QUESTÕES ± VANGUARDAS E MODERNISMO EM PORTUGAL O Tejo é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia, Mas

o Tejo não é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia Porque o Tejo não é o rio que corre pela minha aldeia. O Tejo tem grandes navios E navega nele ainda, Para aqueles que vêem em tudo o que lá não está, A memória das naus. O Tejo desce de Espanha E o Tejo entra no mar em Portugal. Toda a gente sabe isso. Mas poucos sabem qual é o rio da minha aldeia E para onde ele vai E donde ele vem. E por isso, porque pertence a menos gente, É mais livre e maior o rio da minha aldeia. Pelo Tejo vai-se para o mundo. Para além do Tejo há a América E a fortuna daqueles que a encontram. Ninguém nunca pensou no que há para além Do rio da minha aldeia. O rio da minha aldeia não faz pensar em nada. Quem está ao pé dele está só ao pé dele. 1. Indique a alternativa que nega a adequada leitura do poema em questão. a) O elemento fundamental do poema é a busca da objetividade, sintetizada no verso: Quem está ao pé dele está só ao pé dele. b) O poema propõe um contraste a partir do mesmo motivo e opõe um sentido geral a um sentido particular. c) O texto sugere um conceito de beleza que implica proximidade e posse e, por isso, valoriza o que é humilde, ignorado e despretensioso. d) O rio que provoca a real sensação de se estar à beira de um rio é o Tejo, que guarda a ³memória das naus´, marca do passado grandioso do país. e) O poema se fundamenta numa argumentação dialética em que o conjunto das justificativas deixa clara a posição do poeta. 2. Verifique o texto: ³Beiramarávamos em auto pelo espelho de aluguel arborizado das avenidas marinhas sem sol. Losangos tênues de ouro bandeiranacionalizavam o verde dos montes interiores.´ Esse fragmento da obra Memórias Sentimentais de João Miramar, de Oswald de Andrade, revela influência de uma corrente de vanguarda européia do Modernismo. Marque -a: a) Futurismo, pela exaltação à velocidade e à tecnologia automotiva. b) Surrealismo, pois as imagens insólitas apresentadas parecem ter sido extraídas do sonho ou do inconsciente do narrador. c) Cubismo, já que somente partes dos objetos e da paisagem são descritas, a imagem é fragmentária. d) Expressionismo, pela caricaturização, pela deformação da imagem através do exagero. e) Dadaísmo, pois o significado do texto é nenhum, já que as idéias estão misturadas ao acaso. MAR PORTUGUÊS Ó mar salgado, quanto do teu sal São lágrimas de Portugal! Por te cruzarmos, quantas mães choraram,

d) Marca o rompimento com o belo natural na arte brasileira. b) Baseia-se na razão. exposições de arte. na arte. c) Pretendia difundir no Brasil manifestações idênticas às da arte moderna européia.Ricardo Reis é um poeta moderno. d) Concede mais valor ao livre jogo da imaginação individual do que à codificação dos ideais da sociedade ou da história. por isso a guerra é defendida pelos governantes. b) Quando o resultado leva à paz. a) Apenas a I e a II estão corretas. Quem quer passar além do Bojador Tem que passar além da dor. é correto afirmar: a) Acredita que a liberação do psiquismo humano se dá por meio da sacralização da natureza. b) Revela o principal objetivo dos artistas modernistas brasileiros: a elaboração de obras de difícil compreensão para o público. os surrealistas lançaram um manifesto no qual anunciaram a força do inconsciente na criação de novas percepções. e) Busca limitar o psiquismo humano e suas manifestações. II. os meios justificam a finalidade almejada. e) Tudo vale a pena quando temos o que almejamos e isso não implique enfrentamento de perigos.Os heterônimos de Fernando Pessoa nascem de um múltiplo desdobramento de sua personalidade. Mas nele é que espelhou o céu. III. c) Todas as pessoas têm valores próprios. conferências. propondo novas experiências estéticas. Anita Malfatti realizou em São Paulo uma exposição de arte com cinqüenta e dois trabalhos que apresentavam forte tendência expressionista. Em fevereiro de 1922. Deus ao mar o perigo e o abismo deu. refletindo a liberdade do artista na interpretação do mundo. c) É resultado da busca de padrões acadêmicos europeus para a reprodução da natureza com o máximo de objetividade e beleza. Com base no texto e nos conhecimentos sobre o tema. c) Destaca que o fundamental. b) Todas estão corretas. 6. transfigurando-os em geometria a favor de uma nova ordem. é correto afirmar: a) Foi produzida por jovens artistas preocupados sobretudo em propagar os ideais do Futurismo italiano. e) É um exemplo do esforço dos modernistas brasileiros em produzir uma arte A convencional e compreensível a todos. I. procurando viver em simplicidade. ó mar! Valeu a pena? Tudo vale a pena Se a alma não é pequena. In: Mensagem 3. d) O sacrifício é compensador mesmo que fiquemos insensíveis diante do bem comum.Alberto Caeiro é o poeta que se volta para o campo. Fonte: PESSOA. a frase ³Tudo vale a pena quando a alma não é pequena´ remete a: a) Se o objetivo é a grandeza da pátria. Valorizavam a ausência de lógica das experiências psíquicas e oníricas. Estudante russa. que do desespero extrai a própria razão de ser. 1917.Quantos filhos em vão rezaram! Quantas noivas ficaram por casar Para que fosses nosso. e) Apenas a II e a III estão corretas. dentre os quais ³A estudante russa´. Mensagem. Foram três dias de manifestações artísticas com propostas inovadoras. 4. é correto afirmar: a) O tratamento realista que recebeu tornou-a alvo de críticas mordazes dos modernistas durante a exposição de 1917. Em 1924. d) Nenhuma está correta. Sobre a obra. 5. não importam os sacrifícios impostos a todos. c) Apenas a I e a III estão corretas. negando as oscilações do temperamento humano. dança e recitais de poesia que mudaram os rumos da arte brasileira. Em dezembro de 1917. Sobre o Surrealismo. 7. Sobre a Semana de Arte Moderna. Assinale a alternativa correta a respeito das três afirmações abaixo. b) Revolucionou a estética vigente e proporcionou o desenvolvimento de novas concepções artísticas no Brasil. realizou -se na cidade de São Paulo a Semana de Arte Moderna. é o objeto visível em detrimento do emocionalismo subjetivo do artista. . F. concertos musicais.

( ) No surrealismo a produção artística não se preo cupava em nada com a lógica ou a razão. em 1924. 9.´ n u . Quanto ao Surrealismo e suas tendências julgue os itens: I. iniciando o aparecimento do Surrealismo. aquele homem amarelo. h u nh n u n n . c) Características conservadoras contrárias às conquistas estéticas do Movimento Modernista Brasileiro. ( ) O estilo Surrealista se preocupava e buscava a realidade em sua mais verdadeiraforma. O Poeta e escritor André Breton. b) O discurso de Graça Aranha foi uma crítica irônica à Semana de 22. são seguramente desvairadas interpretaç es da natureza e da vida. virão revoltar aqueles que reagem movidos pelas forças do passado. mas transcend ente. escreve seu 1º manifesto. Não está terminado o vosso espanto. juntando-se a esta coleção de disparates. e) Expressionismo e Movimento Tropicalista. d) Todos estão falsos. b) Apenas o item IV está falso. é correto afirmar que a obra apresenta: a) Preocupação em retratar fielmente a realidade humana e social do país através de um tratamento formal naturalista. ( ) A única preocupação no momento da criação deveria ser com a moral. 10. e) Representou a consolidaç o da arte clássica. 12. 4. e) O Modernismo brasileiro apoiou-se sobre muitos preconceitos estéticos. b) Um afastamento da realidade física e humana do Brasil. s II. ( ) O nome Dadá foi dado ao acaso. e significa cavalo na linguagem infantil francesa. f a) A Arte Moderna é uma homenagem ao feio e ao disforme. alcançando uma correspondência perfeita entre estética e natureza. E n u . Sobre o Dadá e o Surrealismo julgue os itens a seguir: 1. L ³Para muitos de vós a curiosa e sugestiva exposiç o que gloriosamente inauguramos hoje é um aglomerado de µhorrores¶. um dos momentos mais questionados deste período. no s culo XIX. ( ) As obras criadas nada devem a razão ou à própria preocupação estética. ( ) Combinação de elementos ao acaso e o total realismo das coisas sãocaracterísticas da arte produzida no movimento Dadá. ( ) A obra de arte não é resultado de manifestaç es racionais e lógicas. e) Uma relação entre imaginário popular e procedimentos plásticos extraídos das vanguardas européias. . 3. Outros µhorrores¶ vos esperam. d) Impressionismo e Movimento Antropofágico. 1923. aquele carnaval alucinante. a) Cubismo e Movimento Pau-Brasil. III. c) Surrealismo e Movimento Antropofágico. d) A Arte Moderna é uma atitude de oposição ao passado. A partir da observação da figura. 8. Paraestes retardatários a Arte ainda é o Belo. T u á n u n n A Neg . aquela paisagem invertida. se não são jogos de fantasia de artistas zom eteiros. uma poesia liberta. Nenhum preconceito é mais perturbador à concepção da Arte do que o da beleza. a) Apenas o item II está correto. Aquele Gênio supliciado. uma m sica extravagante. IV. 2. HA ' ¥ %% # § © § " § § © ©!§ © © § © © © $      c E EAH` U EXPEG PH E W a WG E PHG WAP GEVWA S QS R b Q RQ G T Q WV E V ESGE PHV H H E HQ Y G G E H`QG ESP WU HUQSYWX EG E WFWP S A ` EUE E A PE H XWH H S D CB A S R Q R T S R QP I F §  § 9  © 8§ § ©©!  © ¨© § ©5§4  ©  © §2 §  6 3   7  7 @ ¥ ( & d 1 ©!¨ © §  ¨ § § §© !)   0 © ©© §  ¨   §  ©¨ § ¥ ¤ ¤ £ ¡¢ ¡ ¦ fe   . ( ) A associação do manifesto de Breton é a criação do artísta ao automati mo psíquico puro. b) Futurismo e Movimento Pau-Brasil. Daqui a pouco. c) Todos estão corretos. c) Na concepção moderna de arte o artista não deve saber desenhar. 11. d) Um espaço realista que representa um retorno aos valores plásticos do Renascimento italiano. instaurado pela criaç o da Escola Nacional de Belas Artes no Rio de Janeiro. a partir da adesão aos postulados e procedimentos das vanguardas históricas européias.d) ss m -s c m desenvolvimento natural do Neoclássico. O T n à u u u n .

malícia e sensualidade. devoção e espiritualidade. levou algum tempo até concretizar-se plenamente esse sonho bicéfalo. sendo esta mesma tristeza professada no ³Manifesto Pau-Brasil´. d) Tarsila do Amaral e Oswald de Andrade criticam os costumes da população brasileira. a) Absorver as novidades da vanguarda européia. . alcançando uma correspondência perfeita entre estética e natureza. exposições de arte. 1925. b) Brasilidade e imaginário popular. porém. Respectivamente. instaurado pela criação da Escola Nacional de Belas Artes no Rio de Janeiro. 1988. realizou -se na cidade de São Paulo a Semana de Arte Moderna. dança e recitais de poesia que mudaram os rumos da arte brasileira. Foram três dias de manifestações artísticas com propostas inovadoras. e assinale a alternativa que corresponde aos conteúdos expressos pelos artistas. e) Representou a consolidação da arte clássica.) 16. b) Romper com os padrões de pensamento dos modernistas europeus.´ (PONTUAL. Para Oswald. potência e força. porém expressando a realidade brasileira. e) Apropriar-se da estética naturalista e da concepção positivista da cultura. concertos musicais. Assinale a alternativa que indica essa estratégia regeneradora proposta por Oswald de Andrade. c) Valorizar o pensamento racional e o caráter científico na estrutura da pintura. A feira II. In. p. O texto acima aponta uma estratégia regeneradora para o movimento modernista. contribui em primeiríssima linha. conferências. Sobre a Semana de Arte Moderna. suavidade e lirismo. para a formulação da qual a pintura de Tarsila. Vitória. Samba. d) Brejeirice e volúpia. dramaticidade e ansiedade. b) A Torre Eiffel no meio da favela reforça uma das idéias contidas no ³Manifesto Pau-Brasil´: a arte européia sempre foi superior à arte brasileira. é correto afirmar: a) Foi produzida por jovens artistas preocupados sobretudo em propagar os ideais do Futurismo italiano.. ³O modernismo de 1922 quisera-se atual (aberto ao mundo) e nacional (ficando no solo pátrio). Com base na obra e nos conhecimentos sobre o ³Manifesto Pau-Brasil´.: Modernidade: arte brasileira do século XX. O fruto maduro da semente então plantada foi a Antropofagia oswaldiana. vistos como fatores de atraso cultural. o Brasil. é correto afirmar: a) A obra de Tarsila do Amaral reflete profunda tristeza acerca da dura vida na favela. 1925. malícia e sensualidade. Di Cavalcanti e Tarsila do Amaral expressaram em suas obras a visão de mundo daquele período. no século XIX.13. 1922. a) Potência e força. Na década de 20. malícia e sensualidade. Em fevereiro de 1922. não perdendo de vista a expressão artística moderna. 26. religiosidade e espiritualidade. ³Carnaval em Madureira´ é parte integrante da fase PauBrasil de Tarsila do Amaral. artistas como Brecheret.). c) Malícia e sensualidade. de Oswald de Andrade. e) Religiosidade e espiritualidade. anos pioneiros do modernismo. São Paulo: MEC/MAM. e) A obra ³Carnaval em Madureira´ e o ³Manifesto Pau -Brasil´ fazem uma crítica ao Modernismo europeu. necessitava assumir a urgência de uma estratégia regeneradora. Observe as reproduções a seguir.. b) Revolucionou a estética vigente e proporcionou o desenvolvimento de novas concepções artísticas no Brasil. na prática. c) Pretendia difundir no Brasil manifestações idênticas às da arte moderna européia. de Brecheret. Roberto. sua companheira. 14. dramaticidade e ansiedade. 15. rico de sua própria seiva (. sobretudo a partir de 1924. c) Tarsila do Amaral e Oswald de Andrade propõem uma arte ligada às raízes culturais brasileiras. brasilidade e imaginário popular. d) Assumiu-se como desenvolvimento natural do Neoclássico. Di Cavalcanti e Tarsila do Amaral. d) Importar passivamente os modelos surrealista e cubista das vanguardas européias.

Para a beleza disto. A polêmica Semana de 22. E enquanto tarda o Abismo e o silêncio quero estar sozinho! Fragmento 4 ( ) Não sou nada. Escrevo rangendo os dentes. A poesia do heterônimo Álvaro de Campos.. tenho em mim todos os sonhos do mundo. C . Assinale a alternativa correta a respeito do texto: a) A oralidade. 18. A c) C . na seqüência correta. em que se reflete sobre a necessidade da velocidade na vida cotidiana.) 20. mas sua configuração verbal impossibilita verdadeira identidade entre ambos. Nunca serei nada.´ Relacione as fases com os fragmentos que seguem. A . fera para a beleza disto. g g g . C . b) O traço tipicamente vanguardista do texto decorre da imagem contida no verso final. À parte isso. Assinale a alternativa que menciona o acontecimento a que Oswald de Andrade se reporta para nomear o Movimento Antropof gico . c) A vinda definitiva de Lasar Segall para o Brasil. colocando a letra A. Fragmento 2 ( ) Ao toque adormecido da morfina Perco-me em transparências latejantes E numa noite cheia de Brilhantes Ergue-se a lua como a minha Sina.´ C ± Pessoal: ³a poesia expõe uma profunda crise de identidade. seu abatimento. aos modernistas. da eletricidade das cores. Fragmento 1 ( ) À dolorosa luz das grandes lâmpadas elétricas da fábrica Tenho febre e escrevo. para cada fase da poesia de Álvaro de Campos é: a) A . conforme a seguir se descreve: A ± Decadentista: ³os poemas expressam um irremediável tédio diante da vida e do mundo. C Ah. A alternativa que apresenta a identificação. Assinale a capa da publicação que registra o momento inicial de articulação daquele ide rio. poder exprimir-me todo como um motor se exprime! Ser completo como uma máquina! Poder ir na vida triunfante como um automóvel último modelo! (Fernando Pessoa. 19.. Álvaro de Campos. d) O principal traço vanguardista do texto resulta da adoção do verso livre e da identidade da voz poética com a máquina. d) A chegada da Missão Artística Francesa ao Brasil. B ou C nos parênteses. C . dos sons . totalmente desconhecida dos antigos. o versilibrismo e a exaltação da máquina não bastam para caracterizar o texto como manifestação da vanguarda europeia do início do século XX.. C b) A . sua aridez interior. que eu nunca tardo . pode ser distribuída em três fases. e) A deglutição do bispo português Sardinha pelos índios brasileiros. Não posso querer ser nada.´ B ± Futurista: ³a poesia da energia explosiva. B . e) O tema da máquina aproxima o texto das vanguardas do início do século XX. conforme a descrição apresentada. C . do poeta Fernando Pessoa. c) O texto pode ser entendido como manifestação da vanguarda do início do século XX. b) A visita do poeta francês Blaise Cendrars.17. A . B d) B .. B . Fragmento 3 ( ) Deixem-me em paz! Não tardo. a) A adesão de Graça Aranha ao movimento modernista. de urbanidade. sobretudo por causa da ideia de que o poeta deve ser expressivo e autêntico. os escândalos no Teatro Municipal de São Paulo e as críticas ferozes levaram artistas e intelectuais modernistas a criarem veículos representativos e de disseminação do ide rio esté tico do Movimento Modernista Brasileiro.

Quer gozemos. rio e cedro. Minha bela Marília. quer não gozemos. Marque a afirmativa INCORRETA. a) Alberto Caeiro. III ± Ricardo Reis é um poeta moderno. da mel ncolia e do a tédio. Compare as seguintes estrofes: "Vem sentar-te comigo. Ricardo Reis e Tomás A. Assinale a alternativa correta a respeito das três afirmações abaixo. (Enlacemos as mãos. Apenas a I e a III estão corretas. a) b) c) d) e) Apenas a I e a II estão corretas. Gonzaga valem-se desses elementos.) Desenlacemos as mãos. como se percebe no verso "Desenlacemos as mãos. dá muito valor às coisas concretas e recusa a metafísica. mas também a melancolia da modernidade." (Ricardo Reis/Fernando Pessoa) "Enquanto pasta alegre o manso gado. a) Ricardo Reis e Tomás Antônio Gonzaga são considerados neoclássicos por que resgatam elementos da tradição literária greco-romana. a exemplo de Ricardo Reis. Assinale a alternativa INCORRETA em relação ao processo heteronímico de Fernando Pessoa. Lídia. vive a euforia. o semi-heterônimo. Nenhuma está correta. o destino e a morte. d) Aproveitar o tempo. Mais vale saber passar silenciosamente E sem desassossegos grandes. b) Ricardo Reis é o poeta da temática e linguagem clássicas. Todas estão corretas. porque não vale a pena cansarmo -nos. Que em tudo quanto vive nos descobre A sábia natureza. poeta de pouca cultura literária e científica. porque não vale a pena cansarmonos. convite que o poeta faz à amada . I ± Os heterônimos de Fernando Pessoa nascem de um múltiplo desdobramento de sua personalidade. II ± Alberto Caeiro é o poeta que se volta para o campo. deixar a vida decorrer. um poeta neoclássico preocupado com a brevidade da vida. surge a necessidade de se aproveitar o tempo presente ('carpe diem'). do ceticismo. do idealismo. d) Fernando Pessoa traz em sua poesia a temática da dor. b) Os poetas sentam-se e meditam à beira do rio e à sombra do cedro. passamos como o rio. Dessa consciência. Apenas a II e a III estão corretas. como imagens comparativas do fluir incessante da vida. para Ricardo Reis. procedimento observado nos versos destes poetas. Uma das características do neoclassicismo é tomar a natureza como modelo. . e não estamos de mãos enlaçadas.21. 22. à beira do rio. é. nos sentemos À sombra deste cedro levantado. c) Ricardo Reis trabalha com a consciência da efemeridade da vida: tudo é breve. sem nada desejar. procurando viver em simplicidade. c) Álvaro de Campos é o poeta da temática futurista." 24. que do desespero extrai a própria razão de ser. Um pouco meditemos Na regular beleza. Sossegadamente fitemos o seu curso e aprendamos Que a vida passa. é simplesmente viver. e) Bernardo Soares." (Tomás Antônio Gonzaga) 23. sendo sua obra repleta de temas como o paganismo.