TESTES, DICAS DE REPARO e INVESTIGAÇÃO DE DEFEITOS AUTOMOTIVOS Evitando danos em fios e conexões Perfurar a isolação dos fios e cabos

é uma conduta imprópria que deve ser evitada durante os testes elétricos. A sua prática favorece a ocorrência de curtos circuitos nos chicotes e a oxidação dos fios e terminais devido à entrada de água. Pontas de testes usadas inadequadamente também podem danificar os terminais dos conectores, dando lugar a um iminente mau contato. O ideal seria que tivéssemos adaptadores para realizar todas as medições, más infelizmente com a diversidade de tipos e tamanhos existentes isto se torna inviável para muitas oficinas, desestimulando os fabricantes destes componentes. Uma opção desejável é o uso de pontas adaptadoras universais que facilitam o trabalho e causam pouco ou nenhum impacto para cabos e conectores, além de ser uma alternativa mais econômica. A foto seguinte ilustra alguns exemplos do uso de adaptadores que facilitam o trabalho e asseguram testes eficientes, sem causar danos aos cabos e conexões:

1 ² Ponteira de haste fina e longa, introduzida por trás do conector evita perfurar isolamento do fio ou cabo. A vedação de silicone é afastada e volta ao seu lugar após a retirada da ponta de teste. 2 ² Ponteira com terminal chato evita esgarçar a conexão. 3 ² Ponteira terminal chato fêmea evita dobrar o terminal. Não há dúvida quanto à melhora na qualidade do trabalho com o uso destas ferramentas, além disso, o custo é relativamente baixo. Você mesmo pode construir-los ou se preferir pode comprar-los. Teste do equilíbrio elétrico do veículo Como testar o sistema elétrico do veiculo? O excesso de acessórios elétricos não originais no veículo prejudica o seu equilíbrio sistema elétrico. Neste caso o alternador fica com capacidade insuficiente para repor a carga perdida, podendo descarregar a bateria. Obs: Verifique a polaridade do alicate amperímetro para evitar erros de interpretação na análise. Com o ali cate amperímetro do equipamento de análise do

5V (para veículos 12 Volts). Teste o regulador de tensão: Com o motor ligado na marcha lenta. Obs. Caso esteja fora de especificação procure por buchas ou rolamentos gastos. e posteriormente com os consumidores elétricos ligados e com o motor aproximadamente a 1500 rpm conforme tabela abaixo. Isto pode ocorrer porque a marcha lenta está muito baixa ou porque existem muitos consumidores elétricos instalados. Como testar o motor de partida? Instale o equipamento de análise de sistema elétrico n o veículo. Caso a leitura seja negativa. repita o tes te com o veículo na marcha lenta e todos os consumidores elétricos ligados.sistema elétrico ´abraceµ todos os cabos que saem do pólo positivo da bateria e dê a partida no veículo. Regule a marcha lenta do motor . menos pisca -pisca e o alerta.estabelecidos. conforme a especificação do fabricante. e faça o ajuste de zero na escala de corrente verificando a corrente de partida. Com o veículo na marcha lenta (valor especificado p/ cada veículo) e todos os consumidores elétricos desligados observe se a corrente que flui para a bateria é igual a zero (0) ou positiva (+). mau contato na fiação ou na malha terra.Caso o problema não desapareça. Correias frouxas. e observe se a corrente que flui para a bateria é igual a zero (0) ou positiva (+). Como testar o regulador de tensão? O regulador de tensão é um circuito eletrônico acoplado na carcaça do alternador responsável por garantir que a tensão do sistema elétrico do veículo fique dentro dos valores pré . A tensão deve ficar entre 13. Se não for possível ´abraçarµ todos cabos que saem do pólo positivo da bateria. A tensão deve ser medida primeiramente com os consumidores elétricos desligados e com o motor em marcha lenta. Corrija o problema antes de prosseguir os testes. verifique: Ajuste de marcha lenta. significa que o alternador não está conseguindo suprir todos os consumidores elétricos nesta condição. Verifique se as escovas ou rolamentos não estão desgastados. Caso o valor obtido esteja fora desta faixa. conecte o alicate amperím etro nos cabos que saem do pólo negativo.. que possua um alicate amperímetro. aguarde até que a corrente de recarga na bateria esteja abaixo de 5A.5V e 14. Corrente de recarga = Ampères Marcha Lenta. Verifique também se a potência do motor de partida está de acordo com a especificada para o veículo . Regulador de tensão com problema. retire o excesso de consumidores elétricos ou troque o alternador por um de maior capacidade. Depois. .

0 e 1. na família Corsa e no Omega 2. Os sensores magnéticos* ou de relutância variável não necessitam de alimentação elétrica. utiliza esta informação principalmente para o controle das condições de marcha . Consistem basicamente de um diodo emissor de luz (LED) e um sensor óptico (fototransistor) separados por um disco giratório com janelas . junto ao cabo do velocímetro. o sinal gerado é diretamente proporcional à velocidade do veículo.2 (com painel analógico .2 MPFI » S10 2. Quais veículos utilizam esse sistema? » Corsa 1. pode ser encontrado em três configurações. sendo utilizado em veículos como Kadett EFI.lenta e freio-motor. Os sensores de efeito hall* são alimentados com tensão de bateria .UCE. Fornecem à UCE um sinal pulsado cuja amplitude deve ser igual a tensão de alimentação. São aplicados em veículos como S10 /Blazer 2. Ipanema efi. por exemplo.comum). Gol mi 1. O sensor de velocidade tipo hall é o mais comum no mercado nacional.0. Acompanhe No sensor VSS. e outros. Seu sinal é gerado por indução eletromagnética devido a interação entre o sensor e a roda dentada (fô nica). Toda vez que as janelas permitem que a luz procedente do LED seja refletida no sensor óptico é enviado sinal (pulso) à UCE.3 V6.Zetec. Os valores podem variar um pouco uma vez que utilizaremos em nosso exemplo. Monza efi.6 MPFI » Ômega 2. e a frequência proporcional à velocidade do veículo. Estão normalmente instalados junto ao painel de instrumentos e são acionados pelo cabo do velocímetro. Teste do sensor MAP .0 e 1. Estes sensores são encontrados. Palio 16 v. E stão comumente instalados no eixo de saída da transmissão.VSS (Vehicle Speed Sensor).VSS O sensor de velocidade do veículo .6 MPFI Quais os veículos que eu posso executar esse teste? Basicamente em todos que possuem o sensor MAP do tipo resistivo (EEC -IV é um gerador de frequência).2 Quais equipamentos são necessários para o teste? » Multímetro (escala em volts tensão contínua) » Bomba de vácuo (para testes mais aprofundados) » Scanner ou um pedaço de fio para fazer um jumper no ALDL Quando executar esses testes? » Quando a lâmpada de anomalia permanecer ace ssa com o motor em .2 EFI e Blazer 2. A unidade de comando eletrônico . o sistema Multec IEFI -6 da Delphi. Escor t 16v .: Qual deve ser a temperatura da bateria durante o processo de recarga? A temperatura da bateria durante o processo de recarga não deverá ultrapassar 50º C Sensor de Velocidade do Veículo .2 EFI e 4.Corsa 1. Os sensores de efeito óptico possuem comportamento similar aos de efeito hall.Obs.

ocasionando o super aquecimento do motor. faça um rastreamento na memória da Unidade de Comando utilizando um scanner ou por meio do código lampejante. Para ativar o código lampejante. Este conector está localizado na central elétrica ao lado da caixa de fusíveis (Corsa). Procedimentos: Caso a lâmpada de anomalia permanecer acessa mesmo com o motor em funcionamento e ocorrer alguma das falhas acima menciona das. . faça um jumper nos pinos A e B do conector. » Quando ocorrerem falhas no funcionamento do motor principalmente quando se exige torque elevado. » Quando a marcha lenta ficar irregular » Quando o catalisador emitir fortes odores. Investigação de defeitos 1) -Defeito: Este Corsa MPFI estava com problemas no funcionamento da ventoinha.funcionamento e o código gerado for o 33 ou 34 referentes a tensão alta ou baixa no sensor MAP. como numa subida de uma ladeira. Como na linha Corsa MPFI o acionamento da ventoinha é feito pela Unidade de Comando. indicando o inicio do código lampejante. como mostra a figura ao lado. mesmo atingindo a temperatura de acionamento (100°c neste carro) o eletro ventilador não ligava. aterramento. partimos para os testes na própria UCE. conexões e fios condutores) sendo que nenhum problema foi encontrado. indicando uma mistura excessivamente rica. CAUSA: Iniciamos os testes conferindo o sistema elétrico da ventoinha (fusível. rele. Ativando o código lampejante na linha Corsa Para ativar o código lampejante ou ligar o scanner devemos localizar o conector de diagnóstico que na GM é denominado de conector ALDL. ou seja. A lâmpada de anomali a no painel de instrumentos irá acender e apagar rapidamente.

Conferimos a alimentação do sensor de velocidade e vimos que estava normal. cabos negativos e positivos e nenhum problema foi encontrado.0 MPFI estava morrendo em desacelerações. teste na bomba de gasolina e nada anormal foi encontrado. SOLUÇÃO: Neste caso foi necessário fazer a substituição da UCE. 3)-Defeito: Seat Cordoba 1. Ao verificarmos o terminal B2 da central que corresponde ao sinal do sensor vimos que o mesmo não estava enviando este sinal.3) com dificuldade para entrar em funcionamento quando o motor esta frio e após pegar era liberado um forte cheiro de combustível pelo escapamento.O teste feito foi simples. 2)-Defeito: Este Corsa 1. como sabemos que após receber a informação do Sensor de Temperatura da Agua que a temperatura esta em aproximadamente 100°C a Unidade de Comando aterra o pino A5. pois a mesma não estava mais fazendo o aterramento do pino A5. Sendo que ao fazermos este teste a ventoinha fu ncionou normalmente.2. Solução: Foi feito a substituição do sensor de velocidade que fica atrás do painel de instrumentos e o problema foi resolvido. deixando bem claro que o problema estava na Unidade de Comando. O que fizemos foi simplesmente simularmos este aterramento do pino A5. alternador. fizemos o rastreamento. motor de partida. ligando um fio condutor no terminal A5 e com a ignição ligada conectamos este fio na massa do carro (aterramento).8 97 ( Bosch Mono Motronic MA 1. logo após iniciamos os testes no sistema de injeção eletrônica. Causa: Foi feito inicialmente testes na parte elétrica como: bateria automotiva. principalmente quando se fazia freadas bruscas ou se usava o freio motor (reduzir usando as marchas). Causa: Primeiro fizemos todos os testes elétricos para gara ntir que não havia nenhum problema na parte elétrica interferindo no gerenciamento da unidade de . acionand o o rele da ventoinha.8 e VW Golf 1. Por ser comum problemas assim estarem ligados com o sensor de velocidade partimos para os testes nesta peça. confirmando a suspeita de problemas na peça.

Ao verificar a memoria de avarias (onde fica armazenado as informações com os defeitos que ocorrem ou ocorreram no m otor) foi detectado um erro ligado ao pedal de acelerador. Ao ligarmos o motor sem o catalizador a aceleração voltou ao normal.5. Fizemos os testes no pedal usando um multímetro automotivo e foi constatado defeito intermitente em um dos potenciômetro que fazem parte do circuito do do pedal eletrônico de aceleração.comando. e ao acelerar o motor o mesmo não abria giro. cabos de ela) e nada de anormal foi encontrado. Diagnostico: Inicialmente fizemos os testes de pressão e vazão da bomba de combustível e os testes no sistema de ignição (bobina. Após esta adaptação o carro voltou ao normal.30) cortava a aceleração de repente e logo após voltava ao seu funcionamento normal. em muitos casos o diagnostico é demorado porque. porem a luz de EPC ficava acesa direto. esta peça simples mas que dá show em muitos de nós. o mesmo ocorreu com os testes de bico injetor. Partimos então para o rastreamento da unidade de injeção eletrônica e tudo estava funcionando corretamente. 4)-Defeito: Este Gol 1.0 FLEX ( Bosch ME7. 5)-Defeito: Este Vectra 2. o que poderia esta provoc ando entupimentos na descarga.8) estava com desempenho muito a baixo do normal. . ou seja. Este tipo de defeito é bem comum de acontecer. Ao soltarmos o catalisador para fazermos os testes. velas de ignição.0 GSI (Bosch Motronic 2. o motor não alcançava rotações mais altas. ignição e etc. Solução: Foi feito a troca do sensor de temperatura da água e problema foi resolvido. que neste carro é eletrônico. notamos que por dentro dele havia alguns pedaços soltos. nós mecânicos acabamos esquecendo desta peça e gastamos nossas energias em diagnósticos complexos dos sistemas de injeção. Após verificar que não havia nenhum defeito elétrico fizemos o rastreamento com um Scanner automotivo e foi visto que a temperatura do motor estava incorreta. Diagnostico: Como a luz de EPC estava ficando acesa quando o defeito ocorria decidimos iniciar os testes fazendo o rastreamento com o uso de um scanner. Solução: Foi feito a substituição do pedal e o problema foi resolvido. pois não conseguimos achar o modelo original do Vectra GSI. Solução: Foi feito uma adaptação de um catalizador de outro carro. e só depois de esgotarmos nosso arsenal de testes é que lembramos do catalizador.

os testes foram concentrados na válvula reguladora de pressão Mprop. . suspeitouse de possíveis irregularidades no fluxo de combustível através desta. tanto o regulador de pressão como a válvula Mprop não são encontradas separadamente. Com o duty cycle dos pulsos PWM que comanda a válvula Mprop normal.Citroën Jumper 2. Após a montagem o veículo passou a funcionar nas condições mencionadas (pega com dificuldade e morre ao acelerar). morre ao acelerar. frequentemente se opta pelo uso de componentes similares. Inicialmente o veículo não pegava. Motor CRS . as irregularidades de funcionamento do motor. e ao testar os principais componentes constatou-se a necessidade de trocar o sensor de pressão do rail e a válvula reguladora de pressão Mprop. Não é preciso dizer que isto encarece a manutenção.3l tem como finalidade expor detalhes que possam ajudar técnicos que se dedicam a este seguimento da manutenção veicular. Verificando-se a memória de falhas e os valores reais dos componentes. A bomba de alta pressão e os injetores também tiveram que ser reparados. muitas vezes. o que causa.Citroën jumper common rail ² pega com dificuldade. não é! Por este motivo. se notou que a pressão do rail não superava a 170 bar. Com a sua substituição o veículo voltou a funcionar norma lmente. Como a pressão e a vazão da bomba elétrica da alimentação de baixa pressão estavam em ordem.3l O relato a seguir com a injeção Diesel common rail em um veículo Citroën Jumper 2. cujos componentes estão integrados. tornando -se obrigatório a substituição do rail e da bomba de alta pressão. Neste veículo.

Veículo Mercedes Benz Sprinter 311 CDi . Grava erros de sensor de rotação e fase (sensor no eixo de comando de válvulas do motor). sistema de injeção common rail e o fi e o o o i i efe e e o e o e e f e e fo o o e e e o o e o  %   Comen o: O é i o e e o e i i i o e i e ízo no f e SR P IHG Q efe o: eí o ó e no i i o o o e i o o o e ii o o o e oe oi i i o e o eí o o e f e o e i e o o o o e i e o o i o i e ie e o e e i e i i e i e o o e o i oe ó i o o o e o C o o ee f io e o o ee e i o o oi é o  Ou os e lhes eí o e i o o i e i e e i o o o e e e o e o i o o oe Q o e i o oo f io e oe o i Q o o o efei o O e o e e e e eo oo e e io e ifi f io e o  #) @C W BC F ei e oee ô i ei e i IA A ee o e o o e o oe o oo e i o o o i i " i " e fei e e e e e i ei i i i i e i e e e i e o e e e e o fo e oe i i i e io i o e e e e o e e e o e f ii e o e o e o o o .&  $  )  (  ) $  #)   $  #)  $$ % $      2   4    (     2  "  $ #    # ! # % ) ) D  %  %  0  (  (    7 (      g      $"  %   $  ) &  $   $ )               (    $    $ "  $  %   $  %  ) 0                   gfe ) 'd  %  0  %  " # D D %    2  !   c   (     %  $$ # D D %   # D $ %) $   (  ( (  ( (  7   c     &b' ##     #  $ $ %) #) 0 6  26 ( (  7 ( X    a` ! E  S@ Y B@  # # %  % (       ) %    7 2 VUIIT ( X & #) 1  % ) % " 1# D  (       E   ( (    )  # $ # % "      $ $  (     2  (      2  (    (    %  )  $ $ ) ) % )  CB A@  7    ( ( (   (   & )       7  )  %  $# % " )  $ ) 5       4  76   ( (  !          $  ) $   98        2     (    &  $  ) $ " $  % )  ) # $   (          (   7     5   $ % 1  $ &  )  " " 4    ( (      6  ( (     3 $    $# $   %  & %  % #)     !         2      (    %   % $  $   ) % 1#  % $  %   (            ! ' & (      " 1  %)  0 )  )    ( !        ( (   (  !   %  $#  # "        !        !  !       ©¢©¨ § ¦¦ ¥ ¤£ ¢     ¡ ¡  MB sp n e n pe  © Solu o: Co i i o o o o e o e e ei e Re i o o e oe e f e e o e o e f e ei o o i i e oé ó o e o f o o o e ifi e e O e f e eze e e e Ao o e o iz o o C o o ee Defeito: Motor não pega.

… u u • s˜… u † yx x xx t v t xt– – v ‚d q u …s u — ˆ … •˜ wƒ †t t† tyx t t xx –m yx † • ww sv u us u s … • …w u t– – x v t  xt t t f u u u … … wƒ ty x vt t v ‚d y … v ƒ w wv w v ˆ ” • ƒ‚ u … t t– t t y t – yx f t v x td – x …w u … ew u ˜ ” ƒ… • x dt xtyx – y q x vt …s ƒ rs u … •˜ wƒ s s • w … … t x t x – t  x yt u • … w u …w u – – tx † – t x t– y Comen o Q o"e e " o o ze o e e o o i o C IA A e e e o e eo o e e fe o e e oi o e o e o i oi e e i I o o e e i ei ez e e i ó C e i o"e e " i i o o o o e fi e e o e o ei i o e 9 o DC o o o e i " i " o e e i o io IA A e o o e o i e i e e o e o o ei o DC é e o í i eo e o C o i oé e e i C e "e e " Q o e i C e e e o e eo o e fe e e i io o oe e o o o fi " fo o" Co e e e e e oe e f io e o o i oé e o oe o o i e e i e e e io o e o ee o o o e o i f éo e e o f íi o io eeke io i o e ie o ooe ie e e i e ei e oee ô i e i e i IA 9 e IA A ‘ e”“ ”“ s ’‘ •• w u u w • u … k jeh eh w “ w …… tr y ftr t– x – y yx x l y ‘ ‚d q i v xt ˆ u w ˆ uw “ˆ u ˆ • p ˆ u‰ • … … w ˜ —• r t t t t tv y tvt† x t t txx ‘ o tvt yo v e w ƒ u … … uw w • • ƒ w u tv y t tv y – t v tv t –t vt u — ƒ u s w pe u … u us … w u u x v vtv xx – t t †t xt–  xx t – t y yx m y u … u s u‚  x y y e w … ˆ u •r — w … • w u w ƒ• u w t t – t t – t t y y y –t t t vtf t t– u ws ˆ v u s v … ƒ — w s u …• u  ‰vˆ w ƒ r ty y v yx t tv y t t y t v v t f txxt t t – y vt y t e w w  ‰ w ƒ u ws s w ƒ ˆ ‰ w ƒ …u… tvty x t t tv y t t y t  xx t dt t u • e‡ • n sv — u ˆ u vu ‚us • … vˆ w ƒ xy † x o xy † t tv y t f – ‚x y t x y tyx x f t ‚x y t u … … u s ”“ • ƒ …s … • u € u … • … w u w w ƒ tv y  t x tx t t y t t f t y t w … ˆ • ˜ ’ ‘w ˜ u … ˆ k je h eh w w v… g v r xy † – l x x y y i v m t t t yt tv ‚x y t u e w w  ‰ ƒ ˆ t ty x x y t x t ‚d f e vw ƒ • s w … wƒ u u • v ƒ w ƒ —• w †t t tf x  t – y –t xx tv y t tt t – v t v ‚d x ƒ ‡ ƒr ˜ — € u •r — w … w s u …• u ”“ x xx t ™ t – t t – t t t y yt y y y v yx v ˆ‡ v ƒ r s w … w ƒ s w v u s € w u s ’ r t x † yty tvt y t x y ‚x v t  tvty x v t „ t x x x vt qp ih  ‰ žŒ ~ Ž € † ~Ž €Š ™ ˜Š Œ  ‚ ‡„  ‘ „‚ ‚ ~Œ ~ Ž€ ~ … Š ~ … †Œ † Š — œˆ  ‚  „ ƒ  „ Œ … „ ~ƒ ‚ ~Œ ‚~ Ž€  ‚  ~  ~ … › Ž ‚ ‘ ‡    ‚‚ ƒ ‚ ‚ † ƒ   Ž~ ƒ ~ Œ „ Œ „ ~ Œ ‰ ~ š ~ Ž ~ – „ ‡ ‘ „ „‚ ‚  ~ † ‡ €   ~ ƒ ƒ • ‚ ‚  ‚ ‡ ‡ € … ~Ž ƒ Œ † ~ ™ ƒ˜ ‚ ƒ  ‚ ‚ ƒ„ ‚  ‚ „ ~  ‚ƒ „€ ~ … ƒ ~ € € …„ … …  ‚ „ ‚ ‘ ƒ ‡ ‚ ƒ „ ‡  ƒ Š~ …… € € ƒ ~Œ † … Œ ‰– ‡ ‚‚ ƒ   ‚   ‡— • „ … „ ~~ € ƒ ~ … … ‡„ ƒ„ ƒ  ‡ ƒ ‚ ‡ ‚ … Š” …   †  Š † “ € ‚ ‚  ‚ ‡ ‚  ’ ‘  „‚ ‚ Š ~ … †Œ † ƒ Ž‰ † Š† ƒ Œ€ €  „‚ ‚ „  ‚   ‚ƒ ‰   ‡ €  Œ … Š ~ˆ  ƒ ƒƒ ‹ „‚ ‰   ~ € ‚‚ } ‰ ~ ƒ … € † ~ … ‚ „ ‚ ‚ ƒ „ ‚ ƒ ‚   „‚ ‚  ‚ ƒ  ‡  |{ y z An lise o oblema o e i o o o o i e e io o o i e e o z oee ei e o e o í e i ez e z o i eo i e ei i o e o e e e o i i o i o o ei e e Q o e f zi ei o i e o o e oe e o o ó i o e efei o e ói C e o ei e e e e o o o o o e i e i O e o e o i i o o o e o oe e o e e oe e e o o o A AC i e o e o e e e C C e o o e e i i Solu o en on ada o e i o eí e •s – w ˜ w r † v t y t tv t – x ph v  Ÿ no F s os lan o o CAUSA: Ao i i i e o e o i ez e I e o e o o i e oe o o o i oo o e i e o e o o o e o o ie e o eo o e i i io e ó i o I e o Co e i fo õe o i o eo I o e i e o o foi o o e o ef io o o o o o foi e e o e e o í e o io o i o w qv u uq t .

Foi retirado o bico e testado em bancada e o Injetor não apresentou problemas. e o funcionamento do carro voltou ao normal .defeitos. Ao fazermos uma inspeção visual fo i observado que o oring (retentor) de baixo do bico estava com um pequeno corte. SOLUÇÃO: Fizemos então a troca dos anéis e remontamos da forma correta. ocasionado provavelmente por má colocação na hora da montagem no TBI.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful