P. 1
VÍNCULOS E GRUPOS OPERATIVOS, SEGUNDO BION

VÍNCULOS E GRUPOS OPERATIVOS, SEGUNDO BION

|Views: 182|Likes:
Publicado porCelia Gevartoski

More info:

Published by: Celia Gevartoski on Jun 25, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as TXT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/14/2011

pdf

text

original

VÍNCULOS E GRUPOS OPERATIVOS, SEGUNDO BION Introdução: Os Pressupostos mais importantes para uma Psicanálise menos selvagem, deix

ados por Bion, foram os Vínculos e os Grupos Operativos, a meu ver. Graças a eles qu e o Psicanalista pode ser mais humano, verdadeiro e conseqüentemente, obter melhor es resultados. Embora, controvérsias existam. Objetivos: Sermos nós mesmos é o que dignifica o nosso trabalho psicanalítico? Sim, a meu ver, nos dá a oportunidade de crescermos constantemente, transformarmos, modif icarmos, ocasionando mudanças e transformações aos que nos procuram. Material e Métodos: Pesquisando, estudando as Obras de Bion e comparando-a com out ros pensadores, como Freud, M. Klein, Winnicott, Lacan, Eric Erickson, etc.; com parando tudo isso, com a escuta dos pacientes durante mais de seis anos de clínica , utilizando de um método bem contemporâneo. Resultados: As respostas que encontrei são de que, sem o Vínculo, sem trabalharmos c om Grupos Operativos, sem sermos Verdadeiros e antes de qualquer coisa, nos perm itir ser trabalhados, analisados; não podemos dizer-nos Psicanalistas, Cuidadores. Sermos contingentes para com o nosso paciente, fazendo-lhe a contenção necessária e l hes proporcionando a oportunidade de crescer, de reentender as suas fantasias de criança. Tornando-se um adulto mais sadio, mais feliz! Conclusão: Estas respostas significam, que nós seres humanos, não precisamos ter medo de ser feliz, não precisamos viver no imaginário, com ganhos secundários inconscientes e muito menos, sermos escravos do nosso próprio superego, nosso herdeiro do Compl exo de Édipo. Não precisamos ser vítimas de nós mesmos, nos autodestruirmos, autoflagela rmos ou, sermos onipotentes, narcísicos, donos da verdade. Somos humanos, munidos de inteligência emocional, conseqüentemente, podemos aprender a cada instante, trocar, somar, transformar, modificar... Nesta vida, com cada pessoa que conhecemos, convivemos, trabalhamos, cuidamos ou somos cuidados, nunc a nós vamos sem deixar algum aprendizado ou levarmos conosco algo, deste outro ser humano com quem tivemos a oportunidade de conviver. É através dos Vínculos que desenv olvemos nosso crescimento, a nossa transformação e modificações, em nossas vidas... Celia Gevartoski

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->