P. 1
Síndrome do Imobilismo

Síndrome do Imobilismo

|Views: 3.890|Likes:
Publicado poregenilde

More info:

Published by: egenilde on Jun 28, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/25/2013

pdf

text

original

Faculdade Maurício de Nassau Graduação em Fisioterapia Prática Supervisionada II Hospital ALFA

Acd.: Izabelle Bitencourt Oliveira Lima Acd.: Rebeka Ferreira de Moares Recife, 2010.

É um conjunto de alterações que ocorrem no indivíduo acamado por um período prolongado.

VOIJVODIC; 2004.

Antigamente era parte do tratamento o paciente permanecer em repouso.

A partir da segunda metade do século XX, principalmente com as implementações que ocorreram devido a II grande guerra, houve um avanço significativo na idéia de mobilização precoce dos pacientes acamados.

KNOBEL; 1998.

De 7 a 10 dias Um período de repouso. De12 a15 dias É considerada imobilização. A partir de 15 dias É considerado decúbito de longa duração. . 2004. VOIJVODIC.

.` Prevalência significativa nas faixas etárias mais altas. 25 a 50% dos idosos perdem sua independência física. 2001. por comprometimento da mobilidade em variados graus. YENG.

   YENG. Diversas patologias. Alterações fisiológicas do envelhecimento. Condições neurológicas e musculoesqueléticas. . Multifatorial. 2001.

. 2006.GUAYTON.

.1999. KNOBEL.Úlceras de pressão.-Alteração da consistência do subcutâneo e da derme.Perda do turgor do subcutâneo. REGENGA. . AMATUZZI.1998. . 2004 .Edema. VOIJVODIC.2004. .Atrofia de pele + Déficit sensitivo.

C. 1996.Sistema Tegumentar ± Quadro clínico Úlceras de pressão DEALEY. .

1996.Úlceras de pressão Grau I => Epiderme DEALEY.C. .

Sistema Tegumentar ± Quadro clínico Úlceras de pressão Grau II => Derme e subcutâneo DEALEY. 1996. .C.

Sistema Tegumentar ± Quadro clínico Úlceras de pressão Grau III => Fáscia muscular DEALEY. . 1996.C.

Sistema Tegumentar ± Quadro clínico Úlceras de pressão Grau IV => Exposição óssea e articular DEALEY. . 1996.C.

AMATUZZI. .1998. .Osteoporose.Fibrose capsular. VOIJVODIC. KNOBEL. . .da ADM.2004. .1999.Diminuição de massa óssea.Espessamento da Sinóvia. .Desorganização das inserções de ligamentos.Contratura Articular.Proliferação de tecido fibrogorduroso. 2004 . .Aumento da excreção de cálcio.. .Atrofia de cartilagens. REGENGA. .

.da capacidade oxidativa. AMATUZZI. . REGENGA.Atrofias musculares.Hipotonia muscular.de Resistência muscular.1999. . .Contraturas miogênicas.Síndrome dolorosa miofascial.Má coordenação dos movimentos. .2004.1998. VOIJVODIC.de Força muscular ( N de Sarcômeros). 2004 . . .. KNOBEL.

do rendimento cardíaco. . .. .1999.Fcrepouso. AMATUZZI. . . KNOBEL. VOIJVODIC. .do tônus simpático.Hipotensão postural. . .da densidade sanguínea ( volume plasmático).Embolia Pulmonar.da estase de sangue na periferia.TVP. REGENGA. 2004 .1998.de O2 na periférica Isquêmia.da perfusão cerebral .Formação de trombos.da pressão arterial. .2004. .

1998. Volume Alveolar. Volume residual.1999.- da CRF. da incursão diafragmática. VOIJVODIC. KNOBEL. 2004 . VEF. da área de troca. Volume corrente. CPT. da PaO2. Volume minuto. REGENGA.2004. AMATUZZI.

KNOBEL.Fraqueza dos mm.da produção de secreção traqueobrônquica. . .Sistema Respiratório ± Quadro clínico .2004. 2004 .Atelectasias. AMATUZZI.1998.Shunt arteriovenoso. Respiratórios.Tosse ineficaz.1999. VOIJVODIC. . . . .ITR.da FR WOB. REGENGA.

AMATUZZI.1999.da pressão intra ± abdominal.Enfraquecimento dos mm. Abdominais. . .2004. Do assoalho pélvico. .1998.Negativação do balanço hídrico.Litíase. VOIJVODIC. 2004 . .ITU. . KNOBEL. . adutores de quadril e glúteos. REGENGA.Relaxamento incompleto dos mm..Comprometimento do esvaziamento da bexiga.

da absorção de nutrientes. Fecaloma.. REGENGA.1998. VOIJVODIC. .Falta de apetite.Constipação Perda de volume plasmático + Desidratação + Aumento da atividade adrenérgica. 2004 . . AMATUZZI.da Peristalse.2004.1999. KNOBEL. .

Resposta diminuída à insulina.1998. . * do hormômio cortisol. sódio e potássio. . fósforo.. * do hormômio renina . VOIJVODIC. cálcio. * da aldosterona plasmática. AMATUZZI. KNOBEL.Aterações hormonais: * de hormômios paratireoideanos. REGENGA.1999.2004. enxofre. 2004 .Negativação do balanço de nitrogênio.

VOIJVODIC.ciático e n. AMATUZZI. .1999. n.2004.da estimulação sensório ± motora. mediano. fibular. REGENGA. 2004 . radial.Déficit cognitivo. . KNOBEL.da coordenação motora.Neuropatias por compressão: n. . n.Alterações Psiquícas Depressão. ulnar.1998. .do equilíbrio.. n. .

´ VOIJVODIC.Critérios para o diagnóstico específico Critério maior: . Critério menor: . ³Define-se um paciente com SI.Múltiplas contraturas. . 2004. .Afasia.Dupla incontinência.Sinais de sofrimento cutâneo ou úlcera de decúbito. quando ele tem as características do critério maior e pelo menos duas do critério menor.Déficit cognitivo médio a grave. .Disfagia leve a grave. . .

2001. traumáticas. neuroimunológico. amiotrofias e distrofias cutâneas em decorrência de posturas antálgicas ou de deformidades causadas pela afecções constitucionais. musculares ou neuropáticas centrais e periféricas são comuns nos doentes com dor. neoplásicas.³O comprometimento da destreza e dos engramas de movimentos. . artropáticas. imunoalérgicas. especialmente músculo-esqueléticas e dos tecidos de sustentação e envoltórios representados por retrações tendíneas. neurovegetativo e suas repercussões. ósseas. da sensibilidade. fixações articulares.´ Yeng. do comportamento psíquico.

diversas patologias associadas ao longo decúbito.Hoje. KNOBEL. sabemos que um dos papéis mais importantes do fisioterapeuta na unidade hospitalar é o da retirada precoce do paciente do leito evitando. 1998. assim. .

.

.

.

.

.

. A vida já é muito dura e os problemas sempre passam.Ria mais... Por isso não se leve tão a sério! . Mas principalmente ria de você mesmo....

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->