Você está na página 1de 1

DISCRIMINAÇÃO CONDICIONAL POR IDENTIDADE AO MODELO E INDÍCIOS DE FORMAÇÃO DE CATEGORIA COM USO DE ESTÍMULOS FAMILIARES POR Cebus sp.

apella. Suélen Nicole da Silva Lobato, Tamyres Roberta Colares Leal & Olavo de Faria Galvão (Escola Experimental de Primatas, Universidade Federal do Pará, Belém-PA). Resumo Considerando que o ensino de repertórios complexos começa a partir do ensino de seus pré-requisitos, objetivou-se investigar relações de controle entre estímulos a partir do ensino de discriminações condicionais por identidade a um macaco prego adulto, Cotoh, através do Pareamento ao Modelo por Identidade (PMI) com atraso zero e aumento progressivo do número de escolhas simultâneas de 4 para 8, 12 e 16 estímulos, consecutivamente, todos fotos de itens considerados familiares ao sujeito, divididos em 4 conjuntos categóricos (A, rostos de macacos do biotério, B, frutas das refeições, C, rostos de homens que trabalhavam ou estudavam na instituição e D, objetos conhecidos), projetadas na tela sensível ao toque de um computador com programação para contingências de reforçamento. Cotoh tinha que tocar no estímulo modelo que aparecia na tela para que ele desaparecesse e as comparações fossem mostradas, dentre as quais ele deveria tocar na que era idêntica ao modelo para que um dispensador automático fosse acionado e liberada uma pelota de alimento, seguida de um intervalo entre tentativas (IET), no entanto, se Cotoh escolhesse qualquer um estímulo diferente do modelo, não havia liberação de pelota, apenas o IET, e a mesma tentativa era repetida dando-lhe uma possibilidade de correção. Se ele errasse mais uma vez, o programa apresentava a próxima tentativa logo após o IET. Após treinar e atingir o desempenho acima de 90% de acertos em duas sessões consecutivas primeiramente com 4, depois com 8 e depois 16 comparações foram realizados dois testes para verificação da generalização da aprendizagem de identidade, substituindo-se um conjunto da linha de base por um novo. O critério foi atingido em todas as fases e em um dos testes mostrou generalização do comportamento de igualação com os estímulos novos, assim como indícios de formação de categoria, através das escolhas de identidade incorretas terem ocorrido entre os estímulos da mesma categoria. A manipulação da complexidade da tarefa com base na análise do desempenho, o uso de estímulos familiares e o aumento gradativo de relações de identidade e comparações na tela parece ter favorecido o aprendizado. Financiamento parcial de CNPQ & CAPES Palavras-chave: controle de estímulos; discriminação condicional por identidade; estímulos familiares, Cebus spp.