Você está na página 1de 1

De acordo com LEONHARDT [1983], em ensaios de vigas com protenso com aderncia e se m aderncia, a viga com aderncia sofreu

menores deslocamentos para grandes cargas d e ruptura (900 kN), enquanto, a viga protendida sem aderncia rompeu na zona compr imida sobre uma carga de 600kN (ver figura 2.3). Pode-se ver com isso que a falt a de aderncia provoca uma diminuio da carga limite em 30%. Logo, para o caso de pro tenso sem aderncia,(...) deve-se promover um acrscimo de armadura passiva que seja o suficiente para dar segurana estrutura, impedindo a progresso das fissuras, uma vez que no existe a parcela de deformao conjunta da armadura protendida com o concr eto. Em 1954, LEONHARDT realizou inmeros estudos sobre casos de protenso, bem como ensa ios para se verificar a otimizao do concreto protendido para o meio tcnico. Pode-se destacar os estudos sobre aderncia e aos para protenso, tipos de ancoragens e emen das para a armadura ativa,sistemas e equipamentos de protenso, avaliando tanto o estado limite de servio como o estado limite ltimo. Os estudos de LEONHARDT embora tenham maior nfase na protenso aderente de grande relevncia para o desenvolvimento da protenso.