1.

Sobre a técnica cromatografia em camada delgada, responda:
(a) Quais os fundamentos básicos? A cromatografia em camada delgada (ou fina) é uma técnica de adsorção líquido-sólido bastante simples e barata, que consiste na separação de uma mistura através da migração por capilaridade diferencial de seus componentes sobre uma camada delgada de adsorvente retido sobre uma superfície plana. Na cromatografia de camada delgada, a fase móvel (líquido) ascende por ação de capilaridade por uma camada fina do adsorvente (fase estacionária) estendida sobre um suporte. O suporte mais típico é uma placa de vidro. Sobre a placa espalha-se uma fina camada de adsorvente suspenso em água ou outro solvente e deixa-se secar. A placa coberta chama-se “placa de camada fina ou placa cromatográfica”. Quando a placa cromatográfica é colocada verticalmente em um recipiente fechado (cuba cromatográfica) que contém uma pequena quantidade de solvente, este eluirá pela camada do adsorvente por ação capilar.

(b) Cite os usos mais consagrados da técnica (importância). A cromatografia em camada delgada é usada para determinar a pureza do composto, identificar componentes em uma mistura comparando-os com padrões, acompanhar o curso de uma reação pelo aparecimento dos produtos e desaparecimento de um dos reagentes e ainda para isolar componentes puros de uma mistura. (c) Enumere as vantagens e desvantagens da técnica. A cromatografia em camada delgada é uma técnica simples, de fácil compreensão e execução, de baixo custo, apresenta separação relativamente rápida, é versátil, e reprodutível quando se tem prática. Entretanto, como envolve processos manuais, como por exemplo a preparação da placa e aplicação da amostra, pode causar erros. Essa técnica não possui, também, boa eficiência em análise quantitativa.

(d) O que é e como é calculado o Rf (Fator de Retardamento)?
Parâmetro usado frequentemente em cromatografia, o Rf é definido como a razão entre a distância percorrida pela mancha do componente e a distância percorrida pelo eluente, ou seja:

tricloreto de antimônio ou permanganato de potássio seguido de aquecimento para ocorrer a reação cromogênica. d1 a distância percorrida pela mancha do componente. (e) Como o fator de retenção de um soluto pode ser alterado? O fator de retenção pode ser alterado através de mudanças nas fases estacionária e/ou móvel. mudanças na temperatura. eluição com um único solvente ou com uma mistura de solventes de composição constante.Rf = d1d2 Onde: Rf é o fator de retardamento. 2. Defina: (a) eluição com gradiente: a composição da fase móvel é variada durante a eluição. (c) cromatografia em fase estacionária normal: a fase estacionária é mais polar do que a fase móvel. Essa cuba reveladora pode ser constituída de vapor de iodo que reage com compostos orgânicos formando complexo colorido. o solvente deve ser volátil. ou seja. seriam a utilização de luz ultravioleta ou de reveladores energéticos como ácido sulfúrico. no volume ou na concentração da substância aplicada. (g) Quais artifícios podem ser utilizados quando suspeitamos que um componente da amostra a ser analisada pode não ser visível a olho nu? Quando algum componente da amostra não é visível a olho nu. (b) eluição isocrática: eluição com composição da fase móvel constante. ou seja. e d 2 a distância percorrida pelo eluente. a fase móvel é formada por dois ou mais solventes onde a razão entre estes é variada durante o processo de eluição. (d) cromatografia em fase estacionária reversa: a fase móvel é polar e a fase estacionária apolar. Outras alternativas para se revelar a placa cromatográfica. Sugira um tipo de cromatografia líquida que seja adequada para separar: a) e . pode ser utilizada uma cuba reveladora para sua visualização. apresentar baixa viscosidade e não interagir com o soluto. 3. (f) Que características deve ter um solvente para ser considerado um bom eluente de desenvolvimento? Para ser considerado um bom eluente.

a ordem dos fatores de retenção será: . Prediga os valores relativos do fator de retenção dos três sais. aparentemente diminuiria o tempo de retenção? Explique. é desejável aumentar ou diminuir a proporção de benzeno conforme a coluna é eluída? Explique sua resposta. deve-se aumentar a polaridade da fase móvel e. Se um líquido apolar. 6. No preparo de um gradiente de benzeno/acetona para HPLC em coluna de sílica gel. Como o líquido estacionário didecilftalato é um solvente de polaridade intermediária. 7. como óleo de silicone. ou seja. Como a sílica gel é polar e utilizando o tolueno que é um solvente apolar. o tempo de retenção para o n-pentano seria maior. a fase estacionária é saturada com água que é um solvente polar. utilizando-se o clorofórmio que é polar. ao ser trocado pelo óleo de silicone que é um líquido apolar. Para que este diminua. como líquido estacionário. Com isso. tornando-a mais polar. já que este é apolar e teria maior afinidade com a fase estacionária que também é apolar. Como a fase estacionária do sistema (sílica gel) é polar. e a fase móvel também polar. Assim. Em uma coluna de sílica gel. tetracloreto de carbono ou clorofórmio. Que solvente. o tempo de retenção será menor 5. para isso. As solubilidades relativas dos seguintes cloretos em ácido clorídrico concentrado são CuCl 2 > CoCl2 > NiCl2. Para a separação. o tempo de retenção é de 28 minutos. sendo formada por uma solução de HCl em acetona. utilizando-se um solvente apolar. um solvente de polaridade intermediária. deve-se diminuir a proporção de benzeno no gradiente já que este é o componente apolar da fase móvel. Uma cromatografia gás-líquido foi operada com didecilftalato. a fase estacionária é saturada com água e o solvente transportador é uma solução de HCl em acetona. encontrou-se um composto com tempo de retenção de 28 min quando a fase móvel era tolueno. do que a sílica gel. Como se trata de uma cromatografia em papel. eluirá mais. Cátions inorgânicos podem ser separados por cromatografia líquida segundo sua capacidade de formar complexos com íons cloreto. deve ser usado um solvente mais polar do que a fase estacionária. tivesse sido usado.→ Cromatografia por adsorção (isômeros) b) CH3CH2OH e CH3CH2CH2OH → Cromatografia por partição c) Ba2+ e Sr2+ → Cromatografia por partição (papel) d) C4H9COOH e C5H11COOH → Cromatografia por partição e) Glicosídeos de alta massa molecular → Cromatografia por exclusão por tamanho. Para que estes sejam eluídos. o sal que for mais solúvel em HCl apresentará menor fator de retenção. ou seja. 4. os analitos polares ficarão retidos no sistema. o tempo de retenção para n-pentano seria menor ou maior? Explique sua resposta.

deve-se montar uma placa cromatográfica contendo os padrões dos reagentes separados e do produto a ser obtido e determinar o fator de retenção correspondente a cada uma das espécies. da fase móvel. Como é realizada a confirmação da identidade (análise qualitativa) de compostos quando a análise emprega CLAE (Cromatografia Líquida de Alta Eficiência)? . Como é possível verificar o fim de uma reação química utilizando-se a técnica de cromatografia em camada delgada (CCD)? Para se verificar o fim da reação química utilizando cromatografia em camada delgada. o aminoácido A apresentará o maior fator de retenção por ser o mais polar. portanto. acompanha-se a reação química utilizando-se uma placa cromatográfica até que se observe a formação de um produto com o mesmo fator de retenção do padrão que foi estudado anteriormente 12. Os aminoácidos que foram separados nessa coluna são: (a) HOOCH(NH2)CH2OH e (b) HOOCCH(NH2)CH3. vai eluir menos. Que efeito é esperado sobre os valores de Rf dos dois compostos. o aminoácido mais polar apresentará maior afinidade pela fase estacionária. ou seja. Como a fase estacionária (sílica gel) é polar. a mais polar seria o cloreto de metileno contendo 50% de acetato de etila e o menos polar o cloreto de metileno puro. quanto maior a polaridade do eluente. Que aminoácido você esperaria que tivesse o maior fator de retenção? Explique seu raciocínio. Uma solução diluída de β-naftol e outra de p-toluidina foram aplicadas em placas cromatográficas de sílica gel. Contudo. apresentará o maior fator de retenção e o maior tempo de eluição. que por ser menos polar. e a fase móvel (metanol) também é polar. maior o fator de retenção do β-naftol (mais polar do que a p-toluidina). A cromatografia em escala analítica trata-se da identificação e quantificação de compostos enquanto em escala preparativa trabalha-se com purificação de compostos. ou seja. 10. apresentará o menor fator de retenção. separação das substâncias indesejáveis ou dos componentes de uma mistura. 9. Um par de aminoácidos foi separado em uma coluna na qual a fase estacionária está saturada com água e o solvente transportador é o metanol. Explique o fundamento das técnicas de cromatografia em camada delgada em escala analítica e em escala preparativa. 11. que é um solvente polar. considerando o aumento da proporção do acetato de etila nas fases móveis? Justifique sua resposta. Como a fase estacionária é saturada com água. O contrário ocorre com a p-toluidina. cloreto de metileno contendo 25% de acetato de etila e cloreto de metileno contendo 50% de acetato de etila.CuCl2>CoCl2>NiCl2 8. CH 3OH. mas fortemente ele é adsorvido pela fase estacionária. ele vai eluir mais sobre a placa cromatográfica. Quanto mais polar for o ácido. Em seguida. Para as composições dos solventes dadas. ou seja. Os cromatogramas foram obtidos utilizando-se 3 diferentes eluentes: cloreto de metileno puro.

14.0 mL. a amostra é transportada por uma fase móvel. Em todas as separações cromatográficas. Uma mistura conhecida de compostos A e B produziu os seguintes resultados da CLAE: Composto A B Concentração (mg/mL) 1. (b) Cromatografia líquida? O fator de separação pode ser manipulado na cromatografia líquida através de variações: na pressão.86 4. uma das quais é estacionária (fixa) e a outra. Essa técnica baseia-se no princípio da adsorção seletiva. respectivamente.49 mg de B com 10. 16.97 e 6. contendo apenas A. Responda as seguintes questões: (a) O que é cromatografia? A cromatografia é uma técnica para analisar. então.03 1. Determine a concentração de A (mg/mL) na amostra desconhecida. identificar ou separar os componentes de uma mistura. Como pode ser manipulado o fator de separação na: (a) Cromatografia gasosa? O fator de separação pode ser manipulado na cromatografia gasosa através de variações: na temperatura. É definida como a separação de dois ou mais compostos diferentes por distribuição entre fases. um líquido ou um fluido supercrítico. nas composições das fases móveis e estacionárias. nos tamanhos das partículas. 13. A combinação da cromatografia gasosa com a espectrometria de massas. Discuta por que a combinação da cromatografia gasosa com a espectrometria de massas é tão vantajosa. móvel. com tempos de retenção próximos.Cromatografia Líquida de Alta Eficiência a confirmação da identidade de um composto é feita através da comparação entre os tempos de retenção das substâncias e dos padrões. 17. colocada em uma coluna ou sobre uma superfície sólida.16 Área relativa do pico 10. que pode ser um gás. e diluindo a mistura formada a 25. 15. As duas . Quais espécies podem ser separadas por Cromatografia Líquida de Alta Eficiência. compostos iguais apresentam o mesmo tempo de retenção iguais. por ser uma técnica hifenizada.37 Uma solução foi preparada através da mistura de 12. Foram observadas áreas de picos de 5.0 mL de uma amostra desconhecida. nos tamanhos das partículas. ou seja. pode ser usada para a identificação de misturas complexas. mas não podem ser separadas por Cromatografia Gasosa? Substâncias não-voláteis ou termicamente frágeis podem ser separadas por Cromatografia Líquida de Alta Eficiência e não por Cromatografia Gasosa. Essa fase móvel é. nas composições das fases móveis e estacionárias.38 para A e B. forçada a passar através de uma fase estacionária imiscível fixa.

Fase móvel é a fase responsável por arrastar os componentes das amostras de acordo com seu grau de afinidade. (b) Descreva fase móvel e estacionária. Como se classificam os métodos cromatográficos quanto à forma física. modo de separação e segundo a fase estacionária utilizada. Como conseqüência dessas velocidades de migração diferentes.Cromatografia por Exclusão Quanto à fase estacionária: . os componentes que interagem mais fracamente com a fase estacionária movem-se mais rapidamente.Cromatografia por Adsorção . Quanto à forma física: .fases são escolhidas de modo que os componentes da amostra distribuam-se entre as fases móvel e estacionária em graus variados.Cromatografia Planar: Cromatografia Centrífuga Cromatografia em Camada Delgada (CCP) Cromatografia em Papel (CP) Quanto ao modo de separação: . que podem ser analisadas quantitativa ou qualitativamente. (c) Para que é utilizada a cromatografia? A cromatografia é um método de separação que encontra aplicação em todos os ramos da ciência.Cromatografia em coluna: Cromatografia Líquida Cromatografia Gasosa Cromatografia Supercrítica . Ao contrário.Cromatografia por Troca Iônica . os componentes da amostra são separados em bandas ou zonas discretas. Os componentes que são retidos mais fortemente na fase estacionária movem-se mais lentamente no fluxo da fase móvel. Já a fase estacionária comporta-se como um suporte para a fase móvel que deve ser de polaridade diferente desta.Cromatografia por Partição . Esta técnica pode ser utilizada para a identificação ou purificação de compostos e para a separação de componentes de uma mistura. 18.

A eluição é feita por um fluxo de fase móvel gasosa inerte. Na cromatografia em papel. Dois tipos de cromatografia gasosa são encontrados: a cromatografia gás-líquido e cromatografia gás-sólido. por adsorção ou ligação química.Cromatografia por Líquida . Qual é o princípio da cromatografia em papel? A cromatografia em papel é uma técnica de partição líquido-líquido. a fase móvel é um gás enquanto a fase estacionária é um líquido retido. 22..Utilização de gás: Cromatografia Gasosa (CG) Cromatografia Gasosa de Alta Resolução (CGAR) . Ao realizar uma separação por cromatografia gasosa. na superfície de um sólido inerte.Utilização de líquido: Cromatografia Líquida Clássica (CLC) Cromatografia Líquida de Alta Eficiência (CLAE) . estando um deles fixado a um suporte sólido. uma amostra líquida fui por uma tira de papel adsorvente vertical. A organização molecular que compõe as cadeias de celulose do papel é polar 21. a amostra é vaporizada e injetada na cabeça da coluna cromatográfica. a fase móvel também é um gás e a fase estacionária é um sólido que retém os analitos por adsorção física. O solvente é saturado em água e a partição se dá devido à presença de água em celulose (papel filtro). Quais as misturas que podem ser separadas por cromatografia gasosa? . Qual o princípio da cromatografia gasosa? Como a mesma é classificada segundo a fase estacionária? Na cromatografia gasosa.Cromatografia com fases Quimicamente Ligadas 19.Cromatografia por Sólida . os componentes de uma amostra vaporizada são separados em conseqüência de sua partição entre uma fase móvel gasosa e uma fase estacionária líquida ou sólida contida dentro da coluna. sendo geralmente a água um dos líquidos. No primeiro caso. Baseia-se na diferença de solubilidade das substâncias em questão entre as duas fases imiscíveis.Utilização de Gás Pressurizado: Cromatografia Supercrítica (CSC) 20. Como se classificam os métodos cromatográficos segundo a fase móvel empregada? Quanto à fase móvel: . No segundo caso.

o ideal seria aumentar gradativamente ou por etapas. portanto. maior capacidade de amostra. 28.Podem ser separadas por cromatografia gasosa as misturas cujos constituintes sejam termicamente estáveis e voláteis e que dissolva. 25. a superfície interna do capilar é recoberta por um filme fino de um material suporte. Como nessas misturas encontram-se compostos com diferentes pontos de ebulição. estabilidade térmica. 26. Na cromatografia Gasosa. pelo menos. 24. Esse tipo de coluna retém. mais fase estacionária do que uma coluna revestida tendo. Quais as principais características de um sistema de gás de arraste em cromatografia? O gás do sistema deve ser quimicamente inerte e apresentar alta pureza. o que evita reações indesejáveis com o analito. resposta rápida independente da vazão. a temperatura da coluna de modo que ocorra a eluição tanto dos componentes mais voláteis quando dos menos voláteis. 29. faixa de temperatura desde ambiente até. numa análise cromatográfica de misturas complexas (constituintes com volatilidade muito diferentes). quais as propriedades desejáveis para uma fase estacionária líquida? As propriedades desejadas para uma fase estacionária líquida são: baixa volatilidade. metal ou de teflon. 400 oC. alta confiabilidade e facilidade de uso. qual o critério você utilizaria para escolher a temperatura do sistema? Numa análise cromatográfica de misturas complexas. 23. finamente dividido ou com suporte sólido que é recoberto com uma fina camada de fase estacionária. inércia química e características do solventes apropriadas. Já as colunas com suporte revestido. 27. Quais as características para um detector ideal em cromatografia gasosa? Um detector ideal em cromatografia gasosa deve apresentar sensibilidade adequada. de coluna tubular revestida com suporte. similaridade de resposta a todos os solutos e não-destrutivo (não destrua a amostra). no gás da fase móvel. Cite as vantagens e desvantagens dos seguintes detectores: (a) Detector por condutividade térmica . resposta linear aos solutos que se estenda a várias ordens de grandeza. Diferencie coluna tubular de parede recoberta. Colunas de parede recoberta são simplesmente tubos capilares recobertos com uma fina camada de fase estacionária. boa estabilidade e reprodutibilidade. Se você tivesse que realizar. Quais as características das colunas recheadas ou empacotadas em Cromatografia Gasosa? As colunas recheadas ou empacotadas em cromatografia gasosa são feitas de vidro. São densamente empacotadas com fase estacionária de material uniforme. pelo menos parcialmente. muitas vezes. a escolha da temperatura adequada é de fundamental importância.

ampla faixa linear de resposta. 31. baixo ruído. dipolares (Van Der Waals) ou ligações de hidrogênio. Desvantagem: destrói a amostra. Quando a fase estacionária é um líquido. não é aplicável a muitos analitos. (b) Detector por ionização em chama Vantagem: alta sensibilidade. resistência. para muitos campos da ciência. Desvantagem: faixa linear estreita. (c) Troca iônica: a fase estacionária é constituída de uma matriz onde são adicionados grupos funcionais ionizáveis. A fase móvel é geralmente uma solução iônica com propriedades tamponantes escolhidas de forma a ser compatível com o tipo de trocador usado. com textura. (b) Partição: a fase estacionária é um segundo líquido que é imiscível com o líquido da fase móvel. Quais as características de um HPLC? A cromatografia líquida de alta eficiência é a mais usada de todas as técnicas analíticas de separação devido à sua sensibilidade. que ocorrem entre grupos ativos presentes na superfície da fase estacionária sólida e a fase móvel. sua ampla aplicabilidade a substâncias de grande interesse para a indústria. (a) Adsorção ou líquido-sólida: processo baseado em interações eletrostáticas. acima de tudo. o processo é interfacial. simplicidade e não destrói a amostra. Os .Vantagem: grande aplicabilidade geral. sua adequação à separação de espécies não-voláteis ou termicamente frágeis e. Desvantagem: baixa sensibilidade. (e) Detector por fotoionização Vantagem: faixa linear alta e detector mais sensível para hidrocarbonetos aromáticos e compostos organossulfurados ou organofosforados. que se baseia nas diferentes solubilidades dos componentes da amostra na fase estacionária. (c) Detector por captura de elétrons Vantagem: alta sensibilidade. (d) Detector termiônico Vantagem: alta sensibilidade para compostos que contenham fósforo e nitrogênio. ocorrendo por absorção ou partição. Desvantagem: destrói o analito. Descreva as características dos seguintes métodos de separação em cromatografia líquida. A fase estacionária é uma matriz de composição inerte. fácil adaptação para medidas quantitativas apuradas. ampla faixa linear de resposta. resposta altamente dependente da vazão. (d) Exclusão de tamanho: baseia-se em um processo puramente mecânico. boa faixa linear. seletividade para compostos que contém halogênio e muitos outros. fácil utilização. 30. Desvantagem: compostos com potenciais de ionização mais elevados não são detectados. espalhado na superfície de um suporte sólido e inerte ou nas paredes de um tubo. superfície e distribuição de tamanho dos poros controlados.

32. . deve ser compatível com o detector. permitir a recuperação da amostra.componentes presentes na fase móvel podem ser separados pela diferença de tamanho das partículas no qual partículas menores conseguem penetrar nos poros da fase estacionária enquanto as partículas maiores não. ter baixa viscosidade. ser de alta pureza e não tóxica. dissolver a amostra (diluir). Quais as características da fase móvel na cromatografia líquida? A fase móvel não pode alterar a coluna.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful