Você está na página 1de 2

Israfel

"E o anjo Israfel, em quem as fibras do


coração formam um alaúde e que tem a
mais doce voz de todas as criaturas de
Deus." (Alcorão)

O poema Israfel de Edgar Allan Poe foi escrito enquanto Poe esteve em West Point e foi
publicado pela primeira vez em 1831 em “Poems by Edgar A. Poe”. Numa introdução à Israfel, Poe
diz que Israfel está descrito no Alcorão como um anjo que tem um alaúde por coração tem “a voz
mais suave de todas as criaturas de Deus”. Sua música acalma as estrelas, diz o poema, enquanto
o poema esta limitado em sua própria “música”.
Existem quatro anjos de uma hierarquia superior que se reportam diretamente a Alá.
Lúcifer era o líder de todos os anjos, apesar de ele não ser um anjo, mas perdeu sua posição
durante a Criação por ter recusado a ordem de Deus de aceitar Adão (e o Homem) como um ser
superior. Cada um dos quatro arcanjos teria uma tarefa específica:
• Jibril ou Jabra'il (Gabriel), o revelador, intermediário entre Deus e os profetas e
constante auxiliador de Maomé;
• Mikal ou Mika'il (Miguel), o provedor, citado apenas uma vez no Corão (2:98) e quem,
segundo a tradição, ficou tão horrorizado com a visão do inferno quando este foi criado
que jamais pôde falar de novo;
• Izrail ou Israel (Azrael), o anjo da morte, uma criatura espantosa de dimensões
cósmicas, quatro mil asas e um corpo formado de tantos olhos e línguas quantas são
as pessoas da Terra, que se posta com um pé no sétimo céu e outro no limite entre o
paraíso e o inferno;
• Israfil ou Israfel (Rafael), o anjo do julgamento, aquele que tocará a trombeta no Juízo
Final;

Na tradição islâmica Israfel é dito ter sido enviado, juntamente com estes outros três
Arcanjos islâmicos para recolher o pó dos quatro cantos da terra, embora só Israel conseguisse
completar esta missão. Foi a partir desta poeira que Adão foi formado.
"Israfel" aparece no Alcorão, no que se refere a um anjo com um trompete que tem uma
importância significativa: "E a trombeta será soada, então, todos aqueles que estão nos céus e
todos os que se encontram na terra deverão desfalecer, exceto Deus”. Israfel detém o seu santo
trompete nos lábios século após século, aguardando o sinal de Deus para o som do juízo final.
Neste momento ele vai descer a Terra e repousar sobre a santa rocha em Jerusalém. O primeiro
golpe do seu trompete irá despedaçar o mundo, e o segundo golpe irá despertar os mortos e pedir-
lhes a sentença. Israfel tem sido associada a uma série de outros nomes angelicais, incluindo Uriel,
Sarafiel e Rafael. Certas fontes indicam que, criada no início do tempo, Israfel possui quatro asas,
e é tão alto quanto um ser capaz de chegar a partir da Terra para os pilares do céu. Um lindo anjo
que é um mestre de música, Israfel canta louvores a Deus em um milhar de diferentes línguas, o
sopro que é utilizado para injetar vida em exércitos de anjos.

As Pleiades são estão associadas à mitologia grega. São sete irmãs filhas de Atlas e
Pleione: Electra, Celeno, Taigete, Maia, Mérope, Asterope e Dríope. Cansadas de serem
perseguidas pelo caçador Órion, pediram a Zeus que as transformasse em uma constelação. As
sete irmãs juntas formam a constelação de Touro. Elas possuem uma importante energia eletrônica
que tem uma grande influência no nosso sistema solar. Elas já foram também citadas na Bíblia e
em outras importantes escrituras antigas: "Falando Deus a Jó, disse-lhe: 'Poderás tu impedir as
delícias das Plêiades ou desatar os ligamentos de Órion?' ... 'Soubeste tu as ordens do céu?'"
(Livro de Jó cap. 38; 31)
As Sagradas Escrituras são muito claras ao se referir às "Delícias das Plêiades". Sabemos
que a energia eletrônica de Alcione (o Sol Central das Plêiades) trará a todos os seres humanos
uma luz de pureza, tanto interior quanto exterior. Estas são as delícias maiores que podemos ter.
Alcione é, precisamente, o Sol principal das Plêiades e ao seu redor gravitam 7 sóis, sendo o
nosso sol o sétimo girando ao redor de Alcione.

O alaúde é um instrumento musical da família dos cordofones


muito utilizado na Idade Média. Este instrumento é de corda palhetada
ou dedilhada, com braço trastejado e com a sua característica caixa em
forma de meia pêra ou gota. A origem das palavras alaúde e oud
possivelmente remontam da palavra árabe al'ud, "a madeira"; alguns
investigadores sugerem também que seja uma implificação da palavra
persa rud, que significa corda, instrumento de cordas ou alaúde.

Na antiga mitologia persa, região do oriente médio onde o Islamismo foi criado, Peri era
considerada uma mulher bonita, porém má na mitologia mais antiga, tornou-se gradualmente
menos má e mais bonita até transformar-se em um símbolo de beleza no período islâmico similar
aos houri — espécie de anjos — do Paraíso.

Você também pode gostar