P. 1
PROCEDIMENTOS BÁSICOS DE HIGIENIZAÇÃO NA INDÚSTRIA DE ALIMENTOS

PROCEDIMENTOS BÁSICOS DE HIGIENIZAÇÃO NA INDÚSTRIA DE ALIMENTOS

|Views: 713|Likes:
Publicado porEvandro Ferreira

More info:

Published by: Evandro Ferreira on Jun 28, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/13/2013

pdf

text

original

PROCEDIMENTOS BÁSICOS DE HIGIENIZAÇÃO NAS INDÚSTRIAS DE ALIMENTOS

1

pessoa para alimento e pessoa para o ambiente. ela é causada e é sempre causada por alguém que não tem bons hábitos de higiene. Os microorganismos que levam a intoxicação alimentar estão presentes em todas as pessoas. CORTES. A INIBIÇÃO da multiplicação das bactérias prejudiciais a saúde elevar á um limite seguro. e pessoa para o equipamento. por meio do cozimento adequado ou de outros processos. Depois que você pentear os cabelos. HIGIENIZAÇÃO PESSOAL Em qualquer caso de intoxicação alimentar existe sempre uma causa humana. Os machucados deverão ser cobertos com uma bandagem de cor viva e a prova dágua. Uma vez as mãos contaminadas passa a contaminação de pessoa para pessoa. de todas e quaisquer bactérias prejudiciais à saúde. nos alimentos. em um momento ou outro independente do cuidado que elas dediquem a sua higiene pessoal. As áreas de higiene pessoal em que você deve ter maior cuidado são as seguintes: MÃOS E PELE. Antes de usar equipamentos ou manipular qualquer tipo de produto alimentício. Se você trabalha na industria alimentícia. Depois de usar o banheiro. é essencial que você siga uma rotina rigorosa de higiene pessoal para que possa completar os bons hábitos de higiene. Entre a manipulação de alimentos crus e cozidos. É uma das maiores fontes de contaminação. Como individuo que trabalha em processamento de produto alimentício. em especial quando: Antes de entrar na área de manipulação de alimentos. que mantenha a qualidade do produto para o consumo. Se uma coisa tem a aparência limpa então elas acham que também deve ser higiênica. Depois de manipular lixo ou resto de alimentos. A intoxicação alimentar não acontece por acaso. A PROTEÇÃO dos alimentos contra a contaminação diversa. Manter sempre as unhas curtas e sem esmalte. Suas mãos devem ser lavadas com um sabão bactericida sendo as unhas esfregadas com uma escova de unhas e adequadamente secas toda a vez que você mudar de atividade durante o período de trabalho. fumar ou assoar o nariz. PS. Portanto. A verdadeira definição de higienização alimentar é: A DESTRUIÇÃO. você deve fazer tudo o que estiver ao seu alcance para certificar-se de que os alimentos que manipula são 100% higiênicos e tem condições de serem ingeridos sem o perigo de causar intoxicação alimentar.HIGIENE ALIMENTAR Para a maior parte das pessoas a palavra higiene significa limpeza. Depois de comer. tem a obrigação legal e moral de fazer com que os alimentos que manipula não sejam contaminados por causa de sua falta de higiene pessoal. MACHUCADOS FERIDAS E RASPÕES 2 .

laváveis. Devem ser sempre limpas. Evitar doces e gomas de mascar devido às bactérias encontradas na boca. sem bolsos externos e de preferência com prendedores do tipo não abotoável. são armadilhas de sujeiras onde as partículas de alimentos e a poeira pode se acumular e disseminar bactérias prejudiciais à saúde além de causar doenças da pele. A prevenção é melhor que a cura. Deve se impedir o uso de perfume e loção por parte dos manipuladores de produtos alimentícios. Todo o manipulador de produtos alimentícios deve informar a seus superiores se estão sofrendo de qualquer tipo de doença que possa levar a contaminação de produtos alimentícios. HABITO DE FUMAR USO DE JÓIAS PERFUMES E LOÇÕES ROUPAS DE PROTEÇÃO CUIDADOS GERAIS DE SAÚDE E INFORMAÇÕES SOBRE DOENÇAS EDUCAÇÃO EM HIGIENE. Qualquer manipulador que tiver corrimento no nariz. ORELHAS. de cores claras. porque há uma grande probabilidade de contaminação. É o produto alimentício que deve ser protegido pela roupa do manipulador contra as fontes externas de contaminação.CABELOS Todos os manipuladores de alimentos devem usar proteção adequada na cabeça de maneira a cobrir completamente os cabelos. 3 . charutos e cachimbos nos ambientes de manipulação de alimentos é uma prática ilegal. orelhas e olhos deve ser afastado da área de processamento de alimentos. A palavra proteção é usada em relação aos alimentos e não a pessoa que usa este tipo de roupa. Cigarros. A única jóia permitida é a aliança de ouro. relógios. em especial aqueles produtos com alto teor de gordura. Brincos. inclui-se a barba comprida. NARIZ e BOCA. anéis e broches.

Em se tratando de alimentos os resíduos são açucares. dissolução de incrustações minerais por ácidos e eliminação de microorganismos por agentes sanificantes como cloro ou iodo. sais minerais. ácido peracético e peróxido de hidrogênio. É a operação realizada para a remoção de todos os resíduos de detergentes que se encontram sobre a superfície do material. mais eficiente será a higienização.). É a operação onde são utilizados agentes químicos ou físicos a fim de eliminar ou reduzir o número de microorganismos a níveis seguros para o consumo humano. LIMPEZA (Detergente) É a operação mais importante e seu sucesso depende de se conhecer bem as características do detergente e de respeitar as condições de seu emprego. 4 ENERGIA MECÂNICA ENERGIA TÉRMICA TEMPO ENXÁGÜE (água potável) SANITIZAÇÃO/ SANIFICAÇÃO/ DESINFECÇÃO . Alguns sanitizantes dependendo dos ppm utilizados não necessitam enxágüe final (Ex. Período necessário de contato entre os agentes químicos (detergentes. Responsável pelo contato dos resíduos e microorganismos com os agentes de higienização (esfregamento ou pressão). No entanto.HIGIENIZAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS LIMPEZA: Remoção de resíduos orgânicos e minerais constituídos por proteínas. É também fundamental que se conhece as características dos resíduos a serem removidos. tendo como função reduzir a carga microbiana. Hipoclorito de sódio. as reações químicas ocorrem com maior eficiência nos minutos iniciais da aplicação dos agentes químicos. A príncipio quanto maior o tempo de contato. sanificantes) e os resíduos para que as reações ocorram com eficiência. gorduras. Redução dos microorganismos patogênicos a níveis consideráveis seguros ao consumo humano. SANIFICAÇÃO SANITIZAÇÃO/DESINFECÇÃO CONJUNTO DE FATORES DA HIGIENIZAÇÃO HE = Energia química (1) x Energia mecânica (2) x Energia térmica (3) x Tempo (4) ENERGIA QUÍMICA Reações de saponificação e solubilização de proteínas por agentes alcalinos. proteínas. gorduras e sais minerais. Com o aumento da temperatura das soluções se obtém uma maior eficiência na higienização. ESTAGIO DA HIGIENIZAÇÃO PRÉ-LIMPEZA (água potável) É uma operação que se realizada de maneira adequada pode reduzir uma grande parte dos resíduos presentes no substrato.

Os utensílios. escovas. ainda para o interior de tachos e tanques. IMERSÃO TIPO TÚNEL/LAVA JATO SPRAY BAIXA PRESSÃO ALTA PRESSÃO 5 . água/detergente para limpeza. Usar detergente de média alcalinidade ou neutros. conexões e. Sanificantes a base de cloro. Temperatura de 70 a 80ºC. com equipamento constituído por uma pistola e injetor. Processo de higienização por alta e baixa pressão. água para enxágüe e água/santificantes para sanitização. Iodo. Caminhão de transportes e área de processamento. Utilizar esponjas. PS. ou quando se exige uma ação mecânica adicional. Detergente de alta alcalinidade. raspadores que não arranhem o substrato. Iodo. Temperaturas de ± 45ºC. tarros transportadores de leites. paredes. Método com alta pressão em túnel isolado e jatos direcionados. etc. (Requer pessoal especializado). depois de limpos. devem ser tampados somente após a evaporação do vapor. Sua eficiência depende 100% do operador. pisos. Aplicado para higienização de superfícies externas dos equipamentos. Temperaturas de 45 a 50ºC. pois não há contato com o operador. nas indústrias de laticínios. Detergentes neutros ou de baixa alcalinidade.ENXÁGÜE FINAL (água potável) SECAGEM MANUAL Etapa onde se elimina os resíduos de sanitizantes quando for o caso. Remoção dos resíduos líquidos da superfície. Sanitização com agentes químicos (cloro) ou físicos (água quente ou vapor direto). devem ser imersos em uma solução sanitizante até o próximo uso. Sanificantes a base de cloro. partes desmontáveis de equipamentos e tubulações. para evitar a condensação e conseqüente crescimento de microorganismo. Usar detergente de média ou baixa alcalinidade. etc. TIPOS DE HIGIENIZAÇÃO Método recomendado para situações onde a higienização mecânica não é aplicável. No caso dos latões. etc. Se a água não for potável ocorrerá a recontaminação. por onde é aspergida água para pré-lavagem. Método aplicado a utensílios. talheres e outros utensílios. utilizado nas indústrias de alimentos para higienização de bandejas. tais como tanques. tais como válvulas.

concentração. SUPERFÍCIE MADEIRA AÇO CARBONO ESTANHO CONCRETO 6 . Deve ser denso e polido. Santificantes químicos (amônia quaternária). temperatura e tempo de contato das soluções circuladas. CUIDADOS Difícil higienização Usar detergentes neutros. CARACTERÍSTICAS DOS RESÍDUOS (Sujidades) RESÍDUOS GORDURAS: PROTEÍNAS: SAIS MINERAIS (Mono valentes) SOLUBILIDADE REMOÇÃO Fácil Difícil Difícil Difícil ALTERAÇÃO ºC Caramelização Polimerização Desnaturação Cristalização CARBOIDRATOS: Solúveis em água Insolúveis em água Solúveis alcalinos/tensoativos Insolúveis em água Solúveis em alcalinos Solúveis em ácidos Solúveis em água CONTAMINAÇÕES MICROBIOLÓGICAS (São combatidas pelos agentes sanificantes) ESTADOS DOS RESÍDUOS (Sujidade) LIVRES ADERENTES INCRUSTADAS Não fixada ao substrato. Difícil manutenção e é destruída por alcalinos. Usar somente detergentes neutros. (Necessitam de ação mecânica). Sanificantes químicos. a partir de tanques com soluções de limpeza. onde são bombeados agentes alcalinos. O processo permite um controle eficiente do fluxo. Temperaturas de 70 a 80ºC (nunca abaixo de 50ºC no final do processo).Temperaturas de 45 a 50ºC. Fixadas ao substrato. Devem ser galvanizados ou estanhados Não deve entrar em contato com alimento. Detergentes de alta alcalinidade. CIRCULAÇÃO (CLEANING IN PLEASE) (limpeza no lugar) Sistema automático e permanente onde os equipamentos e tubulações são higienizados sem desmontagem. Agente mecânico = ar comprimido. NATUREZA DAS SUPERFÍCIES CARACTERÍSTICAS Permeável à umidade. ácidos ou sanitizantes. Impurezas inclusas nas ranhuras ou poros das superfícies. Usar produtos alcalinos e neutros. gordura e óleos.

Esses constituintes podem ser sólidos ionizados. a água contém sólidos dissolvidos. Ex: lama. gases e compostos orgânicos dissolvidos. ASPECTOS FÍSICOS Indicam características perceptíveis pelos sentidos. Certo tipo pode ser corroído por Halogênios (Cl. Combinação de diversos fatores: ácido sulfídrico. Suspensão de matéria de qualquer substância. decomposição da lignina. Não há higienização sem água potável. São geralmente de ordem estética e incluem: COR TURBIDEZ SABOR/ODOR Substância de natureza orgânica. Usar detergentes neutros ou de média alcalinidade. Geralmente resistente à corrosão. matérias em suspensão. (incluindo microorganismos). independente de sua origem. danificado por alcalinos fortes e alguns tipos de ácidos. TINTA BORRACHA AÇO INOX A facilidade de limpeza está associada à estrutura e tipos da superfície. Um controle de qualidade da água em seus aspectos físicos. Mesmo sendo proveniente da chuva. onde é considerada pura. Br Iodo e flúor). Não pode se afetada por alcalinos fortes e solventes orgânicos. Superfície lisa e impermeável. matéria coloidal. metano e dióxido de carbono. matéria orgânica e substâncias minerais. Capacidade de limpeza pode ser classificada como: Vidro 100% Inox 80% Alumínio 70% Borracha 30% Plástico 20% Madeira 10% QUALIDADE DA ÁGUA A análise completa de água natural indicaria a presença de mais de 50 constituintes nela dissolvida ou em suspensão. Facilmente higienizado. Já que toda a substância é capaz de se dissolver na água em maior ou menor proporção. químicos e microbiológicos são fundamentais para o sucesso da higienização. etc. Tintas adequadas para industrias de alimentos Não deve ser porosa e esponjosa. Usar detergentes neutros Alcalinos e neutros nas concentrações recomendáveis. areia. 7 .VIDRO Liso e impermeável. absorve gases e diversas substâncias em suspensão na atmosfera. Ex.

Em geral avaliáveis somente por meios analíticos.ASPECTOS QUÍMICOS São resultantes da presença de substâncias dissolvidas. De acordo com os teores de sais Ca. reduzindo a eficiência do processo e formando o que chamamos de pedra do leite. dificultando a higienização. ácidos minerais e orgânicos. sódio e manganês. Alcalinidade cáustica devido a presença de hidróxido é uma característica indesejável por ser indicativo de poluição. mas são prejudiciais quando a água é utilizada no processo de higienização de pisos. esses sais reagem com alguns componentes de alguns detergentes e sanificantes. ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS BACTÉRIAS TIPOS PSICOTRÓPICAS Pseudomonas Serratia Chgromobacterium Flavobacterium Bacillus Clostridium Esporuladas Salmonella Vibrio cholerae Escherichia coli Desenvolvem-se sob refrigeração ACIDEZ ALCALINIDADE PATOGÊNICAS OU ALTERADORES (H2O/Solo) 8 . bicarbonatos. equipamentos e utensílios. Mg expressos em mg/l de CaCO3 em H2O podem ser classificados em: Água mole até 50 mg/l Água moderadamente dura de 50 a 150 mg/l Água dura de 150 a 300 mg/l Água muito dura acima de 300 mg/l Teores de Dióxido de carbono livre (CO2). Essas incrustações minerais podem constituir pontos de crescimento e de contaminações microbiológicas. Geralmente devido a carbonato. DUREZA Teores de sais de cálcio e magnésio encontrados na água. os sais de cálcio e magnésio tendem a formar incrustações que se aderem às paredes internas dos equipamentos. hidróxido de cálcio. paredes. Além disso. Em temperaturas elevadas. ferro. Esses sais são perfeitamente normais em água potável. magnésio. Qualquer tipo de acidez gera corrosão.

No Brasil o produto mais utilizado é o cloro. ocorrendo à formação de sabão. OBS. EMULSIFICAÇÃO SUSPENSÃO E ABRANDAMENTO (água dura) SOLUBILIZAÇÃO DE MINERIAS (detergente ácido) SOLUBILIDADE A solução deve ser capaz de manter as partículas insolúveis suspensas e. O detergente deve dissolver-se rapidamente e completamente em água à temperatura desejada. Ozônio. Aquecimento. c) Coagulação química. tornando-os solúveis em água. com isso. Normalmente alta alcalinidade. prevenir a formação de incrustações minerais. e) Desinfecção. sem grande agitação. conferindo-lhe a propriedade de penetração das soluções. O QUE É DETERGENTE? DETERGENTES É uma mistura de agentes químicos que tem a função de facilitar a remoção de resíduos em todas as superfícies laváveis. Ultravioleta. TIPOS DE DETERGENTES EXISTENTES NO MERCADO ALCALINOS: ALCALINOS CLORADOS: NEUTROS: ENZIMÁTICOS: ÁCIDOS: SAPONIFICAÇÃO Desincrustantes. e.TRATAMENTO DE ÁGUA MAIS COMUM É imprescindível que a água utilizada no processo de higienização seja potável ou receba tratamento correto para colocá-la dentro dos padrões microbiológicos adequados. pH 7. Os produtos utilizados para o tratamento são: Cloro. em gotículas na água. mantendo-as em suspensão ação dos tensoativos que quebra a tensão solução. Capacidade de dividir óleos e gorduras microscópicas. é a superficial da molhagem e Alta e baixa alcalinidade. b) Sedimentação. Para isso atuam os complexantes. Iodo. PROPRIEDADES DE UM DETERGENTE IDEAL É a reação química entre os resíduos de gordura animal ou vegetal e as substâncias alcalinas. 9 . Deve remover possíveis incrustações das superfícies interna e externa dos equipamentos. a) Armazenamento.

PRINCIPAIS AGENTES SANIFICANTES O QUE SÃO SANIFICANTES? São agentes químicos que se caracterizam por apresentarem níveis de eficiência variáveis contra resíduos contaminantes (microorganismos). Age em baixas temperaturas. Compostos a base de cloro. 10 . DESVANTAGENS Instável ao armazenamento. Baixo efeito residual. Não afetado pela dureza da água. Os equipamentos não precisam ser rinsados após a sanificação. Relativamente não tóxico nas condições de uso. VANTAGENS E DESVANTAGENS DOS SANIFICANTES QUÍMICOS HIPOCLORITO DE SÓDIO VANTAGENS Relativamente barato. Efetivo em baixa concentração. Irritante à pele. Age rapidamente. Peróxido de Hidrogênio. Corrosivo ao Ferro. Apresentar facilidade de ser removida da superfície (espumas). Facilidade no preparo e aplicação. Corrosivo quando não usado corretamente (CC). em virtude de suas diferentes propriedades. Concentração facilmente determinada. Baixa estabilidade na estocagem. SANIFICANTES QUÍMICOS Ácido Peracético. Vapores irritantes. Requer cuidados no manuseio. Clorexidina. Pode ser usado em tratamento de água. Precipitante em água com Ferro. Concentrações facilmente determinadas. Menos eficiência com o aumento do pH em solução. O detergente não pode atacar os operadores nas condições de uso. Quaternário de Amônia. Efetivo contra uma grande variedade de microorganismos inclusive esporos bacterianos. Irgasan. ÁCIDO PERACÉTICO VANTAGENS Excelente ação sanificante. Cobre e Alumínio. DESVANTAGENS Irritante à pele. Remove o carbono da borracha. Inativo pela matéria orgânica. Iodo. Excelente ação esporicida.CORROSIVIDADE SEGURANÇA ENXAGUAGEM O detergente não pode ser corrosivo (atacar o substrato) aos equipamentos nas condições de uso e concentrações indicadas.

Facilmente preparado. Não é afetado pela água dura. Não corrosivo. Não irritante à pele quando utilizado em limpeza mecânica. Controla odores desagradáveis. Pode provocar descoloração. Mais caro que o cloro. Boa ação de penetração.IODO VANTAGENS Boa estabilidade. Elimina células de leveduras mais rápidas que o Hipoclorito. Causa coloração em alguns materiais. Concentração facilmente determinada. Previne formação de incrustações minerais por ser de natureza ácida. Baixa atividade em água dura. Menos eficiente que o cloro sobre bacterianos e bacteriófagos. É necessário efetuar a rinsagem do equipamento. Relativamente não tóxico. coliformes e psicotróficos. Sua coloração é indicativa de menos concentração. Vida longa em prateleira. Pouco afetado pela matéria orgânica. DESVANTAGENS Eficiência diminui com o aumento do pH. Não penetrante na pele. 11 DESVANTAGENS Produto de custo elevado. Efetivo contra microorganismos termodúricos. Ação de molhagem. Não corrosivo. Eficiente contra todos os microorganismos. . Pode causar odores desagradáveis em alguns produtos. bacteriófagos. QUATERNÁRIO DE AMÔNIA VANTAGENS Estável ao armazenamento. exceto sobre esporos bacterianos e bacteriófagos. Menos sensível à matéria orgânica que o cloro. Efetivo em condições alcalinas. Problema com formação de espuma. Pouco efetivo contra esporos bacterianos. Não tóxico. Não deve ser utilizado em temperatura acima de 49°C. Efeito bacteriostático residual nos equipamentos. Boa penetração e propriedade de espalhamento. Estável a mudanças de temperatura. Sua concentração é facilmente determinada. como o plástico. Inodoro.

SANITIZANTES FÍSICOS OUTROS SANIFICANTES Calor (vapor – observar o tipo de substrato). Zinco e Bronze. áreas específicas e manipuladores: Equipamentos/áreas/Manipuladores Equipamentos de alumínio Tubulações (CIP) Sanificante IRL CQA Concentração(mg/L) 12. Fenol. de contato. Radiação ultravioleta (Luz). Aldeído Fórmico. Requer precaução no manuseio e dosagem. Recomendações sobre os principais sanificantes para equipamentos.5 200 Pisos de concreto Ambiente/nebulização Imersão de mãos Superfícies Porosas Equipamentos de aço inoxidável Borrachas Azulejos Paredes Prateleira de madeira Recipientes plásticos IRL CRL CQA Iodo Residual Livre Cloro Residual Livre Composto Quaternário de Amônio ácido/tensoativo 130 CRL 100 IRL 12.G. Baixo efeito residual.PERÓXIDO DE HIDROGÊNIO VANTAGENS DESVANTAGENS Baixa toxidade. (1989). É importante realizar o rodízio dos sanitizantes. Não misturar produtos em nenhuma hipótese. N.5 APA 300 CRL 200 CQA 500 CRL 200 CQA 200 IRL 25 IRL 25 CRL 200 ácido/tensoativo 130 CRL 200 IRL 25 APA 300 IRL 25 IRL 25 CRL 200 CRL 200 CQA 200 CRL 200 CRL 200 IRL 25 APA Ácido Peracético Adaptado: MORRIOT. 12 . Requer controle do Oxigênio ativo na utilização. A baixas temperaturas requer longo tempo Não requer enxágüe. Corrosivo ao Cobre.

Mantenha os alimentos cobertos. refrigerados ou bem quentes.Glutaroldeído. 7. 6. 9. AS DEZ REGRAS DE OURO DA HIGIENE ALIMENTAR 1. 4. ou diarréia. e sempre depois de usar o banheiro. GARANTA o correto armazenamento e descarte dos restos de alimentos. 5. 3. A LEI JAMAIS DEVE SER VIOLADA 13 . INFORME o seu supervisor se não for possível seguir as regras estabelecidas. e use roupas limpas. MANTENHA as mãos afastadas dos alimentos. irritação do nariz ou da garganta. 2. sempre que possível. MANTENHA-SE sempre limpo. Mantenha todas as superfícies e peças do equipamento sempre limpas. E não deve tossir ou espirrar sobre os alimentos. 8. É ilegal e perigoso. SEMPRE lave bem as mãos antes e depois de manipular alimentos. 10. JAMAIS FUME na cozinha ou nas despensas. PREPARE os alimentos crus e cozidos em lugares separados. INFORME imediatamente seu superior quando estiver problema de ferimento na pele. VÁ LIMPANDO enquanto trabalha. Mantenha tampados os latões de lixo e lave as mãos depois de lidar com lixo e restos de comida. CERTIFIQUE-SE de ter todos os cortes ou machucados cobertos com bandagem à prova d’água.

Manual de higiene para manipuladores de alimentos .1ª edição Dr. Manual de higiene e resfriamento do leite CCGL 3.BIBLIOGRAFIAS CONSULTADAS 1. Higienização na Indústria de Alimentos Nélio José de Andrade e Jorge Antonio B. Consulta a revista CBQL . de Macedo 2.1ª edição 3.Hazelwood & Mclean 5. Manual de limpeza e desinfecção para unidades produtoras de refeições Josedira Carvalho do Rego Zelyta Pinheiro de Faro Autor: Airton Bonacheski Silveira Adriano Martins de Oliveira 14 . Manual do produtor – CCPR-MG 4.

DETEN 096 Detergente neutro Detergente de cor âmbar. otimizando e conservando todo o sistema. conforme o grau de incrustação das gorduras. Aplicar 5 ml do produto e friccionar durante dois a três minutos. É ativo contra a maioria das bactérias gram-positivas e gramnegativas. Os produtos presentes em sua formulação evitam o ressecamento das mãos. mantenham-se livres de entupimentos e com ótimo fluxo. Indicado para a limpeza de coifas. animais e vegetais. Aplicar uma dose de 100ml diariamente no final do trabalho em pontos previamente definidos. responsáveis pela degermação e anti-sepsia das mãos. CLOROLAN PLG Alvejante concentrado Líquido transparente. TEC-ENZIME reduz consideravelmente a necessidade de desentupimento e limpeza de caixas de gordura e tubulações. Na limpeza de coifas e exaustores utilizar uma solução de 1 litro de produto para 5 litros de água e aplicar com uma escova. neutro e viscoso com propriedades emolientes e umectantes. 15 . Seu alto grau de eficiência proporciona que ralos e tubulações. Usado 1 litro de produto para 30 litros de água ou até 1 litro de produto para 50 litros de água. secar as mãos com toalha esterilizada. levemente amarelado com poder de alvejamento e desinfecção devido à presença do cloro em sua solução. Indicado na limpeza em geral e na remoção de óleos. por um período de 10 dias. Usado puro ou diluído em até 1 litro de produto para 30 litros de água. aguardar de 15 a 20 minutos e enxaguar. ralos e esgotos.PRODUTOS PARA LIMPEZA SOMMACARE Sabonete cremoso anti-séptico com Irgasan Sabonete cremoso. tendo em sua composição enzimas. ANTI-SEPSIA DAS MÃOS: molhar as mãos e antebraços. cutículas e espaços interdigitais. não viscoso com ph alcalino e forte poder de remoção de sujeiras. exaustores. graxas minerais. pias. O uso em materiais de alumínio ou magnésio causa fosqueamento nos equipamentos. aparência líquida e livre de impurezas. quando tratados com TEC-ENZIME. é um anti-séptico à base de IRGASAN (Triclosan) contendo tensoativos e agentes umectantes. Anti-séptico destinado a degermação e anti-sepsia em áreas semicriticas e não-criticas. recomenda-se teste prévio. MAXCLEAN Desengraxante Multiuso Líquido transparente. onde seja necessário a remoção de gorduras pesadas e carbonizadas. Utilizar luvas para o manuseio do produto. TEC-ENZIME Digestor biológico de gordura TEC-ENZIME é um produto especialmente desenvolvido para digerir gorduras e óleos. também colabora para que caixas de gordura conservem-se limpas. churrasqueiras e equipamentos em inox ou vidro. de cor amarela. tendo especial cuidado com unhas. Após enxaguamento final. Indicado para a limpeza e desinfecção de pisos. imergi-los numa solução de 1 litro de produto para 10 litros de água. para equipamentos. graxas e gorduras carbonizadas.

Sorveterias. Hotéis. Cozinhas Industriais. Shopping Centers. Refeitórios.Repetir a operação a cada 20 dias. Este sistema é muito utilizado em Indústrias de alimentos. Hospitais e outros. Padarias. 16 .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->