ITPAC - Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos FAHESA - Faculdade de Ciências Humanas, Econômicas e da Saúde de Araguaína Curso: Enfermagem

- 2° Período

RELATÓRIOS DE AULA PRÁTICA DE MICROBIOLOGIA
Disciplina: Microbiologia Curso: Enfermagem Período: 2º Profº: Dr. Ricardo Guerra Acadêmicos: Ana Paula, Elizangêla, Joana D’arc e Johannes

31 de Maio de 2011 Araguaína-TO

tomando-se uma pequena alíquota de uma suspensão mais concentrada.Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos FAHESA. A metodologia consiste na diluição progressiva da suspensão bacteriana. 2. Na aula prática do dia 08/04/2011 realizamos diluição seriada do sorvete a quilo. quanto os microrganismo. 104 UFC/mL . foi obtida uma grande quantidade de colônias. de onde se faz a transferência desta para uma solução salina esterilizada. De cada diluição.6. este que fica exposto no freezer a qualquer microrganismo. utilizando uma alça de Drigalski.1. Joana D'arc . a população bacteriana ao longo do tempo. com volume previamente determinado.ITPAC.79. Johannes RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA DE MICROBIOLOGIA DATA: 08/04/2011 Relatório N° 05 . com posterior incubação (normalmente de 25 a 28 oC / 24 horas). para a contagem isolada de microrganismo. AVALIAÇÃO/RESULTADOS (CONCLUSÃO): Com a técnica de diluição seriada. Esta técnica pode ser aplicada quando se quer determinar. procede-se imediatamente o semeio através do espalhamento de um pequeno volume do extrato em meio de cultura.106 UFC/mL . quando então verificam-se as placas que tiveram suas colônias crescidas separadamente. OBJETIVO: É a diluição progressiva. Podendo ser melhor contadas as unidades de colônias. ou ufc de uma bactéria fitopatogênica presente em um extrato obtido de uma amostra de sementes. Econômicas e da Saúde de Araguaína Disciplina: Microbiologia Prof°: Dr Ricardo Guerra Curso: Enfermagem 2° Período Acadêmicos: Ana Paula.10*10-4 UFC/mL Sorvete por quilograma – placa foi contaminada por esse motivo pegamos o resultado de outra placa. Elizângela. de forma a permitir a sua quantificação. podendo ser observada separadamente tanto as colônias.37. • • • Sorvete embalado .Técnica de Diluição Seriada INTRODUÇÃO: A técnica de diluição é muito útil quando se deseja saber quantas unidades formadoras de colônias (ufc) existem em uma suspensão bacteriana. podendo ser contados logo na proporção 10-1 ( 1/10). por exemplo.Água de enxágüe de colher de sorvete .Faculdade de Ciências Humanas.

L. Microbiologia. R. Flavio. 1999 TORTORA.. A contagem de ufc só foi possível a 10-1 UFC= (nª de colônias) * 10-1* (diluição utilizada para contagem) UFC= 61*10-1*10-1 UFC=6.Qual a Importância da diluição seriada? Sua importância é a diminuição relativa de microrganismos para uma suposta contagem..Diluiçao sorvete Embalado.QUESTÕES: 1. FUNKE. 2005 . 8º Ed. 2. Ed Atheneu. Luis Rachid. B.10*10-4 UFC/mL REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICA: ALTERTHUM. Porto Alegre. Olga Fischmam. GOMPERTZ. Et al. Uma redução significativa para melhor ser observada. 3° Edição. G. CASE C. TRABULSI. J.

ITPAC. e por isso é empregado para a limpeza e esterilização doméstica de superfícies. eliminar as formas esporuladas.Transferir 1 ml da cultura líquida para o tubo de ensaio vazio. no entanto. nome do agente químico e nome do grupo. para procedimentos préoperatórios. atuando pela sua ação oxidante. foram utilizados alguns agentes químicos para avaliar a taxa de crescimento dos microrganismos.Dividir o fundo da placa de Petri em três partes. nome do microorganismo. O hipoclorito é também um forte agente oxidante. 2. manchar e é alergênico. ou com solução água-etanol de iodeto de potássio. Econômicas e da Saúde de Araguaína Disciplina: Microbiologia Prof°: Dr. como pias.Faculdade de Ciências Humanas. Eficaz contra bactérias. Joana D'arc. banheiros. uma vez que são extremamente sensíveis à oxidação.. Em concentrações elevada elimina esporos.Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos FAHESA. NaClO destrói vírus e bactérias. sendo capaz de eliminar germes e bactérias presentes nas hortaliças. cozinha e em roupas. PROCEDIMENTO: 1. fungos e vírus e protozoários parasitas. Johannes RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA DE MICROBIOLOGIA DATA: 29/04/2011 Relatório N° 06 . Desinfetante: são substâncias ou produtos capazes de destruir. É um ótimo antiséptico. (Escherichia coli e . O Hipoclorito de sódio (NaClO): possui ação desinfetante. Atua oxigenando componentes celulares e iodiando proteínas. Ricardo Guerra Curso: Enfermagem 2° Período Acadêmicos: Ana Paula. Anotar: Antes. 10 minutos. O outro agente foi a Água oxigenada: Peróxidos: atua sobre organismos anaeróbios. indiscriminadamente. mas tem a desvantagem de lesar a pele. verduras. OBJETIVO: Fazer levantamento de microrganismos que resistiram a aos agentes químicos. 5 minutos. sem. A seguir o objetivo a descrição do procedimento realizado em laboratório e também a conclusão do mesmo. Os agentes químicos utilizados foram o Iodo: anti-séptico para a pele a 2%. 1 minuto. os microrganismos de uma superfície ou instrumento. legumes e frutas.Controle do Crescimento Microbiano Por Agentes Químicos INTRODUÇÃO: Na aula prática de Microbiologia sobre o Controle de Crescimento Microbiano. Elizângela.

4. atóxico para seres humanos. 6. Misture bem e incube 1 minuto à temperatura ambiente. por 48 horas. Hipoclorito de sódio 2% e o Iodo apresentaram-se eficientes na maioria dos plaqueamentos com eles realizados 5 minutos +++++ +++ + 10 minutos +++++ +++ - Tempo de Desinfecção Contagem Antes 1 Minuto Nº colônias ++ + (iodo) Nº de colônias +++++ +++++ (água oxigenada) Nº de colônias +++ +++ (desinfetante pinho) Nº de colônias ++ ++ (Hipoclorito de sódio 2%) QUESTÕES 01.Staphilococus aureus) 3.3 mL do desinfetante (Iodo.Com a alça de inoculação.Adicionar 0. nãocorrosivo.incubar as placas em estufa a 37ºC. fungos e vírus.Os Desinfetantes são capazes de promover a eliminação das bactérias? O desinfetante é capaz de destruir (eliminar) a forma vegetativa de todos os microrganismos patogênica sejam eles bactérias. Água Oxigenada. AVALIAÇÃO/RESULTADOS (CONCLUSÃO) • • • A amostra de água oxigenada não apresentou eficiência no controle do crescimento dos microrganismos-teste. (Ápos 48 horas analisar o resultado na monitoria). . este deve está em temperatura adequada cerca de 37°C no prazo de 48h. coletar uma amostra de cultura e estriar na divisão ANTES da placa de petri. Desinfetante pinho e Hipoclorito de sódio). pois é necessária a incubação para que haja o crescimento das colônias. Coletar mais uma amostra e estriar na divisão 10 minutos. 02.incubar a mistura cultura +desinfetante por mais 4 minutos. Coletar uma amostra da cultura+desinfetante e estriar na divição 1 minuto. O desinfetante pinho apresentou pouca eficiência no controle do crescimento dos microrganismos-teste.O tempo de incubação é um fator que deve ser considerado? Sim. Coletar mais uma amostra e estriar na divisão 5 minutos. 5. 3.incubar a mistura cultura +desinfetante por mais 5 minutos. requerer tempo limitado de exposição e às vezes é eficaz em temperatura ambiente.

03. especificando a diferença: . morte ou remoção de vários microrganismos patogênicos e saprófitos. Como são aplicados em tecidos vivos. Anti-séptico. os anti-sépticos são. . eliminar as formas esporuladas. os microrganismos de uma superfície ou instrumento. menos tóxicos que os desinfetantes (agentes aplicadas em materiais inanimados). no entanto. HTTP://vsites. 2000. sem.Defina.Esterilização. SOARES Maria Magali S.Antibiótico. seja inibindo ou matando os microrganismos.br/ib/cel/microbiologia/controle/controle. Anti-séptico: Produto que evita a infecção em tecidos.unb. R.html#definicoes . indiscriminadamente. Desinfecção: Processo que promove a inibição. Esterilização: Destruição ou remoção de todas as formas de vida de um objeto ou habitat. Desinfecção. Microbiologia Prática: roteiro e manual: bactérias e fungos. Mariângela Cagnoni. Desinfetante: são substâncias ou produtos capazes de destruir. Antibióticos: são agentes que são “seletivamente” tóxicos para bactéria (matando-as [bactericida] ou inibindo seu crescimento [bacteriostático] sem prejuízo para o paciente. sem eliminar todas as formas de vida. geralmente. Desinfetante. São Paulo Editora Atheneu. REFERÊNCIA BIBLIOGRAFICA RIBEIRO.

Lyfe Boy. Existem no mercado industrial vários produtos que dizem ser eficazes contra agentes microbianos. Utilizar para isso a caneta do retroprojetor. Dessa maneira foram testados vários agentes anti-sépticos para avaliar a sua eficácia contra certos microrganismos presente na mão. 5.Detergente Cozinha. Iodo. fazendo a divisão na parte de baixo da placa.Iodo. SAS (profissional). 4. Econômicas e da Saúde de Araguaína Disciplina: Microbiologia Prof°: Dr. e sua eficácia dependem da duração do procedimento e da utilização de técnica correta.Faculdade de Ciências Humanas. 4. 8.Álcool Gel. Johannes RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA DE MICROBIOLOGIA DATA: 13/05/11 Relatório N° 07 – Desinfecção das Mãos INTRODUÇÃO: Na aula prática de microbiologia sobre desinfecção das Mãos.ITPAC. Joana D'arc. 3. . 7. foram considerados fatores desencadeantes para uma boa higienização das mãos tendo como principal objetivo a remoção da maior quantidade de microorganismos. podendo não ser removida com a simples lavagem das mãos com sabões e detergentes.SAS (profissional). 2. para tanto devem ser seguidas as seguintes etapas: PROCEDIMENTO: 1.Protex.Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos FAHESA. são eles Álcool Gel. 6. Álcool 70%. OBJETIVO: O experimento tem por objetivo verificar a ação de anticépticos sobre a microbiota das mãos.No quadrante identificado com “Mao Suja” o aluno deve encostar o dedo (sem lavar) no Agar. a lavagem com produtos que contenham ingredientes antimicrobianos (anti-sépticos). 2. 3. Protex.As placas serão mantidas no interior da câmara de fluxo laminar para evitar contaminação durante o procedimento. Elizângela. o que se faz necessário.. Ricardo Guerra Curso: Enfermagem 2° Período Acadêmicos: Ana Paula.Álcool 70%. e dividi-la em 8 partes iguais. sabonete Lyfe Boy. Detergente Cozinha.Identificar em cada parte da placa como os respectivos títulos: 1-Mão Suja. diminuindo desta forma o risco de infecções.Pegar uma placa de petri contendo Agar.

A importância da higienização básica (anti-sepsia) das mãos visa remover a maioria dos microorganismos da flora transitória. Controle De Infecção Hospitalar. GEL 3.LIFE BOY 7. suor.5.ALC 70% 4-DET.rj.MAO SUJA 2. Manual Prático.3apoliclinica.264(1998). Pode-se concluir.ALC. G.M. pois houve um crescimento significativo mesmo após a lavagem das mãos com estes produtos. portanto o anti-séptico mais eficaz que demonstrou a taxa de crescimento quase nula foi o álcool 70% e o iodo. HTTP://www. prevenindo assim o aumento dos índices de infecções transmitidas por contato manual direto entre pacientes no ambiente hospitalar.J. sujidade.SAS 8.gov.J.IODO QUESTÕES: 01.cbmerj.br/modules.php? name=news&file=print&sid=309 . CONZINHA ++ +++ ++++ X X PLACAS X X X X X X 5. Revinter. 6. 3 Ed. LOWBRY. P. células descamativas.A seguir cada aluno pegar um produto e lavar as mão e encostar o dedo em cada quadrante identificado respectivamente. REFERÊNCIA BIBLIOGRAFICA AYLIFFE. Et Al.A placa deve ser levada para incubação e após 48h avaliar os resultados na monitoria. Rio De Janeiro. A.L. no entanto que nem todos são adequados para a finalidade de desinfecção das mãos. AVALIAÇÃO/RESULTADOS (CONCLUSÃO) CRESCIMENTO BACTERIANO 1. E..A..Como você interpreta os resultados obtidos? Qual a importância da anti-sepsia das mãos para os profissionais da saúde? Nem todos os produtos anti-sépticos foram eficazes da destruição das bactérias. oleosidades e outros fluidos.PROTEX 6. GEDDES.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful