P. 1
genetica popula+º+Áes

genetica popula+º+Áes

|Views: 209|Likes:
Publicado porgustavo5

More info:

Published by: gustavo5 on Jun 22, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/01/2013

pdf

text

original

1

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE AGRONOMIA – ÁREA DE FITOTECNIA MESTRADO EM MELHORAMENTO GENÉTICO DE PLANTAS DISCIPLINA: MÉTODOS DE MELHORAMENTO DE PLANTAS

GENÉTICA DE POPULAÇÕES EM ALÓGAMAS: Teoria e Aplicativos

José Rodolfo de Moraes Dâmaso Kessyana Pereira Leite

Recife – Maio de 2011

Recife – Maio de 2011 . como parte dos requisitos para obtenção de conceito para aprovação da disciplina.2 José Rodolfo de Moraes Dâmaso Kessyana Pereira Leite GENÉTICA DE POPULAÇÕES EM ALÓGAMAS: Teoria e Aplicativos Seminário apresentado ao Profº Gerson disciplina Quirino Bastos. da de Métodos Melhoramento Genético de Plantas.

3 Sumário Introdução Constituição Genética da População Equilíbrio de Hardy.Weinberg Mudanças nas Freqüências Alélicas e Genotípicas Considerações Finais Referências Bibliográficas Questionário Glossário 4 4 5 7 12 13 14 15 .

como segue: . seria necessário especificar seus genótipos e saber em que freqüência estariam representados (FALCONER. Freqüência genotípica de uma população GENÓTIPO Nº INDIVÍDUOS FREQUÊNCIA AA nAA D=nAA /N Aa aa TOTAL nAa naa N H=nAa/N R=naa/N 1 A partir das freqüências genotípicas. Dessa forma. 1987). fornecendo as bases necessárias para a compreensão do processo evolutivo das espécies. É de suma importância conhecer a estrutura genética da população. possibilitando a formação de descendentes em freqüência proporcional à constituição gamética de seus genitores. pode-se determinar as freqüências alélicas. n2 AA e n3 aa (tabela 1). CRUZ. Constituição Genética da População A estrutura de uma população é definida pela freqüência dos alelos que compõem os diferentes indivíduos integrantes da população.4 Introdução A genética de populações apresenta relevada importância para o melhoramento genético de plantas e de animais. 2005). Uma população é a reunião de indivíduos com diferentes genótipos com sistemas de acasalamento definido. uma vez que o estudo das propriedades genéticas tem como base o comportamento de uma amostra de indivíduos ou grupo de famílias. a genética de populações estuda os mecanismos de hereditariedade em nível populacional (RAMALHO. Para descrever a constituição genética de um grupo de indivíduos. define-se uma população de tamanho n como aquela constituída pelo agrupamento de n 1 indivíduos AA. Tabela 1. Para entendermos. 2001. vejamos o exemplo que segue: Considerando apenas o gene Aa.

mutação e seleção.30 f(a) = q = (2n3 + n2)/2n = R + ½H = 0.45 A partir desses valores. a cor dos bulbos pode ser branca. amarela ou creme. e são conhecidas como Lei do Equilíbrio de Hardy – Weinberg (FALCONER. sob acasalamento ao acaso.50 = 0. A dedução desta lei envolve três passou: 1) Dos pais à produção de gametas 2) da união dos gametas aos genótipos dos zigotos produzidos .0 Em uma população de plantas de cebola. 1987). Esta propriedade da população foram primeiramente demonstradas independentemente por Hardy e por Weinberg em 1908.50 R = 900/2000 = 0. de geração em geração.45 + ½ 0.05 + ½ 0. qual a frequencia genotípica e alélica dessa população? Freqüências genotípicas: D = 100/2000 = 0.50 = 0. Se forem considerados 2000 plantas. na ausência de migração.Weinberg Numa grande população. são obtidas as freqüências alélicas: f(A) = p = (2n1 + n2)/2n = D + ½H = 0. 1000 de bulbos creme (Aa) e 900 de bulbos amarelos (aa). sendo 100 de bulbos brancos (AA).70 Equilíbrio de Hardy. Sabe-se que essa herança é controlada por um gene com dois alelos apresentando dominância incompleta.05 H = 1000/2000 = 0. tanto as freqüências genotípicas quantos as freqüências alélicas são constantes.5 f(A) = p = (2n1 + n2)/2n = D + ½H f(a) = q = (2n3 + n2)/2n = R + ½H p + q = 1.

ocorrendo o mesmo para freqüência do alelo A 2. A proporção de cada cor de bulbo na . aqueles que apresentam o alelo A1 e aqueles que apresentam o alelo A2. são produzidos apenas dois tipos de gametas. será utilizado o exemplo da cor de bulbos de cebola. ou seja: a freqüência do alelo A 1=p1 é obtida como já foi apresentado.6 3) dos genótipos dos zigotos Considerando-se a geração dos pais com as seguintes freqüências alélicas e genotípicas: A1 A 2 p q A1 A 1 P A1A2 A2 A2 H Q Como se observa. O resultado do acasalamento ao acaso irá depender da união aleatória desses gametas produzindo a freqüência genotípica seguinte: A partir dessas freqüências genotípicas é possóvel estimar as novas freqüências alélicas. e evidentemente. Para exemplificar como isso ocorre na prática. isto é. a freqüência genotípica não será alterada. pela seguinte expressão: p1= D + ½H = p2 + ½ (2 pq) = p2 + pq = p (p + q) = p Ou seja: a nova freqüência alélica é igual a freqüência da geração anterior. q1 = q. Sendo assim. nas sucessivas gerações de acasalamento ao acaso a freqüência alélica devera ser a mesma.

Também podem ser dispersivos. • Processos Dispersivos São aqueles em que é possível conhecer apenas a magnitude da alteração da freqüência mas não a direção em que ela foi alterada.42 q = (o.7 geração seguinte ao se semear o mesmo número de sementes. Se o valor encontrado for não significativo.3) = 0. Considera-se como agente dispersivo a deriva genética. Mudanças nas Freqüências Alélicas e Genotípicas As propriedades genéticas da população são influenciadas por uma série de agentes que atuam no processo de transmissão de genes de uma geração para a próxima.7) = 0. a mutação e a seleção. a população considerada não estará em equilíbrio. utiliza-se o teste de X2. quando a alteração na freqüência é conhecida tanto em magnitude quanto em direção e são a migração.7) = 0. mas não a direção em que foi alterada. será a seguinte: GENÓTIPO AA Aa aa FREQUÊNCIA 2 2 p = (0. Como processo dispersivo é considerado a oscilação genética ou amostragem. colhidas de cada planta. .49 2 2 A partir desse plantio a proporção esperada será sempre a mesma.09 2pq = 2 (0. quando apenas a magnitude é conhecida.3 x 0. Se por qualquer razão o tamanho da população é muito reduzido. Estes agentes podem ser sistemáticos. dificilmente todos os alelos estarão representados na freqüência existente na geração anterior. Os gametas que dão origem a geração seguinte são considerados uma amostra de todos os gametas da população. Com a finalidade de testar se uma população se encontra em equilíbrio.

propiciando o cruzamento entre os indivíduos das duas populações. ou aumentar a freqüência de acasalamentos de indivíduos aparentados (autofecundação). Na autofecundação as freqüências alélicas não mudam. e q0 entre os nativos. ocorre. apenas as genotípicas. de nativos. O efeito nas propriedades genéticas depende da diferença nas freqüências alélicas da população original e de indivíduos migrantes e da proporção de indivíduos que migram (RAMALHO. • Migração A migração pode ser definida como a transferência de indivíduos de uma população para outra.8 A utilização de populações pequenas pode promover a fixação ou eliminação de determinados alelos. A freqüência do genótipo heterozigoto é reduzida a metade a cada autofecundação. Seja a freqüência de certo gene qm entre imigrantes. será: q1 = mqm + (1 – m)q0 = m(qm – q0) + q0 . por exemplo. 2001). A freqüência de um genótipo homozigoto dominante será a mesma do homozigoto recessivo e será determinada pela fórmula: 2 t-1 [(2t – 1 ) qo + q2] = 2t -1 +qo/ 2t qo A freqüência do heterozigoto é (½) t-1 po qo . que ocorre ao acaso. Em plantas. quando se misturam sementes de duas ou mais cultivares e estas são cruzadas entre si.m. Supõe-se que uma grande população consiste numa proporção m de novos imigrantes em cada geração e o restante 1 . então a freqüência do gene. na população constituída dos imigrantes e nativos.

em caso em que ocorre mutação. Os indivíduos que diferem em viabilidade e fertilidade contribuem com números diferentes de descendentes para a próxima geração. . Dessa forma. Ainda assim. Essa contribuição proporcional de descendentes é chamada de valor adaptativo. • Mutação A mutação é o fenômeno genético que gera novos alelos na população. 1987). esta só poderá ser observada em longo prazo. 1987). e se estas diferenças em adaptação estiverem associadas a presença ou ausência de uma determinado gene. a taxa de mudança da frequencia alélica em uma população sujeita a migração depende da taxa de migração e da diferença. a seleção irá atuar sobre ele (FALCONER. entre população de indivíduos migrantes e população original (FALCONER.9 A mudança na freqüência alélica da população devido a migração é: Dq = q1 . De ocorrência relativamente rara. Quando a seleção atua sobre um gene. na freqüência alélica. a sua freqüência entre os descendentes não será a mesma que a encontrada entre os pais. e nem sempre é condição obrigatória para que a população passe a não estar em equilíbrio (CRUZ. 2005). a seleção altera a freqüência alélica e conseqüentemente a genotípica.q0) Dessa forma. sua importância em termos de alteração nas propriedades genéticas de uma população só ocorre se o evento mutacional ocorrer com regularidade e com uma dada freqüência. • Seleção A seleção pode ser definida como a eliminação de determinados genótipos da população.q0 = m(qm .

No exemplo que segue. uma vez que a presença de alelo recessivo ou indivíduos homozigotos recessivos. para aprimorar o entendimento será considerado apenas a ocorrência de dominância completa. Dessa forma. bem como um único coeficiente de seleção. utiliza-se os dados da tabela acima.4. são indesejáveis e portanto serão eliminados.4 = 0. ao se eliminar todas as plantas braquiticas (br2) a nova freqüência será: q1 = q/1+q = 0. Considerando em uma população o caráter tamanho da planta. pois está encoberto no heterozigoto. Como há seleção ocorrem mudanças nas freqüências alélicas. e para estimar as novas freqüências. Mas a medida que as gerações avançam sua freqüência tende a diminuir. caso se eliminem todos os indivíduos portadores do fenótipo braquítico. p1 e q1. condicionada pelos alelos Br2 (planta normal) e br2 (planta braquítica). as freqüências passarão a ser a seguinte: FG GENÓTIPO antes da seleção depois da seleção Br2Br2 Br2br2 br2br2 totais p 2pq q 1 2 2 FA p1 = p² + pq / p²+ 2pq = 1/ 1+q q1 = pq / p² + 2pq = q / 1+ q p 2pq 0 p² + 2pq 2 Como podemos perceber o alelo br2 não é eliminado completamente da população. as freqüências alélicas e genotípicas serão alteradas.10 O efeito considerado pela seleção está relacionado com dois fatores: os tipos de interação envolvidas e o coeficiente de seleção.4 / 1 + 0. . Considerando que uma população de milho tenha freqüência do alelo Br2 igual a 0.2857 O número de ciclos de seleção necessários para eliminação do alelo recessivo pode ser determinado a partir da expressão: onde t é o número de gerações de seleção.6 e br2 igual a 0.

q (freqüência anterior) qt é igual a q1 e qt – q é igual a q0. que em termos percentuais corresponde a 28.q02 / 1 + q0 Ao substituir os valores encontrados na fórmula descrita anteriormente.11 Isolando o t nesta equação tem-se: t= 1/ qt + 1/ qo Considerando. A diferença entre as duas freqüências (a nova e a anterior) determina a mudança na freqüência alélica.095.55% de redução. A seleção de genótipos que possibilitem o aumento das freqüências dos alelos favoráveis na população é o fundamento do melhoramento de plantas. temos: Δq = (q0 / 1 + q0) – q0 = . Portanto: Δq = q1 – q0 Como q1 = q0 / 1 + q0. por exemplo. sendo expressa por: Δq = qt(freqüência nova) – qt . o número de gerações para alcançar esse valor será de 8 ciclos seletivos. Este percentual está relacionado com o ganho de seleção.114. a alteração no primeiro ciclo seletivo foi de – 0. • Considerações Finais . que se deseja obter freqüência do alelo br1 na população igual a 0.

não é apenas um grupo de indivíduos. refere-se não so a constituição genética dos indivíduos. mas indivíduos que acasalam e a genética de populações. mas a transmissão de genes de uma geração para outra. Desta forma conhecê-las é importante para determinar as etapas para obter uma população melhorada. Através das freqüências alélicas pode-se determinar quantos gerações são necessárias para atingir uma freqüência desejada. As propriedades de uma população são determinadas pelas freqüências alélicas e genotípicas. Referências Bibliográficas . Este conhecimento é de suma importância para conduzir um programa de melhoramento e aumentar a freqüência de um alelo desejado.12 Uma população. no sentido genético.

Rio de Janeiro – RJ. Univ. FALCONER. Genética.. E.. São Paulo. C. Globo. Viçosa: 2005.. S. 1987.. Princípios de Genética Quantitativa. D. Ed.D. 1977. 1996353p. UFV. Introdução a genética quantitativa. .503p. RAMALHO.13 CRUZ. UFV. Impr.. 279p. M. Viçosa. Genética na agropecuária. 394p GARDENER. J. Interamericana..

Caso proceda a eliminação de todos os susceptíveis. durante 5 gerações.14 • Questionário 1. qual deverá ser a freqüência da planta resistente? . verificou-se que 49% das plantas apresentavam susceptibilidade em relação a uma nova doença. Calcular para cada população a) Frequências alélicas e genotípicas. Verificou-se ainda que tal susceptibilidade era devido a um alelo recessivo. Considerando que em uma população de 4000 animais fossem misturados 1000 animais de uma população contendo apenas indivíduos com pelagem branca (br2). Uma população em equilíbrio (pelagem vermelha e branca) com a freqüência dos alelos Br2 e br2 de 0.4 (respectivamente).6 e 0. qual a freqüência alélica nesta nova população? 2 Considere duas populações diplóides e uma característica determinada por 1 gene autossômico com dois alelos. Numa determinada população em equilíbrio de Hardy-Weinberg. 3. b) Suponha que cada população se acasale ao acaso e estime as frequências alélicas e genotípicas na próxima geração.

Freqüência genotípica: proporção em que aparecem na população os genótipos com relação a determinado locus. através de informações codificadas (código genético) que são transmitidas à descendência. G Genes: unidade física e funcional da hereditariedade que codifica uma proteína funcional ou molécula de RNA. Genética de populações: estudo quantitativo e mensurável de populações mediante metodologia e critérios estatísticos. numa grande população. com acasalamentos ao acaso e na ausência de seleção. tem-se: 1AA: 2Aa: 1aa. plasmídio ou molécula de DNA que contém regiões que precedem e seguem a região codificadora. . Genótipo: é a constituição genética. P População: grupo de indivíduos que compartilham de um mesmo grupo de genes. segmento cromossômico. No locus A. Contrasta com fenótipo. O conceito de evolução está intimamente ligado à ocorrência de mudanças nas freqüências gênicas das populações. tanto as freqüências gênicas como as genotípicas se mantêm constantes. mutação ou migração. Alelos: forma alternativa do gene. H Herança genética: é processo pelo qual um organismo ou célula adquire ou torna-se predisposto a adquirir características semelhantes à do organismo ou célula que o gerou. expressa e latente de um organismo. Expressa a quantidade de diversificação orgânica que ocorre na biosfera e é idealmente medida pelo fenômeno de especiação.15 • A Glossário Acasalamento ao acaso: tipo de acasalamento em que todos os indivíduos de uma população possuem a mesma chance de polinizar e de serem polinizados. Evolução: processo de diversificação genética e morfológica de organismos na natureza. Indivíduos do mesmo genótipo produzirão a mesma descendência. F Frequencias alélicas: é a frequência relativa de um alelo de um locus numa população. E Equilíbrio de Hardy-Weinberg: condição em que.

Tem a finalidade de proteger. em caráter permanente. 3) seleção disruptiva. favorecimento de determinados indivíduos em relação a outros.16 R Reserva genética: unidade dinâmica de conservação da variabilidade genética de populações de determinadas espécies para uso presente e potencial. A seleção natural atua sobre o fenótipo de maneira discriminativa. Ver apomixia. propagação vegetativa. dentre outras. Seleção natural: seleção (pressão seletiva) exercida pelo conjunto de fatores ambientais bióticos e abióticos sobre o indivíduo. as espécies ou comunidades ameaçadas de extinção. 2) seleção direcional. Há três tipos principais de seleção natural: 1) seleção estabilizadora. dispor de material genético para pesquisa e determinar a necessidade de manejo das espécies-alvo. S Seleção: discriminação entre indivíduos quanto ao número de descendentes que são preservados para a geração seguinte. .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->