P. 1
O Direito do Trabalho no Cenario Internacional Contemporâneo: Produção e controle de normas no âmbito da OIT

O Direito do Trabalho no Cenario Internacional Contemporâneo: Produção e controle de normas no âmbito da OIT

|Views: 3.450|Likes:
Publicado porGustavo Fernandes
RESUMO

Nos últimos anos é possível observar uma intensificação da vida social global decorrente do desenvolvimento de meios de comunicação e transporte extremamente eficazes. O capital, assim como a produção, se globalizou a ponto de redimensionar a divisão internacional do trabalho. O desenvolvimento de pólos industriais em países subdesenvolvidos trouxe novamente à tona a discussão alimentada nos primórdios do Direito Internacional do Trabalho de que é preciso equilibrar as relações comerciais. Mais do que nunca esse ramo jurídico, desenvolvido após um longo século de lutas e reivindicações por melhores condições de trabalho, merece enfoque especial. As relações de trabalho, estando intrinsecamente ligadas à produção, não podem ser vistas no atual estágio de globalização apenas por um viés nacionalista. O presente trabalho procurou compreender as circunstâncias em que foi construído o Direito Internacional do Trabalho e como esse ramo jurídico pode aportar soluções para os desafios contemporâneos que tangenciam a esfera laboral. Buscou-se ainda analisar os sistemas de produção e controle de normas da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a atuação dessa agência especializada das Nações Unidas na proteção do trabalho no mundo. O estudo aponta que, apesar dos grandes avanços desses sistemas da OIT – que funcionam tripartidamente, com participação de representantes de trabalhadores e empregadores –, muitos obstáculos se impõem à aplicabilidade das normas internacionais do trabalho. As evidências mostram que desequilíbrios sócio-econômicos entre países, crescimento do trabalho informal, falta de vontade política, multiplicidade de sistemas juslaborais e insuficiência dos mecanismos sancionatórios são as principais limitações à eficácia do direito internacional do trabalho. No Brasil, as normas internacionais do trabalho tem tido alcance limitado, sendo do desconhecimento por parte de muitos operadores do Direito do Trabalho. Não obstante, constatamos que a experiência de produção e controle de normas da OIT constitui verdadeira dogmática jurídica que pode ser de grande valia para o enfrentamento dos desafios que se apresentam ao Direito do Trabalho, seja a nível local, como internacional.


Palavras-chave: Direito internacional do trabalho; Organização Internacional do Trabalho; Globalização.


ABSTRACT

In the last years the world has passed through a intensification of social global life. It is a consequence of the development of efficient media and transportation. The capital as well as the production became global and rebuilt the global division of labour into a new perspective. The industry growth in underdeveloped countries brought the debate from the beginnings of International Labour Law into light. It relates to the need of balance in trade relations. More than ever this legal subject, developed after a long century of struggles and demands for better working conditions, deserves more attention. Considering the globalizing context where we live, labour relations cannot be seen by nationalists’ approaches as they are closely connected to production. This research aims to analyze the circumstances in which International Labour Law was built on. Moreover it intends to point solutions for the current challenges on labour issues. For this, we studied the role of International Labour Organization (ILO) in protecting labour worldwide and it’s systems for production and control of rules. The investigation suggests that, despite the great advances achieved by these ILO’s systems, many obstacles remain for the applicability of international labour standards. These systems work under tripartism, including workers’ and employers’ representatives. The evidences demonstrate that social-economic inequality between countries, informal sector growth, lack of politic will, diversity of labour standards’ systems and insufficiency of penalty mechanisms configure the main limitations to the effectiveness of international labour law
RESUMO

Nos últimos anos é possível observar uma intensificação da vida social global decorrente do desenvolvimento de meios de comunicação e transporte extremamente eficazes. O capital, assim como a produção, se globalizou a ponto de redimensionar a divisão internacional do trabalho. O desenvolvimento de pólos industriais em países subdesenvolvidos trouxe novamente à tona a discussão alimentada nos primórdios do Direito Internacional do Trabalho de que é preciso equilibrar as relações comerciais. Mais do que nunca esse ramo jurídico, desenvolvido após um longo século de lutas e reivindicações por melhores condições de trabalho, merece enfoque especial. As relações de trabalho, estando intrinsecamente ligadas à produção, não podem ser vistas no atual estágio de globalização apenas por um viés nacionalista. O presente trabalho procurou compreender as circunstâncias em que foi construído o Direito Internacional do Trabalho e como esse ramo jurídico pode aportar soluções para os desafios contemporâneos que tangenciam a esfera laboral. Buscou-se ainda analisar os sistemas de produção e controle de normas da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a atuação dessa agência especializada das Nações Unidas na proteção do trabalho no mundo. O estudo aponta que, apesar dos grandes avanços desses sistemas da OIT – que funcionam tripartidamente, com participação de representantes de trabalhadores e empregadores –, muitos obstáculos se impõem à aplicabilidade das normas internacionais do trabalho. As evidências mostram que desequilíbrios sócio-econômicos entre países, crescimento do trabalho informal, falta de vontade política, multiplicidade de sistemas juslaborais e insuficiência dos mecanismos sancionatórios são as principais limitações à eficácia do direito internacional do trabalho. No Brasil, as normas internacionais do trabalho tem tido alcance limitado, sendo do desconhecimento por parte de muitos operadores do Direito do Trabalho. Não obstante, constatamos que a experiência de produção e controle de normas da OIT constitui verdadeira dogmática jurídica que pode ser de grande valia para o enfrentamento dos desafios que se apresentam ao Direito do Trabalho, seja a nível local, como internacional.


Palavras-chave: Direito internacional do trabalho; Organização Internacional do Trabalho; Globalização.


ABSTRACT

In the last years the world has passed through a intensification of social global life. It is a consequence of the development of efficient media and transportation. The capital as well as the production became global and rebuilt the global division of labour into a new perspective. The industry growth in underdeveloped countries brought the debate from the beginnings of International Labour Law into light. It relates to the need of balance in trade relations. More than ever this legal subject, developed after a long century of struggles and demands for better working conditions, deserves more attention. Considering the globalizing context where we live, labour relations cannot be seen by nationalists’ approaches as they are closely connected to production. This research aims to analyze the circumstances in which International Labour Law was built on. Moreover it intends to point solutions for the current challenges on labour issues. For this, we studied the role of International Labour Organization (ILO) in protecting labour worldwide and it’s systems for production and control of rules. The investigation suggests that, despite the great advances achieved by these ILO’s systems, many obstacles remain for the applicability of international labour standards. These systems work under tripartism, including workers’ and employers’ representatives. The evidences demonstrate that social-economic inequality between countries, informal sector growth, lack of politic will, diversity of labour standards’ systems and insufficiency of penalty mechanisms configure the main limitations to the effectiveness of international labour law

More info:

Categories:Types, Research, Law
Published by: Gustavo Fernandes on Jun 06, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/21/2013

pdf

text

original

Para melhor compreender o sistema de produção e de controle de normas de

direito internacional de trabalho no âmbito da OIT, é pertinente compreender, ainda que de

forma breve, a estrutura dessa organização.

Como vimos, a OIT surge com o Tratado de Versalhes, em 1919, como parte

integrante da SDN. Süssekind (2000, p. 119) afirma que nesse momento, o regime jurídico da

OIT era impreciso. Porém, o próprio funcionamento dessa organização especializada esboçou

aos poucos sua autonomia. Com a criação da ONU após a dissolução da SDN e a revisão da

79

Constituição da OIT, tornou-se clara a personalidade jurídica da organização. Dessa forma, a

OIT tem natureza de pessoa jurídica de direito público internacional. Portanto, goza de

autonomia em relação à ONU estando apenas vinculada (e não integrada) a esta (ibidem). Esta

autonomia está impressa no art. 36 da Constituição da OIT, após a dita revisão de 1946.

Assim, a OIT tem autonomia em relação aos Estados que a compõem.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->