Manual do Professor

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

Física

em sala de aula

Módulo 1 Elementos e descrição dos movimentos
Conteúdo analítico Objetivos do módulo e de seus capítulos Conteúdos conceituais, procedimentais e atitudinais Estratégias para a ação docente
Abertura Capítulo 1 – Relações de dependência entre grandezas Capítulo 2 – Observando o movimento Capítulo 3 – Velocidade e aceleração Capítulo 4 – Movimento uniforme (MU)

3 3 4 4 4 5 5 6 7 7 8 8 23

Avaliação do aprendizado Enriqueça sua aula Resolução de exercícios propostos Gabarito

Sistema de Ensino

Sistema de Ensino

Editor executivo: Marco Antônio Costa Fioravante Edição: Alexandre da Silva Sanchez Preparação: Geraldo Fantin, Temas e Variações Editoriais Revisão: Lara Milani (coord.), Adriana B. dos Santos, Alexandre Sansone, Amanda Ramos, Anderson Félix, André Annes Araujo, Aparecida Maffei, David Medeiros, Greice Furini, Maria Fernanda Neves, Renata Tavares Colaboração: Ana Luiza Sério Coordenação de arte: Aderson Oliveira Edição de arte: Benedito Minotti, Fabio Ventura, Marina C. Nievas, Raquel Bortoletto, Ricardo Yorio, Roberto Figueirinha, Tyago Bonifácio Iconografia: Ana Lúcia S. Buendia (coord.), Fabio Matsuura, Flávia Aline Morais Projeto gráfico: Signorini Produção Gráfica Diagramação: Christof Gunkel, Exata Editoração, Formato Comunicação, Grapho Editoração, Sammartes Ilustrações: Adilson Secco, Alexandre Jubran, Carlos Estevão Simonka, Cecília Iwashita, Daniela Weil, DuoVentura Editorial, Edilson Antônio da Silva, Estúdio Manga, Fabiano Lucio, Fernando J. Ferreira, Gilberto Rodrigues Martho, Infografe, Irineu Paulini, Jótah Ilustrações, Jurandir Ribeiro, Keila Grandis, Levi Ciobotariu, Luigi Rocco, Maurício Antônio de Souza, Osni de Oliveira, Osvaldo Sequetin, Paulo César, Paulo Manzi, Ricardo Yorio, Rogério Borges, Sattu, Sérgio Furlani, Studio Caparroz, Vagner Coelho, Vanessa Teixeira, Vicente Mendonça Cartografia: Lucinei Normandia Foto de capa: Seridec Photoimagene/CID Pré-impressão: Helio P de Souza Filho, Marcio Hideyuki Kamoto . Coordenação de produção industrial: Wilson Aparecido Troque Impressão e acabamento:

AUTORES Blaidi Sant’Anna Licenciado em Física pela USP Professor de Física e Matemática do Ensino Médio Hugo Carneiro Reis Doutor em Ciências pela USP Professor de Física do Ensino Médio Maria da Glória Martini Professora de Física do Ensino Médio Walter Spinelli Mestre em Ensino de Ciências e Matemática pela USP Professor de Física e Matemática do Ensino Médio
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

Mestre em Ensino de Física pela USP

Reprodução proibida. Art. 184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. Todos os direitos reservados GRUPO SANTILLANA Rua Padre Adelino, 758 - Belenzinho São Paulo - SP - Brasil - CEP 03303-904 Vendas e Atendimento: Tel. (11) 2790-1500 Fax (11) 2790-1501 www.sistemauno.com.br 2009 Impresso no Brasil

definir as principais grandezas que serão trabalhadas no livro: velocidade e aceleração. discutir a importância de relacionar grandezas e como essas relações podem ser estabelecidas a partir de elementos da matemática. tais como proporcionalidade e gráficos cartesianos. No primeiro capítulo. SERIDEC PHOTOIMAGENE / CID n n n n n 3 . que os alunos sejam capazes de: n n iniciar o estudo da mecânica.184 do Código Penal e Lei 9. elaboração de gráficos e tabelas. Os capítulos seguintes (capítulos 2. já no capítulo 1.610 de 19 de fevereiro de 1998. elaboração de equações matemáticas). ao final do módulo. ainda. velocidade instantânea e aceleração (capítulo 3). Espera-se. aprofundar o estudo do movimento para velocidade constante. iniciar o estudo do movimento a partir da discussão sobre referencial e trajetória. Nesses capítulos serão trabalhados os conceitos de referencial e movimento (capítulo 2). com uma preparação matemática que será base para todo o curso de física. Art. deslocamento e distância percorrida e. ponto material (ou partícula). velocidade média. Objetivos do módulo e de seus capítulos Reprodução proibida. O capítulo 4 faz um estudo mais detalhado do movimento retilíneo uniforme. apresentar a função horária no MU e os gráficos. apresentar os conceitos de posição.Conteúdo analítico O módulo 1 inicia. 3 e 4) são dedicados a uma introdução ao curso de mecânica e apresentam os conceitos fundamentais para compreensão dessa área da física. são apresentadas e discutidas as habilidades necessárias para trabalhar com as grandezas físicas (estabelecimento de relações.

Ser capaz de utilizar o conceito de referencial em situações do cotidiano. Relações entre tempo e espaço.610 de 19 de fevereiro de 1998. No caso específico do módulo 1. n Representar grandezas que se relacionam através de gráficos cartesianos. n Utilizar as propriedades dos movimentos uniformes nas resoluções de problemas que envolvam esses movimentos. n funções. como o astronauta verá os movimentos do Sol e da Terra? Destaque a importância de ir além das aparências comuns para construir um saber científico. entre grandezas a partir de ferramentas da matemática (proporcionalidades. Reconhecer que o movimento depende da escolha do referencial. consequentemente. n Velocidade. e fazer com que o aluno reflita sobre situações em que não é tão fácil estabelecer movimentos. Capítulo 3 Capítulo 2 . 4 Reprodução proibida. n Estabelecer funções que descrevam as relações entre a posição e o tempo em um corpo. n n n n n Taxas de variação do espaço do referencial interfere na descrição do movimento. e também a imagem da capa. Art. Posição e deslocamento. O astronauta tem uma visão privilegiada e não está associado. n Representação cartesiana.Conteúdos conceituais. n Dependência linear. Trajetória. o astronauta estiverem na órbita da Terra. compõem um conjunto que permite levantar questões interessantes. n Funções horárias. gráficos cartesianos. n Discutir como a escolha Capítulo 1 n Reconhecer as relações n n Referencial. Capítulo 4 existentes entre as grandezas físicas.184 do Código Penal e Lei 9. a ideia é deslocar o foco da observação rotineira. buscar uma visão mais ampla da realidade que os cercam. à Terra. proporcionalidades entre grandezas e suas representações em situações que extrapolem o ambiente escolar. através de novos enfoques. Reconhecer relações lineares entre grandezas em diversas situações. n Descrever matematicamente o movimento retilíneo uniforme. Aliás. n Aceleração. ligada à Terra. n Escrever as funções horárias. Quem se afasta de quem? O que está a girar. procedimentais e atitudinais Conteúdos conceituais Conteúdos procedimentais n Descrever as relações n Proporcionalidades entre Conteúdos atitudinais grandezas. Estratégias para a ação docente Abertura O texto e a imagem da página de abertura. a Terra ou o Sol? Se a nave e. Ser capaz de utilizar os conhecimentos adquiridos sobre medidas de grandezas. Aproveite para verificar os conhecimentos prévios dos alunos. funções). obrigatoriamente. n Uniformidade no movimento. Os alunos precisam entender que o que está em jogo é sua capacidade de sair do senso comum e. existe aí um questionamento interessante para iniciar a discussão sobre a importância de estabelecer um referencial para determinar um movimento. n Construir gráficos dessas n n em relação ao tempo. Identificar como essas grandezas se comportam conforme o tempo passa.

como determinado aspecto da realidade influencia outro. a letra e do exercício 1 e o exercício 2. compreender e saber manipular as ferramentas matemáticas é imprescindível para a compreensão dos fenômenos físicos. Referenciais do movimento “É possível subir caindo?” A pergunta de abertura do capítulo deve deixar o aluno bastante intrigado. Lembre que demorar um pouco mais aqui pode representar uma economia de tempo no decorrer do curso. Assim. ou seja. que acompanhará todo o curso. Este módulo é. Sugerimos que o professor enfatize. permitem que o aluno perceba que a matemática pode ajudá-lo a compreender fenômenos de diversas naturezas e até melhorar sua visão do mundo no cotidiano extraescolar. na página 7. Essas relações estabelecidas podem ser apresentadas na forma de gráficos e tabelas. procura encontrar as regularidades nos fenômenos naturais como. na página 17. Art. na seção Exercícios dos conceitos. Para isso. por abordar algo. Toda descrição é feita a partir de uma linguagem. deslocamento e. aparentemente. não tem sentido. que nasce e se põe todos os dias. bastante “matemático”. e Reflita. Para relacionar essas grandezas é necessário antes quantificar ou medir. relacionar as grandezas implica estabelecer equações matemáticas que as representem. O primeiro capítulo do módulo mostra a importância de estabelecer relações entre grandezas e encontrar a representação matemática mais adequada (equações. O texto fornece condições para o desenvolvimento de um conjunto de habilidades envolvidas no domínio da manipulação de grandezas e na construção e leitura de gráficos e tabelas. Como algo pode subir se estiver caindo? “Cair” e “subir” parecem acontecimentos opostos. a fim de saber se o aluno realmente entendeu o conceito de proporcionalidade. na página 6. de forma que a ocorrência de um impede a ocorrência do outro. Se necessário. o ajudará nessa tarefa. A seção Você precisa saber!. não deixe de trabalhá-la com seus alunos. por exemplo. No caso da física. o que implica entender como uma grandeza se relaciona com outra. gaste mais tempo na construção e interpretação de gráficos e na relação entre a aparência destes e os parâmetros que constituem a equação do 1o grau. Portanto. o Sol. movimento.184 do Código Penal e Lei 9. Reprodução proibida. pelo contrário! Sem ele. pois. O professor pode aprovei- 5 .Capítulo 1 Relações de dependência entre grandezas A física é uma ciência que tenta descrever o que chamamos de realidade. todo o resto não fará sentido. gráficos ou tabelas). Isso não significa que seja menos importante. Para compreender essas regularidades é preciso estabelecer relações entre os eventos ou entre as variáveis. Mas o conceito físico – de referencial – por trás dessa indagação é fundamental. a princípio. principalmente. As seções Para saber mais. impossível. O professor deve tomar o cuidado de explicar ao aluno que a habilidade matemática é indispensável para a compreensão de todo o curso de física. Capítulo 2 Observando o movimento O capítulo 2 trabalha com conceitos importantes para o estudo da mecânica.610 de 19 de fevereiro de 1998. portanto. a linguagem é matemática. tais como trajetória.

portanto. primeiro. com esses dados. como o do relativismo do movimento (que é o grande tema de estudo da mecânica).610 de 19 de fevereiro de 1998. O caráter vetorial do deslocamento (que depende do sentido) deve ser enfatizado. Então. aos alunos que indiquem outras situações nas quais se perceba a importância da escolha do referencial. Capítulo 3 Velocidade e aceleração Nesse capítulo são apresentados os conceitos de velocidade (média e instantânea) e aceleração. Uma atividade interessante é fazer uma corrida com os alunos e colocar vários deles em pontos distintos da trajetória para medir o tempo do corredor ao passar por eles. Neste primeiro momento. pode ser feita outra discussão fundamental: a respeito do significado dos sinais da velocidade e da aceleração. Velocidade O primeiro ponto importante é diferenciar velocidade média de velocidade instantânea. Por exemplo. Art. para isso. Feito isso.tar o estranhamento que a pergunta deve gerar para retomar a discussão sobre referenciais mais interessantes. para quem está na estrada. o sinal indica apenas 6 . Funções horárias O último tópico (funções horárias) será mais bem trabalhado nos capítulos seguintes (sobre os movimentos uniforme e uniformemente variado). salientar que uma das preocupações da física é descrever os movimentos e que. Isso geralmente causa confusão entre os estudantes. a pessoa ao seu lado está parada e. Reprodução proibida. uma velocidade média utilizando mais um aluno intermediário e assim por diante. duas pessoas em um carro e uma terceira na estrada. porque são conceitos bastante similares. o professor pode. depois. e isso deve ficar bem claro para o aluno. Para dizer que algo está em movimento precisamos do conceito de referencial. os dois no carro estão em movimento. o professor pode discutir a diferença encontrada em cada uma das situações. A partir do entendimento do conceito de referencial estabelecem-se todos os outros conceitos. O importante é deixar claro que a grandeza velocidade mede quão rápido acontece determinado deslocamento e. ainda. Deslocamento versus distância percorrida Outro aspecto importante é a diferença entre deslocamento e distância percorrida. é possível calcular várias velocidades médias utilizando diferentes pontos de marcação. apenas. Para quem está no carro. Por exemplo: calcula-se. uma velocidade média com o tempo inicial e o tempo marcado pelo último aluno. sugira. é preciso entender como o espaço se relaciona com o tempo (o que significa estabelecer relações entre essas duas grandezas). Qual desses casos é melhor representativo de uma velocidade instantânea? O que deveria ser feito para melhorar o resultado? Sinais da velocidade e da aceleração Como complemento à leitura do texto Você precisa saber! – O que significa uma aceleração negativa?.184 do Código Penal e Lei 9. Seria interessante propor outros exemplos que mostrem essa ideia.

Já a aceleração representa a taxa de variação da velocidade.610 de 19 de fevereiro de 1998. nesse momento. Por isso é importante que eles avaliem o que realmente aprenderam. Agora. E. uma retomada da discussão sobre o significado dos sinais da velocidade. Reprodução proibida. estudar o comportamento de um movimento uniforme. Fazer isso é relacionar duas grandezas (velocidade ou espaço e tempo). 7 . Esse capítulo retoma as discussões apresentadas no capítulo 3 a respeito dos sinais da velocidade e das funções horárias do espaço.o sentido desse deslocamento. como o óleo. o que acontece com o deslocamento no espaço conforme o tempo passa. Cabe. a favor. Esse aspecto deve ser retomado durante o estudo do movimento uniforme no capítulo 4. retardado (quando o módulo da velocidade diminui). a cada instante o deslocamento é o mesmo do instante anterior. O aluno deve perceber que duas velocidades de. 260 m/s e 60 m/s são equivalentes com relação à “rapidez” do deslocamento. ou seja. Movimento uniforme 5 velocidade constante A velocidade constante implica uma variação uniforme do espaço. espaço e tempo se traduzem por uma equação do 1o grau: a função horária do espaço. Como no capítulo 1 (Relações de dependência entre grandezas). No caso do movimento uniforme (tema do capítulo 4) é preciso entender o que significa a velocidade constante com relação ao deslocamento no espaço. ou seja. estudar o movimento implica observar o comportamento do espaço em relação ao tempo. o sinal da aceleração está ligado ao sinal da velocidade. Com os dados. O movimento de queda da gota de água num fluido viscoso. com base neles. os alunos podem construir gráficos e. é um movimento uniforme. Uma sugestão de atividade de laboratório é observar o movimento de gotas de água num cilindro graduado preenchido com óleo. iniciada no capítulo 3. é que a primeira é contrária à orientação da trajetória e a segunda. O professor pode apresentar exemplos nos quais a aceleração é positiva e o movimento. Art. e a água desce com velocidade constante. Saliente que as informações e conceitos abordados lhes darão condições para prosseguir e conseguir êxito diante dos próximos desafios. por exemplo. Com esse experimento é possível tomar dados do tempo em função do espaço (fornecidos pela graduação do cilindro). assim. relacionar grandezas significa identificar as equações matemáticas que traduzem essa relação. Nesse caso. é possível acrescentar e construir os gráficos. A resistência do fluido equilibra a força peso. Capítulo 4 Movimento uniforme (MU) Depois da escolha do referencial. acelerado (quando o módulo da velocidade aumenta) e outros em que a aceleração também é positiva mas o movimento.184 do Código Penal e Lei 9. Avaliação do aprendizado Considere os objetivos apresentados na página 2 deste módulo e peça aos alunos que façam uma autoavaliação. nesse caso. O que diferencia uma da outra.

184 do Código Penal e Lei 9. • permitiu-me compreender a importância de estabelecer um referencial para descrever um movimento.br/fisica/o-que-e-movimento-uniforme-variado-muv> O Colégio Web é mais um projeto do grupo iPED voltado para disseminar a educação em nosso país. como o da natureza da luz. Física 1: mecânica. velocidade etc.colegioweb. de alquimia.Considerando o que você aprendeu. 8 Reprodução proibida. . O dom de Newton. do cálculo. Sites n <http://www. um senhor de 60 anos não tem. Newton. do movimento. marque com um X. n <www. O dom de Newton era mais que uma habilidade ou destreza. Este módulo: • ajudou-me a perceber como as relações de proporcionalidade entre grandezas físicas podem ser classificadas. tratando de espaço. Muito Parcialmente Pouco Enriqueça sua aula Livros n Grupo de Reelaboração do Ensino de Física – GREF. ed. • ajudou-me a conhecer os principais parâmetros necessários para poder descrever um movimento.610 de 19 de fevereiro de 1998. David. 2004. James. São Paulo: Companhia das Letras. 2007. era algo na sua alma que o fez capaz de aproveitar o fluxo de energia e trabalho das coisas a sua volta. os predicados de Newton dividem espaço com o estudioso incansável de teologia. 7. n BERLINSKI.com/watch?v=1TiXB5-q9OY> (Acesso: 22 set. Por exemplo. Muito interessante porque alia o conceito à perspectiva da realidade. 2002. Nessa biografia. • auxiliou-me a compreender como as variações das posições de um corpo se relacionam com o tempo. 2008) Vídeo sobre movimento no Youtube.com. com professor Flávio. Resolução dos exercícios propostos Exercícios dos conceitos CAPÍTULO 1 1 a) A medida da altura de uma pessoa e sua idade não são grandezas diretamente proporcionais. São Paulo: Globo. Art. entre outros estudos. Textos sobre movimento uniforme e variado. São Paulo: Edusp. obrigatoriamente.youtube. n GLEICK. • permitiu-me entender as diferentes formas de representação de um movimento. o dobro da altura de um rapaz de 30 anos.

temos: K 4 K __ 5 constante ] __ 5 2. 1 b) A ∝ __ ] A 3 Q 5 90 m2 Q c) 0.080. Quanto maior a área de cada unidade.003 3 Q ] Q 5 3.15 ] A 5 0. menor a quantidade de unidades necessárias para revestir os 90 m2.610 de 19 de fevereiro de 1998.9 3 16 ] d 5 78.9 5 K 3 12 ] K 5 4. são grandezas diretamente proporcionais. logo __ 5 2 ] K 5 2L L 2 L 2a 8a #2 Lado Perímetro a 4a 4 a) Sabemos que d 5 K 3 t2 Se em 1 s a pedra percorre 4. 2a c) a a a a 2a 2a #2 2a 2 Preço Área pintada 10 m # 34 R$ 120 2 y 340 m2 # 34 Y 5 120 3 34 ] Y 5 R$ 4.00 3 Se K e L são grandezas proporcionais.b) O preço a pagar e a metragem de fio são grandezas diretamente proporcionais. ou seja: M 5 K 3 L. A 5 0. 8 metros de fio custarão o dobro do preço de apenas 4 metros.2 3 0.9t2 ] t2 5 ____ ] 4.184 do Código Penal e Lei 9.03 m2 Substituindo: A 3 Q 5 90 ] 0. ou seja: 36 5 K 3 4 ] K 5 9 Então: x 5 9 3 2 ] x 5 18 54 5 9 3 y ] y 5 6 z 5 9 3 8 ] z 5 72 108 5 9 3 t ] t 5 12 x 1 y 1 z 1 t 5 18 1 6 1 72 1 12 5 108 9 . e) R 3R 3R a 2 a R 2a t2 5 9 ] t53s #2 5 a) A e Q são inversamente proporcionais. a a a 2a 2a 2a b) d 5 kt2 ] d 5 4. Por exemplo.2 m C1 5 2sR f) a a C2 5 2s 3 (3R) 5 6sR Portanto. pela tabela. quando L 5 4 ] M 5 36.1 5 4.000 unidades 6 e 4a L M 2 x 4 36 y 54 8 z t 108 4a Área 5 a2 Lado Área Área 5 16a2 #4 a a 2 2a 16a2 # 16 Percebe-se que a área do quadrado é diretamente proporcional ao quadrado de seu lado. são diretamente proporcionais. são diretamente proporcionais. Ou seja.15 m a 2 adll #2 2a 2adll 2 0.9 Portanto. d) Reprodução proibida. área ∝c2.4 m 44.9 3 42 ] d 5 4.9 m: 4.9 2 2a Pitágoras: 2 2 a 1 a 5 @ adll # e (2a) 1 (2a) 5 @ 2adll # 2 2 2 2 2 2 Lado Diagonal Portanto. Sabemos que L ∝ M.1 c) d 5 kt2 ] 44. Art.

Art. Ou seja. temos: 135 y 3 x2 5 k ] y 3 42 5 135 ] y 5 ____ 16 1 y ∝ __ ] y 3 x2 5 k 10 a) Pela tabela é fácil ver que a cada 10 placas vendidas o vendedor ganha R$ 400.000 1 10 3 x b) Parcela variável a 3 x 5 10 3 1. vemos que a variação em Y para a variação de uma unidade em X é de 22.00 e. ou seja. Seguindo o mesmo raciocínio para a segunda tabela.000 2. a cada placa.000 ] C 5 11.00 zam o eixo Y nos pontos 3 e 1.000 5 1. não passa pela origem devido ao preço fixo.00.00. Observando a primeira tabela.64P # 0.000. vemos que o carro a gasolina roda 14 km com R$ 1.000 1 a 3 x parcela fixa parcela variável Se x 5 100 unidades e C 5 R$ 2. calculamos que existe um acréscimo de R$ 40.8R c) Substituindo na equação: R 5 500 1 40Q ] 300 5 500 1 40 3 Q ] 2. a remuneração do vendedor é R$ 40. A equação que relaciona Q e R é: R 5 500 1 40 3 Q 8 b Pizza grande A = π r2 Pizza média A = • 0. Sabemos que a equação de reta é dada por: Y 5 ax 1 b1 Substituindo os valores já encontrados: Y1 5 1 3 x1 1 3 e Y2 5 22x2 1 1 12 a Sabemos que: 32 anos cristãos p 33 anos muçulmanos e C 2 622 anos cristãos p M anos muçulmanos. Como essas grandezas são proporcionais: 32 33 32 _______ 5 ___ ] C 2 622 5 ___ 3 M ] C 2 622 M 33 32 M C 5 622 1 ___ M 5 M 1 622 2 ___ 33 33 c) C 5 1.50. vemos que existe uma remuneração fixa de R$ 500. C e x são grandezas diretamente proporcionais.64s 0.800 5 40 3 Q ] Q 5 70 placas Pizza grande A 5 sr2 Área Preço Pizza média A 5 s 3 0. substituindo: 1. no entanto.000 1 a 3 100 ] a 5 _____ ] 100 a 5 10 então: C 5 1. então. 14 10 .64 11 Observando o gráfico.000 ] Parcela variável 5 R$ 10.64 # 0. o carro a álcool roda 20 km com R$ 1. vemos que a variação em Y correspondente à variação de uma unidade em X é de uma unidade. a2 5 22. a1 5 1.000 ] x 5 100 unidades d) O gráfico que relaciona C e x é um conjunto de pontos alinhados. O carro a álcool roda 10 km com R$ 0.184 do Código Penal e Lei 9.50. ou seja. Essa reta.00.000.64 64% do preço da pizza grande.00 a cada unidade. b1 5 3 e b2 5 1.75.610 de 19 de fevereiro de 1998. b) Pela tabela. por isso o conjunto de pontos de C e x formam uma reta. @ # 13 d Analisando a tabela e o gráfico. então: y 3 x2 5 k ] 15 3 32 5 k ] k 5 135 Se x 5 4.000. Custo 1.50 do carro a gasolina 5 ____ .00 Custo total (C): C 5 1.000 1 10. sr2 P 0. respectivamente.50 por km do carro a álcool 5 ____ e custo por km 20 1. 9 a) Sabemos que: C 5 1.000 1 10x Para que a parcela variável seja igual ao custo fixo: 10x 5 1.7 d x2 Se x 5 3 e y 5 15. ou seja.64 R 0. vemos que as retas cruReprodução proibida. no item a.

x e y são inversamente proporcionais.5 crescem de maneira linear: o móvel percorre 5 m a cada minuto. b) Substituindo na equação: s 5 210 1 5t ] 32 5 210 1 5t ] 5t 5 42 ] t 5 8.5 6 2. menor será a medida do outro lado.610 de 19 de fevereiro de 1998. vemos facilmente que x e y são grandezas inversamente proporcionais.4 min Reprodução proibida. d) A equação do perímetro é: 2x 1 2y 5 17 ] 2(x 1 y) 5 17 ] x 1 y 5 8.50 ____ 7 ___ 20 14 R 5 ____ 5 ___ 5 1. A equação horária do movimento é: s 5 12 2 2t. Então. Também observando o gráfico.50 ____ 14 20 10 b) O deslocamento nos últimos 5 s foi de: Atenção p Ss 5 s2 2 s1 5 44 2 40 ] Ss 5 4 m 4 a) Analisando a tabela. vemos que o móvel B se aproxima da origem com o passar do tempo. ou seja.5 3 __ y Quanto maior for um dos lados do terreno (x ou y). Portanto o móvel B percorre uma distância maior a cada segundo. 6 a) Observando os dados da tabela. Art. c) Sim. é de 12 m. ou seja 22 m/s. quando t 5 0. na qual s em metros e t em minutos.5 5 a) A posição inicial do corpo. sua equação horária é: s 5 210 1 5t.5 x y 2 6. Ainda pela tabela é fácil ver que a posição inicial do móvel é 210 m. já o móvel B percorre 5 metros a cada segundo (no sentido contrário ao da orientação). b) Substituindo s 5 0 na equação: 0 5 12 2 2t ] 2t 5 12 ] t 5 6 s c) Substituindo t 5 10 s na equação: s 512 2 2 3 10 ] s 5 12 2 10 ] s 5 28 m Pela tabela.Então a razão entre os custos é: 1.184 do Código Penal e Lei 9. desenvolve velocidade constante. 1 x 5 16. então. percorre a trajetória no sentido contrário ao da orientação. b) O móvel A percorre 4 metros a cada segundo. 3 4s s0 = 8 m 5s s1 = 40 m s2 = 44 m s (m) 1 2 3 4 t (s) a) O deslocamento nos primeiros 4 s foi de: Ss 5 s 2 s0 5 40 2 8 ] Ss 5 32 m d) Para t 5 0 temos: posição inicial A 5 0 m posição inicial B 5 20 m 11 . vemos que os dados y 14 a) x x y Perímetro 5 17 5 x 1 y 1 x 1 y ] 2x 1 2y 5 17 b) Área 5 16.5 4 4. c) s (m) 20 16 15 12 10 8 5 4 0 sB sA CAPÍTULO 2 1 A trajetória observada por uma pessoa em terra será uma parábola: v 2 a) O observador em B avista A descrevendo um movimento circular ao seu redor.5 ] x 3 y 5 16. b) O observador em A também observa B descrever um movimento circular em torno de si. vemos que a cada 3 segundos o corpo percorre 6 m no sentido contrário da orientação do eixo. porém no outro sentido.

b) Substituindo t 5 3 s nas equações: sA 5 8 3 3 ] sA 5 24 m sB 5 2 3 32 ] sB 5 18 m St 5 35 min 12 Reprodução proibida. o móvel A percorre 4 metros a cada segundo. a partir da origem. Substituindo na equação.610 de 19 de fevereiro de 1998. Aos 3 s o móvel para. vem: Ss 15 vm 5 ___ ] 0. a distância entre eles será de: Ss 5 24 2 (10) ] Ss 5 34 m 2 28 3 29 4 28 7 a) t(s) s(m) 0 0 1 25 n n n n s 5 t2 2 6t ] s 5 12 2 6 3 1 ] s 5 25 m s 5 t2 2 6t ] s 5 22 2 6 3 2 ] s 5 28 m s 5 t2 2 6t ] s 5 32 2 6 3 3 ] s 5 29 m s 5 t2 2 6t ] s 5 42 2 6 3 4 ] s 5 28 m 0 1 2 3 4 t (s) b) 1 2 vm1 5 ___ ] 15 5 ___ ] St1 5 __ h -5 -8 -9 s (m) Ss1 5 3 St1 St1 Como o tempo total da corrida é de 1 1 h ] 1 5 __ 1 St2 ] 3 2 St2 5 __ ou St2 5 40 min 3 c) Entre 0 e 3 s. Primeiros 15 min: Ss1 Ss1 vm1 5 ___ ] 40 5 ___ ] Ss1 5 10 km 1 St1 __ 4 Temos. Ou seja. então: sA 5 0 1 4t e sB 5 20 2 5t e) Mantendo o movimento. instantaneamente. temos: Ss 2 vm 5 ___ ] vm 5 __ ] vm 5 0. os móveis A e B se encontram na posição 32 m. CAPÍTULO 3 1 0 15 min Δs1 10 km 15 min Δs2 40 km Logo.Como vimos no item a. o móvel se desloca. temos: Ss 40 vm 5 ___ ] 80 5 ___ ] St St St 5 0. as equações horárias não vão se alterar.184 do Código Penal e Lei 9. o percurso total deve ser percorrido em 30 min. no instante 4 s. contra a orientação. passando a descrever um movimento no sentido de orientação. que a velocidade do segundo percurso deverá ser: Ss2 30 vm2 5 ___ ] vm2 5 ___ ] vm 5 vm 5 120 km/h 1 St2 __ 4 .5 km/h 4 St Considerando todo o trajeto do trem até o terminal. e a partir daí muda o sentido de sua trajetória. vem: 2 2 n s 5 t 2 6t ] s 5 0 2 6 3 0 ] s 5 0 m Para que a velocidade média em todo o caminho seja 80 km/min. então. num sentindo contrário ao da orientação. Art. então: sA 5 4 3 6 5 24 m e sA 5 20 2 5 3 6 5 210 m sB –10 0 sA 24 x (m) c) Substituindo T 5 4 s nas equações: sA 5 8 3 4 ] sA 5 32 m sB 5 2 3 42 ] sB 5 32 m Significa que. e o móvel B percorre 5 metros a cada segundo.5 5 ___ ] St 5 30 min St St Temos agora que considerar o tempo que o trem fica parado em cada uma das cinco estações intermediárias: St 5 30 1 6 3 1 ] tempo de uma parada 8 a) sA ∝ t ] sB ∝ t2 sA 5 8t sB 5 2t2 pois a posição inicial de ambos é 0 m. 3 d Entre as estações Vila Maria e Felicidade.5 h 5 30 min.

então: s 2 25c s t1 5 t1 ] ___ 2 _______ ] vmC vmc vmC s ___ 5 _______ (IV) vmc s 2 25c Substituindo (III) em (IV). temos: 15 s ___ 5 _______ ] 15 3 s 2 375 5 14 3 s ] 14 s 2 25c s 2 375c pela equação (I).18 ] 340 3.18 2 3.400 3. sabemos que em um mesmo intervalo de tempo o cão dá 3 saltos enquanto a lebre dá 7 saltos. vem: Ss1 7 1 vm1 5 ___ ] 70 5 ___ ] St1 5 ___ h ] 10 St1 St1 St1 5 6 min 26 h Portanto. 150 saltos até o encontro.400 c 5 68 m Ss c c vm 5 ___ ] 340 5 __ ] tar 5 ____ vmC 3 C 3C 7c ___ 5 ___ ] ___ 5 __ 3 __ vmC vmc vmc (II) 7 c Substituindo a equação (I) em (II): vmC 3 5 vmC 15 ___ 5 __ 3 __ ] ___ 5 ___ (III) vmc 7 2 vmc 14 Cão 0 25 t s Lebre d Posição do encontro 5 Calculando o deslocamento da partícula entre Reprodução proibida. temos: Ss 320 vm 5 ___ ] 10 5 ____ ] St 5 32 s St St 7 e Chamando de C a distância percorrida a cada salto do cão e de c a distância percorrida a cada salto da lebre. temos que: C 5 2 3 C 5 5c ] __ 5 __ (I) c 2 Do enunciado.610 de 19 de fevereiro de 1998. em que d 5 s 2 25c e temt1 t1 po t1.4 Som pelo ar: tar 340 St onde c é o comprimento do trilho. vem: Ss 16 vm 5 ___ ] vm 5 ___ ] vm 5 4 m/s 4 St 6 a vm 5 10 m/s vm 5 36 km/h O deslocamento total percorrido pelo trem enquanto a cancela está fechada é: Ss 5 100 1 200 1 20 ] Ss 5 320 m a cancela comprimento é fechada do trem antes do início do cruzamento largura da rua $ 3. t. é o mesmo. substituindo: c c ____ 2 _____ 5 0. sabemos que 2C c 5 ___ então: 5 23C s 5 375 3 ____ ] s 5 150 3 C 5 ou seja.400 St Do enunciado.184 do Código Penal e Lei 9. 8 a 0 vm1 = 70 km/h 7 km t = 20 min 6 km Pela definição de velocidade média.400 ] _______ 5 ___________ ] 9c 5 612 ] 3.18. isto é: 33C 73c vmC 5 ____ e vmC 5 ____ t t Como o intervalo de tempo. o estudante demorou 26 min ____ 60 para atravessar a ponte na ida. 0 s e 4 s: x0 2 2 2 4 3 0 1 2 3 02 ] x0 5 22 m x1 2 2 2 4 3 4 1 2 3 42 ] x1 5 14 m Sx 5 14 2 (22) ] Sx 5 16 m Pela definição de velocidade média.6 Pela definição de velocidade média: d s vmC 5 __ e vmC 5 __ . vem: tar 2 ttrilho 5 0. que é o tempo de encontro. Sst 13 16 3 60 vm 5 ___ ] vm 5 ___ ] vm 5 ______ ] 26 26 Stt ___ 60 @ # vm 5 30 km/h 1 Na volta o estudante gasta 10 min __ h para 6 percorrer os mesmos 13 km. é o mesmo para os dois.400 5 ____ ] ttrilho 5 _____ ttrilho 3.400 10c 2 c 0. então: Ss 13 vm 5 ___ ] vm 5 ___ ] vm 5 78 km/h 1 St __ 6 @ # 13 . Som pelo trilho: Ss c c vm 5 ___ ] 3. Art.

184 do Código Penal e Lei 9. vm1 5 80 km/h ] St1 vm2 5 60 km/h ] St2 Em módulo.5 m/s2 14 Aceleração: Sv 100 2 0 a 5 ___ ] a 5 _______ ] 10 St Desaceleração: Sv 0 2 80 a 5 ___ ] a 5 ______ ] 4 St a 5 10(km/h)/s a 7 25. o deslocamento nos primeiros 4 s é: 4 3 12. a velocidade média de todo o trecho é igual a média aritmética das velocidades.9 Ss1 1 Ss2 como St1 5 St2.6 m/s2 14 Reprodução proibida.610 de 19 de fevereiro de 1998.5 m/s 10 n Avião: $ 3.6 Sv 5 198 km/h Sv 5 55 m/s ] Sv 55 a 5 ___ ] a 5 ___ ] a 7 4.333 s 12 Pela definição de aceleração média temos: Sv 20 20 a 5 ___ ] 1.5 5 ___ ] St 5 ___ ] 1.6 Sv 5 90 km/h S 5 25 m/s ] ___ ] St 25 2 a 5 ___ ] a 5 2. o valor da desaceleração é o dobro do valor da aceleração. então a aceleração também é nula. então.5 N b3h Ss 5 A ] Ss 5 ____ ] Ss 5 _______ ] 2 2 Ss 5 25 m 13 Sv 5 30 2 120 ] Sv 5 290 km/h ] Sv 5 225 m/s 225 Sv a 5 ___ ] a 5 ____ ] 10 St a 5 22. n Ss 150 1 400 c) vm 5 ___ ] vm 5 _________ ] 40 St vm 5 13. Sabendo que o deslocamento do atleta é numericamente igual à área sob a curva. ou seja: (B 1 b) N SsT 5 A ] SsT 5 ______ 3 h ] 2 (10 1 6) 100 5 _______ 3 vf ] 2 vf 5 12.5 St St St 5 21. 15 O deslocamento do corpo é numericamente igual à área sob a curva do gráfico. Art.75 m/s d) n entre 0 e 10 s: Sv 10 2 0 a 5 ___ ] a 5 ______ ] 10 St a 5 m/s2 n entre 10 e 20 s: Nesse trecho temos uma velocidade constante de 10 m/s.5 5 ______ ] St 5 13. então: (B 1 b) 3 h (10 1 5) 3 10 Ss 5 _________ ] Ss 5 ___________ ] 2 2 Ss 5 75 m 10 A variação da velocidade instantânea do automóvel foi de: Sv 5 96 2 60 ] Sv 5 36 km/h ] Sv 5 10 m/s Ss 10 a 5 ___ ] a 5 ___ ] 5 St Sv St 20 2 0 St a 5 2 m/s2 16 a) A distância percorrida é numericamente igual à área. .5 s Automóvel: Sv $ 3. A desaceleração é.5 m/s então. vem: vmTotal 5 _________ 5 St1 1 St1 80 St1 1 60 St1 5 _____________ ] vmTotal 5 70 km/h 2 St1 Sim.6 m/s2 a 5 10(km/h)/s a 7 5. a aceleração do avião monomotor é maior do que a aceleração do automóvel. 100% maior do que a aceleração. então: (20 1 10) 3 10 (B 1 b) 3 h Ss 5 _________ ] Ss 5 ____________ ] 2 2 Ss 5 150 m (B 1 b) 3 h (30 1 10) 3 20 b) Ss 5 _________ ] Ss 5 ____________ ] 2 2 Ss 5 400 m 11 a 5 ___ ] 1. ou seja Sv 5 0.6 m/s2 12 St Portanto. a 5 0 m/s2 17 Primeiro vamos calcular a velocidade final vf do atleta.

610 de 19 de fevereiro de 1998. é fácil ver que: Sv 12 2 4 a 5 ___ ] a 5 ______ ] a 5 2 m/s2 4 St A velocidade do ciclista no instante 7 s será de: vf 2 4 Sv a 5 ___ ] 2 5 _____ ] vf 5 18 m/s 7 St Então. A posição do veículo no instante t 5 4 h é: s 5 50 1 15 2 60 ] Sv St s 5 5 km 12 2 0 2 20 a) De 0 s a 2 s: a 5 ___ ] a 5 ______ ] a 5 6 m/s2 Sv 8 2 12 De 2 s a 18 s: a 5 ___ ] a 5 ______ ] St 16 a 5 20. O deslocamento do veículo entre 2 h e 4 h é: Ss2 5 3 3 (220) ] Ss 5 260 km o sinal negativo indica que o deslocamento nesse intervalo é no sentido contrário ao da orientação. Ss 5 sB 2 sA ] Ss 5 (12 3 3) 2 (40 2 8 3 3) ] Ss 5 20 m 19 O deslocamento do veículo de 0 h a 1 h é: Ss1 5 b 3 h ] Ss1 5 15 km O deslocamento do veículo de 1 h a 2 h é nulo. então. podemos determinar no gráfico a posição em que os dois corpos estão no instante t 5 2 s. Art. sabemos que vA 5 28 m/s.184 do Código Penal e Lei 9. pois o veículo está parado.25 m/s2 N b3h 2 3 12 b) Ss 5 A ] Ss 5 ____ ] Ss 5 _____ ] 2 2 2 a) Automóvel Y: sy 5 s0y 1 vyt ] Automóvel X: sx 5 s0x 1 vxt ] sy 5 0 1 15t sx 5 90 1 9t Ss 5 12 m 15 . O nível negativo de vA significa que o corpo A está se deslocando no sentido contrário ao da orientação: SsA s 2 40 vA 5 ___ ] 28 5 ______ ] s 5 24 m 2 St Então: SsB 24 2 0 vB 5 ___ ] vB 5 ______ ] vB 5 12 m/s 2 St b) Corpo A: sA 2 s0A 1 vAt ] sA 5 40 2 8t Corpo B: sB 5 s0B 1 vBt ] sB 5 0 1 12 t c) A distância entre os corpos no instante 3 s é dada pela subtração entre a posição do corpo B e a posição do corpo A. no instante 3 s.18 Pelo gráfico. 7 t (s) (B 1 b) N Ss 5 A ] Ss 5 ______ 3 h ] 2 (18 1 4) 3 7 Ss 5 __________ ] 2 Ss 5 77 m CAPÍTULO 4 1 a) Do enunciado. o gráfico de v # t até o instante 7 s será: v (m/s) 18 21 a) Ss 5 A ] Ss 5 _________ ] Ss 5 sf 2 s ] 75 5 sf 2(220) ] sf 5 55 m a 5 2 m/s2 N (B 1 h) 3 h 2 Sv 20 2 10 b) a 5 ___ ] a 5 _______ ] 5 St 22 c Deslocamento entre 4 s e 6 s: Ss1 5 (b 1 B) 3 h ] Ss1 5 (10 1 20) 3 1 ] Ss1 5 30 m Deslocamento entre 6 s e 10 s: Ss2 5 b 3 h ] 4 3 20 ] Ss2 5 80 m SsT 5 Ss1 ] SsT 5 30 5 150 ] SsT 5 110 m 4 A 0 Reprodução proibida.

2 h ] t 5 12 min A B “A” inicialmente atrás de “B” . que se move com velocidade de 14 m/s no mesmo sentido do torpedo.610 de 19 de fevereiro de 1998. a velocidade v.5 km 1 St __ 4 Então: Ss 5 SsL 2 SsP ] Ss 5 20 2 17. v1 5 35 m/s v 5 14 m/s 4 a) s (m) 88 Então. 88 . 88 3 c Quando João atinge o ponto P.200 vm1 5 ___ ] vm1 5 _____ ] vm1 5 35 m/s 120 St Porém v. s (m) 5 Primeiro vamos calcular a velocidade do torpedo em relação ao navio. seu amigo percorreu uma distância em relação ao mesmo ponto P de: Ss Ss vA 5 ___ ] 60 5 ___ ] Ss 5 4km 4 St ___ 60 Considerando o instante inicial. é: v1 5 v1 5 v ] v1 5 35 2 14 ] v1 5 21 m/s 11 t (s) 0 6 O veículo leve completará o trecho de 20 km em: Ss 20 1 vc 5 ___ ] 80 5 ___ ] St 5 __ h 4 St St 1 __ h o veículo pesado estará na posição: Em 4 SsP SsP vP 5 ___ ] 70 5 ___ ] SsP 5 17. o instante em que João passa pelo ponto P.5 ] Ss 5 2. Art. que está parado: Ss 4. as equações horárias ficam: sA 5 s0A 1 vAt ] sA 5 4 1 60 3 t e sJ 5 s0J 1 vJtt ] sJ 5 0 1 80 3 t O instante do encontro é dado quando sA 5 sJ. do torpedo em relação ao submarino.184 do Código Penal e Lei 9. B 88 0 t (s) 16 Reprodução proibida.b) Os dois automóveis vão se encontrar quando: sx 5 sy ] 90 1 9t 5 15t ] 90 5 6t ] t 5 15 s Substituindo o instante do encontro (t 5 15 s) em qualquer uma das duas equações: sy 5 15 3 15 ] s 5 225 m b) s (m) A B “A” inicialmente atrás de “B” .5 km ou A s (m) “A” inicialmente a frente de “B” . é a velocidade do torpedo em relação submarino. então: sA 5 sJ ] 4 1 60t 5 80t ] 4 5 20t ] t 5 0. 0 11 t (s) 0 11 t (s) ou A B “A” inicialmente atrás de “B” .

A equação horária é: s 5 s 1 vt ] s 5 200 2 15t 8 c v 5 288 km/h ] v 5 80 m/s Em 2 h. 21) b) Para m 5 6. ou seja v 5 215 km/h. Art. 7) Reprodução proibida. temos: R 5 6.5t.5 400 Então.500 ] R 5 R$ 4. então: R 5 6. após 10 min. Como a temperatura inicial era de 200 wC. vamos analisar o comportamento das duas grandezas apenas no intervalo que contém os 400 m.7 d Pela tabela.184 do Código Penal e Lei 9.00 são retirados da quantia total. 1 __ 3 6. a temperatura da água au- menta 2.5 400 Para x 5 400 m.000 5 R$ 2.5 3 10 ] T 5 20 1 25 ] T 5 45 wC c) como T 5 20 1 2. no sentido contrário ao da orientação.00 c) a terça parte do valor inicial é: 3 Substituindo na equação: 2.000 2 250 3 6 ] R 5 6.000 2 1.00 250m 5 4.5 wC 21 5 a 100 1 b (I) 7 5 a 500 1 b (II) 3 a) 80 km b) 80 km por hora c) D 5 40 1 80 t d) 40 km e) D 5 40 1 80 t ] 110 5 40 1 80 t ] 70 t 5 ___ ] t 5 0.610 de 19 de fevereiro de 1998. temos: T 5 20 1 2.875 ] 80 t 5 52min30s 4 a) A cada minuto.5t.000 2 250 m 17 .000 2 250m ] (500. temos: 14 y 5 2____ 3 400 1 24. podemos escrever T da seguinte forma: T 5 20 1 2. t (0C) 21 (100. a equação da reta que corresponde ao intervalo de 100 m até 50 m é: 14 y 5 2____ 3 x 1 24. que só podemos considerar a variação de temperatura linear no intervalo entre duas medições.5 ] 400 y 5 10. temos: 14 21 2 7 5 100a 2 500a ] a 5 ____ 400 Substituindo em (I): 14 21 5 2____ 100 1 b ] b 5 24.5 wC.000 ] m 5 16 meses 7 0 100 500 x (m) Podemos montar o seguinte sistema: y1 5 ax1 1 b ] y2 5 ax2 1 b De (I) 2 (II).000.5t b) T 5 20 1 2.500. vemos que a posição inicial do automóvel é 200 km e que o automóvel percorre 30 km a cada 2 h. temos: 100 5 20 1 2. o carro com velocidade de 80 m/s percorre: Ss Ss vm 5 ___ ] 80 5 ___ ] 2 St Ss 5 160 m Retomada dos conceitos CAPÍTULO 1 1 d Sabemos.000 5 6. pelo enunciado. Então.5t ] t 5 32 min 2 a) a cada mês R$ 250.

x56 6 d Ss 5 sB 2 sA ] 16 2 6 5 Ss ] Ss 5 10 m c) Substituindo t 5 7 s nas equações: sA 5 3 3 7 ] sA 5 21 m e sB 5 20 2 2 3 7 ] sB 5 6 m sB 0 6 1 Do enunciado. o observador vê a bolinha se afastando (caindo) até retornar ao solo.000 334 23x x 5 36 ] 2 sB 16 x (m) Reprodução proibida. ou seja. temos: d 5 85 1 (65 2 43) ] d 5 85 1 23 ] d 5 108 m 18 . o movimento da bolinha será sempre retilíneo. y) fornecido: 1 480 5 k 3 __ ] k 5 800 5 x 3 y 5 __ 3 A área do triângulo é dada por: XQ 3 YQ PQ 3 PO _______ 5 ______.000 5 K 3 3 3 42 F 5 K 3 L 3 H2 ] 3. 22 m/s.d) 100 t (wC) 2 a) Pelo gráfico: Posição inicial A 5 0 Posição inicial B 5 20 Ainda pelo gráfico. Então.000 3. temos: 3 3 16 3 3. substituindo os dados da tabela: 2. porém no sentido contrário ao da orientação. então. x Substituindo o valor para (x.000 5 K 3 2 3 x2 Como a constante da proporcionalidade não muda. Já o móvel B percorre 8 metros a cada 4 segundos. ou 3 m/s.000 _____ 5 _____ ] x2 5 ___________ ] 2 2 2 3 2. temos que: y 5 k 3 __. como sabemos que para essa 2 2 função o produto x 3 y é sempre 800. s = 42 m 4 a) Considerando que o movimento da bicicleta é para a esquerda. a partir desse instante. as equações horárias foram: sA 5 0 1 3t e sB 5 20 2 2t b) Substituindo t 5 2 s nas equações: sA 5 3 3 2 ] sA 5 6 m e sB 5 20 2 2 3 2 ] sB 5 16 m sA 0 6 20 0 32 t (min) 5 b F ∝ L 3 L 3 H2. temos: 800 Área 5 ____ 5 400 2 sA 21 x (m) Ss 5 sB 2 sA ] 21 2 6 5 15 ] Ss 5 15 m d) A distância inicial entre eles era de 20 m. Para esse observador.184 do Código Penal e Lei 9.000 2.610 de 19 de fevereiro de 1998. vemos que o móvel A percorre 12 metros a cada 4 segundos. Art. O enunciado pede o tempo necessário para: sA 2 sB 5 40 ] 3t 2 20 1 2t 5 40 ] 5t 5 60 ] t 5 12 s CAPÍTULO 2 1 a) O deslocamento do corpo nos primeiros 2 s é: Ss 5 s2 2 s0 5 65 2 (220) ] Ss 5 85 m b) O deslocamento do corpo nos primeiros 3 s é: Ss 5 s3 2 s0 5 42 2 (220) ] Ss 5 62 m c) A distância percorrida nos três primeiros segundos é de: t=0s s = – 20 m 0 t=1s s = 20 m t=3s t=2s s = 65 m 3 O observador dentro do elevador vê a bolinha se aproximando até o instante em que ela atinge a máxima altura em relação ao solo.

610 de 19 de fevereiro de 1998.4 2 2 ] ST 5 0. temos: Ss 240 vm 5 ___ ] 100 5 ____ ] St 5 2.5 m 2 1.b) Ainda considerando que o movimento da bicicleta seja para a esquerda: M 2 Considerando que o motorista complete a viagem à velocidade de 120 km/h. Como utilizará apenas 56 min.4 h ou ST 5 24 min 5 a) Substituindo t 5 4 s: s 5 16 2 42 ] s 5 16 2 16 ] s 5 0 m b) A posição do corpo no instante 6 s é: s 5 16 2 62 ] s 5 16 2 36 ] s 5 220 m Então. poderá descansar 54 min .5 1 0 2 7.5 s ] Ss1 5 _________ ] 2 (1. o deslocamento do corpo entre os instantes 4 s e 6 s foi de 20 m no sentido contrário ao da orientação.5 ] Ss 5 30 m ] Ss 30 vm 5 ___ ] vm 5 ___ ] vm 5 10 m/s 3 St CAPÍTULO 3 1 7 1h10min = — h 6 n 7 1h10min 5 __ h 6 Ss1 100 600 vm1 5 ___ ] vm1 5 ____ ] vm1 5 ____ m/s 7 7 St1 __ 6 Mantendo a velocidade nos próximos 80 km: Ss1 600 80 14 vm1 5 ___ ] ____ 5 ___ ] St2 5 ___ h ] 7 15 St1 St2 St2 5 56 min O motorista teria 110 min para percorrer o segundo trecho. ele deverá ficar parado por: ST 5 2.4 h St St Então.5 s até 2 s ] Ss2 5 0 2 h até 3 h (B 1 b) 3 h SsB 5 _________ ] Ss3 5 27.5 m 2 SsT 37. 5 c Distância percorrida em St: d1 5 1 3 1 ] d1 5 1 (em unidade arbitrária) Distância percorrida em St2 b3h 231 d2 5 ____ ] d2 5 ____ ] 2 2 d2 5 1 (em unidade arbitrária) d1 Então: __ 5 1 d2 19 .5 1 1) 3 20 Ss1 5 ___________ Ss1 5 37. temos: Ss 240 vm 5 ___ ] 120 5 ____ ] St 5 2 h St St Considerando que toda viagem fosse feita em 100 km/h. 6 a) sA 5 4 3 2 ] sA 5 8 m b) sB 5 3 3 1 ] c) Reprodução proibida. Art. sB 5 6 m 3 v (m/s) 15 10 A1 A3 A2 0 6 16 20 t (s) sB 6m dAB 5 0 2 dAB sA 8m Por Pitágoras: 5 62 1 82 ] 2 2 dAB 5 36 1 64 ] dAB 5 100 dAB 5 10 m SsT 5 A1 1 A2 1 A3 ] SsT 5 6 3 10 1 10 3 5 1 1 4 3 15 ] SsT 5 170 m 4 a Calculando o deslocamento do ciclista: n 7 a) sA 5 22 1 3t b) em t 5 3s c) no momento da ultrapassagem sA 5 sB ] t2 2 2 5 22 1 3t logo: t 5 3s n (B 1 b) 3 h 0 h até 1.184 do Código Penal e Lei 9.

no sentido contrário ao da orientação. 3 a) A posição inicial dos dois móveis é a mesma: 24 m.14 m/s 7s n d) A posição do móvel em t 5 6 s é: s 5 20 1 5t ] s 5 220 1 5 3 6 ] s 5 10 m Então: Ss 5 s 2 s ] Ss 10 2 (220) ] Ss 5 30 m 2 Corpo A: sA 5 s0A 1 sAt ] Corpo B: sB 5 s0A 1 vBt ] sA 5 5t sB 5 28 1 5t Reprodução proibida. na posição 0 m.184 do Código Penal e Lei 9. no instante 4 s. Art. O móvel P percorre 18 m a cada 6 s. ou seja. portanto aos 4 s a velocidade do corpo é: v 5 5 m/s b) Substituindo t 5 4 s na equação horária: s 5 20 1 5 3 t ] s 5 220 1 5 3 4 ] 20 . 3 m/s. ou seja. então. temos: 20 1 60t ] t 1 1 h. as equações horárias são: s1 5 20 1 60t e s2 5 80t Igualando.610 de 19 de fevereiro de 1998. 22 m/s. o corpo estava na posição 220 m e. este já ocupa a posição: Ss Ss v 5 ___ ] 60 5 ___ ] Ss 5 20 km 20 St ___ 60 Então.8 m/s vf 2 12 Sv b) a 5 ___ ] _______ ] 12 5 vf 2 12 ] 15 St vf 5 24 m/s c) 24 20 12 A 0 10 15 t (s) v (m/s) c) sP 2 sM 5 60 ] 24 1 3t 2 (24 2 2t) 5 60 ] 5t 5 60 ] t 5 12 s (B 1 b) 3 h N Ss 5 A ] Ss 5 _________ ] 2 (24 1 12) 3 15 Ss 5 ____________ ] Ss 5 270 m 2 4 e Quando o segundo automóvel parte em busca do primeiro. Já o móvel M percorre 12 metros a cada 6 s. o tempo total é: t 5 60 1 20 ] t 5 80 min s50 CAPÍTULO 4 1 a) A velocidade é constante.6 c vm 5 72 km/h ] vm 5 20 m/s Ss Ss vm 5 ___ ] 20 5 ___ ] Ss 5 80 m 4 St c) No instante inicial. então: Ss 5 0 2(220) ] Ss 5 20 m 7 c 1o trajeto: Ss1 s s vm1 5 ___ ] 15 5 _ ] t1 5 ___ t 15 St1 o n 2 trajeto: Ss2 s 2 vm2 5 ___ ] 20 5 __ ] t2 5 ___ t2 20 St2 o n 3 trajeto: Ss3 s vm3 5 ___ ] vm3 5 ______ ] t1 1 t2 St3 ______ 2 235 23s vm3 5 ________ ] vm3 5 _______ ] s s 45 1 35 ___ 1 ___ _______ 15 20 60 120 s vm3 5 _____ ] vm3 5 17. Então: sP 5 24 1 3t e sm 5 24 2 2t b) A posição do móvel P aos 2 s é: sP 5 24 1 3 3 2 ] sP 5 30 m A posição do móvel M aos 2 s é: sM 5 24 2 2 3 2 ] sM 5 20 m Ss 5 sP 5 sm ] S 5 30 2 20 ] Ss 5 10 m 8 a) a 5 ___ ] Sv St 20 2 12 8 _______ ] a 5 ___ ] 10 10 a 5 0.

5 2 (25. temos: sA 5 6 3 20 5 120 m Exercícios de integração 1 c Início va v0 Fim va v0 @ 200 2 50 # ] t 3 100 H 5 ____ __________ tparado parado 50 1 ______ 5 __ ] 3 3 100 6 tparado 5 10 min Em 40 minutos. a distância entre os pontos é a diferença entre as posições dos automóveis: D 5 7.4 km 8 a) A: sA 5 6t (SI) Sonar d B: sB 5 300 2 9t (SI) b) sA 5 sB 6t 5 300 2 9t ] 15t 5 300 ] t 5 20 s Substituindo em uma das funções horárias.9 km Portanto.900 m 5 25.9) 5 13. o tempo em que o automóvel ficou parado é dado por: 2 Paulo: SsP 8 V P 5 ___ ] 15 5 ___ ] m StP StP 8 StP 5 ___ StP 5 32 min 15 Ônibus: O ônibus chegará à escola assim que percorrer 10 km. Art. pois nesse instante ambas terão o mesmo valor. percorridos e 0.600 5 ____ ] ____ 5 d ] 0. a distância do 2o automóvel em relação ao ponto X é: t2 5 5 min 2 5 s 5 300 s 2 5 s 5 295 s s2 5 220t ] s1 5 220 3 (295) ] s1 5 25. o espaço percorrido pelo ônibus foi: Ss0 2 v0 5 ___ ] Ss0 5 75 3 __ ] Ss0 5 50 km 3 St Em 40 minutos.5 2 St d 5 400 m v = 275 m/s 21.5 km Após (5 min 2 5 s). o espaço percorrido pelo carro seria de: Ssc 200 2 Dc 5 ___ ] Ssc 5 100 3 __ ] Ss0 5 ____ km 3 3 St Então. a distância do 1o automóvel em relação ao ponto X é: s1 5 25t ] s1 5 25 3 (5 3 60) ] s1 5 7.500 m 5 7. 6 c A distância total percorrida pelo sinal é de 2 3 d.610 de 19 de fevereiro de 1998.6 m 7 v1 5 90 km/h 5 25 m/s e D O intervalo de tempo decorrido entre o disparo do projétil e o impacto é: 21.8 St d 5 495 m Reprodução proibida.) Após 5 min.5 s.8 s St St Então: Ss d d vP 5 ___ ] vP 5 ___ ] 275 5 ___ ] 1.8 1. então: v2 5 272 km/h 5 220 m/s (pois um automóvel está no sentido oposto ao do outro.184 do Código Penal e Lei 9.5 c v = 12 m/s cardume Ss 23d 800 vm 5 ___ ] 1. 21 .6 Ss vB 5 ___ ] 12 5 ____ ] St 5 1.

Art. vemos que o impulso elétrico demora (11 ms 2 7 ms). então: B 5 St 5 __ tA __ 6 __ 5 ] tB __ 4 5 tA 25 __ 5 ___ tB 24 7 e Observando o gráfico.184 do Código Penal e Lei 9. percebe-se que os veículos A e B possuem a mesma velocidade média. n b) Observando a figura. a posição sB e sN são iguais: 2 3 20 5 250 1 v 3 20 ] v 5 4. 0. 3 c Os móveis A e B atingem a mesma velocidade no instante 2 s. St0 5 30 min. 8 c Analisando o gráfico. Portanto. ou seja. Em t 5 20 s.25 m em 4 3 1023 s.2 Ss vm 5 ___ ] vm 5 _______ ] At 4 3 1023 ] vm 5 50 m/s # 3. Paulo chega 2 min após o ônibus na escola.8 h o móvel desenvolve velocidade constante de 72 km/h. então as equações horárias do bote e do “final” do navio são: sB 5 2t e sN 5 250 1 vt.A partir do gráfico podemos calcular a distância percorrida nos intervalos: Sv Sv 0 min 2 6 min ] v 5 ___ ] 30 5 !___. 0. a distância entre os dois móveis no intervalo 2 s é: SsT 5 45 2 30 ] SsT 5 15 m Automóvel B: 40 Ss 4 ___ vm 5 ___ ] 50 5 t ] tB 5 __ h. ou: 0. ou seja. 4 a) O impulso elétrico percorreu 0. porém o veículo A está à frente do veículo B.2 h e 0.610 de 19 de fevereiro de 1998. ou seja. vemos que entre os instantes 0. O deslocamento do corpo A no intervalo de 0 s até 2 s é: (B 1 b) 3 b (2 1 1) 3 30 SsA 5 _________ ] SsA 5 __________ ] 2 2 SsA 5 45 m O deslocamento do corpo B no intervalo de 0 s até 2 s é: b3h SsB 5 ____ ] SsB 5 30 m 2 Então. 1 St ___ 10 ] Sv 5 243 km n 6 min 2 10 min ] v 5 0 ] Ss2 5 0 km Ss3 Ss ___ ] 20 5 ___ ] n 10 min 2 16 min ] v 5 1 St ___ 10 Ss3 5 2 km n 16 min 2 20 min ] v 5 0 ] Ss4 5 0 km Ss5 Ss ___ ] 30 5 ___ ] n 20 min 2 30 min ] v 5 1 St __ 6 Ss5 5 5 km Nesse instante (30 min) o ônibus completa 10 km de percurso.6 5 c Ss 175 vm 5 ___ ] vm 5 ____ m/s 9 St v 5 70 km/h 6 b Automóvel A: Ss 20 1 ida p vm 5 ___ ] 60 5 ___ ] St1 5 __ h 5 3 St St1 __ h Ss 6 20 1 volta p vm 5 ___ ] 40 5 ___ ] St2 5 __ h 2 St St2 Reprodução proibida. está em movimento uniforme.25 v 5 ______ ] v 5 62.5 m ] 4 3 103 v 5 225 km/h 9 d O fim da ultrapassagem se dá quando o “final” do navio ultrapassa o barco.5 m/s 22 .25 m em 4 3 1023 s ] SsT 5 15 m. 4 ms.

184 do Código Penal e Lei 9.Gabarito Retomada dos conceitos CAPÍTULO 1 1 d 2 a) R 5 6.8 m/s b) vf 5 24 m/s c) Ss 5 270 m CAPÍTULO 4 1 a) v 5 5 m/s b) Ss 5 10 m c) s 5 0 m d) Ss 5 30 m 23 .00 m 5 16 meses 80 km 80 km por hora D 5 40 1 80t 40 km t 5 52 min30 s J 5 20 1 2. o movimento da bolinha será sempre retilíneo. CAPÍTULO 3 1 St 5 54 min 2 St 5 24 min 3 v (m/s) 15 10 5 A2 0 6 16 20 t (s) A1 A3 (500. Art.000 2 250 m b) c) 3 a) b) c) d) e) 4 a) b) c) d) R 5 R$ 4.500. a partir desse instante.610 de 19 de fevereiro de 1998. 7) 7 0 100 500 x (m) 5 b 6 d CAPÍTULO 2 1 a) Ss 5 85 m b) Ss 5 62 m c) d 5 108 m SsT 5 A1 1 A2 1 A3 ] SsT 5 6 3 10 1 10 3 5 1 4 3 15 ] SsT 5 170 m 2 a) sA 5 0 1 3t e sB 5 20 2 2t b) Ss 5 10 m c) Ss 5 15 m d) t 512 s 3 O observador dentro do elevador vê a bolinha se aproximando até o instante em que ela atinge a máxima altura em relação ao solo.5t J 5 45 wC t 5 32 min t (0C) 21 (100. 21) b) M 5 a) s 5 0 b) 6 a) b) c) s 5 220 m sA 5 8 m sB 5 6 m dAB 5 10 m Reprodução proibida. o observador vê a bolinha se afastando (caindo) até retornar ao solo. Para o observador no elevador. 4 a) 4 5 6 7 8 a c c c a) a 5 0.

4 km a) A: sA 5 6t (SI) (SI) B: sB 5 300 2 9t b) sA 5 6 3 20 5 120 m Exercícios de integração 1 2 3 4 c Paulo chegará 2 min após o ônibus na escola. Art.2 Corpo A: sA 5 5t Corpo B: sB 5 28 1 5t 3 a) sP 5 24 1 3t e sm 5 24 2 2t b) Ss 5 10 m c) t 5 12 s 4 e 5 6 7 8 c c D 5 7.5 2 (25.9) 5 13. 24 49507702 .184 do Código Penal e Lei 9. c a) v 5 225 km/h b) vm 5 50 m/s 5 6 7 8 9 c b e c d Reprodução proibida.610 de 19 de fevereiro de 1998.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful