Você está na página 1de 2

PROJETO DE LEI Nº 337/2011

EMENTA:
INSTITUI O DIA ESTADUAL DA LUTA
ANTIMANICOMIAL E DÁ OUTRAS
PROVIDÊNCIAS.
Autor(es): Deputado LUIZ MARTINS, ANDRÉ CECILIANO

A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO


RESOLVE:
Art. 1º- Fica instituída a data de 18 de maio, no calendário do Estado do
Rio de Janeiro, como Dia Estadual da Luta Antimanicomial.

Art. 2º- No Dia Estadual da Luta Antimanicomial, deverão ser


desenvolvidas ações que divulguem os serviços prestados pelos
Centros de Assistência Psicossocial e Centros de Convivência e
discussões que possibilitem a construção de um modelo de saúde
mental substitutivo, em detrimento das práticas manicomias.

Art. 3º - Deverá ser realizado no dia 18 de maio anualmente, shows,


espetáculos, leitura de poesias, exposição de artesanato, oficinas na rua
e diversas outras atividades, com a participação direta de usuários e
funcionários de serviços de saúde mental em todo o Estado.

Art. 4º- A coordenação dos eventos do Dia Estadual da Luta


Antimanicomial, bem como de todas as atividades desenvolvidas, ficará
a cargo da Secretaria de Estado de Saúde e Defesa Civil, em conjunto
com o Conselho Regional de Psicologia do Rio de Janeiro (CRP-RJ).

Art. 5º- Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

Plenário Barbosa Lima Sobrinho,18 de abril de 2011

Deputado Luiz Martins Deputado André Ceciliano

JUSTIFICATIVA

O Movimento Nacional da Luta Antimanicomial surgiu no final da década


de 1980 e esse ano completa seus 30 anos. Construido à partir de uma
articulação entre profissionais de saúde, estudantes, usuários dos
serviços de saúde mental, familiares e movimentos sociais, o MNLA, que
surgiu em Bauru-SP, vem se consolidando a cada ano e expandindo sua
atuação por todo o país.
Nesses árduas anos de luta, alguns avanços foram feitos, como por
exemplo a Lei Paulo Delgado (2001) que define os parâmetros da
Reforma Psiquiatrica, bem como a constituição da Rede Internúcleos,
que organiza o movimento nas diveras localidades do país,
considerando as diferenças regionais e as demandas emergencias,
nunca perdendo de vista a sua palavra de ordem “Por uma Sociedade
Sem Manicômios”.

O MNLA reinvindica, além da efetivação da Reforma Psiquiátrica, a


construção de um modelo de saúde Mental substitutivo, em detrimento
das práticas manicomias. Uma rede composta por Centros de Atenção
Psicosocial (CAPS), leitos psiquiátricos em hospitais gerais, prontos
socorro psiquiátricos, e que acima de tudo, preze pela integração da
equipe multidisciplinar e a humanização dos serviços de saúde mental.

Preza-se também pela acessibilidade do serviço a todos que dele


necessitam, pela participação da família no processo dos cuidados, da
intervenção direta na comunidade e especialmente pela resignificação
da loucura.

O Dia Nacional da Luta Antimanicomial é repleto de debates e


mobilizações, que também deverão ser desenvolvidas em nosso Estado.

Desta forma, nada mais justa, que colocarmos em nível estadual a


comemoração dessa data e coloca-la em nosso calendário oficial do
Estado.

Conto com meus nobres pares a fim de aprovação desta lei.

Você também pode gostar