, e para os quartos com duas camas de solteiro
os hospedes possuem banheiros individuais (figura 15-A).

Para atender aos empresários que se submetem ao regime de


internamento, há um escritório com fax, alem de Frigobar, Telefone, TV a cabo
e Internet como os demais apartamentos. Cada suíte máster possui sua
varanda privativa (figura 15-B).

A B
Figura15: Suíte Máster.
Fonte: http://info.spamed.com.br/estrutura.html.

42 | P á g i n a
3.1.6.5. Chalé Luxo

Para aqueles que desejam um espaço diferenciado o chalé é uma ótima


opção que oferece maior privacidade ao usuário. Por fora apresenta-se com
toda a rusticidade de um aconchegante chalé no campo, e por dentro a
sobriedade é garantida pela leveza dos materiais. Estão disponíveis 6
exemplares dessa tipologia (figura 16).

Figura 16: Chalé de luxo


Fonte: http://info.spamed.com.br/estrutura.html.

3.1.6.6. Coloniais

De estilo mais humilde e não menos confortável, os 4 apartamentos


coloniais levam os temas: Colonial Mineira (figura 17-A); Colonial Júnior(figura
17-B); Colonial Paulista (figura 17-C) e Colonial Baiana (figura 17-D).

Adequado a receber pequenos grupos, cada colônia está dividida em 8


quartos, com camas de solteiro ou viúva, Frigobar, Telefone, TV a cabo, e
banheiros privativos.

A variedade arquitetônica revela um aspecto cultural particular do SPA


que reúne edifícios de estilo contemporâneo com outros que mantém ainda as
características originais do período em que fora construído. Os edifícios
coloniais temáticos podem ser relacionados com a diversidade cultural dos
usuários que vem de diferentes locais do país em busca da qualidade dos
serviços do SPAMed

43 | P á g i n a
A B

C D

Figura 17: Coloniais


Fonte: http://info.spamed.com.br/estrutura.html.

3.1.7. Setor de Lojas.

Esse setor compreende dois edifícios, o primeiro ( figura 18) destinado a


confecção e venda de artesanato que podem ser fabricados pelos próprios
hospedes e o segundo (figura 19) com características de um mini-shopping,
dispõe dos mais variados artigos, afim de suprir as necessidades daqueles que
desfrutam da estadia no Spa.

Figura 18: Loja de Artesanato Figura 19: Mini-Shooping


Fonte: http://info.spamed.com.br/estrutura.html. Fonte: http://info.spamed.com.br/estrutura.html.

44 | P á g i n a
O edifício destinado a venda de artesanatos, é de caráter rústico, com
pilares de madeira falquejada e fachada em tijolinho a vista, harmonizando com
os produtos e serviços ali oferecidos.

Diferindo-se do conceito do edifício de artes, o mini-shopping possui um


caráter mais minimalista, onde o objetivo é chamar a atenção para os produtos
expostos na vitrine. A fachada branca de elementos simétricos configura um
estilo clássico, o que atribui elegância ao edifício que comercializa artigos de
grife.

3.1.8. Setor de Alimentação e Entretenimento

O Spa Med Sorocaba, possui um completo serviço de gastronomia light,


servindo aos hospedes 6 refeições diárias. Um amplo restaurante (figura 20)
com espaço reservado para aqueles que não estão em regime de
emagrecimento, a estes são oferecidas refeições diferenciadas.

Para completar os serviços oferecidos pelo Spa Med Sorocaba, um


Centro Cultural (figura 21) oferece entretenimento aos Hospedes, com
atividades como Shows Musicais, Leilão de Artes, Cinema e Teatro.

Figura 20: Restaurante Figura 21: Centro Cultural


Fonte: http://info.spamed.com.br/estrutura.html. Fonte: http://info.spamed.com.br/estrutura.html.

Em posse de um dos mais diversificado programa de necessidades, a


presente análise servirá de base para a elaboração de um programa que se

45 | P á g i n a
adéqüe a realidade e ao porte da cidade, dessa forma não será feita uma
transposição engessada das soluções observada no Spa Med Sorocaba.

Observa-se também ao final dessa análise que o complexo é resultado


do um processo evolutivo, fato observado na variedade de estilos adotados nos
edifícios, onde o aumento da procura por tratamentos e a inserção de novas
técnicas e conceitos que surgiram nos últimos 10 anos é o possível fator de
modificação dos espaços. Dessa forma, considerar-se-á possíveis alterações
futuras no programa, pensando os espaços de forma flexível, permitindo novos
usos e também ampliações.

46 | P á g i n a
Capítulo 4
Proposta

47 | P á g i n a
4. PROPOSTA

Como mencionado anteriormente no Capitulo 1 item 2, a busca por


espaços que oferecem tratamentos voltados para a o bem estar físico e mental
vem crescendo consideravelmente. A presente proposta vem ao encontro a
esse público, oferecendo uma variedade de serviços que visam mudança de
hábitos alimentares, combate ao sedentarismo e ao stress, além dos
tratamentos estéticos que atraem por oferecer aos clientes perspectiva de
rejuvenescimento.

De acordo com a classificação da ABC Spa, a proposta se enquadra


quanto a destinação como Spa de Destino e Day Spa, e quanto a
especialidade como Spa Médico (ver classificação, Capitulo 1 item 1.3.2).

A opção por Spa de Destino e Day Spa se deve ao intuito de atender a


dois públicos diferentes um composto geralmente por turistas e ou outro por
clientes locais. Oferecendo uma completa estrutura de hospedagem e
variedade de tratamentos.

Já a escolha pela especialidade Médica e pelo regime de internamento


se justifica devido as dificuldades observada pelo Dr. Mauro (Idealizador e
sócio do SpaMed Sorocaba) que seus pacientes enfrentam ao ter que seguir as
dietas receitadas em suas casas. O processo de desintoxicação e reeducação
alimentar exige disciplina, e assim como a inserção e conscientização da
importância da prática de atividades físicas para uma vida saudável, que
geralmente resulta da comprovação dos resultados não surgem de um dia para
o outro. A garantia da eficiência dos tratamentos oferecidos pelo Spa é dada
mediante o seguimento rígido da orientação dos profissionais.

Até chegar ao presente momento onde me proponho a apresentar a


proposta de implantação de um Spa Médico, para o Município de Tangará da
Serra, perguntas importantes já foram respondidas, com o que diz respeito a:
situação do mercado para esses serviços, o potencial do Município em relação
ao setor de saúde e turismo entre outras. Nesse momento serão apresentadas
informações que subsidiarão a construção do projeto arquitetônico em si.

48 | P á g i n a
4.1. Programa de Necessidade e Pré Dimensionamento

O Programa de Necessidades, segundo Albernaz e Lima (1998 apud


Corrêa, 2006), consiste na definição do espaço de acordo com o conjunto de
atividades sociais e funcionais nele exercido e com o papel que representa na
sociedade; ou também a utilização do espaço interno e a sua divisão em
ambientes, recintos ou compartimentos, necessária para que um edifício tenha
um determinado uso.

Primeiramente será apresentado um Programa de Necessidades


abrangente, que atribui à função principal do edifício. Partindo disso cada
componente dessa primeira abordagem do programa será explanado em
tópicos, onde será feita a caracterização das atividades e dos ambientes, bem
como um Pré-Dimensionamento do espaço.

Ao final deste capítulo será apresentado um Pré Dimensionamento de


toda a estrutura física do Spa, onde será considerada as áreas de circulação e
parede. Em posse desse valor será possível avaliar se o terreno selecionado é
compatível a necessidade espacial do projeto;

4.1.1. Programa de Necessidades

Portaria
Setor Administrativo
Setor de Funcional
Setor Médico
Setor de Hospedagem
Setor de Estética
Setor de Hidroterapias
Setor esportivo
Academia
Lanchonete
Restaurante

49 | P á g i n a
4.1.2. Portaria

4.1.2.1. Caracterização das atividades

Identificação e controle de entrada e saída de clientes, funcionários,


mercadorias e fornecedores nas dependências do Spa, afim de aferir
segurança ao local.

4.1.2.2. Programa de necessidades


Guarita
Banheiro
4.1.2.3. Pré- dimensionamento

Não sendo encontradas normas para o dimensionamento de guaritas,


partir-se-á de um ideal de espaço confortável, que abrigue o mobiliário com o
espaço de circulação adequado. O dimensionamento da sala de controle está
baseado no espaço indicado para Postos Policiais, por abrigar atividades
semelhantes.

Quadro 1: Pré dimensionamento Portaria


Ambiente Mobiliário/ Equipamento Pré dimensionamento
Sala de controle ¹ Mesa, Cadeira, frigobar 4,00 m²
Banheiro ² Cuba, Vaso Sanitário 2,00 m² *
TOTAL 6.00 m²
Fonte: ¹ Ministério da Saúde- Portaria MS 1884/94 ² Código de Obras do Município de Tangará
da Serra (1996).

* Mínimo exigido pelo código de Obras de Tangará da Serra

4.1.3. Setor Administrativo

4.1.3.1. Caracterização das Atividades

Nesse local é que acontece as ações gerenciais do Spa, administração,


coordenação e fiscalização das atividades desenvolvidas no complexo.
No setor administrativo se localizará também a recepção, onde serão
dadas as primeiras orientações aos clientes quanto sua estadia no Spa, sendo

50 | P á g i n a
logo após conduzidos ao Centro Médico. Aos que procuram o Spa para algum
tratamento específico, a recepção da parte administrativa servirá apenas para
informações, pois cada núcleo terá sua recepção individualizada.

4.1.3.2. Programa de necessidades


Recepção
Sala-Direção
Sala-ecursos Humanos
Sala-Logística
Copa
Sanitários
4.1.3.3. Pré- dimensionamento

Quadro 2: Pré dimensionamento do setor administrativo


Ambiente Mobiliário/ Equipamento Pré dimensionamento
6.0 m² (1,2 m² por
Recepção ¹ Mesa, Cadeira, Longarina.
pessoa)
Direção ¹ Mesa, Cadeira, Arquivo 12 m²
Recursos Humanos ¹ Mesa, Cadeira, Arquivo 12 m²
Administração ¹ Mesa, Cadeira, Arquivo 12 m² (5,5 m² por pessoa)
Copa ² Bancada, Geladeira, Pia 5.76 m ²
10 m² (2.00 m² por
Sanitários ³ Pia, vaso sanitário
unidade)
TOTAL 57.76 m²
Fonte: ¹ Ministério da Saúde- Portaria MS 1884/94 ² Góes (2004) ³ Código de Obras do
Município de Tangará da Serra (1996).

Dos 5 sanitários que totalizam os 10 m² apresentados pelo quadro 2 está


previsto 2 para uso do público, sendo 1 feminino e 1 masculino, e os outros 3
de uso privativo das salas de direção, de recursos humanos e de
administração.

51 | P á g i n a
4.1.4. Setor Funcional

4.1.4.1. Caracterização das atividades


Além de funcionar como área de serviço e manutenção de
equipamentos, nesse setor será feito o controle de entrada e saída de
funcionários, possuindo acesso exclusivo. Os funcionários que residirem no
Spa ficarão instalados nesse setor.

4.1.4.2. Programa de Necessidades


Portaria Exclusiva
Depósito - Materiais de Limpeza
Depósito - Equipamentos de Jardinagem
Lavanderia
Estendal
Dormitórios de funcionário
Vestiário
Copa

4.1.4.3. Pré - dimensionamento

Quadro 3: Pré dimensionamento do setor funcional


Mobiliário/
Ambiente Pré dimensionamento
Equipamento
Portaria Exclusiva ¹ Mesa, Cadeira, frigobar 4,0 m²
D.M.L. ² Prateleiras e Armários 5,76 m²
Depósito Jardim ² Prateleiras e Armários 5,76 m²
Eletrodomésticos e
Lavanderia ¹ 36 m² (1.2 m² por leito)
Armários
Estendal - Área livre
Dormitórios ² Cama, guarda-roupa 69.12 m² (4 quartos de 17.28 m²)
Vestiário ² - 12.96 m²
Copa ² Bancada, Geladeira, Pia 5.76 m²
TOTAL 139,36 m²
Fonte:
1
Portaria MS 1884/94 2 Góes (2004)

52 | P á g i n a
4.1.5. Setor Médico

4.1.5.1. Caracterização das atividades

Tratando-se de um Spa médico, o acompanhamento dos clientes por


especialistas compõem um dos diferencias desse tipo de serviço. O centro
médico abrigará as atividades de avaliação médica, e coleta de material para
análise.

4.1.5.2. Programa de necessidades

Recepção
Sala de espera
Consultório- Endocrinologista
Consultório- Cardiologista
Consultório- Clínico Geral
Sala de avaliação física
Sala de coleta para exames
Arquivo de Exames e fichas dos pacientes
Copa
Sanitário Feminino
Sanitário Masculino

4.1.5.3. Pré- Dimensionamento

Quadro 4: Pré dimensionamento do Setor Médico


Mobiliário/
Ambiente Pré-dimensionamento
Equipamento
6,0 m² (1,2 m² por
Recepção ¹ Mesa, Cadeira,
pessoa)
11,7 m² (1,30 m² por
Espera ¹ Sofá, revisteiro
pessoa)

53 | P á g i n a
Consultório- Mesa, cadeira, armário,
9,0 m²
Endocrinologista ¹ Maca, Biombo
Consultório- Mesa, cadeira, armário,
9,0 m²
Cardiologista ¹ Maca, Biombo
Consultório- Clínico Mesa, cadeira, armário,
9,0 m²
Geral ¹ maca Biombo
9,0 m² com dim. mínima
Sala de ergometria ¹ Mesa, cadeira, esteira
= 2,2 m
Sala de coleta para Cadeira de coleta,
4,2 m²
exames ¹ armário, geladeira, pia
Arquivo de Exames ¹ Arquivos, prateleira 5,0 m²
Copa ² Bancada, Geladeira, Pia 5.76 m ²
10 m² ( 2 m² por
Sanitário ³ Pia, vaso sanitário
unidade) *
TOTAL 73,66 m²
Fonte: ¹ Ministério da Saúde- Portaria MS 1884/94 ² Góes (2004) ³ Código de Obras do
Município de Tangará da Serra (1996).

4.1.6. Setor de Hospedagem

4.1.6.1. Caracterização das atividades

O Spa disponibilizará de uma estrutura de hospedagem, para atender


aos pacientes que farão uso do serviço de internamento oferecido pelo
complexo. Nesse local poderão desfrutar de privacidade e tranqüilidade em
seus períodos de descanso, podendo optar por suítes apresentadas em opções
de 2 tipologias.

4.1.6.2. Programa de necessidades


Suíte Solteiro
Suíte Casal

A quantificação das tipologias foi feita de forma a atender a demanda


que pode ser flexível, sendo maior em determinadas épocas do ano a procura

54 | P á g i n a
do Spa por solteiros e em outras por casais, ou equilibradamente. Dessa forma
a proposta é que se tenham 12 suítes para casais e 8 para solteiros, já
diferente dos casais os solteiros podem ser instalados em suítes com cama de
casal ou solteiro.

4.1.6.3. Pré dimensionamento

Foram utilizados para o dimensionamento dos quartos o padrão


econômico médio segundo ANDRADE et al (2000).

Quadro 5: Pré dimensionamento do Setor de Hospedagem


Ambiente Mobiliário/ Equipamento Pré dimensionamento
Cama casal, guarda-roupa,
Suíte Casal
escrivaninha, poltrona. 328.8m² (12 suítes de 27.40 m²)
+ Banheiro
Pia, vaso sanitário e ducha
2 camas solteiro, guarda-
Suíte Solteiro
roupa, escrivaninha. 200.8m² (8 suítes de 25.1 m²)
+ Banheiro
Pia, vaso sanitário e ducha
TOTAL 529,6 m²
Fonte: Baseado em ANDRADE et al (2000)

4.1.7. Setor de Estética

4.1.7.1. Caracterização das atividades

Nesse setor serão realizados os tratamentos de estética facial e


corporal. Estima-se que sejam oferecidos 12 tipos de tratamentos de estética
corporal incluindo massagem, e 10 tipos de tratamentos de estética facial.

4.1.7.2. Programa de Necessidades


Recepção
Sala de espera

55 | P á g i n a
Copa
Vestiário feminino
Vestiário masculino
Sanitários Funcionários
5 salas de procedimento estético facial
5 salas de procedimento estético corporal
Depósito de material de limpeza

As salas de procedimento serão divididas em duas modalidades devido


a diferença de equipamentos, sendo elas de tratamento do corpo e as de
tratamento da face. Todas seguirão o mesmo padrão de mobiliário.

4.1.7.3. Pré dimensionamento

Não havendo recomendação para o dimensionamento dessas salas,


optou-se por utilizar o padrão de consultórios indiferenciados, pela
compatibilidade de mobiliário.

Quadro 6: Pré dimensionamento do Setor de Estética.


Mobiliário/
Ambiente Pré dimensionamento
Equipamento
6,0 m² (1,2 m² por
Recepção1 Mesa, Cadeira
pessoa)
11,7 m ² (1,30 m² por
Sala de Espera1 Sofá, revisteiro
pessoa)
Bancada, Geladeira,
Copa2 5.76 m²
Pia
Salas de procedimento Mesa exame, mesa,
37.5m² (4 salas de 7.5m²)
estético corporal 1 cadeira, mesa auxiliar
Salas de procedimento Mesa exame, mesa,
37.5m² (4 salas de 7.5m²)
estético corporal 1 cadeira, mesa auxiliar
Vestiário Feminino 1 - 45.63m²
Vestiário Masculino 1 - 15.21m²

56 | P á g i n a
- 4 m² (duas unidades de
Sanitários Funcionários3
2m²)
D.M.L2 Armário e prateleiras 5.76 m²
TOTAL 169,06m²
1 2 3
Fonte: Ministério da Saúde- Portaria MS 1884/94 Góes (2004) Código de Obras do
Município de Tangará da Serra (1996).

4.1.8. Setor de Hidroterapias

4.1.8.1. Caracterização das atividades

Nesse centro estarão reunidos todos os tratamentos hidroterápicos, não


apenas como solução organizacional, pois agrupando essas atividades
teremos uma minimização de gastos com estrutura hidráulica.

4.1.8.2. Programa de necessidades

Recepção
Sala de espera
Copa
Vestiário feminino com wc
Vestiário masculino com wc
4 salas de hidromassagem
4 salas de tratamentos com argila e gesso
Pista de caminhada aquática
Sauna feminina
Sauna masculina
Ofurô
Piscina aquecida coberta
Piscina aquecida descoberta
Depósito de material de limpeza

57 | P á g i n a
4.1.8.3. Pré - dimensionamento
Não havendo informações específicas para dimensionamento das salas
de hidromassagem, o valor exposto na tabela é resultado do estudo do
mobiliário e das circulações. Da mesma forma as salas de tratamento, que por
possuir o mesmo mobiliário de uma sala de consulta indiferenciada, terá
medida semelhante.
O dimensionamento do ofurô segue as medidas do modelo familiar
desenvolvido pelo arquiteto Wilson Alves. (Will Artes)

Quadro 7: Pré dimensionamento do Setor de Hidroterapias.


Mobiliário/
Ambiente Pré dimensionamento
Equipamento
6,0 m² (1,2 m² por
Recepção¹ Mesa, Cadeira
pessoa)
11,7 m ² (1,30 m ² por
Sala de Espera¹ Sofá, revisteiro
pessoa)
Bancada, Geladeira,
Copa² 5.76 m ²
Pia
Hidromassagem,
Salas de Hidromassagem ³ 30m² (4 salas de 7.5m²)*
Armário, cadeira
Salas de tratamentos com Mesa exame, mesa,
30m² (4 salas de 7.5m²)*
Argila e gesso ¹ cadeira, mesa auxiliar
Sauna Feminina 4 - 16.57m ²
Sauna Masculina 4 - 16.57m ²
Ofurô³ - 8.50 m² ( 3 und. 2.83m²)
Piscina Aquecida Coberta4 - 312.5 m ²
Piscina Aquecida - 312.5 m ²
Descoberta 4
Vestiário Feminino ¹ - 45.63m ²
Vestiário Masculino ¹ - 15.21m ²
D.M.L2 Armário e prateleiras 5.76 m ²
TOTAL 879,07m²
1 2 3 4
Fonte: Calculado a partir do mobiliário Góes (2004) Wilson Alves (Will Artes) Neufert
(1988)

58 | P á g i n a
4.1.9. Setor Esportivo

Nesse setor serão realizadas as mais variadas atividades físicas,


incluindo atividades recreativas, esportes de quadra e campo, e esportes
aquáticos.

4.1.9.1. Programa de necessidades

Quadra de Tênis
Campo de Futebol Society
Quadra Poliesportiva
Pista de Caminhada
Piscina Aquecida Coberta
Piscina Aquecida Descoberta
Vestiário Feminino
Vestiário Masculino
Depósito Material Esportivo (D.M.E.)
Depósito Material de Limpeza (D.M.L.)

4.1.9.2. Pré dimensionamento

Quadro 8: Pré dimensionamento do Setor Esportivo


Ambiente Mobiliário/ Equip. Pré dimensionamento
Quadra de Tênis ¹ 18,286 x 36,572 (668.86 m²)
Campo de Futebol
27,00 x 49,00 (1.323 m²)
Society ¹
Quadra Poliesportiva ¹ 19,00 x 32,00 ( 608 m²)
Pista de Caminhada ¹ 400,00 x 1,25 ( 500 m²)
Vestiário Feminino ² 30 m ²
Vestiário Masculino ² 30 m ²
D.M.E ² Armários e prateleiras 20 m²
D.M.L.³ Armários e prateleiras 5,76 m
TOTAL 3.185,62 m²
Fonte: 1SF quadras esportivas 2 Neufert (1988) 3 Góes (2004)

59 | P á g i n a
4.1.10. Academia

4.1.10.1. Caracterização das atividades

Destinado a prática de atividades física, neste local os clientes poderão


desfrutar dos mais variados equipamentos e serviços de academia. Com o
auxilio de profissionais, a rotina de exercícios será controlada e orientada de
acordo com as necessidades e limites de cada um.

4.1.10.2. Programa de necessidades

Recepção
Sala de Espera
Copa
Sala de musculação
Sala ergométrica
Sala de spinning
Sala de ginástica
Sala funcional
Muro de escalada
Vestiário

4.1.10.3. Pré - dimensionamento

Quadro 9: Pré dimensionamento da Academia


Mobiliário/
Ambiente Pré-dimensionamento
Equipamento
Recepção ¹ Mesa, Cadeira 6,0 m² (1,2 m² por pessoa)
Sala de Espera ¹ Sofá, revisteiro 11,7 m² (1,30 m² por pessoa)
Copa ² Bancada, Geladeira, Pia 5.76 m²
Sala de musculação ³ Aparelhos específicos 450 m²
Sala ergométrica ³ Aparelhos específicos 135 m²
Sala de spinning ³ Aparelhos específicos 72 m²

60 | P á g i n a
Sala de ginástica ³ Aparelhos específicos 125 m²
Sala funcional ³ Aparelhos específicos 195 m²
Vestiário ³ - 90 m²
Muro de Escalada 10 m²
TOTAL 1.090,46 m²
Fonte: Portaria MS 1884/94 2Góes (2004) 3 Obra correlata- Academia Trainer de
1

Tangará da Serra.

4.1.11. Restaurante

4.1.11.1. Caracterização das atividades

O restaurante ira servir 6 refeições diárias aos 30 pacientes do Spa, e 3


refeições (café da manhã, almoço e janta) para um público de 70 clientes
externos que buscam no Spa a oportunidade de alimentar-se de forma
saudável, ou manter sua dieta mesmo depois do termino de sua estadia no
Spa.

4.1.11.2. Programa de Necessidades

Em um estabelecimento onde promover a saúde e bem estar concentra


todos os esforços, cada espaço e serviço deve ser planejado de forma a
propiciá-lo. Um dos fatores de grande relevância para que a saúde e o bem
estar físico sejam garantidos é uma boa alimentação. Segundo OLIVEIRA
(2003) para que a alimentação oferecida esteja livre de contaminantes é de
fundamental importância que a estrutura física e os manipuladores estejam
adequados ao preparo desses alimentos.
O Programa de Necessidades, assim como as recomendações de
projeto que se seguem, foi elaborado conforme as exigências da Portaria CVS
6/99.

61 | P á g i n a
Área de Administração e armazenamento

Setor de recebimento;
Depósito de Não Perecíveis;
Depósito de Perecíveis (sala de refrigeradores);
Sala de administração;
Sala do nutricionista
Vestiários e sanitários;
Estoque de material de limpeza;
Câmara de lixo.

Área de Produção

Estoque diário;
Setor de pré-preparo e preparo de cereais;
Setor de pré-preparo e preparo de hortifruti;
Setor de pré-preparo e preparo de carnes;
Setor de pré-preparo de massas;
Setor de preparo de sobremesas e sucos;
Setor de preparo de desjejuns;
Setor de higienização de utensílios;
Setor de preparo de dietas;
Setor de cocção;
Central de gás.

Área de Distribuição

Setor de distribuição;
Copa de garçons;
Área para balcão térmico;
Área para auto serviço – buffet;
Copa de café;
Distribuição de dietas;

62 | P á g i n a
Higienização de utensílios para refeitório;
Área para acondicionamento e expedição;
Sala de refeição para funcionários;
Salade refeição para clientes;
Sanitário dos clientes;
Room-service;

4.1.11.3. Recomendações de Projeto

A) Área de administração e armazenamento

Setor de recebimento: Deve conter quando possível, pia para pré-


higiene dos vegetais e outros produtos. A recepção deve estar
diretamente ligada as areas de e limpeza e sanitificação de alimentos
com acesso direto a area externa do edificio, de forma a facilitar o
fluxo de carga e descarga.
Depósito de Não Perecíveis: Esta área destina-se a
armazenamento de alimentos à temperatura ambiente. Os alimentos
devem ser separados por grupos, sobre estrados fixos com altura
mínima de 25 cm, separados da parede e entre pilhas no mínimo 10
cm e distante do forro 60 cm. Prateleiras devem ter 25 cm do piso.
Não deve existir entulho ou material tóxico no estoque, sendo o
material de limpeza armazenado separadamente dos alimentos.
Manter uma ventilação adequada.
Depósito de Perecíveis: Local destinado ao armazenamento de
alimentos que necessitam de conservação em baixas temperaturas.
O ambiente deve estar climatizado para minimizar os ganhos de
calor pelos refrigeradores nos momentos de abertura de porta.
Sala da administração: a área deve estar localizada acima do piso
da área total da cozinha, com visor que facilite a supervisão geral do
ambiente e das operações de processamento.
Instalações sanitárias:deve existir banheiros separados para cada
sexo, em bom estado de conservação, constituído de vaso sanitário,

63 | P á g i n a
pia e mictório para cada 20 funcionários, dispostos de bacia com
tampa, papel higiênico, lixeira com tampa acionada por pedal,
mictórios com descarga, pias para lavar as mãos, sabonete líquido
ou sabão antisséptico, toalha de papel, de cor clara, não reciclado.
Devem ser bem iluminadas, paredes e piso de cores claras, de
material liso, resistente e impermeável, portas com molas, ventilação
adequada com janelas teladas. Os sanitários não devem se
comunicar diretamente com a área de manipulação de alimentos ou
refeitórios.
Vestiário: deve existir vestiário separado para cada sexo, devendo
possuir armários individuais e chuveiro para cada 20 funcionários,
com paredes e pisos de cores claras, material liso, resistente e
impermeável, portas com molas, ventilação adequada e janelas
teladas.
Estoque de material de limpeza: esta área é exclusiva para
higienização de material de limpeza e deve ter tanque provido de
água fria e quente.
Câmara de lixo: O lixo fora da cozinha deve ficar em local fechado,
isento de moscas, roedores e outros animais. O lixo não deve sair da
cozinha pelo mesmo local onde entram as matérias primas. Na total
impossibilidade de áreas distintas, determinar horários diferenciados.
O lixo deve estar devidamente adicionado, de modo que não
represente riscos de contaminação.

B) Área de produção

Pré-preparo e preparo de hortifruti: área para manipulação com


bancadas e cubas de material liso, resistente, e de fácil higienização,
para manipulação dos produtos vegetais.
Pré-preparo e preparo de carnes: área para manipulação (pré-
preparo) de carnes, aves e pescados, sem cruzamento de atividades.
Deve ter bancadas, equipamentos e utensílios de acordo com as
preparações.

64 | P á g i n a
Setor de pré-preparo de massas: deve ter bancadas e cubas de
material liso, impermeável e de fácil higienização.
Setor de higienização de utensílios: local separado e isolado da
área de processamento, contendo água quente e fria, além de
espaço suficiente para guardar peças de equipamentos e utensílios
limpos. O retorno de utensílios sujos não deve oferecer risco de
contaminação aos que estão guardados.
Setor de cocção: área para cocção com equipamentos que se
destinem ao preparo de alimentos quentes. Não deve existir nesta
área equipamentos refrigeradores ou congeladores porque o calor
excessivo compromete os motores dos mesmos.

Central de gás: de acordo com a ABNT deve existir área exclusiva


para armazenamento de recipientes de GLP e seus acessórios. A
delimitação desta área deve ser com tela, grades vazadas ou outro
processo construtivo que evite a passagem de pessoas estranhas à
instalação e permita uma constante ventilação.

C) Área de distribuição

Setor de higienização de utensílios para refeitório: esta área deve


ser adjacente ao refeitório, comunicando-se com este através de
guichê para recepção do material usado. Os utensílios de mesa já
higienizados não devem entrar em contato com os sujos.

Sala de refeição (refeitório): área de consumação ou refeitório deve


ter as mesmas características das áreas de preparo dos alimentos.
Podem permanecer no refeitório os equipamentos para distribuição
de alimentos, como o balcão térmico, balcão refrigerado,
refresqueiras, bebedouros, utensílios de mesa, geladeira para
bebidas. No refeitório é permitida a existência de ventiladores de teto
ou chão, desde que o fluxo de ar não incida diretamente sobre os
ornamentos, as plantas e os alimentos.

65 | P á g i n a
4.1.11.4. Pré-dimensionamento

Segundo, no dimensionamento de cada setor, considera-se o número de


refeições, tipo de distribuição, o número de clientes, qualidade e tipo de
cardápio, a localização, a quantidade e a qualidade do pessoal disponível e o
tipo e a quantidade de equipamentos disponíveis.

Devido ao nível de detalhamento que será adotado para a presente


pesquisa, que está condicionada pela ausência de dados como: tipo de
cardápio, qualidade e treinamento da mão de obra disponível no mercado,
adotar-se a o método de cálculo desenvolvido por Silva Filho (1996), onde a
área é dada pela equação abaixo.

Sendo:

Dimensionamento da área

Nxθ=A

N= Numero de refeições

Θ= Coeficiente dado pelo quadro 10

A= Área em m².

Quadro 10. Coeficiente para cálculo de


dimensionamento da área conforme o
número de refeições.
Número de
Coeficiente
Refeições
100 0,9
150 0,8
200 0,7
250 0,6
300 0,5
400 0,4
500 a 600 0,35
700 a 1000 0,3

66 | P á g i n a
Considerando que o restaurante servirá diariamente um total de 390
refeições, por aproximação será adotado o coeficiente que equivale a 400
refeições que é 0,4. Substituindo na fórmula teremos:

390 x 0,4 = 156 m²

O resultado da equação corresponde à área total do restaurante, que


será distribuída entre os setores conforme com todos os setores incluídos.
Segue abaixo (quadro 11) os percentuais destinados para o dimensionamento
de cada setor.

Quadro 11: Distribuição das áreas.


Setor Porcentagem da área total (%)
Área de administração e estocagem 15
Cozinha Geral 35
Refeitório 50
Total 100
Fonte: Modelo de cozinhas comunitárias. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a
Fome.

4.1.12. Lanchonete

4.1.12.1. Caracterização das atividades

Atendimento ao público externo e utilizadores dos serviços Spa Day. A


lanchonete funcionará como um cartão de visita do Spa, e terá acesso direto a
via externa para facilitar o atendimento daqueles que irão utilizar
exclusivamente de seus serviços. Localizada em local estratégico, para atender
também aqueles que estão em tratamentos específicos, ou que utilizam
diariamente de alguns espaços e serviços oferecidos pelo Spa, fora do regime
de internamento, já que à estes serão servidas refeições controladas no
restaurante.

A lanchonete será projetada de forma a atender 20 pessoas


simultaneamente.

67 | P á g i n a
4.1.12.2. Programa de Necessidades

Recepção
Refeitório
Atendimento
Sanitário Masculino
Sanitário Feminino
Depósito

A lanchonete estará interligada a cozinha do restaurante, a fim de


otimizarmos serviços e também os espaços. Dessa forma os funcionários da
lanchonete poderão utilizar os mesmo vestiários e sanitários daqueles que
trabalham para atender ao restaurante.

4.1.12.3. Pré - dimensionamento

Quadro 12- Pré dimensionamento da Lanchonete


Mobiliário/
Ambiente Pré dimensionamento
Equipamento
Recepção ¹ Balcão
Balcão, estufa e Freezer
Atendimento ¹ 20 m² (1 m² por cliente)
expositor
Refeitório ¹ Mesas e cadeiras
Depósito ¹ Armário e prateleiras 2,0 m²
1 Cuba, 1 Bacia sanitária
Sanitário Masculino ² 4 m² (2 m² p cada 6)
para cada 6 pessoas
1 Cuba, 1 Bacia sanitária
Sanitário Feminino ² 4 m² (2 m² p cada 6)
para cada 6 pessoas
TOTAL 30m²
Fonte: ¹ Portaria MS 1884/94 ² Código de Obras de Tangará da Serra (dimensionamento da
unidade) e Portaria MS 1884/94 (unidade por número de pessoas).

68 | P á g i n a
4.1.13. Estacionamento

4.1.13.1. Calculo de Vagas

Devido ao código de obras do município de Tangará da Serra não


contemplar exigências de vagas de estacionamento para Spa e as normas para
hospitais não condizerem a mesma realidade, o número de vagas será
proposto de acordo com a análise das necessidades de cada setor, conforme o
quadro 13.

Quadro 13: Estimativa do número de Vagas


Setor Número de Vagas
3
Portaria 1
3
Administrativo 3 (1 para cada escritório)
1
Hospedagem 10 (1 a cada 3)
3
Estética 10 ( 1 por sala de tratamento)
3
Hidroterapias 8 (1 por sala de tratamento
3
Médico 5 (1 por sala de atendimento)
2
Esportivo 16 (1 a cada 100 m²)*
3
Academia 30 (1 a cada 3 usuários)
2
Restaurante 17 (1 vaga para cada 5m²)
2
Lanchonete 6 (1 vaga para cada 5m²)
Total 96
1 2
Fonte: Código de Obras de Tangará da Serra (1996) Plano Diretor de Desenvolvimento
3
Integrado de Pontal do Paraná Estimado pela autora de acordo com o número de
atendimentos simultâneos.

* O valor apresentado atende a metade da demanda, a outra parte está


sombreada pelo setor de hospedagem.

4.1.13.2. Pré dimensionamento

Para o dimensionamento da área necessária para atender ao número de


vagas computado pelo quadro 14, será utilizado as normas apresentadas pelo
código de obras do município, que estabelece uma largura mínima de 2,50 m e
comprimento mínimo de 4,50 m para cada vaga. Sendo assim para um total de
96 vagas será necessário uma área mínima de 1080m ². Desconsiderando as
vias de circulação.

69 | P á g i n a
4.1.14. Estrutura Física

4.1.14.1. Pré dimensionamento

Feito o pré dimensionamento detalhado dos setores que irão compor o


Spa, é possível chegar a um valor de área construída próximo ao que será
efetivado na fase projetual, e dessa forma avaliar se o terreno selecionado
atende as exigências espaciais do projeto .

O quadro 14 apresenta os valores totalizados nos pré dimensionamentos


de casa setor, bem como a soma dos mesmos que representa de forma parcial
o dimensionamento da estrutura física em geral.

No final do quadro encontra-se o valor acrescido 30% da metragem


quadrada inicial, onde tal porcentagem corresponde a uma estimativa do
acréscimo de paredes e circulação.

Quadro 14: Pré dimensionamento da estrutura física geral


Setor Pré dimensionamento
Portaria 6.00 m²
Administrativo 57.76 m²
Hospedagem 529,6 m²
Funcional 139,36 m²
Estética 169,06m²
Hidroterapias 879,07m²
Médico 73,66 m²
Esportivo 3.185,62 m²
Academia 1.090,46 m²
Restaurante 156 m²
Lanchonete 30 m²
Estacionamento 1.080 m²
Valor Parcial 7.396.59 m²
Total acrescido 30% (paredes e circulação) 9.615,56 m²

70 | P á g i n a
4.2. Caracterização do Terreno

O terreno selecionado para receber a proposta do SPA Médico no


município de Tangará da Serra localiza-se em local estratégico, tendo sua
escolha atrelada a algumas condicionantes, que somadas justificam a escolha
do espaço.

4.2.2. Acessos e Relação com o Entorno

O terreno selecionado para receber a proposta do SPA Médico no


município de Tangará da Serra localiza-se nas proximidades do bairro Vila Alta
IV frente à Avenida Virgílio Favetti que dá acesso ao Anel Viário que liga o
município à Campo Novo dos Parecis e à via coletora Avenida Mauá que liga à
arterial Avenida Brasil, principal avenida da cidade.

Atualmente a área que engloba o terreno da presente proposta mantém


atividades rurais ligadas á pecuária, apesar do local de um modo geral se tratar
de área urbana como Zona de Adensamento Secundário (ZAS), de acordo com
o plano diretor do município.

A Avenida Virgílio Favetti atualmente possui apenas pista simples para


tráfego, cujo projeto de duplicação já se encontra devidamente aprovado
segundo informações da Imobiliária Sanches, responsável pelo loteamento do
Bairro Vila Alta IV, e proprietária da área ainda não loteada onde localiza o
terreno da proposta. A avenida dá acesso ao campus da UNIC (figura 22) que
dispõem de vários cursos, dentre eles, os ligados ao campo da saúde são:
fisioterapia, odontologia e enfermagem.

71 | P á g i n a
Figura 22: Campus UNIC
Fonte: Patrícia Waldow, 2010

De acordo com o mapa do município do ano de 2009, a área ainda não


loteada já se encontra demarcadas, como consta em imagem seguir.

Sentido
Avenida Sentido
Brasil Anel
Viário

Figura 23: Entorno e Vias de Acesso


Fonte: Prefeitura Municipal de Tangará da Serra. Trabalhado pela Autora.

72 | P á g i n a
Analisando a imagem anterior é possível notar sua localização em
relação ao entorno, as quadras tracejadas referem-se á área que futuramente
será loteada pela Imobiliária Sanches, dando prosseguimento ao Bairro Vila
Alta IV. Através do mapa é possível perceber também a proximidade do terreno
com o campus da UNIC, que possui fluxo contínuo de pessoas, ao longo dos
três períodos do dia.

Ainda na mesma imagem destacado na cor azul, localiza-se o Centro de


Tradições Gaúchas que recebe pessoas de todas as idades em sua grande
maioria famílias, com maior fluxo nos finais de semana.

É de prática de muitos tangaraenses fazer uso da Av. Vergílio Favetti


para atividades físicas, como caminhada, ciclismo, corrida entre outros,
possivelmente por se tratar de uma ampla via, de pouco adensamento, além da
agradável paisagem que o entorno propicia (figura 24). A avenida não dispõe
de calçadas tampouco ciclovias que possam vir a oferecer segurança aos
praticantes de atividade física, mesmo assim muitas pessoas têm preferência
por executar as atividades por esse trajeto, que já faz parte de seu cotidiano.

Figura 24: Av.Vergílio Favetti- Pessoas Caminhando


Fonte: Patrícia Waldow, 2010

73 | P á g i n a
O Bairro Vila Alta IV caracteriza-se como área nobre no município de
Tangará da Serra. De alto custo, os terrenos possuem em média uma ampla
área de 1150m², sua valorização é atribuída a localização privilegiada no
relevo, uma das partes mais altas da cidade, e por se encontrar próximo a
Universidade. O bairro recentemente loteado ainda não possui um numero
expressivo de residências, apesar da maioria dos terrenos já terem sido
adquiridos, segundo informações da imobiliária responsável pelo
empreendimento (Imobiliária Sanches).

As habitações localizadas no entorno ao terreno, de um modo geral


caracterizam-se por ser de alto poder aquisitivo como é possível observar em
imagem a seguir:

Figura 25: Residências, Vila Alta IV.


Fonte: Patrícia Waldow.

74 | P á g i n a
4.2.3. Geometria, Orientação Solar e Direção dos Ventos

O terreno selecionado possui forma ortogonal irregular. O mesmo


(Figura 26) localiza-se próximo as quadras 07 e 08 do bairro Vila Alta IV, tendo
a Fachada Norte, com 89,95m voltada para a Rua 37, e a Fachada Leste, com
169,97m, voltada para a Av. Vergílio Favetti. A Fachada Oeste com 221,45m
atualmente não possuí via de acesso direto, mas futuramente será atendida
pelo prosseguimento da Rua 26-A, da mesma forma a Fachada Sul que com
107,9 atualmente encontra-se sem via de acesso.

Figura 26: Geometria e Dimensões do Terreno


Fonte: Prefeitura Municipal de Tangará da Serra. Trabalhado pela Autora.

As dimensões acima citadas, totalizam uma área de 18149.59 m² o que


torna o terreno completamente apto a acolher o projeto, que conforme o pré-
dimensionamento terá área edificada de aproximadamente 9.615,56 m².

Terreno encontra-se em situação favorável em relação a direção


predominante dos ventos, que para Tangará da Serra, é no sentido N-NO
(Clima Tempo, 2010), pois a esse sentido ainda não atingiu o processo de
urbanização permitindo que os ventos atinjam o terreno se estar carregado por

75 | P á g i n a
poluentes. A presença de corpos D’água, ilustrado na figura 27, promove o
aumento da umidade do ar, minimizando o desconforto nos períodos de seca,
que no Mato Grosso tem atingido níveis de umidade relativa do ar muito abaixo
do recomendado.

Figura 27: Direção Predominante dos ventos (N-NO).


Fonte: Prefeitura Municipal de Tangará da Serra. Trabalhado pela Autora.

4.2.4. Topografia e Vegetação

O terreno escolhido para a presente proposta apresenta uma topografia


predominantemente plana, com suave inclinação, característico do Município
de Tangará da Serra.

Na condição atual do terreno à presença de vegetação arbórea é quase


inexistente, sendo predominante a vegetação rasteira (pastagens), como
podemos ver na figura 28. Porém por se tratar de um proposta de um Spa
Médico, que venha a propiciar uma ambiente agradável voltado ao bem estar,
76 | P á g i n a
um projeto paisagístico deverá suprir essa carência com áreas arborizadas que
favoreçam não apenas o aspecto visual da paisagem mas o conforto ambiental
no local.

Figura 28: Vegetação rasteira característica de pastagens.


Fonte: Prefeitura Municipal de Tangará da Serra. Trabalhado pela Autora.

4.3. Perfil do Usuário

Considerando a diversidade das atividades que serão oferecidos pelo


Spa Médico, o perfil dos freqüentadores é variado, a única generalidade, fruto
da onerosidade dos produtos oferecidos, é a classe social a qual pertence os
usuários típicos, compreendida entre as classe A e B. Partindo disso a
caracterização dos usuários seguirá algumas condicionantes, sendo
diferenciados entre os aqueles que farão uso do Spa Médico em regime de
internamento, aqueles que irão aderir aos pacotes especiais oferecidos e os
que utilizarão esporadicamente dos serviços.

77 | P á g i n a
4.3.2. Usuários em Regime de Internamento.

Baseado na análise do Spa Med São Pedro por Sueda (2007), a idade
mais freqüentes dos utilizadores desse tipo de serviços está entre 35 e 55
anos, quanto a relação de gêneros, a quantidade de mulheres corresponde a
65% e de homens 35% do total.

Os usuários dos serviços em regime de internamento em sua grande


maioria são turistas, isto é, pessoas oriundas de outras cidades geralmente de
regiões próximas que tem o município de Tangará da Serra como referência no
setor de serviços. Isto se deve ao fato do Spa Médico encontrar-se em meio
urbano, o que permite à população local fazer uso dos serviços sem que seja
necessário hospedar-se.

4.3.3. Usuários dos Pacotes Mensais

Essencialmente clientes locais, que farão uso mensalmente da


academia, dos serviços de gastronomia e alguns tratamentos que exijam
periodicidade. São estes que irão manter o fluxo continuo dos serviços,
aferindo estabilidade ao Spa que tem o número de turistas reduzido em épocas
fora de temporadas de férias.

Na academia segundo Uhlmann et al (2009) a faixa etária dos usuários


varia em média de 21 a 40 anos, e em relação ao gênero o número de
mulheres que freqüentam é maior (60%) do que o de homens (40%).
Serviços de Gastronomia Light serão oferecidos para aqueles que
buscam uma alimentação saudável, devido ao Spa localizar-se próximo a
Universidade acredita-se que uma parte dos clientes fixos do restaurante
poderá ser de estudantes e professores, a outra parte será caracterizada por
aqueles que por falta de tempo ou mesmo para seguir a risca uma dieta
saudável farão suas refeições no restaurante.

Os pacotes mensais de tratamentos, são geralmente aqueles ligados a


fisioterapia que exigem um maior número de sessões. Não há uma relação de
78 | P á g i n a
idade ou sexo, já que por se tratar de um tratamento clínico é mais
desmistificado, fazendo parte do processo de recuperação de fraturas e
traumas que pode acorrer em qualquer idade ou sexo. Um fato importante a
considerar quanto ao perfil dos usuários desses tipos de tratamento é que
muitos deles podem apresentar dificuldades de mobilidade o que condiciona
algumas adaptações de acessos e espaços.

4.3.4. Usuários Esporádicos

A estes usuários os serviços são geralmente restritos a tratamentos


estéticos, massoterapêuticos e hidroterapêuticos que não exijam periodicidade,
além dos serviços de gastronomia.

Quanto aos tratamentos, apesar do aumento da procura pelos homens,


ainda é mais comum entre as mulheres. Segundo Dr. Marcelo Berllini (Saúde
Esportiva, s/d) apenas 20% dos seus pacientes são homens. A idade mais
comum entre os que procuram por esse tipo de serviço é de 35 á 50 anos.

Fazendo parte desse último grupo temos também aqueles que de vez
em quando optam por uma refeição mais saudável e balanceada, geralmente
para desintoxicação alimentar ou mesmo pelo prazer de desfrutar de uma
alimentação mais leve, diferente da habitual. Não há um padrão de gênero e
faixa etária entre os clientes desse tipo de serviço.

4.4. Plano de Massa

Nesse momento concebe-se uma organização espacial para a área


onde será implantada a proposta; a ser ajustada futuramente de forma a
harmonizá-la com o todo do empreendimento.

79 | P á g i n a
A confecção do Plano de massa (figura 29) partiu inicialmente da
proposta de dois acessos. O primeiro liga à Avenida Vergílio Favetti, que será
destinado primordialmente ao acesso de Clientes, sendo previsto um
estacionamento próximo a essa entrada principal, como indicado na figura.

De forma a separar o fluxo de serviços e funcionários do fluxo de


clientes, o acesso ao Spa Médico por estes será feito pela via local Rua 37.
Além de uma questão organizacional a opção de manter a oposição dos dois
acessos, é a promoção da sensação de tranqüilidade e bem estar ao cliente, já
no primeiro contato com o Spa, que é feito ainda na portaria. De outra forma se
o acesso fosse comum ao de serviços, poderia haver algum tipo de
desconforto, mediante o trânsito de caminhões e fluxo de funcionários em troca
de turno.

Feito a marcação dos acessos, partiu-se para a localização dos setores


de serviço; para isso considerou-se os 3 tipos de clientes, já descritos no item
4.3, que são aqueles que utilizarão diariamente de alguns serviços do Spa, os
que farão uso esporadicamente dos serviços e aqueles que em regime de
internamento participarão de programações intensas com o máximo de
aproveitamento do que o Spa pode oferecer.

A academia, o setor de hidroterapias e o restaurante, serão os espaços


freqüentados pelos clientes de pacotes mensais, dessa forma buscou a
proximidade dos locais entre si e com o acesso principal, evitando que os
mesmo venham a circular desnecessariamente pelas dependências do Spa.

Condicionado ao fator anteriormente analisado, que foi a concentração


do fluxo do primeiro tipo de cliente mencionado no parágrafo acima, a
localização do setor de estética, hidroterapias e o restaurante atende as
necessidades de acesso também dos clientes esporádicos.

Os hospedes farão uso da maioria dos espaços, então para a


localização do setor de hospedagem, optou-se primordialmente pela
proximidade com o restaurante que será utilizado com maior freqüência.

80 | P á g i n a
Acesso Principal
Av. Vergílio Favetti

Acesso
Serviço
Rua 37

Figura 29: Plano de Massa.


Fonte: Prefeitura Municipal de Tangará da Serra. Trabalhado pela Autora.

81 | P á g i n a
CONSIDERAÇÕES PARCIAIS

A partir do presente estudo, observou-se a relevância de propor a


implantação de um Spa no Município de Tangará da Serra, como um espaço
destinado que visa atender aos anseios de um público em busca de saúde,
bem-estar e lazer, compatíveis a um estilo de vida saudável. Essa busca tem
se intensificado nos dias atuais onde o estresse, a má alimentação, a
obesidade e o sedentarismo são cada vez mais comuns.

Análises bibliográficas apontaram os agravantes comumente conhecidos


como “Males da Modernidade”. A presente proposta considerou a tendência
mercadológica da busca pelo bem estar, na concepção do programa que reúne
serviços que abrangem: reestruturação física, reeducação e desintoxicação
alimentar, tratamentos estéticos, relaxamento entre outros. Tais serviços fazem
do complexo um espaço de uso múltiplo, que atende a uma clientela
diversificada.

Considerando o potencial turístico crescente, o Spa Médico se


caracteriza como uma atrativo a mais ao município, que destaca-se na região
por sua economia de serviços variados.

82 | P á g i n a
REFERÊNCIAS

ALBANESI,Gustavo. A Recente Evolução do Mercado Brasileiro de Spas.


2010. Disponível em:http://www.abcspas.com.br/artigos_detalhe.asp?id=23.
Acesso em 4 de junho de 2010.

BUCHALLA, Anna Paula; PASTORE, Karina. As doenças da modernidade.


Revista Veja. Edição1673- novembro de 2000.

Clima Tempo. A previsão do Tempo para Tangará da Serra- MT. Disponível


em:<http://www.climatempo.com.br/previsao-do-tempo/cidade/223/tangaradas

erra-mt.> Acesso em 27 de Junho de 2010.

Estética Esportiva. Tratamentos Estéticos Masculinos. [s/d]. Disponível em:


<http://www.saudeesportiva.com.br/tratamentos-masculinos.php>. Acesso em
26 de Junho de 2010.

EUHLMANN, Vivian C.;PETRI,Adilson A. M.; DAMKE, Lusani; DILLMANN,


Cristiane; ZAMBERLAN, Luciano. Motivações e a Satisfação de Usuários de
Academias de Ginástica. 2009. Disponível em:
<http://www.ead.fea.usp.br/semead/12semead/resultado/trabalhosPDF/395.pdf
>. Acesso em 25 de Junho de 2009.

FILHO, José P. Jorge. Em busca da saúde ideal. Disponível em:


www.aminternacional.org/Slide%20Palestra%20Cuidar%20de%20Si.ppt.
Acesso em 4 de Junho de 2010.

GÓES, Ronald de. Manual Prático de Arquitetura Hospitalar. São Paulo:


Edgard Blücher, 2004.

GLANCEY, Jonathan. A história da Arquitetura. São Paulo: Loyola, 2001.

GIUGLIANO, Rogério Gimenes;MARIANO, Claudia;PAIVA, Jane; SALIBA,Ana


Lúcia; KOHLSDORF,Nara. O mal-estar na contemporaneidade. Disponível
em:
http://www.saudeemmovimento.com.br/revista/artigos/cienciasfarmaceuticas/v1
n1a13.pdf. Acesso em 02 de Junho de 2010.

83 | P á g i n a
GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO, Secretaria de Desenvolvimento
do Turismo. Tangará da Serra se firma como segmento de turismo de
negócios e de aventura. Disponível
em:<http://www.sedtur.mt.gov.br/noticias/1357/tangara-da-serra-se-firma-
como-segmento-de-turismo-de-negocios-e-de-aventura>. Acesso em: 25 de
junho de 2010

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Tangará da Serra - MT,


2007. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1
Acesso em: 28 de maio de 2010.

LESSA, Rubens. O estresse e o descanso semanal. [s/d]. Disponível em:


http://www.dsa.org.br/osabado/temas.asp. Acesso em 02 de Junho de 2010.

LIGUORI, Fernanda Pereira. O mercado de SPAS holísticos. 2005.


Disponível em:
<http://www.etur.com.br/conteudocompleto.asp?idconteudo=4629>. Acesso em
05 de Junho de 2010.

MARTINS, Anne Bastos; ALCÂNTARA, Anelisa Alvarenga. Turismo de Saúde


em Caxambu:Uma análise a respeito do poder medicinal das Águas .
2008. Disponível em:
<http://www.fesjf.estacio.br/revista/edicao06/EC06_turismo_caxambu.pdf>.
Acesso em 18 de Junho de 2010.

MICHELI, Simone. Spas e Centros de bem-estar. Barcelona: Gustavo Gili, AS


, 2005.

MOURA, Mauro Tadeu. Método Spa Med. [s/d]. Disponível em:


<http://www.spamed.com.br/metodo-de-emagrecimento>. Acesso em 25 de
maio de 2010.

PEREIRA, Aires José. Tangará da Serra: Nova Fronteira Agrícola e sua


Urbanização. Tangará da Serra: Editora São Francisco, 2000.

PIACENTINI, Maria Tereza de Queiroz. Estada ou Estadia, Spa, Ioga. 2009.


Disponível em: <http://www.linguabrasil.com.br/nao-tropece-
detail.php?id=702&busca=Spa>. Acesso em 4 de Junho de 2010.

Prefeitura Municipal de Tangará da Serra. Código de Obras. Disponível em:


<http://www.tangaradaserra.mt.gov.br/mixtafoto//6_015.pdf>. Acesso em 8 de
Junho de 2010

RODRIGUES, Greice. Spas para relaxar: Nada de dietas rigorosas. Esses


locais se transformaram em centros de bem-estar. Revista Isto É
Independente. Edição: 1934 | 15 Novembro de 2009.

84 | P á g i n a
SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DETANGARÁ DA SERRA. A Saúde
Pública. Disponível em: <http://www.tangaradaserra.mt.gov.br/saude_1.asp> .
Acesso em 23 de Junho de 2010.

_______. Spa Med Sorocaba. Disponível em: http://www.spamed.com.br/.


Acesso em 6 de Junho de 2010.

_______. Escrita pelas Águas. [s/d]. Disponível em:


<http://www.idasbrasil.com.br/idasbrasil/cidades/Caxambu/port/historia.asp>.
Acesso em 18 de Junho de 2010.

ZONTA, Soraia; NOVAES, Marlene Huebes. Spa – Oportunidade de


Negócios Para Os Empreendimentos Hoteleiros. 2008.Disponível em:
<http://www.ucs.br/ucs/tplVSeminTur%20/posgraduacao/strictosensu/turismo/s
eminsemin/semin_tur/trabalhos/arquivos/gt08-09.pdf>. Acesso em 15 de junho
de 2010

85 | P á g i n a

Interesses relacionados